índice

Em 1ª tentativa, Pistorius não consegue índice

Atletismo · 03 jul, 2008

O atleta amputado das duas pernas Oscar Pistorius falhou na tentativa de obter o índice olímpico dos 400 metros. O sul-africano, que conquistou o direito de competir em provas junto com atletas não-deficientes, marcou o tempo de 47seg78, longe dos 45seg55 necessários para obter a vaga.

“Estou desapontado comigo mesmo. Tive apenas um mês e meio de treino, mas não esperava que fosse tão ruim assim”, lamenta o competidor de 21 anos. “Tenho que ser realista, estou perseguindo algo que talvez possa nem ser autenticado”, completa.

Pistorius retornou aos treinos seis semanas atrás, após vencer a apelação na Corte Arbitrária do Esporte, que decidiu que suas próteses de fibra de carbono não lhe dão vantagem injusta em relação aos adversários. Ele terá mais duas chances de obter o feito, uma no dia 11 de junho e outra no dia 14, respectivamente na etapa de Roma da Golden League e no Meeting de Lucerna.

Aos 11 meses de idade ele teve as duas pernas amputadas, pois nasceu sem as fíbulas, o que não o impediu de praticar esportes. Inicialmente ele começou a praticar rugby, mas devido à algumas lesões optou pelo atletismo.


Em 1ª tentativa, Pistorius não consegue índice

Atletismo · 03 jul, 2008

O atleta amputado das duas pernas Oscar Pistorius falhou na tentativa de obter o índice olímpico dos 400 metros. O sul-africano, que conquistou o direito de competir em provas junto com atletas não-deficientes, marcou o tempo de 47seg78, longe dos 45seg55 necessários para obter a vaga.

“Estou desapontado comigo mesmo. Tive apenas um mês e meio de treino, mas não esperava que fosse tão ruim assim”, lamenta o competidor de 21 anos. “Tenho que ser realista, estou perseguindo algo que talvez possa nem ser autenticado”, completa.

Pistorius retornou aos treinos seis semanas atrás, após vencer a apelação na Corte Arbitrária do Esporte, que decidiu que suas próteses de fibra de carbono não lhe dão vantagem injusta em relação aos adversários. Ele terá mais duas chances de obter o feito, uma no dia 11 de junho e outra no dia 14, respectivamente na etapa de Roma da Golden League e no Meeting de Lucerna.

Aos 11 meses de idade ele teve as duas pernas amputadas, pois nasceu sem as fíbulas, o que não o impediu de praticar esportes. Inicialmente ele começou a praticar rugby, mas devido à algumas lesões optou pelo atletismo.

Confira os destaques do GP de atletismo do RJ

Atletismo · 19 maio, 2008

No último domingo (18) aconteceu no Estádio Célio de Barros, o GP Rio Caixa de Atletismo, prova que reuniu atletas do Brasil e de outros países e serviu para que alguns obtivessem o índice olímpico. Sandro Viana, Rosângela Santos e Fabiano Peçanha foram alguns destaques.

Sandro venceu a prova dos 200m com 20seg55 e obteve o índice A, ao superar o norte-americano Greg Nixon, que marcou 20seg76. Entre as mulheres, a vitória foi para a norte-americana Debbie Dunn, com 22seg90 e recorde da prova. "Esperava um tempo melhor, mas acho que fui bem", comenta a campeã.

Nos 100m feminino a jamaicana Shelly-Ann Frazier venceu com 11seg32, deixando para Rosângela Santos o segundo lugar (11seg41). Esta marca foi seu recorde pessoal, anteriormente estabelecido em 11seg44, e lhe garantiu o índice B.

Já o gaúcho Fabiano Peçanha finalizou a prova dos 800m na terceira colocação, com 1min46seg88 e também obteve o Índice B. Em 2007 ele já havia obtido o Índice A, com 1min44seg60. Esta foi a quarta edição do GP, com a participação de 137 atletas, de 26 países, que somaram pontos para a Final Mundial do Atletismo (WAF), a ser realizada em Stuttgart (Alemanha).


Confira os destaques do GP de atletismo do RJ

Atletismo · 19 maio, 2008

No último domingo (18) aconteceu no Estádio Célio de Barros, o GP Rio Caixa de Atletismo, prova que reuniu atletas do Brasil e de outros países e serviu para que alguns obtivessem o índice olímpico. Sandro Viana, Rosângela Santos e Fabiano Peçanha foram alguns destaques.

Sandro venceu a prova dos 200m com 20seg55 e obteve o índice A, ao superar o norte-americano Greg Nixon, que marcou 20seg76. Entre as mulheres, a vitória foi para a norte-americana Debbie Dunn, com 22seg90 e recorde da prova. "Esperava um tempo melhor, mas acho que fui bem", comenta a campeã.

Nos 100m feminino a jamaicana Shelly-Ann Frazier venceu com 11seg32, deixando para Rosângela Santos o segundo lugar (11seg41). Esta marca foi seu recorde pessoal, anteriormente estabelecido em 11seg44, e lhe garantiu o índice B.

Já o gaúcho Fabiano Peçanha finalizou a prova dos 800m na terceira colocação, com 1min46seg88 e também obteve o Índice B. Em 2007 ele já havia obtido o Índice A, com 1min44seg60. Esta foi a quarta edição do GP, com a participação de 137 atletas, de 26 países, que somaram pontos para a Final Mundial do Atletismo (WAF), a ser realizada em Stuttgart (Alemanha).

Marily coloca adversidade de lado para obter índice olímpico

Maratona · 23 abr, 2008

A alagoana Marily dos Santos venceu a Maratona de Santa Catarina em Florianópolis no último domingo com o tempo de 2h36min21 e alcançou o índice A para a disputa da maratona olímpica em Pequim este ano. Correndo sob condições adversas, com chuva, fortes ventos e tendo que desviar de poças d’água, ela não desistiu em momento nenhum e comenta que acreditou no sonho para fazer esta marca.

São Paulo - Durante a madrugada que antecedeu a competição Gilmário Mendes, treinador de Marily, ficou desanimado ao ver a chuva e o tempo feio e disse à sua pupila que ela poderia vencer a prova, mas dificilmente faria uma boa marca. “Ele falou isso e me deu um desânimo, mas ao mesmo tempo pensei que fazer um bom tempo era tudo que eu queria”, ressalta a atleta. “Eu pensei comigo que eu queria muito vencer, então me deu um nó na garganta cinco minutos antes da largada e coloquei todas as dificuldades de lado”, completa.

“Tive paciência até o quilômetro 16 e rodava as passagens com um tempo um pouco alto e fui assim até o 21”, lembra Marily. Ela aumentou o ritmo depois da metade da prova e passou a correr sozinha após um determinado ponto, ocasião em que as condições climáticas já eram mais amenas. “Deus viu que eu estava tão concentrada, que me deixou a vontade para correr mais. A minha perna não obedecia, mas minha cabeça queria muito, sentia uma dor muscular, mas sabia que seria por pouco tempo, então no final fiz um tiro nos últimos dois mil metros”, lembra.

A data final estipulada pela Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) para que os competidores obtenham o índice é 11 de maio e até este dia outras atletas ainda podem ultrapassá-la, motivo pelo qual ela ainda está comedida na comemoração. “Estou comemorando meu tempo, a nossa disposição, eu e o Gilmário fizemos de tudo, gastamos tudo o que tínhamos que gastar para conseguir isso”.

Até a disputa da prova catarinense, Sirlene Pinho e Marizete Moreira possuíam o índice B com o mesmo tempo (2h39min08), mas apenas uma delas iria para a disputa olímpica. Após o feito de Marily, mais duas corredoras precisam alcançar o índice A, para que a equipe brasileira fique com o número máximo de vagas permitido.

Segundo Gilmário, não houve uma preparação específica para esta competição e o resultado final foi fruto de um período de planejamento e treinamento para maratonas, que ela já vinha fazendo regularmente. “Ela correu a Meia de São Paulo, os 25 quilômetros de Aracajú, a Meia de Recife e a Meia de Brasília como parte do trabalho”, comenta o treinador que diz ainda que Marily roda entre 130 a 135 quilômetros por semana.

Para ele, um dos diferenciais foi ter treinado na altitude de Campos de Jordão usando uma estratégia diferente da maioria dos outros atletas, já que Marily encerrou a preparação na cidade 30 dias antes da disputa da Maratona. “Fiz um curso com o Carlos Alberto Cavaleiro, que mostrou os resultados obtidos em diversos momentos após a preparação na altitude. Eu apostei no período entre 30 e 40 dias”.

Para trabalhar a musculatura simulando uma competição, Gilmário conta que a atleta costuma realizar treinos longos em estradas, onde a diferença de altimetria é uma ótima aliada. “A estrada também serve para administrar a solidão de liderar uma prova sozinha e ter que forçar o ritmo, fato que aconteceu em Florianópolis”.

Futuro - Até o final desta semana ela ganhará um merecido descanso e depois voltará aos treinos e às competições, sempre participando de provas curtas, geralmente 10 quilômetros. “Ela vai correr algumas etapas do Circuito Caixa e outras corridas no nordeste, mas vai ficar de fora da Maratona de São Paulo e do Rio de Janeiro”, ressalta Gilmário.

A Maratona de Santa Catarina foi a quinta participação de Marily na distância, já que ela esteve duas vezes na Maratona de São Paulo, uma na Maratona de Padova (3º lugar) e uma na Maratona do Rio de Janeiro, ano passado, onde foi campeã.


Marily coloca adversidade de lado para obter índice olímpico

Maratona · 23 abr, 2008

A alagoana Marily dos Santos venceu a Maratona de Santa Catarina em Florianópolis no último domingo com o tempo de 2h36min21 e alcançou o índice A para a disputa da maratona olímpica em Pequim este ano. Correndo sob condições adversas, com chuva, fortes ventos e tendo que desviar de poças d’água, ela não desistiu em momento nenhum e comenta que acreditou no sonho para fazer esta marca.

São Paulo - Durante a madrugada que antecedeu a competição Gilmário Mendes, treinador de Marily, ficou desanimado ao ver a chuva e o tempo feio e disse à sua pupila que ela poderia vencer a prova, mas dificilmente faria uma boa marca. “Ele falou isso e me deu um desânimo, mas ao mesmo tempo pensei que fazer um bom tempo era tudo que eu queria”, ressalta a atleta. “Eu pensei comigo que eu queria muito vencer, então me deu um nó na garganta cinco minutos antes da largada e coloquei todas as dificuldades de lado”, completa.

“Tive paciência até o quilômetro 16 e rodava as passagens com um tempo um pouco alto e fui assim até o 21”, lembra Marily. Ela aumentou o ritmo depois da metade da prova e passou a correr sozinha após um determinado ponto, ocasião em que as condições climáticas já eram mais amenas. “Deus viu que eu estava tão concentrada, que me deixou a vontade para correr mais. A minha perna não obedecia, mas minha cabeça queria muito, sentia uma dor muscular, mas sabia que seria por pouco tempo, então no final fiz um tiro nos últimos dois mil metros”, lembra.

A data final estipulada pela Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) para que os competidores obtenham o índice é 11 de maio e até este dia outras atletas ainda podem ultrapassá-la, motivo pelo qual ela ainda está comedida na comemoração. “Estou comemorando meu tempo, a nossa disposição, eu e o Gilmário fizemos de tudo, gastamos tudo o que tínhamos que gastar para conseguir isso”.

Até a disputa da prova catarinense, Sirlene Pinho e Marizete Moreira possuíam o índice B com o mesmo tempo (2h39min08), mas apenas uma delas iria para a disputa olímpica. Após o feito de Marily, mais duas corredoras precisam alcançar o índice A, para que a equipe brasileira fique com o número máximo de vagas permitido.

Segundo Gilmário, não houve uma preparação específica para esta competição e o resultado final foi fruto de um período de planejamento e treinamento para maratonas, que ela já vinha fazendo regularmente. “Ela correu a Meia de São Paulo, os 25 quilômetros de Aracajú, a Meia de Recife e a Meia de Brasília como parte do trabalho”, comenta o treinador que diz ainda que Marily roda entre 130 a 135 quilômetros por semana.

Para ele, um dos diferenciais foi ter treinado na altitude de Campos de Jordão usando uma estratégia diferente da maioria dos outros atletas, já que Marily encerrou a preparação na cidade 30 dias antes da disputa da Maratona. “Fiz um curso com o Carlos Alberto Cavaleiro, que mostrou os resultados obtidos em diversos momentos após a preparação na altitude. Eu apostei no período entre 30 e 40 dias”.

Para trabalhar a musculatura simulando uma competição, Gilmário conta que a atleta costuma realizar treinos longos em estradas, onde a diferença de altimetria é uma ótima aliada. “A estrada também serve para administrar a solidão de liderar uma prova sozinha e ter que forçar o ritmo, fato que aconteceu em Florianópolis”.

Futuro - Até o final desta semana ela ganhará um merecido descanso e depois voltará aos treinos e às competições, sempre participando de provas curtas, geralmente 10 quilômetros. “Ela vai correr algumas etapas do Circuito Caixa e outras corridas no nordeste, mas vai ficar de fora da Maratona de São Paulo e do Rio de Janeiro”, ressalta Gilmário.

A Maratona de Santa Catarina foi a quinta participação de Marily na distância, já que ela esteve duas vezes na Maratona de São Paulo, uma na Maratona de Padova (3º lugar) e uma na Maratona do Rio de Janeiro, ano passado, onde foi campeã.

Sandro Viana supera índice olímpico A nos 100m

Atletismo · 27 mar, 2008

O amazonense Sandro Viana superou na manhã de ontem o índice A exigido para a obtenção da vaga nos 100 metros rasos dos Jogos de Pequim deste ano, ao marcar 10seg19, dois centésimos a menos do que o tempo exigido. Campeão Pan-americano no revezamento 4x100m, ele já havia obtido ano passado o índice para os 200m, com 20seg43.

Viana obteve a marca durante a disputa do Torneio de Velocidade e Saltos da Federação Paulista de Atletismo, realizado no Estádio Ícaro de Castro Melo, no Ibirapuera, em São Paulo. A prova foi disputada com vento a favor de 2.0 metros por segundo e o tempo do velocista ainda precisa ser homologada pela Confederação Brasileira de Atletismo.

Outros atletas qualificados para Pequim são Vicente Lenílson, nos 100 e 200 metros, José Carlos Moreira, nos 100m, além de Bruno Lins, nos 200m. O torneio teve ainda participação da campeã pan-americana Juliana Gomes, que faturou a disputa dos 1.500m com 4h22min03.


Sandro Viana supera índice olímpico A nos 100m

Atletismo · 27 mar, 2008

O amazonense Sandro Viana superou na manhã de ontem o índice A exigido para a obtenção da vaga nos 100 metros rasos dos Jogos de Pequim deste ano, ao marcar 10seg19, dois centésimos a menos do que o tempo exigido. Campeão Pan-americano no revezamento 4x100m, ele já havia obtido ano passado o índice para os 200m, com 20seg43.

Viana obteve a marca durante a disputa do Torneio de Velocidade e Saltos da Federação Paulista de Atletismo, realizado no Estádio Ícaro de Castro Melo, no Ibirapuera, em São Paulo. A prova foi disputada com vento a favor de 2.0 metros por segundo e o tempo do velocista ainda precisa ser homologada pela Confederação Brasileira de Atletismo.

Outros atletas qualificados para Pequim são Vicente Lenílson, nos 100 e 200 metros, José Carlos Moreira, nos 100m, além de Bruno Lins, nos 200m. O torneio teve ainda participação da campeã pan-americana Juliana Gomes, que faturou a disputa dos 1.500m com 4h22min03.

Vanderlei Cordeiro deve baixar tempo na Maratona

Maratona · 13 mar, 2008

Atualizada em 14/03 às 8h50

Vanderlei Cordeiro de Lima, herói olímpico em Atenas no ano de 2004, atualmente possui 2h12min53 na maratona e tentará baixar esta marca para garantir uma vaga na Olimpíada de Pequim. Este tempo lhe proporciona o índice “A” requerido para a convocação e lhe coloca na terceira posição do ranking brasileiro, atrás de Marílson Gomes (2h08min37) e José Teles (2h12min23).

O paranaense participou no último domingo da Meia Maratona de São Paulo, prova utilizada como complemento dos treinos e onde chegou na segunda colocação, atrás do queniano Kiprono Mutai. “Aos poucos estou recuperando a minha melhor forma, ainda não estou 100% mas o objetivo principal é a maratona de Turim (Itália), no dia 13 de abril”.

Ainda em fase de preparação ele vai disputar no dia 23 de março uma prova em Vitória (ES) de 13 quilômetros, onde fará mais uma avaliação de sua condição física. Cordeiro também mesclará treinos de altitude na cidade de Campos do Jordão (São Paulo) e Paipa (Colômbia) e evitou fazer uma previsão de qual tempo seria o ideal para obter a vaga.

Expectativa - “O importante é fazer uma prova com a cabeça”, ressalta o corredor de 38 anos. “Não pretendo fazer a melhor marca da minha vida, mas sim um tempo que me garanta entre os três nas olimpíadas”, completa. Ele e seu treinador, Ricardo Ricardo D’Angelo, ainda devem estipular a melhor estratégia para a maratona italiana.

Caso ele consiga a vaga, esta seria sua quarta participação em olimpíadas, já que ele esteve em Atlanta no ano de 1996, em Sidney no ano 2000 e, mais recentemente em Atenas 2004, onde conquistou o bronze na maratona. A terceira posição foi a melhor alcançada por um brasileiro, já que antes dele Luís Antônio dos Santos havia obtido a 10ª colocação em Atlanta.


Vanderlei Cordeiro deve baixar tempo na Maratona

Maratona · 13 mar, 2008

Atualizada em 14/03 às 8h50

Vanderlei Cordeiro de Lima, herói olímpico em Atenas no ano de 2004, atualmente possui 2h12min53 na maratona e tentará baixar esta marca para garantir uma vaga na Olimpíada de Pequim. Este tempo lhe proporciona o índice “A” requerido para a convocação e lhe coloca na terceira posição do ranking brasileiro, atrás de Marílson Gomes (2h08min37) e José Teles (2h12min23).

O paranaense participou no último domingo da Meia Maratona de São Paulo, prova utilizada como complemento dos treinos e onde chegou na segunda colocação, atrás do queniano Kiprono Mutai. “Aos poucos estou recuperando a minha melhor forma, ainda não estou 100% mas o objetivo principal é a maratona de Turim (Itália), no dia 13 de abril”.

Ainda em fase de preparação ele vai disputar no dia 23 de março uma prova em Vitória (ES) de 13 quilômetros, onde fará mais uma avaliação de sua condição física. Cordeiro também mesclará treinos de altitude na cidade de Campos do Jordão (São Paulo) e Paipa (Colômbia) e evitou fazer uma previsão de qual tempo seria o ideal para obter a vaga.

Expectativa - “O importante é fazer uma prova com a cabeça”, ressalta o corredor de 38 anos. “Não pretendo fazer a melhor marca da minha vida, mas sim um tempo que me garanta entre os três nas olimpíadas”, completa. Ele e seu treinador, Ricardo Ricardo D’Angelo, ainda devem estipular a melhor estratégia para a maratona italiana.

Caso ele consiga a vaga, esta seria sua quarta participação em olimpíadas, já que ele esteve em Atlanta no ano de 1996, em Sidney no ano 2000 e, mais recentemente em Atenas 2004, onde conquistou o bronze na maratona. A terceira posição foi a melhor alcançada por um brasileiro, já que antes dele Luís Antônio dos Santos havia obtido a 10ª colocação em Atlanta.

Marily buscará índice olímpico no começo do ano

Maratona · 05 dez, 2007

A alagoana Marily dos Santos tentará o índice olímpico para a Maratona de Pequim no começo de 2008. Após um fim de ano agitado com diversas competições nacionais importantes, como a Volta da Pampulha e a São Silvestre, a atleta irá encarar maratonas internacionais para conquistar uma vaga olímpica.

Segundo o treinador da maratonista, Gilmário Mendes, a idéia inicial era participar da Maratona de Dubai, nos Emirados Árabes, já que é uma prova de grande repercussão, principalmente pela presença de Haile Gebrselassie, recordista em maratonas (2h04min26). “Tentamos contato com um manager por lá, mas com a programação intensa no fim do ano tivemos que adiar”, comenta Gilmário que também é marido de Marily.

Agora eles estão programando uma maratona para meados de abril, também na Europa, provavelmente a de Roterdã, no dia 13. “Se até o quilômetro 30 mais ou menos, ela não conseguir a média para o índice, ela vai parar e correrá a Maratona de San Antonio, em Padova (Itália), dia 27 de abril”. Ano passado ela foi a terceira colocada dessa prova e, segundo Gilmário, essa foi uma prova em que ela gostou de correr.

“A chegada na cidade é complicada, pois tem um piso antigo e dificulta um pouco para os atletas e nos pegou desprevenidos ano passado, mas agora já vamos preparados”, ressalta o treinador. Atualmente Marily ostenta o tempo de 2h39min45, obtido em Padova, e está na segunda posição do ranking com índice “B” exigido pela Iaaf.

Segundo as regras de convocação, vão para Pequim as três primeiras do ranking nacional, desde que possuam o índice “A” , estabelecido em 2h37min, ou a primeira com o índice “B”, estabelecido em 2h42min. A data limite para obtenção da marca é dia 11/05/2008 e, atualmente, Marizete Moreira seria a única convocada, já que possui 2h39min08. “Lucélia, Pretinha, Marizete Rezende, todas estarão na busca por marcas, então é necessário fazer um ótimo tempo para se garantir”, conclui Gilmário.


Marily buscará índice olímpico no começo do ano

Maratona · 05 dez, 2007

A alagoana Marily dos Santos tentará o índice olímpico para a Maratona de Pequim no começo de 2008. Após um fim de ano agitado com diversas competições nacionais importantes, como a Volta da Pampulha e a São Silvestre, a atleta irá encarar maratonas internacionais para conquistar uma vaga olímpica.

Segundo o treinador da maratonista, Gilmário Mendes, a idéia inicial era participar da Maratona de Dubai, nos Emirados Árabes, já que é uma prova de grande repercussão, principalmente pela presença de Haile Gebrselassie, recordista em maratonas (2h04min26). “Tentamos contato com um manager por lá, mas com a programação intensa no fim do ano tivemos que adiar”, comenta Gilmário que também é marido de Marily.

Agora eles estão programando uma maratona para meados de abril, também na Europa, provavelmente a de Roterdã, no dia 13. “Se até o quilômetro 30 mais ou menos, ela não conseguir a média para o índice, ela vai parar e correrá a Maratona de San Antonio, em Padova (Itália), dia 27 de abril”. Ano passado ela foi a terceira colocada dessa prova e, segundo Gilmário, essa foi uma prova em que ela gostou de correr.

“A chegada na cidade é complicada, pois tem um piso antigo e dificulta um pouco para os atletas e nos pegou desprevenidos ano passado, mas agora já vamos preparados”, ressalta o treinador. Atualmente Marily ostenta o tempo de 2h39min45, obtido em Padova, e está na segunda posição do ranking com índice “B” exigido pela Iaaf.

Segundo as regras de convocação, vão para Pequim as três primeiras do ranking nacional, desde que possuam o índice “A” , estabelecido em 2h37min, ou a primeira com o índice “B”, estabelecido em 2h42min. A data limite para obtenção da marca é dia 11/05/2008 e, atualmente, Marizete Moreira seria a única convocada, já que possui 2h39min08. “Lucélia, Pretinha, Marizete Rezende, todas estarão na busca por marcas, então é necessário fazer um ótimo tempo para se garantir”, conclui Gilmário.

CBAt divulga critérios de convocação para Pequim

Atletismo · 23 nov, 2007

A Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) divulgou essa semana os critérios de convocação requeridos para a Olimpíada de Pequim ano que vem. Os índices foram estabelecidos pela Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF) e os critérios pelo Conselho Técnico da CBAt, após reunião em São Paulo.

Todos os atletas que já alcançaram o índice “A” desde janeiro deste ano, época em que os resultados começaram a valer, terão que fazer pelo menos o índice “B” até 20 de julho de 2008, prazo final estabelecido pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) para inscrição de atletas nos Jogos. Cada nação poderá inscrever até três atletas por prova com índice “A” e, caso nenhum competidor alcance essa marca em determinado evento, o Comitê poderá inscrever algum com índice “B”, desde que obtido em 2008, até dia 20 de julho.

Caso haja mais de três atletas com índice “A” em uma mesma prova, serão convocados o campeão e o vice do Troféu Brasil de Atletismo (25 a 29/06 de 2008), assim como o líder do Ranking Brasileiro até o dia 20/07. Caso os vencedores do Troféu não alcancem índice, serão convocados os subseqüentes do Ranking.

Índice B - Nas competições em que não houver atletas com índice “A” e houver mais de um com índice “B”, a convocação será para o campeão do Troféu Brasil. Caso ele não obtenha o tempo necessário, será convocado o primeiro do Ranking em 20 de julho.

Os qualificados atualmente são Vicente Lenilson (100m; 200m), José Carlos Moreira (100m); Sandro Viana (200m); Fabiano Peçanha e Kleberson Davide (800m); Hudson de Souza (1.500m); Marilson Gomes dos Santos (10.000m); Anselmo Gomes da Silva (110 m com barreiras), Fábio Gomes da Silva (salto com vara) e Jadel Gregório (salto triplo).

No feminino aparecem Lucimar Moura (100m, 200m), Fabiana Murer (salto com vara), Maurren Maggi (salto em distância, salto triplo), Keila Costa (salto em distância, salto triplo), Elisângela Adriano (lançamento do disco).

Nas provas de revezamento 4x100m e 4x400m, participarão as 16 melhores equipes (uma de cada país), de acordo com o Ranking da IAAF entre 1/01/2007 e 16/07/2008. Até o momento, a melhor posição do Brasil é no 4x100m masculino, com 37seg99 e 38seg27 obtidas na final e semifinal do Mundial de Osaka. A equipe teve Vicente Lenilson, Rafael Ribeiro, Basílio de Moraes Júnior e Sandro Viana.

Na Maratona e marcha de 50 km valem os índices obtidos entre 1/01/2007 e 11/05/2008 e serão convocados os três primeiros do Ranking Brasileiro no período, desde que tenham Índice "A". Caso nenhum atleta obtenha a marca, será chamado o atleta com índice “B” alcançado entre 1/01/2007 e 11/05/2008.

Com o Índice “A” na maratona masculina estão qualificados: 1º Marilson Gomes dos Santos, 2º Clodoaldo Gomes da Silva, 3º Franck Caldeira, 4º José Teles de Souza, 5º Geovane de Jesus Santos.

No feminino, duas atletas têm a mesma marca (Índice B): Marizete Moreira dos Santos e Sirlene Pinho. Ambas ostentam o tempo de 2h39min08, a primeira em Roma e a segunda Em Buenos Aires e, caso elas não obtenham tempos diferentes, o Conselho Técnico definirá a representante brasileira. Nos 50 km marcha masculina, Mário José dos Santos Júnior tem o Índice B.

O torneio de atletismo, ponto alto dos Jogos de Pequim, será disputado de 15 a 24 de agosto de 2008.

Homens*

EventoÍndice AÍndice B
100 metros10seg2110seg28
200 metros20seg5920seg75
400 metros45seg5545seg95
800 metros1min46seg001min47seg00
1.500 metros3min36seg603min39seg00
5.000 metros13min21seg5013min28seg00
10 mil metros27min50seg0028min10seg00
Maratona2h15min002h18min00
20 KM Marcha Atlética1h23min001h24min30
50 Km Marcha Atlética4h00min004h07min00

Mulheres*

EventoÍndice AÍndice B
100 metros11seg3211seg42
200 metros23seg23seg20
400 metros51seg5552seg35
800 metros2min00seg002min01seg30
1.500 metros4min07seg004min08seg00
5.000 metros15min09seg0015min24seg00
10 mil metros31min45seg0032min20seg00
Maratona2h37min002h42min00
20 KM Marcha Atlética1h33min301h38min00

*Fonte: Site oficial da IAAF


CBAt divulga critérios de convocação para Pequim

Atletismo · 23 nov, 2007

A Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) divulgou essa semana os critérios de convocação requeridos para a Olimpíada de Pequim ano que vem. Os índices foram estabelecidos pela Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF) e os critérios pelo Conselho Técnico da CBAt, após reunião em São Paulo.

Todos os atletas que já alcançaram o índice “A” desde janeiro deste ano, época em que os resultados começaram a valer, terão que fazer pelo menos o índice “B” até 20 de julho de 2008, prazo final estabelecido pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) para inscrição de atletas nos Jogos. Cada nação poderá inscrever até três atletas por prova com índice “A” e, caso nenhum competidor alcance essa marca em determinado evento, o Comitê poderá inscrever algum com índice “B”, desde que obtido em 2008, até dia 20 de julho.

Caso haja mais de três atletas com índice “A” em uma mesma prova, serão convocados o campeão e o vice do Troféu Brasil de Atletismo (25 a 29/06 de 2008), assim como o líder do Ranking Brasileiro até o dia 20/07. Caso os vencedores do Troféu não alcancem índice, serão convocados os subseqüentes do Ranking.

Índice B - Nas competições em que não houver atletas com índice “A” e houver mais de um com índice “B”, a convocação será para o campeão do Troféu Brasil. Caso ele não obtenha o tempo necessário, será convocado o primeiro do Ranking em 20 de julho.

Os qualificados atualmente são Vicente Lenilson (100m; 200m), José Carlos Moreira (100m); Sandro Viana (200m); Fabiano Peçanha e Kleberson Davide (800m); Hudson de Souza (1.500m); Marilson Gomes dos Santos (10.000m); Anselmo Gomes da Silva (110 m com barreiras), Fábio Gomes da Silva (salto com vara) e Jadel Gregório (salto triplo).

No feminino aparecem Lucimar Moura (100m, 200m), Fabiana Murer (salto com vara), Maurren Maggi (salto em distância, salto triplo), Keila Costa (salto em distância, salto triplo), Elisângela Adriano (lançamento do disco).

Nas provas de revezamento 4x100m e 4x400m, participarão as 16 melhores equipes (uma de cada país), de acordo com o Ranking da IAAF entre 1/01/2007 e 16/07/2008. Até o momento, a melhor posição do Brasil é no 4x100m masculino, com 37seg99 e 38seg27 obtidas na final e semifinal do Mundial de Osaka. A equipe teve Vicente Lenilson, Rafael Ribeiro, Basílio de Moraes Júnior e Sandro Viana.

Na Maratona e marcha de 50 km valem os índices obtidos entre 1/01/2007 e 11/05/2008 e serão convocados os três primeiros do Ranking Brasileiro no período, desde que tenham Índice "A". Caso nenhum atleta obtenha a marca, será chamado o atleta com índice “B” alcançado entre 1/01/2007 e 11/05/2008.

Com o Índice “A” na maratona masculina estão qualificados: 1º Marilson Gomes dos Santos, 2º Clodoaldo Gomes da Silva, 3º Franck Caldeira, 4º José Teles de Souza, 5º Geovane de Jesus Santos.

No feminino, duas atletas têm a mesma marca (Índice B): Marizete Moreira dos Santos e Sirlene Pinho. Ambas ostentam o tempo de 2h39min08, a primeira em Roma e a segunda Em Buenos Aires e, caso elas não obtenham tempos diferentes, o Conselho Técnico definirá a representante brasileira. Nos 50 km marcha masculina, Mário José dos Santos Júnior tem o Índice B.

O torneio de atletismo, ponto alto dos Jogos de Pequim, será disputado de 15 a 24 de agosto de 2008.

Homens*

EventoÍndice AÍndice B
100 metros10seg2110seg28
200 metros20seg5920seg75
400 metros45seg5545seg95
800 metros1min46seg001min47seg00
1.500 metros3min36seg603min39seg00
5.000 metros13min21seg5013min28seg00
10 mil metros27min50seg0028min10seg00
Maratona2h15min002h18min00
20 KM Marcha Atlética1h23min001h24min30
50 Km Marcha Atlética4h00min004h07min00

Mulheres*

EventoÍndice AÍndice B
100 metros11seg3211seg42
200 metros23seg23seg20
400 metros51seg5552seg35
800 metros2min00seg002min01seg30
1.500 metros4min07seg004min08seg00
5.000 metros15min09seg0015min24seg00
10 mil metros31min45seg0032min20seg00
Maratona2h37min002h42min00
20 KM Marcha Atlética1h33min301h38min00

*Fonte: Site oficial da IAAF

Vanderlei Cordeiro corre atrás de índice para Pequim

Maratona · 16 out, 2007

O maratonista Vanderlei Cordeiro de Lima, medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Atenas, esteve presente na Maratona Internacional das Águas na última sexta-feira (12), onde correu como convidado especial. Após três anos da sua aparição na Grécia, o brasileiro colhe frutos do seu desempenho e pensa nas Olimpíadas de Pequim. Confira.

Foz do Iguaçu - Durante o feriado de 12 de outubro, o brasileiro Vanderlei Cordeiro de Lima participou da primeira edição da Maratona das Águas. Durante o evento, ele correu apenas 21 quilômetros, porém, a distância fazia parte do treinamento do seu próximo grande objetivo: os Jogos Olímpicos de Pequim.

Segundo as normas da Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF), participam da Maratona Olímpica os atletas com o índice A (2h15min na modalidade) ou índice B (2h18min). Mas dentro dessas marcas, cada país pode levar até três pessoas com índice A para a Maratona Olímpica, ou então dois atletas com índice B.

Hoje Vanderlei ostenta 2h16min08 como melhor marca em maratona nos últimos anos, o que o deixa na quarta posição do ranking brasileiro, insuficiente para Pequim. À frente dele estão Geovane de Jesus Santos (2h14min45), José Telles (2h14min19) e Marílson Gomes (2h08min37).

Para intensificar ainda mais os treinos e conquistar melhor posição no ranking, Vanderlei embarca nesta semana para a cidade de Paipa, na Colômbia, onde fará uma preparação na altitude. De acordo com o atleta, ele pretende conseguir um bom tempo durante a disputa da Maratona de Milão, na Itália, no dia dois de dezembro. “Se Deus quiser farei uma boa marca nesta prova, de olho nas Olimpíadas de Pequim 2008”, revela.

Reconhecimento - Dotado de carisma e simplicidade, o ex bóia-fria, passou a sexta-feira, em Foz do Iguaçu, distribuindo autógrafos personalizados num ritual que parecia não ter fim, já que a cada passo que dava alguém exclamava: “Vanderlei, assina minha camisa, dá um autógrafo para a minha filha”.

Para o atleta o reconhecimento do seu trabalho é um motivador a mais para novas conquistas. “Acho muito legal este carinho que todos tem comigo, é um reconhecimento do meu trabalho”, comenta o atleta entre um autógrafo e outro. Até o início de 2008, Vanderlei irá brigar por uma vaga na equipe brasileira de atletismo, que irá para as Olimpíadas de Pequim, marcadas para agosto do ano que vem.


Vanderlei Cordeiro corre atrás de índice para Pequim

Maratona · 16 out, 2007

O maratonista Vanderlei Cordeiro de Lima, medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Atenas, esteve presente na Maratona Internacional das Águas na última sexta-feira (12), onde correu como convidado especial. Após três anos da sua aparição na Grécia, o brasileiro colhe frutos do seu desempenho e pensa nas Olimpíadas de Pequim. Confira.

Foz do Iguaçu - Durante o feriado de 12 de outubro, o brasileiro Vanderlei Cordeiro de Lima participou da primeira edição da Maratona das Águas. Durante o evento, ele correu apenas 21 quilômetros, porém, a distância fazia parte do treinamento do seu próximo grande objetivo: os Jogos Olímpicos de Pequim.

Segundo as normas da Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF), participam da Maratona Olímpica os atletas com o índice A (2h15min na modalidade) ou índice B (2h18min). Mas dentro dessas marcas, cada país pode levar até três pessoas com índice A para a Maratona Olímpica, ou então dois atletas com índice B.

Hoje Vanderlei ostenta 2h16min08 como melhor marca em maratona nos últimos anos, o que o deixa na quarta posição do ranking brasileiro, insuficiente para Pequim. À frente dele estão Geovane de Jesus Santos (2h14min45), José Telles (2h14min19) e Marílson Gomes (2h08min37).

Para intensificar ainda mais os treinos e conquistar melhor posição no ranking, Vanderlei embarca nesta semana para a cidade de Paipa, na Colômbia, onde fará uma preparação na altitude. De acordo com o atleta, ele pretende conseguir um bom tempo durante a disputa da Maratona de Milão, na Itália, no dia dois de dezembro. “Se Deus quiser farei uma boa marca nesta prova, de olho nas Olimpíadas de Pequim 2008”, revela.

Reconhecimento - Dotado de carisma e simplicidade, o ex bóia-fria, passou a sexta-feira, em Foz do Iguaçu, distribuindo autógrafos personalizados num ritual que parecia não ter fim, já que a cada passo que dava alguém exclamava: “Vanderlei, assina minha camisa, dá um autógrafo para a minha filha”.

Para o atleta o reconhecimento do seu trabalho é um motivador a mais para novas conquistas. “Acho muito legal este carinho que todos tem comigo, é um reconhecimento do meu trabalho”, comenta o atleta entre um autógrafo e outro. Até o início de 2008, Vanderlei irá brigar por uma vaga na equipe brasileira de atletismo, que irá para as Olimpíadas de Pequim, marcadas para agosto do ano que vem.

Confira a lista dos pré-qualificados para Atenas

Atletismo · 10 maio, 2004

Segundo o Comitê Olímpico Brasileiro (Cob) estarão classificados para os Jogos Olímpicos de Atenas os atletas que fizerem os índices "A" da Federação Internacional de Atletismo (IAAF), até o máximo de três por prova, no período de 1º de janeiro de 2003 a 11 de julho de 2004. Porém se mais de três atletas da mesma modalidade obtiverem o índice ganhará a vaga aqueles com melhor classificação no ranking mundial.

Confira a lista, atualizada na última sexta-feira (7), de quem já está pré-qualificado.

  • Maratona - Vanderlei Cordeiro de Lima, André Luiz Ramos, Rômulo Vagner da Silva, Marlene Teixeira e Márcia Narloch.
  • 100m rasos masculino (10s21) - Edson Luciano Ribeiro, Jarbas Mascarenhas Júnior, Cláudio Roberto Souza e Vicente Lenílson.
  • 200m rasos masculino (20s59) - Claudinei Quirino da Silva, Cláudio Roberto Souza e André Domingos da Silva.
  • 800m rasos masculino (1min46s00) - Osmar Barbosa dos Santos.
  • 110m com barreiras masculino (13s54) - Márcio Simão de Souza, Redelen Melo dos Santos, Matheus Facho Inocêncio e Anselmo Gomes da Silva.
  • 20km - José Alessandro Bagio
  • 50km - Sérgio Galdino e Mário José dos Santos Jr.
  • 400m - Geisa Aparecida Coutinho.
  • 100m com barreiras - Maíla Machado (12s97)


Confira a lista dos pré-qualificados para Atenas

Atletismo · 10 maio, 2004

Segundo o Comitê Olímpico Brasileiro (Cob) estarão classificados para os Jogos Olímpicos de Atenas os atletas que fizerem os índices "A" da Federação Internacional de Atletismo (IAAF), até o máximo de três por prova, no período de 1º de janeiro de 2003 a 11 de julho de 2004. Porém se mais de três atletas da mesma modalidade obtiverem o índice ganhará a vaga aqueles com melhor classificação no ranking mundial.

Confira a lista, atualizada na última sexta-feira (7), de quem já está pré-qualificado.

  • Maratona - Vanderlei Cordeiro de Lima, André Luiz Ramos, Rômulo Vagner da Silva, Marlene Teixeira e Márcia Narloch.
  • 100m rasos masculino (10s21) - Edson Luciano Ribeiro, Jarbas Mascarenhas Júnior, Cláudio Roberto Souza e Vicente Lenílson.
  • 200m rasos masculino (20s59) - Claudinei Quirino da Silva, Cláudio Roberto Souza e André Domingos da Silva.
  • 800m rasos masculino (1min46s00) - Osmar Barbosa dos Santos.
  • 110m com barreiras masculino (13s54) - Márcio Simão de Souza, Redelen Melo dos Santos, Matheus Facho Inocêncio e Anselmo Gomes da Silva.
  • 20km - José Alessandro Bagio
  • 50km - Sérgio Galdino e Mário José dos Santos Jr.
  • 400m - Geisa Aparecida Coutinho.
  • 100m com barreiras - Maíla Machado (12s97)