Marílson

Marílson bate recorde Sul-americano no Mundial

Corridas de Rua · 15 out, 2007

O brasileiro Marílson Gomes bateu o recorde sul-americano de meia maratona no último domingo, em Udine (Itália) durante o Mundial de Corridas de Rua, após marcar o tempo de 59min33 e obter o sétimo lugar. A marca anterior pertencia ao também brasileiro Eduardo do Nascimento, com 1h00min30, desde 15 de março de 1998, em Lisboa (Portugal).

"Estou feliz por manter minha posição na elite internacional", ressalta Marílson, que também ostenta os recordes sul-americanos em pista dos 5.000m (13min19seg43) e dos 10 mil (27min28seg12). A organização da competição também confirmou que ele estabeleceu a melhor marca nos 15 quilômetros, com 42min15, tempo 26 segundos melhor que o recorde anterior: 42min41, feito por Valdenor dos Santos em 1993 e igualado por Ronaldo da Costa em 1994.

O brasiliense agora voltará ao Brasil para finalizar a preparação para a Maratona de Nova York, que acontece em quatro de novembro, para defender o título. "Para conseguir bons resultados em corridas longas preciso ficar entre os principais fundistas da África. Hoje foi assim, da mesma forma que em Nova York ano passado e este ano em Londres”, enfatiza sobre sua melhor marca nos 42,195 km, 2h08min37, obtidos na prova britânica. Segundo ele, para obter o bi nos Estados Unidos ele também terá que se sobrepor aos africanos.

Treinamento - O treinamento final será feito em Campos do Jordão, interior paulista e o seu treinador, Adauto Domingues, enfatiza que apesar de o foco ser em provas longas, o atleta de 30 anos não vai deixar de lado as competições de pista. “A disputa dos 5.000m e 10mil em pista é fundamental para o maratonista ganhar velocidade".

O Brasil encerrou sua participação na competição com o 39º lugar de Clodoaldo Gomes (1h02min50) e o 40º de João Ferreira Lima (1h02min51), além do 62º de Giomar Pereira (1h04min35) e o 63º de José Telles (1h04min35). O primeiro lugar ficou com Zersenay Tadesse, da Eritréia, ao estabelecer o novo recorde do percurso, com 58min59, seguido dos quenianos Patrick Musyoki, com 59min02, e Evans Cheruyot, com 59min05.

Mulheres - Entre as mulheres a delegação canarinho contou com a dupla que esteve nos Jogos Pan-americanos na disputa dos 5.000m e 10 mil, Lucélia Peres e Ednalva Laureano, a Pretinha. Lucélia, atual campeã da São silvestre, foi a 48ª com 1h15min39, enquanto Pretinha foi a 41ª com 1h14min23.

A vencedora foi a holandesa Lornah Kiplagat, que estabeleceu o novo recorde mundial ao marcar 1h06min25, contra 1h06min44 obtidos em Tóquio em 1999 pela sul-africana Elana Meyer. As quenianas Mary Keitany e Pamela Chepchumba completaram o pódio com 1h06min48 e 1h08min06a respectivamente. A romena Lídia Simon, a maior ganhadora de medalhas do Mundial, com oito pódios, ficou em 18º lugar, com 1h10min08.


Marílson bate recorde Sul-americano no Mundial

Corridas de Rua · 15 out, 2007

O brasileiro Marílson Gomes bateu o recorde sul-americano de meia maratona no último domingo, em Udine (Itália) durante o Mundial de Corridas de Rua, após marcar o tempo de 59min33 e obter o sétimo lugar. A marca anterior pertencia ao também brasileiro Eduardo do Nascimento, com 1h00min30, desde 15 de março de 1998, em Lisboa (Portugal).

"Estou feliz por manter minha posição na elite internacional", ressalta Marílson, que também ostenta os recordes sul-americanos em pista dos 5.000m (13min19seg43) e dos 10 mil (27min28seg12). A organização da competição também confirmou que ele estabeleceu a melhor marca nos 15 quilômetros, com 42min15, tempo 26 segundos melhor que o recorde anterior: 42min41, feito por Valdenor dos Santos em 1993 e igualado por Ronaldo da Costa em 1994.

O brasiliense agora voltará ao Brasil para finalizar a preparação para a Maratona de Nova York, que acontece em quatro de novembro, para defender o título. "Para conseguir bons resultados em corridas longas preciso ficar entre os principais fundistas da África. Hoje foi assim, da mesma forma que em Nova York ano passado e este ano em Londres”, enfatiza sobre sua melhor marca nos 42,195 km, 2h08min37, obtidos na prova britânica. Segundo ele, para obter o bi nos Estados Unidos ele também terá que se sobrepor aos africanos.

Treinamento - O treinamento final será feito em Campos do Jordão, interior paulista e o seu treinador, Adauto Domingues, enfatiza que apesar de o foco ser em provas longas, o atleta de 30 anos não vai deixar de lado as competições de pista. “A disputa dos 5.000m e 10mil em pista é fundamental para o maratonista ganhar velocidade".

O Brasil encerrou sua participação na competição com o 39º lugar de Clodoaldo Gomes (1h02min50) e o 40º de João Ferreira Lima (1h02min51), além do 62º de Giomar Pereira (1h04min35) e o 63º de José Telles (1h04min35). O primeiro lugar ficou com Zersenay Tadesse, da Eritréia, ao estabelecer o novo recorde do percurso, com 58min59, seguido dos quenianos Patrick Musyoki, com 59min02, e Evans Cheruyot, com 59min05.

Mulheres - Entre as mulheres a delegação canarinho contou com a dupla que esteve nos Jogos Pan-americanos na disputa dos 5.000m e 10 mil, Lucélia Peres e Ednalva Laureano, a Pretinha. Lucélia, atual campeã da São silvestre, foi a 48ª com 1h15min39, enquanto Pretinha foi a 41ª com 1h14min23.

A vencedora foi a holandesa Lornah Kiplagat, que estabeleceu o novo recorde mundial ao marcar 1h06min25, contra 1h06min44 obtidos em Tóquio em 1999 pela sul-africana Elana Meyer. As quenianas Mary Keitany e Pamela Chepchumba completaram o pódio com 1h06min48 e 1h08min06a respectivamente. A romena Lídia Simon, a maior ganhadora de medalhas do Mundial, com oito pódios, ficou em 18º lugar, com 1h10min08.

Marílson destroçador de recordes

Corridas de Rua · 15 out, 2007

Quebrar um recorde não é fácil. Quebrar quatro em uma única prova então nem se fale, mas, foi isso que Marílson Gomes fez ontem no Campeonato Mundial de Corridas de Rua, disputado em Udine, na Itália.

O atual campeão da Maratona de Nova York concluiu os 21.097 metros da competição em sétimo lugar com o tempo de 59min33s, marca que faz do atleta o novo recordista sul americano da distância. De quebra, o bateu outros três recordes sul-americano: 10Km (27min48s), 15Km (42min15s) e 20Km (56min32s).

Para quem disse que ia usar a competição para “treinar” para a defesa do título em Nova York está de bom tamanho!


Marílson destroçador de recordes

Corridas de Rua · 15 out, 2007

Quebrar um recorde não é fácil. Quebrar quatro em uma única prova então nem se fale, mas, foi isso que Marílson Gomes fez ontem no Campeonato Mundial de Corridas de Rua, disputado em Udine, na Itália.

O atual campeão da Maratona de Nova York concluiu os 21.097 metros da competição em sétimo lugar com o tempo de 59min33s, marca que faz do atleta o novo recordista sul americano da distância. De quebra, o bateu outros três recordes sul-americano: 10Km (27min48s), 15Km (42min15s) e 20Km (56min32s).

Para quem disse que ia usar a competição para “treinar” para a defesa do título em Nova York está de bom tamanho!

Marílson embarca nesta quarta para o Mundial

Corridas de Rua · 09 out, 2007

A equipe que representará o Brasil no Campeonato Mundial de Corridas de Rua embarca para Udine (Itália) na noite desta quarta-feira. A competição acontece no domingo (14) e a imprensa européia destaca Marílson Gomes como um dos favoritos ao título da competição.

Marílson usará a prova como preparação para a Maratona de Nova York, onde defenderá o título do ano passado. Além dele, foram convocados José Teles de Souza, 18º na maratona no Mundial de Osaka 2007; Clodoaldo Gomes de Silva, ouro nos 20 km no Mundial Juvenil de Lisboa 1994; João Ferreira de Lima, 1º do Ranking CBAt 2007 e Giomar Pereira da Silva, segundo do ranking.

O maratonista mexicano Juan Carlos Romero, o colombiano Diego Colorado (bronze no Pan) e o cubano Aguelmis Rojas são alguns dos adversários de peso que os canarinhos devem encontrar pela frente. Esta é a segunda edição do evento e terá a distância de 20 quilômetros.

Entre as mulheres, o Brasil será representado por Lucélia Peres, bronze nos 10 mil metros no Pan 2007 e campeã da São Silvestre 2006 e por Ednalva Laureano, a Pretinha, campeã da Meia Maratona do Rio 2007. Marizete Moreira e Zeferina Baldaia, que estavam convocadas, pediram dispensa. Entre as concorrentes internacionais, estão a colombiana Bertha Sánchez, a cubana campeã do Pan 2007, Mariela Gonzalez e as mexicanas Paula Apolonio e Karina Pérez.

A prova masculina está programada para as às 10h30 (6h30 em Brasília), enquanto a feminina será às 12h00 (8h00 em Brasília). O presidente da CBAt, Roberto Gesta de Melo, fará a apresentação oficial do Mundial 2008, que será realizado no Rio de Janeiro. "Já realizamos dois Mundiais, o Feminino de 15 km no Rio em 1989 e o de Maratona em Revezamento, em Manaus, em 1998 - e ambos tiveram suas organizações elogiadas pelos delegados internacionais", lembra Gesta.


Marílson embarca nesta quarta para o Mundial

Corridas de Rua · 09 out, 2007

A equipe que representará o Brasil no Campeonato Mundial de Corridas de Rua embarca para Udine (Itália) na noite desta quarta-feira. A competição acontece no domingo (14) e a imprensa européia destaca Marílson Gomes como um dos favoritos ao título da competição.

Marílson usará a prova como preparação para a Maratona de Nova York, onde defenderá o título do ano passado. Além dele, foram convocados José Teles de Souza, 18º na maratona no Mundial de Osaka 2007; Clodoaldo Gomes de Silva, ouro nos 20 km no Mundial Juvenil de Lisboa 1994; João Ferreira de Lima, 1º do Ranking CBAt 2007 e Giomar Pereira da Silva, segundo do ranking.

O maratonista mexicano Juan Carlos Romero, o colombiano Diego Colorado (bronze no Pan) e o cubano Aguelmis Rojas são alguns dos adversários de peso que os canarinhos devem encontrar pela frente. Esta é a segunda edição do evento e terá a distância de 20 quilômetros.

Entre as mulheres, o Brasil será representado por Lucélia Peres, bronze nos 10 mil metros no Pan 2007 e campeã da São Silvestre 2006 e por Ednalva Laureano, a Pretinha, campeã da Meia Maratona do Rio 2007. Marizete Moreira e Zeferina Baldaia, que estavam convocadas, pediram dispensa. Entre as concorrentes internacionais, estão a colombiana Bertha Sánchez, a cubana campeã do Pan 2007, Mariela Gonzalez e as mexicanas Paula Apolonio e Karina Pérez.

A prova masculina está programada para as às 10h30 (6h30 em Brasília), enquanto a feminina será às 12h00 (8h00 em Brasília). O presidente da CBAt, Roberto Gesta de Melo, fará a apresentação oficial do Mundial 2008, que será realizado no Rio de Janeiro. "Já realizamos dois Mundiais, o Feminino de 15 km no Rio em 1989 e o de Maratona em Revezamento, em Manaus, em 1998 - e ambos tiveram suas organizações elogiadas pelos delegados internacionais", lembra Gesta.

Marílson compete Mundial de Corridas antes de NY

Corridas de Rua · 28 set, 2007

O brasileiro Marílson Gomes dos Santos vai disputar no dia 14 de outubro, em Udine (Itália), o Mundial de Corridas de Rua, competição que servirá como treino para a Maratona de Nova York, onde venceu ano passado. A prova americana será realizada no dia quatro de novembro.

Entre os homens também estarão presentes José Teles de Souza, Clodoaldo Gomes de Silva, Giomar Pereira da Silva e João Ferreira de Lima, enquanto entre as mulheres estão garantidas Lucélia Peres, Ednalva Laureano, a Pretinha, Marizete Moreira dos Santos e Maria Zeferina Baldaia.

Esta é a segunda edição da prova e os atletas vão disputar a distância de meia maratona (21,1 quilômetros) a partir das 10h (local), 5h (Brasília). Em 2008 o Mundial de Corridas de Rua acontecerá no Brasil, mais especificamente na cidade do Rio de Janeiro.

A CBAt indicou para chefe da delegação a presidente da Federação de Atletismo de Brasília, Carmem de Oliveira, detentora dos recordes sul-americanos das três provas de fundo olímpicas: 5.000m, 10 mil metros e maratona. Os técnicos serão Adauto Domingues, bicampeão pan-americano dos 3.000m com obstáculos e treinador de Marílson, além de Josenildo Souza Silva, treinador de Pretinha.


Marílson compete Mundial de Corridas antes de NY

Corridas de Rua · 28 set, 2007

O brasileiro Marílson Gomes dos Santos vai disputar no dia 14 de outubro, em Udine (Itália), o Mundial de Corridas de Rua, competição que servirá como treino para a Maratona de Nova York, onde venceu ano passado. A prova americana será realizada no dia quatro de novembro.

Entre os homens também estarão presentes José Teles de Souza, Clodoaldo Gomes de Silva, Giomar Pereira da Silva e João Ferreira de Lima, enquanto entre as mulheres estão garantidas Lucélia Peres, Ednalva Laureano, a Pretinha, Marizete Moreira dos Santos e Maria Zeferina Baldaia.

Esta é a segunda edição da prova e os atletas vão disputar a distância de meia maratona (21,1 quilômetros) a partir das 10h (local), 5h (Brasília). Em 2008 o Mundial de Corridas de Rua acontecerá no Brasil, mais especificamente na cidade do Rio de Janeiro.

A CBAt indicou para chefe da delegação a presidente da Federação de Atletismo de Brasília, Carmem de Oliveira, detentora dos recordes sul-americanos das três provas de fundo olímpicas: 5.000m, 10 mil metros e maratona. Os técnicos serão Adauto Domingues, bicampeão pan-americano dos 3.000m com obstáculos e treinador de Marílson, além de Josenildo Souza Silva, treinador de Pretinha.

Marílson e Juliana Gomes falam sobre novos desafios

Maratona · 23 ago, 2007

Depois de participarem dos Jogos Pan-americanos do Rio de Janeiro, o casal de atletas Marílson e Juliana Gomes dos Santos descansam, mas já pensam nos próximos desafios. Durante uma conversa informal realizada nessa última quarta-feira na loja esportiva Velocità, em São Paulo, Marílson revela que vai encarar novamente a Maratona de Nova York, mas seu principal objetivo é Pequim.

De acordo com o maratonista, para buscar o bicampeonato de Nova York ele vai embarcar no final de setembro para Colômbia, onde treina na altitude. De lá ele viaja para Nova York. Conforme exigência dos organizadores, Marílson deve estar da cidade norte-americana sete dias antes da competição, marcada para quatro de novembro. “A organização da prova pede para a gente ir antes cumprir com alguns compromissos por eu ser o vencedor do ano passado. Eles pedem sete dias justamente para dar tempo de fazer tudo e também descansar”, revela.

Indagado se defender o título será mais difícil, Marílson acredita que não. “Quero chegar lá na minha melhor forma. Ainda não conheço meus adversários, mas isso não tem importância. Vou treinar igual”, conta.

No ano passado, ele surpreendeu os organizadores de Nova York desbancando favoritos como o recordista mundial Paul Tergat. O brasileiro cruzou a linha de chegada em 2h09min58. Como em 2006, Marílson quer apenas buscar uma boa colocação e não se preocupa com o tempo. “Nova York é uma prova muito puxada, tem muitas curvas, pontes, algumas subidas. Lá não é prova para fazer tempo”, diz.

Olimpíadas - Depois de Nova York Marílson volta as atenções para a maratona das Olimpíadas de Pequim. Segundo o atleta, ele já se prepara para o evento há dois anos junto com seu treinador Adauto Domingues. “Representar o Brasil nas Olimpíadas é um sonho que eu sempre tive. Eu e o Adauto falamos disso desde quando comecei a correr”, conta.

Juliana Já Juliana, que foi ouro nos 1.500 metros do Pan, também quer conquistar uma vaga para as Olimpíadas, mas em prova curtas como os 800 metros rasos, sua especialidade e também os 1.500m.

Conhecida muitas vezes apenas como esposa do Marílson, ela revela que no Pan teve a oportunidade de mostrar que também é uma boa profissional. “Queria aparecer como atleta Juliana. Vi essa oportunidade no Pan e agarrei com todas as minhas força”, conta.

Agora Juliana descansa e depois desse período irá buscar o índice de Pequim em campeonatos na Europa. “A Juliana por treinar mais explosão, tem um descanso maior do que eu. Já eu vou ter que voltar aos treinos da maratona logo mais”, diz Marílson.


Marílson e Juliana Gomes falam sobre novos desafios

Maratona · 23 ago, 2007

Depois de participarem dos Jogos Pan-americanos do Rio de Janeiro, o casal de atletas Marílson e Juliana Gomes dos Santos descansam, mas já pensam nos próximos desafios. Durante uma conversa informal realizada nessa última quarta-feira na loja esportiva Velocità, em São Paulo, Marílson revela que vai encarar novamente a Maratona de Nova York, mas seu principal objetivo é Pequim.

De acordo com o maratonista, para buscar o bicampeonato de Nova York ele vai embarcar no final de setembro para Colômbia, onde treina na altitude. De lá ele viaja para Nova York. Conforme exigência dos organizadores, Marílson deve estar da cidade norte-americana sete dias antes da competição, marcada para quatro de novembro. “A organização da prova pede para a gente ir antes cumprir com alguns compromissos por eu ser o vencedor do ano passado. Eles pedem sete dias justamente para dar tempo de fazer tudo e também descansar”, revela.

Indagado se defender o título será mais difícil, Marílson acredita que não. “Quero chegar lá na minha melhor forma. Ainda não conheço meus adversários, mas isso não tem importância. Vou treinar igual”, conta.

No ano passado, ele surpreendeu os organizadores de Nova York desbancando favoritos como o recordista mundial Paul Tergat. O brasileiro cruzou a linha de chegada em 2h09min58. Como em 2006, Marílson quer apenas buscar uma boa colocação e não se preocupa com o tempo. “Nova York é uma prova muito puxada, tem muitas curvas, pontes, algumas subidas. Lá não é prova para fazer tempo”, diz.

Olimpíadas - Depois de Nova York Marílson volta as atenções para a maratona das Olimpíadas de Pequim. Segundo o atleta, ele já se prepara para o evento há dois anos junto com seu treinador Adauto Domingues. “Representar o Brasil nas Olimpíadas é um sonho que eu sempre tive. Eu e o Adauto falamos disso desde quando comecei a correr”, conta.

Juliana Já Juliana, que foi ouro nos 1.500 metros do Pan, também quer conquistar uma vaga para as Olimpíadas, mas em prova curtas como os 800 metros rasos, sua especialidade e também os 1.500m.

Conhecida muitas vezes apenas como esposa do Marílson, ela revela que no Pan teve a oportunidade de mostrar que também é uma boa profissional. “Queria aparecer como atleta Juliana. Vi essa oportunidade no Pan e agarrei com todas as minhas força”, conta.

Agora Juliana descansa e depois desse período irá buscar o índice de Pequim em campeonatos na Europa. “A Juliana por treinar mais explosão, tem um descanso maior do que eu. Já eu vou ter que voltar aos treinos da maratona logo mais”, diz Marílson.

Marilson fica com a Prata nos 10 mil e faz declaração de amor

Atletismo · 28 jul, 2007

Direto do Rio de Janeiro - Na prova extremamente disputada dos 10.000 metros masculino onde os três primeiros colocados quebraram o recorde Pan-americano. O brasileiro Marílson Santos conseguiu conquistar a medalha de prata com um tempo de 28min09seg30.

“Eu estou muito feliz com esta medalha, estava a três dias com inflamação na garganta, teve momentos que cheguei a pensar em desistir, mas quando eu vi que poderia vencer me esforcei”, ressalta o fundista. De acordo com ele, hoje foi o dia em que se se sentiu pior em relação à garganta.

“Dei tudo de mim, cheguei muito cansado, minhas pernas tremendo, diferente de quando eu chego normalmente quando corro estas provas”, diz Marílson que após cruzar desabou na pista do Engenhão.

Ele falou também que se esforçou ao máximo para ganhar a medalha de ouro, porém, não está triste com o resultado. “Eu sabia que seriam provas difíceis e duras. Agora eu tenho que pensar para frente. Vou para a Maratona de Nova York defender o título e tem as Olimpíadas de Pequim”.

Esposa - Durante a coletiva de imprensa ele foi informado que sua mulher, Juliana Santos, obteve o ouro na prova dos 1.500 metros e fez uma confissão, que mais pareceu uma declaração de amor. “Eu pedi a Deus que se fosse para dar só uma medalha de ouro que fosse para ela, porque falta reconhecimento para as atletas de pista e sobra para os de rua”.

O primeiro colocado desta prova foi o mexicano Jose David Galvan, que correu em 28min08seg74 e é o novo dono do recorde Pan-americano. O antigo recordista era o americano Bruce Bickford, com a marca de 28min20seg37. “Foi uma prova rápida e tática. Faltando 50 metros eu ainda não sabia se venceria ou não”, conta.

O terceiro lugar ficou com o também mexicano Alejandro Suarez, que fez um tempo de 28min09seg95. “A idéia era fazer uma corrida rápida e o bronze teve um sabor amargo”, diz.

O Brasileiro Clodoaldo Silva, que chegou a liderar a prova durante alguns instantes, terminou a corrida em quinto lugar. “Tenho que dar meus parabéns para o Marílson. Realmente não deu para mim, eu tentei pegar a frente mais depois perdi o contato”, explica.


Marilson fica com a Prata nos 10 mil e faz declaração de amor

Atletismo · 28 jul, 2007

Direto do Rio de Janeiro - Na prova extremamente disputada dos 10.000 metros masculino onde os três primeiros colocados quebraram o recorde Pan-americano. O brasileiro Marílson Santos conseguiu conquistar a medalha de prata com um tempo de 28min09seg30.

“Eu estou muito feliz com esta medalha, estava a três dias com inflamação na garganta, teve momentos que cheguei a pensar em desistir, mas quando eu vi que poderia vencer me esforcei”, ressalta o fundista. De acordo com ele, hoje foi o dia em que se se sentiu pior em relação à garganta.

“Dei tudo de mim, cheguei muito cansado, minhas pernas tremendo, diferente de quando eu chego normalmente quando corro estas provas”, diz Marílson que após cruzar desabou na pista do Engenhão.

Ele falou também que se esforçou ao máximo para ganhar a medalha de ouro, porém, não está triste com o resultado. “Eu sabia que seriam provas difíceis e duras. Agora eu tenho que pensar para frente. Vou para a Maratona de Nova York defender o título e tem as Olimpíadas de Pequim”.

Esposa - Durante a coletiva de imprensa ele foi informado que sua mulher, Juliana Santos, obteve o ouro na prova dos 1.500 metros e fez uma confissão, que mais pareceu uma declaração de amor. “Eu pedi a Deus que se fosse para dar só uma medalha de ouro que fosse para ela, porque falta reconhecimento para as atletas de pista e sobra para os de rua”.

O primeiro colocado desta prova foi o mexicano Jose David Galvan, que correu em 28min08seg74 e é o novo dono do recorde Pan-americano. O antigo recordista era o americano Bruce Bickford, com a marca de 28min20seg37. “Foi uma prova rápida e tática. Faltando 50 metros eu ainda não sabia se venceria ou não”, conta.

O terceiro lugar ficou com o também mexicano Alejandro Suarez, que fez um tempo de 28min09seg95. “A idéia era fazer uma corrida rápida e o bronze teve um sabor amargo”, diz.

O Brasileiro Clodoaldo Silva, que chegou a liderar a prova durante alguns instantes, terminou a corrida em quinto lugar. “Tenho que dar meus parabéns para o Marílson. Realmente não deu para mim, eu tentei pegar a frente mais depois perdi o contato”, explica.

Ainda há ingressos para o atletismo do Pan hoje

Atletismo · 27 jul, 2007

Direto do Rio de Janeiro - Nessa sexta-feira o atletismo volta a ter competições no Estádio João Havelange, o Engenhão, após um dia de merecido descanso para os atletas. Entre os destaques de hoje, estão os 10 mil metros com a presença de Marílson Gomes, os cinco metros feminino com Lucélia Peres e Ednalva Laureano, além dos 1.500m com Juliana Gomes. Quem quiser acompanhar a competição no local, ainda poderá comprar ingressos.

“Acho que nos 10 mil metros eu tenho mais chances de vencer do que nos cinco mil”, ressalta Marílson sobre seu bronze na prova de estréia no Pan. Por ser um corredor com foco em maratonas, a velocidade característica nos cinco mil o prejudica um pouco. “Nessa prova tinham muitos atletas rápidos”, completa.

Ele optou por correr essas distâncias no Pan, pois sabia que teria mais chances de medalhas, já que Vanderlei Cordeiro, outro brasileiro nos 42,195m, tem se preparado exclusivamente para o Pan. Outro fator que o fez não correr a prova que acontece nesse domingo é porque ele defenderá o título da Maratona de Nova York em novembro e não teria tempo para se recuperar entre uma competição e outra.

O Webrun fará a cobertura completa das provas de hoje a partir das 15h30, com a semifinal masculina do revezamento 4x400. Para comprar ingressos o torcedor deverá se dirigir ao Estádio, que fica na Rua Arquias Cordeiro, 1.100, Engenho de Dentro. Como a maioria das ruas e avenidas próximas ao local estão interditadas e podem ser usadas apenas por moradores da região e carros oficiais, a melhor opção é ir de trem, descer na estação Engenho de Dentro e pegar a passarela que chega próximo ao local. Os lugares mais caros custam R$ 50 e os mais baratos entre R$ 10 e R$ 20.


Ainda há ingressos para o atletismo do Pan hoje

Atletismo · 27 jul, 2007

Direto do Rio de Janeiro - Nessa sexta-feira o atletismo volta a ter competições no Estádio João Havelange, o Engenhão, após um dia de merecido descanso para os atletas. Entre os destaques de hoje, estão os 10 mil metros com a presença de Marílson Gomes, os cinco metros feminino com Lucélia Peres e Ednalva Laureano, além dos 1.500m com Juliana Gomes. Quem quiser acompanhar a competição no local, ainda poderá comprar ingressos.

“Acho que nos 10 mil metros eu tenho mais chances de vencer do que nos cinco mil”, ressalta Marílson sobre seu bronze na prova de estréia no Pan. Por ser um corredor com foco em maratonas, a velocidade característica nos cinco mil o prejudica um pouco. “Nessa prova tinham muitos atletas rápidos”, completa.

Ele optou por correr essas distâncias no Pan, pois sabia que teria mais chances de medalhas, já que Vanderlei Cordeiro, outro brasileiro nos 42,195m, tem se preparado exclusivamente para o Pan. Outro fator que o fez não correr a prova que acontece nesse domingo é porque ele defenderá o título da Maratona de Nova York em novembro e não teria tempo para se recuperar entre uma competição e outra.

O Webrun fará a cobertura completa das provas de hoje a partir das 15h30, com a semifinal masculina do revezamento 4x400. Para comprar ingressos o torcedor deverá se dirigir ao Estádio, que fica na Rua Arquias Cordeiro, 1.100, Engenho de Dentro. Como a maioria das ruas e avenidas próximas ao local estão interditadas e podem ser usadas apenas por moradores da região e carros oficiais, a melhor opção é ir de trem, descer na estação Engenho de Dentro e pegar a passarela que chega próximo ao local. Os lugares mais caros custam R$ 50 e os mais baratos entre R$ 10 e R$ 20.

Marílson Gomes é quarto na Meia de Portugal

Meia Maratona · 18 mar, 2007

O brasileiro Marílson Gomes dos Santos foi o quarto colocado da Meia Maratona de Lisboa que aconteceu nesse domingo (18) em Portugal. A disputa pelo pódio foi acirrada e Marílson chegou apenas um segundo atrás do terceiro colocado, o marroquino Jaouad Gharib, que completou a prova em 1h40seg.

Agora o brasileiro participa no dia 22 de abril da Maratona de Londres e depois se prepara para os Jogos Pan-americanos do Rio de Janeiro. Na competição carioca, Marílson corre os cinco e os 10 mil metros.

O campeão de Lisboa foi o queniano Robert Kipchumpa com 1h31seg. Já a segunda colocação ficou com seu conterrâneo Robert Cheruiyot (1h36seg). Entre as mulheres a vencedora foi Rita Jeptoo em 1h07min05. Completaram o pódio as também quenianas Susan Chepkemei e Salina Kosgei.

A Meia Maratona de Lisboa reuniu 36 mil pessoas e serve todos os anos como um forte treino para os atletas de elite encararem uma maratona. A campeão, Rita Jeptoo, por exemplo, irá defender o seu título da Maratona de Boston no mês de abril.


Marílson Gomes é quarto na Meia de Portugal

Meia Maratona · 18 mar, 2007

O brasileiro Marílson Gomes dos Santos foi o quarto colocado da Meia Maratona de Lisboa que aconteceu nesse domingo (18) em Portugal. A disputa pelo pódio foi acirrada e Marílson chegou apenas um segundo atrás do terceiro colocado, o marroquino Jaouad Gharib, que completou a prova em 1h40seg.

Agora o brasileiro participa no dia 22 de abril da Maratona de Londres e depois se prepara para os Jogos Pan-americanos do Rio de Janeiro. Na competição carioca, Marílson corre os cinco e os 10 mil metros.

O campeão de Lisboa foi o queniano Robert Kipchumpa com 1h31seg. Já a segunda colocação ficou com seu conterrâneo Robert Cheruiyot (1h36seg). Entre as mulheres a vencedora foi Rita Jeptoo em 1h07min05. Completaram o pódio as também quenianas Susan Chepkemei e Salina Kosgei.

A Meia Maratona de Lisboa reuniu 36 mil pessoas e serve todos os anos como um forte treino para os atletas de elite encararem uma maratona. A campeão, Rita Jeptoo, por exemplo, irá defender o seu título da Maratona de Boston no mês de abril.

Marílson corre no Pan e visa Olimpíada de Pequim

Maratona · 12 mar, 2007

Após declaração de dúvida para o Pan, o técnico do brasileiro Marílson Gomes dos Santos afirma que ele participará dos Jogos no Rio. De acordo com Adauto Domingues, Marílson irá correr os 10 mil e os cinco mil metros do Pan-americano.

“Não há dúvida de correr esse Pan-americano. A Confederação Brasileira tem a pretensão de ganhar o maior número de medalhas durante o Pan. Esse é um dos motivos da fuga dele da maratona para o atletismo, já que abre um campo para outra pessoa correr a maratona. Assim ele pode tentar a medalha dos 10 mil, prova que tem condições”, conta Adauto.

Além disso, a opção por provas curtas durante os Jogos aconteceu por causa da dificuldade climática de uma maratona no Rio de Janeiro. “Ninguém pode dizer que não vai estar 30ºC na Maratona do Pan. Pode ser uma prova muito difícil e o resultado, em relação ao tempo, não deve ser tão forte”, explica.

O planejamento do brasileiro para 2007 é obter uma marca que lhe garanta a vaga para a Maratona das Olimpíadas de Pequim em 2008. “A minha idéia é que ele corra abaixo de 2h08min. Essa marca, tenho quase certeza, vai credencia-lo para a maratona olímpica”.

Marílson irá tentar obter sua melhor marca na Maratona de Londres, que acontece no dia 22 de abril. Se não conseguir, ele deve correr uma maratona “rápida” no segundo semestre, como Chicago ou Berlim.

“Eu gostaria muito que ele acertasse essa marca agora em Londres. Se isso acontecer, ele deve participar no segundo semestre da Maratona de Nova York”, revela Adauto. “Tudo o que estamos prevendo aqui é para a Maratona de Pequim em 2008”, acrescenta.

No dia 18 de março, próximo domingo, Marílson participa da Meia Maratona de Lisboa como forma de preparação para Londres. Depois ele deve voltar para o Brasil e embarcar novamente para a Europa.


Marílson corre no Pan e visa Olimpíada de Pequim

Maratona · 12 mar, 2007

Após declaração de dúvida para o Pan, o técnico do brasileiro Marílson Gomes dos Santos afirma que ele participará dos Jogos no Rio. De acordo com Adauto Domingues, Marílson irá correr os 10 mil e os cinco mil metros do Pan-americano.

“Não há dúvida de correr esse Pan-americano. A Confederação Brasileira tem a pretensão de ganhar o maior número de medalhas durante o Pan. Esse é um dos motivos da fuga dele da maratona para o atletismo, já que abre um campo para outra pessoa correr a maratona. Assim ele pode tentar a medalha dos 10 mil, prova que tem condições”, conta Adauto.

Além disso, a opção por provas curtas durante os Jogos aconteceu por causa da dificuldade climática de uma maratona no Rio de Janeiro. “Ninguém pode dizer que não vai estar 30ºC na Maratona do Pan. Pode ser uma prova muito difícil e o resultado, em relação ao tempo, não deve ser tão forte”, explica.

O planejamento do brasileiro para 2007 é obter uma marca que lhe garanta a vaga para a Maratona das Olimpíadas de Pequim em 2008. “A minha idéia é que ele corra abaixo de 2h08min. Essa marca, tenho quase certeza, vai credencia-lo para a maratona olímpica”.

Marílson irá tentar obter sua melhor marca na Maratona de Londres, que acontece no dia 22 de abril. Se não conseguir, ele deve correr uma maratona “rápida” no segundo semestre, como Chicago ou Berlim.

“Eu gostaria muito que ele acertasse essa marca agora em Londres. Se isso acontecer, ele deve participar no segundo semestre da Maratona de Nova York”, revela Adauto. “Tudo o que estamos prevendo aqui é para a Maratona de Pequim em 2008”, acrescenta.

No dia 18 de março, próximo domingo, Marílson participa da Meia Maratona de Lisboa como forma de preparação para Londres. Depois ele deve voltar para o Brasil e embarcar novamente para a Europa.

Marílson está fora da São Silvestre e foca Pan e Olimpíada em 2007

Corridas de Rua · 19 dez, 2006

O brasileiro Marílson Gomes não participará da Corrida Internacional de São Silvestre que acontece no dia 31 de dezembro em São Paulo. Com uma lesão no pé direito desde Nova York, prova em que conquistou o primeiro lugar, Marílson agora foca na temporada de 2007.

Segundo o atleta, seu principal objetivo é buscar medalhas nas provas dos cinco mil e nos 10 mil metros dos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro. O tricampeonato da São Silvestre terá que ficar para depois.

Além disso, o técnico do atleta, Adauto Domingues, pretende que o brasileiro participe de uma maratona no primeiro semestre. Apesar da prova não estar definida, Paris pode ser uma opção. Marílson já correu a Maratona de Paris em 2004 e ficou com o sexto lugar.

As maratonas de 2007 serão disputadas pelo brasileiro para buscar o índice na modalidade para a Olimpíada de Pequim, em 2008. “Dependendo da definição de meu calendário, vou fazer uma preparação especial em altitude, na cidade de Paipa, na Colômbia”, contou Marílson.

"A idéia é melhorar os resultados de pista do Marílson para o Pan, mas em 2008 o objetivo é mesmo disputar a maratona. A diferença nos tempos dele para os africanos na pista ainda é grande, mas na maratona não. É até possível ganhar medalha", comentou o técnico Adauto Domingues, bicampeão pan-americano dos 3.000 metros com obstáculos.


Marílson está fora da São Silvestre e foca Pan e Olimpíada em 2007

Corridas de Rua · 19 dez, 2006

O brasileiro Marílson Gomes não participará da Corrida Internacional de São Silvestre que acontece no dia 31 de dezembro em São Paulo. Com uma lesão no pé direito desde Nova York, prova em que conquistou o primeiro lugar, Marílson agora foca na temporada de 2007.

Segundo o atleta, seu principal objetivo é buscar medalhas nas provas dos cinco mil e nos 10 mil metros dos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro. O tricampeonato da São Silvestre terá que ficar para depois.

Além disso, o técnico do atleta, Adauto Domingues, pretende que o brasileiro participe de uma maratona no primeiro semestre. Apesar da prova não estar definida, Paris pode ser uma opção. Marílson já correu a Maratona de Paris em 2004 e ficou com o sexto lugar.

As maratonas de 2007 serão disputadas pelo brasileiro para buscar o índice na modalidade para a Olimpíada de Pequim, em 2008. “Dependendo da definição de meu calendário, vou fazer uma preparação especial em altitude, na cidade de Paipa, na Colômbia”, contou Marílson.

"A idéia é melhorar os resultados de pista do Marílson para o Pan, mas em 2008 o objetivo é mesmo disputar a maratona. A diferença nos tempos dele para os africanos na pista ainda é grande, mas na maratona não. É até possível ganhar medalha", comentou o técnico Adauto Domingues, bicampeão pan-americano dos 3.000 metros com obstáculos.