fast

Brasil e Canadá são favoritos do Fast Triathlon

Triathlon · 23 dez, 2004

Algumas das melhores triatletas do mundo estarão presentes no Mundialito de Fast Triathlon Feminino, que será realizado no dia 2 de janeiro de 2005, em Santos, na Ponta da Praia, abrindo a temporada internacional de eventos no País. A competição, realizada pelo sexto ano consecutivo, reunirá equipes do Brasil, Canadá, Estados Unidos, África do Sul, República Tcheca e Japão.

A prova será transmitido ao vivo pela Rede Globo, no Programa Esporte Espetacular, dentro dos Jogos Mundiais de Verão, e contará com um formato diferenciado, exigindo muita velocidade e resistência dos participantes. Serão três baterias, com curtos intervalos de descanso, com 250 metros de natação, 4.400 metros de ciclismo e 1.415 metros de corrida. Em razão da tradição, o favoritismo recai sobre as equipes do Brasil e do Canadá.


Brasil e Canadá são favoritos do Fast Triathlon

Triathlon · 23 dez, 2004

Algumas das melhores triatletas do mundo estarão presentes no Mundialito de Fast Triathlon Feminino, que será realizado no dia 2 de janeiro de 2005, em Santos, na Ponta da Praia, abrindo a temporada internacional de eventos no País. A competição, realizada pelo sexto ano consecutivo, reunirá equipes do Brasil, Canadá, Estados Unidos, África do Sul, República Tcheca e Japão.

A prova será transmitido ao vivo pela Rede Globo, no Programa Esporte Espetacular, dentro dos Jogos Mundiais de Verão, e contará com um formato diferenciado, exigindo muita velocidade e resistência dos participantes. Serão três baterias, com curtos intervalos de descanso, com 250 metros de natação, 4.400 metros de ciclismo e 1.415 metros de corrida. Em razão da tradição, o favoritismo recai sobre as equipes do Brasil e do Canadá.

Brasil garante título do Fast Triathlon

Triathlon · 04 jan, 2004

A carioca Sandra Soldan e a paulista Carla Moreno, da equipe Pão de Açúcar, foram as destaques do 4º Mundialito Cidade de Santos de Fast Triathlon, realizado neste domingo, dia 4, em Santos, no litoral de São Paulo. Elas ficaram em primeiro e segundo lugar respectivamente na prova individual e ajudaram o Brasil a conquistar o título por equipes da competição.

A prova foi disputada na Ponta da Praia, com largada às 9 horas, e teve três baterias. A primeira foi vencida pela canadense Carolyn Murray (15min45seg), seguida por Carla (15min51seg) e Sandra (15min53seg). Na segunda, Carla foi a melhor (15min43seg), seguida por Sandra Soldan (15min46seg) e pela brasiliense Mariana Ohata (15min51seg), que também compõe a equipe Pão de Açúcar; e, na terceira, as melhores foram Sandra (15min54seg), Mariana (15min59seg), Carolyn (16min02seg) e Carla (16min05seg).

O Mundialito Cidade de Santos de Fast Triathlon reuniu equipes do Canadá, Estados Unidos, África do Sul, República Checa e Japão. Na prova individual, Sandra somou 48 pontos e Carla, 47. A terceira colocada foi Carolyn Murray (44), a quarta, Mariana Ohata (Brasil Telecom), com 42 pontos, e a quinta foi a também canadense Tara Ross (33). Entre as equipes, o Brasil somou 137 pontos, contra 106 do Canadá, 60 do Japão, 52 da República Tcheca e 37 dos Estados Unidos.

O evento contou com o co-patrocínio do Pão de Açúcar e teve, em cada bateria, 250 metros de natação, 4,2 km de ciclismo e 1,3 km de corrida.


Brasil garante título do Fast Triathlon

Triathlon · 04 jan, 2004

A carioca Sandra Soldan e a paulista Carla Moreno, da equipe Pão de Açúcar, foram as destaques do 4º Mundialito Cidade de Santos de Fast Triathlon, realizado neste domingo, dia 4, em Santos, no litoral de São Paulo. Elas ficaram em primeiro e segundo lugar respectivamente na prova individual e ajudaram o Brasil a conquistar o título por equipes da competição.

A prova foi disputada na Ponta da Praia, com largada às 9 horas, e teve três baterias. A primeira foi vencida pela canadense Carolyn Murray (15min45seg), seguida por Carla (15min51seg) e Sandra (15min53seg). Na segunda, Carla foi a melhor (15min43seg), seguida por Sandra Soldan (15min46seg) e pela brasiliense Mariana Ohata (15min51seg), que também compõe a equipe Pão de Açúcar; e, na terceira, as melhores foram Sandra (15min54seg), Mariana (15min59seg), Carolyn (16min02seg) e Carla (16min05seg).

O Mundialito Cidade de Santos de Fast Triathlon reuniu equipes do Canadá, Estados Unidos, África do Sul, República Checa e Japão. Na prova individual, Sandra somou 48 pontos e Carla, 47. A terceira colocada foi Carolyn Murray (44), a quarta, Mariana Ohata (Brasil Telecom), com 42 pontos, e a quinta foi a também canadense Tara Ross (33). Entre as equipes, o Brasil somou 137 pontos, contra 106 do Canadá, 60 do Japão, 52 da República Tcheca e 37 dos Estados Unidos.

O evento contou com o co-patrocínio do Pão de Açúcar e teve, em cada bateria, 250 metros de natação, 4,2 km de ciclismo e 1,3 km de corrida.

Veja as imagens do Fast Triathlon Masculino

Triathlon · 10 fev, 2003

Confira a galeria de imagens que o WebRun preparou para você do Mundialito Cidade de Santos Fast Tritahlon, disputado ontem (9) em Santos, São Paulo. Com imagens de Luiz Doro – um dos principais fotógrafos brasileiros especializados em corridas de rua e triathlon - você pode ver como foi a competição que o Brasil dominou tanto em equipe como no individual.

Acesse o menu Provas e Resultados do canal Triathlon.


Veja as imagens do Fast Triathlon Masculino

Triathlon · 10 fev, 2003

Confira a galeria de imagens que o WebRun preparou para você do Mundialito Cidade de Santos Fast Tritahlon, disputado ontem (9) em Santos, São Paulo. Com imagens de Luiz Doro – um dos principais fotógrafos brasileiros especializados em corridas de rua e triathlon - você pode ver como foi a competição que o Brasil dominou tanto em equipe como no individual.

Acesse o menu Provas e Resultados do canal Triathlon.

Brasil é campeão do Fast Triatlhon

Triathlon · 09 fev, 2003

Leandro Macedo, triatleta da equipe Pão de Açúcar Club, foi o campeão do 3º Mundialito Cidade de Santos de Fast Triathlon, masculino, disputado hoje, domingo, em Santos, litoral paulista.

O mar calmo e o vento inexistente tornaram a prova ainda mais disputada. Macedo venceu duas das três baterias realizadas, mas foi acompanhado de perto pelo americano Brian Fleishman, que mesmo vencendo a terceira bateria não conseguiu alcançar o brasileiro.

Na disputa por equipes, o Brasil levou a melhor, confirmando o favoritismo, abrindo uma diferença de 17 pontos dos Estados Unidos, o 2º colocado. A equipe brasileira, formada por Leandro Macedo, Juraci Moreira Júnior e Paulo Miyasiro (os três da equipe Pão de Açúcar Club), foi definida na seletiva realizada também em Santos, no início de janeiro. Leandro e Juraci, que disputaram os Jogos Olímpicos de Sydney, na Austrália, em 2000, competem no Fast Triathlon desde a 1ª edição do evento, o Desafio Brasil x Argentina, em 1999.

A prova anima ainda mais os competidores para o Pan-americano, que acontece este ano. “Se eu fizer uma prova nesse ritmo será medalha certa no Pan”, conta Macedo.

RESULTADOS:

Individual:
1. Leandro Macedo (Brasil) – 52 pontos
2. Brian Fleishman (Estados Unidos) – 48 pontos
3. Claude Eksteen (África do Sul) – 41 pontos
4. Paulo Miyashiro (Brasil) – 37 pontos
5. Juraci Moreira Jr. (Brasil) – 35 pontos

Por equipes:
1. Brasil – 124 pontos
2. Estados Unidos – 107 pontos
3. África do Sul – 64 pontos
4. Argentina – 59 pontos
5. Canadá – 44 pontos


Brasil é campeão do Fast Triatlhon

Triathlon · 09 fev, 2003

Leandro Macedo, triatleta da equipe Pão de Açúcar Club, foi o campeão do 3º Mundialito Cidade de Santos de Fast Triathlon, masculino, disputado hoje, domingo, em Santos, litoral paulista.

O mar calmo e o vento inexistente tornaram a prova ainda mais disputada. Macedo venceu duas das três baterias realizadas, mas foi acompanhado de perto pelo americano Brian Fleishman, que mesmo vencendo a terceira bateria não conseguiu alcançar o brasileiro.

Na disputa por equipes, o Brasil levou a melhor, confirmando o favoritismo, abrindo uma diferença de 17 pontos dos Estados Unidos, o 2º colocado. A equipe brasileira, formada por Leandro Macedo, Juraci Moreira Júnior e Paulo Miyasiro (os três da equipe Pão de Açúcar Club), foi definida na seletiva realizada também em Santos, no início de janeiro. Leandro e Juraci, que disputaram os Jogos Olímpicos de Sydney, na Austrália, em 2000, competem no Fast Triathlon desde a 1ª edição do evento, o Desafio Brasil x Argentina, em 1999.

A prova anima ainda mais os competidores para o Pan-americano, que acontece este ano. “Se eu fizer uma prova nesse ritmo será medalha certa no Pan”, conta Macedo.

RESULTADOS:

Individual:
1. Leandro Macedo (Brasil) – 52 pontos
2. Brian Fleishman (Estados Unidos) – 48 pontos
3. Claude Eksteen (África do Sul) – 41 pontos
4. Paulo Miyashiro (Brasil) – 37 pontos
5. Juraci Moreira Jr. (Brasil) – 35 pontos

Por equipes:
1. Brasil – 124 pontos
2. Estados Unidos – 107 pontos
3. África do Sul – 64 pontos
4. Argentina – 59 pontos
5. Canadá – 44 pontos

Rivalidade entre brasileiros e estrangeiros no Fast

Triathlon · 07 fev, 2003

A rivalidade entre triathletas brasileiros e estrangeiros estará mais do que presente na disputa do Mundialito Cidade de Santos de Fast Triathlon Masculino, que acontece no próximo domingo à partir das 9h30, em Santos (SP), com transmissão ao vivo para todo o Brasil pela TV Globo.

A equipe brasileira formada pelos triathletas, Leandro Macedo, Juraci Moreira Jr e Paulo Miyasiro, tentará quebrar a hegemonia internacional na prova. O Brasil venceu somente a 1ª edição do Fast, isso quando a prova era restrita a Brasil e Argentina. Agora serão cinco países contra o Brasil: Argentina, África do Sul, Canadá, Estados Unidos e Japão.

Outro desafio para os brasileiros será vencer pela primeira vez no individual. A tarefa não será tão fácil, em função dos competidores estrangeiros que estarão alinhados na largada, entre os quais, o argentino Oscar Galindez (Memorial/PowerBar/Reebok/OG Bikes) - consultor do WebRun - que foi campeão em 1999 e vice nos dois anos seguintes.

“Em Santos estou em casa. Vou estar com a camisa da Argentina, mas o coração já é santista e quero tentar fazer a festa na minha cidade”, diz Galindez, que mora em Santos desde 1995.

Outro forte nome é o o canadense Brent McMahon, campeão do Fast 2001 e o norte-americano Victor Plata. “Os brasileiros são ótimos e os conheço bem, assim como o McMahon. E também o Galindez, que não poderá explorar seu ponto forte que é o ciclismo, pois a prova é de curta distância e essa sua qualidade não deverá fazer tanta diferença”, explica Plata, que já participou de três edições da prova.


Rivalidade entre brasileiros e estrangeiros no Fast

Triathlon · 07 fev, 2003

A rivalidade entre triathletas brasileiros e estrangeiros estará mais do que presente na disputa do Mundialito Cidade de Santos de Fast Triathlon Masculino, que acontece no próximo domingo à partir das 9h30, em Santos (SP), com transmissão ao vivo para todo o Brasil pela TV Globo.

A equipe brasileira formada pelos triathletas, Leandro Macedo, Juraci Moreira Jr e Paulo Miyasiro, tentará quebrar a hegemonia internacional na prova. O Brasil venceu somente a 1ª edição do Fast, isso quando a prova era restrita a Brasil e Argentina. Agora serão cinco países contra o Brasil: Argentina, África do Sul, Canadá, Estados Unidos e Japão.

Outro desafio para os brasileiros será vencer pela primeira vez no individual. A tarefa não será tão fácil, em função dos competidores estrangeiros que estarão alinhados na largada, entre os quais, o argentino Oscar Galindez (Memorial/PowerBar/Reebok/OG Bikes) - consultor do WebRun - que foi campeão em 1999 e vice nos dois anos seguintes.

“Em Santos estou em casa. Vou estar com a camisa da Argentina, mas o coração já é santista e quero tentar fazer a festa na minha cidade”, diz Galindez, que mora em Santos desde 1995.

Outro forte nome é o o canadense Brent McMahon, campeão do Fast 2001 e o norte-americano Victor Plata. “Os brasileiros são ótimos e os conheço bem, assim como o McMahon. E também o Galindez, que não poderá explorar seu ponto forte que é o ciclismo, pois a prova é de curta distância e essa sua qualidade não deverá fazer tanta diferença”, explica Plata, que já participou de três edições da prova.

Brasil confiante em boa performance no Fast

Triathlon · 04 fev, 2003

No próximo domingo (9), na Ponta da Praia, em Santos (SP), acontece o 3º Mundialito Cidade de Santos de Fast Triathlon, prova disputada em equipes de três atletas. Serão três baterias com distâncias de 250 metros de natação, 4.200 metros de ciclismo e 1.350 metros de corrida.

A equipe brasileira será formada pelos triathletas Leandro Macedo, Juraci Moreira Júnior e Paulo Miyasiro de Abreu, todos patrocinados pelo Pão de Açúcar Club.

“O Brasil tem tudo para fazer uma disputa muito boa. O Shiro nada muito forte e o Leandro e o Juraci fizeram trabalhos específicos para esta prova. Nos outros anos fui meio cético em relação às chances dos brasileiros, mas desta vez estou confiante”, afirma o técnico do time, Marcos Paulo Reis.”

Os brasileiros competirão com outros 15 atletas de cinco seleções: Estados Unidos, Canadá, Japão, África do Sul e a Argentina. Os destaques individuais da competição que prometem dar trabalho ao time brasileiro são: o argentinao Oscar Galindez (Memorial/PowerBar/Reebok/OG Bikes) que venceu o Fast em 1999; o canadense Brent McMahon, campeão em 2001; e o norte-americano Victor Plata, experiente neste tipo de disputa.


Brasil confiante em boa performance no Fast

Triathlon · 04 fev, 2003

No próximo domingo (9), na Ponta da Praia, em Santos (SP), acontece o 3º Mundialito Cidade de Santos de Fast Triathlon, prova disputada em equipes de três atletas. Serão três baterias com distâncias de 250 metros de natação, 4.200 metros de ciclismo e 1.350 metros de corrida.

A equipe brasileira será formada pelos triathletas Leandro Macedo, Juraci Moreira Júnior e Paulo Miyasiro de Abreu, todos patrocinados pelo Pão de Açúcar Club.

“O Brasil tem tudo para fazer uma disputa muito boa. O Shiro nada muito forte e o Leandro e o Juraci fizeram trabalhos específicos para esta prova. Nos outros anos fui meio cético em relação às chances dos brasileiros, mas desta vez estou confiante”, afirma o técnico do time, Marcos Paulo Reis.”

Os brasileiros competirão com outros 15 atletas de cinco seleções: Estados Unidos, Canadá, Japão, África do Sul e a Argentina. Os destaques individuais da competição que prometem dar trabalho ao time brasileiro são: o argentinao Oscar Galindez (Memorial/PowerBar/Reebok/OG Bikes) que venceu o Fast em 1999; o canadense Brent McMahon, campeão em 2001; e o norte-americano Victor Plata, experiente neste tipo de disputa.

Definida seleção masculina do Fast Triathlon

Triathlon · 14 jan, 2003

A equipe brasileira que vai disputar o 3º Mundialito Cidade de Santos de Fast Triathlon Masculino, no próximo dia 9, em Santos, foi definida domingo (dia 12) na seletiva realizada na Cidade. Comprovando porque estão entre os melhores do Circuito Mundial e com grandes chances de disputar os Jogos Olímpicos de Atenas, em 2004, o brasiliense Leandro Macedo, o santista Paulo Henrique Miyasiro, o Shiro, e o curitibano Juraci Moreira Júnior garantiram as vagas.

A competição foi realizada logo após o Mundialito Feminino, que teve dobradinha brasileira com Carla Moreno e Sandra Soldan. Foram 25 competidores de 10 estados, que disputaram três baterias com 250 metros de natação, 4.200 metros de ciclismo e 1.350 metros de corrida. Aos 34 anos de idade, Leandro (Pão de Açúcar Club), o mais experiente triatleta do Brasil, não deu chances aos adversários, vencendo as três disputas.

Para a alegria da grande torcida local, Paulo Miyasiro (Memorial/ Pão de Açúcar Club/ Unimonte/ PMS) também teve um desempenho muito forte, chegando em 2º lugar nas duas primeiras baterias e em 3º lugar na última, invertendo o resultado com Juraci (Pão de Açúcar Club), que hoje figura na 23ª colocação no ranking mundial. O também santista Fred Monteiro ficou em 4º lugar na classificação final e será o reserva do time.

Para Leandro, que foi o 14º colocado nos Jogos Olímpicos de Sydney, em 2000, e compete no triathlon há 17 anos, este tipo de prova é ideal para quem tem muita experiência.

“Porque você tem de saber fazer a curva certa, não perder tempo na transição. Isso você só adquire com o tempo”, destacou o triatleta.Vim muito bem treinado para esta prova e apostava tudo na corrida. Os meus desempenhos na natação e ciclismo me surpreenderam. Fui bem em todas as baterias”, acrescentou Leandro, que está em 52º lugar no ranking mundial e tem como objetivo principal garantir vaga para os Jogos Olímpicos de Atenas, em 2004. “Este ano, a prioridade é uma medalha nos Jogos Pan-Americanos”, completa.

Sabor especial: Para Shiro, a conquista da vaga teve um sabor especial, por estar competindo na cidade onde mora e treina. “Tive um prazer a mais de competir em Santos e garantir esta vaga com toda esta torcida. Como viajo muito para o Circuito Mundial, não tenho oportunidade de disputar provas aqui. Agora vou representar o meu País na minha Cidade no Mundialito no dia 9. Vai ser ótimo”, ressaltou Shiro, que está com 27 anos de idade e ocupa a 60ª colocação no ranking mundial.

Melhor nadador de triathlon do País e um dos melhores do Mundo, ele saiu do mar na frente em todas as baterias. No ciclismo pedalou muitas vezes na frente e na corrida esteve sempre junto de Leandro e Juraci. Apesar da grande performance, Shiro quer melhorar mais e faz uma autocrítica: “Preciso fazer agora um trabalho mais de base. Me senti um pouco lento e posso melhorar muito”, afirmou o vice-campeão brasileiro de triathlon.

Juraci, atual campeão nacional, também está motivado e quer fazer bonito no Mundialito. “Gostei do meu desempenho, principalmente por ser uma prova rápida e diferente das habituais. Tenho pouco menos de um mês para concentrar toda a preparação neste estilo e espero chegar muito bem. Eu queria ter vencido pelo menos uma bateria. Não deu, mas vou tentar no Mundialito”, destacou Juraci, que está com 23 anos de idade e, assim como Leandro, participou de todas as disputas de Fast Triathlon no Brasil.

Mesmo ocupando a reserva, Fred comemorou muito a performance. “Estou extremamente satisfeito, porque esta prova foi muito forte e só fui superado pelos atletas que estão no Circuito Mundial. Mesmo estando na condição de reserva, considero este resultado uma vitória, porque estou sem patrocínio há alguns meses e competi na raça, na dedicação, no amor ao esporte”, afirmou Fred, que está com 28 anos de idade e tem o apoio da LVC e Vit Shop.

Outro santista, Mauro Miyasiro (Unimonte), primo de Shiro, também foi destaque e chegou perto da vaga, mas sofreu uma queda no ciclismo na última bateria, perdendo as chances de estar na equipe. Nas duas primeiras fases, ficou em 4º lugar, completando bem próximo dos vencedores. Na disputa decisiva, ele precisava superar Juraci para entrar no time. Estava na frente, quando perdeu o controle na curva. “Estava muito bem e dava para chegar”, lamentou Maurinho. “Agora é levantar a cabeça e pensar nas provas deste ano”, disse.


Definida seleção masculina do Fast Triathlon

Triathlon · 14 jan, 2003

A equipe brasileira que vai disputar o 3º Mundialito Cidade de Santos de Fast Triathlon Masculino, no próximo dia 9, em Santos, foi definida domingo (dia 12) na seletiva realizada na Cidade. Comprovando porque estão entre os melhores do Circuito Mundial e com grandes chances de disputar os Jogos Olímpicos de Atenas, em 2004, o brasiliense Leandro Macedo, o santista Paulo Henrique Miyasiro, o Shiro, e o curitibano Juraci Moreira Júnior garantiram as vagas.

A competição foi realizada logo após o Mundialito Feminino, que teve dobradinha brasileira com Carla Moreno e Sandra Soldan. Foram 25 competidores de 10 estados, que disputaram três baterias com 250 metros de natação, 4.200 metros de ciclismo e 1.350 metros de corrida. Aos 34 anos de idade, Leandro (Pão de Açúcar Club), o mais experiente triatleta do Brasil, não deu chances aos adversários, vencendo as três disputas.

Para a alegria da grande torcida local, Paulo Miyasiro (Memorial/ Pão de Açúcar Club/ Unimonte/ PMS) também teve um desempenho muito forte, chegando em 2º lugar nas duas primeiras baterias e em 3º lugar na última, invertendo o resultado com Juraci (Pão de Açúcar Club), que hoje figura na 23ª colocação no ranking mundial. O também santista Fred Monteiro ficou em 4º lugar na classificação final e será o reserva do time.

Para Leandro, que foi o 14º colocado nos Jogos Olímpicos de Sydney, em 2000, e compete no triathlon há 17 anos, este tipo de prova é ideal para quem tem muita experiência.

“Porque você tem de saber fazer a curva certa, não perder tempo na transição. Isso você só adquire com o tempo”, destacou o triatleta.Vim muito bem treinado para esta prova e apostava tudo na corrida. Os meus desempenhos na natação e ciclismo me surpreenderam. Fui bem em todas as baterias”, acrescentou Leandro, que está em 52º lugar no ranking mundial e tem como objetivo principal garantir vaga para os Jogos Olímpicos de Atenas, em 2004. “Este ano, a prioridade é uma medalha nos Jogos Pan-Americanos”, completa.

Sabor especial: Para Shiro, a conquista da vaga teve um sabor especial, por estar competindo na cidade onde mora e treina. “Tive um prazer a mais de competir em Santos e garantir esta vaga com toda esta torcida. Como viajo muito para o Circuito Mundial, não tenho oportunidade de disputar provas aqui. Agora vou representar o meu País na minha Cidade no Mundialito no dia 9. Vai ser ótimo”, ressaltou Shiro, que está com 27 anos de idade e ocupa a 60ª colocação no ranking mundial.

Melhor nadador de triathlon do País e um dos melhores do Mundo, ele saiu do mar na frente em todas as baterias. No ciclismo pedalou muitas vezes na frente e na corrida esteve sempre junto de Leandro e Juraci. Apesar da grande performance, Shiro quer melhorar mais e faz uma autocrítica: “Preciso fazer agora um trabalho mais de base. Me senti um pouco lento e posso melhorar muito”, afirmou o vice-campeão brasileiro de triathlon.

Juraci, atual campeão nacional, também está motivado e quer fazer bonito no Mundialito. “Gostei do meu desempenho, principalmente por ser uma prova rápida e diferente das habituais. Tenho pouco menos de um mês para concentrar toda a preparação neste estilo e espero chegar muito bem. Eu queria ter vencido pelo menos uma bateria. Não deu, mas vou tentar no Mundialito”, destacou Juraci, que está com 23 anos de idade e, assim como Leandro, participou de todas as disputas de Fast Triathlon no Brasil.

Mesmo ocupando a reserva, Fred comemorou muito a performance. “Estou extremamente satisfeito, porque esta prova foi muito forte e só fui superado pelos atletas que estão no Circuito Mundial. Mesmo estando na condição de reserva, considero este resultado uma vitória, porque estou sem patrocínio há alguns meses e competi na raça, na dedicação, no amor ao esporte”, afirmou Fred, que está com 28 anos de idade e tem o apoio da LVC e Vit Shop.

Outro santista, Mauro Miyasiro (Unimonte), primo de Shiro, também foi destaque e chegou perto da vaga, mas sofreu uma queda no ciclismo na última bateria, perdendo as chances de estar na equipe. Nas duas primeiras fases, ficou em 4º lugar, completando bem próximo dos vencedores. Na disputa decisiva, ele precisava superar Juraci para entrar no time. Estava na frente, quando perdeu o controle na curva. “Estava muito bem e dava para chegar”, lamentou Maurinho. “Agora é levantar a cabeça e pensar nas provas deste ano”, disse.

Brasil vence o Fast Triathlon Feminino

Triathlon · 12 jan, 2003

O Brasil foi o grande vencedor da 2ª edição do Mundialito Cidade de Santos de Fast Triathlon Feminino, A prova disputada em três baterias – todas sob chuva - abriu a temporada brasileira de 2003 de triathlon.

A competição que reuniu somente atletas profissionais agrupadas por seleções, acontece no próximo dia 12A prova é disputada por 18 triathletas – seis equipes de três – as competidoras disputam três baterias com 250 metros de natação, 4.200 metros de ciclismo e 1.350 metros de corrida, ao final existe a premiação por equipe e individual.

A seleção brasileira será orientada por Antonio Carlos Moreira do Amaral, o Cali, e será formada pelas triathletas que representaram o Brasil na estréia olímpica da modalidade em Sydney 2000, são elas: Carla Moreno, Mariana Ohata e Sandra Soldan, atletas da equipe Pão de Açúcar Club.

“Acredito que no conjunto, o Brasil tem tudo para repetir o feito do ano passado e buscar o inédito título individual”, analisa Cali, que levou Carla Moreno ao top ten da elite mundial na temporada 2002.

As adversárias mais difíceis certamente serão as canadenses, cuja equipe conta com: Carol Montgomery, ex-campeã mundial de triathlon, Jill Savage, atual 9ª colocada no ranking mundial e Sharon Donnelly, medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Winnipeg (Canadá).

"As canadenses são muito fortes e a Jill pode ser a surpresa na prova. Também temos de estar atentos à Sharon, que já competiu no Fast em Santos e tem uma natação muito forte. São duas atletas que podem dificultar”, observa o técnico brasileiro.

Como foi: No ano 2002, a equipe brasileira conquistou a primeira colocação, com o Canadá em segundo e os Estados Unidos na terceira posição, já no individual, a medalha de ouro foi conquistada por Montgomery, a prata por Moreno e o bronze por Soldan.


As representantes do Brasil nos Jogos Olímpicos de Sydney e tops do Circuito Mundial, Carla Moreno e Sandra Soldan, fizeram dobradinha neste domingo (dia 12) no 2º Mundialito Cidade de Santos de Fast Triathlon Feminino, disputado entre 18 atletas de seis países, em Santos, litoral paulista. Com uma corrida fantástica, Carla venceu duas das três baterias do evento, garantindo o título geral. Sandra também correu muito forte, faturou uma das fases e levou o vice-campeonato.

A competição, que teve transmissão ao vivo pela Rede Globo, mostrou um nível técnico excelente, com as quatro primeiras colocadas figurando entre as top 16 do Circuito Mundial de Triathlon. Em 3º lugar ficou a canadense Jill Savage, nº 9 do ranking mundial, e na seqüência a sua compatriota, Sharon Donelly, medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Winnipeg, em 99.

“Estou mais do que feliz. Começar a temporada com uma vitória dessas é ótimo. Foi difícil, fiz muita força. Dei o meu melhor. Dedico esta vitória ao meu pai (Manoel), que fez aniversário sexta-feira, ao povo de São Carlos (onde mora) e a esta torcida maravilhosa”, disse Carla, que tinha sido vice-campeã duas vezes no Fast Triathlon. Em 2001, no Desafio das Américas e ano passado, no 1º Mundialito (perdendo por apenas um ponto).

“Agora lavei a alma”, festejou a campeã, de 26 anos e3 idade, que tem um carinho especial por Santos. “Foi aqui que comecei a competir, em 1996, no Internacional, e também onde iniciei a minha carreira profissional”, comentou a triatleta, que é tetracampeã do Troféu Brasil, com todos os títulos conquistados em Santos. Na disputa por equipes, as canadenses - que tinham outra atleta experiente, Tereza Macel, top 30 do Mundial - venceram as brasileiras por apenas um ponto, 107 a 106, invertendo o resultado do ano passado.

As sul-africanas ficaram em 3º lugar, com 84, e as portuguesas em 4º, com 60. O time dos Estados Unidos terminou na 5ª posição, com 36 pontos, e o do Japão na 6ª, com 27. A prova foi disputada em três baterias (valendo a soma de todos os resultados), com 250 metros de natação, 4.200 metros de ciclismo e 1.350 metros de corrida, distâncias muito curtas, exigindo velocidade, explosão, além de não admitir erros. Com intervalos de tempo pequenos, o trabalho de recuperação era essencial.

“Temos de buscar energia onde não tem. É força mental, porque a física já foi. Temos de ir com a nossa disposição, força de vontade, determinação”, disse Sandra, durante um dos descansos. O tão temido calor não aconteceu e a disputa foi realizada embaixo de chuva, que se por um lado refrescou, por outro provocou uma demasiada preocupação nas atletas, evitando quedas durante o pedal, pelo asfalto escorregadio.

Mesmo chovendo, a torcida compareceu, fez uma grande festa e motivou o tempo todo o time brasileiro. “Fui buscar força nessa galera gritando. Esse público é sensacional”, vibrou Carla. Na 1ª bateria, ela mostrou estar com uma corrida excepcional. Chegou a estar 22 segundos atrás de Sharon Donelly durante o ciclismo, mas foi buscar a vitória com passadas largas, rápidas. O desempenho impressionou a todas: “Ela é muito rápida. Não dá para acompanhar. Tentei abrir no ciclismo, porque sabia que na corrida ela viria com tudo”, contou Sharon, que repetiu a colocação geral de 2002.

Na 2ª bateria, Sandra foi a melhor e venceu Jill Savage no sprint final. Novamente Carla fez uma corrida de recuperação, passando Sharon na última reta, para garantir o 3º lugar. Já na 3ª e decisiva disputa, as duas brasileiras e as duas canadenses tinham chances totais de vencer. Quem chegasse na frente era a campeã. As quatro saíram juntas da água. Sandra tentou abrir no ciclismo, com Carla querendo segurar as canadenses.

Depois, na corrida, as brasileiras imprimiram um ritmo forte, abrindo 20 segundos das rivais. Nos metros decisivos, as duas correram praticamente lado a lado e valeu o excelente preparo de Carla. “Eu queria essa dobradinha com a Sandra, mas vou sempre para ganhar. Se fosse ela quem vencesse eu ficaria feliz, mas tenho sangue nas veias e fui com tudo”, disse Carla.


Brasil vence o Fast Triathlon Feminino

Triathlon · 12 jan, 2003

O Brasil foi o grande vencedor da 2ª edição do Mundialito Cidade de Santos de Fast Triathlon Feminino, A prova disputada em três baterias – todas sob chuva - abriu a temporada brasileira de 2003 de triathlon.

A competição que reuniu somente atletas profissionais agrupadas por seleções, acontece no próximo dia 12A prova é disputada por 18 triathletas – seis equipes de três – as competidoras disputam três baterias com 250 metros de natação, 4.200 metros de ciclismo e 1.350 metros de corrida, ao final existe a premiação por equipe e individual.

A seleção brasileira será orientada por Antonio Carlos Moreira do Amaral, o Cali, e será formada pelas triathletas que representaram o Brasil na estréia olímpica da modalidade em Sydney 2000, são elas: Carla Moreno, Mariana Ohata e Sandra Soldan, atletas da equipe Pão de Açúcar Club.

“Acredito que no conjunto, o Brasil tem tudo para repetir o feito do ano passado e buscar o inédito título individual”, analisa Cali, que levou Carla Moreno ao top ten da elite mundial na temporada 2002.

As adversárias mais difíceis certamente serão as canadenses, cuja equipe conta com: Carol Montgomery, ex-campeã mundial de triathlon, Jill Savage, atual 9ª colocada no ranking mundial e Sharon Donnelly, medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Winnipeg (Canadá).

"As canadenses são muito fortes e a Jill pode ser a surpresa na prova. Também temos de estar atentos à Sharon, que já competiu no Fast em Santos e tem uma natação muito forte. São duas atletas que podem dificultar”, observa o técnico brasileiro.

Como foi: No ano 2002, a equipe brasileira conquistou a primeira colocação, com o Canadá em segundo e os Estados Unidos na terceira posição, já no individual, a medalha de ouro foi conquistada por Montgomery, a prata por Moreno e o bronze por Soldan.


As representantes do Brasil nos Jogos Olímpicos de Sydney e tops do Circuito Mundial, Carla Moreno e Sandra Soldan, fizeram dobradinha neste domingo (dia 12) no 2º Mundialito Cidade de Santos de Fast Triathlon Feminino, disputado entre 18 atletas de seis países, em Santos, litoral paulista. Com uma corrida fantástica, Carla venceu duas das três baterias do evento, garantindo o título geral. Sandra também correu muito forte, faturou uma das fases e levou o vice-campeonato.

A competição, que teve transmissão ao vivo pela Rede Globo, mostrou um nível técnico excelente, com as quatro primeiras colocadas figurando entre as top 16 do Circuito Mundial de Triathlon. Em 3º lugar ficou a canadense Jill Savage, nº 9 do ranking mundial, e na seqüência a sua compatriota, Sharon Donelly, medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Winnipeg, em 99.

“Estou mais do que feliz. Começar a temporada com uma vitória dessas é ótimo. Foi difícil, fiz muita força. Dei o meu melhor. Dedico esta vitória ao meu pai (Manoel), que fez aniversário sexta-feira, ao povo de São Carlos (onde mora) e a esta torcida maravilhosa”, disse Carla, que tinha sido vice-campeã duas vezes no Fast Triathlon. Em 2001, no Desafio das Américas e ano passado, no 1º Mundialito (perdendo por apenas um ponto).

“Agora lavei a alma”, festejou a campeã, de 26 anos e3 idade, que tem um carinho especial por Santos. “Foi aqui que comecei a competir, em 1996, no Internacional, e também onde iniciei a minha carreira profissional”, comentou a triatleta, que é tetracampeã do Troféu Brasil, com todos os títulos conquistados em Santos. Na disputa por equipes, as canadenses - que tinham outra atleta experiente, Tereza Macel, top 30 do Mundial - venceram as brasileiras por apenas um ponto, 107 a 106, invertendo o resultado do ano passado.

As sul-africanas ficaram em 3º lugar, com 84, e as portuguesas em 4º, com 60. O time dos Estados Unidos terminou na 5ª posição, com 36 pontos, e o do Japão na 6ª, com 27. A prova foi disputada em três baterias (valendo a soma de todos os resultados), com 250 metros de natação, 4.200 metros de ciclismo e 1.350 metros de corrida, distâncias muito curtas, exigindo velocidade, explosão, além de não admitir erros. Com intervalos de tempo pequenos, o trabalho de recuperação era essencial.

“Temos de buscar energia onde não tem. É força mental, porque a física já foi. Temos de ir com a nossa disposição, força de vontade, determinação”, disse Sandra, durante um dos descansos. O tão temido calor não aconteceu e a disputa foi realizada embaixo de chuva, que se por um lado refrescou, por outro provocou uma demasiada preocupação nas atletas, evitando quedas durante o pedal, pelo asfalto escorregadio.

Mesmo chovendo, a torcida compareceu, fez uma grande festa e motivou o tempo todo o time brasileiro. “Fui buscar força nessa galera gritando. Esse público é sensacional”, vibrou Carla. Na 1ª bateria, ela mostrou estar com uma corrida excepcional. Chegou a estar 22 segundos atrás de Sharon Donelly durante o ciclismo, mas foi buscar a vitória com passadas largas, rápidas. O desempenho impressionou a todas: “Ela é muito rápida. Não dá para acompanhar. Tentei abrir no ciclismo, porque sabia que na corrida ela viria com tudo”, contou Sharon, que repetiu a colocação geral de 2002.

Na 2ª bateria, Sandra foi a melhor e venceu Jill Savage no sprint final. Novamente Carla fez uma corrida de recuperação, passando Sharon na última reta, para garantir o 3º lugar. Já na 3ª e decisiva disputa, as duas brasileiras e as duas canadenses tinham chances totais de vencer. Quem chegasse na frente era a campeã. As quatro saíram juntas da água. Sandra tentou abrir no ciclismo, com Carla querendo segurar as canadenses.

Depois, na corrida, as brasileiras imprimiram um ritmo forte, abrindo 20 segundos das rivais. Nos metros decisivos, as duas correram praticamente lado a lado e valeu o excelente preparo de Carla. “Eu queria essa dobradinha com a Sandra, mas vou sempre para ganhar. Se fosse ela quem vencesse eu ficaria feliz, mas tenho sangue nas veias e fui com tudo”, disse Carla.

Portugal e África do Sul disputarão o Fast de Triathlon

Triathlon · 10 jan, 2003

As principais novidades para a disputa da 2º Mundialito Cidade de Santos de Fast Triathlon Feminino, que será acontece neste domingo, em Santos, é a estréia das seleções de Portugal e África do Sul que ocupam os lugares da Argentina e Nova Zelândia que participaram da primeira edição da competição.

As demais seleções, além do Brasil, são Japão, Estados Unidos e Japão que competiram na 1ª edição do Fast Triathlon Feminino.

O Canadá é a seleção favorita pelo alto potencial de seu time formado pelas triathletas Carol Montgomery, ex-campeã mundial de triathlon, Jill Savage, atual 9ª colocada no ranking mundial e Sharon Donnelly, medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Winnipeg (Canadá), mesmo tendo uma integrante que estréia na distância.

"Para mim será uma experiência nova. Vim interessada em aprender e me divertir na competição", diz a triathleta Jill Savage, que é especialista em provas de longa distância, como o Ironman.

Se de um lado o Canadá traz atletas consagradas, Portugal e África do Sul, vieram com o futuro do triathlon de seus respectivos países. A seleção portuguesa é formada por Lauri Sarah Verhuet Moniz, de apenas 15 anos, Vanessa Fernandes , 17, e por Maria Areosa, 18. Já, as sul-africanas contam com Marie Rabie (17 anos), Kate Roberts (19) e Louise Anne Murphy, 20.


Portugal e África do Sul disputarão o Fast de Triathlon

Triathlon · 10 jan, 2003

As principais novidades para a disputa da 2º Mundialito Cidade de Santos de Fast Triathlon Feminino, que será acontece neste domingo, em Santos, é a estréia das seleções de Portugal e África do Sul que ocupam os lugares da Argentina e Nova Zelândia que participaram da primeira edição da competição.

As demais seleções, além do Brasil, são Japão, Estados Unidos e Japão que competiram na 1ª edição do Fast Triathlon Feminino.

O Canadá é a seleção favorita pelo alto potencial de seu time formado pelas triathletas Carol Montgomery, ex-campeã mundial de triathlon, Jill Savage, atual 9ª colocada no ranking mundial e Sharon Donnelly, medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Winnipeg (Canadá), mesmo tendo uma integrante que estréia na distância.

"Para mim será uma experiência nova. Vim interessada em aprender e me divertir na competição", diz a triathleta Jill Savage, que é especialista em provas de longa distância, como o Ironman.

Se de um lado o Canadá traz atletas consagradas, Portugal e África do Sul, vieram com o futuro do triathlon de seus respectivos países. A seleção portuguesa é formada por Lauri Sarah Verhuet Moniz, de apenas 15 anos, Vanessa Fernandes , 17, e por Maria Areosa, 18. Já, as sul-africanas contam com Marie Rabie (17 anos), Kate Roberts (19) e Louise Anne Murphy, 20.

Bertucci substituíra Ohata no Fast Triathlon

Triathlon · 07 jan, 2003

A atleta Mariana Ohata, integrante da seleção brasileira de triathlon, está fora da disputa no próximo domingo, em Santos ( SP), da 2ª edição do Mundialito Cidade de Santos de Fast Triathlon Feminino. O motivo do afastamento da triathleta é uma lesão no joelho.

Para substituir Ohata, o técnico da seleção brasileira Antonio Carlos Moreira do Amaral, o Cali, convocou Gisele Bertucci. Ambas, fazem parte da equipe do Pão de Açúcar Club.

“Vou tentar fazer o melhor possível. Não me preparei para esta prova, porque fiquei sabendo em cima da hora, com a contusão da Mariana. Mas vou procurar ajudar a equipe”, afirma Gisele, que na temporada 2003 terá como técnico Carlos Eugênio Ferraro, o Neném.

Quanto ao seu novo técnico e seus principais objetivos Bertucci explica: “Vou buscando o que é melhor para a minha carreira. Quero sempre estar crescendo e conheço o trabalho do Neném, o que dá mais motivação”, explica Gisele, que sonha disputar os Jogos Olímpicos de Atenas, em 2004. “Meu objetivo mesmo é disputar os Jogos em 2008, mas sonho com Atenas. Vou fazer tudo para estar defendendo o Brasil no próximo ano”, revela Gisele, que este ano voltará a disputar provas do Circuito Mundial. “Já cheguei a ser a 76ª do Mundo”, ressalta a triathleta.

A competição que reunirá somente atletas profissionais agrupados por seleções, abrirá a temporada 2003 de provas de triathlon no Brasil. As competidoras -18 no total - disputam três baterias com 250 metros de natação, 4.200 metros de ciclismo e 1.350 metros de corrida, ao final, existe a premiação por equipe e individual.

Como foi: No ano 2002, a equipe brasileira conquistou a primeira colocação, com o Canadá em segundo e os Estados Unidos na terceira posição, já no individual, a medalha de ouro foi conquistada por Montgomery, a prata por Moreno e o bronze por Soldan.


Bertucci substituíra Ohata no Fast Triathlon

Triathlon · 07 jan, 2003

A atleta Mariana Ohata, integrante da seleção brasileira de triathlon, está fora da disputa no próximo domingo, em Santos ( SP), da 2ª edição do Mundialito Cidade de Santos de Fast Triathlon Feminino. O motivo do afastamento da triathleta é uma lesão no joelho.

Para substituir Ohata, o técnico da seleção brasileira Antonio Carlos Moreira do Amaral, o Cali, convocou Gisele Bertucci. Ambas, fazem parte da equipe do Pão de Açúcar Club.

“Vou tentar fazer o melhor possível. Não me preparei para esta prova, porque fiquei sabendo em cima da hora, com a contusão da Mariana. Mas vou procurar ajudar a equipe”, afirma Gisele, que na temporada 2003 terá como técnico Carlos Eugênio Ferraro, o Neném.

Quanto ao seu novo técnico e seus principais objetivos Bertucci explica: “Vou buscando o que é melhor para a minha carreira. Quero sempre estar crescendo e conheço o trabalho do Neném, o que dá mais motivação”, explica Gisele, que sonha disputar os Jogos Olímpicos de Atenas, em 2004. “Meu objetivo mesmo é disputar os Jogos em 2008, mas sonho com Atenas. Vou fazer tudo para estar defendendo o Brasil no próximo ano”, revela Gisele, que este ano voltará a disputar provas do Circuito Mundial. “Já cheguei a ser a 76ª do Mundo”, ressalta a triathleta.

A competição que reunirá somente atletas profissionais agrupados por seleções, abrirá a temporada 2003 de provas de triathlon no Brasil. As competidoras -18 no total - disputam três baterias com 250 metros de natação, 4.200 metros de ciclismo e 1.350 metros de corrida, ao final, existe a premiação por equipe e individual.

Como foi: No ano 2002, a equipe brasileira conquistou a primeira colocação, com o Canadá em segundo e os Estados Unidos na terceira posição, já no individual, a medalha de ouro foi conquistada por Montgomery, a prata por Moreno e o bronze por Soldan.