Final

Mo Farah é tricampeão mundial nos 10.000 metros e 7 correm abaixo de 27 minutos

Atletismo · 07 ago, 2017

Esse texto foi escrito pelo treinador e colunista do Webrun, Nelson Evêncio. O primeiro dia do Campeonato Mundial de Atletismo em Londres entrou para a história, como despedida de Mo Farah, obtendo sua terceira vitória consecutiva nos 10.000 metros, em […]


Mo Farah é tricampeão mundial nos 10.000 metros e 7 correm abaixo de 27 minutos

Atletismo · 07 ago, 2017

Esse texto foi escrito pelo treinador e colunista do Webrun, Nelson Evêncio. O primeiro dia do Campeonato Mundial de Atletismo em Londres entrou para a história, como despedida de Mo Farah, obtendo sua terceira vitória consecutiva nos 10.000 metros, em […]

K42 inicia circuito e confirma Villa La Agostura como prova final

Maratona · 19 jul, 2011

A largada da Série Internacional K42 será dada no próximo dia 23, na França, e os organizadores do evento confirmam que a prova final do Circuito continuará em Villa La Angostura, na Argentina. "A prova decisiva acontecerá em 12 de novembro, mesmo após os moradores da cidade enfrentarem problemas pós erupção do Vulcão Puyehue, no Chile", diz Diego Zarba, idealizador do K42.

“Há poucos dias começamos a conhecer as consequências deste fenômeno da natureza. Hoje sabemos que o cenário é positivo e temos a necessidade sw acompanhar a comunidade de Villa La Angostura, que desde 2003 sedia a competição final”, acrescenta Diego. O organizador também afirma que o evento reúne seis mil turistas e injeta 1,5 milhão de dólares na economia local, valor que representa uma grande esperança para o verão na cidade.

Os corredores, de acordo com Zarba, estão respondendo de maneira extremamente solidária, pois as inscrições não deixaram de ser feitas, mesmo no momento mais crítico. “O número de inscritos continua aumentando, ao ponto de nos fazer acreditar que o evento atingirá o número limite de participantes antes do prazo final para inscrição”.

"Mais do que nunca este evento faz um apelo à consciência, de unir forças para recuperar o local. Dos dez mil corredores que alguma vez já participaram da K42, na Argentina, esperamos um reencontro com o dobro de compromisso, um individual, do próprio desafio, e o solidário”, finaliza Zarba.

Além da França e Argentina, a prova de 42 quilômetros, da Patagônia Eventos, acontece em várias partes do mundo, como Espanha, Chile e também no sul do Brasil, na cidade de Bombinhas, em Santa Catarina. Os interessados em participar do evento podem fazer a inscrição no site www.patagoniaeventos.com.


K42 inicia circuito e confirma Villa La Agostura como prova final

Maratona · 19 jul, 2011

A largada da Série Internacional K42 será dada no próximo dia 23, na França, e os organizadores do evento confirmam que a prova final do Circuito continuará em Villa La Angostura, na Argentina. "A prova decisiva acontecerá em 12 de novembro, mesmo após os moradores da cidade enfrentarem problemas pós erupção do Vulcão Puyehue, no Chile", diz Diego Zarba, idealizador do K42.

“Há poucos dias começamos a conhecer as consequências deste fenômeno da natureza. Hoje sabemos que o cenário é positivo e temos a necessidade sw acompanhar a comunidade de Villa La Angostura, que desde 2003 sedia a competição final”, acrescenta Diego. O organizador também afirma que o evento reúne seis mil turistas e injeta 1,5 milhão de dólares na economia local, valor que representa uma grande esperança para o verão na cidade.

Os corredores, de acordo com Zarba, estão respondendo de maneira extremamente solidária, pois as inscrições não deixaram de ser feitas, mesmo no momento mais crítico. “O número de inscritos continua aumentando, ao ponto de nos fazer acreditar que o evento atingirá o número limite de participantes antes do prazo final para inscrição”.

"Mais do que nunca este evento faz um apelo à consciência, de unir forças para recuperar o local. Dos dez mil corredores que alguma vez já participaram da K42, na Argentina, esperamos um reencontro com o dobro de compromisso, um individual, do próprio desafio, e o solidário”, finaliza Zarba.

Além da França e Argentina, a prova de 42 quilômetros, da Patagônia Eventos, acontece em várias partes do mundo, como Espanha, Chile e também no sul do Brasil, na cidade de Bombinhas, em Santa Catarina. Os interessados em participar do evento podem fazer a inscrição no site www.patagoniaeventos.com.

Competidores já vivem o clima para o XTerra Ceará, no Beach Park

Triathlon · 19 nov, 2010

Direto de Fortaleza - Os triatletas que vão encarar o XTerra Ceará, última etapa do Circuito, neste sábado (20/11), ouviram atentamente as instruções do Congresso Técnico e já estão prontos para encarar um quilômetro de natação, 29 de mountain bike e sete de corrida. A disputa será realizada a partir das 8h no complexo aquático Beach Park, na capital cearense.

Entre os desafios estão o mar agitado, o forte vento, a areia fofa da praia, além é claro do sol e das altas temperaturas características da região. Grandes nomes da modalidade do Brasil e de fora estarão presentes para brigar por um prêmio de oito mil reais dividido entre os cinco melhores colocados.

No masculino, o canadense Mike Vine (top Five na etapa mundial de 2008 no Brasil) e o americano Craig Evans prometem dar trabalho aos canarinhos Rodrigo Altafini, Christian Cruz e Felipe Moleta. Entre as mulheres, a atual campeã mundial de XTerra, Shonny V. (EUA), terá pela frente a pentacampeã do circuito americano, Suzane Snyder, além das brasileiras Luzia Belo, Isabela Ribeiro e Carla Prada.

“Cada XTerra tem uma característica diferente, cada lugar tem sua qualidade e seu diferencial. Aqui o sol, as dunas e a areia são marcantes”, conta Bernardo Fonseca, responsável pela organização da prova. Segundo ele, em Fortaleza, o mar agitado e o vento contra serão alguns dos contratempos.

Natação - “O mar tem correnteza uma pequena arrebentação a ser ultrapassada, o vento atua forte e não teremos bóias na água, mas sim pequenos barcos para simbolizar o percurso”, ressalta Bernardo. Ele comenta ainda que haverá diversos guarda-vidas, suporte com Jet skis e lembra da proibição do uso da roupa de borracha.

Bike - Nos primeiros sete quilômetros os triatletas vão encarar estrada de terra, com vento contra, antes de alcançar o trecho mais complicado, nas dunas. “Provavelmente o pessoal vai empurrar a bike por lá. Calculamos 1,5 quilômetro em que será necessário empurrar, a sapatilha vai encher de areia”, adianta o organizador.

Corrida - O primeiro trecho será percorrido em areia, com cerca de 300m e logo em seguida haverá um estradão de terra. “No meio haverá um trecho de floresta e o retorno será feito pela praia com areia dura”, explica o responsável pela X3M Eventos.

Vale ressaltar que na bike haverá placas de quilometragem a cada cinco quilômetros e na corrida a cada mil metros. “Além disso, haverá staffs e faixas de orientação. É impossível se perder”. Outro dado importante se refere á hidratação, que devido ao forte calor, não poderá ser esquecida. “Na corrida serão três postos de abastecimento, enquanto na bike serão cinco.


Competidores já vivem o clima para o XTerra Ceará, no Beach Park

Triathlon · 19 nov, 2010

Direto de Fortaleza - Os triatletas que vão encarar o XTerra Ceará, última etapa do Circuito, neste sábado (20/11), ouviram atentamente as instruções do Congresso Técnico e já estão prontos para encarar um quilômetro de natação, 29 de mountain bike e sete de corrida. A disputa será realizada a partir das 8h no complexo aquático Beach Park, na capital cearense.

Entre os desafios estão o mar agitado, o forte vento, a areia fofa da praia, além é claro do sol e das altas temperaturas características da região. Grandes nomes da modalidade do Brasil e de fora estarão presentes para brigar por um prêmio de oito mil reais dividido entre os cinco melhores colocados.

No masculino, o canadense Mike Vine (top Five na etapa mundial de 2008 no Brasil) e o americano Craig Evans prometem dar trabalho aos canarinhos Rodrigo Altafini, Christian Cruz e Felipe Moleta. Entre as mulheres, a atual campeã mundial de XTerra, Shonny V. (EUA), terá pela frente a pentacampeã do circuito americano, Suzane Snyder, além das brasileiras Luzia Belo, Isabela Ribeiro e Carla Prada.

“Cada XTerra tem uma característica diferente, cada lugar tem sua qualidade e seu diferencial. Aqui o sol, as dunas e a areia são marcantes”, conta Bernardo Fonseca, responsável pela organização da prova. Segundo ele, em Fortaleza, o mar agitado e o vento contra serão alguns dos contratempos.

Natação - “O mar tem correnteza uma pequena arrebentação a ser ultrapassada, o vento atua forte e não teremos bóias na água, mas sim pequenos barcos para simbolizar o percurso”, ressalta Bernardo. Ele comenta ainda que haverá diversos guarda-vidas, suporte com Jet skis e lembra da proibição do uso da roupa de borracha.

Bike - Nos primeiros sete quilômetros os triatletas vão encarar estrada de terra, com vento contra, antes de alcançar o trecho mais complicado, nas dunas. “Provavelmente o pessoal vai empurrar a bike por lá. Calculamos 1,5 quilômetro em que será necessário empurrar, a sapatilha vai encher de areia”, adianta o organizador.

Corrida - O primeiro trecho será percorrido em areia, com cerca de 300m e logo em seguida haverá um estradão de terra. “No meio haverá um trecho de floresta e o retorno será feito pela praia com areia dura”, explica o responsável pela X3M Eventos.

Vale ressaltar que na bike haverá placas de quilometragem a cada cinco quilômetros e na corrida a cada mil metros. “Além disso, haverá staffs e faixas de orientação. É impossível se perder”. Outro dado importante se refere á hidratação, que devido ao forte calor, não poderá ser esquecida. “Na corrida serão três postos de abastecimento, enquanto na bike serão cinco.

Veja os resultados do 2º dia do Mundial

Atletismo · 27 ago, 2007

Entre o último domingo e esta segunda-feira aconteceram as competições do segundo e terceiro dias do Mundial de Atletismo, em Osaka (Japão). Saiba como foram as disputas, com destaque para a vitória de Tyson Gay nos 100m rasos masculino e Veronica Campbell nos 100m feminino.

A primeira disputa foi dos 20 km de Marcha Atlética, que não tece representantes do Brasil e contou com vitória de Jefferson Pérez do Equador (1h22min20), seguido por Francisco Javier Fernández da Espanha (1h22min40) e Hatem Ghoula da Tunísia (1h22min40). Em seguida aconteceu as preliminares dos 400 metros, disputa em que a brasileira Maria Laura Almirão ficou na sétima colocação (53min68) e não se classificou para a próxima fase.

Nas preliminares dos 100m rasos feminino, Lucimar Aparecida de Moura ficou com a terceira colocação em sua série e se classificou para a próxima fase com o tempo de 11seg49. Na ocasião, o vento estava soprando contra a 0,8 metros por segundo.

Semifinais e final - Na semifinal dos 800m feminino, entre as oito atletas que se classificaram, o melhor tempo foi de Janeth Jepkosgei do Quênia, que marcou 1h56min17. Nas quartas de final dos 100m feminino, Lucimar não conseguiu acompanhar as adversárias e ficou na última colocação, com o tempo de 11seg61, contra os 11seg31 da vencedora da série, Torri Edwards dos Estados Unidos.

A grande final do dia, dos 100m rasos masculino, o americano Tyson Gay bateu o recordista mundial Asafa Powell ao vencer com 9seg85, contra 9seg91 de Derrick Atkins das Bahamas e 9seg96 do jamaicano.

Segunda-feira - Já nas disputas dessa segunda-feira, na semifinal dos 100m rasos feminino, o melhor tempo entre as oito classificadas foi o de Veronica Campbell, que marcou 10seg99, dois centésimos acima do tempo que a levou ao título da competição. A disputa foi muito acirrada, já que a americana Lauryn Williams obteve o mesmo tempo e a decisão da vencedora teve que ser pelo fotofinisher. A também americana Carmelita Jeter, ficou com a terceira colocação, com 11seg02.

Na semifinal dos 1.500m rasos que não teve participação brasileira, entre os 12 qualificados para a final, o melhor tempo foi de Rashid Ramzi, de Brunei, com 3min40seg53. Já a final dos 10 mil metros masculino, também sem a presença de brasileiros, a vitória ficou com Kenenisa Bekele da Etiópia, com 27min05seg90, seguido por seu compatriota Sileshi Sihine, com 27min09seg03 e Martin Irungu Mathathi, com 27min12seg17.

As disputas dessa terça-feira acontecem a partir das 10h (hora local, 22h de Brasília) e a competição segue até o dia dois de setembro.


Veja os resultados do 2º dia do Mundial

Atletismo · 27 ago, 2007

Entre o último domingo e esta segunda-feira aconteceram as competições do segundo e terceiro dias do Mundial de Atletismo, em Osaka (Japão). Saiba como foram as disputas, com destaque para a vitória de Tyson Gay nos 100m rasos masculino e Veronica Campbell nos 100m feminino.

A primeira disputa foi dos 20 km de Marcha Atlética, que não tece representantes do Brasil e contou com vitória de Jefferson Pérez do Equador (1h22min20), seguido por Francisco Javier Fernández da Espanha (1h22min40) e Hatem Ghoula da Tunísia (1h22min40). Em seguida aconteceu as preliminares dos 400 metros, disputa em que a brasileira Maria Laura Almirão ficou na sétima colocação (53min68) e não se classificou para a próxima fase.

Nas preliminares dos 100m rasos feminino, Lucimar Aparecida de Moura ficou com a terceira colocação em sua série e se classificou para a próxima fase com o tempo de 11seg49. Na ocasião, o vento estava soprando contra a 0,8 metros por segundo.

Semifinais e final - Na semifinal dos 800m feminino, entre as oito atletas que se classificaram, o melhor tempo foi de Janeth Jepkosgei do Quênia, que marcou 1h56min17. Nas quartas de final dos 100m feminino, Lucimar não conseguiu acompanhar as adversárias e ficou na última colocação, com o tempo de 11seg61, contra os 11seg31 da vencedora da série, Torri Edwards dos Estados Unidos.

A grande final do dia, dos 100m rasos masculino, o americano Tyson Gay bateu o recordista mundial Asafa Powell ao vencer com 9seg85, contra 9seg91 de Derrick Atkins das Bahamas e 9seg96 do jamaicano.

Segunda-feira - Já nas disputas dessa segunda-feira, na semifinal dos 100m rasos feminino, o melhor tempo entre as oito classificadas foi o de Veronica Campbell, que marcou 10seg99, dois centésimos acima do tempo que a levou ao título da competição. A disputa foi muito acirrada, já que a americana Lauryn Williams obteve o mesmo tempo e a decisão da vencedora teve que ser pelo fotofinisher. A também americana Carmelita Jeter, ficou com a terceira colocação, com 11seg02.

Na semifinal dos 1.500m rasos que não teve participação brasileira, entre os 12 qualificados para a final, o melhor tempo foi de Rashid Ramzi, de Brunei, com 3min40seg53. Já a final dos 10 mil metros masculino, também sem a presença de brasileiros, a vitória ficou com Kenenisa Bekele da Etiópia, com 27min05seg90, seguido por seu compatriota Sileshi Sihine, com 27min09seg03 e Martin Irungu Mathathi, com 27min12seg17.

As disputas dessa terça-feira acontecem a partir das 10h (hora local, 22h de Brasília) e a competição segue até o dia dois de setembro.

Desafio: Carlos Dias está próximo do final

Ultra Maratona · 23 ago, 2007

O ultramaratonista Carlos Dias está próximo do seu destino final: a cidade de Chuí no Rio Grande do Sul. Ele começou a correr o Brasil do Oiapoque, Amapá no dia 27 de maio. Até agora foram mais de 8.350 quilômetros percorridos restando apenas 750.

Nessa última quarta-feira Carlos estava na cidade de Criciúma (SC). De acordo com o atleta, o frio é uma das principais dificuldades que ele encontra na estrada. “Sábado estarei no Rio Grande do Sul, último estado brasileiro e a ser percorrido no desafio. Sinto dores nas costas e o cansaço se torna cada dia maior, junto com a ansiedade de chegar, a dificuldade do percurso, a saudade da família, o frio e a emoção de estar aqui”, revela.

Para Carlos, apesar de enfrentar o desafio sozinho, ele recebeu muito apoio durante toda trajetória e esse foi um dos maiores incentivadores para ele seguir em frente. “Hoje vejo que posso realizar realmente o meu sonho, mas eu não estou sozinho tenho minha família que torce, o estímulo de ter um filho maravilhoso, dos amigos de cada ponto do Brasil que eu conquistei, de cada atleta que correu comigo 10 minutos ou um dia inteiro, cada policial que me escoltou, o exército, as crianças e as empresas que apostaram no sucesso do desafio”, conta.

Segundo o ultramaratonista, ele deve chegar no Chuí no dia três de setembro, 20 dias antes do previsto. O Webrun acompanha Carlos Dias até o final da jornada.


Desafio: Carlos Dias está próximo do final

Ultra Maratona · 23 ago, 2007

O ultramaratonista Carlos Dias está próximo do seu destino final: a cidade de Chuí no Rio Grande do Sul. Ele começou a correr o Brasil do Oiapoque, Amapá no dia 27 de maio. Até agora foram mais de 8.350 quilômetros percorridos restando apenas 750.

Nessa última quarta-feira Carlos estava na cidade de Criciúma (SC). De acordo com o atleta, o frio é uma das principais dificuldades que ele encontra na estrada. “Sábado estarei no Rio Grande do Sul, último estado brasileiro e a ser percorrido no desafio. Sinto dores nas costas e o cansaço se torna cada dia maior, junto com a ansiedade de chegar, a dificuldade do percurso, a saudade da família, o frio e a emoção de estar aqui”, revela.

Para Carlos, apesar de enfrentar o desafio sozinho, ele recebeu muito apoio durante toda trajetória e esse foi um dos maiores incentivadores para ele seguir em frente. “Hoje vejo que posso realizar realmente o meu sonho, mas eu não estou sozinho tenho minha família que torce, o estímulo de ter um filho maravilhoso, dos amigos de cada ponto do Brasil que eu conquistei, de cada atleta que correu comigo 10 minutos ou um dia inteiro, cada policial que me escoltou, o exército, as crianças e as empresas que apostaram no sucesso do desafio”, conta.

Segundo o ultramaratonista, ele deve chegar no Chuí no dia três de setembro, 20 dias antes do previsto. O Webrun acompanha Carlos Dias até o final da jornada.

Brasil encerra Parapan no topo do ranking

Atletismo · 19 ago, 2007

Esse fim de semana marcou o final dos Jogos Parapan-americanos do Rio de Janeiro e o Brasil conquistou o primeiro posto do ranking com um total de 228 medalhas, sendo 83 de ouro, 68 de prata e 77 de bronze. Confira os principais resultados, com destaque para as irmãs Guilhermino, Ádria dos Santos, Lucas Prado e Yohansson Ferreira.

Lucas e Yohansson faturaram os 400m rasos das classes T11 e T46 respectivamente e levaram para casa a terceira medalha de ouro na bagagem. Lucas ainda marcou 50seg44 e estabeleceu o novo recorde parapan-americano, tempo ainda mais baixo do que ele havia obtido nas semifinais (51seg09).

Sirlene e Terezinha Guilhermino venceram os 800m e os 200m e deixaram para trás a recordista brasileira de medalhas em Parapans, Ádria dos Santos. “Corri os 800m uma vez só, no início desse ano, mas foi numa competição festiva, com estudantes. Acho que estreei oficialmente muito bem”, comenta Ádria, que marcou o tempo de 2min36seg79 e ainda sente as conseqüências de uma lesão.

Terezinha - Nos 200m Terezinha fechou com 25seg16, contra 26seg95 da compatriota. “Esse ano está sendo muito especial para mim, aos poucos estou alcançando meus objetivos, eu queria ser a melhor do Mundo, agora cheguei lá, acredito muito nos meus sonhos e principalmente na minha superação. A torcida brasileira deu show nesses dias de Parapan e ficamos muito felizes”, ressalta após dar a volta olímpica com seu guia Chocolate.

Terezinha marcou nos 400m 56seg14 e obteve o novo recorde mundial da distância, ao superar sua própria marca. Ela, que tem como lema a sua própria superação, é detentora também da melhor marca mundial dos 100m, gravando seu nome na história com 12seg27. Esse recorde estava imutável desde 1997 e pertencia a Purificácion Santamarta, atleta espanhola.

Nos 10 mil metros T11 o mexicano Luis Zapien Rosas, de 15 anos, subiu no degrau mais alto do pódio com 35min00seg85, seguido pelo brasileiro Christiano Farias e pelo mexicano Constantino Martinez. O México também levou a melhor nos 5.000m categoria T54.
Cuba também se deu bem neste domingo, já que Julio Alberto venceu os 100m categoria T12, com o tempo de 11seg11. O brasileiro Pedro Moraes levou a prata na prova, ao marcar 11seg20 e o americano Josiah Jamison, que marcou o tempo de 11seg22 ficou com o bronze.

Estados Unidos e Canadá ficaram com uma medalha dourada no último dia do atletismo dos Jogos. Nos 800m categoria T11/T12 masculino, o vencedor foi o canadense Jason Dunkerley, que fez o tempo de 2min00seg39, novo recorde dos Jogos Parapan-americanos. O brasileiro Carlos Silva ficou com a prata e o salvadorenho Tomas Atilio Martinez levou o bronze.

Após a participação vitoriosa no Paparan 2007, os heróis nacionais certamente terão um reconhecimento maior por parte dos governantes e patrocinadores, já que o público fez a parte dele, pois compareceu aos complexos esportivos para incentivar e aplaudir os atletas. Resta esperar que isso não tenha sido fogo de palha e que essa competição no quintal de casa tenha chamado a atenção de alguém.


Brasil encerra Parapan no topo do ranking

Atletismo · 19 ago, 2007

Esse fim de semana marcou o final dos Jogos Parapan-americanos do Rio de Janeiro e o Brasil conquistou o primeiro posto do ranking com um total de 228 medalhas, sendo 83 de ouro, 68 de prata e 77 de bronze. Confira os principais resultados, com destaque para as irmãs Guilhermino, Ádria dos Santos, Lucas Prado e Yohansson Ferreira.

Lucas e Yohansson faturaram os 400m rasos das classes T11 e T46 respectivamente e levaram para casa a terceira medalha de ouro na bagagem. Lucas ainda marcou 50seg44 e estabeleceu o novo recorde parapan-americano, tempo ainda mais baixo do que ele havia obtido nas semifinais (51seg09).

Sirlene e Terezinha Guilhermino venceram os 800m e os 200m e deixaram para trás a recordista brasileira de medalhas em Parapans, Ádria dos Santos. “Corri os 800m uma vez só, no início desse ano, mas foi numa competição festiva, com estudantes. Acho que estreei oficialmente muito bem”, comenta Ádria, que marcou o tempo de 2min36seg79 e ainda sente as conseqüências de uma lesão.

Terezinha - Nos 200m Terezinha fechou com 25seg16, contra 26seg95 da compatriota. “Esse ano está sendo muito especial para mim, aos poucos estou alcançando meus objetivos, eu queria ser a melhor do Mundo, agora cheguei lá, acredito muito nos meus sonhos e principalmente na minha superação. A torcida brasileira deu show nesses dias de Parapan e ficamos muito felizes”, ressalta após dar a volta olímpica com seu guia Chocolate.

Terezinha marcou nos 400m 56seg14 e obteve o novo recorde mundial da distância, ao superar sua própria marca. Ela, que tem como lema a sua própria superação, é detentora também da melhor marca mundial dos 100m, gravando seu nome na história com 12seg27. Esse recorde estava imutável desde 1997 e pertencia a Purificácion Santamarta, atleta espanhola.

Nos 10 mil metros T11 o mexicano Luis Zapien Rosas, de 15 anos, subiu no degrau mais alto do pódio com 35min00seg85, seguido pelo brasileiro Christiano Farias e pelo mexicano Constantino Martinez. O México também levou a melhor nos 5.000m categoria T54.
Cuba também se deu bem neste domingo, já que Julio Alberto venceu os 100m categoria T12, com o tempo de 11seg11. O brasileiro Pedro Moraes levou a prata na prova, ao marcar 11seg20 e o americano Josiah Jamison, que marcou o tempo de 11seg22 ficou com o bronze.

Estados Unidos e Canadá ficaram com uma medalha dourada no último dia do atletismo dos Jogos. Nos 800m categoria T11/T12 masculino, o vencedor foi o canadense Jason Dunkerley, que fez o tempo de 2min00seg39, novo recorde dos Jogos Parapan-americanos. O brasileiro Carlos Silva ficou com a prata e o salvadorenho Tomas Atilio Martinez levou o bronze.

Após a participação vitoriosa no Paparan 2007, os heróis nacionais certamente terão um reconhecimento maior por parte dos governantes e patrocinadores, já que o público fez a parte dele, pois compareceu aos complexos esportivos para incentivar e aplaudir os atletas. Resta esperar que isso não tenha sido fogo de palha e que essa competição no quintal de casa tenha chamado a atenção de alguém.