Parceiros_OG.COM

Oscar Galindez embarca hoje para o Havaí

Triathlon · 08 out, 2004

O triatleta Oscar Galindez embarca hoje, dia 08, para o Havaí onde disputará o Campeonato Mundial de Ironman, a competição mais importante desta modalidade esportiva. “Neste ano a minha intenção é ficar entre os dez primeiros”, declarou Galindez que pelo terceiro ano consecutivo estará na prova. Em 2003, o triatleta da Reebok ficou em 23º e em 2002 terminou a prova em 15º lugar.

A prova acontecerá no dia 16 de outubro, mas Galindez viaja para o local da competição com uma semana de antecedência para poder descansar já que ele estava treinando intensivamente nos últimos meses em Santos, no litoral de São Paulo. “A viagem até o Havaí é muito cansativa então planejei ir antes para poder estar bem até o dia da prova”

Neste ano, o triatleta argentino que vive no Brasil desde 1995, venceu o Meio Ironman de Pucon (CHI), o Meio Ironman de Mar Del Plata (ARG), foi vice-campeão no Ironman Brazil, realizado em Florianópolis em maio deste ano e recentemente ganhou a 4ª etapa do Troféu Brasil de Triathlon, em Santos. “O planejamento que fizemos este ano foi bem sucedido. Nesses últimos treinos que fiz dei uma variada nas três modalidades (natação, ciclismo e corrida) mas intensifiquei mais os treinos nas corridas”, disse Galindez.

O Campeonato Mundial de Ironman reunirá 1.700 atletas de vários paises e será disputado em Kona, no Havaí. Os triatletas enfrentarão 3,8 quilômetros de natação, 180 quilômetros de ciclismo e 42,195 quilômetros de corrida.


Oscar Galindez embarca hoje para o Havaí

Triathlon · 08 out, 2004

O triatleta Oscar Galindez embarca hoje, dia 08, para o Havaí onde disputará o Campeonato Mundial de Ironman, a competição mais importante desta modalidade esportiva. “Neste ano a minha intenção é ficar entre os dez primeiros”, declarou Galindez que pelo terceiro ano consecutivo estará na prova. Em 2003, o triatleta da Reebok ficou em 23º e em 2002 terminou a prova em 15º lugar.

A prova acontecerá no dia 16 de outubro, mas Galindez viaja para o local da competição com uma semana de antecedência para poder descansar já que ele estava treinando intensivamente nos últimos meses em Santos, no litoral de São Paulo. “A viagem até o Havaí é muito cansativa então planejei ir antes para poder estar bem até o dia da prova”

Neste ano, o triatleta argentino que vive no Brasil desde 1995, venceu o Meio Ironman de Pucon (CHI), o Meio Ironman de Mar Del Plata (ARG), foi vice-campeão no Ironman Brazil, realizado em Florianópolis em maio deste ano e recentemente ganhou a 4ª etapa do Troféu Brasil de Triathlon, em Santos. “O planejamento que fizemos este ano foi bem sucedido. Nesses últimos treinos que fiz dei uma variada nas três modalidades (natação, ciclismo e corrida) mas intensifiquei mais os treinos nas corridas”, disse Galindez.

O Campeonato Mundial de Ironman reunirá 1.700 atletas de vários paises e será disputado em Kona, no Havaí. Os triatletas enfrentarão 3,8 quilômetros de natação, 180 quilômetros de ciclismo e 42,195 quilômetros de corrida.

Oscar Galindez treina visando o Ironman do Havaí

Triathlon · 01 out, 2004

O ironman Oscar Galindez (Memorial/Reebok/Design Profile/Oakley/OG/LiteSpeed-Ciclovece) e que tem o apoio oficial do portal WebRun, partcicipou no último domingo da 12ª edição da Maratona Pão de Açúcar de Revezamento, mas não para competir e sim treinar pata o Ironman do Havaí que acontece no próximo dia 16 de outubro.

O argentino radicado no Brasil há 10 anos utilizou a prova como treino para o Havaí, e correu 30Km sob um sol escaldante que beirava os 40°C. Depois do treino, Galindez, que foi vice-campeão do último Ironman Brasil Telecom participou da cerimônia de premiação das equipes femininas do Revezamento.


Oscar Galindez treina visando o Ironman do Havaí

Triathlon · 01 out, 2004

O ironman Oscar Galindez (Memorial/Reebok/Design Profile/Oakley/OG/LiteSpeed-Ciclovece) e que tem o apoio oficial do portal WebRun, partcicipou no último domingo da 12ª edição da Maratona Pão de Açúcar de Revezamento, mas não para competir e sim treinar pata o Ironman do Havaí que acontece no próximo dia 16 de outubro.

O argentino radicado no Brasil há 10 anos utilizou a prova como treino para o Havaí, e correu 30Km sob um sol escaldante que beirava os 40°C. Depois do treino, Galindez, que foi vice-campeão do último Ironman Brasil Telecom participou da cerimônia de premiação das equipes femininas do Revezamento.

Galindez vence Troféu Brasil de Triathlon

Triathlon · 19 set, 2004

Quem é Rei não perde a Majestade. O argentino radicado em Santos, Oscar Galindez, da equipe Memorial, venceu de forma tranquila a 4ª etapa do Troféu Brasil de Triathlon neste domingo (dia 19), em Santos. Maior vencedor do evento, com nada menos que sete títulos consecutivos, ele voltou a competir no torneio, por estar em sua Cidade, para dar retorno ao patrocinador e também como preparação para o seu principal objetivo da temporada, o Ironman do Havaí.

Na prova, ele imprimiu um ritmo forte no ciclismo e abriu uma grande vantagem na corrida. Antes de cruzar a linha de chegada, ainda parou para pegar os seus dois filhos, Thomas, de 8 anos, e Sofia, de 4, para participarem da comemoração, fechando os 1,5 km de natação, 40 km de ciclismo e 10 km de corrida em 1h51min33seg, mais de dois minutos sobre o 2º colocado. “Fiz a minha prova, o necessário, mas em toda a prova faço força”, afirmou o triatleta, que além da Memorial, tem o patrocínio da Reebok, Design Profile, Oakley, OG e LiteSpeed-Ciclovece e apoio oficial do portal WebRun.

“Fazia tempo que não fazia uma competição em distância olímpica e gostei muito do meu desempenho”, afirmou Oscar, que vem se dedicando, nos últimos dois anos, às disputas de longa distância, sobretudo o Ironman. “Acho que foi a minha melhor corrida até hoje no Troféu Brasil. Estava bem constante, é reflexo da boa preparação para o Ironman”, disse Galindez, que compete na principal prova do Mundo no dia 16 de outubro, na Ilha havaiana de Kona.

Aos 33 anos de idade, Galindez mudou para Santos em 1995. Pratica triathlon desde os 15 e acumula uma série de títulos. Em longas distâncias, foi campeão do Ironman Brasil Telecom em 2003. Este ano foi o vice e também garantiu o bicampeonato do Meio Ironman de Pucón, no Chile (a mais tradicional da América Latina na distância) e as vitórias no Meio Ironman de Mar del Plata, na Argentina, e no Reebok/PowerBar Long Distance, em Ubatuba.

Ainda tem na carreira o hexacampeonato do Triathlon Internacional de Santos (foi vice em quatro oportunidades, inclusive este ano), o penta pan-americano e outro hexacampeonato, o sul-americano, além de ter conquistado duas medalhas de bronze nos Jogos Pan-americanos (1995 e 2003).

Fabio Carvalho também comemora - Quem também comemorou muito o resultado foi 2º colocado, Fábio Carvalho, da equipe Unimonte. Assim como Galindez, ele adotou Santos como moradia. Fabinho liderou a etapa no ciclismo até o km 30, quando foi superado por Galindez e depois manteve a 2ª colocação, sem ser ameaçado. “Eu queria ter ido com o Oscar, mas ele passou muito forte e se tentasse acompanhar, iria me prejudicar na corrida”, contou.

“Mas estou muito feliz. Foi a minha prova. O que eu fiz foi igual a uma vitória. O Oscar é um monstro, muito forte. Mas estou cada vez mais perto dele e um dia eu chego lá”, ressaltou o triatleta, que é natural de Mogi-Mirim e completou a prova em 1h53min50seg.
Agora, Fabinho, que foi o melhor brasileiro no Triathlon Internacional de Santos este ano, se prepara para a World Cup no Rio de Janeiro e a final do PowerBar/ Reebok Long Distance, circuito de Meio Ironman, onde é o virtual campeão. No feminino, a vitória ficou com a carioca Ana Cristina Boccanera.


Galindez vence Troféu Brasil de Triathlon

Triathlon · 19 set, 2004

Quem é Rei não perde a Majestade. O argentino radicado em Santos, Oscar Galindez, da equipe Memorial, venceu de forma tranquila a 4ª etapa do Troféu Brasil de Triathlon neste domingo (dia 19), em Santos. Maior vencedor do evento, com nada menos que sete títulos consecutivos, ele voltou a competir no torneio, por estar em sua Cidade, para dar retorno ao patrocinador e também como preparação para o seu principal objetivo da temporada, o Ironman do Havaí.

Na prova, ele imprimiu um ritmo forte no ciclismo e abriu uma grande vantagem na corrida. Antes de cruzar a linha de chegada, ainda parou para pegar os seus dois filhos, Thomas, de 8 anos, e Sofia, de 4, para participarem da comemoração, fechando os 1,5 km de natação, 40 km de ciclismo e 10 km de corrida em 1h51min33seg, mais de dois minutos sobre o 2º colocado. “Fiz a minha prova, o necessário, mas em toda a prova faço força”, afirmou o triatleta, que além da Memorial, tem o patrocínio da Reebok, Design Profile, Oakley, OG e LiteSpeed-Ciclovece e apoio oficial do portal WebRun.

“Fazia tempo que não fazia uma competição em distância olímpica e gostei muito do meu desempenho”, afirmou Oscar, que vem se dedicando, nos últimos dois anos, às disputas de longa distância, sobretudo o Ironman. “Acho que foi a minha melhor corrida até hoje no Troféu Brasil. Estava bem constante, é reflexo da boa preparação para o Ironman”, disse Galindez, que compete na principal prova do Mundo no dia 16 de outubro, na Ilha havaiana de Kona.

Aos 33 anos de idade, Galindez mudou para Santos em 1995. Pratica triathlon desde os 15 e acumula uma série de títulos. Em longas distâncias, foi campeão do Ironman Brasil Telecom em 2003. Este ano foi o vice e também garantiu o bicampeonato do Meio Ironman de Pucón, no Chile (a mais tradicional da América Latina na distância) e as vitórias no Meio Ironman de Mar del Plata, na Argentina, e no Reebok/PowerBar Long Distance, em Ubatuba.

Ainda tem na carreira o hexacampeonato do Triathlon Internacional de Santos (foi vice em quatro oportunidades, inclusive este ano), o penta pan-americano e outro hexacampeonato, o sul-americano, além de ter conquistado duas medalhas de bronze nos Jogos Pan-americanos (1995 e 2003).

Fabio Carvalho também comemora - Quem também comemorou muito o resultado foi 2º colocado, Fábio Carvalho, da equipe Unimonte. Assim como Galindez, ele adotou Santos como moradia. Fabinho liderou a etapa no ciclismo até o km 30, quando foi superado por Galindez e depois manteve a 2ª colocação, sem ser ameaçado. “Eu queria ter ido com o Oscar, mas ele passou muito forte e se tentasse acompanhar, iria me prejudicar na corrida”, contou.

“Mas estou muito feliz. Foi a minha prova. O que eu fiz foi igual a uma vitória. O Oscar é um monstro, muito forte. Mas estou cada vez mais perto dele e um dia eu chego lá”, ressaltou o triatleta, que é natural de Mogi-Mirim e completou a prova em 1h53min50seg.
Agora, Fabinho, que foi o melhor brasileiro no Triathlon Internacional de Santos este ano, se prepara para a World Cup no Rio de Janeiro e a final do PowerBar/ Reebok Long Distance, circuito de Meio Ironman, onde é o virtual campeão. No feminino, a vitória ficou com a carioca Ana Cristina Boccanera.

Oscar Galindez participa do Troféu Brasil de Triathlon neste domingo em Santos

Triathlon · 13 set, 2004

A 4ª fase do 14º Troféu Brasil de Triathlon neste domingo (dia 19), em Santos, terá uma atração especial: a participação do maior vencedor do evento, Oscar Galindez, da equipe Memorial. Heptacampeão do torneio, o argentino radicado em Santos ainda não participou da competição nesta temporada. Há dois anos ele tem priorizado provas de longa distância e está se preparando para o seu principal objetivo de 2004, o Ironman do Havaí, campeonato mais importante e tradicional do triathlon mundial.

Galindez vai aproveitar a etapa de domingo como parte da preparação para a disputa havaiana. “Como a distância do Troféu Brasil é curta, será bom como treino rápido, de velocidade. Além disso, aqui em Santos o percurso é bom e seguro, sem buracos, e o retorno é sempre bom para os patrocinadores”, explica o competidor, que além da Memorial, tem o patrocínio da Reebok, Design Profile, Oakley e LiteSpeed-Ciclovece e apoio do portal WebRun.

A prova no Havaí está marcada para 16 de outubro. Será a terceira participação de Galindez, que foi 15º colocado em 2002 e 23º em 2003. Ele conta que dessa vez tentará se manter no 1º pelotão, o que não ocorreu nas outras oportunidades. “Se você não pega o grupo da frente logo, esquece. O ideal é ficar entre os primeiros para seguir no mesmo ritmo deles, pois esta é uma prova que só se define na corrida”, comenta.

Boa Forma - Considerado um dos melhores ciclistas de triathlon mundial, ele diz estar em sua melhor forma para completar o percurso de 3,8 km de natação, 180 km de ciclismo e 42 km de corrida. “Nos treinamentos dei mais ênfase à corrida e ao ciclismo. Estou bem, mas não dá para prever nada. Depende muito de acordar bem, estar num dia bom. Principalmente em se tratando do Havaí, que é uma prova única”, ressalta o triatleta.

Para Galindez, o britânico Simon Lessing - cinco vezes campeão mundial e que também está se dedicando ao Ironman - é o “adversário a ser batido” na disputa. “Apesar de que o Havaí é diferente, como eu disse. É uma prova mítica”, afirma o triatleta, acrescentando que a cada ano o nível técnico do Ironman havaiano tem aumentado. “A procura tem sido maior e cada vez mais atletas especialistas em distâncias curtas mudam para o Ironman”, revela.

Aos 33 anos de idade, Galindez mudou para Santos em 1995. Pratica triathlon desde os 15 e acumula uma série de títulos. Em longas distâncias, foi campeão do Ironman Brasil Telecom em 2003. Este ano foi o vice e também garantiu o bicampeonato do Meio Ironman de Pucón, no Chile (a mais tradicional da América Latina na distância) e as vitórias no Meio Ironman de Mar del Plata, na Argentina, e no Reebok/PowerBar Long Distance, em Ubatuba.

Ainda tem na carreira o hexacampeonato do Triathlon Internacional de Santos (foi vice em quatro oportunidades, inclusive este ano), o penta pan-americano e outro hexacampeonato, o sul-americano, além de ter conquistado duas medalhas de bronze nos Jogos Pan-americanos (1995 e 2003).

Falando em medalhas, Galindez esteve na Olimpíada de Sydney, em 2000 e quando estava entre os ponteiros, teve problemas com sua bike, perdendo tempo precioso. Ele não quis entrar na luta por uma vaga em Atenas, mas o que viu na capital da Grécia o deixou animado para uma possível volta em 2008, nos Jogos de Pequim. “Não sei o que pode acontecer até lá, mas vejo que o triathlon olímpico está voltando às origens da modalidade, ao determinar que o atleta nade, pedale e corra bem em um percurso exigente, um esporte que demonstra superação, determinação e esforço”, opina.

A 4ª etapa do 14º Troféu Brasil de Triathlon terá largada e chegada na praia do Gonzaga, junto à Praça das Bandeiras. A categoria amadora compete a partir das 8h. Os atletas da elite (profissional) largam às 9h20 e irão nadar 1,5 km, pedalar 40 km e correr mais 10 km. Mais detalhes no site oficial: www.trofeubrasil.com.br.


Oscar Galindez participa do Troféu Brasil de Triathlon neste domingo em Santos

Triathlon · 13 set, 2004

A 4ª fase do 14º Troféu Brasil de Triathlon neste domingo (dia 19), em Santos, terá uma atração especial: a participação do maior vencedor do evento, Oscar Galindez, da equipe Memorial. Heptacampeão do torneio, o argentino radicado em Santos ainda não participou da competição nesta temporada. Há dois anos ele tem priorizado provas de longa distância e está se preparando para o seu principal objetivo de 2004, o Ironman do Havaí, campeonato mais importante e tradicional do triathlon mundial.

Galindez vai aproveitar a etapa de domingo como parte da preparação para a disputa havaiana. “Como a distância do Troféu Brasil é curta, será bom como treino rápido, de velocidade. Além disso, aqui em Santos o percurso é bom e seguro, sem buracos, e o retorno é sempre bom para os patrocinadores”, explica o competidor, que além da Memorial, tem o patrocínio da Reebok, Design Profile, Oakley e LiteSpeed-Ciclovece e apoio do portal WebRun.

A prova no Havaí está marcada para 16 de outubro. Será a terceira participação de Galindez, que foi 15º colocado em 2002 e 23º em 2003. Ele conta que dessa vez tentará se manter no 1º pelotão, o que não ocorreu nas outras oportunidades. “Se você não pega o grupo da frente logo, esquece. O ideal é ficar entre os primeiros para seguir no mesmo ritmo deles, pois esta é uma prova que só se define na corrida”, comenta.

Boa Forma - Considerado um dos melhores ciclistas de triathlon mundial, ele diz estar em sua melhor forma para completar o percurso de 3,8 km de natação, 180 km de ciclismo e 42 km de corrida. “Nos treinamentos dei mais ênfase à corrida e ao ciclismo. Estou bem, mas não dá para prever nada. Depende muito de acordar bem, estar num dia bom. Principalmente em se tratando do Havaí, que é uma prova única”, ressalta o triatleta.

Para Galindez, o britânico Simon Lessing - cinco vezes campeão mundial e que também está se dedicando ao Ironman - é o “adversário a ser batido” na disputa. “Apesar de que o Havaí é diferente, como eu disse. É uma prova mítica”, afirma o triatleta, acrescentando que a cada ano o nível técnico do Ironman havaiano tem aumentado. “A procura tem sido maior e cada vez mais atletas especialistas em distâncias curtas mudam para o Ironman”, revela.

Aos 33 anos de idade, Galindez mudou para Santos em 1995. Pratica triathlon desde os 15 e acumula uma série de títulos. Em longas distâncias, foi campeão do Ironman Brasil Telecom em 2003. Este ano foi o vice e também garantiu o bicampeonato do Meio Ironman de Pucón, no Chile (a mais tradicional da América Latina na distância) e as vitórias no Meio Ironman de Mar del Plata, na Argentina, e no Reebok/PowerBar Long Distance, em Ubatuba.

Ainda tem na carreira o hexacampeonato do Triathlon Internacional de Santos (foi vice em quatro oportunidades, inclusive este ano), o penta pan-americano e outro hexacampeonato, o sul-americano, além de ter conquistado duas medalhas de bronze nos Jogos Pan-americanos (1995 e 2003).

Falando em medalhas, Galindez esteve na Olimpíada de Sydney, em 2000 e quando estava entre os ponteiros, teve problemas com sua bike, perdendo tempo precioso. Ele não quis entrar na luta por uma vaga em Atenas, mas o que viu na capital da Grécia o deixou animado para uma possível volta em 2008, nos Jogos de Pequim. “Não sei o que pode acontecer até lá, mas vejo que o triathlon olímpico está voltando às origens da modalidade, ao determinar que o atleta nade, pedale e corra bem em um percurso exigente, um esporte que demonstra superação, determinação e esforço”, opina.

A 4ª etapa do 14º Troféu Brasil de Triathlon terá largada e chegada na praia do Gonzaga, junto à Praça das Bandeiras. A categoria amadora compete a partir das 8h. Os atletas da elite (profissional) largam às 9h20 e irão nadar 1,5 km, pedalar 40 km e correr mais 10 km. Mais detalhes no site oficial: www.trofeubrasil.com.br.

Galindez destaca fator psicológico em palestra

Triathlon · 30 ago, 2004

O triatleta Oscar Galindez (Reebok/Memorial/Profile Design/Oakley), e atleta apoiado pelo portal WebRun, além do psiquiatra Adriano Resende de Lima, o ginecologista Fábio Lopes Teixeira e o técnico de triathlon, Daniel Fernandes de Souza reuniram suas experiências para debater sobre os benefícios e consequências da prática esportiva na vida do ser humano. O encontro aconteceu na última quinta-feira (26) no Reebok Sports Club Morumbi e reuniu em torno de 50 pessoas, entre atletas, jornalistas e especialistas em medicina esportiva.

O tema mais abordado pelos palestrantes foi o equilíbrio que o atleta deve ter nos treinamentos. “A atividade física melhora o bem estar da pessoa, mas o excesso pode expor a depressão”, disse o psiquiatra Adriano Resende de Lima. “O mal uso da atividade física funciona como um disfarce para um transtorno psíquico”, completou o médico.

O triatleta da Reebok, Oscar Galindez, que foi vice-campeão do Ironman Brasil neste ano e disputará o Ironman Mundial, no Hawai, em outubro, também destacou a preparação psicológica de um atleta em sua palestra. “A parte psicológica é 100%, foi isso que fez a diferença na Olimpíada de Atenas. As medalhas conquistadas no triatlo em Atenas foram na raça e contaram muito com o lado psicológico”, destacou Galindez, que participou da Olimpíada de Sydney em 2000.

A saúde da mulher atleta também foi abordada no debate e o ginecologista Fábio Lopes Teixeira alertou para as alterações metabólicas que ocorre com a mulher, principalmente durante o período de gravidez.


Galindez destaca fator psicológico em palestra

Triathlon · 30 ago, 2004

O triatleta Oscar Galindez (Reebok/Memorial/Profile Design/Oakley), e atleta apoiado pelo portal WebRun, além do psiquiatra Adriano Resende de Lima, o ginecologista Fábio Lopes Teixeira e o técnico de triathlon, Daniel Fernandes de Souza reuniram suas experiências para debater sobre os benefícios e consequências da prática esportiva na vida do ser humano. O encontro aconteceu na última quinta-feira (26) no Reebok Sports Club Morumbi e reuniu em torno de 50 pessoas, entre atletas, jornalistas e especialistas em medicina esportiva.

O tema mais abordado pelos palestrantes foi o equilíbrio que o atleta deve ter nos treinamentos. “A atividade física melhora o bem estar da pessoa, mas o excesso pode expor a depressão”, disse o psiquiatra Adriano Resende de Lima. “O mal uso da atividade física funciona como um disfarce para um transtorno psíquico”, completou o médico.

O triatleta da Reebok, Oscar Galindez, que foi vice-campeão do Ironman Brasil neste ano e disputará o Ironman Mundial, no Hawai, em outubro, também destacou a preparação psicológica de um atleta em sua palestra. “A parte psicológica é 100%, foi isso que fez a diferença na Olimpíada de Atenas. As medalhas conquistadas no triatlo em Atenas foram na raça e contaram muito com o lado psicológico”, destacou Galindez, que participou da Olimpíada de Sydney em 2000.

A saúde da mulher atleta também foi abordada no debate e o ginecologista Fábio Lopes Teixeira alertou para as alterações metabólicas que ocorre com a mulher, principalmente durante o período de gravidez.

Oscar Galindez participará de mesa redonda dia 26

Triathlon · 19 ago, 2004

O triathleta Oscar Galindez (Reebok/Memorial/Profile Design/Oakley), e atleta apoiado pelo portal WebRun, participa no próximo dia 26 de agosto no Reebok Sports Club Morumbi, na cidade de São Paulo (SP), de uma mesa redonda organizada pelo médico especializado em qualidade de vida Dr. Tony Sproesser.

Além de Galindez, estarão presentes o técnico Fabio Rosa (MPR), o médico psiquiatra Dr. Adriano Rezende Lima e o Dr. Fábio Lopes Teixeira, médico da saúde da mulher. Entre os temas abordados as provas de longa distância como o Ironman do Havaí, distúrbios do comportamento no atleta e saúde da mulher atleta.

As inscrições são gratuitas e as vagas limitadas. Para mais informações, clique aqui.


Oscar Galindez participará de mesa redonda dia 26

Triathlon · 19 ago, 2004

O triathleta Oscar Galindez (Reebok/Memorial/Profile Design/Oakley), e atleta apoiado pelo portal WebRun, participa no próximo dia 26 de agosto no Reebok Sports Club Morumbi, na cidade de São Paulo (SP), de uma mesa redonda organizada pelo médico especializado em qualidade de vida Dr. Tony Sproesser.

Além de Galindez, estarão presentes o técnico Fabio Rosa (MPR), o médico psiquiatra Dr. Adriano Rezende Lima e o Dr. Fábio Lopes Teixeira, médico da saúde da mulher. Entre os temas abordados as provas de longa distância como o Ironman do Havaí, distúrbios do comportamento no atleta e saúde da mulher atleta.

As inscrições são gratuitas e as vagas limitadas. Para mais informações, clique aqui.

Top 20 para Galindez no Quelle Roth na Alemanha

Triathlon · 05 jul, 2004

Somente 5 semanas depois de ter conseguido classificar para o Ironman do Havaí com seu segundo lugar no Ironman Brasil Telecom, o argentino Oscar Galindez ficou entre os top 20 no Quelle Roth Triatlhon um dos eventos na distância de Ironman mais importantes do continente europeu.

O australiano Chris McCormack entre os homens e a alemã Nicole Leder entre as mulheres foram os ganhadores de mais de 3.500 competidores. Na prova que é uma das mais populares do mundo e é reconhecida tanto por quantidade como por qualidade dos atletas que participam.

Nicole Leder en damas fueron los ganadores del triatlon que con más de 3500 competidores es uno de los más populares del mundo, reconocido por tanto por la cantidad como por la calidad de los atletas que participan.

Galíndez, que ocupou os primeiros lugares na 1ª etapa do cilcismo (no Km 20 ocupava o 6º), acusou na segunda metade da prova cansaço devido ao seu calendário esportivo e perdeu várias posições. De toda maneira se mostrou contente com sua primeira participação no evento e promete por mais.

“Sabia bem que em 5 semanas era muito difícil conseguir uma recuperação 100% para uma prova tão exigente como Roth, não queria faltar por que sabia que é uma grande competição. È muito provável que no próximo ano volte”, declarou Galindez, logo após completar seu 7º ironman de sua carreira e primeiro em solo europeu.

Resultados Tops:

Masculino:

1. Chris McCormack (Aus), 7:57:50
2. Faris Al-Sultan (Ger), 7:58:57
3. Timo Bracht (Ger), 8:08:03
4. Michael Lovato (USA), 8:21:45
5. Lothar Leder (Ger), 8:25:14
6. Christophe Bastie (Fra), 8:26:38
7. Swen Sundberg (Ger), 8:32:36
8. Bernd Eichhorn (Ger), 8:35:04
9. Dave Harju (Can), 8:37:56
10. Norbert Huber (Ger), 8:39:55
(...)
19. Oscar Galindez (ARG) 8:57:36

Feminino:

1. Nicole Leder (Ger), 9:13:57
2. Belinda Granger (Aus), 9:16:00
3. Ute Mückel (Ger), 9:34:26
4. Heike Funk (Ger), 9:42:26
5. Heidi Jesberger (Ger), 9:45:25

Leonardo Mourglia é editor do site argentino Atleta.info


Top 20 para Galindez no Quelle Roth na Alemanha

Triathlon · 05 jul, 2004

Somente 5 semanas depois de ter conseguido classificar para o Ironman do Havaí com seu segundo lugar no Ironman Brasil Telecom, o argentino Oscar Galindez ficou entre os top 20 no Quelle Roth Triatlhon um dos eventos na distância de Ironman mais importantes do continente europeu.

O australiano Chris McCormack entre os homens e a alemã Nicole Leder entre as mulheres foram os ganhadores de mais de 3.500 competidores. Na prova que é uma das mais populares do mundo e é reconhecida tanto por quantidade como por qualidade dos atletas que participam.

Nicole Leder en damas fueron los ganadores del triatlon que con más de 3500 competidores es uno de los más populares del mundo, reconocido por tanto por la cantidad como por la calidad de los atletas que participan.

Galíndez, que ocupou os primeiros lugares na 1ª etapa do cilcismo (no Km 20 ocupava o 6º), acusou na segunda metade da prova cansaço devido ao seu calendário esportivo e perdeu várias posições. De toda maneira se mostrou contente com sua primeira participação no evento e promete por mais.

“Sabia bem que em 5 semanas era muito difícil conseguir uma recuperação 100% para uma prova tão exigente como Roth, não queria faltar por que sabia que é uma grande competição. È muito provável que no próximo ano volte”, declarou Galindez, logo após completar seu 7º ironman de sua carreira e primeiro em solo europeu.

Resultados Tops:

Masculino:

1. Chris McCormack (Aus), 7:57:50
2. Faris Al-Sultan (Ger), 7:58:57
3. Timo Bracht (Ger), 8:08:03
4. Michael Lovato (USA), 8:21:45
5. Lothar Leder (Ger), 8:25:14
6. Christophe Bastie (Fra), 8:26:38
7. Swen Sundberg (Ger), 8:32:36
8. Bernd Eichhorn (Ger), 8:35:04
9. Dave Harju (Can), 8:37:56
10. Norbert Huber (Ger), 8:39:55
(...)
19. Oscar Galindez (ARG) 8:57:36

Feminino:

1. Nicole Leder (Ger), 9:13:57
2. Belinda Granger (Aus), 9:16:00
3. Ute Mückel (Ger), 9:34:26
4. Heike Funk (Ger), 9:42:26
5. Heidi Jesberger (Ger), 9:45:25

Leonardo Mourglia é editor do site argentino Atleta.info

Oscar Galindez disputa na Alemanha o Ironman mais tradicional da Europa

Triathlon · 25 jun, 2004

Após o 2° lugar no Ironman Brasil Telecom, em Florianópolis, no final de maio, o argentino radicado em Santos Oscar Galindez (Memorial/ Reebok/ Profile Design/ Oakley), parte para um novo um desafio. Na segunda-feira (dia 28), ele embarca para a Alemanha, onde participará do Quelle Challenge Roth. A prova, marcada para 4 de julho, está completando 20 edições e é a mais tradicional da Europa na distância.

Galindez, que não costuma falar em resultados antes de competir, fará um Ironman no continente europeu pela primeira vez. “É uma prova clássica, que conta com triatletas do mundo todo”, afirma o competidor, que está com 33 anos e mora em Santos há oito. A quantidade de participantes e espectadores constata isso. São 3.500 competidores inscritos na disputa, que costuma ser acompanhada por um público de cerca de 300 mil pessoas. E, embora esteja fora do calendário oficial do Ironman, o Quelle Challenge Roth atrai os melhores atletas do mundo na distância, como o alemão Lothar Leder e o australiano Chris McCormack.

Para a prova alemã, o triatleta argentino radicado em Santos não forçou nos treinamentos. “Intensifiquei um pouco apenas a natação. O Ironman de Florianópolis foi desgastante e o período de recuperação não pode ser curto”, explica o competidor, que apesar de nunca ter competido em Roth, viaja com as melhores referências possíveis a respeito da prova. “Ela é disputada sob um clima agradável, de início de verão na Europa. É muito rápida e bem organizada”, afirma.

O ritmo forte do Quelle Challenge Roth é comprovado com o seguinte dado: é o único do mundo no qual triatletas conseguiram completar os 3,8 km de natação, 180 km de ciclismo e 42 km de corrida em menos de oito horas - fato que já ocorreu quatro vezes. “No ano passado o vencedor fez 8 horas e 11 minutos. Não sei se houve alguma mudança no percurso”, ressalta Galindez.

A parte de natação é disputada em água parada, e não em mar aberto como o argentino está acostumado. Portanto, não existe a dificuldade normalmente imposta pelas correntezas. Já o ciclismo, ponto forte de Galindez (é considerado o melhor pedal do mundo no triathlon), tem características peculiares. “Dizem que nas subidas, que não são muito íngremes, os atletas se afunilam. Fica parecendo a Volta da França”, comenta, referindo-se à principal competição de ciclismo do planeta.

Quanto ao item organização, ele cita um exemplo que ilustra bem em que patamar se encontra o Challenge Roth. “O chip que o atleta carrega emite um sinal se ele parar durante a prova. Prontamente enviam uma equipe ao local para prestar algum auxílio se o atleta necessitar”, revela o triatleta.

Havaí - Depois de competir em Roth, Galindez descansará até o início de agosto, quando vai iniciar os treinamentos visando a sua 3ª participação no Ironman do Havaí - seu maior objetivo no 2º semestre. A vaga para competição do dia 16 de outubro foi conquistada com a 2ª posição em Floripa. No Havaí, ele espera melhorar seu desempenho em relação a 2003. Na ocasião, foi o 23° colocado (melhor latino-americano na classificação geral).

Cartel - Além do vice no Ironman Brasil (vencido por ele em 2003), Galindez garantiu outras conquistas importantes nessa temporada. Foi bicampeão do Meio Ironman de Pucón, no Chile, a mais importante da distância no continente, e da etapa de Ubatuba do PowerBar/Reebok Triathlon Long Distance e venceu o Meio Ironman de Mar Del Plata, na Argentina. No Ironman Brasil, ele passou mal no km 15 dos 42 de corrida. “Fiz um esforço muito grande e cheguei a pensar em parar”, lembrou o triatleta, que mesmo tendo passado mal, chegou a apenas 11 minutos do vencedor, o alemão Olaf Sabastchus.

Outros resultados importantes na sua carreira premiada são as medalhas de bronze nos Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo, em 2003, e Mar de Plata, em 95; o título mundial de duathlon, em Cancun, também em 95, além do pentacampeonato pan-americano, o hexa sul-americano, o hepta do Troféu Brasil e os 10 títulos argentinos. Em 2000 participou da estréia do triathlon como modalidade olímpica, em Sydney. Chegou a estar entre os cinco melhores, mas um pneu rasgado o tirou da disputa pela medalha.


Oscar Galindez disputa na Alemanha o Ironman mais tradicional da Europa

Triathlon · 25 jun, 2004

Após o 2° lugar no Ironman Brasil Telecom, em Florianópolis, no final de maio, o argentino radicado em Santos Oscar Galindez (Memorial/ Reebok/ Profile Design/ Oakley), parte para um novo um desafio. Na segunda-feira (dia 28), ele embarca para a Alemanha, onde participará do Quelle Challenge Roth. A prova, marcada para 4 de julho, está completando 20 edições e é a mais tradicional da Europa na distância.

Galindez, que não costuma falar em resultados antes de competir, fará um Ironman no continente europeu pela primeira vez. “É uma prova clássica, que conta com triatletas do mundo todo”, afirma o competidor, que está com 33 anos e mora em Santos há oito. A quantidade de participantes e espectadores constata isso. São 3.500 competidores inscritos na disputa, que costuma ser acompanhada por um público de cerca de 300 mil pessoas. E, embora esteja fora do calendário oficial do Ironman, o Quelle Challenge Roth atrai os melhores atletas do mundo na distância, como o alemão Lothar Leder e o australiano Chris McCormack.

Para a prova alemã, o triatleta argentino radicado em Santos não forçou nos treinamentos. “Intensifiquei um pouco apenas a natação. O Ironman de Florianópolis foi desgastante e o período de recuperação não pode ser curto”, explica o competidor, que apesar de nunca ter competido em Roth, viaja com as melhores referências possíveis a respeito da prova. “Ela é disputada sob um clima agradável, de início de verão na Europa. É muito rápida e bem organizada”, afirma.

O ritmo forte do Quelle Challenge Roth é comprovado com o seguinte dado: é o único do mundo no qual triatletas conseguiram completar os 3,8 km de natação, 180 km de ciclismo e 42 km de corrida em menos de oito horas - fato que já ocorreu quatro vezes. “No ano passado o vencedor fez 8 horas e 11 minutos. Não sei se houve alguma mudança no percurso”, ressalta Galindez.

A parte de natação é disputada em água parada, e não em mar aberto como o argentino está acostumado. Portanto, não existe a dificuldade normalmente imposta pelas correntezas. Já o ciclismo, ponto forte de Galindez (é considerado o melhor pedal do mundo no triathlon), tem características peculiares. “Dizem que nas subidas, que não são muito íngremes, os atletas se afunilam. Fica parecendo a Volta da França”, comenta, referindo-se à principal competição de ciclismo do planeta.

Quanto ao item organização, ele cita um exemplo que ilustra bem em que patamar se encontra o Challenge Roth. “O chip que o atleta carrega emite um sinal se ele parar durante a prova. Prontamente enviam uma equipe ao local para prestar algum auxílio se o atleta necessitar”, revela o triatleta.

Havaí - Depois de competir em Roth, Galindez descansará até o início de agosto, quando vai iniciar os treinamentos visando a sua 3ª participação no Ironman do Havaí - seu maior objetivo no 2º semestre. A vaga para competição do dia 16 de outubro foi conquistada com a 2ª posição em Floripa. No Havaí, ele espera melhorar seu desempenho em relação a 2003. Na ocasião, foi o 23° colocado (melhor latino-americano na classificação geral).

Cartel - Além do vice no Ironman Brasil (vencido por ele em 2003), Galindez garantiu outras conquistas importantes nessa temporada. Foi bicampeão do Meio Ironman de Pucón, no Chile, a mais importante da distância no continente, e da etapa de Ubatuba do PowerBar/Reebok Triathlon Long Distance e venceu o Meio Ironman de Mar Del Plata, na Argentina. No Ironman Brasil, ele passou mal no km 15 dos 42 de corrida. “Fiz um esforço muito grande e cheguei a pensar em parar”, lembrou o triatleta, que mesmo tendo passado mal, chegou a apenas 11 minutos do vencedor, o alemão Olaf Sabastchus.

Outros resultados importantes na sua carreira premiada são as medalhas de bronze nos Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo, em 2003, e Mar de Plata, em 95; o título mundial de duathlon, em Cancun, também em 95, além do pentacampeonato pan-americano, o hexa sul-americano, o hepta do Troféu Brasil e os 10 títulos argentinos. Em 2000 participou da estréia do triathlon como modalidade olímpica, em Sydney. Chegou a estar entre os cinco melhores, mas um pneu rasgado o tirou da disputa pela medalha.

Galindez assegura vaga para o Ironman do Havaí

Triathlon · 31 maio, 2004

“Superação”. Com essa palavra, o argentino radicado em Santos, Oscar Galindez, da equipe Memorial, definiu seu desempenho no Ironman Brasil Telecom, disputado sábado (dia 29) em Florianópolis. O sonhado bicampeonato na disputa brasileira não veio, mas com o 2° lugar obtido ele garantiu vaga para o tradicional Ironman do Havaí, que será disputado dia 16 de outubro.

“Para mim foi uma vitória”, afirmou o triatleta, campeão no ano passado e que sentiu-se mal no km 15 dos 42 de corrida, depois de ter completado 3,8 km de natação e 180 km de ciclismo. “Fiz um esforço muito grande e em certa altura pensei em parar”, confessou.

O Ironman Brasil Telecom teve como vencedor o alemão Olaf Sabastchus (vice-campeão do ano passado). “Ele estava num dia inspirado. Foi bem até na natação, que não é o seu forte”, disse Galindez. “Eu dei uma vacilada na primeira volta do ciclismo e o Olaf abriu. Consegui pegá-lo na segunda volta, mas na corrida não deu para segurar. O grande esforço que eu fiz no ciclismo talvez tenha sido o responsável pelo desgaste que eu senti na corrida”, destacou.

Nos últimos quilômetros do percurso Galindez encontrou forças para manter o 2° lugar. “Mesmo sentindo tive que apertar o ritmo para não perder a minha posição”, afirmou o triatleta, que mesmo tendo passado mal, mostrou uma recuperação fantástica, chegando apenas 11 minutos atrás do vencedor. O 3° colocado foi o sueco Clas Bjorling.

Agora, Galindez (que dia 5 completa 33 anos de idade) descansará uma semana para depois se concentrar na preparação visando o Ironman de Roth, na Alemanha marcado para 4 de julho. “Vou seguir meu planejamento. O maior objetivo da temporada passa a ser o Ironman do Havaí”, concluiu o triatleta, que junto com a Memorial conta com o patrocínio da Reebok, Profile Design, Oakley e OG.


Galindez assegura vaga para o Ironman do Havaí

Triathlon · 31 maio, 2004

“Superação”. Com essa palavra, o argentino radicado em Santos, Oscar Galindez, da equipe Memorial, definiu seu desempenho no Ironman Brasil Telecom, disputado sábado (dia 29) em Florianópolis. O sonhado bicampeonato na disputa brasileira não veio, mas com o 2° lugar obtido ele garantiu vaga para o tradicional Ironman do Havaí, que será disputado dia 16 de outubro.

“Para mim foi uma vitória”, afirmou o triatleta, campeão no ano passado e que sentiu-se mal no km 15 dos 42 de corrida, depois de ter completado 3,8 km de natação e 180 km de ciclismo. “Fiz um esforço muito grande e em certa altura pensei em parar”, confessou.

O Ironman Brasil Telecom teve como vencedor o alemão Olaf Sabastchus (vice-campeão do ano passado). “Ele estava num dia inspirado. Foi bem até na natação, que não é o seu forte”, disse Galindez. “Eu dei uma vacilada na primeira volta do ciclismo e o Olaf abriu. Consegui pegá-lo na segunda volta, mas na corrida não deu para segurar. O grande esforço que eu fiz no ciclismo talvez tenha sido o responsável pelo desgaste que eu senti na corrida”, destacou.

Nos últimos quilômetros do percurso Galindez encontrou forças para manter o 2° lugar. “Mesmo sentindo tive que apertar o ritmo para não perder a minha posição”, afirmou o triatleta, que mesmo tendo passado mal, mostrou uma recuperação fantástica, chegando apenas 11 minutos atrás do vencedor. O 3° colocado foi o sueco Clas Bjorling.

Agora, Galindez (que dia 5 completa 33 anos de idade) descansará uma semana para depois se concentrar na preparação visando o Ironman de Roth, na Alemanha marcado para 4 de julho. “Vou seguir meu planejamento. O maior objetivo da temporada passa a ser o Ironman do Havaí”, concluiu o triatleta, que junto com a Memorial conta com o patrocínio da Reebok, Profile Design, Oakley e OG.

Oscar Galindez busca bicampeonato do Ironman Brasil

Triathlon · 26 maio, 2004

A principal meta traçada pelo triatleta Oscar Galindez, da equipe Memorial, neste primeiro semestre é alcançar o bicampeonato do Ironman Brasil Telecom. Após meses de intensa preparação, o argentino radicado em Santos vê chegar perto momento da disputa, marcada para o próximo sábado, dia 29, em Florianópolis (SC). Além de ser hoje a maior competição de ironman do continense, o Ironman Brasil Telecom é a única prova classificatória da América do Sul para o tradicional mundial do Havaí, no dia 16 de outubro, o grande objetivo de Galindez na temporada e o motivo do início de uma carreira premiada 18 anos atrás.

Atributos que justificam a concentração total do atual campeão da prova brasileira, que desde o ano passado tem priorizado competições de longa distância. Para conquistar o bi, ele sabe que não terá moleza. "A prova está com um nível cada vez mais alto e com mais atletas participando. Este ano serão mais de mil. Sem dúvida, é a melhor da América Latina", diz.

Depois de uma excelente temporada em 2.003 – entre outras conquistas, foi medalha de bronze nos Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo – vem repetindo a dose em 2.004 e coleciona repetições de títulos. Primeiro foi tricampeão do Meio Ironman de Pucón, no Chile, a mais importante prova da América do Sul, na distância. Depois veio a segunda vitória seguida na etapa de Ubatuba do PowerBar/Reebok Triathlon Long Distance.

Agora, segue rumo ao bi do Ironman de Floripa. "Tem sido um ano muito bom para mim e esses resultados confirmam que estou no caminho certo", afirma o triatleta, que também faturou o Meio Ironman de Mar Del Plata, na Argentina.

Presente de aniversario - A nova vitória, além de ser a coroação de um trabalho sério, vai valer como um presente de aniversário antecipado para o super campeão, que completará 33 anos no próximo dia 5. "Realmente seria um presentão. Mas eu não gosto de falar em resultados por antecipação. Além disso, não devo colocar sobre mim uma pressão maior do que o normal", ressalta o triatleta que junto com a Memorial tem o patrocínio da Reebok, Profile Design, Oakley e OG (esta última sua marca de roupas especiais voltadas para o triathlon).

Um dos melhores ciclistas de triatlhon do circuito mundial, Galindez está em sua melhor forma para completar o percurso de 3,8 km de natação, 180 km de ciclismo e 42 km de corrida. A concentração no Brasil Telecom é tamanha que ele deixou de participar de algumas provas de curta distância, como as duas primeiras etapas do Troféu Brasil.

"Preferi manter os treinos visando o Ironman. A única mudança que fiz no planejamento foi estender a preparação em duas semanas. Foi muito proveitoso. É um trabalho progressivo, pois visa também o Ironman de Roth, na Alemanha", explica, lembrando a competição do dia 4 de julho - uma das principais do calendário internacional.

Dos treinamentos ainda fez parte um período de três semanas em Córdoba, sua terra natal, treinar em montanhas, já que no percurso de Florianópolis há trechos difíceis de subida. Se conseguir vaga para o Ironman do Havaí, Galindez terá a prova havaiana como foco para o segundo semestre. "Já tenho um planejamento completo para ir atrás de um bom resultado", revela o argentino, que no ano passado ficou em 23° lugar (sendo o melhor latino-americano) e em sua estréia em 2002 foi o 15° colocado.

Carreira - Oscar Galindez se dedica ao triathon há 18 anos e começou justamente ao ver na TV uma prova do Ironman do Havaí. Vive no Brasil desde 1995 e escolheu Santos para morar – cidade considerada a capital brasileira da modalidade. De lá para cá não parou de colecionar títulos. Além dos já citados, é heptacampeão do Troféu Brasil; hexacampeão do Internacional de Santos; pentacampeão pan-americano; também seis vezes campeão sul-americano; duas medalhas de bronze nos Jogos Pan-americanos (1995, em Mar Del Plata, e 2003, em Santo Domingo) e campeão mundial de duathlon em Cancun, no México, em 95.


Oscar Galindez busca bicampeonato do Ironman Brasil

Triathlon · 26 maio, 2004

A principal meta traçada pelo triatleta Oscar Galindez, da equipe Memorial, neste primeiro semestre é alcançar o bicampeonato do Ironman Brasil Telecom. Após meses de intensa preparação, o argentino radicado em Santos vê chegar perto momento da disputa, marcada para o próximo sábado, dia 29, em Florianópolis (SC). Além de ser hoje a maior competição de ironman do continense, o Ironman Brasil Telecom é a única prova classificatória da América do Sul para o tradicional mundial do Havaí, no dia 16 de outubro, o grande objetivo de Galindez na temporada e o motivo do início de uma carreira premiada 18 anos atrás.

Atributos que justificam a concentração total do atual campeão da prova brasileira, que desde o ano passado tem priorizado competições de longa distância. Para conquistar o bi, ele sabe que não terá moleza. "A prova está com um nível cada vez mais alto e com mais atletas participando. Este ano serão mais de mil. Sem dúvida, é a melhor da América Latina", diz.

Depois de uma excelente temporada em 2.003 – entre outras conquistas, foi medalha de bronze nos Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo – vem repetindo a dose em 2.004 e coleciona repetições de títulos. Primeiro foi tricampeão do Meio Ironman de Pucón, no Chile, a mais importante prova da América do Sul, na distância. Depois veio a segunda vitória seguida na etapa de Ubatuba do PowerBar/Reebok Triathlon Long Distance.

Agora, segue rumo ao bi do Ironman de Floripa. "Tem sido um ano muito bom para mim e esses resultados confirmam que estou no caminho certo", afirma o triatleta, que também faturou o Meio Ironman de Mar Del Plata, na Argentina.

Presente de aniversario - A nova vitória, além de ser a coroação de um trabalho sério, vai valer como um presente de aniversário antecipado para o super campeão, que completará 33 anos no próximo dia 5. "Realmente seria um presentão. Mas eu não gosto de falar em resultados por antecipação. Além disso, não devo colocar sobre mim uma pressão maior do que o normal", ressalta o triatleta que junto com a Memorial tem o patrocínio da Reebok, Profile Design, Oakley e OG (esta última sua marca de roupas especiais voltadas para o triathlon).

Um dos melhores ciclistas de triatlhon do circuito mundial, Galindez está em sua melhor forma para completar o percurso de 3,8 km de natação, 180 km de ciclismo e 42 km de corrida. A concentração no Brasil Telecom é tamanha que ele deixou de participar de algumas provas de curta distância, como as duas primeiras etapas do Troféu Brasil.

"Preferi manter os treinos visando o Ironman. A única mudança que fiz no planejamento foi estender a preparação em duas semanas. Foi muito proveitoso. É um trabalho progressivo, pois visa também o Ironman de Roth, na Alemanha", explica, lembrando a competição do dia 4 de julho - uma das principais do calendário internacional.

Dos treinamentos ainda fez parte um período de três semanas em Córdoba, sua terra natal, treinar em montanhas, já que no percurso de Florianópolis há trechos difíceis de subida. Se conseguir vaga para o Ironman do Havaí, Galindez terá a prova havaiana como foco para o segundo semestre. "Já tenho um planejamento completo para ir atrás de um bom resultado", revela o argentino, que no ano passado ficou em 23° lugar (sendo o melhor latino-americano) e em sua estréia em 2002 foi o 15° colocado.

Carreira - Oscar Galindez se dedica ao triathon há 18 anos e começou justamente ao ver na TV uma prova do Ironman do Havaí. Vive no Brasil desde 1995 e escolheu Santos para morar – cidade considerada a capital brasileira da modalidade. De lá para cá não parou de colecionar títulos. Além dos já citados, é heptacampeão do Troféu Brasil; hexacampeão do Internacional de Santos; pentacampeão pan-americano; também seis vezes campeão sul-americano; duas medalhas de bronze nos Jogos Pan-americanos (1995, em Mar Del Plata, e 2003, em Santo Domingo) e campeão mundial de duathlon em Cancun, no México, em 95.