Benefícios da câmara hiperbárica na recuperação de lesões esportivas

Marco Demange | Saúde · 10 abr, 2024

Benefícios da câmara hiperbárica na recuperação de lesões esportivas
Foto: Adobe Stock

Corredores podem apresentar diversas lesões durante a prática do esporte. Dentre elas, podemos destacar as lesões musculares e as lesões ligamentares.

Muitas vezes, ocorrem lesões no músculo da coxa ou da panturrilha, sendo que a uma das porções do músculo mais acometidas é a região miotendínea (transição entre o tendão e o ventre muscular). Essa região é menos oxigenada do que a maior parte do músculo e, portanto, podem ter uma cicatrização mais lenta.

Outro tipo de lesão frequente consiste na lesão dos ligamentos. Essas estruturas estabilizam a articulação e as lesões podem ocorrer a partir de entorses desses ligamentos. Os mais comuns são os ligamentos do tornozelo e os ligamentos do joelho, com destaque para o ligamento colateral medial.

Recentemente, alguns estudos científicos demonstraram que a cicatrização das lesões musculares pode ser ajudada e acelerada pelo uso da oxigenoterapia hiperbárica como método complementar ao tratamento. Também se demostrou o benefício em lesões de ligamentos de tratamento não cirúrgico.

No Japão, autores demonstraram que a cicatrização das lesões de ligamento colateral medial no joelho podem ser mais rápida com uso da medicina hiperbárica, reduzindo o tempo de retorno à prática esportiva e diminuindo a dor. O estudo pode ser acessado aqui.

A oxigenioterapia, envolve a administração de oxigênio a 100% sob pressão atmosférica aumentada, isso ocorre através da câmara hiperbárica, e, resulta no aumento da quantidade de oxigênio plasmático dissolvido.

Uma vez que o plasma possui maior quantidade de oxigênio, os tecidos do corpo consequentemente recebem mais oxigênio, inclusive as áreas lesionadas.

+ Siga o Webrun no Instagram!
+ Baixe agora o APP Ticket Sports e tenha um calendário de eventos esportivos na palma da sua mão!

Estudos demonstraram uma série de benefícios através da oxigenioterapia, incluindo: modulação da resposta inflamatória, neovascularização, síntese de colágeno e regulação da matriz extracelular. Esses processos desempenham um papel crucial no reparo de lesões e pode ser um diferencial na recuperação de atletas, desde as lesões musculares, tendíneas, ou até mesmo no pós-operatório, quando necessária a intervenção cirúrgica.

Do ponto de vista científico, um estudo interessante que explica o mecanismo de ação da oxigenoterapia hiperbárica na cicatrização tecidual pode ser encontrado neste link.

Desta maneira, podemos perceber que o uso da câmara hiperbárica nas lesões decorrentes do esporte, quando bem indicada, pode otimizar a recuperação, permitindo que ocorra de maneira mais eficaz.

 

Marco Demange

Ver todos os posts

Dr. Marco Demange é ortopedista, professor Associado do Departamento de Ortopedia e Traumatologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo com mestrado, doutorado e livre-docência pela FMUSP. Pós-doutorado na Harvard Medical School (Boston – EUA) e no Hospital for Special Surgery - Weil Cornell Medical College (Nova Iorque – EUA). No instagram: @dr.marco.demange

 

Outras deste autor

 

Outras deste autor