subida

Como treinar em subidas pode melhorar seu desempenho nas provas?

Treinamento · 08 nov, 2023

É normal se sentir um pouco sem fôlego e mais cansado nas subidas durante as provas, isso porque esses trechos exigem mais do corpo e condicionamento físico do atleta. Quanto maior a elevação, mais é necessário usar os músculos estabilizadores, […]


Como treinar em subidas pode melhorar seu desempenho nas provas?

Treinamento · 08 nov, 2023

É normal se sentir um pouco sem fôlego e mais cansado nas subidas durante as provas, isso porque esses trechos exigem mais do corpo e condicionamento físico do atleta. Quanto maior a elevação, mais é necessário usar os músculos estabilizadores, […]

Mizuno Uphill Marathon: tudo pronto para a prova de subida mais desafiadora do Brasil

Corrida · 28 ago, 2019

A 7° edição da Mizuno Uphill Marathon, maior e mais cobiçada maratona de subida do Brasil – cerca de 10.000 corredores fizeram pré-inscrição para participarem do sorteio de 3.100 vagas para a corrida deste ano – será realizada no próximo dia 31 de […]


Mizuno Uphill Marathon: tudo pronto para a prova de subida mais desafiadora do Brasil

Corrida · 28 ago, 2019

A 7° edição da Mizuno Uphill Marathon, maior e mais cobiçada maratona de subida do Brasil – cerca de 10.000 corredores fizeram pré-inscrição para participarem do sorteio de 3.100 vagas para a corrida deste ano – será realizada no próximo dia 31 de […]

Correr ou caminhar nas subidas?

Trail Run · 17 maio, 2018

Você se inscreveu para uma prova com grandes subidas, e agora? Correr ou caminhar nessas sessões da prova? Essa é a grande pergunta que vou tentar responder neste texto. Afinal todo corredor de montanha acaba encarando em suas provas, grandes subidas. Subidas intermináveis […]


Correr ou caminhar nas subidas?

Trail Run · 17 maio, 2018

Você se inscreveu para uma prova com grandes subidas, e agora? Correr ou caminhar nessas sessões da prova? Essa é a grande pergunta que vou tentar responder neste texto. Afinal todo corredor de montanha acaba encarando em suas provas, grandes subidas. Subidas intermináveis […]

Pré-inscrições para Mizuno Uphill 2018 já começaram

Corridas de Rua · 04 out, 2017

Estão abertas as pré-inscrições para Mizuno Uphill 2018. Elas podem ser feitas pelo site www.mizunobr.com.br/uphill2018, pelo valor de R$ 20, até 31 de outubro. A sexta edição da prova mais desafiadora do Brasil, realizada na Serra do Rio do Rastro (SC), […]


Pré-inscrições para Mizuno Uphill 2018 já começaram

Corridas de Rua · 04 out, 2017

Estão abertas as pré-inscrições para Mizuno Uphill 2018. Elas podem ser feitas pelo site www.mizunobr.com.br/uphill2018, pelo valor de R$ 20, até 31 de outubro. A sexta edição da prova mais desafiadora do Brasil, realizada na Serra do Rio do Rastro (SC), […]

São Silvestre: dicas para encarar a temida subida da Brigadeiro

Corridas de Rua · 10 dez, 2009

A São Silvestre é uma das mais tradicionais corridas de rua do Brasil. Todos os anos o evento acontece no último dia do ano, 31 de dezembro, em São Paulo, e também todos os anos escutamos a seguinte frase: o bicho papão da São Silvestre é a subida da Av. Brigadeiro Luis Antônio. Mas será que a Brigadeiro é mesmo o trecho mais difícil da prova?

O treinador Nelson Evêncio acredita que sim. Além de ser íngreme, de acordo com ele, a subida da Brigadeiro também é longa, tem cerca de 2,5 quilômetros. “A prova em si é muito difícil, além do forte calor que normalmente faz nesta época do ano. Por isso quando o corredor chega na Av. Brigadeiro, normalmente já está cansado e o corpo está hiper aquecido”, conta.

Como a subida da Brigadeiro é no final da competição, Nelson Evêncio aconselha os corredores se pouparem no início da prova, que ao contrário do final, tem muitas descidas. “Os primeiros quatro quilômetros são em descida. E isso engana muito o atleta”. Além disso, é importante hidratar-se bem durante a prova, mesmo que não sinta sede.

Uma outra dica do treinador, para encarar a subida com mais facilidade, é saber lidar com a parte psicológica. “Para isso, na brigadeiro, o atleta deve correr olhando para baixo, sem olhar muito para o final da subida. Isso ajuda enganar o psicológico já que paramos de pensar que falta muito”, revela. “Ele também deve inclinar o tronco para frente, pisar mais na parte anterior do pé, tentando não tocar os calcanhares no chão, além de movimentar bastante os braços. Vale lembrar também do chefe chato que o perturbou o ano todo ou da namorada que o trocou por outro. Isso pode ser um grande motivo de incentivo”, brinca.

Independente da intenção de correr a São Silvestre, todo participante precisa treinar. “Nos treinos é importante incluir subidas longas, principalmente na fase final para simular o que acontecerá na prova”.

Como calcular o tempo na subida? Para os atletas mais ansiosos, que pretendem ter uma previsão em qual tempo completará a prova, Evêncio tem uma fórmula para calcular o tempo da Brigadeiro.

Atletas experientes - acrescentar 2min30seg a mais no seu tempo normal de um trecho de 2,5 quilômetros planos. Se o atleta faz, por exemplo, 2,5 quilômetros em 15 minutos, a conta será: 15min + 2min30 = 17min30seg (tempo previsto para subir confortavelmente a Brigadeiro).

Atletas iniciantes - para quem não está muito treinado, ou vai encarar a prova pela primeira vez, deve acrescentar uns 30 a 40 segundos de caminhada a cada quilômetro de subida. Isso irá acrescentar apenas 1min30seg a dois minutos no final de prova.


São Silvestre: dicas para encarar a temida subida da Brigadeiro

Corridas de Rua · 10 dez, 2009

A São Silvestre é uma das mais tradicionais corridas de rua do Brasil. Todos os anos o evento acontece no último dia do ano, 31 de dezembro, em São Paulo, e também todos os anos escutamos a seguinte frase: o bicho papão da São Silvestre é a subida da Av. Brigadeiro Luis Antônio. Mas será que a Brigadeiro é mesmo o trecho mais difícil da prova?

O treinador Nelson Evêncio acredita que sim. Além de ser íngreme, de acordo com ele, a subida da Brigadeiro também é longa, tem cerca de 2,5 quilômetros. “A prova em si é muito difícil, além do forte calor que normalmente faz nesta época do ano. Por isso quando o corredor chega na Av. Brigadeiro, normalmente já está cansado e o corpo está hiper aquecido”, conta.

Como a subida da Brigadeiro é no final da competição, Nelson Evêncio aconselha os corredores se pouparem no início da prova, que ao contrário do final, tem muitas descidas. “Os primeiros quatro quilômetros são em descida. E isso engana muito o atleta”. Além disso, é importante hidratar-se bem durante a prova, mesmo que não sinta sede.

Uma outra dica do treinador, para encarar a subida com mais facilidade, é saber lidar com a parte psicológica. “Para isso, na brigadeiro, o atleta deve correr olhando para baixo, sem olhar muito para o final da subida. Isso ajuda enganar o psicológico já que paramos de pensar que falta muito”, revela. “Ele também deve inclinar o tronco para frente, pisar mais na parte anterior do pé, tentando não tocar os calcanhares no chão, além de movimentar bastante os braços. Vale lembrar também do chefe chato que o perturbou o ano todo ou da namorada que o trocou por outro. Isso pode ser um grande motivo de incentivo”, brinca.

Independente da intenção de correr a São Silvestre, todo participante precisa treinar. “Nos treinos é importante incluir subidas longas, principalmente na fase final para simular o que acontecerá na prova”.

Como calcular o tempo na subida? Para os atletas mais ansiosos, que pretendem ter uma previsão em qual tempo completará a prova, Evêncio tem uma fórmula para calcular o tempo da Brigadeiro.

Atletas experientes - acrescentar 2min30seg a mais no seu tempo normal de um trecho de 2,5 quilômetros planos. Se o atleta faz, por exemplo, 2,5 quilômetros em 15 minutos, a conta será: 15min + 2min30 = 17min30seg (tempo previsto para subir confortavelmente a Brigadeiro).

Atletas iniciantes - para quem não está muito treinado, ou vai encarar a prova pela primeira vez, deve acrescentar uns 30 a 40 segundos de caminhada a cada quilômetro de subida. Isso irá acrescentar apenas 1min30seg a dois minutos no final de prova.