Treino longo e alongamento têm a ver com ansiedade!

Redação Webrun | Corridas de Rua · 21 abr, 2004

Yoga é um bom exercício para controlar a ansiedade (foto: Harry Thomas Jr/ Webrun)
Yoga é um bom exercício para controlar a ansiedade (foto: Harry Thomas Jr/ Webrun)

Outro dia eu estava conversando com um amigo educador físico, o Paulão, que no auge de sua experiência como treinador de corrida me dispara um piparote, dizendo:

“Treino longo e alongamento têm a ver com ansiedade!”

No momento fiquei um pouco desconcertado, o piparote acertou em cheio os meus ouvidos e me coloquei a pensar em tal frase. O que tenho de admitir é que não há nada mais certo do que a oração pronunciada pelo Paulão, e eu explico porquê.

Pessoas ansiosas, vocês podem notar, não gostam de fazer treinos longos, aqueles de correr 15 Km ou pedalar 80 Km ou nadar 2000m sem parar, chega um momento onde o sujeito começa a brigar com a metragem, reclama que não acaba nunca, aperta o treino para acabar logo e muitas vezes se “quebra”. O mesmo é verdadeiro com provas longas, às vezes são ótimos atletas, tem um bom preparo e um bom desempenho, mas não suportam ficar mais de uma hora numa mesma atividade, nesse caso de duas uma: Ou muda de treino e vira velocista ou começa a cuidar da “cabeça” para suportar treinos e provas longas.

Existem muitas maneiras de se cuidar para esse tipo de treino, a mais eficiente ainda é a respiração. A yoga tem várias técnicas respiratórias que permitem uma aquietação da mente.

Durante o treino, ficar atento à respiração é um modo de diminuir a ansiedade e começar a cuidar de variáveis que permitirão ao atleta um melhor autoconhecimento, e conseqüentemente ter um treino mais eficiente. Pensar na respiração evite que a cabeça vaguei em pensamento que não dizem respeito à corrida ou que se esqueça quanto falta para terminar. Respirar permite que o atleta concentre sua atenção na atividade e não em estímulos externos que causam ansiedade

Quanto ao alongamento podemos dizer que o sujeito ansioso quer logo iniciar o treino, correr se for o caso, e não considera o momento do alongamento parte do treino e na cabeça vem um pensamento quase como esse: “se eu vim aqui para correr por que vou ficar aqui esticando minha perna? Eu quero é correr”.

Uma forma de contornar esse problema é fazer, enquanto alonga, uma visualização do treino que está por vir, pensar no que vai fazer, onde ou em que momento vai apertar o ritmo, ou como está se sentindo, se está cansado se têm alguma parte doendo e fazer todo um planejamento do treino. Essa prática tem efeitos maravilhosos em caso de prova, uma boa visualização de uma prova permite que o atleta crie uma estratégia que pode ser definitiva no resultado da mesma.

No final do treino o alongamento é um bom momento para fazer uma avaliação do treino, retomar todo o percurso, perceber o que precisa melhorar, o que foi positivo, e até mesmo começar a pensar o próximo treino em decorrência desse.

Para finalizar o que tenho a dizer é que podemos usar a longa distância e o momento do alongamento a nosso favor ao invés de lutarmos contra eles.

Este texto foi escrito por: Marcus Teshainer

Redação Webrun

Ver todos os posts

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!