Amadores encaram tempo encoberto e abafado na SP Classic

Redação Webrun | Caminhada · 24 nov, 2009

Emerson teve problemas com o clima abafado (foto: Alexandre Koda/ www.webrun.com.br)
Emerson teve problemas com o clima abafado (foto: Alexandre Koda/ www.webrun.com.br)

No último domingo (22) cerca de nove mil pessoas participaram da edição 2010 da Samsung 10K Corpore São Paulo Classic, evento que contou ainda com uma caminhada de quatro quilômetros para convidados da disputa principal. O tempo amanheceu encoberto na capital paulista, mas manteve-se abafado, condição boa para alguns e ruim para outros.

São Paulo O dia anterior à prova teve chuva durante parte da tarde e da noite, um anúncio de que a corrida poderia ser disputada com clima adverso, mas o domingo amanheceu seco e a água só veio após o término da competição. Minutos antes da largada, na Avenida Pedro Álvares Cabral, o treinador da Assessoria Esportiva Run&Fun, Mário Sérgio, coordenou um aquecimento e alongamento com professores de educação física em cima de um trio elétrico.

Imediatamente a grande massa vestida de azul, com a camiseta oficial da prova, seguiu os passos dos orientadores para já entrar no clima da competição. Pontualmente às 8h o pelotão de amadores largou em direção à Avenida República do Líbano, logo atrás da elite masculina.

Após passar por um trecho com muitas árvores ao lado do Parque Ibirapuera, os atletas passaram novamente em frente à Assembléia Legislativa e encararam a subida da Avenida Rubem Berta em direção ao Aeroporto de Congonhas. “Essa subidinha é complicada, difícil mesmo”, conta Emerson Pereira. “A prova é muito gostosa no geral, com várias subidas e descidas”.

Sobre o calor, ele contou que só conseguiu se refrescar por volta do quilômetro três. “Tinha muita gente e ficava quente, mas consegui fechar com um tempo mais baixo do que o esperado, em 48 minutos”. Essa foi a primeira participação dele no evento, apesar de já conhecer o percurso, pois competiu o Revezamento Pão de Açúcar realizado na região.

Quem também conhecia muito bem o percurso era Rogério Silva, que nos últimos três meses participou de três eventos que usaram um trajeto parecido. “Foi uma prova muito bacana, fiz dentro do esperado. Eu fecho em torno de 53 a 54 minutos os 10 quilômetros e hoje me mantive nessa média”. Sobre a condição abafada, ele confessou que não teve problemas. “Tenho mais dificuldades com sol forte, mas com o clima assim me dou bem”.

Mulheres Do lado feminino, Célia Gama, que entrou na prova com uma fratura por stress na tíbia, se segurou para não exagerar na dose. “Deu vontade de correr, mas tive que me segurar, porque se não a lesão não cura”, conta. Para ela, o clima também não foi problema, pelo contrário. “Essa é uma condição boa, sem calor, acho que é ideal”.

Já para a estreante no mundo das corridas, Neila Chammas, a avaliação da SP Classic é muito positiva e, como geralmente acontece com os novatos, o “bichinho da corrida” parece tê-la picado. “Gostei bastante da experiência, foi muito boa. O clima foi super favorável para essa minha estréia, agora pretendo dar continuidade neste projeto de corrida”.

Uma das participantes da caminhada, Adriana Matos, era só elogios ao evento. “Foi um evento delicioso, muito bom, com as pessoas muito animadas e com uma energia positiva. Ainda bem que não fez aquele sol de rachar e nem choveu”. Animada após os quatro quilômetros, ela já pensa mais longe. “A caminhada dá uma empolgação e acho que vou partir para distâncias maiores”.

A próxima disputa com organização da Corpore será a Shalom, no dia seis de dezembro na USP, prova que já tem inscrições abertas no site www.corpore.org.br. Os valores são R$ 40 para sócios da entidade e R$ 50 para não sócios.

Este texto foi escrito por: Webrun

Redação Webrun

Ver todos os posts

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!