Sammy Wanjiru

Wanjiru e Irina Mikitenko defendem título da Maratona de Londres

Maratona · 02 dez, 2009

As estrelas Sammy Wanjiru, do Quênia, e Irina Mikitenko, da Alemanha, retornarão à Maratona de Londres em 25 de abril do ano que vem para defender o título num dos pelotões mais fortes em 29 anos de história. Enquanto Wanjiru tentará fazer bonito mais uma vez após o recorde do percurso ano passado, Mikitenko tentará se tornar a segunda mulher a vencer três edições consecutivas e se igualar à sua compatriota German Katrin Dorre (1992 a 1994).

Apesar de possuir o tempo de 2h05min10 como melhor tempo na carreira, ele será apenas o terceiro mais rápido no field masculino, que inclui nada menos do que seis corredores que já correram mais rápido do que 2h05min30. Entre eles estão os quenianos Abel Kirui, campeão da Maratona no Mundial de Berlim esse ano, e Martin Lel, tricampeão de Londres, além de Tsegaye Kebede, bronze na Olimpíada e no Mundial. Também estará na disputa Jaouad Gharib, do Marrocos, ex-bicampeão mundial e terceiro em Londres ano passado.

Um dos grandes destaques será talvez o queniano Duncan Kibet, segundo mais rápido da história na maratona com o tempo de 2h04min27 graças à sua vitória em Rotterdam este ano. Ele fará sua estreia na disputa, assim como Abel Kirui.

“Estou feliz por voltar a Londres”, comenta Wanjiru, de 23 anos, que este ano venceu o prêmio das Maiores Maratonas do Mundo (World Marathon Majors). “Farei o melhor para defender o título depois de trabalhar tão duro para vencer a última edição”, ressalta. “Londres sempre tem os melhores atletas, mas a presença de Duncan, Abel e Martin será ainda mais forte”, completa.

Haverá muitos outros bons entre os 16 da elite, incluindo o queniano Emmanuel Mutai, sub 2h07 e prata no Mundial de Berlim, além do bicampeão da Maratona de Nova York, o brasileiro Marílson Gomes dos Santos. Dois atletas da Eritreia, Yonas Kifle, e o tricampeão mundial de Meia, Zersenay Tadese, também buscarão boas colocações. Os asiáticos serão representados pelos gêmeos Yuko e Takayuki Matsumiya e Yusei Nakao.

A esperança britânica de uma boa apresentação em casa está nos ombros de Dan Robinson, medalha de prata nos Jogos Commonwealth e de Andrew Lemoncello, ex-atleta de barreiras que fará sua estreia na distância.

Mulheres - Na prova feminina as disputas também serão acirradas. Enquanto Mikitenko entrará com seu recorde alemão de 2h19min19, ela terá forte oposição da romena Constantina Dita, atual campeã olímpica. A britânica Mara Yamauchi também será uma pedra no sapato, já que ano passado ela chegou em segundo em Londres, um minuto atrás da campeã e com a melhor marca na carreira de 2h23min12.

“Meu objetivo é vencer a Maratona de Londres pela terceira vez e me igualar ao recorde de Katrin”, relata Mikitenko de 37 anos. “Eu amo correr em Londres e estou determinada a estar em boa forma e pronta para o desafio, mas sei que será complicado pelas fortes adversárias”.

Entre as 19 competidoras da elite, seis quebraram a marca de 2h22, enquanto 12 já correram mais rápido do que 2h25. A medalhista olímpica em Atenas, Deena Kastor, é a segunda mais rápida do field e tentará repetir o feito de 2006, ocasião em que venceu com 2h19min36, recorde americano.

A medalhista de prata em Nova York, Lyudmila Petrova, é a terceira mais rápida. Ela é uma das cinco russas de peso junto com a veterana Svetlana Zakharova, três vezes vice em Londres e Liliya Shobukhova, campeã de Chicago em 2009, atual terceira em Londres e Inga Abitova, recém campeã da Maratona de Yokohama.

Um grupo de cinco etíopes rápidas também aparece como destaque. São elas a campeã de Berlim Atsede Habtamu, a campeã de Dubai em 2009 Bezunesh Bekele, a medalhista de bronze no Mundial, Mergia Aselefech, além da ex-campeã de Paris Magarsa Assale Tafa.

As asiáticas terão como nomes fortes a campeã mundial Bai Xue, da China, junto com a medalhista de prata no mundial Yoshimi Ozaki e sua colega de equipe no time japonês Yukiko Akaba. Duas Neo Zelandesas, Kim Smith e Fiona Docherty, além da sul-africana Tanith Maxwell completam o field.

“Estamos honrados em dar as boas vindas aos nossos dois campeões para encabeças provas de alta qualidade”, comenta David Bedford, diretor da competição. “Os dois pelotões são os melhores que tivemos em 29 anos de história e tenho certeza que vão produzir duas disputas ótimas para o público”, completa.


Wanjiru e Irina Mikitenko defendem título da Maratona de Londres

Maratona · 02 dez, 2009

As estrelas Sammy Wanjiru, do Quênia, e Irina Mikitenko, da Alemanha, retornarão à Maratona de Londres em 25 de abril do ano que vem para defender o título num dos pelotões mais fortes em 29 anos de história. Enquanto Wanjiru tentará fazer bonito mais uma vez após o recorde do percurso ano passado, Mikitenko tentará se tornar a segunda mulher a vencer três edições consecutivas e se igualar à sua compatriota German Katrin Dorre (1992 a 1994).

Apesar de possuir o tempo de 2h05min10 como melhor tempo na carreira, ele será apenas o terceiro mais rápido no field masculino, que inclui nada menos do que seis corredores que já correram mais rápido do que 2h05min30. Entre eles estão os quenianos Abel Kirui, campeão da Maratona no Mundial de Berlim esse ano, e Martin Lel, tricampeão de Londres, além de Tsegaye Kebede, bronze na Olimpíada e no Mundial. Também estará na disputa Jaouad Gharib, do Marrocos, ex-bicampeão mundial e terceiro em Londres ano passado.

Um dos grandes destaques será talvez o queniano Duncan Kibet, segundo mais rápido da história na maratona com o tempo de 2h04min27 graças à sua vitória em Rotterdam este ano. Ele fará sua estreia na disputa, assim como Abel Kirui.

“Estou feliz por voltar a Londres”, comenta Wanjiru, de 23 anos, que este ano venceu o prêmio das Maiores Maratonas do Mundo (World Marathon Majors). “Farei o melhor para defender o título depois de trabalhar tão duro para vencer a última edição”, ressalta. “Londres sempre tem os melhores atletas, mas a presença de Duncan, Abel e Martin será ainda mais forte”, completa.

Haverá muitos outros bons entre os 16 da elite, incluindo o queniano Emmanuel Mutai, sub 2h07 e prata no Mundial de Berlim, além do bicampeão da Maratona de Nova York, o brasileiro Marílson Gomes dos Santos. Dois atletas da Eritreia, Yonas Kifle, e o tricampeão mundial de Meia, Zersenay Tadese, também buscarão boas colocações. Os asiáticos serão representados pelos gêmeos Yuko e Takayuki Matsumiya e Yusei Nakao.

A esperança britânica de uma boa apresentação em casa está nos ombros de Dan Robinson, medalha de prata nos Jogos Commonwealth e de Andrew Lemoncello, ex-atleta de barreiras que fará sua estreia na distância.

Mulheres - Na prova feminina as disputas também serão acirradas. Enquanto Mikitenko entrará com seu recorde alemão de 2h19min19, ela terá forte oposição da romena Constantina Dita, atual campeã olímpica. A britânica Mara Yamauchi também será uma pedra no sapato, já que ano passado ela chegou em segundo em Londres, um minuto atrás da campeã e com a melhor marca na carreira de 2h23min12.

“Meu objetivo é vencer a Maratona de Londres pela terceira vez e me igualar ao recorde de Katrin”, relata Mikitenko de 37 anos. “Eu amo correr em Londres e estou determinada a estar em boa forma e pronta para o desafio, mas sei que será complicado pelas fortes adversárias”.

Entre as 19 competidoras da elite, seis quebraram a marca de 2h22, enquanto 12 já correram mais rápido do que 2h25. A medalhista olímpica em Atenas, Deena Kastor, é a segunda mais rápida do field e tentará repetir o feito de 2006, ocasião em que venceu com 2h19min36, recorde americano.

A medalhista de prata em Nova York, Lyudmila Petrova, é a terceira mais rápida. Ela é uma das cinco russas de peso junto com a veterana Svetlana Zakharova, três vezes vice em Londres e Liliya Shobukhova, campeã de Chicago em 2009, atual terceira em Londres e Inga Abitova, recém campeã da Maratona de Yokohama.

Um grupo de cinco etíopes rápidas também aparece como destaque. São elas a campeã de Berlim Atsede Habtamu, a campeã de Dubai em 2009 Bezunesh Bekele, a medalhista de bronze no Mundial, Mergia Aselefech, além da ex-campeã de Paris Magarsa Assale Tafa.

As asiáticas terão como nomes fortes a campeã mundial Bai Xue, da China, junto com a medalhista de prata no mundial Yoshimi Ozaki e sua colega de equipe no time japonês Yukiko Akaba. Duas Neo Zelandesas, Kim Smith e Fiona Docherty, além da sul-africana Tanith Maxwell completam o field.

“Estamos honrados em dar as boas vindas aos nossos dois campeões para encabeças provas de alta qualidade”, comenta David Bedford, diretor da competição. “Os dois pelotões são os melhores que tivemos em 29 anos de história e tenho certeza que vão produzir duas disputas ótimas para o público”, completa.

Sob frio intenso, Sammy Wanjiru vence Maratona de Chicago

Maratona · 13 out, 2009

No último domingo (11) aconteceu a edição 2009 da Maratona de Chicago, competição que este ano foi marcada pelas baixas temperaturas (perto dos zero graus) e contou com vitória do queniano Samuel Wanjiru (com direito a recorde do percurso). No feminino a russa Lilya Shobukhova surpreendeu a todos e faturou a vitória.

A prova masculina começou com a liderança de três coelhos e, logo de cara, cinco quenianos assumiram a liderança num ritmo de 4min40 nos primeiros quilômetros. A marca da meia maratona foi atingida com 1h02min, momento em que um dos coelhos já tinha abandonado a disputa e outro tinha dificuldade em manter o ritmo.

Na altura do quilômetro 25, o último coelho, o campeão de Chicago 2007 Patrick Ivuti, não resistiu à pressão e foi ultrapassado pelos líderes. Neste momento Wanjiru olhou para trás e verificou que seus compatriotas ainda o perseguiam, mas resolveu que não era hora ainda de acelerar.

No quilômetro 35 ele fez o movimento decisivo e abriu uma pequena vantagem sobre Vincent Kipruto e Charles Munyeki e a vitória estava certa, a única questão seria a quebra ou não do antigo recorde de Khalid Khannouchi. A organização oferecia um bônus extra de 100 mil dólares caso a marca fosse atingida.

Ao se aproximar da linha de chegada, Wanjiru acenava e sorria para o público, gestos que poderiam comprometer sua concentração e até o recorde, mas ele conseguiu cruzar a linha de chegada a tempo de deixar seu nome na história. Ele fechou em 2h05min41 e levou o bônus, já que foi um segundo mais rápido do que a antiga marca.

Perguntado se sabia da premiação extra pelo feito, o queniano disse que não se preocupou com isso, queria apenas vencer e que estava muito feliz por ter conseguido. “Eu sabia que o recorde mundial estava longe, então me concentrei apenas em vencer”, relata o campeão de 22 anos. A segunda posição ficou com Abderrahim Goumri ao marcar 2h06min04 e a terceira com Vincent Kipruto com o tempo de 2h06min08.

Campeão olímpico e vencedor das quatro primeiras maratonas que disputou na carreira, ele é apontado pelos concorrentes como grande favorito a quebrar a marca mundial de 2h03min59 de Haile Gebrselassie. “Ele é um grande corredor, mas para quebrar o recorde precisa mudar suas táticas”, relata o vice-campeão em Chicago Abderrahim Goumri, do Marrocos.

Recentemente muitos especialistas têm discutido a possibilidade de algum atleta quebrar a marca das duas horas na maratona, algo a que Wanjiru prefere não se apegar. Ele comentou após a vitória, porém, que acredita ser possível correr em 2h02.

Feminino - No feminino, a vitória foi o objetivo da maioria das competidoras, que também não se preocuparam em estabelecer marcas fortes na prova americana. Até a passagem pela meia maratona seis atletas se revezavam na liderança, até que a três quilômetros do final a russa Liliya Shobukhova apertou o passo para cruzar em primeiro com 2h25min56.

Assim como Wanjiru, ela olhou para trás, estudou as concorrentes e percebeu que tinha plenas condições de vencer. “Sabíamos que seria uma prova lenta no começo devido ao frio. No momento em que eu olhei para as meninas, vi que a Irina Mikitenko respirava com dificuldade, então pensei que era o momento de dar o meu melhor”, relata a campeã. Ao ser perguntada sobre o que faria depois da prova, ela nem pestanejou: “vamos para a Disneylândia”.

“Eu deveria ter corrido rápido um pouco antes”, lamenta a vice Mikitenko, que fechou com 2h26min31. “Na Rússia faz frio a maior parte do tempo, mas estava demais aqui. As russas gostam de calor”, enfatiza a terceira colocada Lidiya Grigoryeva que marcou 2h26min47.


Sob frio intenso, Sammy Wanjiru vence Maratona de Chicago

Maratona · 13 out, 2009

No último domingo (11) aconteceu a edição 2009 da Maratona de Chicago, competição que este ano foi marcada pelas baixas temperaturas (perto dos zero graus) e contou com vitória do queniano Samuel Wanjiru (com direito a recorde do percurso). No feminino a russa Lilya Shobukhova surpreendeu a todos e faturou a vitória.

A prova masculina começou com a liderança de três coelhos e, logo de cara, cinco quenianos assumiram a liderança num ritmo de 4min40 nos primeiros quilômetros. A marca da meia maratona foi atingida com 1h02min, momento em que um dos coelhos já tinha abandonado a disputa e outro tinha dificuldade em manter o ritmo.

Na altura do quilômetro 25, o último coelho, o campeão de Chicago 2007 Patrick Ivuti, não resistiu à pressão e foi ultrapassado pelos líderes. Neste momento Wanjiru olhou para trás e verificou que seus compatriotas ainda o perseguiam, mas resolveu que não era hora ainda de acelerar.

No quilômetro 35 ele fez o movimento decisivo e abriu uma pequena vantagem sobre Vincent Kipruto e Charles Munyeki e a vitória estava certa, a única questão seria a quebra ou não do antigo recorde de Khalid Khannouchi. A organização oferecia um bônus extra de 100 mil dólares caso a marca fosse atingida.

Ao se aproximar da linha de chegada, Wanjiru acenava e sorria para o público, gestos que poderiam comprometer sua concentração e até o recorde, mas ele conseguiu cruzar a linha de chegada a tempo de deixar seu nome na história. Ele fechou em 2h05min41 e levou o bônus, já que foi um segundo mais rápido do que a antiga marca.

Perguntado se sabia da premiação extra pelo feito, o queniano disse que não se preocupou com isso, queria apenas vencer e que estava muito feliz por ter conseguido. “Eu sabia que o recorde mundial estava longe, então me concentrei apenas em vencer”, relata o campeão de 22 anos. A segunda posição ficou com Abderrahim Goumri ao marcar 2h06min04 e a terceira com Vincent Kipruto com o tempo de 2h06min08.

Campeão olímpico e vencedor das quatro primeiras maratonas que disputou na carreira, ele é apontado pelos concorrentes como grande favorito a quebrar a marca mundial de 2h03min59 de Haile Gebrselassie. “Ele é um grande corredor, mas para quebrar o recorde precisa mudar suas táticas”, relata o vice-campeão em Chicago Abderrahim Goumri, do Marrocos.

Recentemente muitos especialistas têm discutido a possibilidade de algum atleta quebrar a marca das duas horas na maratona, algo a que Wanjiru prefere não se apegar. Ele comentou após a vitória, porém, que acredita ser possível correr em 2h02.

Feminino - No feminino, a vitória foi o objetivo da maioria das competidoras, que também não se preocuparam em estabelecer marcas fortes na prova americana. Até a passagem pela meia maratona seis atletas se revezavam na liderança, até que a três quilômetros do final a russa Liliya Shobukhova apertou o passo para cruzar em primeiro com 2h25min56.

Assim como Wanjiru, ela olhou para trás, estudou as concorrentes e percebeu que tinha plenas condições de vencer. “Sabíamos que seria uma prova lenta no começo devido ao frio. No momento em que eu olhei para as meninas, vi que a Irina Mikitenko respirava com dificuldade, então pensei que era o momento de dar o meu melhor”, relata a campeã. Ao ser perguntada sobre o que faria depois da prova, ela nem pestanejou: “vamos para a Disneylândia”.

“Eu deveria ter corrido rápido um pouco antes”, lamenta a vice Mikitenko, que fechou com 2h26min31. “Na Rússia faz frio a maior parte do tempo, mas estava demais aqui. As russas gostam de calor”, enfatiza a terceira colocada Lidiya Grigoryeva que marcou 2h26min47.

Sammy Wanjiru e Irina Mikitenko estréiam na Maratona de Chicago

Maratona · 09 out, 2009

Nesta segunda feira (11/10) acontece a edição 2009 da Maratona de Chicago, competição que terá como destaque a participação de Sammy Wanjiru e Irina Mikitenko, dois estreantes na disputa norte americana. Wanjiru chega como franco favorito, depois de seu ouro na Olimpíada de Pequim ano passado e o recorde da Maratona de Londres esse ano, enquanto Irina possui o recorde alemão dos 42 quilômetros.

Wanjiru acredita que pode estabelecer um novo recorde da competição, mas não terá vida fácil, pois o restante do pelotão de elite promete fazer marcação cerrada em cima do queniano. Entres as estrelas estão o marroquino Abderrahim Goumri, que possui 2h05min30 como melhor tempo e o estreante em maratonas Tadese Tola (Etiópia), que voou baixo nas duas últimas edições da Meia de Nova York em que participou.

Já entre as mulheres as atenções estarão voltadas para a defensora do titulo Lidiya Grigoryeva (Rússia), que enfrentará duas maratonistas com 2h19min como melhor tempo: Deena Kastor e Irina Mikitenko. A atleta dos Estados Unidos já venceu as maratonas de Chicago e Londres e possui o recorde americano com 2h19min36, enquanto Irina possui o recorde alemão com 2h19min19.

Diferente da edição de 2007, ocasião em que a cidade foi acometida por um forte calor fora de época, desta vez a condição se manterá dentro da normalidade, segundo a meteorologia. A previsão é que as temperaturas fiquem entre três e nove graus.


Sammy Wanjiru e Irina Mikitenko estréiam na Maratona de Chicago

Maratona · 09 out, 2009

Nesta segunda feira (11/10) acontece a edição 2009 da Maratona de Chicago, competição que terá como destaque a participação de Sammy Wanjiru e Irina Mikitenko, dois estreantes na disputa norte americana. Wanjiru chega como franco favorito, depois de seu ouro na Olimpíada de Pequim ano passado e o recorde da Maratona de Londres esse ano, enquanto Irina possui o recorde alemão dos 42 quilômetros.

Wanjiru acredita que pode estabelecer um novo recorde da competição, mas não terá vida fácil, pois o restante do pelotão de elite promete fazer marcação cerrada em cima do queniano. Entres as estrelas estão o marroquino Abderrahim Goumri, que possui 2h05min30 como melhor tempo e o estreante em maratonas Tadese Tola (Etiópia), que voou baixo nas duas últimas edições da Meia de Nova York em que participou.

Já entre as mulheres as atenções estarão voltadas para a defensora do titulo Lidiya Grigoryeva (Rússia), que enfrentará duas maratonistas com 2h19min como melhor tempo: Deena Kastor e Irina Mikitenko. A atleta dos Estados Unidos já venceu as maratonas de Chicago e Londres e possui o recorde americano com 2h19min36, enquanto Irina possui o recorde alemão com 2h19min19.

Diferente da edição de 2007, ocasião em que a cidade foi acometida por um forte calor fora de época, desta vez a condição se manterá dentro da normalidade, segundo a meteorologia. A previsão é que as temperaturas fiquem entre três e nove graus.