Ricardo D´Angelo dá dicas estratégicas para o Desafio 600K

Redação Webrun | Ultra Maratona · 23 out, 2009

Ritmo do primeiro dia foi forte (foto: Donata Lustosa/ Webrun)
Ritmo do primeiro dia foi forte (foto: Donata Lustosa/ Webrun)

Direto de São Sebastião – A largada do Desafio Nike 600K aconteceu no Obelisco do Ibirapuera, São Paulo, nessa última quinta-feira (22). A prova, que conta com 600 quilômetros, termina no Rio de Janeiro no domingo, dia 25 de outubro.

O primeiro dia de prova foi recebido com muito entusiasmo pelos atletas. A animação foi tanta que as equipes completaram o primeiro dia, cerca de 190 quilômetros entre São Paulo e São Sebastião, antes do tempo previsto pelos organizadores.

A primeira equipe do dia foi a de Brasília, no tempo de 12h31min20. Já o último time foi a Equipe Imprensa, com cerca de 14 horas de prova. Os treinadores e atletas que acompanham o evento se surpreenderam com o ritmo forte dos times. Isso porque, na sexta (23) as equipes encaram trechos mais difíceis e todos devem guardar o fôlego até o domingo, último dia de competição.

O treinador de alta performance, Ricardo D`Angelo, que também acompanha a prova junto com os atletas de elite Franck Caldeira e Vanderlei Cordeiro, revelou que o ritmo de hoje pode comprometer algumas equipes. “Teve toda a euforia de início da prova. Estava todo mundo muito ansioso. Então alguns atletas gastaram mais energia no início da prova, não se lembrando dos trechos finais”.

Para ele cada atleta deve pensar num todo. Ainda de acordo com o treinador, o atleta também deve considerar o tipo de percurso e piso, fatores que podem influenciar o desempenho.

Ao observar as estratégias de equipe, D´Angelo revelou que apostaria em algo diferente. No primeiro dia de competição grande parte das equipes, composta por 10 pessoas e dois reservas, acompanhou integralmente seus corredores, mesmo com uma van e um carro a disposição.

“Se tivesse dirigindo uma equipe eu dividiria os meus atletas da seguinte maneira: eu colocaria no carro os quatro primeiros atletas do trecho. Esses atletas levantariam mais cedo. Os outros iriam acordar um pouco mais tarde e tomariam café com mais calma”, conta.

“Depois os atletas que acordassem mais tarde, já iriam de van direto para o quinto ou sexto posto de troca. Nesse momento, os atletas iniciais já iriam para os trechos subseqüentes e depois a van levaria parte desse grupo inicial para o hotel antes da chegada da equipe. Assim o pessoal conseguiria descansar um pouco mais”, acrescenta.

O segundo dia do Desafio Nike 600k, sexta-feira (22), terá mais de 200 quilômetros. Para isso os atletas vão correr entre as cidades de São Sebastião e Angra dos Reis.

Este texto foi escrito por: Donata Lustosa

Redação Webrun

Ver todos os posts

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!