Cobertura_XTerra_2010

Xterra Night Trail Run reúne cerca de 700 corredores em Tiradentes

Corrida de Montanha · 19 out, 2010

Tiradentes - Foi na cidade mineira de Tiradentes que o Circuito Xterra promoveu no último sábado (16/10) a prova Night Trail Run. O evento reuniu cerca de 700 participantes para o trajeto de seis quilômetros e, assim como na disputa do ano passado, o tempo na região ficou chuvoso mais uma vez.

Os ganhadores da noite, na categoria masculina e feminina, foram Erika Vieira e Gleinison de Carvalho, com os tempos de 36min14 e 30min50, respectivamente. “Ano passado tinha mais lama e até fiquei atolada. Desta vez estava um pouco melhor, mas ainda assim o chão ficou escorregadio por causa da chuva”, afirma Erika, ganhadora nos dez quilômetros pelo segundo ano consecutivo.

De longe era possível observar centenas de participantes com lanterninhas na cabeça e a competição, realizada em clima de balada, se tornou um dos grandes atrativos do final de semana mineiro. Na arena, luzes de diferentes cores e muita música deixaram o cenário ainda mais animado.

Para Gleinison, que participou da prova pela primeira vez, a corrida noturna é pura diversão. “Embora corra sempre em asfalto gostei muito do percurso. Só que precisei segurar um pouco o ritmo na última descida, logo na chegada, porque se viesse no embalo acho que iria cair”, brinca o atleta de 24 anos, morador de São João Del Rei.

Os demais corredores que subiram ao pódio foram os vice-campeões Geisla Moraes (41min40) e João da Silva (30mi58), além dos terceiros colocados, Maria de Abreu (41min57) e Reinaldo da Silva (30min58). O tempo registrado pelos atletas João e Reinaldo foi o mesmo, mas segundo a organização, o segundo lugar é do corredor João da Silva.


Xterra Night Trail Run reúne cerca de 700 corredores em Tiradentes

Corrida de Montanha · 19 out, 2010

Tiradentes - Foi na cidade mineira de Tiradentes que o Circuito Xterra promoveu no último sábado (16/10) a prova Night Trail Run. O evento reuniu cerca de 700 participantes para o trajeto de seis quilômetros e, assim como na disputa do ano passado, o tempo na região ficou chuvoso mais uma vez.

Os ganhadores da noite, na categoria masculina e feminina, foram Erika Vieira e Gleinison de Carvalho, com os tempos de 36min14 e 30min50, respectivamente. “Ano passado tinha mais lama e até fiquei atolada. Desta vez estava um pouco melhor, mas ainda assim o chão ficou escorregadio por causa da chuva”, afirma Erika, ganhadora nos dez quilômetros pelo segundo ano consecutivo.

De longe era possível observar centenas de participantes com lanterninhas na cabeça e a competição, realizada em clima de balada, se tornou um dos grandes atrativos do final de semana mineiro. Na arena, luzes de diferentes cores e muita música deixaram o cenário ainda mais animado.

Para Gleinison, que participou da prova pela primeira vez, a corrida noturna é pura diversão. “Embora corra sempre em asfalto gostei muito do percurso. Só que precisei segurar um pouco o ritmo na última descida, logo na chegada, porque se viesse no embalo acho que iria cair”, brinca o atleta de 24 anos, morador de São João Del Rei.

Os demais corredores que subiram ao pódio foram os vice-campeões Geisla Moraes (41min40) e João da Silva (30mi58), além dos terceiros colocados, Maria de Abreu (41min57) e Reinaldo da Silva (30min58). O tempo registrado pelos atletas João e Reinaldo foi o mesmo, mas segundo a organização, o segundo lugar é do corredor João da Silva.

Ernani Souza e Cristina de Carvalho vencem o Xterra Tiradentes

Triathlon · 16 out, 2010

A histórica cidade mineira de Tiradentes recebeu no sábado (16/10) centenas de atletas para a penúltima etapa do Circuito Xterra Regional, que teve três quilômetros de corrida, 28 de bike e mais nove quilômetros de passadas. O local do evento, com ruas de pedra e trilhas de chão batido, desafiou todos os participantes do duatlon.

A altimetria do percurso, cheio de aclives, conciliado com o calor, tornou a disputa ainda mais difícil. Às 10h da manhã, horário da largada, os termômetros já marcavam 27°C e muitos não sabiam o que iriam encarar pela frente. “O sol estava forte demais e a etapa foi complicada porque a gente trabalhou a parte inferior do corpo o tempo todo, pois não teve natação”, conta Rodrigo Henri Altafani, terceiro colocado da prova com a marca de 2h44min45.

“Agora mereço uma semana de descanso”, brinca o paulistano. Já na opinião de Ernani de Souza, bicampeão em 2h34min28, o percurso foi justamente o desafio que ele queria. “Gosto de percurso com bastante subida em trilhas, então eu estava preparado para isso. Só comecei a sentir cansaço nos últimos três quilômetros”, explica o ganhador.

O mineiro também garante que a habilidade no pedal e a nova bike o ajudaram bastante na conquista desta segunda vitória. “Este a bicicleta com fibras de carbono e a minha tática de não olhar para trás quando estou em vantagem me ajudaram. Sempre penso na minha prova”, acrescenta Souza, que trabalha na área administrativa de uma empresa durante a semana.

Para o vice-campeão, Cristian da Cruz, que chegou em 2h44min17, a ausência do triatleta Alexandre Manzan facilitou a chegada dos primeiros colocados ao pódio. “Se o Manzan, líder do circuito estivesse aqui, provavelmente a disputa seria mais acirrada para o Ernani”, reflete Cristian. “Acho que eu também teria um resultado melhor se não tivesse me cansado ontem de noite, ao tentar conhecer o percurso”, acrescenta.

Na véspera da prova, o triatleta, sozinho, acabou se perdendo no meio da trilha e só encontrou o caminho de retorno com a ajuda da luz do celular. “Eu me fadiguei de bobeira, mas hoje consegui manter um ritmo legal até o quilômetro sete da prova. Daí em diante, quando estava mais próximo do Hernani, acelerei ao máximo, mas não alcancei”, completa.


A prova feminina não poderia ser diferente no quesito desafio e as primeiras colocadas, Cristina Carvalho(3h30min32), Luiza Bello (3h35min01) e Isabella Ribeiro (3h49min21), reconheceram que as subidas exigiram muita resistência e dedicação.

“Eu peguei uma virose esses dias e se soubesse que o trajeto seria tão difícil acho que não viria. A Estrada Real foi bem pesada e me pegou de calça curta. Na metade da prova eu já não era mais ninguém”, afirma Cristina, que chegou à frente da atual líder do circuito, Luzia Bello, e aumentou as expectativas sobre quem será a ganhadora da temporada 2010.

A número um do ranking, no entanto, explica que teve muita cautela na prova de bike, já que está se recuperando de uma fratura na costela. “Cai da bike dias atrás, então segurei a velocidade, fiquei com o freio a maior parte do tempo, para evitar lesionar o mesmo local”, garante a santista. “A prova sem dúvida nenhuma é uma das mais difíceis do circuito, mas quem vive de Xterra sempre encontra adrenalina e necessita de cabeça no lugar, muita força, pois cada prova é diferente da outra”, analisa a triatleta.

Já a atleta mineira Isabela Ribeiro afirma não ter alcançado o desempenho que queria. “Por conta do feriado do dia 12 de outubro acabei perdendo um pouco o ritmo de treino e o trajeto foi mais puxado do que eu imaginava, foi na raça mesmo”, comenta a terceira colocada, que abriu a prova na frente, mas foi ultrapassada na bike. “Valeu por estar aqui prestigiando a bela cidade de Tiradentes”, acrescenta a mineira.

Estrada Real - O ponto turístico da região onde aconteceu a disputa, chamado de Estrada Real, foi criado pela Coroa portuguesa no século XVII para fiscalizar a circulação das riquezas e mercadorias que transitavam entre Minas Gerais e Rio de Janeiro. A região de Tiradentes, também conhecida antigamente como vila de São José, foi fundada em 1702 e viveu da exploração de ouro durante todo o século XIIX.

Os participantes do Circuito puderam voltar ao passado enquanto percorriam as antigas ruas de pedra e se deslumbrarem com o cenário das trilhas, rodeado por verde. A próxima etapa do Circuito Xterra Regional está marcada para os dias 27 e 28 de novembro, em Fortaleza, no Ceará.


Ernani Souza e Cristina de Carvalho vencem o Xterra Tiradentes

Triathlon · 16 out, 2010

A histórica cidade mineira de Tiradentes recebeu no sábado (16/10) centenas de atletas para a penúltima etapa do Circuito Xterra Regional, que teve três quilômetros de corrida, 28 de bike e mais nove quilômetros de passadas. O local do evento, com ruas de pedra e trilhas de chão batido, desafiou todos os participantes do duatlon.

A altimetria do percurso, cheio de aclives, conciliado com o calor, tornou a disputa ainda mais difícil. Às 10h da manhã, horário da largada, os termômetros já marcavam 27°C e muitos não sabiam o que iriam encarar pela frente. “O sol estava forte demais e a etapa foi complicada porque a gente trabalhou a parte inferior do corpo o tempo todo, pois não teve natação”, conta Rodrigo Henri Altafani, terceiro colocado da prova com a marca de 2h44min45.

“Agora mereço uma semana de descanso”, brinca o paulistano. Já na opinião de Ernani de Souza, bicampeão em 2h34min28, o percurso foi justamente o desafio que ele queria. “Gosto de percurso com bastante subida em trilhas, então eu estava preparado para isso. Só comecei a sentir cansaço nos últimos três quilômetros”, explica o ganhador.

O mineiro também garante que a habilidade no pedal e a nova bike o ajudaram bastante na conquista desta segunda vitória. “Este a bicicleta com fibras de carbono e a minha tática de não olhar para trás quando estou em vantagem me ajudaram. Sempre penso na minha prova”, acrescenta Souza, que trabalha na área administrativa de uma empresa durante a semana.

Para o vice-campeão, Cristian da Cruz, que chegou em 2h44min17, a ausência do triatleta Alexandre Manzan facilitou a chegada dos primeiros colocados ao pódio. “Se o Manzan, líder do circuito estivesse aqui, provavelmente a disputa seria mais acirrada para o Ernani”, reflete Cristian. “Acho que eu também teria um resultado melhor se não tivesse me cansado ontem de noite, ao tentar conhecer o percurso”, acrescenta.

Na véspera da prova, o triatleta, sozinho, acabou se perdendo no meio da trilha e só encontrou o caminho de retorno com a ajuda da luz do celular. “Eu me fadiguei de bobeira, mas hoje consegui manter um ritmo legal até o quilômetro sete da prova. Daí em diante, quando estava mais próximo do Hernani, acelerei ao máximo, mas não alcancei”, completa.


A prova feminina não poderia ser diferente no quesito desafio e as primeiras colocadas, Cristina Carvalho(3h30min32), Luiza Bello (3h35min01) e Isabella Ribeiro (3h49min21), reconheceram que as subidas exigiram muita resistência e dedicação.

“Eu peguei uma virose esses dias e se soubesse que o trajeto seria tão difícil acho que não viria. A Estrada Real foi bem pesada e me pegou de calça curta. Na metade da prova eu já não era mais ninguém”, afirma Cristina, que chegou à frente da atual líder do circuito, Luzia Bello, e aumentou as expectativas sobre quem será a ganhadora da temporada 2010.

A número um do ranking, no entanto, explica que teve muita cautela na prova de bike, já que está se recuperando de uma fratura na costela. “Cai da bike dias atrás, então segurei a velocidade, fiquei com o freio a maior parte do tempo, para evitar lesionar o mesmo local”, garante a santista. “A prova sem dúvida nenhuma é uma das mais difíceis do circuito, mas quem vive de Xterra sempre encontra adrenalina e necessita de cabeça no lugar, muita força, pois cada prova é diferente da outra”, analisa a triatleta.

Já a atleta mineira Isabela Ribeiro afirma não ter alcançado o desempenho que queria. “Por conta do feriado do dia 12 de outubro acabei perdendo um pouco o ritmo de treino e o trajeto foi mais puxado do que eu imaginava, foi na raça mesmo”, comenta a terceira colocada, que abriu a prova na frente, mas foi ultrapassada na bike. “Valeu por estar aqui prestigiando a bela cidade de Tiradentes”, acrescenta a mineira.

Estrada Real - O ponto turístico da região onde aconteceu a disputa, chamado de Estrada Real, foi criado pela Coroa portuguesa no século XVII para fiscalizar a circulação das riquezas e mercadorias que transitavam entre Minas Gerais e Rio de Janeiro. A região de Tiradentes, também conhecida antigamente como vila de São José, foi fundada em 1702 e viveu da exploração de ouro durante todo o século XIIX.

Os participantes do Circuito puderam voltar ao passado enquanto percorriam as antigas ruas de pedra e se deslumbrarem com o cenário das trilhas, rodeado por verde. A próxima etapa do Circuito Xterra Regional está marcada para os dias 27 e 28 de novembro, em Fortaleza, no Ceará.

XTerra Regional Tiradentes dará R$ 45 mil em prêmios

Triathlon · 01 out, 2010

Depois de uma prova de sucesso na cidade litorânea de Ilhabela (SP), o XTerra Regional viaja mais de 550 quilômetros até a montanhosa Tiradentes, localizada em Minas Gerais. Na tentativa de atrair ainda mais atletas para a penúltima etapa regional do ano, que acontece nos dias 16 e 17 de outubro, a organização distribuirá R$ 45 mil em prêmios aos competidores.

Ao todo, serão R$ 20 mil entre os vencedores do mountain bike e do duathlon, além de R$ 25 mil em prêmios sorteados entre todos os participantes. “Oferecer a melhor premiação do Brasil é uma forma de reconhecer e incentivar o esforço dos atletas”, explica Bernardo Fonseca, organizador do evento.

Quinto XTerra Regional do ano, a etapa da Estrada Real terá grande importância na briga pelo título geral da competição, principalmente no duathlon. Os principais atletas do país estarão em busca de pontos para o ranking nacional, que dará, na etapa de Fortaleza, R$ 16 mil aos cinco primeiros homens e cinco primeiras mulheres da categoria elite.

“É o segundo ano do ranking brasileiro do XTERRA e, em 2010, vimos um nível alto de disputa. Serão 12 etapas no total e já temos novos talentos despontando na modalidade, além de um aumento de participantes mulheres”, diz Bernardo, que lembra também das disputas de Corrida em Trilha (Night Trail Run) e Corrida para Crianças (Kids Run) em Tiradentes.


XTerra Regional Tiradentes dará R$ 45 mil em prêmios

Triathlon · 01 out, 2010

Depois de uma prova de sucesso na cidade litorânea de Ilhabela (SP), o XTerra Regional viaja mais de 550 quilômetros até a montanhosa Tiradentes, localizada em Minas Gerais. Na tentativa de atrair ainda mais atletas para a penúltima etapa regional do ano, que acontece nos dias 16 e 17 de outubro, a organização distribuirá R$ 45 mil em prêmios aos competidores.

Ao todo, serão R$ 20 mil entre os vencedores do mountain bike e do duathlon, além de R$ 25 mil em prêmios sorteados entre todos os participantes. “Oferecer a melhor premiação do Brasil é uma forma de reconhecer e incentivar o esforço dos atletas”, explica Bernardo Fonseca, organizador do evento.

Quinto XTerra Regional do ano, a etapa da Estrada Real terá grande importância na briga pelo título geral da competição, principalmente no duathlon. Os principais atletas do país estarão em busca de pontos para o ranking nacional, que dará, na etapa de Fortaleza, R$ 16 mil aos cinco primeiros homens e cinco primeiras mulheres da categoria elite.

“É o segundo ano do ranking brasileiro do XTERRA e, em 2010, vimos um nível alto de disputa. Serão 12 etapas no total e já temos novos talentos despontando na modalidade, além de um aumento de participantes mulheres”, diz Bernardo, que lembra também das disputas de Corrida em Trilha (Night Trail Run) e Corrida para Crianças (Kids Run) em Tiradentes.

XTerra comemora sucesso em Ilhabela visando prova de 2011

Triathlon · 30 set, 2010

Em 2010, a cidade de Ilhabela recebeu, pela quinta vez, uma prova do XTerra. O evento, que reuniu mais de 13 mil pessoas em dois dias (18 e 19 de setembro), comemora o sucesso na cidade, primeira a receber a competição no Brasil, já olhando para a disputa do próximo ano.

"É nosso quinto ano em Ilhabela e sempre somos muito bem recebidos. Por causa da chuva esse ano, tivemos que cortar um pedaço do percurso e, com isso, já temos surpresas e novos desafios guardados para 2011", relata Bernardo Fonseca, diretor técnico da prova.

Um dos grandes atrativos da prova deste ano foi o show do cantor Frejat. O evento chamou a atenção na etapa regional do circuito e serviu como estimulante para aumentar os números turísticos na região: a ocupação da rede hoteleira chegou a 75%, de acordo com números da Associação Comercial e de Hotéis de Ilhabela.

“Conseguimos unir, em um único evento, diversos conceitos, como preservação ambiental, saúde, fomento ao turismo e lazer para toda a família. O sucesso em Ilhabela esse ano já nos faz pensar em 2011. Tivemos cerca de dez mil pessoas no show do Frejat na praia do Perequê, no sábado após a corrida noturna. Isso teve um impacto grande na economia da ilha”, conta Yuri Alves, da ONG Comunidade Nova, organizadora do evento.

Global Tour - Em sua três primeiras edições na cidade, entre 2005 e 2007, a etapa de Ilhabela contou como parte do Global Tour do XTerra, que reúne os melhores atletas do mundo. Depois dos resultados positivos de 2010, a cidade quer trazer de volta a disputa global para a ilha.

"Ilhabela tem condições ideais para o XTerra. Foi aqui que ele começou no Brasil e gostaríamos de trazer de volta para cá a etapa do Global Tour. A organização está de parabéns pelo belo evento", afirma o secretário de esportes de Ilhabela, Luiz Lobo.


XTerra comemora sucesso em Ilhabela visando prova de 2011

Triathlon · 30 set, 2010

Em 2010, a cidade de Ilhabela recebeu, pela quinta vez, uma prova do XTerra. O evento, que reuniu mais de 13 mil pessoas em dois dias (18 e 19 de setembro), comemora o sucesso na cidade, primeira a receber a competição no Brasil, já olhando para a disputa do próximo ano.

"É nosso quinto ano em Ilhabela e sempre somos muito bem recebidos. Por causa da chuva esse ano, tivemos que cortar um pedaço do percurso e, com isso, já temos surpresas e novos desafios guardados para 2011", relata Bernardo Fonseca, diretor técnico da prova.

Um dos grandes atrativos da prova deste ano foi o show do cantor Frejat. O evento chamou a atenção na etapa regional do circuito e serviu como estimulante para aumentar os números turísticos na região: a ocupação da rede hoteleira chegou a 75%, de acordo com números da Associação Comercial e de Hotéis de Ilhabela.

“Conseguimos unir, em um único evento, diversos conceitos, como preservação ambiental, saúde, fomento ao turismo e lazer para toda a família. O sucesso em Ilhabela esse ano já nos faz pensar em 2011. Tivemos cerca de dez mil pessoas no show do Frejat na praia do Perequê, no sábado após a corrida noturna. Isso teve um impacto grande na economia da ilha”, conta Yuri Alves, da ONG Comunidade Nova, organizadora do evento.

Global Tour - Em sua três primeiras edições na cidade, entre 2005 e 2007, a etapa de Ilhabela contou como parte do Global Tour do XTerra, que reúne os melhores atletas do mundo. Depois dos resultados positivos de 2010, a cidade quer trazer de volta a disputa global para a ilha.

"Ilhabela tem condições ideais para o XTerra. Foi aqui que ele começou no Brasil e gostaríamos de trazer de volta para cá a etapa do Global Tour. A organização está de parabéns pelo belo evento", afirma o secretário de esportes de Ilhabela, Luiz Lobo.

Night Trail Run e show do Frejat marcam noite do XTerra Ilhabela

Corridas de Rua · 19 set, 2010

Direto de Ilhabela (SP) - A noite do último sábado (18) no XTerra Ilhabela não poderia ter sido mais animada. Com a realização da Night Trail Run sendo encerrada pela banda do cantor brasileiro Frejat, a competição agitou a cidade litorânea de São Paulo, trazendo milhares de pessoas para a arena montada na praia.

Com mais de 800 atletas, a Night Trail Run largou para mais duas disputas de cinco e nove quilômetros. Na competição mais longa, vitória de Raimundo Mourão, que completou o duro percurso em 38min19, apenas seis segundos a frente de João de Araújo (38min25).

“A prova foi muito boa. Bastante difícil. Todos os atletas são muito fortes. Mas eu me preparei direito para essa prova e ela caiu de paraquedas para mim. Eu fiquei sabendo da competição apenas semana passada, mas deu tudo certo. Me senti bem durante todo o tempo”, conta Mourão.

Para Araújo, segundo colocado e técnico da equipe feminina de Ilhabela, a organização conseguiu reunir todos os elementos necessários para uma boa disputa de trilha. “A prova foi muito perfeita para quem gosta de rodar na trilha. Eu sempre passo por esses caminhos, porque eu moro aqui e treino bastante. Mas para mim fica um pouco difícil competir com os meninos por causa da idade. Eu tenho 49 anos e alguns tem trinta. A diferencial foi fazer um treino de qualidade”, diz.

Na prova de cinco quilômetros masculina, a primeira colocação ficou com Mauricio Anacleto, que completou o percurso em 19min34. “Os obstáculos foram um pouco difíceis, mas nada a não ser superado. O barro atrapalhou um pouco e, ao mesmo tempo, ajudou, porque tem pessoas que não estão acostumadas e acabaram mais prejudicadas do que eu”, explica. Completaram o pódio da disputa mais curta Rodrigo Lira (19min40) e José da Silva (19min49).

Mulheres - As mulheres também deram um show durante a Night Trail Run. Na prova de nove quilômetros, vitória de Érli Lima, que fechou o duro percurso praiano em 50min51, seguida por Suyanne Freitas (51min05) e Geisla Moraes (51min07).

A campeã destacou a sinalização da prova. De acordo com a atleta, mesmo a disputa sendo de noite, o trajeto deixava claro os caminhos a seguir. “Achei a prova muito bem organizada. O percurso estava bem sinalizado. Tinham muitas pessoas do staff e também vários pontos de distribuição de água, o que ajuda para melhorar ainda mais a qualidade do percurso. No começo, as trilhas ficaram um pouco emboladas por causa da quantidade de pessoas, mas depois ficou mais tranquilo”, afirma.

Na disputa mais curta, vitória de Tânia Barbosa, que ficou mais de um minuto e meio a frente de Michele Silva (26min47), com o tempo total de 25min06. “Eu gostei muito. Eu nunca tinha corrido a noite e fiquei com um pouco de medo no começo, mas deu tudo certo e eu consegui o bom resultado”, conta.

Para encerrar a Night Trail Run, o XTerra trouxe até a cidade litorânea a banda do cantor Frejat. Milhares de pessoas, incluindo atletas e moradores de Ilhabela, compareceram à arena para curtir sucessos como “Por Você”, “Amor para Recomeçar” e “Túnel do Tempo”.


Night Trail Run e show do Frejat marcam noite do XTerra Ilhabela

Corridas de Rua · 19 set, 2010

Direto de Ilhabela (SP) - A noite do último sábado (18) no XTerra Ilhabela não poderia ter sido mais animada. Com a realização da Night Trail Run sendo encerrada pela banda do cantor brasileiro Frejat, a competição agitou a cidade litorânea de São Paulo, trazendo milhares de pessoas para a arena montada na praia.

Com mais de 800 atletas, a Night Trail Run largou para mais duas disputas de cinco e nove quilômetros. Na competição mais longa, vitória de Raimundo Mourão, que completou o duro percurso em 38min19, apenas seis segundos a frente de João de Araújo (38min25).

“A prova foi muito boa. Bastante difícil. Todos os atletas são muito fortes. Mas eu me preparei direito para essa prova e ela caiu de paraquedas para mim. Eu fiquei sabendo da competição apenas semana passada, mas deu tudo certo. Me senti bem durante todo o tempo”, conta Mourão.

Para Araújo, segundo colocado e técnico da equipe feminina de Ilhabela, a organização conseguiu reunir todos os elementos necessários para uma boa disputa de trilha. “A prova foi muito perfeita para quem gosta de rodar na trilha. Eu sempre passo por esses caminhos, porque eu moro aqui e treino bastante. Mas para mim fica um pouco difícil competir com os meninos por causa da idade. Eu tenho 49 anos e alguns tem trinta. A diferencial foi fazer um treino de qualidade”, diz.

Na prova de cinco quilômetros masculina, a primeira colocação ficou com Mauricio Anacleto, que completou o percurso em 19min34. “Os obstáculos foram um pouco difíceis, mas nada a não ser superado. O barro atrapalhou um pouco e, ao mesmo tempo, ajudou, porque tem pessoas que não estão acostumadas e acabaram mais prejudicadas do que eu”, explica. Completaram o pódio da disputa mais curta Rodrigo Lira (19min40) e José da Silva (19min49).

Mulheres - As mulheres também deram um show durante a Night Trail Run. Na prova de nove quilômetros, vitória de Érli Lima, que fechou o duro percurso praiano em 50min51, seguida por Suyanne Freitas (51min05) e Geisla Moraes (51min07).

A campeã destacou a sinalização da prova. De acordo com a atleta, mesmo a disputa sendo de noite, o trajeto deixava claro os caminhos a seguir. “Achei a prova muito bem organizada. O percurso estava bem sinalizado. Tinham muitas pessoas do staff e também vários pontos de distribuição de água, o que ajuda para melhorar ainda mais a qualidade do percurso. No começo, as trilhas ficaram um pouco emboladas por causa da quantidade de pessoas, mas depois ficou mais tranquilo”, afirma.

Na disputa mais curta, vitória de Tânia Barbosa, que ficou mais de um minuto e meio a frente de Michele Silva (26min47), com o tempo total de 25min06. “Eu gostei muito. Eu nunca tinha corrido a noite e fiquei com um pouco de medo no começo, mas deu tudo certo e eu consegui o bom resultado”, conta.

Para encerrar a Night Trail Run, o XTerra trouxe até a cidade litorânea a banda do cantor Frejat. Milhares de pessoas, incluindo atletas e moradores de Ilhabela, compareceram à arena para curtir sucessos como “Por Você”, “Amor para Recomeçar” e “Túnel do Tempo”.

Atleta de 77 anos marca presença em mais uma Night Trail Run

Corridas de Rua · 18 set, 2010

b>Direto de Ilhabela (SP) - Depois de completar a Night Trail Run da etapa de Mangaratiba do XTerra, o atleta de 77 anos Manuel Ferreiro não sabia se iria participar da prova de Ilhabela, litoral de São Paulo. Amante das corridas, Seu Manollo confirmou mais um participação no evento noturno.

Figurinha carimbada na temporada 2010, o atleta correrá a prova de cinco quilômetros neste sábado (18). “Eu comecei este ano, em maio, e estou acompanhando todas as provas. Adoro não só participar, mas também chegar ao fim”, afirma Seu Manollo.

De acordo com Manuel, o esporte é muito importante em sua idade para lhe dar mais vitalidade. “É ótimo caminhar na minha idade, que já está mais avançada. É importante desenvolver os músculos que ficam com baixa atividade com o passar do tempo. Caminhar me dá mais energia e mais alegria”, conta. “Vou continuar com o esporte e, com certeza, estarei também em Fortaleza (CE) e Tiradentes (MG)”, finaliza.

A Night Trail Run da etapa de Ilhabela do XTerra Regional acontece na noite deste sábado (18), às 19h.


Atleta de 77 anos marca presença em mais uma Night Trail Run

Corridas de Rua · 18 set, 2010

b>Direto de Ilhabela (SP) - Depois de completar a Night Trail Run da etapa de Mangaratiba do XTerra, o atleta de 77 anos Manuel Ferreiro não sabia se iria participar da prova de Ilhabela, litoral de São Paulo. Amante das corridas, Seu Manollo confirmou mais um participação no evento noturno.

Figurinha carimbada na temporada 2010, o atleta correrá a prova de cinco quilômetros neste sábado (18). “Eu comecei este ano, em maio, e estou acompanhando todas as provas. Adoro não só participar, mas também chegar ao fim”, afirma Seu Manollo.

De acordo com Manuel, o esporte é muito importante em sua idade para lhe dar mais vitalidade. “É ótimo caminhar na minha idade, que já está mais avançada. É importante desenvolver os músculos que ficam com baixa atividade com o passar do tempo. Caminhar me dá mais energia e mais alegria”, conta. “Vou continuar com o esporte e, com certeza, estarei também em Fortaleza (CE) e Tiradentes (MG)”, finaliza.

A Night Trail Run da etapa de Ilhabela do XTerra Regional acontece na noite deste sábado (18), às 19h.

Carla Prada vence prova de triathlon no XTerra Ilhabela

Triathlon · 18 set, 2010

Direto de Ilhabela (SP) - Carla Prada conquistou, neste sábado (18), a vitória na prova de triatlhon do XTerra Regional, que aconteceu em Ilhabela, litoral de São Paulo. Em um dia bastante chuvoso, a atleta completou o percurso em 3h22min22, mais de dois minutos a frente de Luzia Bello, segunda colocada (3h24min51).

“Toda prova é difícil, mas esta estava ainda mais difícil. Ano passado, estava mais seco, então, em muitos trechos, eu conseguia pedalar. Hoje estava tudo molhado e eu carreguei muito a bike. Então, a vitória foi uma surpresa. Eu não esperava", conta Prada.

Apesar de ter ficado com a segunda colocação na etapa, Luzia ficou contente com seu resultado. Isso porque a atleta conseguiu completar o percurso de 1,5 quilômetro de natação, 29 quilômetros de mountain bike e nove quilômetros de corrida mesmo machucada.

“A prova foi como eu esperava. Eu tive uma atuação boa. Saí um pouco na frente, consegui acompanhar a Carla no ciclismo, mas acabei caindo e machuquei meu pé. Depois, eu continuei pedalando com um pouco de dor. Então, eu saí, na parte de corrida, já machucada. Eu dei o meu máximo, mas não consegui ganhar. Mas XTerra é isso: dor, adrenalina e tudo mais”, afirma.

Na terceira colocação da etapa ficou Sabrina Gobbo. Retornando à disputa de Ilhabela depois de três anos, Gobbo conseguiu superar o cansaço pós Costa Rica Adventure Race, prova de corrida de aventura de 500 quilômetros, completando o trajeto em 3h33min40.

“A prova foi bem diferente do último ano que eu fiz, em 2007. Eu vim de uma prova de 500 quilômetros, então eu cansei demais. A bike também não ajudou. No quilometro dez eu fiquei sem coroinha e aqui, sem coroinha, é impossível. Mas foi legal. Eu preferia o formato de antes, mais técnico e menos plano, deixando mais difícil. Aqui, pessoas que correm muito acabam abrindo vantagem”, explica Sabrina.

Confira a classificação feminina do triathlon
1. Carla Prada – 3h22min22
2. Luzia Bello – 3h24min51
3. Sabrina Gobbo – 3h33min40


Carla Prada vence prova de triathlon no XTerra Ilhabela

Triathlon · 18 set, 2010

Direto de Ilhabela (SP) - Carla Prada conquistou, neste sábado (18), a vitória na prova de triatlhon do XTerra Regional, que aconteceu em Ilhabela, litoral de São Paulo. Em um dia bastante chuvoso, a atleta completou o percurso em 3h22min22, mais de dois minutos a frente de Luzia Bello, segunda colocada (3h24min51).

“Toda prova é difícil, mas esta estava ainda mais difícil. Ano passado, estava mais seco, então, em muitos trechos, eu conseguia pedalar. Hoje estava tudo molhado e eu carreguei muito a bike. Então, a vitória foi uma surpresa. Eu não esperava", conta Prada.

Apesar de ter ficado com a segunda colocação na etapa, Luzia ficou contente com seu resultado. Isso porque a atleta conseguiu completar o percurso de 1,5 quilômetro de natação, 29 quilômetros de mountain bike e nove quilômetros de corrida mesmo machucada.

“A prova foi como eu esperava. Eu tive uma atuação boa. Saí um pouco na frente, consegui acompanhar a Carla no ciclismo, mas acabei caindo e machuquei meu pé. Depois, eu continuei pedalando com um pouco de dor. Então, eu saí, na parte de corrida, já machucada. Eu dei o meu máximo, mas não consegui ganhar. Mas XTerra é isso: dor, adrenalina e tudo mais”, afirma.

Na terceira colocação da etapa ficou Sabrina Gobbo. Retornando à disputa de Ilhabela depois de três anos, Gobbo conseguiu superar o cansaço pós Costa Rica Adventure Race, prova de corrida de aventura de 500 quilômetros, completando o trajeto em 3h33min40.

“A prova foi bem diferente do último ano que eu fiz, em 2007. Eu vim de uma prova de 500 quilômetros, então eu cansei demais. A bike também não ajudou. No quilometro dez eu fiquei sem coroinha e aqui, sem coroinha, é impossível. Mas foi legal. Eu preferia o formato de antes, mais técnico e menos plano, deixando mais difícil. Aqui, pessoas que correm muito acabam abrindo vantagem”, explica Sabrina.

Confira a classificação feminina do triathlon
1. Carla Prada – 3h22min22
2. Luzia Bello – 3h24min51
3. Sabrina Gobbo – 3h33min40

Felipe Molleta vence pela primeira vez na elite do XTerra

Triathlon · 18 set, 2010

Direto de Ilhabela (SP) - Felipe Molleta tem apenas 24 anos, mas já pode ser considerado um dos grandes nomes do triathlon brasileiro. O atleta conquistou, neste sábado (18), a etapa de Ilhabela (SP) do XTerra Regional. Com o tempo de 2h30min36, o jovem superou Rodrigo Altafini e chegou à sua primeira vitória na Elite da competição.

“É muito gostoso ganhar pela primeira vez. Eu venho fazendo o circuito do XTerra já faz algum tempo, sendo desde o ano passado no profissional, e sempre brigo entre os cinco primeiros. Então, ganhar uma prova do XTerra é muito bom, uma sensação muito bacana”, afirma o vencedor, que em sua estreia na competição, em 2005, venceu na categoria Amador.

Em um dia que a chuva não deu trégua, o percurso acabou sendo prejudicado. No 1,5 quilômetro de natação, o mar estava um pouco agitado. Já nos 29 quilômetros de mountain bike e também nos nove quilômetros de corrida, o barro acabou dificultando a vida dos atletas.

“Teve muita subida e muita descida e, com a chuva, formou bastante lama e o trajeto ficou muito difícil e escorregadio, um pouco perigoso também. Eu, inclusive, caí uma vez que valeu por várias. Me ralei inteiro”, conta Molleta.

A segunda colocação entre os atletas masculinos do triathlon ficou com Rodrigo Altafini, que completou o percurso em 2h31min56. Segundo o atleta, o percurso estava mais complicado do que ele esperava.

“A prova foi muito boa. Ela estava mais difícil do que o normal porque a parte de mountain bike estava muito molhada e eu tive que fazer o dobro de força para traçar a bicicleta na trilha. Eu acabei tomando dois tombos por causa disso. Mas foi uma grande disputa”, diz Altafini.

Confira os primeiros colocados na elite masculina
1. Felipe Molleta – 2h30min36
2. Rodrigo Altafini – 2h31min56
3. Frederico Zacharias – 2h40min41
4. Cristian Cruz - 2h55min55


Felipe Molleta vence pela primeira vez na elite do XTerra

Triathlon · 18 set, 2010

Direto de Ilhabela (SP) - Felipe Molleta tem apenas 24 anos, mas já pode ser considerado um dos grandes nomes do triathlon brasileiro. O atleta conquistou, neste sábado (18), a etapa de Ilhabela (SP) do XTerra Regional. Com o tempo de 2h30min36, o jovem superou Rodrigo Altafini e chegou à sua primeira vitória na Elite da competição.

“É muito gostoso ganhar pela primeira vez. Eu venho fazendo o circuito do XTerra já faz algum tempo, sendo desde o ano passado no profissional, e sempre brigo entre os cinco primeiros. Então, ganhar uma prova do XTerra é muito bom, uma sensação muito bacana”, afirma o vencedor, que em sua estreia na competição, em 2005, venceu na categoria Amador.

Em um dia que a chuva não deu trégua, o percurso acabou sendo prejudicado. No 1,5 quilômetro de natação, o mar estava um pouco agitado. Já nos 29 quilômetros de mountain bike e também nos nove quilômetros de corrida, o barro acabou dificultando a vida dos atletas.

“Teve muita subida e muita descida e, com a chuva, formou bastante lama e o trajeto ficou muito difícil e escorregadio, um pouco perigoso também. Eu, inclusive, caí uma vez que valeu por várias. Me ralei inteiro”, conta Molleta.

A segunda colocação entre os atletas masculinos do triathlon ficou com Rodrigo Altafini, que completou o percurso em 2h31min56. Segundo o atleta, o percurso estava mais complicado do que ele esperava.

“A prova foi muito boa. Ela estava mais difícil do que o normal porque a parte de mountain bike estava muito molhada e eu tive que fazer o dobro de força para traçar a bicicleta na trilha. Eu acabei tomando dois tombos por causa disso. Mas foi uma grande disputa”, diz Altafini.

Confira os primeiros colocados na elite masculina
1. Felipe Molleta – 2h30min36
2. Rodrigo Altafini – 2h31min56
3. Frederico Zacharias – 2h40min41
4. Cristian Cruz - 2h55min55

XTerra Ilhabela promete grandes dificuldades no triathlon

Triathlon · 18 set, 2010

Direto de Ilhabela (SP) - Começa neste sábado (18) mais uma etapa regional do XTerra. Com sede em Ilhabela, litoral de São Paulo, a prova de triathlon promete ser a mais difícil da temporada, inclusive superando a disputa que foi válida pela competição global do evento.

“A etapa de Angra dos Reis comparada com a de Ilhabela foi moleza. Posso dizer, com toda certeza, que essa é a prova mais difícil do ano”, afirma Bernardo Fonseca, organizador do evento.

Com a previsão de chuva para este sábado, a prova ganhará ainda mais emoção. Os cerca de 200 atletas terão pela frente 1,5 quilômetro de natação, 29 quilômetros de mountain bike e nove quilômetros de corrida.

“Na parte de corrida, os atletas percorrerão o mesmo percurso do ano passado. Mas vou dizer que eu achei mais difícil do que em 2009. Acho que é a idade”, brinca Bernardo. “Já no MTB, há uma parte chamada de Pedra do Urubu que tenho certeza que 60% dos atletas irão cair. É um descidão bem emocionante”, completa.


XTerra Ilhabela promete grandes dificuldades no triathlon

Triathlon · 18 set, 2010

Direto de Ilhabela (SP) - Começa neste sábado (18) mais uma etapa regional do XTerra. Com sede em Ilhabela, litoral de São Paulo, a prova de triathlon promete ser a mais difícil da temporada, inclusive superando a disputa que foi válida pela competição global do evento.

“A etapa de Angra dos Reis comparada com a de Ilhabela foi moleza. Posso dizer, com toda certeza, que essa é a prova mais difícil do ano”, afirma Bernardo Fonseca, organizador do evento.

Com a previsão de chuva para este sábado, a prova ganhará ainda mais emoção. Os cerca de 200 atletas terão pela frente 1,5 quilômetro de natação, 29 quilômetros de mountain bike e nove quilômetros de corrida.

“Na parte de corrida, os atletas percorrerão o mesmo percurso do ano passado. Mas vou dizer que eu achei mais difícil do que em 2009. Acho que é a idade”, brinca Bernardo. “Já no MTB, há uma parte chamada de Pedra do Urubu que tenho certeza que 60% dos atletas irão cair. É um descidão bem emocionante”, completa.

XTerra revive momentos de sua primeira edição em Ilhabela (SP)

Triathlon · 16 set, 2010

Faltam poucos dias para o início de mais um XTerra Regional, que acontece neste sábado (18) e domingo (19), em Ilhabela (SP). A expectativa para a disputa na cidade cresce a cada dia, principalmente porque o local foi o primeiro a sediar uma etapa do evento quando este chegou ao Brasil, em 2005.

“O XTerra Ilhabela é especial. Ele foi o primeiro lugar escolhido para sediar uma etapa da competição aqui no Brasil. Nós temos um carinho pela cidade porque ela é acolhedora e fica no eixo Rio-São Paulo. Além disso, a ilha realmente se veste de XTerra. É o maior evento aqui, todos conhecem. Maior que o Réveillon, maior que a Semana de Vela. Nós contratamos cerca de 400 pessoas para trabalhar no evento anualmente, então temos muito orgulho de estar na cidade”, afirma Bernardo Fonseca, organizador da prova.

A competição trará aventuras novas e muito técnicas aos mais de dois mil atletas que já confirmaram participação nas diversas modalidades do evento. Na prova de triathlon, em especial, as dificuldades serão diversas, já que a etapa é considerada a mais complicada da temporada e terá peso dois no circuito.

“O percurso é altamente desafiador. Você não tem plano. Ou você está subindo ou você está descendo e os atletas curtem muito isso. Você tem uma parte técnica que é muito bacana. Muitos single tracks e downhills que sempre fazem a diferença”, conta o organizador.

Com previsão de chuva para o fim de semana da disputa, Bernardo afirma que qualquer mudança climática apenas servirá para apimentar ainda mais a prova. “É o que eu sempre digo. Atletas do XTerra não são nem de açúcar nem de papel. Então a galera precisa ser guerreira. Se não tiver esse espírito, é melhor fazer os triathlons tradicionais. Quem quer sair do quadrado e experimentar uma pouco mais a vida vai curtir o XTerra”, finaliza.


XTerra revive momentos de sua primeira edição em Ilhabela (SP)

Triathlon · 16 set, 2010

Faltam poucos dias para o início de mais um XTerra Regional, que acontece neste sábado (18) e domingo (19), em Ilhabela (SP). A expectativa para a disputa na cidade cresce a cada dia, principalmente porque o local foi o primeiro a sediar uma etapa do evento quando este chegou ao Brasil, em 2005.

“O XTerra Ilhabela é especial. Ele foi o primeiro lugar escolhido para sediar uma etapa da competição aqui no Brasil. Nós temos um carinho pela cidade porque ela é acolhedora e fica no eixo Rio-São Paulo. Além disso, a ilha realmente se veste de XTerra. É o maior evento aqui, todos conhecem. Maior que o Réveillon, maior que a Semana de Vela. Nós contratamos cerca de 400 pessoas para trabalhar no evento anualmente, então temos muito orgulho de estar na cidade”, afirma Bernardo Fonseca, organizador da prova.

A competição trará aventuras novas e muito técnicas aos mais de dois mil atletas que já confirmaram participação nas diversas modalidades do evento. Na prova de triathlon, em especial, as dificuldades serão diversas, já que a etapa é considerada a mais complicada da temporada e terá peso dois no circuito.

“O percurso é altamente desafiador. Você não tem plano. Ou você está subindo ou você está descendo e os atletas curtem muito isso. Você tem uma parte técnica que é muito bacana. Muitos single tracks e downhills que sempre fazem a diferença”, conta o organizador.

Com previsão de chuva para o fim de semana da disputa, Bernardo afirma que qualquer mudança climática apenas servirá para apimentar ainda mais a prova. “É o que eu sempre digo. Atletas do XTerra não são nem de açúcar nem de papel. Então a galera precisa ser guerreira. Se não tiver esse espírito, é melhor fazer os triathlons tradicionais. Quem quer sair do quadrado e experimentar uma pouco mais a vida vai curtir o XTerra”, finaliza.