mata atlântica

Pelos horizontes do Brasil: 9 eventos de turismo esportivo

Bike · 16 maio, 2018

“Minha terra tem palmeiras, onde canta o sabiá” . Como Gonçalves Dias já cantava no período Imperial, nosso Brasil tem mais estrelas, flores, vidas, e mais lugares para turismo esportivo. Conseguir combinar viagens para lugares paradisíacos, conhecer um pouquinho mais […]


Pelos horizontes do Brasil: 9 eventos de turismo esportivo

Bike · 16 maio, 2018

“Minha terra tem palmeiras, onde canta o sabiá” . Como Gonçalves Dias já cantava no período Imperial, nosso Brasil tem mais estrelas, flores, vidas, e mais lugares para turismo esportivo. Conseguir combinar viagens para lugares paradisíacos, conhecer um pouquinho mais […]

Marizete Rezende fatura bi na Mata Atlântica

Corridas de Rua · 10 jul, 2007

A goiana radicada em Araraquara, Marizete Rezende faturou no último domingo (7) o bicampeonato do Desafio da Mata Atlântica, competição que teve largada ao nível do mar, em Cubatão e percorreu 7,5 km de subidas pela Serra do Mar. Entre os homens a vitória ficou com Francisco Barbosa dos Santos, o Chiquinho, atleta pernambucano radicado em Guarulhos. Os dois receberam uma premiação de R$ 4 mil.

Diferente do ano passado em que a chuva e o frio marcaram toda a competição, esse ano o sol apareceu e o clima permaneceu ameno até o final, mas um forte vento contra dificultou um pouco a vida dos atletas. Na disputa feminina Marizete sobrou mais uma vez e logo no segundo quilômetro deixou para trás a queniana Alice Serser e apenas administrou a vantagem.

Ela cruzou a linha de chegada após 37min16, seguida pela queniana, um minuto e meio depois e por Ilaine Wandschee com 39min04. A alagoana Marily dos Santos chegou em quarto com 41min07 e a paulista Andréa Benites foi a quinta com 41min23. “Esse ano poderia ter sido mais fácil se eu estivesse na minha melhor forma, mas no final do ano passado e esse ano tive uma série de problemas, como alergia e contusão. Tem duas semanas que estou conseguindo treinar e estou muito feliz. A organização está, de novo de parabéns, porque é uma prova especial, muito boa”, comenta a campeã.

Ela disse ainda que o vento contra dificultou muito o desempenho, mas foi melhor do que a chuva e frio do ano passado. Aos 32 anos de idade ela era uma das favoritas para ficar com uma das vagas na maratona do Pan, mas apesar de não participar da competição continental diz que estará na torcida pelas colegas. “Infelizmente não deu, tentei quatro vezes, desde o ano passado, mas não é por isso que vou deixar de torcer pelas duas (Márcia Narloch e Sirlene Pinho)”.

A segunda colocada Alice Serser foi enfática ao resumir o que passou na competição. “Foi muito difícil, me matou”. Já Ilaine diz que ano que vem buscará o primeiro posto. “Esse ano corri bem a Prova do Cristo, em Poços de Caldas, e decidi arriscar no Desafio. Gostei muito e no ano que vem quero voltar para brigar pela primeira colocação”.

Entre os homens a disputa foi mais equilibrada e desde o começo Roberto Rodrigues e Lindomar Modesto, o Pantanal, saíram fortes junto com o campeão do ano passado David Mesquita e o queniano Kosmer Kemboi. Na passagem do quilômetro três Chiquinho se juntou ao grupo da ponta e, depois da metade da disputa, assumiu a ponta, tendo David “colado”. A definição veio no quilômetro seis e Chiquinho cruzou com 31min27, oito segundos mais rápido do que em 2006. David cruzou a linha 12 segundos depois. Lindomar Modesto, o Pantanal, repetiu o terceiro lugar, seguido de João Ferreira de Lima, o João da Bota.

David de Andrade reconheceu a superioridade do vencedor. “O Chiquinho veio bem preparado. Infelizmente não deu, mas foi muito boa essa segunda colocação, com todos esses excelentes atletas”. Já João da Bota se diz feliz com o terceiro posto. “Tive uma contusão na panturrilha e fiquei nove meses parado. Estou treinando há dois meses e para mim foi como uma vitória. Fiquei com medo de nem ficar entre os 10”.

A competição reuniu 1.000 atletas (lotação máxima), entre corredores e caminhantes, que enfrentaram uma dura subida, com largada ao nível do mar e chegada a 720 metros de altitude. O percurso teve ascensão de 100 metros a cada quilômetro, com trechos íngremes e curvas fechadas. Mas, para aqueles que não estavam “brigando” pelas primeiras colocações, a paisagem compensou. Os atletas puderam curtir muito verde, com mata nativa, além de um visual incrível da região, principalmente com o dia ensolarado.

“Esse ano foi perfeito, com sol, calor. O evento uniu a prova esportiva com a natureza, sendo especial. A alegria das pessoas que completaram o percurso já engrandece a prova”, comenta Marcos Clemente Santini, diretor-presidente de A Tribuna. Após o evento os organizadores doaram R$ 20 mil ao Caminhos do Mar - Pólo Ecoturístico, que mantém a Estrada Caminho do Mar. Segundo Nilsa Simões Queiroz, a verba será utilizada em obras de melhoria.


Marizete Rezende fatura bi na Mata Atlântica

Corridas de Rua · 10 jul, 2007

A goiana radicada em Araraquara, Marizete Rezende faturou no último domingo (7) o bicampeonato do Desafio da Mata Atlântica, competição que teve largada ao nível do mar, em Cubatão e percorreu 7,5 km de subidas pela Serra do Mar. Entre os homens a vitória ficou com Francisco Barbosa dos Santos, o Chiquinho, atleta pernambucano radicado em Guarulhos. Os dois receberam uma premiação de R$ 4 mil.

Diferente do ano passado em que a chuva e o frio marcaram toda a competição, esse ano o sol apareceu e o clima permaneceu ameno até o final, mas um forte vento contra dificultou um pouco a vida dos atletas. Na disputa feminina Marizete sobrou mais uma vez e logo no segundo quilômetro deixou para trás a queniana Alice Serser e apenas administrou a vantagem.

Ela cruzou a linha de chegada após 37min16, seguida pela queniana, um minuto e meio depois e por Ilaine Wandschee com 39min04. A alagoana Marily dos Santos chegou em quarto com 41min07 e a paulista Andréa Benites foi a quinta com 41min23. “Esse ano poderia ter sido mais fácil se eu estivesse na minha melhor forma, mas no final do ano passado e esse ano tive uma série de problemas, como alergia e contusão. Tem duas semanas que estou conseguindo treinar e estou muito feliz. A organização está, de novo de parabéns, porque é uma prova especial, muito boa”, comenta a campeã.

Ela disse ainda que o vento contra dificultou muito o desempenho, mas foi melhor do que a chuva e frio do ano passado. Aos 32 anos de idade ela era uma das favoritas para ficar com uma das vagas na maratona do Pan, mas apesar de não participar da competição continental diz que estará na torcida pelas colegas. “Infelizmente não deu, tentei quatro vezes, desde o ano passado, mas não é por isso que vou deixar de torcer pelas duas (Márcia Narloch e Sirlene Pinho)”.

A segunda colocada Alice Serser foi enfática ao resumir o que passou na competição. “Foi muito difícil, me matou”. Já Ilaine diz que ano que vem buscará o primeiro posto. “Esse ano corri bem a Prova do Cristo, em Poços de Caldas, e decidi arriscar no Desafio. Gostei muito e no ano que vem quero voltar para brigar pela primeira colocação”.

Entre os homens a disputa foi mais equilibrada e desde o começo Roberto Rodrigues e Lindomar Modesto, o Pantanal, saíram fortes junto com o campeão do ano passado David Mesquita e o queniano Kosmer Kemboi. Na passagem do quilômetro três Chiquinho se juntou ao grupo da ponta e, depois da metade da disputa, assumiu a ponta, tendo David “colado”. A definição veio no quilômetro seis e Chiquinho cruzou com 31min27, oito segundos mais rápido do que em 2006. David cruzou a linha 12 segundos depois. Lindomar Modesto, o Pantanal, repetiu o terceiro lugar, seguido de João Ferreira de Lima, o João da Bota.

David de Andrade reconheceu a superioridade do vencedor. “O Chiquinho veio bem preparado. Infelizmente não deu, mas foi muito boa essa segunda colocação, com todos esses excelentes atletas”. Já João da Bota se diz feliz com o terceiro posto. “Tive uma contusão na panturrilha e fiquei nove meses parado. Estou treinando há dois meses e para mim foi como uma vitória. Fiquei com medo de nem ficar entre os 10”.

A competição reuniu 1.000 atletas (lotação máxima), entre corredores e caminhantes, que enfrentaram uma dura subida, com largada ao nível do mar e chegada a 720 metros de altitude. O percurso teve ascensão de 100 metros a cada quilômetro, com trechos íngremes e curvas fechadas. Mas, para aqueles que não estavam “brigando” pelas primeiras colocações, a paisagem compensou. Os atletas puderam curtir muito verde, com mata nativa, além de um visual incrível da região, principalmente com o dia ensolarado.

“Esse ano foi perfeito, com sol, calor. O evento uniu a prova esportiva com a natureza, sendo especial. A alegria das pessoas que completaram o percurso já engrandece a prova”, comenta Marcos Clemente Santini, diretor-presidente de A Tribuna. Após o evento os organizadores doaram R$ 20 mil ao Caminhos do Mar - Pólo Ecoturístico, que mantém a Estrada Caminho do Mar. Segundo Nilsa Simões Queiroz, a verba será utilizada em obras de melhoria.

Desafio da Mata Atlântica abre inscrições terça

Corridas de Rua · 01 jun, 2007

Aproveitando o embalo de mais um sucesso com os 10 km Tribuna FM, na próxima terça-feira (cinco) já estarão abertas as inscrições para a segunda edição do Desafio da Mata Atlântica, prova que acontece no dia sete de julho em Cubatão (São Paulo). A prova se destaca pelo seu caráter ecológico, já que passará em meio à Serra do Mar, e também pela dificuldade dos 7,5 quilômetros de subida íngreme da famosa Estrada Velha de Santos.

“Essa é uma prova especial, diferenciada para nós, porque é um evento não só esportivo como ecológico. Tanto que é realizada no Parque Estadual muito bem administrado, com várias regras, que temos de cumprir”, comenta Marcos Santini, diretor-presidente de A Tribuna. Pelo fato de a prova acontecer dentro de uma área de preservação, foi necessário limitar a participação em mil atletas e, de acordo com os organizadores, a expectativa é que as vagas se esgotem em uma semana.

Para garantir a preservação da região, fiscais estarão espalhados pelo percurso para orientar e conscientizar os corredores sobre a importância de se manter o local limpo e, ao final, uma equipe fará a varredura da sujeira deixada para trás. A disputa terá largada ao nível do mar, junto à Refinaria Presidente Bernardes e chegada a 720 metros de altitude, com ascensão de 100 metros a cada quilômetro. Em função disso, é classificada como uma das mais difíceis do Brasil.

Serviço - Para se inscrever o atleta deverá desembolsar a quantia de R$ 45 e se dirigir ao posto oficial de A Tribuna, à Rua Itororó, 27, no Centro de Santos, nos dias úteis, das 12 às 18h. Também é possível se inscrever em Cubatão na sucursal do jornal, à Rua Joaquim Miguel Couto, 571, das 9 às 12h e das 14 às 17h. Já em São Paulo pode ser feita na Rua da Consolação, 331, 10º andar. Há, ainda, a opção pela internet, no site www.triesportes.com.br.


Desafio da Mata Atlântica abre inscrições terça

Corridas de Rua · 01 jun, 2007

Aproveitando o embalo de mais um sucesso com os 10 km Tribuna FM, na próxima terça-feira (cinco) já estarão abertas as inscrições para a segunda edição do Desafio da Mata Atlântica, prova que acontece no dia sete de julho em Cubatão (São Paulo). A prova se destaca pelo seu caráter ecológico, já que passará em meio à Serra do Mar, e também pela dificuldade dos 7,5 quilômetros de subida íngreme da famosa Estrada Velha de Santos.

“Essa é uma prova especial, diferenciada para nós, porque é um evento não só esportivo como ecológico. Tanto que é realizada no Parque Estadual muito bem administrado, com várias regras, que temos de cumprir”, comenta Marcos Santini, diretor-presidente de A Tribuna. Pelo fato de a prova acontecer dentro de uma área de preservação, foi necessário limitar a participação em mil atletas e, de acordo com os organizadores, a expectativa é que as vagas se esgotem em uma semana.

Para garantir a preservação da região, fiscais estarão espalhados pelo percurso para orientar e conscientizar os corredores sobre a importância de se manter o local limpo e, ao final, uma equipe fará a varredura da sujeira deixada para trás. A disputa terá largada ao nível do mar, junto à Refinaria Presidente Bernardes e chegada a 720 metros de altitude, com ascensão de 100 metros a cada quilômetro. Em função disso, é classificada como uma das mais difíceis do Brasil.

Serviço - Para se inscrever o atleta deverá desembolsar a quantia de R$ 45 e se dirigir ao posto oficial de A Tribuna, à Rua Itororó, 27, no Centro de Santos, nos dias úteis, das 12 às 18h. Também é possível se inscrever em Cubatão na sucursal do jornal, à Rua Joaquim Miguel Couto, 571, das 9 às 12h e das 14 às 17h. Já em São Paulo pode ser feita na Rua da Consolação, 331, 10º andar. Há, ainda, a opção pela internet, no site www.triesportes.com.br.

Ironman conta com campanha ambiental

Triathlon · 27 maio, 2007

A edição desse ano do Ironman Brasil será o primeiro evento esportivo no país a receber o selo ambiental “CarbonoNeutro”, concedido à entidades que promovem a compensação de emissões ou absorção dos Gases de Efeito Estufa (GEE). Isso porque a quantidade de gás carbônico produzido pela prova será calculado e o valor obtido será transformado em número de árvores plantadas.

A organização do evento firmou um convênio com a entidade MaxAmbiental que coordena o programa CarbonoNeutro no Brasil, para viabilizar esse projeto. “Estamos dando nossa contribuição para reduzir os níveis de poluição ambiental e também conscientizar que cada pessoa pode participar desse processo”, diz Carlos Galvão, diretor geral do Ironman Brasil.

O cálculo será baseado na quantidade de gás carbônico emitido pela energia elétrica utilizada, pelo gerador instalado no Clube Doze de Agosto, pelo lixo orgânico produzido, além da poluição dos veículos. As árvores serão plantadas em regiões de Mata Atlântica dentro do projeto Florestas do Futuro, da ONG S.O.S. Mata Atlântica.

Essas árvores vão ‘seqüestrar’ o gás carbônico e neutralizar o impacto do evento no meio ambiente, fator imperativo para a sobrevivência humana”, diz José Guilherme Azevedo, da MaxAmbiental. Para mais informações sobre o projeto, basta acessar www.carbononeutro.com.br.


Ironman conta com campanha ambiental

Triathlon · 27 maio, 2007

A edição desse ano do Ironman Brasil será o primeiro evento esportivo no país a receber o selo ambiental “CarbonoNeutro”, concedido à entidades que promovem a compensação de emissões ou absorção dos Gases de Efeito Estufa (GEE). Isso porque a quantidade de gás carbônico produzido pela prova será calculado e o valor obtido será transformado em número de árvores plantadas.

A organização do evento firmou um convênio com a entidade MaxAmbiental que coordena o programa CarbonoNeutro no Brasil, para viabilizar esse projeto. “Estamos dando nossa contribuição para reduzir os níveis de poluição ambiental e também conscientizar que cada pessoa pode participar desse processo”, diz Carlos Galvão, diretor geral do Ironman Brasil.

O cálculo será baseado na quantidade de gás carbônico emitido pela energia elétrica utilizada, pelo gerador instalado no Clube Doze de Agosto, pelo lixo orgânico produzido, além da poluição dos veículos. As árvores serão plantadas em regiões de Mata Atlântica dentro do projeto Florestas do Futuro, da ONG S.O.S. Mata Atlântica.

Essas árvores vão ‘seqüestrar’ o gás carbônico e neutralizar o impacto do evento no meio ambiente, fator imperativo para a sobrevivência humana”, diz José Guilherme Azevedo, da MaxAmbiental. Para mais informações sobre o projeto, basta acessar www.carbononeutro.com.br.

Desafio da Mata Atlântica acontece em julho

Corridas de Rua · 12 maio, 2007

A segunda edição do Desafio Mata Atlântica acontece no dia sete de julho e os atletas terão que enfrentar novamente 7,5 quilômetros de subidas íngremes pela região da Serra do Mar, com largada na cidade litorânea de Cubatão e chegada numa região a 720 metros de altitude. O percurso utilizado será mais uma vez a Estrada Velha de Santos (Caminho do Mar), palco da famosa música de Roberto Carlos As curvas da Estrada de Santos (Eu prefiro as curvas da estrada de Santos/ Onde eu tento esquecer um amor que eu tive/ E vi pelo espelho/ Na distância se perder).

Os organizadores estimam que 1.000 atletas compareçam ao evento, entre corredores e caminhantes, que se concentrarão em frente à refinaria Presidente Bernardes. “Essa é uma prova totalmente diferente. Alguns vão para enfrentar o desafio e seus limites e outros vão contemplar a natureza, num local maravilhoso”, ressalta Marcos Clemente Santini, diretor-presidente de A Tribuna.

Na edição do ano passado a vitória ficou com o mineiro David Andrade de Mesquita e a goiana Marizete de Paula Rezende, que derrotaram os quenianos Elijah Kipkemboi Yator e Anne Cheptanui Bererwe, respectivamente. Por se tratar de uma unidade de preservação ambiental, as equipes de limpeza farão uma varredura ao final do evento, da mesma forma como aconteceu ano passado, para evitar que a sujeira chegue às encostas.

As inscrições estarão abertas a partir do dia cinco de junho, sob o valor de R$ 45 através dos postos cadastrados no site oficial da competição, o www.triesportes.com.br. Os 10 melhores do masculino e do feminino dividirão uma premiação de R$ 33 mil, com R$ 4 mil aos vencedores, R$ 3 mil aos vices e R$ 2,5 mil aos terceiros colocados.


Desafio da Mata Atlântica acontece em julho

Corridas de Rua · 12 maio, 2007

A segunda edição do Desafio Mata Atlântica acontece no dia sete de julho e os atletas terão que enfrentar novamente 7,5 quilômetros de subidas íngremes pela região da Serra do Mar, com largada na cidade litorânea de Cubatão e chegada numa região a 720 metros de altitude. O percurso utilizado será mais uma vez a Estrada Velha de Santos (Caminho do Mar), palco da famosa música de Roberto Carlos As curvas da Estrada de Santos (Eu prefiro as curvas da estrada de Santos/ Onde eu tento esquecer um amor que eu tive/ E vi pelo espelho/ Na distância se perder).

Os organizadores estimam que 1.000 atletas compareçam ao evento, entre corredores e caminhantes, que se concentrarão em frente à refinaria Presidente Bernardes. “Essa é uma prova totalmente diferente. Alguns vão para enfrentar o desafio e seus limites e outros vão contemplar a natureza, num local maravilhoso”, ressalta Marcos Clemente Santini, diretor-presidente de A Tribuna.

Na edição do ano passado a vitória ficou com o mineiro David Andrade de Mesquita e a goiana Marizete de Paula Rezende, que derrotaram os quenianos Elijah Kipkemboi Yator e Anne Cheptanui Bererwe, respectivamente. Por se tratar de uma unidade de preservação ambiental, as equipes de limpeza farão uma varredura ao final do evento, da mesma forma como aconteceu ano passado, para evitar que a sujeira chegue às encostas.

As inscrições estarão abertas a partir do dia cinco de junho, sob o valor de R$ 45 através dos postos cadastrados no site oficial da competição, o www.triesportes.com.br. Os 10 melhores do masculino e do feminino dividirão uma premiação de R$ 33 mil, com R$ 4 mil aos vencedores, R$ 3 mil aos vices e R$ 2,5 mil aos terceiros colocados.

Quenianos vêm fortes para prova da Mata Atlântica

Corridas de Rua · 25 jul, 2006


Os 7,5 quilômetros de subida pela Serra do Mar do Desafio Mata Atlântica, pela Estrada Velha de Santos (Caminho do Mar) já estavam sendo considerados difíceis pelos corredores. Porém, com a confirmação da participação de quatro quenianos, a prova tende a ser ainda mais dura.

Os africanos são respeitados no mundo da corrida, pelo preparo e pela força física, fato que os coloca como favoritos para vencer as competições. Para o Desafio da Mata Atlântica, que acontece no próximo sábado (29), Charles Korir, Anne Bererwe, Elijah Kipkemboi Yator e Richard Kiprono Maiyo prometem não dar chance aos brasileiros.

Charles Korir, 26 anos foi vice-campeão da Meia A Tribuna Praia Grande no final de 2005 e vice na Maratona de São Paulo esse ano. Ele também se sagrou campeão da Corrida de Reis em São Caetano, em janeiro e da Meia de Salvador, ano passado.

Já a representante feminina, Anne Bererwe, tem 23 anos e tem no currículo o terceiro lugar nos 8 KM AT Revista Guarujá, ano passado, assim como a sétima colocação no 10k Tribuna FM, em maio. Na Meia do Rio de 2005 ela ficou com o vice, após ser superada pela brasileira Sirlene Pinho, que também garantiu presença na prova desse sábado.

Outro queniano é Elijah Kipkemboi Yator, de 23 anos, que já venceu a Maratona de Roselle, na França e os 10k de Portugal. No Brasil ele foi o campeão da Meia de Salvador e nono na São Silvestre do ano passado. Em 2006 ele garantiu a terceira colocação na Maratona de Viena (Áustria).

O mais experiente do grupo é Richard Kiprono Maiyo, com 29 anos. Ele venceu a Maratona de Brescia (Itália), foi vice na Maratona da Itália e 5º na Meia de Udine, também na Itália. Ele também venceu a Meia-Maratona Discovery Kenya e a Maratona do Fim do Mundo de 2003, na Argentina.

Eles vêm treinando com o técnico brasileiro Moacir Marconi, o Coquinho, na cidade de Nova Santa Bárbara.


Quenianos vêm fortes para prova da Mata Atlântica

Corridas de Rua · 25 jul, 2006


Os 7,5 quilômetros de subida pela Serra do Mar do Desafio Mata Atlântica, pela Estrada Velha de Santos (Caminho do Mar) já estavam sendo considerados difíceis pelos corredores. Porém, com a confirmação da participação de quatro quenianos, a prova tende a ser ainda mais dura.

Os africanos são respeitados no mundo da corrida, pelo preparo e pela força física, fato que os coloca como favoritos para vencer as competições. Para o Desafio da Mata Atlântica, que acontece no próximo sábado (29), Charles Korir, Anne Bererwe, Elijah Kipkemboi Yator e Richard Kiprono Maiyo prometem não dar chance aos brasileiros.

Charles Korir, 26 anos foi vice-campeão da Meia A Tribuna Praia Grande no final de 2005 e vice na Maratona de São Paulo esse ano. Ele também se sagrou campeão da Corrida de Reis em São Caetano, em janeiro e da Meia de Salvador, ano passado.

Já a representante feminina, Anne Bererwe, tem 23 anos e tem no currículo o terceiro lugar nos 8 KM AT Revista Guarujá, ano passado, assim como a sétima colocação no 10k Tribuna FM, em maio. Na Meia do Rio de 2005 ela ficou com o vice, após ser superada pela brasileira Sirlene Pinho, que também garantiu presença na prova desse sábado.

Outro queniano é Elijah Kipkemboi Yator, de 23 anos, que já venceu a Maratona de Roselle, na França e os 10k de Portugal. No Brasil ele foi o campeão da Meia de Salvador e nono na São Silvestre do ano passado. Em 2006 ele garantiu a terceira colocação na Maratona de Viena (Áustria).

O mais experiente do grupo é Richard Kiprono Maiyo, com 29 anos. Ele venceu a Maratona de Brescia (Itália), foi vice na Maratona da Itália e 5º na Meia de Udine, também na Itália. Ele também venceu a Meia-Maratona Discovery Kenya e a Maratona do Fim do Mundo de 2003, na Argentina.

Eles vêm treinando com o técnico brasileiro Moacir Marconi, o Coquinho, na cidade de Nova Santa Bárbara.

Desafio da Mata Atlântica promete ser prova dura

Corridas de Rua · 14 jun, 2006

Dia 29 de julho acontece a primeira edição do Desafio da Mata Atlântica A Tribuna/ Cubatão, prova com largada ao nível do mar e chegada a 720 metros de altitude. Serão 7,5 quilômetros só de subida pela Estrada Caminho do Mar (Estrada Velha de Santos) com reconhecimento da Federação Paulista de Atletismo.

Cristiano Barbosa, coordenador do Departamento Técnico de Corridas de Rua da Federação Paulista de Atletismo, fala sobre o percurso: “Com certeza essa será a prova mais dura do Brasil. Quem tem medo da Brigadeiro (Subida da Brigadeiro Luiz Antônio), na São Silvestre, não venha para cá, porque o bicho vai pegar”.

Valmir Nunes, ultramaratonista e técnico de grandes nomes do esporte, como Geovane dos Santos e Sirlene Pinho, comenta sobre o percurso: “Essa é uma prova técnica, não é força. As pessoas têm que fazer passadas curtas, com muito movimento de braço. Todos que tiverem preparo físico e vontade terminarão, cada um no seu ritmo.”

A largada será na encosta da Serra do Mar, ao lado da refinaria Presidente Bernardes e a cada quilômetro os corredores vão enfrentar uma ascensão de 100 metros, o que torna o percurso bem seletivo. “Há quatro anos acompanho todas as provas de rua do Estado e com certeza essa é especial. Terminar já será uma vitória”, acrescenta Cristiano.

Apesar das dificuldades, o visual da região compensa com a grande área verde e os pontos históricos. Cercado pela Mata Atlântica da Serra do Mar estão o Rancho da Maioridade no quilômetro quatro e o Pouso Paranapiacaba, na chegada, ponto de parada de carros durante a viagem pelo Caminho do Mar.

As inscrições para a prova custam R$30 e podem ser feitas no site do evento http://atribunadigital.globo.com/desafiomataatlantica/ ou na sede do Jornal A Tribuna, na Rua Itororó, 27, no Centro de Santos, a partir do dia 26 de junho. Mais informações podem ser obtidas no telefone (13) 2102-7030.


Desafio da Mata Atlântica promete ser prova dura

Corridas de Rua · 14 jun, 2006

Dia 29 de julho acontece a primeira edição do Desafio da Mata Atlântica A Tribuna/ Cubatão, prova com largada ao nível do mar e chegada a 720 metros de altitude. Serão 7,5 quilômetros só de subida pela Estrada Caminho do Mar (Estrada Velha de Santos) com reconhecimento da Federação Paulista de Atletismo.

Cristiano Barbosa, coordenador do Departamento Técnico de Corridas de Rua da Federação Paulista de Atletismo, fala sobre o percurso: “Com certeza essa será a prova mais dura do Brasil. Quem tem medo da Brigadeiro (Subida da Brigadeiro Luiz Antônio), na São Silvestre, não venha para cá, porque o bicho vai pegar”.

Valmir Nunes, ultramaratonista e técnico de grandes nomes do esporte, como Geovane dos Santos e Sirlene Pinho, comenta sobre o percurso: “Essa é uma prova técnica, não é força. As pessoas têm que fazer passadas curtas, com muito movimento de braço. Todos que tiverem preparo físico e vontade terminarão, cada um no seu ritmo.”

A largada será na encosta da Serra do Mar, ao lado da refinaria Presidente Bernardes e a cada quilômetro os corredores vão enfrentar uma ascensão de 100 metros, o que torna o percurso bem seletivo. “Há quatro anos acompanho todas as provas de rua do Estado e com certeza essa é especial. Terminar já será uma vitória”, acrescenta Cristiano.

Apesar das dificuldades, o visual da região compensa com a grande área verde e os pontos históricos. Cercado pela Mata Atlântica da Serra do Mar estão o Rancho da Maioridade no quilômetro quatro e o Pouso Paranapiacaba, na chegada, ponto de parada de carros durante a viagem pelo Caminho do Mar.

As inscrições para a prova custam R$30 e podem ser feitas no site do evento http://atribunadigital.globo.com/desafiomataatlantica/ ou na sede do Jornal A Tribuna, na Rua Itororó, 27, no Centro de Santos, a partir do dia 26 de junho. Mais informações podem ser obtidas no telefone (13) 2102-7030.