Alexandre Manzan

Fôlego, equilíbrio e determinação marcam XTerra Ipatinga, em Minas

Triathlon · 03 abr, 2011

Começou a primeira etapa 2011 do circuito brasileiro XTerra de triathlon offroad. Realizado nesse sábado (02/04) na região do Vale do Aço, em Ipatinga (MG), Alexandre Manzan e a neozelandesa Jeniffer Smith venceram os 1,5 quilômetro de natação, 30 e mountain Bike e nove de corrida em trilhas na Lagoa Silvana.

Direto de Ipatinga (MG) - A prova teve início às 10 da manhã e exigiu de cada atleta muito preparo físico, fôlego e determinação para completar o percurso. Participaram cerca de 80 competidores, de várias regiões do país, que enfrentaram uma temperatura bastante agradável até o final.

Os favoritos foram os destaques da prova. Alexandre Fontes Manzan, de 37 anos, e Felipe Moleta, de 25, disputaram as primeiras colocações de forma acirrada, mas o brasiliense Manzan levou a melhor na prova da corrida e chegou com dois muitos de vantagem para Moleta, com 2h03min36. Logo em seguida, na terceira colocação, veio Rodrigo Altafani de 37 anos, que completou o percurso com 2h10.

Entre as mulheres, a grande vencedora foi a favorita Jeniffer Smith, neozelandesa de 38 anos, que cruzou a linha de chegada em 2h29min08. Representando as brasileiras, Luzia Bello, de 40 anos, completou a prova com o tempo de 2h37min43, seguida por Sabrina Koester Gobbo, de 34 anos, que chegou muito cansada.

Explicações - Cansado e satisfeito com o resultado, Manzan fala da complexidade da competição. “É um percurso extremamente difícil, mas o Xterra é isso, sinônimo de desafio e dificuldade. Foi fenomenal.” Com uma diferença de dois minutos para o segundo colocado, ele explica como conseguiu administrar a corrida. “O Felipe pedalou muito hoje e tentei imprimir um ritmo forte para alcançá-lo. Mas na corrida notei que ele diminuiu a velocidade, me hidratei e consegui abrir uma diferença.”

Já Felipe comenta sobre a prova e seu desempenho durante a corrida. “Foi uma prova difícil, sofri bastante com o calor. Na bike, fiz um percurso rápido, abri uma boa distância para o Manzan, mas cheguei na corrida muito cansado, porque tinha feito muito esforço no pedal”.

Na categoria feminina, a santista Luzia Bello comenta como tentou acompanhar a primeira colocada durante o percurso. “A Smith passou no quilômetro 12, tentei acompanhar até certo ponto, aí no 20 ela abriu uma vantagem boa no mountain bike. Tentei buscar na corrida, mas não consegui.” Já a terceira colocada, Sabrina Gobbo, explica sua colocação. “Não me senti bem em nenhuma modalidade. Na bike, que geralmente vou melhor, estava muito cansada. Hoje não foi um bom dia.”

Sobre o XTerra - Esse ano organizadores afiliados criaram o XTerra Training, com provas e pontuações menores do que o XTerra, com o intuito de divulgar para todo o país a competição, mas as duas acumulam pontos para o ranking nacional. A próxima etapa será a Training Teresópolis, Rio de Janeiro, nos dias 30 de abril e primeiro de maio.

O XTerra triathlon offroad é o maior circuito do mundo, disputado em vários continentes e sua prova final será realizada em novembro no Havaí.


Fôlego, equilíbrio e determinação marcam XTerra Ipatinga, em Minas

Triathlon · 03 abr, 2011

Começou a primeira etapa 2011 do circuito brasileiro XTerra de triathlon offroad. Realizado nesse sábado (02/04) na região do Vale do Aço, em Ipatinga (MG), Alexandre Manzan e a neozelandesa Jeniffer Smith venceram os 1,5 quilômetro de natação, 30 e mountain Bike e nove de corrida em trilhas na Lagoa Silvana.

Direto de Ipatinga (MG) - A prova teve início às 10 da manhã e exigiu de cada atleta muito preparo físico, fôlego e determinação para completar o percurso. Participaram cerca de 80 competidores, de várias regiões do país, que enfrentaram uma temperatura bastante agradável até o final.

Os favoritos foram os destaques da prova. Alexandre Fontes Manzan, de 37 anos, e Felipe Moleta, de 25, disputaram as primeiras colocações de forma acirrada, mas o brasiliense Manzan levou a melhor na prova da corrida e chegou com dois muitos de vantagem para Moleta, com 2h03min36. Logo em seguida, na terceira colocação, veio Rodrigo Altafani de 37 anos, que completou o percurso com 2h10.

Entre as mulheres, a grande vencedora foi a favorita Jeniffer Smith, neozelandesa de 38 anos, que cruzou a linha de chegada em 2h29min08. Representando as brasileiras, Luzia Bello, de 40 anos, completou a prova com o tempo de 2h37min43, seguida por Sabrina Koester Gobbo, de 34 anos, que chegou muito cansada.

Explicações - Cansado e satisfeito com o resultado, Manzan fala da complexidade da competição. “É um percurso extremamente difícil, mas o Xterra é isso, sinônimo de desafio e dificuldade. Foi fenomenal.” Com uma diferença de dois minutos para o segundo colocado, ele explica como conseguiu administrar a corrida. “O Felipe pedalou muito hoje e tentei imprimir um ritmo forte para alcançá-lo. Mas na corrida notei que ele diminuiu a velocidade, me hidratei e consegui abrir uma diferença.”

Já Felipe comenta sobre a prova e seu desempenho durante a corrida. “Foi uma prova difícil, sofri bastante com o calor. Na bike, fiz um percurso rápido, abri uma boa distância para o Manzan, mas cheguei na corrida muito cansado, porque tinha feito muito esforço no pedal”.

Na categoria feminina, a santista Luzia Bello comenta como tentou acompanhar a primeira colocada durante o percurso. “A Smith passou no quilômetro 12, tentei acompanhar até certo ponto, aí no 20 ela abriu uma vantagem boa no mountain bike. Tentei buscar na corrida, mas não consegui.” Já a terceira colocada, Sabrina Gobbo, explica sua colocação. “Não me senti bem em nenhuma modalidade. Na bike, que geralmente vou melhor, estava muito cansada. Hoje não foi um bom dia.”

Sobre o XTerra - Esse ano organizadores afiliados criaram o XTerra Training, com provas e pontuações menores do que o XTerra, com o intuito de divulgar para todo o país a competição, mas as duas acumulam pontos para o ranking nacional. A próxima etapa será a Training Teresópolis, Rio de Janeiro, nos dias 30 de abril e primeiro de maio.

O XTerra triathlon offroad é o maior circuito do mundo, disputado em vários continentes e sua prova final será realizada em novembro no Havaí.

Campeões do Circuito XTerra 2010, Manzan e Luzia, avaliam a temporada

Triathlon · 23 nov, 2010

Fortaleza - Alexandre Manzan e Luzia Belo conquistaram o título do Circuito XTerra Brasil e chegaram à ultima etapa, em Fortaleza no último sábado (20/10), em condições diferentes. Luzia não correu por conta de uma cirurgia na mão e torceu para Carla Prada não vencer, enquanto Manzan garantiu o título por antecipação, mas fez questão de disputar a prova e mais uma vez chegou ao primeiro lugar.

O brasiliense fechou a temporada com 653 pontos, após vitórias nas etapas de Fortaleza, Pedra Azul, Amazônia, Idaiatuba, Juiz de Fora e o vice em São Lourenço e Angra dos Reis. Bicampeão do XTerra, Manzan conta que as vezes não se dá conta que jovens atletas se inspiram nele para começar a competir.

“Às vezes não cai a ficha do significado que a gente tem. Eu me sinto muito feliz e espero que eles não sigam à risca minhas loucuras, mas treinem direitinho e usem o esporte como um meio de vida“, relata o atleta que esse ano teve que conciliar os treinos com o trabalho como policial civil e o MBA em Gestão Ambiental. “Por meio do esporte eu conheci o mundo e espero poder ajudar a molecada e mostrar um caminho legal”.

Manzan também comenta sobre as drogas, um dos grandes problemas que assola a humanidade há muito tempo. “Felizmente essa é uma realidade muito distante de mim. Acho que é uma fragilidade humana num momento de carência e que consome as pessoas. O esporte pode ser uma saída e levar para um mundo de saúde, amizade, viagens, educação e cidadania”.

O competidor de 36 anos, 20 deles dedicado ao esporte, fomenta a importância de se investir na base. “Temos que trabalhar com a molecada, que certamente é o futuro do nosso país. E vamos juntos, porque o vovô está quase parando”, brinca.

Luzia - Luzia Belo, 39 anos e 16 deles dedicados ao triathlon, fechou a temporada 2010 do XTerra com 525 pontos e torceu por um tropeço da concorrente Carla Prada para garantir o título. Como ela não competiu por conta de uma lesão na mão, se a adversária faturasse o título em Fortaleza, ficaria com um ponto a mais no ranking. Mas, o vento soprou a favor da santista e, como a americana Shonny V. cruzou em primeiro, Luzia fechou a temporada como campeã.

Foram 525 pontos contra 495 de Carla e 392 de Sabrina Gobbo. “Esse ano fiz quase todas as etapas, ao contrário de 2009 em que fiz apenas uma e para mim foi muito bom, pois sempre gostei de provas cross country”, ressalta. “Não existe um XTerra igual, cada etapa é diferente, o que motiva bastante”, completa.

Dentre todas as disputas, ela elege Ilhabela como a melhor do ano. “Foi a que mais me deu prazer em fazer. Quebrei a costela e corri os nove quilômetros finais nessa condição e mesmo assim fechei em segundo lugar”. Para a temporada 2011, ela ainda não tem planos concretos, mas pretende continuar a treinar forte. “Vou esperar acontecerem as coisas para planejar minhas provas”.

A primeira etapa do XTerra 2011 será em Minas Gerais, em cidade ainda a definir, nos dias dois e três de abril.


Campeões do Circuito XTerra 2010, Manzan e Luzia, avaliam a temporada

Triathlon · 23 nov, 2010

Fortaleza - Alexandre Manzan e Luzia Belo conquistaram o título do Circuito XTerra Brasil e chegaram à ultima etapa, em Fortaleza no último sábado (20/10), em condições diferentes. Luzia não correu por conta de uma cirurgia na mão e torceu para Carla Prada não vencer, enquanto Manzan garantiu o título por antecipação, mas fez questão de disputar a prova e mais uma vez chegou ao primeiro lugar.

O brasiliense fechou a temporada com 653 pontos, após vitórias nas etapas de Fortaleza, Pedra Azul, Amazônia, Idaiatuba, Juiz de Fora e o vice em São Lourenço e Angra dos Reis. Bicampeão do XTerra, Manzan conta que as vezes não se dá conta que jovens atletas se inspiram nele para começar a competir.

“Às vezes não cai a ficha do significado que a gente tem. Eu me sinto muito feliz e espero que eles não sigam à risca minhas loucuras, mas treinem direitinho e usem o esporte como um meio de vida“, relata o atleta que esse ano teve que conciliar os treinos com o trabalho como policial civil e o MBA em Gestão Ambiental. “Por meio do esporte eu conheci o mundo e espero poder ajudar a molecada e mostrar um caminho legal”.

Manzan também comenta sobre as drogas, um dos grandes problemas que assola a humanidade há muito tempo. “Felizmente essa é uma realidade muito distante de mim. Acho que é uma fragilidade humana num momento de carência e que consome as pessoas. O esporte pode ser uma saída e levar para um mundo de saúde, amizade, viagens, educação e cidadania”.

O competidor de 36 anos, 20 deles dedicado ao esporte, fomenta a importância de se investir na base. “Temos que trabalhar com a molecada, que certamente é o futuro do nosso país. E vamos juntos, porque o vovô está quase parando”, brinca.

Luzia - Luzia Belo, 39 anos e 16 deles dedicados ao triathlon, fechou a temporada 2010 do XTerra com 525 pontos e torceu por um tropeço da concorrente Carla Prada para garantir o título. Como ela não competiu por conta de uma lesão na mão, se a adversária faturasse o título em Fortaleza, ficaria com um ponto a mais no ranking. Mas, o vento soprou a favor da santista e, como a americana Shonny V. cruzou em primeiro, Luzia fechou a temporada como campeã.

Foram 525 pontos contra 495 de Carla e 392 de Sabrina Gobbo. “Esse ano fiz quase todas as etapas, ao contrário de 2009 em que fiz apenas uma e para mim foi muito bom, pois sempre gostei de provas cross country”, ressalta. “Não existe um XTerra igual, cada etapa é diferente, o que motiva bastante”, completa.

Dentre todas as disputas, ela elege Ilhabela como a melhor do ano. “Foi a que mais me deu prazer em fazer. Quebrei a costela e corri os nove quilômetros finais nessa condição e mesmo assim fechei em segundo lugar”. Para a temporada 2011, ela ainda não tem planos concretos, mas pretende continuar a treinar forte. “Vou esperar acontecerem as coisas para planejar minhas provas”.

A primeira etapa do XTerra 2011 será em Minas Gerais, em cidade ainda a definir, nos dias dois e três de abril.

Manzan derrota estrangeiros e vence XTerra Ceará sob forte calor

Triathlon · 21 nov, 2010

O triatleta brasiliense, Alexandre Manzan, faturou mais uma etapa do circuito XTerra, desta vez na prova de Fortaleza (CE), disputada no sábado (20) nas imediações do Beach Park. Entre as mulheres, a campeã mundial da modalidade, Shonny V, venceu com sobra.

Direto de Fortaleza - Logo nas primeiras horas da manhã o sol já brilhava forte em Fortaleza e, desde as 7h os mais de 100 competidores já deixavam suas bikes na área de transição montada na praia em frente ao parque aquático Beach Park. O percurso foi de um quilômetro de natação, 29 de mountain bike e sete de corrida.

Na elite diversos nomes de peso estavam presentes para a etapa de encerramento do ano, entre eles Alexandre Manzan (campeão antecipado do circuito), o canadense Mike Vine (top cinco na etapa mundial de 2008 no Brasil, o americano Craig Evans (especialista em natação), além dos demais brasileiros Rodrigo Altafini, Christian Cruz e Felipe Moleta. No feminino, Shonny Valandingham (campeã no Havaí este ano), duelou com a pentacampeã do circuito americano, Suzane Snyder, além das brasileiras Sabrina Gobbo, Luzia Belo, Isabela Ribeiro e Carla Prada.

O mar agitado, com fortes ventos e correnteza foi o primeiro grande obstáculo para os atletas, que tiveram dificuldade para atravessar a arrebentação e encarar as ondas. No dia anterior, Mike passou algumas dicas e disse que o segredo nestes casos é vencer as ondas por baixo, respirar pelo lado esquerdo e evitar tirar a cabeça d’água com frequência. Mesmo assim, isso não evitou que algumas pessoas levassem verdadeiros “caldos”.

No trecho de bike, onde muitos esperavam desenvolver altas velocidades e correr atrás do tempo perdido na água, as dunas e a areia fofa exigiram ainda mais do físico. Em diversas partes foi necessário empurrar a magrela, em outras descer com o máximo cuidado as ladeiras formadas pelas dunas.

Por fim, na corrida, os atletas passaram por trechos de mangue, areia da praia e calçamento, mas novamente a areia fofa prejudicou o bom desempenho de alguns. Isso tudo aliado ao forte calor, alta umidade e o vento contra, fizeram desta etapa uma das mais difíceis da temporada.

Vitória - Todas essas dificuldades, somadas ao acúmulo de uma competição de mais de 600 quilômetros, a Claro Brasil Ride, em que Alexandre Manzan participou na última semana, não foram obstáculos para o brasiliense vencer com o tempo de 2h23min16. Apelidado de Forest Gump brasileiro pelo sul-africano Dan Hugo na etapa de Mangaratiba, o especialista nos trechos de corrida cruzou a linha de chegada exausto.

“Na bike eu pedalei forte, mas achei que o Mike fosse me pegar, depois eu consegui correr bem na areia e usar bem a técnica. A natação complicada atrasou um pouco os adversários, o que me ajudou bastante”, conta Manzan. “Eu vim desacreditado de fazer um bom resultado, queria apenas completar a prova, mas resolvi treinar mais um dia do ano. Depois você começa a esquentar e ver que dá para crescer na prova”, completa.

A segunda colocação ficou para o também brasileiro Cid Santos, com 2h31min07 e a terceira com Mike Vine, ao marcar 2h33min54. “O pior trecho foi a bike, pois não estou acostumado com o percurso”, conta Cid, que teve problemas mecânicos, mas não desanimou. “Entrou um galho no câmbio traseiro, mas eu tive calma para arrumar e continuar”. Estreante no XTerra, o baiano especialista em Ironman e Meio Ironman, pretende fazer mais provas do circuito.

Já Mike Vine, que chegou como favorito à disputa, confessa que as condições do percurso e o sol forte não o favoreceram. “Eu perdi muito tempo na água, depois a corrida até a transição também foi complicada e na bike foi pior ainda. Meu pior problema foi o clima, pois no Canadá estamos com 15 graus”.

Mulheres - No feminino Shonny mostrou toda a força de uma campeã mundial e não deu chances às adversárias ao marcar o tempo de 2h47min15, o equivalente à sexta colocação geral. “Foi um percurso muito bonito, ao final, na cidade, algumas crianças correram comigo e foi muito legal. Tinham muitas dunas na bike, o que dificultou um pouco”. Campeã no Havaí e da etapa global em Mangaratiba este ano, ela revela que pretende voltar ao Brasil em 2011 para uma disputa especial. “Quero me preparar para correr na Amazônia”.

A vice-campeã foi Suzane Snydder, com o tempo de 3h06min04, depois de sofrer muito nas dunas. “A natação foi um pouco complicada, mas não o pior dos trechos, já que na bike complicou. Tive que empurrar muitas vezes”.

A terceira colocação foi para a brasileira Sabrina Gobbo, com o tempo de 3h31min. Também recém chegada da Claro Brasil Ride, ela diz que ter empurrado a bike nas dunas não foi algo tão decepcionante. “Na Chapada empurrarmos muito, então acho que foi um treino já”, brinca. Sobre o percurso, ela também comenta sobre a areia. “O maior problema foi o calor, assim como a areia e essa colocação foi uma surpresa para mim. Imaginava chegar atrás da Carla Prada, mas me senti bem e deu tudo certo”.

A etapa do Ceará também serviu para coroar os campeões da temporada 2010, Alexandre Manzan e Luzia Belo, que levaram para casa um cheque de três mil reais. Eles receberam também um troféu especial, além de uma camiseta e boné diferenciados.

Em 2011 as datas do Circuito XTerra já estão definidas e serão nas seguintes datas e locais.

- XTerra (cidade a definir) MG – 2 e 3 de abril
- XTerra Training Itapira/ SP – 30 de abril
- XTerra Training Indaiatuba/ SP – 7 de maio
- XTerra Brazil Manaus/ AM – 11 de junho – Etapa Mundial
- XTerra Training Indaiatuba/ SP – 30 de julho
- XTerra Mangaratiba/ RJ – 13 de agosto
- XTerra Ilhabela/ SP – 10 de setembro
- XTerra Tiradentes/ MG – 1 e 2 de outubro
- XTerra Training Juiz de Fora/ MG – 8 de outubro
- XTerra Ceará/ CE – 18 e 19 de novembro
- XTerra Florianópolis/ SC – 10 e 11 de dezembro


Manzan derrota estrangeiros e vence XTerra Ceará sob forte calor

Triathlon · 21 nov, 2010

O triatleta brasiliense, Alexandre Manzan, faturou mais uma etapa do circuito XTerra, desta vez na prova de Fortaleza (CE), disputada no sábado (20) nas imediações do Beach Park. Entre as mulheres, a campeã mundial da modalidade, Shonny V, venceu com sobra.

Direto de Fortaleza - Logo nas primeiras horas da manhã o sol já brilhava forte em Fortaleza e, desde as 7h os mais de 100 competidores já deixavam suas bikes na área de transição montada na praia em frente ao parque aquático Beach Park. O percurso foi de um quilômetro de natação, 29 de mountain bike e sete de corrida.

Na elite diversos nomes de peso estavam presentes para a etapa de encerramento do ano, entre eles Alexandre Manzan (campeão antecipado do circuito), o canadense Mike Vine (top cinco na etapa mundial de 2008 no Brasil, o americano Craig Evans (especialista em natação), além dos demais brasileiros Rodrigo Altafini, Christian Cruz e Felipe Moleta. No feminino, Shonny Valandingham (campeã no Havaí este ano), duelou com a pentacampeã do circuito americano, Suzane Snyder, além das brasileiras Sabrina Gobbo, Luzia Belo, Isabela Ribeiro e Carla Prada.

O mar agitado, com fortes ventos e correnteza foi o primeiro grande obstáculo para os atletas, que tiveram dificuldade para atravessar a arrebentação e encarar as ondas. No dia anterior, Mike passou algumas dicas e disse que o segredo nestes casos é vencer as ondas por baixo, respirar pelo lado esquerdo e evitar tirar a cabeça d’água com frequência. Mesmo assim, isso não evitou que algumas pessoas levassem verdadeiros “caldos”.

No trecho de bike, onde muitos esperavam desenvolver altas velocidades e correr atrás do tempo perdido na água, as dunas e a areia fofa exigiram ainda mais do físico. Em diversas partes foi necessário empurrar a magrela, em outras descer com o máximo cuidado as ladeiras formadas pelas dunas.

Por fim, na corrida, os atletas passaram por trechos de mangue, areia da praia e calçamento, mas novamente a areia fofa prejudicou o bom desempenho de alguns. Isso tudo aliado ao forte calor, alta umidade e o vento contra, fizeram desta etapa uma das mais difíceis da temporada.

Vitória - Todas essas dificuldades, somadas ao acúmulo de uma competição de mais de 600 quilômetros, a Claro Brasil Ride, em que Alexandre Manzan participou na última semana, não foram obstáculos para o brasiliense vencer com o tempo de 2h23min16. Apelidado de Forest Gump brasileiro pelo sul-africano Dan Hugo na etapa de Mangaratiba, o especialista nos trechos de corrida cruzou a linha de chegada exausto.

“Na bike eu pedalei forte, mas achei que o Mike fosse me pegar, depois eu consegui correr bem na areia e usar bem a técnica. A natação complicada atrasou um pouco os adversários, o que me ajudou bastante”, conta Manzan. “Eu vim desacreditado de fazer um bom resultado, queria apenas completar a prova, mas resolvi treinar mais um dia do ano. Depois você começa a esquentar e ver que dá para crescer na prova”, completa.

A segunda colocação ficou para o também brasileiro Cid Santos, com 2h31min07 e a terceira com Mike Vine, ao marcar 2h33min54. “O pior trecho foi a bike, pois não estou acostumado com o percurso”, conta Cid, que teve problemas mecânicos, mas não desanimou. “Entrou um galho no câmbio traseiro, mas eu tive calma para arrumar e continuar”. Estreante no XTerra, o baiano especialista em Ironman e Meio Ironman, pretende fazer mais provas do circuito.

Já Mike Vine, que chegou como favorito à disputa, confessa que as condições do percurso e o sol forte não o favoreceram. “Eu perdi muito tempo na água, depois a corrida até a transição também foi complicada e na bike foi pior ainda. Meu pior problema foi o clima, pois no Canadá estamos com 15 graus”.

Mulheres - No feminino Shonny mostrou toda a força de uma campeã mundial e não deu chances às adversárias ao marcar o tempo de 2h47min15, o equivalente à sexta colocação geral. “Foi um percurso muito bonito, ao final, na cidade, algumas crianças correram comigo e foi muito legal. Tinham muitas dunas na bike, o que dificultou um pouco”. Campeã no Havaí e da etapa global em Mangaratiba este ano, ela revela que pretende voltar ao Brasil em 2011 para uma disputa especial. “Quero me preparar para correr na Amazônia”.

A vice-campeã foi Suzane Snydder, com o tempo de 3h06min04, depois de sofrer muito nas dunas. “A natação foi um pouco complicada, mas não o pior dos trechos, já que na bike complicou. Tive que empurrar muitas vezes”.

A terceira colocação foi para a brasileira Sabrina Gobbo, com o tempo de 3h31min. Também recém chegada da Claro Brasil Ride, ela diz que ter empurrado a bike nas dunas não foi algo tão decepcionante. “Na Chapada empurrarmos muito, então acho que foi um treino já”, brinca. Sobre o percurso, ela também comenta sobre a areia. “O maior problema foi o calor, assim como a areia e essa colocação foi uma surpresa para mim. Imaginava chegar atrás da Carla Prada, mas me senti bem e deu tudo certo”.

A etapa do Ceará também serviu para coroar os campeões da temporada 2010, Alexandre Manzan e Luzia Belo, que levaram para casa um cheque de três mil reais. Eles receberam também um troféu especial, além de uma camiseta e boné diferenciados.

Em 2011 as datas do Circuito XTerra já estão definidas e serão nas seguintes datas e locais.

- XTerra (cidade a definir) MG – 2 e 3 de abril
- XTerra Training Itapira/ SP – 30 de abril
- XTerra Training Indaiatuba/ SP – 7 de maio
- XTerra Brazil Manaus/ AM – 11 de junho – Etapa Mundial
- XTerra Training Indaiatuba/ SP – 30 de julho
- XTerra Mangaratiba/ RJ – 13 de agosto
- XTerra Ilhabela/ SP – 10 de setembro
- XTerra Tiradentes/ MG – 1 e 2 de outubro
- XTerra Training Juiz de Fora/ MG – 8 de outubro
- XTerra Ceará/ CE – 18 e 19 de novembro
- XTerra Florianópolis/ SC – 10 e 11 de dezembro

Triatleta Alexandre Manzan divide tempo entre estudo, treinos e trabalho como policial

Triathlon · 28 jul, 2010

Alexandre Fontes Manzan, campeão do Circuito XTerra 2009, único brasileiro a desbancar os estrangeiros na etapa Global Tour da competição em 2008, tricampeão pan-americano de Triathlon (único brasileiro com este título), campeão sul- americano, campeão mundial de duathlon, é um dos nomes fortes na etapa de Angra do Circuito XTerra no próximo dia sete. O que poucos sabem é que Manzan não se dedica exclusivamente ao triathlon, pelo contrário, divide o tempo entre os treinos e o cargo de policial civil.

“Atualmente trabalho na delegacia do consumidor e lido com crimes envolvendo propaganda enganosa, estelionato e outras atividades”, relata o triathleta que ainda arruma tempos para os estudos. “Eu me formei em Geografia ano passado e agora faço um MBA em Gestão Ambiental”.

O dia tem ‘apenas’ 24 horas, mas ele consegue dividir o tempo entre as atividades profissionais, os estudos e arrumar tempo para treinar e competir de igual para igual com atletas brasileiros e estrangeiros. “A rotina é complicada, mas eu tento fazer no mínimo duas horas de treino diariamente durante a semana e umas três a quatro nos fins de semana, quando eu tenho mais tempo”. Ele intercala os treinos de corrida, bike e natação com musculação, para manter a musculatura fortalecida.

Temporada 2010 - No ano em que completa 20 anos de carreira, ele teve altos e baixos nas provas que disputou. No primeiro semestre conseguiu encaixar bons treinos e venceu provas importantes, como o Cruce de Los Andres e diversas etapas do XTerra, incluindo a da Amazônia, onde competiu duas semanas após realizar uma cirurgia na mão. Após esse período, porém, a situação mudou. “Até Manaus deu tudo certo e nem mesmo a cirurgia me atrapalhou. Mas, de um mês para cá tive pouco tempo para treinar e para a etapa de Angra não tenho muitas expectativas quanto a resultados”, lamenta.

Se o treinamento não foi da forma como ele esperava, o trunfo para conseguir uma boa colocação na disputa é o fato de conhecer bem o percurso. “Já corri várias vezes lá, conheço alguns pontos que podem me favorecer, mas o que faz diferença numa prova de alto nível como essa, é estar na ponta da agulha, ou seja, descansado e bem treinado”. A dificuldade será ainda maior em Angra, já que estarão presentes atletas do Brasil e de outros países, que brigarão por uma vaga no mundial da modalidade, no Havaí.

Passada a última etapa do Circuito XTerra, na Amazônia, Manzan ocupa a segunda colocação do Ranking com 290 pontos acumulados, contra 375 do líder Frederico Zacharias e ainda acredita na possibilidade de faturar o bicampeonato. “Existem algumas etapas de menor valor que somos obrigados a fazer, que eu ainda não fiz”, relata o brasiliense se referindo às etapas Series da competição. “Eu poderia estar mais garantido, mas agora não posso dar mole até o fim do ano”, completa.

A competição do próximo dia sete contará com 1,5 quilômetro de natação, 29 de mountain bike e nove de corrida, a serem realizadas nas imediações do Hotel Portobello Resort & Safari, em Mangaratiba. Entre os concorrentes de Manzan na prova, estarão os brasileiros Fredericho Zacarias; Rodrigo Altafini, os sul-africanos Dan Hugo e Conrad Stoltz, o argentino Gonzalo Tellechea, entre outros nomes de destaque no cenário nacional e internacional.

O Circuito esse ano ainda passará por Indaiatuba (etapa Series); Ilhabela (etapa Regional); Juiz de Fora (etapa Series), Tiradentes (etapa Regional) e Ceará (etapa Regional). Para garantir uma vaga numa destas provas, basta acessar o site www.xterrabrasil.com.br.


Triatleta Alexandre Manzan divide tempo entre estudo, treinos e trabalho como policial

Triathlon · 28 jul, 2010

Alexandre Fontes Manzan, campeão do Circuito XTerra 2009, único brasileiro a desbancar os estrangeiros na etapa Global Tour da competição em 2008, tricampeão pan-americano de Triathlon (único brasileiro com este título), campeão sul- americano, campeão mundial de duathlon, é um dos nomes fortes na etapa de Angra do Circuito XTerra no próximo dia sete. O que poucos sabem é que Manzan não se dedica exclusivamente ao triathlon, pelo contrário, divide o tempo entre os treinos e o cargo de policial civil.

“Atualmente trabalho na delegacia do consumidor e lido com crimes envolvendo propaganda enganosa, estelionato e outras atividades”, relata o triathleta que ainda arruma tempos para os estudos. “Eu me formei em Geografia ano passado e agora faço um MBA em Gestão Ambiental”.

O dia tem ‘apenas’ 24 horas, mas ele consegue dividir o tempo entre as atividades profissionais, os estudos e arrumar tempo para treinar e competir de igual para igual com atletas brasileiros e estrangeiros. “A rotina é complicada, mas eu tento fazer no mínimo duas horas de treino diariamente durante a semana e umas três a quatro nos fins de semana, quando eu tenho mais tempo”. Ele intercala os treinos de corrida, bike e natação com musculação, para manter a musculatura fortalecida.

Temporada 2010 - No ano em que completa 20 anos de carreira, ele teve altos e baixos nas provas que disputou. No primeiro semestre conseguiu encaixar bons treinos e venceu provas importantes, como o Cruce de Los Andres e diversas etapas do XTerra, incluindo a da Amazônia, onde competiu duas semanas após realizar uma cirurgia na mão. Após esse período, porém, a situação mudou. “Até Manaus deu tudo certo e nem mesmo a cirurgia me atrapalhou. Mas, de um mês para cá tive pouco tempo para treinar e para a etapa de Angra não tenho muitas expectativas quanto a resultados”, lamenta.

Se o treinamento não foi da forma como ele esperava, o trunfo para conseguir uma boa colocação na disputa é o fato de conhecer bem o percurso. “Já corri várias vezes lá, conheço alguns pontos que podem me favorecer, mas o que faz diferença numa prova de alto nível como essa, é estar na ponta da agulha, ou seja, descansado e bem treinado”. A dificuldade será ainda maior em Angra, já que estarão presentes atletas do Brasil e de outros países, que brigarão por uma vaga no mundial da modalidade, no Havaí.

Passada a última etapa do Circuito XTerra, na Amazônia, Manzan ocupa a segunda colocação do Ranking com 290 pontos acumulados, contra 375 do líder Frederico Zacharias e ainda acredita na possibilidade de faturar o bicampeonato. “Existem algumas etapas de menor valor que somos obrigados a fazer, que eu ainda não fiz”, relata o brasiliense se referindo às etapas Series da competição. “Eu poderia estar mais garantido, mas agora não posso dar mole até o fim do ano”, completa.

A competição do próximo dia sete contará com 1,5 quilômetro de natação, 29 de mountain bike e nove de corrida, a serem realizadas nas imediações do Hotel Portobello Resort & Safari, em Mangaratiba. Entre os concorrentes de Manzan na prova, estarão os brasileiros Fredericho Zacarias; Rodrigo Altafini, os sul-africanos Dan Hugo e Conrad Stoltz, o argentino Gonzalo Tellechea, entre outros nomes de destaque no cenário nacional e internacional.

O Circuito esse ano ainda passará por Indaiatuba (etapa Series); Ilhabela (etapa Regional); Juiz de Fora (etapa Series), Tiradentes (etapa Regional) e Ceará (etapa Regional). Para garantir uma vaga numa destas provas, basta acessar o site www.xterrabrasil.com.br.

Alexandre Manzan comemora aniversário com vitória na Amazônia

Triathlon · 05 jun, 2010

Na manhã deste sábado (05/06) 200 triatletas participaram da edição inédita do XTerra Amazon, prova com 1,5 quilômetro de natação, 30 de bike em trilhas e nove de corrida, disputada no coração da Floresta Amazônica. O brasiliense Alexandre Manzan ficou com o título masculino e teve ainda mais um motivo para comemorar, já que completou 36 anos no dia da prova.

Manaus - O dia começou cedo para os 200 participantes do evento, que saíram às 4h de Ponta Negra, em Manaus, para se dirigirem à Base de instrução número quatro, do Grupamento de Selva do Exército Brasileiro, onde estava montada a arena. Após cerca de 50 minutos de ônibus e 40 de barco, todos foram recebidos pelos militares com o grito de guerra peculiar à corporação: “SELVA!”

Antes da largada foi servido um café da manhã reforçado, para que todos tivessem energia suficiente para encarar os trechos de muita dificuldade. O sol e o calor foram marcantes logo pela manhã, mas faltando uma hora para o tiro de partida a Floresta deu as boas vindas com uma chuva intensa.

Nada que assustasse os bravos guerreiros, já que Tupã foi generoso e cessou as águas para a largada. Antes de cair no rio, todos fizeram a oração do guerreiro, repetindo frases entoadas por um oficial da corporação e, pontualmente às 9h um tiro de canhão inaugurou oficialmente a disputa.

A natação aconteceu no Igarapé Mainá, com apenas uma volta e três bóias a serem contornadas. Logo em seguida, no trecho de bike, os competidores tiveram que enfrentar mata fechada, troncos, lamaçais e outros desafios, antes de chegar à corrida, também realizada em mata fechada e numa estrada de apoio dos militares.

Foi justamente no início da bike que Manzan assumiu a liderança até cruzar a linha de chegada com 2h38min36. Recém operado de uma fratura na mão esquerda, ele cogitou nem vir para a disputa, mas conseguiu encaixar bons treinos durante a semana e achou que estava apto para competir. “A natação foi mais complicada, pois precisa usar mais a mão, mas nos outros trechos eu comecei a recuperar posições. A única coisa ruim foi não saber onde estava o segundo colocado, para ter uma noção de como estava o meu ritmo”, ressalta.

O segundo colocado foi Frederico Zacarias, que fechou com 2h50min21, enquanto o terceiro foi Ezequiel Morales, argentino radicado em Niterói (RJ), que marcou 2h51min22. O americano Branden Rakita, considerado um dos nomes fortes, foi o quinto colocado com 3h02min18. “O pessoal que treina no país mostrou que está bem adaptado ao calor e à umidade”, enfatiza Manzan. Segundo ele, as dificuldades impostas pelo trajeto seletivo é que fazem o evento ser mais divertido. “Se não for assim não tem graça”, brinca.

Para Ezequiel, que há menos de uma semana conquistou o vice no Ironman Brasil, o resultado foi mais do que positivo. “Vim aqui para curtir a natureza e ter a oportunidade de participar de uma prova única. Senti um pouco o cansaço, já que no final estava sem forças para lutar por melhores posições”, conta o argentino que sofreu um pouco com o percurso técnico do ciclismo. “Eu não tenho a capacidade do Manzan, por exemplo, de trilhar certinho os percursos. Então tive que descer da bike em alguns momentos”.

A prova reuniu 200 atletas, entre amadores, elite e militares, para uma prova totalmente inédita no Brasil. A data do evento coincidiu com o Dia Mundial do Meio Ambiente, então essa proximidade com a floresta pode servir de motivação para que brasileiros e estrangeiros lutem pela preservação do planeta.

O Circuito XTerra terá ainda outras provas esse ano, incluindo uma válida para o Circuito Mundial, em Angra dos Reis. Para fazer a inscrição e conhecer todas as datas, basta acessar o site oficial, o www.xterrabrasil.com.br.


Alexandre Manzan comemora aniversário com vitória na Amazônia

Triathlon · 05 jun, 2010

Na manhã deste sábado (05/06) 200 triatletas participaram da edição inédita do XTerra Amazon, prova com 1,5 quilômetro de natação, 30 de bike em trilhas e nove de corrida, disputada no coração da Floresta Amazônica. O brasiliense Alexandre Manzan ficou com o título masculino e teve ainda mais um motivo para comemorar, já que completou 36 anos no dia da prova.

Manaus - O dia começou cedo para os 200 participantes do evento, que saíram às 4h de Ponta Negra, em Manaus, para se dirigirem à Base de instrução número quatro, do Grupamento de Selva do Exército Brasileiro, onde estava montada a arena. Após cerca de 50 minutos de ônibus e 40 de barco, todos foram recebidos pelos militares com o grito de guerra peculiar à corporação: “SELVA!”

Antes da largada foi servido um café da manhã reforçado, para que todos tivessem energia suficiente para encarar os trechos de muita dificuldade. O sol e o calor foram marcantes logo pela manhã, mas faltando uma hora para o tiro de partida a Floresta deu as boas vindas com uma chuva intensa.

Nada que assustasse os bravos guerreiros, já que Tupã foi generoso e cessou as águas para a largada. Antes de cair no rio, todos fizeram a oração do guerreiro, repetindo frases entoadas por um oficial da corporação e, pontualmente às 9h um tiro de canhão inaugurou oficialmente a disputa.

A natação aconteceu no Igarapé Mainá, com apenas uma volta e três bóias a serem contornadas. Logo em seguida, no trecho de bike, os competidores tiveram que enfrentar mata fechada, troncos, lamaçais e outros desafios, antes de chegar à corrida, também realizada em mata fechada e numa estrada de apoio dos militares.

Foi justamente no início da bike que Manzan assumiu a liderança até cruzar a linha de chegada com 2h38min36. Recém operado de uma fratura na mão esquerda, ele cogitou nem vir para a disputa, mas conseguiu encaixar bons treinos durante a semana e achou que estava apto para competir. “A natação foi mais complicada, pois precisa usar mais a mão, mas nos outros trechos eu comecei a recuperar posições. A única coisa ruim foi não saber onde estava o segundo colocado, para ter uma noção de como estava o meu ritmo”, ressalta.

O segundo colocado foi Frederico Zacarias, que fechou com 2h50min21, enquanto o terceiro foi Ezequiel Morales, argentino radicado em Niterói (RJ), que marcou 2h51min22. O americano Branden Rakita, considerado um dos nomes fortes, foi o quinto colocado com 3h02min18. “O pessoal que treina no país mostrou que está bem adaptado ao calor e à umidade”, enfatiza Manzan. Segundo ele, as dificuldades impostas pelo trajeto seletivo é que fazem o evento ser mais divertido. “Se não for assim não tem graça”, brinca.

Para Ezequiel, que há menos de uma semana conquistou o vice no Ironman Brasil, o resultado foi mais do que positivo. “Vim aqui para curtir a natureza e ter a oportunidade de participar de uma prova única. Senti um pouco o cansaço, já que no final estava sem forças para lutar por melhores posições”, conta o argentino que sofreu um pouco com o percurso técnico do ciclismo. “Eu não tenho a capacidade do Manzan, por exemplo, de trilhar certinho os percursos. Então tive que descer da bike em alguns momentos”.

A prova reuniu 200 atletas, entre amadores, elite e militares, para uma prova totalmente inédita no Brasil. A data do evento coincidiu com o Dia Mundial do Meio Ambiente, então essa proximidade com a floresta pode servir de motivação para que brasileiros e estrangeiros lutem pela preservação do planeta.

O Circuito XTerra terá ainda outras provas esse ano, incluindo uma válida para o Circuito Mundial, em Angra dos Reis. Para fazer a inscrição e conhecer todas as datas, basta acessar o site oficial, o www.xterrabrasil.com.br.

Atleta da categoria Amador surpreende no XTerra

Triathlon · 15 maio, 2010

Direto de Pedra Azul (ES) - Todos os olhos estavam voltados para a categoria Elite durante o duathlon do XTerra Regional Domingos Martins, que aconteceu neste sábado (15), em Pedra Azul (ES). Mesmo com a vitória de Alexandre Manzan, quem surpreendeu foi Newton Leitão, competidor da categoria Amador. Com uma 5ª colocação na geral, o atleta ficou a frente de campeões como Alexandre Ribeiro.

“Fiquei muito feliz com meu resultado, porque chegou em um ponto da prova que estava muito difícil e que eu até pensei em desistir. No entanto, eu vi meu adversário e recuperei meu gás, o que me ajudou a fazer a quinta colocação na geral e primeiro na categoria. Foi gratificante demais”, diz.

Segundo o atleta, sua vantagem sobre alguns competidores foi a facilidade que tem com o mountain bike, já que é especialista na modalidade e conta com participações na Copa Internacional, Brasileiro e Iron Biker. “Eu venho treinando muito o MTB, e hoje o mountain bike foi agressivo, muito pesado. Além disso, eu tenho a experiência de estar participando há um ano da competição", conta.


Atleta da categoria Amador surpreende no XTerra

Triathlon · 15 maio, 2010

Direto de Pedra Azul (ES) - Todos os olhos estavam voltados para a categoria Elite durante o duathlon do XTerra Regional Domingos Martins, que aconteceu neste sábado (15), em Pedra Azul (ES). Mesmo com a vitória de Alexandre Manzan, quem surpreendeu foi Newton Leitão, competidor da categoria Amador. Com uma 5ª colocação na geral, o atleta ficou a frente de campeões como Alexandre Ribeiro.

“Fiquei muito feliz com meu resultado, porque chegou em um ponto da prova que estava muito difícil e que eu até pensei em desistir. No entanto, eu vi meu adversário e recuperei meu gás, o que me ajudou a fazer a quinta colocação na geral e primeiro na categoria. Foi gratificante demais”, diz.

Segundo o atleta, sua vantagem sobre alguns competidores foi a facilidade que tem com o mountain bike, já que é especialista na modalidade e conta com participações na Copa Internacional, Brasileiro e Iron Biker. “Eu venho treinando muito o MTB, e hoje o mountain bike foi agressivo, muito pesado. Além disso, eu tenho a experiência de estar participando há um ano da competição", conta.

Mesmo machucado, Alexandre Manzan vence duathlon no XTerra

Triathlon · 15 maio, 2010

Direto de Pedra Azul (ES) - A segunda etapa do XTerra Regional teve início neste sábado (15), na cidade de Pedra Azul (ES). Mesmo caindo durante o percurso do duathlon, o atleta Alexandre Manzan, atual campeão da competição, conseguiu superar as dores da mão fraturada, levando o título da etapa na categoria Elite Masculina.

“Prova muito boa, dura, bem no estilo XTerra. Em um trecho do MTB, eu caí e acabei fraturando a mão, o que me complicou. Mas eu comecei a trabalhar a cabeça, ver um jeito de doer menos e, quando eu vi, já estava brigando pela ponta novamente”, conta.

Manzan superou outros grandes atletas participantes da prova, terminando com o tempo de 2h23min47, quase sete minutos a frente de Frederico Zacharias, segundo colocado, e mais de 18 minutos a frente de Alex Nascimento, terceiro colocado. Segundo o campeão, o grande trunfo para a vitória foi sua habilidade na corrida, modalidade na qual assumiu o primeiro lugar.

“Minha especialidade é a corrida, então, eu sabia que poderia me aproximar neste ponto. Quando eu vi mais ou menos a diferença entre eu e o Zacharias, percebi que se eu fizesse uma força a mais eu conseguiria”, explica. “Além disso, ser o campeão do ano passado foi motivador: saber que há pessoas que se espelham em você. Então, eu espero me recuperar o mais rápido possível, arrumar a mão e ver quando eu poderei estar de volta. Agora é paciência”, conclui.

Problemas - Zacharias liderou a prova em quase todo o trajeto. No entanto, alguns problemas no quilômetro dois da segunda parte de corrida fizeram com que o competidor perdesse a posição para Manzan.

“A primeira corrida foi relativamente tranquila, mas o mountain bike foi muito mais difícil do que eu imaginei, mesmo eu vindo desta modalidade. A corrida final também foi além do que eu esperava e eu venho sofrendo com câimbras na segunda corrida”, diz.


Mesmo machucado, Alexandre Manzan vence duathlon no XTerra

Triathlon · 15 maio, 2010

Direto de Pedra Azul (ES) - A segunda etapa do XTerra Regional teve início neste sábado (15), na cidade de Pedra Azul (ES). Mesmo caindo durante o percurso do duathlon, o atleta Alexandre Manzan, atual campeão da competição, conseguiu superar as dores da mão fraturada, levando o título da etapa na categoria Elite Masculina.

“Prova muito boa, dura, bem no estilo XTerra. Em um trecho do MTB, eu caí e acabei fraturando a mão, o que me complicou. Mas eu comecei a trabalhar a cabeça, ver um jeito de doer menos e, quando eu vi, já estava brigando pela ponta novamente”, conta.

Manzan superou outros grandes atletas participantes da prova, terminando com o tempo de 2h23min47, quase sete minutos a frente de Frederico Zacharias, segundo colocado, e mais de 18 minutos a frente de Alex Nascimento, terceiro colocado. Segundo o campeão, o grande trunfo para a vitória foi sua habilidade na corrida, modalidade na qual assumiu o primeiro lugar.

“Minha especialidade é a corrida, então, eu sabia que poderia me aproximar neste ponto. Quando eu vi mais ou menos a diferença entre eu e o Zacharias, percebi que se eu fizesse uma força a mais eu conseguiria”, explica. “Além disso, ser o campeão do ano passado foi motivador: saber que há pessoas que se espelham em você. Então, eu espero me recuperar o mais rápido possível, arrumar a mão e ver quando eu poderei estar de volta. Agora é paciência”, conclui.

Problemas - Zacharias liderou a prova em quase todo o trajeto. No entanto, alguns problemas no quilômetro dois da segunda parte de corrida fizeram com que o competidor perdesse a posição para Manzan.

“A primeira corrida foi relativamente tranquila, mas o mountain bike foi muito mais difícil do que eu imaginei, mesmo eu vindo desta modalidade. A corrida final também foi além do que eu esperava e eu venho sofrendo com câimbras na segunda corrida”, diz.

Xterra Regional acontece neste final de semana em Domingos Martins, ES

Triathlon · 14 maio, 2010

Neste final de semana (15 e 16/05), o Espírito Santo será palco de mais uma prova de duathlon. Mais precisamente na região de Pedra Azul, em Domingos Martins, atletas enfrentarão 39 quilômetros se revezando entre o ciclismo e a corrida.

A prova terá um gosto especial para o triatleta Alexandre Manzan, que comemora 20 anos de triathlon pedalando e correndo entre a Mata Atlântica. "Gosto muito de correr e pedalar em trilhas, por isso me achei no Xterra. Sempre pratiquei esportes na natureza, inclusive mountain bike mesmo quando treinava para as provas de triathlon tradicional”, lembra. “Com isso, foi muito natural a passagem para o Xterra, quando este chegou ao Brasil, em 2005", completa Manzan, que entrou para o mundo do triathlon por meio de dois amigos.

Sua primeira vez na disputa foi em 2005, na etapa de Ilhabela e a afinidade com a prova transpareceu logo de cara, com a conquista do segundo lugar no triathlon. Desde então, é possível encontrá-lo em diversas etapas – e pódios – do circuito.

Durante o evento, além da prova de Duathlon, acontecem também a Kids Running (distâncias de acordo com as faixas etárias), MTB Cup (51 quilômetros de Mountain Bike) e a Night Trail Run (seis quilômetros de trilha noturna). Para os inscritos nas modalidades de duathlon e mountain bike, haverá um jantar de massa exclusivo na véspera da disputa.


Xterra Regional acontece neste final de semana em Domingos Martins, ES

Triathlon · 14 maio, 2010

Neste final de semana (15 e 16/05), o Espírito Santo será palco de mais uma prova de duathlon. Mais precisamente na região de Pedra Azul, em Domingos Martins, atletas enfrentarão 39 quilômetros se revezando entre o ciclismo e a corrida.

A prova terá um gosto especial para o triatleta Alexandre Manzan, que comemora 20 anos de triathlon pedalando e correndo entre a Mata Atlântica. "Gosto muito de correr e pedalar em trilhas, por isso me achei no Xterra. Sempre pratiquei esportes na natureza, inclusive mountain bike mesmo quando treinava para as provas de triathlon tradicional”, lembra. “Com isso, foi muito natural a passagem para o Xterra, quando este chegou ao Brasil, em 2005", completa Manzan, que entrou para o mundo do triathlon por meio de dois amigos.

Sua primeira vez na disputa foi em 2005, na etapa de Ilhabela e a afinidade com a prova transpareceu logo de cara, com a conquista do segundo lugar no triathlon. Desde então, é possível encontrá-lo em diversas etapas – e pódios – do circuito.

Durante o evento, além da prova de Duathlon, acontecem também a Kids Running (distâncias de acordo com as faixas etárias), MTB Cup (51 quilômetros de Mountain Bike) e a Night Trail Run (seis quilômetros de trilha noturna). Para os inscritos nas modalidades de duathlon e mountain bike, haverá um jantar de massa exclusivo na véspera da disputa.