nike 10k

Veja como foi a Nike Human Race em outros lugares do mundo

Corridas de Rua · 02 set, 2008

A corrida Nike Human Race aconteceu no último domingo (31) em 25 cidades de diversos países. Em São Paulo o evento contou com mais de 20 mil pessoas e show do Seu Jorge. E nos outros lugares, você sabe como foi? Confira o relato de três atletas que estiveram respectivamente na Nike Human Race de Nova York, Xangai e Madrid.

Nova York - O casal de brasileiros, Danielle e Guilherme Maradei, correram a Nike Human Race em Nova York, nos Estados Unidos. Moradores de West Orange, cerca de 20 minutos de Manhattam, os dois estrearam na corrida e gostaram.

“Nos retiramos nossos kits na sexta-feira à tarde. Recebemos vários e-mails nos dias que antecederam a prova com instruções e dicas. O último deles foi com as informações da logística para o dia da prova (como chegar, o que levar, etc.). A organização recomendava que todos utilizassem transporte público, já que estacionamento dentro da Randall Island, local da corrida, é extremamente limitado”, conta.

Com tudo pronto os dois foram de carro até Manhattam e de lá seguiram no ônibus da organização até o local de largada, Randall Island. O início da prova estava marcado para às 18h, mas a corrida só começou às 18h40.

“Pouco antes das 18h eles anunciaram que haveria um pouco de atraso para o início da prova. Mas o atraso acabou sendo bem maior do que o previsto e algumas pessoas demonstraram uma certa impaciência, pois o sol ainda estava bem forte”, revela a brasileira.

Depois da largada todas as 10 mil pessoas seguiram num percurso que contou com certas irregularidades no asfalto e alguns trechos de afunilamento de corredores. “Pessoalmente não gostei muito da escolha do percurso. A superfície era bem irregular, pois a ilha me pareceu estar em obras, então em alguns trechos chegava a ser até um pouco perigoso correr pelos defeitos no asfalto. Mas o pior foi quando todos "entalaram" em uma pequena ponte, atrasando em pelo menos cinco minutos o tempo total da prova”, conta.

Como no Brasil, ao final da competição os corredores se dirigiam para uma área de show, dentro do estádio, Icahn Stadium. Os nova-iorquinos puderam assistir ao show da banda All-American Rejects.

Xangai - Já do outro lado do mundo, na cidade de Xangai na China, cerca de 17 mil pessoas também participaram da Nike Human Race. O treinador Marco Oliveira, que mora atualmente em Xangai, acompanhou a prova.

Segundo ele, a chuva que caiu no dia da competição não intimidou os chineses. Além disso, a participação de estrangeiros foi mínima. A largada da prova foi dada dentro do Century Park (o Ibirapuera de Xangai) e para chegar no local da competição os corredores não tiveram problema. “A estação de metrô, Shanghai Science and Technology Museum, tinha uma das saídas, dentro do parque, isso facilitou o fluxo dos corredores”, conta o brasileiro.

De acordo com Marco, seis quilômetros do percurso foram feitos na parte de fora do Parque, num trecho já conhecido pelos chineses, e os outros quatro foram realizados dentro do próprio parque. “Um dos momentos críticos da prova foi no quilômetro cinco. Lá os tapetes de chip ficaram vendo de longe os primeiros colocados. Isso porque o carro madrinha não entrou na ciclovia que estavam posicionados os tapetes, continuando na Via Expressa, com isso os ponteiros da prova também não entraram na ciclovia e seguiram o Mustang madrinha sem registrar seu tempo”.

Além disso, Marco observou que poucos corredores completaram o percurso correndo. Já no quilômetro quatro muitas pessoas começaram a andar. No final da prova cada inscrito ganhou um kit com fruta, camiseta e isotônico.

“Apesar da prova ter o selo da WWF e difundir a preocupação com o meio ambiente o que foi presenciado na área de dispersão descaracterizava totalmente esse conceito. A área de dispersão foi a mais crítica. As tendas para entregar as camisetas não foram capazes de dar conta do recado proporcionando aglomerações preocupantes dos participantes”, revela. “Foi necessário a intervenção pacífica e extremamente eficiente da Polícia de Xangai para organizar literalmente a desorganização”, acrescenta.

Uma das cidades européias que realizou a Nike Human Race foi Madrid, na Espanha. A prova teve largada no Parque do Retiro e reuniu mais de 11 mil pessoas. O brasileiro Danilo Ferreira, que mora em Madrid, participou da corrida. Essa foi a primeira vez que ele correu num evento.

Segundo Danilo, o percurso passou pelos principais pontos turísticos da cidade como: Parque do Retiro, estação de trem de Atocha, Puerta del Sol, Palacio Real e Catedral de Almudena, além de passar por dentro da Plaza Mayor.

“Para mim este verdadeiro tour, que já havia passado algumas vezes a pé, foi bastante diferente. Desta vez ao chegar no ponto de largada, no Parque do Retiro, o clima parecia de verão, sol e praças e vias lotadas, com uma diferença: havia uma verdadeira maré vermelha chegando ao parque, vinda de todas as direções”, conta.

De acordo com o brasileiro, a organização foi impecável. Não havia filas para guardar os pertences pessoais que ficaram dentro de ônibus municipais, cada um sinalizando a Nike Human Race de outros países (Nova York, São Paulo, Los Angeles, entre outros).

A largada da prova foi dada às 20h, Danilo estava no pelotão de trás, pois pretendia completar a prova em 1h. Por causa da multidão, ele só começou a correr uns sete minutos depois que a largada foi dada.

“Ao longo de toda a prova (toda mesmo!) a calçada estava tomada de espectadores incentivando os corredores. Teve até um espectador inesperado. Um casal de japoneses que tirava fotos para seu casamento (vestidos de noivo e noiva) no meio do Parque do Retiro, quando a via foi invadida pelos corredores. Nessa hora eles ficaram de olhos abertos”, brinca.

Além disso, quase nenhum corredor desistiu da prova no meio do caminho. Mesmo no último quilômetro, trecho com maior subida, aqueles que esboçavam cansaço eram incentivados pelo público.

Ao cruzar a linha de chegada, o público pôde curtir um show de música eletrônica com DJ´s, antes eles puderam conferir outro show com a banda The Pinkertones. “Até ontem não fazia idéia porque tantas pessoas se propunham a ficar correndo grandes distâncias debaixo de sol ou chuva ou vento, ou qualquer coisa. Desde o início até a sensação inigualável de cruzar a linha de chegada, isso foi fazendo cada vez mais sentido, tanto que já vou me inscrever pra próxima corrida de 10km de Madrid, no final de setembro”.


Veja como foi a Nike Human Race em outros lugares do mundo

Corridas de Rua · 02 set, 2008

A corrida Nike Human Race aconteceu no último domingo (31) em 25 cidades de diversos países. Em São Paulo o evento contou com mais de 20 mil pessoas e show do Seu Jorge. E nos outros lugares, você sabe como foi? Confira o relato de três atletas que estiveram respectivamente na Nike Human Race de Nova York, Xangai e Madrid.

Nova York - O casal de brasileiros, Danielle e Guilherme Maradei, correram a Nike Human Race em Nova York, nos Estados Unidos. Moradores de West Orange, cerca de 20 minutos de Manhattam, os dois estrearam na corrida e gostaram.

“Nos retiramos nossos kits na sexta-feira à tarde. Recebemos vários e-mails nos dias que antecederam a prova com instruções e dicas. O último deles foi com as informações da logística para o dia da prova (como chegar, o que levar, etc.). A organização recomendava que todos utilizassem transporte público, já que estacionamento dentro da Randall Island, local da corrida, é extremamente limitado”, conta.

Com tudo pronto os dois foram de carro até Manhattam e de lá seguiram no ônibus da organização até o local de largada, Randall Island. O início da prova estava marcado para às 18h, mas a corrida só começou às 18h40.

“Pouco antes das 18h eles anunciaram que haveria um pouco de atraso para o início da prova. Mas o atraso acabou sendo bem maior do que o previsto e algumas pessoas demonstraram uma certa impaciência, pois o sol ainda estava bem forte”, revela a brasileira.

Depois da largada todas as 10 mil pessoas seguiram num percurso que contou com certas irregularidades no asfalto e alguns trechos de afunilamento de corredores. “Pessoalmente não gostei muito da escolha do percurso. A superfície era bem irregular, pois a ilha me pareceu estar em obras, então em alguns trechos chegava a ser até um pouco perigoso correr pelos defeitos no asfalto. Mas o pior foi quando todos "entalaram" em uma pequena ponte, atrasando em pelo menos cinco minutos o tempo total da prova”, conta.

Como no Brasil, ao final da competição os corredores se dirigiam para uma área de show, dentro do estádio, Icahn Stadium. Os nova-iorquinos puderam assistir ao show da banda All-American Rejects.

Xangai - Já do outro lado do mundo, na cidade de Xangai na China, cerca de 17 mil pessoas também participaram da Nike Human Race. O treinador Marco Oliveira, que mora atualmente em Xangai, acompanhou a prova.

Segundo ele, a chuva que caiu no dia da competição não intimidou os chineses. Além disso, a participação de estrangeiros foi mínima. A largada da prova foi dada dentro do Century Park (o Ibirapuera de Xangai) e para chegar no local da competição os corredores não tiveram problema. “A estação de metrô, Shanghai Science and Technology Museum, tinha uma das saídas, dentro do parque, isso facilitou o fluxo dos corredores”, conta o brasileiro.

De acordo com Marco, seis quilômetros do percurso foram feitos na parte de fora do Parque, num trecho já conhecido pelos chineses, e os outros quatro foram realizados dentro do próprio parque. “Um dos momentos críticos da prova foi no quilômetro cinco. Lá os tapetes de chip ficaram vendo de longe os primeiros colocados. Isso porque o carro madrinha não entrou na ciclovia que estavam posicionados os tapetes, continuando na Via Expressa, com isso os ponteiros da prova também não entraram na ciclovia e seguiram o Mustang madrinha sem registrar seu tempo”.

Além disso, Marco observou que poucos corredores completaram o percurso correndo. Já no quilômetro quatro muitas pessoas começaram a andar. No final da prova cada inscrito ganhou um kit com fruta, camiseta e isotônico.

“Apesar da prova ter o selo da WWF e difundir a preocupação com o meio ambiente o que foi presenciado na área de dispersão descaracterizava totalmente esse conceito. A área de dispersão foi a mais crítica. As tendas para entregar as camisetas não foram capazes de dar conta do recado proporcionando aglomerações preocupantes dos participantes”, revela. “Foi necessário a intervenção pacífica e extremamente eficiente da Polícia de Xangai para organizar literalmente a desorganização”, acrescenta.

Uma das cidades européias que realizou a Nike Human Race foi Madrid, na Espanha. A prova teve largada no Parque do Retiro e reuniu mais de 11 mil pessoas. O brasileiro Danilo Ferreira, que mora em Madrid, participou da corrida. Essa foi a primeira vez que ele correu num evento.

Segundo Danilo, o percurso passou pelos principais pontos turísticos da cidade como: Parque do Retiro, estação de trem de Atocha, Puerta del Sol, Palacio Real e Catedral de Almudena, além de passar por dentro da Plaza Mayor.

“Para mim este verdadeiro tour, que já havia passado algumas vezes a pé, foi bastante diferente. Desta vez ao chegar no ponto de largada, no Parque do Retiro, o clima parecia de verão, sol e praças e vias lotadas, com uma diferença: havia uma verdadeira maré vermelha chegando ao parque, vinda de todas as direções”, conta.

De acordo com o brasileiro, a organização foi impecável. Não havia filas para guardar os pertences pessoais que ficaram dentro de ônibus municipais, cada um sinalizando a Nike Human Race de outros países (Nova York, São Paulo, Los Angeles, entre outros).

A largada da prova foi dada às 20h, Danilo estava no pelotão de trás, pois pretendia completar a prova em 1h. Por causa da multidão, ele só começou a correr uns sete minutos depois que a largada foi dada.

“Ao longo de toda a prova (toda mesmo!) a calçada estava tomada de espectadores incentivando os corredores. Teve até um espectador inesperado. Um casal de japoneses que tirava fotos para seu casamento (vestidos de noivo e noiva) no meio do Parque do Retiro, quando a via foi invadida pelos corredores. Nessa hora eles ficaram de olhos abertos”, brinca.

Além disso, quase nenhum corredor desistiu da prova no meio do caminho. Mesmo no último quilômetro, trecho com maior subida, aqueles que esboçavam cansaço eram incentivados pelo público.

Ao cruzar a linha de chegada, o público pôde curtir um show de música eletrônica com DJ´s, antes eles puderam conferir outro show com a banda The Pinkertones. “Até ontem não fazia idéia porque tantas pessoas se propunham a ficar correndo grandes distâncias debaixo de sol ou chuva ou vento, ou qualquer coisa. Desde o início até a sensação inigualável de cruzar a linha de chegada, isso foi fazendo cada vez mais sentido, tanto que já vou me inscrever pra próxima corrida de 10km de Madrid, no final de setembro”.

Público aprova mais uma edição da Nike 10K

Corridas de Rua · 31 ago, 2008

Na manhã desse domingo a cidade de São Paulo recebeu a Nike+ Human Race, popularmente conhecida como Nike 10k, que esse ano pela primeira vez ganhou as ruas da capital e não se restringiu ao interior da Cidade Universitária. Nem mesmo o frio de 11ºC, momentos antes da largada, desanimou os 25 mil corredores.

São Paulo - O tiro de largada aconteceu às 8h na Avenida da Raia, mas minutos antes foi realizado um aquecimento e alongamento para que todos entrassem no clima da competição. Os atletas seguiram em direção à Ponte da Cidade Universitária, único ponto de subida do trajeto, até chegar à região do Parque Villa-Lobos e depois todos retornaram para a USP.

Em diversos pontos do percurso havia bandas para animar a passagem dos atletas, além de staffs e moradores da região, que saíram às ruas para incentivar os participantes. Em quase todos os pontos a concentração dos vermelhinhos mais parecia um mar e, no momento em que os primeiros colocados já apontavam na linha de chegada, ainda havia atletas largando.

Após cruzar a linha de chegada, cada atleta recebeu uma medalha alusiva ao evento, além de um kit com frutas e lanche. Francisco Silva, atleta que já corre há algum tempo, disputou a Nike pela primeira vez e elogiou a prova. “Muito legal a idéia de ter bandas ao redor do percurso, a dificuldade foi zero, mesmo com a subida da ponte”.

Estréias - Ao contrário de Francisco, Naina Rocha fez sua estréia no mundo das corridas e se surpreendeu com o resultado final. “Eu não treinei nada, achei que não fosse conseguir, mas a galera anima, o que é bem legal”, afirma a atleta que é praticante de outras modalidades, como tênis e musculação. “No oitavo quilômetro comecei a cansar, mas como faltava pouco segui em frente”, completa.

Já Stela Jacob entrou para o mundo das corridas no ano passado justamente na Nike 10k, mas devido a um problema no joelho não conseguiu manter um ritmo de treinos e provas. Isso, porém, não a impediu de voltar esse ano e fazer parte mais uma vez da grande festa que o evento proporciona.

“A festa me motiva a participar. Eu superei meu tempo de 55min para 53min30. Fiquei com umas dores no joelho no início da prova, mas depois melhorou e passei a sentir um pouco a coxa e a panturrilha”, enfatiza a corredora que ainda convenceu a prima Isabela Jacob a participar.

“Eu achei mais difícil do que correr na esteira, mas gostei. Eu sempre quis correr a Nike, então estava de folga esse final de semana e resolvi aproveitar. O começo é mais difícil, mas com o tempo a endorfina começa a ser liberada e você nem pensa na dor”, ressalta Isabela, que chegou com algumas dores no corpo. Segundo ela, o objetivo daqui em diante é participar de outros eventos.

O que você achou da Nike + Human Race? Clique em "Comentar" na barra abaixo e deixe sua opinião!

Enquanto as duas primas ainda não despontam no cenário das corridas, Raul Wale afirma que essa prova abriu as portas para que ele começasse a correr. “Minha primeira corrida foi a Nike 10k de 2005 e hoje faço todo o circuito da Corpore e até consegui motivar outros colegas”.

Depois que os 25 mil participantes encararam os 10 quilômetros de corrida, eles puderam relaxar ao som de Seu Jorge e Wilson Sideral. Teve gente que aproveitou o momento para dançar, enquanto outros resolveram deitar no gramado e descansar.

O apresentador da MTV Marcos Mion foi o responsável por entreter o público no intervalo de uma apresentação à outra, inclusive anunciando o tempo dos primeiros colocados das provas realizadas em outros locais. A Human Race foi disputada em 25 cidades em diferentes países.

“Esse evento é muito bacana, acho muito legal o mundo se mobilizar para realizar algo bacana”, afirma Mion. “O importante é todo mundo celebrar e curtir, ainda mais com a presença da Maurren Maggi”, completa o apresentador se referindo à medalhista de ouro em Pequim no salto em distância, que esteve na prova.

O que você achou da Nike + Human Race? Clique em "Comentar" na barra abaixo e deixe sua opinião!


Público aprova mais uma edição da Nike 10K

Corridas de Rua · 31 ago, 2008

Na manhã desse domingo a cidade de São Paulo recebeu a Nike+ Human Race, popularmente conhecida como Nike 10k, que esse ano pela primeira vez ganhou as ruas da capital e não se restringiu ao interior da Cidade Universitária. Nem mesmo o frio de 11ºC, momentos antes da largada, desanimou os 25 mil corredores.

São Paulo - O tiro de largada aconteceu às 8h na Avenida da Raia, mas minutos antes foi realizado um aquecimento e alongamento para que todos entrassem no clima da competição. Os atletas seguiram em direção à Ponte da Cidade Universitária, único ponto de subida do trajeto, até chegar à região do Parque Villa-Lobos e depois todos retornaram para a USP.

Em diversos pontos do percurso havia bandas para animar a passagem dos atletas, além de staffs e moradores da região, que saíram às ruas para incentivar os participantes. Em quase todos os pontos a concentração dos vermelhinhos mais parecia um mar e, no momento em que os primeiros colocados já apontavam na linha de chegada, ainda havia atletas largando.

Após cruzar a linha de chegada, cada atleta recebeu uma medalha alusiva ao evento, além de um kit com frutas e lanche. Francisco Silva, atleta que já corre há algum tempo, disputou a Nike pela primeira vez e elogiou a prova. “Muito legal a idéia de ter bandas ao redor do percurso, a dificuldade foi zero, mesmo com a subida da ponte”.

Estréias - Ao contrário de Francisco, Naina Rocha fez sua estréia no mundo das corridas e se surpreendeu com o resultado final. “Eu não treinei nada, achei que não fosse conseguir, mas a galera anima, o que é bem legal”, afirma a atleta que é praticante de outras modalidades, como tênis e musculação. “No oitavo quilômetro comecei a cansar, mas como faltava pouco segui em frente”, completa.

Já Stela Jacob entrou para o mundo das corridas no ano passado justamente na Nike 10k, mas devido a um problema no joelho não conseguiu manter um ritmo de treinos e provas. Isso, porém, não a impediu de voltar esse ano e fazer parte mais uma vez da grande festa que o evento proporciona.

“A festa me motiva a participar. Eu superei meu tempo de 55min para 53min30. Fiquei com umas dores no joelho no início da prova, mas depois melhorou e passei a sentir um pouco a coxa e a panturrilha”, enfatiza a corredora que ainda convenceu a prima Isabela Jacob a participar.

“Eu achei mais difícil do que correr na esteira, mas gostei. Eu sempre quis correr a Nike, então estava de folga esse final de semana e resolvi aproveitar. O começo é mais difícil, mas com o tempo a endorfina começa a ser liberada e você nem pensa na dor”, ressalta Isabela, que chegou com algumas dores no corpo. Segundo ela, o objetivo daqui em diante é participar de outros eventos.

O que você achou da Nike + Human Race? Clique em "Comentar" na barra abaixo e deixe sua opinião!

Enquanto as duas primas ainda não despontam no cenário das corridas, Raul Wale afirma que essa prova abriu as portas para que ele começasse a correr. “Minha primeira corrida foi a Nike 10k de 2005 e hoje faço todo o circuito da Corpore e até consegui motivar outros colegas”.

Depois que os 25 mil participantes encararam os 10 quilômetros de corrida, eles puderam relaxar ao som de Seu Jorge e Wilson Sideral. Teve gente que aproveitou o momento para dançar, enquanto outros resolveram deitar no gramado e descansar.

O apresentador da MTV Marcos Mion foi o responsável por entreter o público no intervalo de uma apresentação à outra, inclusive anunciando o tempo dos primeiros colocados das provas realizadas em outros locais. A Human Race foi disputada em 25 cidades em diferentes países.

“Esse evento é muito bacana, acho muito legal o mundo se mobilizar para realizar algo bacana”, afirma Mion. “O importante é todo mundo celebrar e curtir, ainda mais com a presença da Maurren Maggi”, completa o apresentador se referindo à medalhista de ouro em Pequim no salto em distância, que esteve na prova.

O que você achou da Nike + Human Race? Clique em "Comentar" na barra abaixo e deixe sua opinião!

Clima frio e animação marcam Nike+ Human Race

Corridas de Rua · 31 ago, 2008

Na manhã desse domingo (31) aconteceu em São Paulo a edição 2008 da Nike 10K, esse ano batizada de Nike+ Human Race, que contou com a presença de 25 mil pessoas na Cidade Universitária, USP. O primeiro colocado entre os homens foi Gilberto Lopes (29min53) e entre as mulheres Zenaide Vieira (34min33).

São Paulo - A manhã de domingo amanheceu fria em São Paulo e pouco antes da largada os digitais da USP marcavam 11ºC, temperatura que não espantou os milhares de corredores. Aos poucos a Avenida da Raia, local da largada, ficou colorida de vermelho, cor da camiseta dos atletas.

O tiro de partida foi dado pontualmente às 8h e a grande massa seguiu em direção à saída da Cidade Universitária, num percurso que seguiu pela Ponte Cidade Universitária, Praça Panamericana e Parque Villa-Lobos, antes de retornar ao ponto original. Logo de cara um grande pelotão se formou, que só foi dissipado a partir do quilômetro três.

Durante todo o percurso a briga ficou entre os gêmeos Paulo Roberto e Luiz Fernando de Almeida, alguns corredores pintados com as cores da prova no corpo nu, além de atletas que concorriam a um patrocínio da Nike durante um ano. Esses últimos fizeram parte de uma seleção prévia da marca esportiva e, aquele que chegasse em primeiro tanto entre os homens quanto entre as mulheres, seria o contemplado.

Parte final - No meio do trajeto havia bandas para animar os corredores e todos os staffs presentes batiam palmas e gritavam palavras de incentivo. O sol começou a dar as caras no momento em que os líderes alcançavam o quilômetro seis, ocasião em que a briga pela liderança estava entre os gêmeos e outros dois atletas.

Com o tempo de 29min53, Gilberto cruzou a linha em primeiro e, como fazia parte do projeto da Nike para revelar novos atletas, ganhou um kit exclusivo da marca, além de patrocínio. A segunda posição ficou com Luiz Fernando (30min02) e a terceira com Paulo Roberto, também com 30min02.

“Quando eu cheguei no quilômetro sete aumentei o ritmo para definir a prova e abri uma pequena diferença para o segundo bloco. O percurso foi ótimo e o clima também ajudou bastante”, conta o campeão. Ele é natural de São Miguel do Anta, Minas Gerais, e tem 19 anos.

O que você achou da Nike + Human Race? Clique em "Comentar" na barra abaixo e deixe sua opinião!

Já entre as mulheres, a vencedora Zenaide Vieira conseguiu uma vitória depois de se decepcionar com seu resultado nos 3.000m com obstáculos na Olimpíada de Pequim, onde não passou da fase eliminatória. “Hoje corri sozinha o percurso inteiro, esperava fazer um final mais forte, mas foi legal. Correr 10 mil é muito mais fácil do que os 3.000m com obstáculos, que envolve mais técnica e velocidade”, ressalta a vencedora.

A segunda colocação ficou com Maria Cristina Vaqueiro Rodrigues, com 35min50 e a terceira com Jaciane Araújo, com 37min18. Quem esteve presente para incentivar os atletas foi Maurren Maggi, medalha de ouro no salto em distância em Pequim. “O legal dessa prova é que é uma grande festa para os corredores”, ressalta a medalhista. Segundo ela, todo atleta de ponta tem uma responsabilidade de representar bem o país e de ser um exemplo para os jovens competidores. “O legal é que uma responsabilidade boa”, enfatiza.

Quem também esteve presente foi Vanderlei Cordeiro de Lima, medalha de bronze na Olimpíada de Atenas 2004. Ele não se classificou para Pequim, mas aproveitou para fazer uma avaliação da participação brasileira na competição. "Avalio como positiva. Conseguimos um ouro, no revezamento chegamos perto e na maratona infelizmente não deu o resultado esperado, mas sei que eles fizeram o melhor possível”.

Depois da competição, todos puderam aproveitar um show com Wilson Sideral e Seu Jorge, numa arena montada no interior do Cepeusp. O evento aconteceu simultaneamente em 25 cidades do mundo, reunindo um milhão de pessoas no total.

O que você achou da Nike + Human Race? Clique em "Comentar" na barra abaixo e deixe sua opinião!


Clima frio e animação marcam Nike+ Human Race

Corridas de Rua · 31 ago, 2008

Na manhã desse domingo (31) aconteceu em São Paulo a edição 2008 da Nike 10K, esse ano batizada de Nike+ Human Race, que contou com a presença de 25 mil pessoas na Cidade Universitária, USP. O primeiro colocado entre os homens foi Gilberto Lopes (29min53) e entre as mulheres Zenaide Vieira (34min33).

São Paulo - A manhã de domingo amanheceu fria em São Paulo e pouco antes da largada os digitais da USP marcavam 11ºC, temperatura que não espantou os milhares de corredores. Aos poucos a Avenida da Raia, local da largada, ficou colorida de vermelho, cor da camiseta dos atletas.

O tiro de partida foi dado pontualmente às 8h e a grande massa seguiu em direção à saída da Cidade Universitária, num percurso que seguiu pela Ponte Cidade Universitária, Praça Panamericana e Parque Villa-Lobos, antes de retornar ao ponto original. Logo de cara um grande pelotão se formou, que só foi dissipado a partir do quilômetro três.

Durante todo o percurso a briga ficou entre os gêmeos Paulo Roberto e Luiz Fernando de Almeida, alguns corredores pintados com as cores da prova no corpo nu, além de atletas que concorriam a um patrocínio da Nike durante um ano. Esses últimos fizeram parte de uma seleção prévia da marca esportiva e, aquele que chegasse em primeiro tanto entre os homens quanto entre as mulheres, seria o contemplado.

Parte final - No meio do trajeto havia bandas para animar os corredores e todos os staffs presentes batiam palmas e gritavam palavras de incentivo. O sol começou a dar as caras no momento em que os líderes alcançavam o quilômetro seis, ocasião em que a briga pela liderança estava entre os gêmeos e outros dois atletas.

Com o tempo de 29min53, Gilberto cruzou a linha em primeiro e, como fazia parte do projeto da Nike para revelar novos atletas, ganhou um kit exclusivo da marca, além de patrocínio. A segunda posição ficou com Luiz Fernando (30min02) e a terceira com Paulo Roberto, também com 30min02.

“Quando eu cheguei no quilômetro sete aumentei o ritmo para definir a prova e abri uma pequena diferença para o segundo bloco. O percurso foi ótimo e o clima também ajudou bastante”, conta o campeão. Ele é natural de São Miguel do Anta, Minas Gerais, e tem 19 anos.

O que você achou da Nike + Human Race? Clique em "Comentar" na barra abaixo e deixe sua opinião!

Já entre as mulheres, a vencedora Zenaide Vieira conseguiu uma vitória depois de se decepcionar com seu resultado nos 3.000m com obstáculos na Olimpíada de Pequim, onde não passou da fase eliminatória. “Hoje corri sozinha o percurso inteiro, esperava fazer um final mais forte, mas foi legal. Correr 10 mil é muito mais fácil do que os 3.000m com obstáculos, que envolve mais técnica e velocidade”, ressalta a vencedora.

A segunda colocação ficou com Maria Cristina Vaqueiro Rodrigues, com 35min50 e a terceira com Jaciane Araújo, com 37min18. Quem esteve presente para incentivar os atletas foi Maurren Maggi, medalha de ouro no salto em distância em Pequim. “O legal dessa prova é que é uma grande festa para os corredores”, ressalta a medalhista. Segundo ela, todo atleta de ponta tem uma responsabilidade de representar bem o país e de ser um exemplo para os jovens competidores. “O legal é que uma responsabilidade boa”, enfatiza.

Quem também esteve presente foi Vanderlei Cordeiro de Lima, medalha de bronze na Olimpíada de Atenas 2004. Ele não se classificou para Pequim, mas aproveitou para fazer uma avaliação da participação brasileira na competição. "Avalio como positiva. Conseguimos um ouro, no revezamento chegamos perto e na maratona infelizmente não deu o resultado esperado, mas sei que eles fizeram o melhor possível”.

Depois da competição, todos puderam aproveitar um show com Wilson Sideral e Seu Jorge, numa arena montada no interior do Cepeusp. O evento aconteceu simultaneamente em 25 cidades do mundo, reunindo um milhão de pessoas no total.

O que você achou da Nike + Human Race? Clique em "Comentar" na barra abaixo e deixe sua opinião!

Nike Human Race: veja como chegar na USP

Corridas de Rua · 29 ago, 2008

No próximo domingo (31) acontece em São Paulo a corrida Nike Human Race. A competição, que terá 10 quilômetros, também será realizada no mesmo dia em 25 cidades de outros países.

No Brasil a largada da prova está prevista para às 8h na Cidade Universitária, USP. No final cada participante desfrutará de um show com os cantores Seu Jorge e Wilson Sideral.

A quarta edição do evento deve contar com a presença de 25 mil corredores. Para garantir uma boa estrutura, os organizadores irão disponibilizar quatro postos de hidratação, 250 mil copos de água, 14 ambulâncias, entre outros.

Como chegar - Para aqueles que irão de carro e já possuem o tíquete de estacionamento da prova, vendido no mesmo local da retirada do kit, poderão entrar na USP pelo portão dois, da Avenida Politécnica.

Há também alguns corredores que compraram estacionamento para outras localidades, fora da USP, e que de lá pegarão um ônibus para o local de largada. Esses ônibus sairão de três pontos (Shopping Morumbi, WTC e Editora Abril) das 5h às 7h.

De acordo com os organizadores, só entrarão nos coletivos as pessoas que já compraram seus tíquetes e que também estiverem usando a camiseta oficial da prova. Já aqueles que irão a pé ou de bicicleta, a entrada será feita por qualquer portão da Cidade Universitária.


Nike Human Race: veja como chegar na USP

Corridas de Rua · 29 ago, 2008

No próximo domingo (31) acontece em São Paulo a corrida Nike Human Race. A competição, que terá 10 quilômetros, também será realizada no mesmo dia em 25 cidades de outros países.

No Brasil a largada da prova está prevista para às 8h na Cidade Universitária, USP. No final cada participante desfrutará de um show com os cantores Seu Jorge e Wilson Sideral.

A quarta edição do evento deve contar com a presença de 25 mil corredores. Para garantir uma boa estrutura, os organizadores irão disponibilizar quatro postos de hidratação, 250 mil copos de água, 14 ambulâncias, entre outros.

Como chegar - Para aqueles que irão de carro e já possuem o tíquete de estacionamento da prova, vendido no mesmo local da retirada do kit, poderão entrar na USP pelo portão dois, da Avenida Politécnica.

Há também alguns corredores que compraram estacionamento para outras localidades, fora da USP, e que de lá pegarão um ônibus para o local de largada. Esses ônibus sairão de três pontos (Shopping Morumbi, WTC e Editora Abril) das 5h às 7h.

De acordo com os organizadores, só entrarão nos coletivos as pessoas que já compraram seus tíquetes e que também estiverem usando a camiseta oficial da prova. Já aqueles que irão a pé ou de bicicleta, a entrada será feita por qualquer portão da Cidade Universitária.

Inscrições abertas para a Nike Human Race

Corridas de Rua · 26 jun, 2008

As inscrições para a corrida Nike Human Race 10k já estão abertas. A prova acontece no dia 31 de agosto em São Paulo e simultaneamente em mais 24 cidades de diversos países. De acordo com os organizadores, o evento mundial deve reunir cerca de um milhão de corredores.

No Brasil a competição está limitada a 25 mil pessoas. Cada inscrição pode ser feita no site oficial da prova (http://nikeplus.nike.com/nikeplus/humanrace) e custa R$70. Segundo a marca esportiva, dez por cento do valor arrecadado será revertido para instituições filantrópicas.

No final da prova brasileira, os participantes poderão curtir um show de música, como nas outras edições da corrida. Além da corrida, a Nike também incentiva as pessoas, que não poderão participar das provas, a correrem no dia 31 de agosto em qualquer parte do mundo e depois transmitirem o resultado da corrida no site Nike Plus.

Confira os locais da corrida Nike Human Race:

  • São Paulo, Brasil
  • Austin, EUA
  • Bogotá, Colômbia
  • Buenos Aires, Argentina
  • Caracas, Venezuela
  • Chicago, EUA
  • Istambul, Turquia
  • Lima, Peru
  • Londres, Inglaterra
  • Los Angeles, EUA
  • Madrid, Espanha
  • Melbourne, Austrália
  • Cidade do México, México
  • Munique, Alemanha
  • Nova York, EUA
  • Paris, França
  • Quito, Equador
  • Roma, Itália
  • Seul, Coréia
  • Xangai, China
  • Cidade de Cingapura, Cingapura
  • Taipei, Taiwan
  • Vancouver, Canadá
  • Varsóvia, Polônia


  • Inscrições abertas para a Nike Human Race

    Corridas de Rua · 26 jun, 2008

    As inscrições para a corrida Nike Human Race 10k já estão abertas. A prova acontece no dia 31 de agosto em São Paulo e simultaneamente em mais 24 cidades de diversos países. De acordo com os organizadores, o evento mundial deve reunir cerca de um milhão de corredores.

    No Brasil a competição está limitada a 25 mil pessoas. Cada inscrição pode ser feita no site oficial da prova (http://nikeplus.nike.com/nikeplus/humanrace) e custa R$70. Segundo a marca esportiva, dez por cento do valor arrecadado será revertido para instituições filantrópicas.

    No final da prova brasileira, os participantes poderão curtir um show de música, como nas outras edições da corrida. Além da corrida, a Nike também incentiva as pessoas, que não poderão participar das provas, a correrem no dia 31 de agosto em qualquer parte do mundo e depois transmitirem o resultado da corrida no site Nike Plus.

    Confira os locais da corrida Nike Human Race:

  • São Paulo, Brasil
  • Austin, EUA
  • Bogotá, Colômbia
  • Buenos Aires, Argentina
  • Caracas, Venezuela
  • Chicago, EUA
  • Istambul, Turquia
  • Lima, Peru
  • Londres, Inglaterra
  • Los Angeles, EUA
  • Madrid, Espanha
  • Melbourne, Austrália
  • Cidade do México, México
  • Munique, Alemanha
  • Nova York, EUA
  • Paris, França
  • Quito, Equador
  • Roma, Itália
  • Seul, Coréia
  • Xangai, China
  • Cidade de Cingapura, Cingapura
  • Taipei, Taiwan
  • Vancouver, Canadá
  • Varsóvia, Polônia

  • Nike anuncia corrida de 10 quilômetros

    Corridas de Rua · 05 maio, 2008

    A Nike anunciou nessa última sexta-feira (2) a data da corrida que leva o nome da marca esportiva. Nos últimos três anos, com o nome Nike 10K, a prova foi realizada sempre no final do ano simultaneamente em algumas capitais da América do Sul, incluindo São Paulo. Mas para esse ano a competição mudou o nome, agora é Nike + Human Race, e acontecerá no dia 31 de agosto.

    Na mesma data a prova também será realizada em 25 cidades ao redor do mundo como: São Paulo, Buenos Aires, Bogotá, Caracas, Cidade do México, Istambul, Lima, Los Angeles, Londres, Madrid, Melbourne, Nova York, Paris, Quito, Xangai e Vancouver.

    De acordo com os organizadores, em diversas cidades os competidores correrão em pontos históricos, além de estarem ao lado de estrelas do esporte como Paula Radcliffe, que irá correr em Londres e Lance Armstrong, que participa da prova no Texas, Estados Unidos.

    As inscrições para o evento, com 10 quilômetros e show no final, começam nessa sexta-feira (09) no site oficial da competição: www.nikeplus.com.br. Estas ficam abertas até o dia dois de junho e podem encerrar antes do prazo estipulado.


    Nike anuncia corrida de 10 quilômetros

    Corridas de Rua · 05 maio, 2008

    A Nike anunciou nessa última sexta-feira (2) a data da corrida que leva o nome da marca esportiva. Nos últimos três anos, com o nome Nike 10K, a prova foi realizada sempre no final do ano simultaneamente em algumas capitais da América do Sul, incluindo São Paulo. Mas para esse ano a competição mudou o nome, agora é Nike + Human Race, e acontecerá no dia 31 de agosto.

    Na mesma data a prova também será realizada em 25 cidades ao redor do mundo como: São Paulo, Buenos Aires, Bogotá, Caracas, Cidade do México, Istambul, Lima, Los Angeles, Londres, Madrid, Melbourne, Nova York, Paris, Quito, Xangai e Vancouver.

    De acordo com os organizadores, em diversas cidades os competidores correrão em pontos históricos, além de estarem ao lado de estrelas do esporte como Paula Radcliffe, que irá correr em Londres e Lance Armstrong, que participa da prova no Texas, Estados Unidos.

    As inscrições para o evento, com 10 quilômetros e show no final, começam nessa sexta-feira (09) no site oficial da competição: www.nikeplus.com.br. Estas ficam abertas até o dia dois de junho e podem encerrar antes do prazo estipulado.

    Corredores dos três clubes avaliam Nike 10K

    Corridas de Rua · 11 nov, 2007

    Todos os participantes da Nike 10k deste ano foram divididos em três clubes, o dos Não Corredores que Correm, representando os iniciantes; o das Aves de Fogo, representando os intermediários e o do Cartel Endorfina, representando os corredores avançados e mais experientes. Confira a avaliação de alguns atletas sobre a corrida deste domingo, que começou com chuva e terminou com sol.

    São Paulo - Sozinhos ou acompanhados, todos que cruzavam o pórtico de chegada exibiam um semblante alegre, com sentimento de emoção e de missão cumprida. Grande parte dos corredores do Cartel apenas ajustava seus relógios e seguia em frente para contabilizar mais uma medalha na coleção, enquanto os Aves de Fogo exibiam uma alegria um pouco maior e os Não Corredores extravasavam com cambalhotas e pulos ao cruzar a linha de chegada.

    “Essa prova foi sensacional, o tempo estava maravilhoso para correr. Eu já corri outras provas da Nike e o Revezamento Pão de Açúcar”, comenta o Águia de Fogo Marcelo Alencar. “Essa é a equipe campeã!”, brinca.

    Isabela Campos, que já participou das duas últimas edições da Nike, é uma corredora mais do que assídua, motivo pelo qual representou o Cartel Endorfina hoje. “Prefiro o tempo mais fechado do que o sol forte que estava nas duas últimas edições”.

    Isabela correu junto com Letícia Alle, que também aprovou o tempo encoberto. “Esse clima ajuda, mas o problema eram as poças de água. Prefiro provas com premiação, mas uma festiva como essa é legal também”.

    Não Corredores - Já entre os Não Corredores, Thais Lopes aceitou o desafio de encarar os 10 quilômetros, mesmo não praticando o esporte regularmente. “Achei a infra-estrutura muito boa, o pessoal bem animado, assim é que tem que ser uma corrida”. A maior distância que ela já havia corrido era seis quilômetros, mas não sentiu dificuldades no trajeto da USP. “O percurso foi tranqüilo, a única complicação foi em uma das subidas”.

    Também integrante do clube dos iniciantes, Dário dal Piaz ostentava um sorriso de orelha a orelha por ter completado a competição. “Essa é primeira corrida que eu participo, adorei e vou em todas a partir de agora”, brinca o atleta que também sentiu um pouco de dificuldades na subida.

    No momento em que o cronômetro oficial registrava 2h08min de prova decorridos, os locutores Paulão e Alex Muller anunciaram a chegada de Dona Erica Dammann, uma senhora de 83 anos que após completar os 10 quilômetros, parecia ainda ter fôlego para mais 10.

    “Adorei a corrida, a parte mais difícil é agora, que estou com fome”, brinca a santista, que costuma treinar em sua cidade. “Lá eu ando na ciclovia, que tem mais ou menos 10 quilômetros”.

    Superação de limites, celebração e harmonia marcaram mais uma edição da prova, que aconteceu simultaneamente em Bogotá, Buenos Aires, Caracas, Cidade do México, Lima, Montevidéu, Quito e Santiago, num total aproximado de 130 mil atletas. Alguns artistas também correram, entre eles os irmãos Kayky e Sthefany Brito e Guilherme Berenguer.

    Alem do cunho festivo, o evento teve também um lado social, já que cada corredor escolheu uma organização não-governamental para representar, ao doar 10% da inscrição ou participando como voluntário em uma delas.


    Corredores dos três clubes avaliam Nike 10K

    Corridas de Rua · 11 nov, 2007

    Todos os participantes da Nike 10k deste ano foram divididos em três clubes, o dos Não Corredores que Correm, representando os iniciantes; o das Aves de Fogo, representando os intermediários e o do Cartel Endorfina, representando os corredores avançados e mais experientes. Confira a avaliação de alguns atletas sobre a corrida deste domingo, que começou com chuva e terminou com sol.

    São Paulo - Sozinhos ou acompanhados, todos que cruzavam o pórtico de chegada exibiam um semblante alegre, com sentimento de emoção e de missão cumprida. Grande parte dos corredores do Cartel apenas ajustava seus relógios e seguia em frente para contabilizar mais uma medalha na coleção, enquanto os Aves de Fogo exibiam uma alegria um pouco maior e os Não Corredores extravasavam com cambalhotas e pulos ao cruzar a linha de chegada.

    “Essa prova foi sensacional, o tempo estava maravilhoso para correr. Eu já corri outras provas da Nike e o Revezamento Pão de Açúcar”, comenta o Águia de Fogo Marcelo Alencar. “Essa é a equipe campeã!”, brinca.

    Isabela Campos, que já participou das duas últimas edições da Nike, é uma corredora mais do que assídua, motivo pelo qual representou o Cartel Endorfina hoje. “Prefiro o tempo mais fechado do que o sol forte que estava nas duas últimas edições”.

    Isabela correu junto com Letícia Alle, que também aprovou o tempo encoberto. “Esse clima ajuda, mas o problema eram as poças de água. Prefiro provas com premiação, mas uma festiva como essa é legal também”.

    Não Corredores - Já entre os Não Corredores, Thais Lopes aceitou o desafio de encarar os 10 quilômetros, mesmo não praticando o esporte regularmente. “Achei a infra-estrutura muito boa, o pessoal bem animado, assim é que tem que ser uma corrida”. A maior distância que ela já havia corrido era seis quilômetros, mas não sentiu dificuldades no trajeto da USP. “O percurso foi tranqüilo, a única complicação foi em uma das subidas”.

    Também integrante do clube dos iniciantes, Dário dal Piaz ostentava um sorriso de orelha a orelha por ter completado a competição. “Essa é primeira corrida que eu participo, adorei e vou em todas a partir de agora”, brinca o atleta que também sentiu um pouco de dificuldades na subida.

    No momento em que o cronômetro oficial registrava 2h08min de prova decorridos, os locutores Paulão e Alex Muller anunciaram a chegada de Dona Erica Dammann, uma senhora de 83 anos que após completar os 10 quilômetros, parecia ainda ter fôlego para mais 10.

    “Adorei a corrida, a parte mais difícil é agora, que estou com fome”, brinca a santista, que costuma treinar em sua cidade. “Lá eu ando na ciclovia, que tem mais ou menos 10 quilômetros”.

    Superação de limites, celebração e harmonia marcaram mais uma edição da prova, que aconteceu simultaneamente em Bogotá, Buenos Aires, Caracas, Cidade do México, Lima, Montevidéu, Quito e Santiago, num total aproximado de 130 mil atletas. Alguns artistas também correram, entre eles os irmãos Kayky e Sthefany Brito e Guilherme Berenguer.

    Alem do cunho festivo, o evento teve também um lado social, já que cada corredor escolheu uma organização não-governamental para representar, ao doar 10% da inscrição ou participando como voluntário em uma delas.

    Nike 10k acontece debaixo de chuva em SP

    Corridas de Rua · 11 nov, 2007

    Na manhã deste domingo cerca de 25 mil pessoas participaram da terceira edição da Nike 10k na USP, prova que foi realizada com tempo nublado e chuva. Confira como foi o evento, que contou com show de Tony Garrido, Paula Lima e Marcelo D2.

    São Paulo - Os digitais da Cidade Universitária marcavam 17ºC às 8h, ocasião da largada da prova na Avenida da Raia Olímpica, onde os corredores foram divididos de acordo com o clube que representavam (Não Corredores que Correm; Aves de Fogo e Cartel Endorfina). A todo o momento os locutores Paulão e Alex Muller animavam os presentes com palavras de incentivo.

    Além dos milhares de amadores, algumas celebridades estiveram presentes, como o casal Marílson e Juliana Gomes, que participaram como forma de descontrair e se divertir. “A idéia é correr junto com o público, sem pressão, quem quiser pode ganhar de mim hoje”, brinca o brasileiro que chegou na oitava colocação da Maratona de Nova York no último dia quatro.

    A largada durou mais de 20 minutos e, enquanto algumas pessoas já cruzavam o pórtico rumo aos 10 quilômetros do percurso, outras ainda se alongavam fora das baias sem pressa de iniciar a prova. Como não havia estacionamento dentro da USP, os corredores puderam deixar seus carros em bolsões e pegar os ônibus da organização, mas muitos destes veículos só chegaram após o tiro inicial.

    Percurso - Asfalto, trechos de grama e bloquete fizeram parte do trajeto e a cada marcação de distância havia um sistema de som que avisava em inglês quantos quilômetros já haviam sido percorridos e um relógio mostrava o tempo decorrido até o momento. Postos de água com mais de 10 mesas foram montados para suprir a necessidade de abastecimento.

    A Nike 10k é uma prova festiva, motivo pelo qual não há premiação, mas mesmo assim alguns corredores não deixam o espírito competitivo de lado e dão tudo de si para chegar em primeiro lugar. Após 31 minutos cravados Antônio Pedro Sales (Yara Coltro/Planac) cruzou a linha de chegada, seguido de Luciano Lima, com 31min36 e Fernando da Silva, com 32min07. Neste momento São Pedro fez a chuva parar e um sol começou a parecer timidamente entre as nuvens.

    “Foi um pouco complicado hoje devido ao vento. Eu saí com o pelotão de frente, mas a partir do quilômetro 13 eu desgarrei e tomei confiança para manter o ritmo e vencer a prova”, conta ao campeão que é natural de Cabreúva, interior de São Paulo. Já a primeira mulher a chegar foi Juliana Gomes, esposa de Marílson, que afirma ter adorado a competição. “Foi muito gostoso, é uma prova bem animadora com o pessoal a todo o momento incentivando”. Segundo ela, o melhor de tudo foi correr ao lado do marido, já que ambos cruzaram juntos o pórtico final.

    Marílson também diz ter aproveitado esta prova diferente para descontrair e correr sem pressão por resultado. “É legal participar desta festa do pedestrianismo brasileiro, já que é a maior prova que a gente tem. É muito bom competir de forma leve”, ressalta o maratonista que deverá ficar alguns dias parado para se recuperar de uma lesão no tornozelo.

    Logo após completar a prova, todos receberam kits lanche com produtos alimentícios dos patrocinadores do evento, com sanduíche, iogurte, uma garrafa de bebida isotônica, duas barras de cereal, uma bolacha e algumas frutas. Para encerrar com chave de ouro, diversos artistas se apresentaram num palco montado dentro do estádio do Cepeusp, entre eles Paula Lima, Marcelo D2 e Tony Garrido.


    Nike 10k acontece debaixo de chuva em SP

    Corridas de Rua · 11 nov, 2007

    Na manhã deste domingo cerca de 25 mil pessoas participaram da terceira edição da Nike 10k na USP, prova que foi realizada com tempo nublado e chuva. Confira como foi o evento, que contou com show de Tony Garrido, Paula Lima e Marcelo D2.

    São Paulo - Os digitais da Cidade Universitária marcavam 17ºC às 8h, ocasião da largada da prova na Avenida da Raia Olímpica, onde os corredores foram divididos de acordo com o clube que representavam (Não Corredores que Correm; Aves de Fogo e Cartel Endorfina). A todo o momento os locutores Paulão e Alex Muller animavam os presentes com palavras de incentivo.

    Além dos milhares de amadores, algumas celebridades estiveram presentes, como o casal Marílson e Juliana Gomes, que participaram como forma de descontrair e se divertir. “A idéia é correr junto com o público, sem pressão, quem quiser pode ganhar de mim hoje”, brinca o brasileiro que chegou na oitava colocação da Maratona de Nova York no último dia quatro.

    A largada durou mais de 20 minutos e, enquanto algumas pessoas já cruzavam o pórtico rumo aos 10 quilômetros do percurso, outras ainda se alongavam fora das baias sem pressa de iniciar a prova. Como não havia estacionamento dentro da USP, os corredores puderam deixar seus carros em bolsões e pegar os ônibus da organização, mas muitos destes veículos só chegaram após o tiro inicial.

    Percurso - Asfalto, trechos de grama e bloquete fizeram parte do trajeto e a cada marcação de distância havia um sistema de som que avisava em inglês quantos quilômetros já haviam sido percorridos e um relógio mostrava o tempo decorrido até o momento. Postos de água com mais de 10 mesas foram montados para suprir a necessidade de abastecimento.

    A Nike 10k é uma prova festiva, motivo pelo qual não há premiação, mas mesmo assim alguns corredores não deixam o espírito competitivo de lado e dão tudo de si para chegar em primeiro lugar. Após 31 minutos cravados Antônio Pedro Sales (Yara Coltro/Planac) cruzou a linha de chegada, seguido de Luciano Lima, com 31min36 e Fernando da Silva, com 32min07. Neste momento São Pedro fez a chuva parar e um sol começou a parecer timidamente entre as nuvens.

    “Foi um pouco complicado hoje devido ao vento. Eu saí com o pelotão de frente, mas a partir do quilômetro 13 eu desgarrei e tomei confiança para manter o ritmo e vencer a prova”, conta ao campeão que é natural de Cabreúva, interior de São Paulo. Já a primeira mulher a chegar foi Juliana Gomes, esposa de Marílson, que afirma ter adorado a competição. “Foi muito gostoso, é uma prova bem animadora com o pessoal a todo o momento incentivando”. Segundo ela, o melhor de tudo foi correr ao lado do marido, já que ambos cruzaram juntos o pórtico final.

    Marílson também diz ter aproveitado esta prova diferente para descontrair e correr sem pressão por resultado. “É legal participar desta festa do pedestrianismo brasileiro, já que é a maior prova que a gente tem. É muito bom competir de forma leve”, ressalta o maratonista que deverá ficar alguns dias parado para se recuperar de uma lesão no tornozelo.

    Logo após completar a prova, todos receberam kits lanche com produtos alimentícios dos patrocinadores do evento, com sanduíche, iogurte, uma garrafa de bebida isotônica, duas barras de cereal, uma bolacha e algumas frutas. Para encerrar com chave de ouro, diversos artistas se apresentaram num palco montado dentro do estádio do Cepeusp, entre eles Paula Lima, Marcelo D2 e Tony Garrido.

    Confira a programação da Nike 10k

    Corridas de Rua · 09 nov, 2007

    Neste domingo a Nike 10k, que chega à sua terceira edição este ano, vai agitar a USP com a presença de aproximadamente 25 mil pessoas, confira a programação do evento, bem como os detalhes sobre os últimos dias para a retirada de kits. A organização ressalta que não será possível estacionar no local do evento.

  • 5h30 – abertura dos estacionamentos conveniados* e todos que tiverem adquirido os tickets poderão pegar gratuitamente os ônibus da organização que se dirigirão para a USP.

  • 6h – Início do evento, com a recepção dos atletas na arena e abertura do guarda-volumes

  • 7h30 – Alongamento e aquecimento no ambiente de largada

  • 8h – Largada da prova, com bandas tocando no percurso

  • 8h30 – Início da programação de shows na arena, localizada no estádio da Cepeusp

  • 9h – Show principal

  • 11h - Encerramento do evento

    * Os bolsões de estacionamento da prova serão:

  • Shopping Morumbi - Av. Roque Petroni Jr., 1089 (2.000 vagas)

  • CENU (Centro Empresarial Nações Unidas) - Av. das Nações Unidas, 12.901 (1.000 vagas)

  • WTC-Shopping D&D - Av. das Nações Unidas, 12.551 (1.000 vagas)

    Kits - Devido às fortes chuvas que assolaram a cidade de São Paulo nos últimos dias, a estrutura montada para a retirada de kits foi danificada e uma nova arena foi montada, desta vez no Velódromo, localizado na Av. da Raia, portão 14 do Cepeusp. Nesta sexta-feira a retirada acontece das 9 às 20h e no sábado das 9h às 18h.


  • Confira a programação da Nike 10k

    Corridas de Rua · 09 nov, 2007

    Neste domingo a Nike 10k, que chega à sua terceira edição este ano, vai agitar a USP com a presença de aproximadamente 25 mil pessoas, confira a programação do evento, bem como os detalhes sobre os últimos dias para a retirada de kits. A organização ressalta que não será possível estacionar no local do evento.

  • 5h30 – abertura dos estacionamentos conveniados* e todos que tiverem adquirido os tickets poderão pegar gratuitamente os ônibus da organização que se dirigirão para a USP.

  • 6h – Início do evento, com a recepção dos atletas na arena e abertura do guarda-volumes

  • 7h30 – Alongamento e aquecimento no ambiente de largada

  • 8h – Largada da prova, com bandas tocando no percurso

  • 8h30 – Início da programação de shows na arena, localizada no estádio da Cepeusp

  • 9h – Show principal

  • 11h - Encerramento do evento

    * Os bolsões de estacionamento da prova serão:

  • Shopping Morumbi - Av. Roque Petroni Jr., 1089 (2.000 vagas)

  • CENU (Centro Empresarial Nações Unidas) - Av. das Nações Unidas, 12.901 (1.000 vagas)

  • WTC-Shopping D&D - Av. das Nações Unidas, 12.551 (1.000 vagas)

    Kits - Devido às fortes chuvas que assolaram a cidade de São Paulo nos últimos dias, a estrutura montada para a retirada de kits foi danificada e uma nova arena foi montada, desta vez no Velódromo, localizado na Av. da Raia, portão 14 do Cepeusp. Nesta sexta-feira a retirada acontece das 9 às 20h e no sábado das 9h às 18h.

  • Shows da Nike 10k deste domingo estão definidos

    Corridas de Rua · 08 nov, 2007

    Neste domingo acontece a terceira edição da Nike 10k, competição que reunirá 25 mil pessoas na USP, com largada programada para as 8h. Como tradicionalmente acontece, um grande show marcará o encerramento do evento, a partir das 9h. Confira os artistas confirmados.

    Marcelo D2 é um dos destaques e, junto com o ex-integrante da banda Planet Hemp, se apresentarão o DJ Zé Gonzales, o vocalista do Cidade Negra Toni Garrido e as cantoras Paula Lima e Negra Li. Além disso, DJs vão animar o percurso entre os quilômetros dois e três; quatro e cinco e seis e sete. As apresentações acontecerão no estádio da Cepeusp.

    Além dos milhares de corredores amadores que participarão, a corrida contará com a presença de alguns artistas e atletas de renome, como Marílson Gomes, recém oitavo colocado na Maratona de Nova York, sua esposa Juliana, entre outros. Para promover a prova, a Nike este ano criou três clubes de corrida, o dos Não Corredores que Correm, o Aves de Fogo e o Cartel Endorfina, respectivamente para atletas de nível iniciante, intermediário e avançado.

    Nas duas edições anteriores, uma realizada no Jockey Club e a outra também na USP, os shows agitaram ainda mais os presentes. Em 2005, tocaram Wilson Sideral e banda, com participação especial de Cláudio Zoli, Fernanda Abreu, Júnior Lima e Toni Garrido e em 2006 Fernanda Abreu e DJ Marlboro iniciaram o espetáculo, finalizado pela banda Jota Quest.


    Shows da Nike 10k deste domingo estão definidos

    Corridas de Rua · 08 nov, 2007

    Neste domingo acontece a terceira edição da Nike 10k, competição que reunirá 25 mil pessoas na USP, com largada programada para as 8h. Como tradicionalmente acontece, um grande show marcará o encerramento do evento, a partir das 9h. Confira os artistas confirmados.

    Marcelo D2 é um dos destaques e, junto com o ex-integrante da banda Planet Hemp, se apresentarão o DJ Zé Gonzales, o vocalista do Cidade Negra Toni Garrido e as cantoras Paula Lima e Negra Li. Além disso, DJs vão animar o percurso entre os quilômetros dois e três; quatro e cinco e seis e sete. As apresentações acontecerão no estádio da Cepeusp.

    Além dos milhares de corredores amadores que participarão, a corrida contará com a presença de alguns artistas e atletas de renome, como Marílson Gomes, recém oitavo colocado na Maratona de Nova York, sua esposa Juliana, entre outros. Para promover a prova, a Nike este ano criou três clubes de corrida, o dos Não Corredores que Correm, o Aves de Fogo e o Cartel Endorfina, respectivamente para atletas de nível iniciante, intermediário e avançado.

    Nas duas edições anteriores, uma realizada no Jockey Club e a outra também na USP, os shows agitaram ainda mais os presentes. Em 2005, tocaram Wilson Sideral e banda, com participação especial de Cláudio Zoli, Fernanda Abreu, Júnior Lima e Toni Garrido e em 2006 Fernanda Abreu e DJ Marlboro iniciaram o espetáculo, finalizado pela banda Jota Quest.