my im

Harry vai com Deus

Corridas de Rua · 12 nov, 2007

E o maratonista Silvio Sorvillo, radicado em Londres, escreve e avisa que o Harry (o príncipe) pode e deve correr tranqüilo ao lado do rio Tâmisa como eu sugeri a ele. Sorvillo que é chief num badalado pub londrino, informa que o point divide com o Hyde Park a preferência dos corredores que estão aos milhares pela cidade.

Segundo o maratonista, o Hyde Park impressiona pelo seu tamanho. “Dá uns cinco Ibirapuera juntos”, conta.
Bom, se é essa a sua vontade, você pode correr por esses dois locais e vários outros pontos turísticos e históricos participando, em abril, da maratona de Londres.

Portanto Harry, só falta você calçar o tênis, pois lugar não falta!


Harry vai com Deus

Corridas de Rua · 12 nov, 2007

E o maratonista Silvio Sorvillo, radicado em Londres, escreve e avisa que o Harry (o príncipe) pode e deve correr tranqüilo ao lado do rio Tâmisa como eu sugeri a ele. Sorvillo que é chief num badalado pub londrino, informa que o point divide com o Hyde Park a preferência dos corredores que estão aos milhares pela cidade.

Segundo o maratonista, o Hyde Park impressiona pelo seu tamanho. “Dá uns cinco Ibirapuera juntos”, conta.
Bom, se é essa a sua vontade, você pode correr por esses dois locais e vários outros pontos turísticos e históricos participando, em abril, da maratona de Londres.

Portanto Harry, só falta você calçar o tênis, pois lugar não falta!

O príncipe e o plebeu

Corridas de Rua · 11 nov, 2007

Enquanto nesta semana meu xará o príncipe britânico Harry perdeu a namorada, eu termino a primeira semana de treino 45 quilômetros mais velho e, ao contrário dele, bem feliz. As dores estão por toda parte, mas em questão de dias e com a seqüência de treinamento as coisas se ajeitam e elas logo somem.

Estou na base e a regra número um é rodar. Esqueça o relógio e gaste muita sola de tênis. Para mim o ideal é 65 e no máximo 75 quilômetros por semana. De 45 subo essa semana para 60 km, sendo no sábado um semi-longo de 21 km (meia maratona). Sem choro.

Pôxa, o Harry (o príncipe) está com um problemão e eu falando de mim. Bom, se for assim eu aconselho ele a dar umas corridinhas lá pelo lado do Tâmisa e quem sabe, as coisas comecem a melhorar para ele!


O príncipe e o plebeu

Corridas de Rua · 11 nov, 2007

Enquanto nesta semana meu xará o príncipe britânico Harry perdeu a namorada, eu termino a primeira semana de treino 45 quilômetros mais velho e, ao contrário dele, bem feliz. As dores estão por toda parte, mas em questão de dias e com a seqüência de treinamento as coisas se ajeitam e elas logo somem.

Estou na base e a regra número um é rodar. Esqueça o relógio e gaste muita sola de tênis. Para mim o ideal é 65 e no máximo 75 quilômetros por semana. De 45 subo essa semana para 60 km, sendo no sábado um semi-longo de 21 km (meia maratona). Sem choro.

Pôxa, o Harry (o príncipe) está com um problemão e eu falando de mim. Bom, se for assim eu aconselho ele a dar umas corridinhas lá pelo lado do Tâmisa e quem sabe, as coisas comecem a melhorar para ele!

Cadê o meu resultado?

Corridas de Rua · 11 nov, 2007

E não é que deu “pau” o sistema de resultados da corrida Nike 10K, pois passadas mais de três horas que eu cruzei a linha de chegada, até agora não recebi nenhum torpedo no celular informando meu tempo como prometido.

Para falar a verdade, o tempo nesta prova não é o mais importante, alias, foi os 10 quilometros mais lento que eu já fiz em minha vida. Extra-oficialmente fechei com pouco mais de 57 minutos, mas o grande barato desta corrida é justamante se divertir, e isso eu fiz.


Cadê o meu resultado?

Corridas de Rua · 11 nov, 2007

E não é que deu “pau” o sistema de resultados da corrida Nike 10K, pois passadas mais de três horas que eu cruzei a linha de chegada, até agora não recebi nenhum torpedo no celular informando meu tempo como prometido.

Para falar a verdade, o tempo nesta prova não é o mais importante, alias, foi os 10 quilometros mais lento que eu já fiz em minha vida. Extra-oficialmente fechei com pouco mais de 57 minutos, mas o grande barato desta corrida é justamante se divertir, e isso eu fiz.

A maior de todas as corridas

Corridas de Rua · 10 nov, 2007

Uma coisa que não se pode reclamar na cidade de São Paulo é a quantidade de corridas que fazem parte de seu calendário. Felizmente para seus moradores há uma concentração, ou melhor, alta concentração.

Como nunca visto antes na história desta cidade (ops!) se organiza ao menos uma corrida com mais de três mil pessoas (e com padrão bom na média geral) todo final de semana.

Para citar um bom exemplo, no mês de julho em uma mesma manhã tivemos o Mizuno Ekiden, a Corpore Bombeiros e a Fashion Run. E amanhã acontece a maior de todas as provas individuais realizadas no país, a Run America Nike 10K. São aguardados 25 mil corredores inscritos (!).

Evidentemente que o grande barato de correr uma prova desta é seu espírito participativo. É com ele que eu vou correr, esquecer do relógio, correr solto, sem estresse.

Alias, estou indo agora para a USP fazer meu último treino e pegar o kit da corrida!


A maior de todas as corridas

Corridas de Rua · 10 nov, 2007

Uma coisa que não se pode reclamar na cidade de São Paulo é a quantidade de corridas que fazem parte de seu calendário. Felizmente para seus moradores há uma concentração, ou melhor, alta concentração.

Como nunca visto antes na história desta cidade (ops!) se organiza ao menos uma corrida com mais de três mil pessoas (e com padrão bom na média geral) todo final de semana.

Para citar um bom exemplo, no mês de julho em uma mesma manhã tivemos o Mizuno Ekiden, a Corpore Bombeiros e a Fashion Run. E amanhã acontece a maior de todas as provas individuais realizadas no país, a Run America Nike 10K. São aguardados 25 mil corredores inscritos (!).

Evidentemente que o grande barato de correr uma prova desta é seu espírito participativo. É com ele que eu vou correr, esquecer do relógio, correr solto, sem estresse.

Alias, estou indo agora para a USP fazer meu último treino e pegar o kit da corrida!

Correndo nos andes argentinos

Corridas de Rua · 09 nov, 2007

Estou naquela fase de garimpar, escolher e programar as minhas maratonas dentro de um macro ciclo bem amplo. Como ano que vem já decidi que corro três das quatro maratonas brasileiras que me faltam, as opções devem ser escalonadas para 2009 e 2010. E dentro dessas possibilidades certamente a 42K Adventure Marathon, que acontece na charmosa Villa La Angostura localizada nos andes da patagônia Argentina, está nos meus planos.

A cidade que fica 1.200 quilômetros de Buenos Aires recebe a prova que na verdade, é uma difícil maratona de montanha. Sua largada se dá aos 700 metros de altitude e na qual você antes de chegar sobe aos 1.200 metros por duas vezes.

Para percorrer os 42 quilômetros aferidos nestas condições, o corredor tem que estar bem, para não pagar além da conta que se tem para completar uma maratona. Para se ter uma idéia da dificuldade, esse ano os vencedores Gustavo Reis e Eliana Barroso venceram com o tempo de 2h59mim01 e 4h18min55, respectivamente.

Porém para aqueles corredores que se dispuserem a enfrentar frio, lama, degraus e riachos em um percurso que deve fazer com que a Meia Maratona do Rio repense se realmente é a mais bonita prova da América Latina, certamente terão boas histórias para contar.

Mas pelo visto, nossos “hermanos” também dão suas patinadas na hora de montar o calendário. Até onde sei a Argentina possui somente duas maratonas, essa e a Maratona de Bueiros Aires e, inexplicavelmente, ambas são disputadas no primeiro domingo de novembro.

Conheça o site do 42K Adventure Marathon.

PS.: O internauta Gustavo, de Minas Gerais, escreveu lembrando que além das duas provas citadas, existe a Maratona do Fim do Mundo, disputada em Ushuaia, no sul da patagônia Argentina. Falha minha!


Correndo nos andes argentinos

Corridas de Rua · 09 nov, 2007

Estou naquela fase de garimpar, escolher e programar as minhas maratonas dentro de um macro ciclo bem amplo. Como ano que vem já decidi que corro três das quatro maratonas brasileiras que me faltam, as opções devem ser escalonadas para 2009 e 2010. E dentro dessas possibilidades certamente a 42K Adventure Marathon, que acontece na charmosa Villa La Angostura localizada nos andes da patagônia Argentina, está nos meus planos.

A cidade que fica 1.200 quilômetros de Buenos Aires recebe a prova que na verdade, é uma difícil maratona de montanha. Sua largada se dá aos 700 metros de altitude e na qual você antes de chegar sobe aos 1.200 metros por duas vezes.

Para percorrer os 42 quilômetros aferidos nestas condições, o corredor tem que estar bem, para não pagar além da conta que se tem para completar uma maratona. Para se ter uma idéia da dificuldade, esse ano os vencedores Gustavo Reis e Eliana Barroso venceram com o tempo de 2h59mim01 e 4h18min55, respectivamente.

Porém para aqueles corredores que se dispuserem a enfrentar frio, lama, degraus e riachos em um percurso que deve fazer com que a Meia Maratona do Rio repense se realmente é a mais bonita prova da América Latina, certamente terão boas histórias para contar.

Mas pelo visto, nossos “hermanos” também dão suas patinadas na hora de montar o calendário. Até onde sei a Argentina possui somente duas maratonas, essa e a Maratona de Bueiros Aires e, inexplicavelmente, ambas são disputadas no primeiro domingo de novembro.

Conheça o site do 42K Adventure Marathon.

PS.: O internauta Gustavo, de Minas Gerais, escreveu lembrando que além das duas provas citadas, existe a Maratona do Fim do Mundo, disputada em Ushuaia, no sul da patagônia Argentina. Falha minha!

Desistindo de cabeça erguida

Corridas de Rua · 07 nov, 2007

Apesar, que os atletas profissionais terem no esporte seu ganha pão, gostar e amar a prática esportiva é fundamental para se tornar um profissional e em um patamar mais elevado ser um campeão. Fico perplexo quando vejo alguns profissionais abandonarem uma competição, simplesmente, porque sabem que o pódio (e a premiação) escapou de suas mãos.

Mas existem exemplos maravilhosos daqueles que lutam até o fim. Para citar alguns, temos o caso da suíça Gabrielle Andersen (Los Angeles, 1984), do Vanderlei Cordeiro de Lima (Atenas, 2004), da Márcia Narloch (Pan, 2007) entre outros. Porém às vezes ir até o fim por várias razões não é possível. Mas nesta hora que vemos quem pratica esporte por amor e não só por dinheiro.

E como a semana é dela (ou seria o ano?), o exemplo de dor, de perda, do sofrimento com a desistência, com a derrota não poderia deixar de vir da melhor, da maior, de Paula Radcliffe.

As imagens podem substituir mil linhas que posso escrever!


Desistindo de cabeça erguida

Corridas de Rua · 07 nov, 2007

Apesar, que os atletas profissionais terem no esporte seu ganha pão, gostar e amar a prática esportiva é fundamental para se tornar um profissional e em um patamar mais elevado ser um campeão. Fico perplexo quando vejo alguns profissionais abandonarem uma competição, simplesmente, porque sabem que o pódio (e a premiação) escapou de suas mãos.

Mas existem exemplos maravilhosos daqueles que lutam até o fim. Para citar alguns, temos o caso da suíça Gabrielle Andersen (Los Angeles, 1984), do Vanderlei Cordeiro de Lima (Atenas, 2004), da Márcia Narloch (Pan, 2007) entre outros. Porém às vezes ir até o fim por várias razões não é possível. Mas nesta hora que vemos quem pratica esporte por amor e não só por dinheiro.

E como a semana é dela (ou seria o ano?), o exemplo de dor, de perda, do sofrimento com a desistência, com a derrota não poderia deixar de vir da melhor, da maior, de Paula Radcliffe.

As imagens podem substituir mil linhas que posso escrever!

A mãe da minha filha

Corridas de Rua · 07 nov, 2007

Hoje que a Claudete, minha ex-esposa, comemora mais um aniversário, eu não poderia deixar de lembrar e tornar público minha estima para com essa pessoa que certamente dividi mais alegrias do que tristezas. Para não dizer que eu não falei, aqui vai: Parabéns!

Ih, agora esse blog deu para praticar "nepotismo bajulador", a blogaiada pode estar se questionando. Não meu caro leitor. Além de ter sido importante na minha vida pessoal, ela também me ajudou muito quando lancei em 1999 o maratona.com.br, gerenciando reuniões, contatos e eventos que participamos, então, ela tem parte da minha história com o mundo virtual.

Para não deixar em branco relato ainda uma história dela com nosso nobre esporte. Apesar de não praticar corridas com regularidade, aos 18 anos ao participar de sua primeira – e única – competição, a então tradicional Corrida das Secretárias, no Ibirapuera, mostrou a que veio levando o troféu de campeã.

Além destas valiosas contribuições, ela me proporcionou a mais bela e maravilhosa alegria que uma pessoa pode sentir, ser pai, gerando uma filha que não posso dispensar belos adjetivos, elogios e a mais pura felicidade de fazer parte de sua vida.

Desejo à você muita saúde e felicidade!


A mãe da minha filha

Corridas de Rua · 07 nov, 2007

Hoje que a Claudete, minha ex-esposa, comemora mais um aniversário, eu não poderia deixar de lembrar e tornar público minha estima para com essa pessoa que certamente dividi mais alegrias do que tristezas. Para não dizer que eu não falei, aqui vai: Parabéns!

Ih, agora esse blog deu para praticar "nepotismo bajulador", a blogaiada pode estar se questionando. Não meu caro leitor. Além de ter sido importante na minha vida pessoal, ela também me ajudou muito quando lancei em 1999 o maratona.com.br, gerenciando reuniões, contatos e eventos que participamos, então, ela tem parte da minha história com o mundo virtual.

Para não deixar em branco relato ainda uma história dela com nosso nobre esporte. Apesar de não praticar corridas com regularidade, aos 18 anos ao participar de sua primeira – e única – competição, a então tradicional Corrida das Secretárias, no Ibirapuera, mostrou a que veio levando o troféu de campeã.

Além destas valiosas contribuições, ela me proporcionou a mais bela e maravilhosa alegria que uma pessoa pode sentir, ser pai, gerando uma filha que não posso dispensar belos adjetivos, elogios e a mais pura felicidade de fazer parte de sua vida.

Desejo à você muita saúde e felicidade!

Será que eu chego lá?

Corridas de Rua · 06 nov, 2007

E o técnico Wanderlei de Oliveira me escreve para avisar que aos 77 anos o brasileiro Oswaldo Silveira, que treina na Run for Life, foi destaque na Maratona de Nova York, no último domingo. Entre os mais de 38 mil corredores ele conquistou a segunda colocação em sua categoria (75/79 anos) na famosa prova.

Silveira, que é maître com formação em Paris, atualmente comanda a cozinha do Hotel Frontenac em Campos do Jordão (SP) e é corredor para se respeitar. Ou você se imagina aos 76 anos correndo a Meia de Buenos Aires em 1h51min, ou mesmo os 10K Nike com o tempo de 50 minutos?

Está aí mais um exemplo a ser seguido. Será que eu chego lá?


Será que eu chego lá?

Corridas de Rua · 06 nov, 2007

E o técnico Wanderlei de Oliveira me escreve para avisar que aos 77 anos o brasileiro Oswaldo Silveira, que treina na Run for Life, foi destaque na Maratona de Nova York, no último domingo. Entre os mais de 38 mil corredores ele conquistou a segunda colocação em sua categoria (75/79 anos) na famosa prova.

Silveira, que é maître com formação em Paris, atualmente comanda a cozinha do Hotel Frontenac em Campos do Jordão (SP) e é corredor para se respeitar. Ou você se imagina aos 76 anos correndo a Meia de Buenos Aires em 1h51min, ou mesmo os 10K Nike com o tempo de 50 minutos?

Está aí mais um exemplo a ser seguido. Será que eu chego lá?