Cobertura_XTerra_2010

Vídeo mostra os desafios enfrentados pelos triatletas no XTerra Ceará

Triathlon · 26 nov, 2010

Nadar um quilômetro em mar revolto e com fortes ondas, pedalar 29 quilômetros de mountain bike nas dunas sob um forte calor e depois correr sete quilômetros em areia fofa, trilhas e calçamento. Esses foram os desafios encontrados pelos mais de 100 triatletas que participaram do XTerra Ceará no último sábado (20/11).

Confira no vídeo abaixo alguns trechos do percurso, que foi montado nas imediações do Beach Park, em Fortaleza. O brasiliense Alexandre Manzan, que já havia conquistado o título da temporada por antecipação, venceu mais uma vez sem dar chances aos adversários.


Vídeo mostra os desafios enfrentados pelos triatletas no XTerra Ceará

Triathlon · 26 nov, 2010

Nadar um quilômetro em mar revolto e com fortes ondas, pedalar 29 quilômetros de mountain bike nas dunas sob um forte calor e depois correr sete quilômetros em areia fofa, trilhas e calçamento. Esses foram os desafios encontrados pelos mais de 100 triatletas que participaram do XTerra Ceará no último sábado (20/11).

Confira no vídeo abaixo alguns trechos do percurso, que foi montado nas imediações do Beach Park, em Fortaleza. O brasiliense Alexandre Manzan, que já havia conquistado o título da temporada por antecipação, venceu mais uma vez sem dar chances aos adversários.

Organizador do XTerra fala sobre o crescimento da modalidade no Brasil

Triathlon · 25 nov, 2010

O Circuito de triathlon cross country XTerra tem se tornado uma opção para aqueles que querem praticar a modalidade em meio à natureza e buscam desafios e superações a cada etapa. Criado no Havaí em 1996, a competição chegou ao Brasil em 2005 com uma etapa em Ilhabela e para 2011 já estão programadas 10 provas.

Bernardo Fonseca, diretor da X3M Sport Business, empresa responsável por trazer o XTerra ao país, comemora o sucesso. “Esse foi um ano muito especial, porque tivemos muitas provas e aprendemos muito com nossos erros e acertos. Temos que fazer alguns ajustes, mas na média todas as provas foram bacanas”.

Ainda de acordo com o organizador, enquanto algumas provas do estilo cross country foram canceladas em 2010, ou foram realizadas com dificuldades financeiras, o XTerra teve um crescimento de participantes. “Queremos ficar numa rua com vários restaurantes e não isolados”, exemplifica.

Bernardo conta ainda que o XTerra é a porta de entrada para muitos atletas que pretendem se iniciar no mundo cross country. “Sabemos da importância que temos para eles e para os demais, por isso divulgamos o calendário com antecedência. Expandimos o Circuito para diversas regiões do Brasil, inclusive para o sul, com a prova de Florianópolis”.

Em 2011 haverá três XTerra training, provas menores, organizadas por empresas parceiras, além de seis provas regulares e a Global Tour, na Amazônia. “Em 2010 batemos de frente com várias outras competições, mas ano que vem as provas serão mais bem divididas ao longo da temporada”, enfatiza Bernardo.

A principal diferença é que nos Xterra regulares a pontuação será maior do que em disputas Training e o percurso será mais técnico e exigirá mais esforço dos competidores. O calendário oficial da próxima temporada ficou da seguinte forma:

  • XTerra Minas Gerais (cidade a definir) - 2 e 3/04
  • XTerra Training Itapira (SP) 30/04
  • XTerra Training Indaiatuba (SP) 7/05
  • XTerra Brasil – Global Tour – Manaus (AM) – 11/06
  • XTerra Training Indaiatuba (SP) – 30/07
  • XTerra Mangaratiba (RJ) – 13/08
  • XTerra Ilhabela (SP) – 10/09
  • XTerra Tiradentes (MG) 1 e 2/10
  • XTerra Ceará – 19 e 19/11
  • XTerra Florianópolis (SC) 10 e 11/12


  • Organizador do XTerra fala sobre o crescimento da modalidade no Brasil

    Triathlon · 25 nov, 2010

    O Circuito de triathlon cross country XTerra tem se tornado uma opção para aqueles que querem praticar a modalidade em meio à natureza e buscam desafios e superações a cada etapa. Criado no Havaí em 1996, a competição chegou ao Brasil em 2005 com uma etapa em Ilhabela e para 2011 já estão programadas 10 provas.

    Bernardo Fonseca, diretor da X3M Sport Business, empresa responsável por trazer o XTerra ao país, comemora o sucesso. “Esse foi um ano muito especial, porque tivemos muitas provas e aprendemos muito com nossos erros e acertos. Temos que fazer alguns ajustes, mas na média todas as provas foram bacanas”.

    Ainda de acordo com o organizador, enquanto algumas provas do estilo cross country foram canceladas em 2010, ou foram realizadas com dificuldades financeiras, o XTerra teve um crescimento de participantes. “Queremos ficar numa rua com vários restaurantes e não isolados”, exemplifica.

    Bernardo conta ainda que o XTerra é a porta de entrada para muitos atletas que pretendem se iniciar no mundo cross country. “Sabemos da importância que temos para eles e para os demais, por isso divulgamos o calendário com antecedência. Expandimos o Circuito para diversas regiões do Brasil, inclusive para o sul, com a prova de Florianópolis”.

    Em 2011 haverá três XTerra training, provas menores, organizadas por empresas parceiras, além de seis provas regulares e a Global Tour, na Amazônia. “Em 2010 batemos de frente com várias outras competições, mas ano que vem as provas serão mais bem divididas ao longo da temporada”, enfatiza Bernardo.

    A principal diferença é que nos Xterra regulares a pontuação será maior do que em disputas Training e o percurso será mais técnico e exigirá mais esforço dos competidores. O calendário oficial da próxima temporada ficou da seguinte forma:

  • XTerra Minas Gerais (cidade a definir) - 2 e 3/04
  • XTerra Training Itapira (SP) 30/04
  • XTerra Training Indaiatuba (SP) 7/05
  • XTerra Brasil – Global Tour – Manaus (AM) – 11/06
  • XTerra Training Indaiatuba (SP) – 30/07
  • XTerra Mangaratiba (RJ) – 13/08
  • XTerra Ilhabela (SP) – 10/09
  • XTerra Tiradentes (MG) 1 e 2/10
  • XTerra Ceará – 19 e 19/11
  • XTerra Florianópolis (SC) 10 e 11/12

  • Após intensas negociações, Amazônia será a seletiva mundial do XTerra

    Triathlon · 24 nov, 2010

    Durante a etapa do Ceará do Circuito XTerra, realizada no último sábado (20/11), os organizadores anunciaram que a cidade de Manaus, no Amazonas, sediará a seletiva brasileira do circuito mundial do triathlon cross country. A Floresta Amazônica foi palco de uma etapa regional esse ano e, para sediar o Global Tour, venceu a concorrência com Ilhabela e Angra dos Reis.

    “Fizemos uma enquete com alguns atletas e colocamos diversas regras a serem cumpridas para que determinada cidade fosse a sede do Global Tour”, ressalta Bernardo Fonseca, diretor da X3M Sport Business, empresa responsável pelo XTerra no Brasil. “O prefeito de Ilhabela lutou bastante, Angra tem o viés de possuir uma estrutura muito boa, mas em Manaus há uma cultura única”, completa.

    A prova amazônica será mais uma vez realizada no coração da floresta, no Centro de Instrução do Grupamento de Selva do Exército (CIGS), apelidado de “quadrado maldito” pelos militares. “É apaixonante estar no meio da selva”, ressalta Bernardo. Ainda segundo ele, o envolvimento do poder público será ainda maior em 2011. “Teremos o apoio de todas as esferas do governo (Estadual e Municipal), além de todo o Exército”.

    Ilhabela foi a primeira sede do Global Tour, título que ostentou até 2007, já que no ano seguinte Angra dos Reis foi o local escolhido. “Manaus venceu desta vez, mas não será perpétuo, já que anualmente teremos uma disputa saudável”, ressalta Bernardo.

    Os melhores colocados em cata categoria na prova Global Tour ganham o direito de competir a final no Havaí e, para conquistar uma vaga, os atletas têm diversas opções pelo mundo. Para 2011 haverá seletivas na África do Sul, Filipinas, Ilhas Marianas do Norte, Nova Zelândia, Itália, Brasil, Áustria, França, França, México, República Tcheca, Alemanha, Japão, Canadá, Suíça e Estados Unidos.

    A prova - A disputa na Amazônia aconteceu em junho, mesma época em que acontecerá em 2011, com distâncias de 1,5 quilômetro de natação, 30 de mountain bike e nove de corrida na Base de Instrução número quatro do Exército. A logística da prova envolveu uma verdadeira operação de guerra, já que para chegar ao local foi necessário usar ônibus e balsas.

    “Não foi fácil concorrer com as outras cidades. Tivemos uma disputa árdua, com muitos almoços, reuniões e corridas no calçadão de Copacabana com o Bernardo”, lembra Fabrício Lima, Secretário de Municipal de Desporto e Lazer de Manaus. “Estamos muito felizes com o crescimento do circuito e vamos envolver toda a cidade com o evento. Pretendemos receber o pessoal muito bem, para que ninguém fique com saudades de Angra”, brinca.

    Ele enfatiza ainda que já há estudos de melhorias a serem feitas na estrutura organizacional. “Vamos fazer um acordo com uma rede de hotéis para que possamos hospedar os atletas com tarifas diferenciadas e pretendemos receber todos no aeroporto”.

    Por conta da distância grande entre o centro da cidade e o local da largada, os competidores são obrigados a acordar cedo e se alimentar muito antes do início da competição, motivo pelo qual a organização montou um café da manhã, que deve ser ainda mais reforçado na disputa do ano que vem. “Queremos montar um café da manhã mais organizado e um almoço caprichado pós prova”, ressalta Fabrício.

    O Secretário afirma ainda que a prova deixou um legado muito importante para a cidade de Manaus. “Depois do XTerra o prefeito criou outra imagem para o esporte e abriu as portas para grandes eventos de diversas modalidades, em parceria com o setor privado”.

    Esse ano a disputa aconteceu logo após o Ironman Brasil, em Florianópolis, e a X3M premiou os competidores com menor tempo nas duas provas com o troféu “Double Survivor”. “Esse ano o XTerra será duas semanas depois do Ironman e mais uma vez teremos essa premiação. Além disso, vamos visitar alguns países para divulgar o Global Tour na Amazônia”, garante Fabrício.


    Após intensas negociações, Amazônia será a seletiva mundial do XTerra

    Triathlon · 24 nov, 2010

    Durante a etapa do Ceará do Circuito XTerra, realizada no último sábado (20/11), os organizadores anunciaram que a cidade de Manaus, no Amazonas, sediará a seletiva brasileira do circuito mundial do triathlon cross country. A Floresta Amazônica foi palco de uma etapa regional esse ano e, para sediar o Global Tour, venceu a concorrência com Ilhabela e Angra dos Reis.

    “Fizemos uma enquete com alguns atletas e colocamos diversas regras a serem cumpridas para que determinada cidade fosse a sede do Global Tour”, ressalta Bernardo Fonseca, diretor da X3M Sport Business, empresa responsável pelo XTerra no Brasil. “O prefeito de Ilhabela lutou bastante, Angra tem o viés de possuir uma estrutura muito boa, mas em Manaus há uma cultura única”, completa.

    A prova amazônica será mais uma vez realizada no coração da floresta, no Centro de Instrução do Grupamento de Selva do Exército (CIGS), apelidado de “quadrado maldito” pelos militares. “É apaixonante estar no meio da selva”, ressalta Bernardo. Ainda segundo ele, o envolvimento do poder público será ainda maior em 2011. “Teremos o apoio de todas as esferas do governo (Estadual e Municipal), além de todo o Exército”.

    Ilhabela foi a primeira sede do Global Tour, título que ostentou até 2007, já que no ano seguinte Angra dos Reis foi o local escolhido. “Manaus venceu desta vez, mas não será perpétuo, já que anualmente teremos uma disputa saudável”, ressalta Bernardo.

    Os melhores colocados em cata categoria na prova Global Tour ganham o direito de competir a final no Havaí e, para conquistar uma vaga, os atletas têm diversas opções pelo mundo. Para 2011 haverá seletivas na África do Sul, Filipinas, Ilhas Marianas do Norte, Nova Zelândia, Itália, Brasil, Áustria, França, França, México, República Tcheca, Alemanha, Japão, Canadá, Suíça e Estados Unidos.

    A prova - A disputa na Amazônia aconteceu em junho, mesma época em que acontecerá em 2011, com distâncias de 1,5 quilômetro de natação, 30 de mountain bike e nove de corrida na Base de Instrução número quatro do Exército. A logística da prova envolveu uma verdadeira operação de guerra, já que para chegar ao local foi necessário usar ônibus e balsas.

    “Não foi fácil concorrer com as outras cidades. Tivemos uma disputa árdua, com muitos almoços, reuniões e corridas no calçadão de Copacabana com o Bernardo”, lembra Fabrício Lima, Secretário de Municipal de Desporto e Lazer de Manaus. “Estamos muito felizes com o crescimento do circuito e vamos envolver toda a cidade com o evento. Pretendemos receber o pessoal muito bem, para que ninguém fique com saudades de Angra”, brinca.

    Ele enfatiza ainda que já há estudos de melhorias a serem feitas na estrutura organizacional. “Vamos fazer um acordo com uma rede de hotéis para que possamos hospedar os atletas com tarifas diferenciadas e pretendemos receber todos no aeroporto”.

    Por conta da distância grande entre o centro da cidade e o local da largada, os competidores são obrigados a acordar cedo e se alimentar muito antes do início da competição, motivo pelo qual a organização montou um café da manhã, que deve ser ainda mais reforçado na disputa do ano que vem. “Queremos montar um café da manhã mais organizado e um almoço caprichado pós prova”, ressalta Fabrício.

    O Secretário afirma ainda que a prova deixou um legado muito importante para a cidade de Manaus. “Depois do XTerra o prefeito criou outra imagem para o esporte e abriu as portas para grandes eventos de diversas modalidades, em parceria com o setor privado”.

    Esse ano a disputa aconteceu logo após o Ironman Brasil, em Florianópolis, e a X3M premiou os competidores com menor tempo nas duas provas com o troféu “Double Survivor”. “Esse ano o XTerra será duas semanas depois do Ironman e mais uma vez teremos essa premiação. Além disso, vamos visitar alguns países para divulgar o Global Tour na Amazônia”, garante Fabrício.

    Campeões do Circuito XTerra 2010, Manzan e Luzia, avaliam a temporada

    Triathlon · 23 nov, 2010

    Fortaleza - Alexandre Manzan e Luzia Belo conquistaram o título do Circuito XTerra Brasil e chegaram à ultima etapa, em Fortaleza no último sábado (20/10), em condições diferentes. Luzia não correu por conta de uma cirurgia na mão e torceu para Carla Prada não vencer, enquanto Manzan garantiu o título por antecipação, mas fez questão de disputar a prova e mais uma vez chegou ao primeiro lugar.

    O brasiliense fechou a temporada com 653 pontos, após vitórias nas etapas de Fortaleza, Pedra Azul, Amazônia, Idaiatuba, Juiz de Fora e o vice em São Lourenço e Angra dos Reis. Bicampeão do XTerra, Manzan conta que as vezes não se dá conta que jovens atletas se inspiram nele para começar a competir.

    “Às vezes não cai a ficha do significado que a gente tem. Eu me sinto muito feliz e espero que eles não sigam à risca minhas loucuras, mas treinem direitinho e usem o esporte como um meio de vida“, relata o atleta que esse ano teve que conciliar os treinos com o trabalho como policial civil e o MBA em Gestão Ambiental. “Por meio do esporte eu conheci o mundo e espero poder ajudar a molecada e mostrar um caminho legal”.

    Manzan também comenta sobre as drogas, um dos grandes problemas que assola a humanidade há muito tempo. “Felizmente essa é uma realidade muito distante de mim. Acho que é uma fragilidade humana num momento de carência e que consome as pessoas. O esporte pode ser uma saída e levar para um mundo de saúde, amizade, viagens, educação e cidadania”.

    O competidor de 36 anos, 20 deles dedicado ao esporte, fomenta a importância de se investir na base. “Temos que trabalhar com a molecada, que certamente é o futuro do nosso país. E vamos juntos, porque o vovô está quase parando”, brinca.

    Luzia - Luzia Belo, 39 anos e 16 deles dedicados ao triathlon, fechou a temporada 2010 do XTerra com 525 pontos e torceu por um tropeço da concorrente Carla Prada para garantir o título. Como ela não competiu por conta de uma lesão na mão, se a adversária faturasse o título em Fortaleza, ficaria com um ponto a mais no ranking. Mas, o vento soprou a favor da santista e, como a americana Shonny V. cruzou em primeiro, Luzia fechou a temporada como campeã.

    Foram 525 pontos contra 495 de Carla e 392 de Sabrina Gobbo. “Esse ano fiz quase todas as etapas, ao contrário de 2009 em que fiz apenas uma e para mim foi muito bom, pois sempre gostei de provas cross country”, ressalta. “Não existe um XTerra igual, cada etapa é diferente, o que motiva bastante”, completa.

    Dentre todas as disputas, ela elege Ilhabela como a melhor do ano. “Foi a que mais me deu prazer em fazer. Quebrei a costela e corri os nove quilômetros finais nessa condição e mesmo assim fechei em segundo lugar”. Para a temporada 2011, ela ainda não tem planos concretos, mas pretende continuar a treinar forte. “Vou esperar acontecerem as coisas para planejar minhas provas”.

    A primeira etapa do XTerra 2011 será em Minas Gerais, em cidade ainda a definir, nos dias dois e três de abril.


    Campeões do Circuito XTerra 2010, Manzan e Luzia, avaliam a temporada

    Triathlon · 23 nov, 2010

    Fortaleza - Alexandre Manzan e Luzia Belo conquistaram o título do Circuito XTerra Brasil e chegaram à ultima etapa, em Fortaleza no último sábado (20/10), em condições diferentes. Luzia não correu por conta de uma cirurgia na mão e torceu para Carla Prada não vencer, enquanto Manzan garantiu o título por antecipação, mas fez questão de disputar a prova e mais uma vez chegou ao primeiro lugar.

    O brasiliense fechou a temporada com 653 pontos, após vitórias nas etapas de Fortaleza, Pedra Azul, Amazônia, Idaiatuba, Juiz de Fora e o vice em São Lourenço e Angra dos Reis. Bicampeão do XTerra, Manzan conta que as vezes não se dá conta que jovens atletas se inspiram nele para começar a competir.

    “Às vezes não cai a ficha do significado que a gente tem. Eu me sinto muito feliz e espero que eles não sigam à risca minhas loucuras, mas treinem direitinho e usem o esporte como um meio de vida“, relata o atleta que esse ano teve que conciliar os treinos com o trabalho como policial civil e o MBA em Gestão Ambiental. “Por meio do esporte eu conheci o mundo e espero poder ajudar a molecada e mostrar um caminho legal”.

    Manzan também comenta sobre as drogas, um dos grandes problemas que assola a humanidade há muito tempo. “Felizmente essa é uma realidade muito distante de mim. Acho que é uma fragilidade humana num momento de carência e que consome as pessoas. O esporte pode ser uma saída e levar para um mundo de saúde, amizade, viagens, educação e cidadania”.

    O competidor de 36 anos, 20 deles dedicado ao esporte, fomenta a importância de se investir na base. “Temos que trabalhar com a molecada, que certamente é o futuro do nosso país. E vamos juntos, porque o vovô está quase parando”, brinca.

    Luzia - Luzia Belo, 39 anos e 16 deles dedicados ao triathlon, fechou a temporada 2010 do XTerra com 525 pontos e torceu por um tropeço da concorrente Carla Prada para garantir o título. Como ela não competiu por conta de uma lesão na mão, se a adversária faturasse o título em Fortaleza, ficaria com um ponto a mais no ranking. Mas, o vento soprou a favor da santista e, como a americana Shonny V. cruzou em primeiro, Luzia fechou a temporada como campeã.

    Foram 525 pontos contra 495 de Carla e 392 de Sabrina Gobbo. “Esse ano fiz quase todas as etapas, ao contrário de 2009 em que fiz apenas uma e para mim foi muito bom, pois sempre gostei de provas cross country”, ressalta. “Não existe um XTerra igual, cada etapa é diferente, o que motiva bastante”, completa.

    Dentre todas as disputas, ela elege Ilhabela como a melhor do ano. “Foi a que mais me deu prazer em fazer. Quebrei a costela e corri os nove quilômetros finais nessa condição e mesmo assim fechei em segundo lugar”. Para a temporada 2011, ela ainda não tem planos concretos, mas pretende continuar a treinar forte. “Vou esperar acontecerem as coisas para planejar minhas provas”.

    A primeira etapa do XTerra 2011 será em Minas Gerais, em cidade ainda a definir, nos dias dois e três de abril.

    Manzan derrota estrangeiros e vence XTerra Ceará sob forte calor

    Triathlon · 21 nov, 2010

    O triatleta brasiliense, Alexandre Manzan, faturou mais uma etapa do circuito XTerra, desta vez na prova de Fortaleza (CE), disputada no sábado (20) nas imediações do Beach Park. Entre as mulheres, a campeã mundial da modalidade, Shonny V, venceu com sobra.

    Direto de Fortaleza - Logo nas primeiras horas da manhã o sol já brilhava forte em Fortaleza e, desde as 7h os mais de 100 competidores já deixavam suas bikes na área de transição montada na praia em frente ao parque aquático Beach Park. O percurso foi de um quilômetro de natação, 29 de mountain bike e sete de corrida.

    Na elite diversos nomes de peso estavam presentes para a etapa de encerramento do ano, entre eles Alexandre Manzan (campeão antecipado do circuito), o canadense Mike Vine (top cinco na etapa mundial de 2008 no Brasil, o americano Craig Evans (especialista em natação), além dos demais brasileiros Rodrigo Altafini, Christian Cruz e Felipe Moleta. No feminino, Shonny Valandingham (campeã no Havaí este ano), duelou com a pentacampeã do circuito americano, Suzane Snyder, além das brasileiras Sabrina Gobbo, Luzia Belo, Isabela Ribeiro e Carla Prada.

    O mar agitado, com fortes ventos e correnteza foi o primeiro grande obstáculo para os atletas, que tiveram dificuldade para atravessar a arrebentação e encarar as ondas. No dia anterior, Mike passou algumas dicas e disse que o segredo nestes casos é vencer as ondas por baixo, respirar pelo lado esquerdo e evitar tirar a cabeça d’água com frequência. Mesmo assim, isso não evitou que algumas pessoas levassem verdadeiros “caldos”.

    No trecho de bike, onde muitos esperavam desenvolver altas velocidades e correr atrás do tempo perdido na água, as dunas e a areia fofa exigiram ainda mais do físico. Em diversas partes foi necessário empurrar a magrela, em outras descer com o máximo cuidado as ladeiras formadas pelas dunas.

    Por fim, na corrida, os atletas passaram por trechos de mangue, areia da praia e calçamento, mas novamente a areia fofa prejudicou o bom desempenho de alguns. Isso tudo aliado ao forte calor, alta umidade e o vento contra, fizeram desta etapa uma das mais difíceis da temporada.

    Vitória - Todas essas dificuldades, somadas ao acúmulo de uma competição de mais de 600 quilômetros, a Claro Brasil Ride, em que Alexandre Manzan participou na última semana, não foram obstáculos para o brasiliense vencer com o tempo de 2h23min16. Apelidado de Forest Gump brasileiro pelo sul-africano Dan Hugo na etapa de Mangaratiba, o especialista nos trechos de corrida cruzou a linha de chegada exausto.

    “Na bike eu pedalei forte, mas achei que o Mike fosse me pegar, depois eu consegui correr bem na areia e usar bem a técnica. A natação complicada atrasou um pouco os adversários, o que me ajudou bastante”, conta Manzan. “Eu vim desacreditado de fazer um bom resultado, queria apenas completar a prova, mas resolvi treinar mais um dia do ano. Depois você começa a esquentar e ver que dá para crescer na prova”, completa.

    A segunda colocação ficou para o também brasileiro Cid Santos, com 2h31min07 e a terceira com Mike Vine, ao marcar 2h33min54. “O pior trecho foi a bike, pois não estou acostumado com o percurso”, conta Cid, que teve problemas mecânicos, mas não desanimou. “Entrou um galho no câmbio traseiro, mas eu tive calma para arrumar e continuar”. Estreante no XTerra, o baiano especialista em Ironman e Meio Ironman, pretende fazer mais provas do circuito.

    Já Mike Vine, que chegou como favorito à disputa, confessa que as condições do percurso e o sol forte não o favoreceram. “Eu perdi muito tempo na água, depois a corrida até a transição também foi complicada e na bike foi pior ainda. Meu pior problema foi o clima, pois no Canadá estamos com 15 graus”.

    Mulheres - No feminino Shonny mostrou toda a força de uma campeã mundial e não deu chances às adversárias ao marcar o tempo de 2h47min15, o equivalente à sexta colocação geral. “Foi um percurso muito bonito, ao final, na cidade, algumas crianças correram comigo e foi muito legal. Tinham muitas dunas na bike, o que dificultou um pouco”. Campeã no Havaí e da etapa global em Mangaratiba este ano, ela revela que pretende voltar ao Brasil em 2011 para uma disputa especial. “Quero me preparar para correr na Amazônia”.

    A vice-campeã foi Suzane Snydder, com o tempo de 3h06min04, depois de sofrer muito nas dunas. “A natação foi um pouco complicada, mas não o pior dos trechos, já que na bike complicou. Tive que empurrar muitas vezes”.

    A terceira colocação foi para a brasileira Sabrina Gobbo, com o tempo de 3h31min. Também recém chegada da Claro Brasil Ride, ela diz que ter empurrado a bike nas dunas não foi algo tão decepcionante. “Na Chapada empurrarmos muito, então acho que foi um treino já”, brinca. Sobre o percurso, ela também comenta sobre a areia. “O maior problema foi o calor, assim como a areia e essa colocação foi uma surpresa para mim. Imaginava chegar atrás da Carla Prada, mas me senti bem e deu tudo certo”.

    A etapa do Ceará também serviu para coroar os campeões da temporada 2010, Alexandre Manzan e Luzia Belo, que levaram para casa um cheque de três mil reais. Eles receberam também um troféu especial, além de uma camiseta e boné diferenciados.

    Em 2011 as datas do Circuito XTerra já estão definidas e serão nas seguintes datas e locais.

    - XTerra (cidade a definir) MG – 2 e 3 de abril
    - XTerra Training Itapira/ SP – 30 de abril
    - XTerra Training Indaiatuba/ SP – 7 de maio
    - XTerra Brazil Manaus/ AM – 11 de junho – Etapa Mundial
    - XTerra Training Indaiatuba/ SP – 30 de julho
    - XTerra Mangaratiba/ RJ – 13 de agosto
    - XTerra Ilhabela/ SP – 10 de setembro
    - XTerra Tiradentes/ MG – 1 e 2 de outubro
    - XTerra Training Juiz de Fora/ MG – 8 de outubro
    - XTerra Ceará/ CE – 18 e 19 de novembro
    - XTerra Florianópolis/ SC – 10 e 11 de dezembro


    Manzan derrota estrangeiros e vence XTerra Ceará sob forte calor

    Triathlon · 21 nov, 2010

    O triatleta brasiliense, Alexandre Manzan, faturou mais uma etapa do circuito XTerra, desta vez na prova de Fortaleza (CE), disputada no sábado (20) nas imediações do Beach Park. Entre as mulheres, a campeã mundial da modalidade, Shonny V, venceu com sobra.

    Direto de Fortaleza - Logo nas primeiras horas da manhã o sol já brilhava forte em Fortaleza e, desde as 7h os mais de 100 competidores já deixavam suas bikes na área de transição montada na praia em frente ao parque aquático Beach Park. O percurso foi de um quilômetro de natação, 29 de mountain bike e sete de corrida.

    Na elite diversos nomes de peso estavam presentes para a etapa de encerramento do ano, entre eles Alexandre Manzan (campeão antecipado do circuito), o canadense Mike Vine (top cinco na etapa mundial de 2008 no Brasil, o americano Craig Evans (especialista em natação), além dos demais brasileiros Rodrigo Altafini, Christian Cruz e Felipe Moleta. No feminino, Shonny Valandingham (campeã no Havaí este ano), duelou com a pentacampeã do circuito americano, Suzane Snyder, além das brasileiras Sabrina Gobbo, Luzia Belo, Isabela Ribeiro e Carla Prada.

    O mar agitado, com fortes ventos e correnteza foi o primeiro grande obstáculo para os atletas, que tiveram dificuldade para atravessar a arrebentação e encarar as ondas. No dia anterior, Mike passou algumas dicas e disse que o segredo nestes casos é vencer as ondas por baixo, respirar pelo lado esquerdo e evitar tirar a cabeça d’água com frequência. Mesmo assim, isso não evitou que algumas pessoas levassem verdadeiros “caldos”.

    No trecho de bike, onde muitos esperavam desenvolver altas velocidades e correr atrás do tempo perdido na água, as dunas e a areia fofa exigiram ainda mais do físico. Em diversas partes foi necessário empurrar a magrela, em outras descer com o máximo cuidado as ladeiras formadas pelas dunas.

    Por fim, na corrida, os atletas passaram por trechos de mangue, areia da praia e calçamento, mas novamente a areia fofa prejudicou o bom desempenho de alguns. Isso tudo aliado ao forte calor, alta umidade e o vento contra, fizeram desta etapa uma das mais difíceis da temporada.

    Vitória - Todas essas dificuldades, somadas ao acúmulo de uma competição de mais de 600 quilômetros, a Claro Brasil Ride, em que Alexandre Manzan participou na última semana, não foram obstáculos para o brasiliense vencer com o tempo de 2h23min16. Apelidado de Forest Gump brasileiro pelo sul-africano Dan Hugo na etapa de Mangaratiba, o especialista nos trechos de corrida cruzou a linha de chegada exausto.

    “Na bike eu pedalei forte, mas achei que o Mike fosse me pegar, depois eu consegui correr bem na areia e usar bem a técnica. A natação complicada atrasou um pouco os adversários, o que me ajudou bastante”, conta Manzan. “Eu vim desacreditado de fazer um bom resultado, queria apenas completar a prova, mas resolvi treinar mais um dia do ano. Depois você começa a esquentar e ver que dá para crescer na prova”, completa.

    A segunda colocação ficou para o também brasileiro Cid Santos, com 2h31min07 e a terceira com Mike Vine, ao marcar 2h33min54. “O pior trecho foi a bike, pois não estou acostumado com o percurso”, conta Cid, que teve problemas mecânicos, mas não desanimou. “Entrou um galho no câmbio traseiro, mas eu tive calma para arrumar e continuar”. Estreante no XTerra, o baiano especialista em Ironman e Meio Ironman, pretende fazer mais provas do circuito.

    Já Mike Vine, que chegou como favorito à disputa, confessa que as condições do percurso e o sol forte não o favoreceram. “Eu perdi muito tempo na água, depois a corrida até a transição também foi complicada e na bike foi pior ainda. Meu pior problema foi o clima, pois no Canadá estamos com 15 graus”.

    Mulheres - No feminino Shonny mostrou toda a força de uma campeã mundial e não deu chances às adversárias ao marcar o tempo de 2h47min15, o equivalente à sexta colocação geral. “Foi um percurso muito bonito, ao final, na cidade, algumas crianças correram comigo e foi muito legal. Tinham muitas dunas na bike, o que dificultou um pouco”. Campeã no Havaí e da etapa global em Mangaratiba este ano, ela revela que pretende voltar ao Brasil em 2011 para uma disputa especial. “Quero me preparar para correr na Amazônia”.

    A vice-campeã foi Suzane Snydder, com o tempo de 3h06min04, depois de sofrer muito nas dunas. “A natação foi um pouco complicada, mas não o pior dos trechos, já que na bike complicou. Tive que empurrar muitas vezes”.

    A terceira colocação foi para a brasileira Sabrina Gobbo, com o tempo de 3h31min. Também recém chegada da Claro Brasil Ride, ela diz que ter empurrado a bike nas dunas não foi algo tão decepcionante. “Na Chapada empurrarmos muito, então acho que foi um treino já”, brinca. Sobre o percurso, ela também comenta sobre a areia. “O maior problema foi o calor, assim como a areia e essa colocação foi uma surpresa para mim. Imaginava chegar atrás da Carla Prada, mas me senti bem e deu tudo certo”.

    A etapa do Ceará também serviu para coroar os campeões da temporada 2010, Alexandre Manzan e Luzia Belo, que levaram para casa um cheque de três mil reais. Eles receberam também um troféu especial, além de uma camiseta e boné diferenciados.

    Em 2011 as datas do Circuito XTerra já estão definidas e serão nas seguintes datas e locais.

    - XTerra (cidade a definir) MG – 2 e 3 de abril
    - XTerra Training Itapira/ SP – 30 de abril
    - XTerra Training Indaiatuba/ SP – 7 de maio
    - XTerra Brazil Manaus/ AM – 11 de junho – Etapa Mundial
    - XTerra Training Indaiatuba/ SP – 30 de julho
    - XTerra Mangaratiba/ RJ – 13 de agosto
    - XTerra Ilhabela/ SP – 10 de setembro
    - XTerra Tiradentes/ MG – 1 e 2 de outubro
    - XTerra Training Juiz de Fora/ MG – 8 de outubro
    - XTerra Ceará/ CE – 18 e 19 de novembro
    - XTerra Florianópolis/ SC – 10 e 11 de dezembro

    Atletas estrangeiros passam dicas para encarar o XTerra Ceará

    Triathlon · 20 nov, 2010

    Direto de Fortaleza - Os atletas já estão na arena do XTerra Regional Ceará, o sol brilha forte e diversos amadores terão pela frente um trajeto de um quilômetro de natação, 29 de mountain bike e sete de corrida pelas imediações do Beach Park. Misturados ao pelotão geral estarão dois grandes nomes do triathlon cross country mundial: Shonny V.,campeã do XTerra do Havaí e Craig Evans, especialista em natação.

    A dupla “gringa” passa um pouco da experiência das competições de alto rendimento, com dicas valiosas que podem ser utilizadas tanto na prova de Fortaleza, quanto em outras ao redor do Brasil e do Mundo. Especificamente nesta final do XTerra, Shonny passou algumas técnicas de mountain bike, enquanto Craig falou sobre a natação em mar revolto.

    O local de largada será dado em breve na praia em frente ao hotel oficial, com mar agitado, ondas quebrando e forte correnteza. “Não tentem encarar a onda por cima, se não vão acabar engolindo água e os óculos de natação pode se soltar”, ressalta Craig. “Mergulhem por baixo delas e procurem respirar pelo lado esquerdo”. Outra dica importante se refere na busca pela rota em direção às bóias. “Evitem levantar a cabeça a toda hora buscando a bóia, mirem num competidor e acompanhem o traçado dele pelas bolhas que se formam debaixo d’água.

    Já para a bicicleta, Shonny comenta sobre os trechos rápidos de um percurso. “Na hora de encarar um downhill (ladeira abaixo), o ideal é se colocar um pouco mais para trás na bike e elevar um pouco o selim”, conta a campeã no Havaí. “Já nos trechos de single track (mata estreita), procurem não parar de pedalar e manter o ritmo constante”.

    Essa é a última etapa do Circuito XTerra, que em 2010 terá mais etapas e mais desafios. Entre as novidades estão uma disputa no sul do país, na cidade de Florianópolis (SC), e a escolha da prova da Amazônia como a etapa global.


    Atletas estrangeiros passam dicas para encarar o XTerra Ceará

    Triathlon · 20 nov, 2010

    Direto de Fortaleza - Os atletas já estão na arena do XTerra Regional Ceará, o sol brilha forte e diversos amadores terão pela frente um trajeto de um quilômetro de natação, 29 de mountain bike e sete de corrida pelas imediações do Beach Park. Misturados ao pelotão geral estarão dois grandes nomes do triathlon cross country mundial: Shonny V.,campeã do XTerra do Havaí e Craig Evans, especialista em natação.

    A dupla “gringa” passa um pouco da experiência das competições de alto rendimento, com dicas valiosas que podem ser utilizadas tanto na prova de Fortaleza, quanto em outras ao redor do Brasil e do Mundo. Especificamente nesta final do XTerra, Shonny passou algumas técnicas de mountain bike, enquanto Craig falou sobre a natação em mar revolto.

    O local de largada será dado em breve na praia em frente ao hotel oficial, com mar agitado, ondas quebrando e forte correnteza. “Não tentem encarar a onda por cima, se não vão acabar engolindo água e os óculos de natação pode se soltar”, ressalta Craig. “Mergulhem por baixo delas e procurem respirar pelo lado esquerdo”. Outra dica importante se refere na busca pela rota em direção às bóias. “Evitem levantar a cabeça a toda hora buscando a bóia, mirem num competidor e acompanhem o traçado dele pelas bolhas que se formam debaixo d’água.

    Já para a bicicleta, Shonny comenta sobre os trechos rápidos de um percurso. “Na hora de encarar um downhill (ladeira abaixo), o ideal é se colocar um pouco mais para trás na bike e elevar um pouco o selim”, conta a campeã no Havaí. “Já nos trechos de single track (mata estreita), procurem não parar de pedalar e manter o ritmo constante”.

    Essa é a última etapa do Circuito XTerra, que em 2010 terá mais etapas e mais desafios. Entre as novidades estão uma disputa no sul do país, na cidade de Florianópolis (SC), e a escolha da prova da Amazônia como a etapa global.

    Competidores já vivem o clima para o XTerra Ceará, no Beach Park

    Triathlon · 19 nov, 2010

    Direto de Fortaleza - Os triatletas que vão encarar o XTerra Ceará, última etapa do Circuito, neste sábado (20/11), ouviram atentamente as instruções do Congresso Técnico e já estão prontos para encarar um quilômetro de natação, 29 de mountain bike e sete de corrida. A disputa será realizada a partir das 8h no complexo aquático Beach Park, na capital cearense.

    Entre os desafios estão o mar agitado, o forte vento, a areia fofa da praia, além é claro do sol e das altas temperaturas características da região. Grandes nomes da modalidade do Brasil e de fora estarão presentes para brigar por um prêmio de oito mil reais dividido entre os cinco melhores colocados.

    No masculino, o canadense Mike Vine (top Five na etapa mundial de 2008 no Brasil) e o americano Craig Evans prometem dar trabalho aos canarinhos Rodrigo Altafini, Christian Cruz e Felipe Moleta. Entre as mulheres, a atual campeã mundial de XTerra, Shonny V. (EUA), terá pela frente a pentacampeã do circuito americano, Suzane Snyder, além das brasileiras Luzia Belo, Isabela Ribeiro e Carla Prada.

    “Cada XTerra tem uma característica diferente, cada lugar tem sua qualidade e seu diferencial. Aqui o sol, as dunas e a areia são marcantes”, conta Bernardo Fonseca, responsável pela organização da prova. Segundo ele, em Fortaleza, o mar agitado e o vento contra serão alguns dos contratempos.

    Natação - “O mar tem correnteza uma pequena arrebentação a ser ultrapassada, o vento atua forte e não teremos bóias na água, mas sim pequenos barcos para simbolizar o percurso”, ressalta Bernardo. Ele comenta ainda que haverá diversos guarda-vidas, suporte com Jet skis e lembra da proibição do uso da roupa de borracha.

    Bike - Nos primeiros sete quilômetros os triatletas vão encarar estrada de terra, com vento contra, antes de alcançar o trecho mais complicado, nas dunas. “Provavelmente o pessoal vai empurrar a bike por lá. Calculamos 1,5 quilômetro em que será necessário empurrar, a sapatilha vai encher de areia”, adianta o organizador.

    Corrida - O primeiro trecho será percorrido em areia, com cerca de 300m e logo em seguida haverá um estradão de terra. “No meio haverá um trecho de floresta e o retorno será feito pela praia com areia dura”, explica o responsável pela X3M Eventos.

    Vale ressaltar que na bike haverá placas de quilometragem a cada cinco quilômetros e na corrida a cada mil metros. “Além disso, haverá staffs e faixas de orientação. É impossível se perder”. Outro dado importante se refere á hidratação, que devido ao forte calor, não poderá ser esquecida. “Na corrida serão três postos de abastecimento, enquanto na bike serão cinco.


    Competidores já vivem o clima para o XTerra Ceará, no Beach Park

    Triathlon · 19 nov, 2010

    Direto de Fortaleza - Os triatletas que vão encarar o XTerra Ceará, última etapa do Circuito, neste sábado (20/11), ouviram atentamente as instruções do Congresso Técnico e já estão prontos para encarar um quilômetro de natação, 29 de mountain bike e sete de corrida. A disputa será realizada a partir das 8h no complexo aquático Beach Park, na capital cearense.

    Entre os desafios estão o mar agitado, o forte vento, a areia fofa da praia, além é claro do sol e das altas temperaturas características da região. Grandes nomes da modalidade do Brasil e de fora estarão presentes para brigar por um prêmio de oito mil reais dividido entre os cinco melhores colocados.

    No masculino, o canadense Mike Vine (top Five na etapa mundial de 2008 no Brasil) e o americano Craig Evans prometem dar trabalho aos canarinhos Rodrigo Altafini, Christian Cruz e Felipe Moleta. Entre as mulheres, a atual campeã mundial de XTerra, Shonny V. (EUA), terá pela frente a pentacampeã do circuito americano, Suzane Snyder, além das brasileiras Luzia Belo, Isabela Ribeiro e Carla Prada.

    “Cada XTerra tem uma característica diferente, cada lugar tem sua qualidade e seu diferencial. Aqui o sol, as dunas e a areia são marcantes”, conta Bernardo Fonseca, responsável pela organização da prova. Segundo ele, em Fortaleza, o mar agitado e o vento contra serão alguns dos contratempos.

    Natação - “O mar tem correnteza uma pequena arrebentação a ser ultrapassada, o vento atua forte e não teremos bóias na água, mas sim pequenos barcos para simbolizar o percurso”, ressalta Bernardo. Ele comenta ainda que haverá diversos guarda-vidas, suporte com Jet skis e lembra da proibição do uso da roupa de borracha.

    Bike - Nos primeiros sete quilômetros os triatletas vão encarar estrada de terra, com vento contra, antes de alcançar o trecho mais complicado, nas dunas. “Provavelmente o pessoal vai empurrar a bike por lá. Calculamos 1,5 quilômetro em que será necessário empurrar, a sapatilha vai encher de areia”, adianta o organizador.

    Corrida - O primeiro trecho será percorrido em areia, com cerca de 300m e logo em seguida haverá um estradão de terra. “No meio haverá um trecho de floresta e o retorno será feito pela praia com areia dura”, explica o responsável pela X3M Eventos.

    Vale ressaltar que na bike haverá placas de quilometragem a cada cinco quilômetros e na corrida a cada mil metros. “Além disso, haverá staffs e faixas de orientação. É impossível se perder”. Outro dado importante se refere á hidratação, que devido ao forte calor, não poderá ser esquecida. “Na corrida serão três postos de abastecimento, enquanto na bike serão cinco.

    XTerra apresenta primeiras novidades para a temporada 2011

    Corridas de Rua · 18 nov, 2010

    O XTerra 2010 terá fim neste sábado (20), com a etapa do Ceará, que terá como palco o hotel Beach Park, em Fortaleza. Apesar das atenções estarem voltadas para a última prova do ano, a organização do evento já pensa em 2011. Para tanto, foram anunciadas as primeiras novidades para a próxima temporada.

    O circuito será dividido em dois tipos de provas, que darão um novo formato à competição: o XTerra e o XTerra Training. O primeiro, organizado pela X3M, manterá as características já conhecidas por todos os participantes, com etapas que valerão pontos para o ranking nacional e também uma prova que distribuirá vagas para o Mundial de XTerra em Maui, no Havaí (EUA).

    Já o XTerra Training será formado por disputas menores realizadas por organizadores afiliados, que precisarão cumprir com requisitos específicos para garantir qualidade das provas. O intuito desse novo tipo é difundir e expandir a competição pelo Brasil. Para manter a atração das pessoas pelos eventos de treinamento, serão distribuídos também alguns pontos, em escala menor, para o ranking do XTerra principal.

    Dificuldade - Assim como a pontuação menor, as dificuldades das provas Training também serão menores. O nível técnico do percurso será compatível com evento, já que a organização espera atrair novos adeptos ao XTerra.

    Confira o calendário da temporada 2011 do XTerra
    - XTerra (cidade a definir) MG – 2 e 3 de abril
    - XTerra Training Itapira/ SP – 30 de abril
    - XTerra Training Indaiatuba/ SP – 7 de maio
    - XTerra Brazil Manaus/ AM – 11 de junho – Etapa Mundial
    - XTerra Training Indaiatuba/ SP – 30 de julho
    - XTerra Mangaratiba/ RJ – 13 de agosto
    - XTerra Ilhabela/ SP – 10 de setembro
    - XTerra Tiradentes/ MG – 1 e 2 de outubro
    - XTerra Training Juiz de Fora/ MG – 8 de outubro
    - XTerra Ceará/ CE – 18 e 19 de novembro
    - XTerra Florianópolis/ SC – 10 e 11 de dezembro


    XTerra apresenta primeiras novidades para a temporada 2011

    Corridas de Rua · 18 nov, 2010

    O XTerra 2010 terá fim neste sábado (20), com a etapa do Ceará, que terá como palco o hotel Beach Park, em Fortaleza. Apesar das atenções estarem voltadas para a última prova do ano, a organização do evento já pensa em 2011. Para tanto, foram anunciadas as primeiras novidades para a próxima temporada.

    O circuito será dividido em dois tipos de provas, que darão um novo formato à competição: o XTerra e o XTerra Training. O primeiro, organizado pela X3M, manterá as características já conhecidas por todos os participantes, com etapas que valerão pontos para o ranking nacional e também uma prova que distribuirá vagas para o Mundial de XTerra em Maui, no Havaí (EUA).

    Já o XTerra Training será formado por disputas menores realizadas por organizadores afiliados, que precisarão cumprir com requisitos específicos para garantir qualidade das provas. O intuito desse novo tipo é difundir e expandir a competição pelo Brasil. Para manter a atração das pessoas pelos eventos de treinamento, serão distribuídos também alguns pontos, em escala menor, para o ranking do XTerra principal.

    Dificuldade - Assim como a pontuação menor, as dificuldades das provas Training também serão menores. O nível técnico do percurso será compatível com evento, já que a organização espera atrair novos adeptos ao XTerra.

    Confira o calendário da temporada 2011 do XTerra
    - XTerra (cidade a definir) MG – 2 e 3 de abril
    - XTerra Training Itapira/ SP – 30 de abril
    - XTerra Training Indaiatuba/ SP – 7 de maio
    - XTerra Brazil Manaus/ AM – 11 de junho – Etapa Mundial
    - XTerra Training Indaiatuba/ SP – 30 de julho
    - XTerra Mangaratiba/ RJ – 13 de agosto
    - XTerra Ilhabela/ SP – 10 de setembro
    - XTerra Tiradentes/ MG – 1 e 2 de outubro
    - XTerra Training Juiz de Fora/ MG – 8 de outubro
    - XTerra Ceará/ CE – 18 e 19 de novembro
    - XTerra Florianópolis/ SC – 10 e 11 de dezembro

    Shonny Valandingham, campeã no Havaí, chega ao Ceará para final Xterra

    Ultra Maratona · 09 nov, 2010

    O Circuito Brasileiro Xterra fecha a temporada 2010 com chave de ouro na cidade de Fortaleza, no próximo dia 20. O evento também contará com a presença da triatleta vencedora do mundial do Havaí, Shonny Valandingham.

    Shonny, que será o principal destaque entre as mulheres, participará do triathlon de um quilômetro de natação, 29 de mountain bike e sete de corrida. Além disso, a americana também dará palestra gratuita a todos os inscritos logo após o simpósio técnico, que acontece na noite de sexta-feira (19/11).

    No masculino, Mike Vine, vice-campeão mundial em 2000, deverá ser o principal adversário dos atletas brasileiros. Apesar dos fortes competidores estrangeiros, as atenções estarão voltadas especialmente para os brasileiros, pois a etapa de Fortaleza definirá os primeiros colocados do circuito nacional; com exceção do primeiro lugar, que por antecipação é de Alexandre Manzan.

    Manzan já garantiu o título de 2010 e irá ao nordeste como espectador para receber seu troféu no luau da noite de sábado (20/11), no Beach Park. As posições seguintes no ranking masculino ainda estão indefinidas e os triatletas que brigarão na disputa são: Cristian Cruz (RJ), Frederico Zacharias (MG), Rodrigo Altafini (SP) e Felipe Moletta (PR).

    No feminino, estarão as competidoras Luzia Bello, Carla Prada, Cristina Carvalho, Sabrina Gobbo e Isabella Ribeiro, todas de São Paulo. Os melhores do ano receberão troféu, brinde comemorativo e prêmio em dinheiro. A organização também anunciará o calendário do Circuito Xterra 2011 e revelará a cidade escolhida para sediar a etapa brasileira do Mundial. Os locais podem ser Ilhabela (sede de 2005-07), Mangaratiba (sede em 2008-09) ou Manaus.

    As inscrições para as prova de Triahlon, Kids Run (mini corrida para crianças) e Night Trail Run (corrida noturna em trilha) ainda estão abertas. Vale lembrar que os inscritos terão desconto de 20% para entrada no Beach Parque. O local abriga o famoso toboágua Insano, de 41m de altura, equivalente a um prédio de 14 andares, no qual a pessoa chega a uma velocidade de 105km/h.

    Para participar basta acessar o site www.xterrabrasil.com.br. Os descontos seguem até esta quarta-feira (10/11) e no Triathlon, o valor promocional é R$ 150 para amadores, R$ 220 para elite e R$ 295 para revezamento. A inscrição na Night Trail Run permanece R$ 50 até amanhã também. Portadores de necessidades especiais têm vaga gratuita, assim como as crianças que participarem do Kids Running.


    Shonny Valandingham, campeã no Havaí, chega ao Ceará para final Xterra

    Ultra Maratona · 09 nov, 2010

    O Circuito Brasileiro Xterra fecha a temporada 2010 com chave de ouro na cidade de Fortaleza, no próximo dia 20. O evento também contará com a presença da triatleta vencedora do mundial do Havaí, Shonny Valandingham.

    Shonny, que será o principal destaque entre as mulheres, participará do triathlon de um quilômetro de natação, 29 de mountain bike e sete de corrida. Além disso, a americana também dará palestra gratuita a todos os inscritos logo após o simpósio técnico, que acontece na noite de sexta-feira (19/11).

    No masculino, Mike Vine, vice-campeão mundial em 2000, deverá ser o principal adversário dos atletas brasileiros. Apesar dos fortes competidores estrangeiros, as atenções estarão voltadas especialmente para os brasileiros, pois a etapa de Fortaleza definirá os primeiros colocados do circuito nacional; com exceção do primeiro lugar, que por antecipação é de Alexandre Manzan.

    Manzan já garantiu o título de 2010 e irá ao nordeste como espectador para receber seu troféu no luau da noite de sábado (20/11), no Beach Park. As posições seguintes no ranking masculino ainda estão indefinidas e os triatletas que brigarão na disputa são: Cristian Cruz (RJ), Frederico Zacharias (MG), Rodrigo Altafini (SP) e Felipe Moletta (PR).

    No feminino, estarão as competidoras Luzia Bello, Carla Prada, Cristina Carvalho, Sabrina Gobbo e Isabella Ribeiro, todas de São Paulo. Os melhores do ano receberão troféu, brinde comemorativo e prêmio em dinheiro. A organização também anunciará o calendário do Circuito Xterra 2011 e revelará a cidade escolhida para sediar a etapa brasileira do Mundial. Os locais podem ser Ilhabela (sede de 2005-07), Mangaratiba (sede em 2008-09) ou Manaus.

    As inscrições para as prova de Triahlon, Kids Run (mini corrida para crianças) e Night Trail Run (corrida noturna em trilha) ainda estão abertas. Vale lembrar que os inscritos terão desconto de 20% para entrada no Beach Parque. O local abriga o famoso toboágua Insano, de 41m de altura, equivalente a um prédio de 14 andares, no qual a pessoa chega a uma velocidade de 105km/h.

    Para participar basta acessar o site www.xterrabrasil.com.br. Os descontos seguem até esta quarta-feira (10/11) e no Triathlon, o valor promocional é R$ 150 para amadores, R$ 220 para elite e R$ 295 para revezamento. A inscrição na Night Trail Run permanece R$ 50 até amanhã também. Portadores de necessidades especiais têm vaga gratuita, assim como as crianças que participarem do Kids Running.

    Conrad Stoltz é tetracampeão no Mundial de Xterra, no Havaí

    Triathlon · 26 out, 2010

    O sul-africano Conrad Stoltz entrou para história ao ganhar pela quarta vez o campeonato mundial de Xterra, com o tempo de 2h31min07, no domingo (24/10), no Havaí após ter percorrido 1,5 quilômetro de natação, 20 de mountain bike e 12 de corrida em trilhas. A 15ª etapa do circuito reuniu os melhores atletas do mundo, entre eles o próprio Stoltz, também conhecido como o Homem das Cavernas. Segundo o triatleta, que completou 37 anos um dia antes da corrida, a vitória foi um grande presente.

    Stoltz é o primeiro profissional a conquistar tantos títulos no circuito mundial e registrou o segundo melhor tempo já alcançado no campeonato. "A sensação é uma das melhores. Em 2007 a vitória foi gratificante porque eu tinha acabado de me recuperar de lesões. Já este ano houve uma grande pressão emocional ", conta o ganhador, que dedicou a vitória ao pai, que está lutando contra um câncer na África do Sul.

    O campeão saiu da natação em sétimo lugar, mas compensou na mountain bike com um tempo recorde de 1h23min48, quatro minutos e meio de vantagem sobre os demais competidores. "O percurso foi mais difícil do que eu pensava", disse o triatleta, que conseguiu manter o bom ritmo também durante a corrida.

    O segundo lugar na disputa ficou com o francês Franky Batelier, que foi o melhor na corrida, mas ainda assim cruzou a linha de chegada em 2h36min14, cinco minutos após o primeiro colocado. "Logo no começo da prova de bike eu estava atrás de Stoltz, mas ele foi mais rápido”, diz Franky.

    “Ele é muito forte, é o homem das cavernas, o melhor do mundo. Parabéns ao ganhador", complementa o francês, que disse estar feliz com a própria colocação. Em terceiro lugar chegou o austríaco Michael Weiss, com a marca de 2h36min45.


    Shonny Van Landigham fechou a prova como a grande vencedora da categoria feminina e levou para casa 20 mil dólares. Ela disputou outras provas nos últimos anos, mas ficava somente entre as dez melhores triatletas do mundo, porém sem conquistar nenhum título.

    Este ano, a norte-americana disse que a vitória não foi por um acaso, já que há três anos vinha se preparando para o mundial de 2010. "Este é meu terceiro ano no circuito e eu alcancei o meu objetivo, uma grande meta para os meus 41 anos", garante a ganhadora, que também definiu um recorde pessoal ao finalizar a disputa com o tempo de 2h58min20.

    Shonny foi quase dez minutos mais rápido do que no ano anterior e também registrou o melhor tempo feminino do Campeonato. “Eu nunca ganhei um campeonato mundial, nem mesmo no mountain bike, então isso é realmente o ápice da minha carreira ", conta a triatleta. A conquista não foi fácil, já que a tetracampeã Julie Dibens, do Reino Unido, esteve próxima durante todo o percurso. Dibens, inclusive, manteve a liderança nos primeiros quilômetros da prova e foi vice-campeã com o tempo de 2h59min32, apenas um minuto e 12 segundos atrás de Van Landingham.

    "Shonny Van é um demônio na bike, uma atleta de verdade e a melhor ciclista de montanha”, acredita Dibens, que na corrida esteve apenas com 30 segundos de desvantagem sobre a primeira colocada. Quem completou o pódio feminino de forma surpreende foi a francesa Marion Lorblanchet, que superou um pedal quebrado da bicicleta e terminou a prova em 3h06min11. "Eu bati a bicicleta e quebrei meu pedal, então perdi muito tempo", diz a francesa. "Só tinha que resolver o meu nervosismo na corrida, pois estava cansada, mas ainda assim sabia que podia correr rápido", completa.


    O triatleta Alexandre Manzan conquistou o 11° lugar no mundial do Xterra Global Tour e realizou a segunda melhor corrida entre todos os participantes. O brasileiro marcou 44min01, apenas sete segundos atrás do francês Nico Lebrun, que finalizou o trecho em 44min08.

    Manzan percorreu um quilômetro e meio de natação, 32 de mountain bike e 12 quilômetros de corrida em 2h43min35. Além dele, participaram da prova mais 31 brasileiros. Na categoria elite, o jovem Felipe Moletta, campeão em Ilhabela 2010, foi o 29° (2h54min36), e Frederico Zacharias o 34° (3h02min51). Entre as mulheres, Daniela Machado foi a 19ª (4h00min58) e Isabella Ribeiro a 20ª (4h23min26).

    A final do Xterra Global Tour reuniu cerca de 600 atletas, entre profissionais e amadores, classificados ao longo de 100 etapas em 16 países e 35 estados americanos. A premiação total foi de 105 mil dólares. Manzan embolsou 400 dólares pelo 11° lugar. A próxima etapa do Xterra no Brasil está marcada para o dia 20 de novembro, no Beach Park/Fortaleza, onde haverá premiação dos líderes do ranking nacional. Para ver os resultados completos do XTterra World Championships, em Maui, basta acessar http://www.jtltiming.com/results/x-maui10.html.


    Conrad Stoltz é tetracampeão no Mundial de Xterra, no Havaí

    Triathlon · 26 out, 2010

    O sul-africano Conrad Stoltz entrou para história ao ganhar pela quarta vez o campeonato mundial de Xterra, com o tempo de 2h31min07, no domingo (24/10), no Havaí após ter percorrido 1,5 quilômetro de natação, 20 de mountain bike e 12 de corrida em trilhas. A 15ª etapa do circuito reuniu os melhores atletas do mundo, entre eles o próprio Stoltz, também conhecido como o Homem das Cavernas. Segundo o triatleta, que completou 37 anos um dia antes da corrida, a vitória foi um grande presente.

    Stoltz é o primeiro profissional a conquistar tantos títulos no circuito mundial e registrou o segundo melhor tempo já alcançado no campeonato. "A sensação é uma das melhores. Em 2007 a vitória foi gratificante porque eu tinha acabado de me recuperar de lesões. Já este ano houve uma grande pressão emocional ", conta o ganhador, que dedicou a vitória ao pai, que está lutando contra um câncer na África do Sul.

    O campeão saiu da natação em sétimo lugar, mas compensou na mountain bike com um tempo recorde de 1h23min48, quatro minutos e meio de vantagem sobre os demais competidores. "O percurso foi mais difícil do que eu pensava", disse o triatleta, que conseguiu manter o bom ritmo também durante a corrida.

    O segundo lugar na disputa ficou com o francês Franky Batelier, que foi o melhor na corrida, mas ainda assim cruzou a linha de chegada em 2h36min14, cinco minutos após o primeiro colocado. "Logo no começo da prova de bike eu estava atrás de Stoltz, mas ele foi mais rápido”, diz Franky.

    “Ele é muito forte, é o homem das cavernas, o melhor do mundo. Parabéns ao ganhador", complementa o francês, que disse estar feliz com a própria colocação. Em terceiro lugar chegou o austríaco Michael Weiss, com a marca de 2h36min45.


    Shonny Van Landigham fechou a prova como a grande vencedora da categoria feminina e levou para casa 20 mil dólares. Ela disputou outras provas nos últimos anos, mas ficava somente entre as dez melhores triatletas do mundo, porém sem conquistar nenhum título.

    Este ano, a norte-americana disse que a vitória não foi por um acaso, já que há três anos vinha se preparando para o mundial de 2010. "Este é meu terceiro ano no circuito e eu alcancei o meu objetivo, uma grande meta para os meus 41 anos", garante a ganhadora, que também definiu um recorde pessoal ao finalizar a disputa com o tempo de 2h58min20.

    Shonny foi quase dez minutos mais rápido do que no ano anterior e também registrou o melhor tempo feminino do Campeonato. “Eu nunca ganhei um campeonato mundial, nem mesmo no mountain bike, então isso é realmente o ápice da minha carreira ", conta a triatleta. A conquista não foi fácil, já que a tetracampeã Julie Dibens, do Reino Unido, esteve próxima durante todo o percurso. Dibens, inclusive, manteve a liderança nos primeiros quilômetros da prova e foi vice-campeã com o tempo de 2h59min32, apenas um minuto e 12 segundos atrás de Van Landingham.

    "Shonny Van é um demônio na bike, uma atleta de verdade e a melhor ciclista de montanha”, acredita Dibens, que na corrida esteve apenas com 30 segundos de desvantagem sobre a primeira colocada. Quem completou o pódio feminino de forma surpreende foi a francesa Marion Lorblanchet, que superou um pedal quebrado da bicicleta e terminou a prova em 3h06min11. "Eu bati a bicicleta e quebrei meu pedal, então perdi muito tempo", diz a francesa. "Só tinha que resolver o meu nervosismo na corrida, pois estava cansada, mas ainda assim sabia que podia correr rápido", completa.


    O triatleta Alexandre Manzan conquistou o 11° lugar no mundial do Xterra Global Tour e realizou a segunda melhor corrida entre todos os participantes. O brasileiro marcou 44min01, apenas sete segundos atrás do francês Nico Lebrun, que finalizou o trecho em 44min08.

    Manzan percorreu um quilômetro e meio de natação, 32 de mountain bike e 12 quilômetros de corrida em 2h43min35. Além dele, participaram da prova mais 31 brasileiros. Na categoria elite, o jovem Felipe Moletta, campeão em Ilhabela 2010, foi o 29° (2h54min36), e Frederico Zacharias o 34° (3h02min51). Entre as mulheres, Daniela Machado foi a 19ª (4h00min58) e Isabella Ribeiro a 20ª (4h23min26).

    A final do Xterra Global Tour reuniu cerca de 600 atletas, entre profissionais e amadores, classificados ao longo de 100 etapas em 16 países e 35 estados americanos. A premiação total foi de 105 mil dólares. Manzan embolsou 400 dólares pelo 11° lugar. A próxima etapa do Xterra no Brasil está marcada para o dia 20 de novembro, no Beach Park/Fortaleza, onde haverá premiação dos líderes do ranking nacional. Para ver os resultados completos do XTterra World Championships, em Maui, basta acessar http://www.jtltiming.com/results/x-maui10.html.