Fernanda Keller

Itaú BBA IRONMAN 70.3 São Paulo 2022 terá lançamento da biografia de Fernanda Keller

Ironman · 08 set, 2022

Em meio a tantas atrações, o Itaú BBA IRONMAN 70.3 São Paulo, marcado para este domingo, 11, a partir das 6 h, na Cidade Universitária, reservará um espaço especial para um dos maiores nomes do triatlo nacional e mundial. Fernanda […]


Itaú BBA IRONMAN 70.3 São Paulo 2022 terá lançamento da biografia de Fernanda Keller

Ironman · 08 set, 2022

Em meio a tantas atrações, o Itaú BBA IRONMAN 70.3 São Paulo, marcado para este domingo, 11, a partir das 6 h, na Cidade Universitária, reservará um espaço especial para um dos maiores nomes do triatlo nacional e mundial. Fernanda […]

Fernanda Keller diz não ter expectativas para o Ironman Brasil 2011

Triathlon · 20 abr, 2011

O Ironman Brasil 2011, maior prova de triathlon da América Latina, acontece no dia 29 de maio, em Florianópolis. Fernanda Keller, triatleta que já venceu a competição cinco vezes além de ter participado de vários Ironman no exterior, competirá no evento que tem 3,8 quilômetros de natação, 180 de ciclismo e 42 de corrida. A atleta afirmou não ter nenhuma expectativa ou meta em relação a seu desempenho na competição. "Apenas pretendo fazer o melhor possível", conta.

Preparação- Fernanda, que já tem mais de 25 anos de experiência em provas de triathlon, treina 25 quilômetros de natação, 400 de ciclismo e 90 de corrida por semana, orientada por seu técnico Marcelo Borges, para se preparar para provas tão longas como o Ironman Brasil.

Além dos treinos, a triatleta faz um treinamento de ginástica natural, orientada pelo mestre Orlando Cani. Esse tipo de ginástica utiliza a movimentação constante e tem como base a movimentação no solo do jiu-jitsu, os exercícios de força com o peso do próprio corpo, técnicas de alongamento e flexibilidade de forma dinâmica e técnicas de respiração.

A competidora que é de Niterói e mora atualmente no Rio de Janeiro, procura escolher lugares menos movimentados para treinar a parte do ciclismo. "O problema no Brasil é a falta de segurança e respeito no trânsito, que também atinge os ciclistas", comenta a triatleta.

Mundial de Ironman- Até ano passado (2010) os atletas conseguiam se classificar para o Mundial de Ironman em Kona, no Havaí, participando apenas de uma edição do circuito. Porém, esse ano a organização do evento criou um ranking e os atletas terão que participar de várias edições da competição para somar pontos.

Fernanda comenta que não é fácil para os atletas completarem o número de provas que vêm sendo obrigados a participar e que alguns têm ainda mais dificuldades, pois não têm condições para sobreviver do esporte. “Acredito que o critério estabelecido, foi que se um atleta se considera profissional, tem que estar apto a participar de certo número de provas de Ironman por temporada”, fala Keller.

Além disso, a quantidade de atletas, sendo apenas 30 mulheres e 50 homens, é muito pequena em relação aos outros anos que reuniram cerca de 180 participantes no mundial. “Considero um grande absurdo e um verdadeiro atraso na evolução do esporte, principalmente no feminino, já que o número ser diferente é injustificável”, articula a triatleta.

A evolução feminina no esporte atualmente é significativa e a melhor atleta feminina do mundo vem se posicionando entre os dez melhores atletas entre homens e mulheres. "Algumas pessoas que inventaram esse critério têm problemas muitos sérios e deveriam fazer uma análise profunda dessa atitude”, fala Fernanda sobre a decisão dos organizadores.

Além disso, a triatleta comenta que e os eventos concorrentes se beneficiaram desta decisão, e acabam crescendo. “Com tão poucos atletas participando a largada e a prova não terão o mesmo impacto. Não existem grandes eventos sem grandes atletas participando”, conclui.

Conquistas- A triatleta se orgulha de ter participado 23 vezes consecutivas do campeonato Mundial. Ela também ressalta como foi importante ser uma recordista por ter ficado 14 vezes entre as dez primeiras colocadas em Kona, sendo seis vezes medalha de bronze na prova. "Tenho muito orgulho de ter conseguido essa marca. Mas tudo é o resultado de muita dedicação e de fazer o que eu mais gosto", finaliza a recordista.


Fernanda Keller diz não ter expectativas para o Ironman Brasil 2011

Triathlon · 20 abr, 2011

O Ironman Brasil 2011, maior prova de triathlon da América Latina, acontece no dia 29 de maio, em Florianópolis. Fernanda Keller, triatleta que já venceu a competição cinco vezes além de ter participado de vários Ironman no exterior, competirá no evento que tem 3,8 quilômetros de natação, 180 de ciclismo e 42 de corrida. A atleta afirmou não ter nenhuma expectativa ou meta em relação a seu desempenho na competição. "Apenas pretendo fazer o melhor possível", conta.

Preparação- Fernanda, que já tem mais de 25 anos de experiência em provas de triathlon, treina 25 quilômetros de natação, 400 de ciclismo e 90 de corrida por semana, orientada por seu técnico Marcelo Borges, para se preparar para provas tão longas como o Ironman Brasil.

Além dos treinos, a triatleta faz um treinamento de ginástica natural, orientada pelo mestre Orlando Cani. Esse tipo de ginástica utiliza a movimentação constante e tem como base a movimentação no solo do jiu-jitsu, os exercícios de força com o peso do próprio corpo, técnicas de alongamento e flexibilidade de forma dinâmica e técnicas de respiração.

A competidora que é de Niterói e mora atualmente no Rio de Janeiro, procura escolher lugares menos movimentados para treinar a parte do ciclismo. "O problema no Brasil é a falta de segurança e respeito no trânsito, que também atinge os ciclistas", comenta a triatleta.

Mundial de Ironman- Até ano passado (2010) os atletas conseguiam se classificar para o Mundial de Ironman em Kona, no Havaí, participando apenas de uma edição do circuito. Porém, esse ano a organização do evento criou um ranking e os atletas terão que participar de várias edições da competição para somar pontos.

Fernanda comenta que não é fácil para os atletas completarem o número de provas que vêm sendo obrigados a participar e que alguns têm ainda mais dificuldades, pois não têm condições para sobreviver do esporte. “Acredito que o critério estabelecido, foi que se um atleta se considera profissional, tem que estar apto a participar de certo número de provas de Ironman por temporada”, fala Keller.

Além disso, a quantidade de atletas, sendo apenas 30 mulheres e 50 homens, é muito pequena em relação aos outros anos que reuniram cerca de 180 participantes no mundial. “Considero um grande absurdo e um verdadeiro atraso na evolução do esporte, principalmente no feminino, já que o número ser diferente é injustificável”, articula a triatleta.

A evolução feminina no esporte atualmente é significativa e a melhor atleta feminina do mundo vem se posicionando entre os dez melhores atletas entre homens e mulheres. "Algumas pessoas que inventaram esse critério têm problemas muitos sérios e deveriam fazer uma análise profunda dessa atitude”, fala Fernanda sobre a decisão dos organizadores.

Além disso, a triatleta comenta que e os eventos concorrentes se beneficiaram desta decisão, e acabam crescendo. “Com tão poucos atletas participando a largada e a prova não terão o mesmo impacto. Não existem grandes eventos sem grandes atletas participando”, conclui.

Conquistas- A triatleta se orgulha de ter participado 23 vezes consecutivas do campeonato Mundial. Ela também ressalta como foi importante ser uma recordista por ter ficado 14 vezes entre as dez primeiras colocadas em Kona, sendo seis vezes medalha de bronze na prova. "Tenho muito orgulho de ter conseguido essa marca. Mas tudo é o resultado de muita dedicação e de fazer o que eu mais gosto", finaliza a recordista.

Aos 44 anos Fernanda Keller enfrenta mais um Ironman

Triathlon · 15 maio, 2008

Fernanda Keller pode ser considerada o maior nome brasileiro na história do triathlon e de provas de Ironman. Aos 44 anos, ela disputa competições longas desde 1987 e esse ano está preparada para enfrentar mais uma edição do Ironman Brasil, no próximo dia 25 em Florianópolis (SC).

São Paulo - Bicampeã do Ironman Brasil; três vezes medalha de bronze e top 10 várias vezes consecutivas no Mundial do Havaí, além de ser hexacampeã do Troféu Brasil de Triathlon; Fernanda Keller está pronta para mais um Ironman no seu vasto currículo.

Mas diferente de algumas dessas competições, Fernanda disse que este ano não fez nenhum treino diferente em relação ao ano passado, apenas manteve o ritmo normal de treinos e disputou o Meio Ironman de St. Croix, nas Ilhas Virgens. “Treinei cerca de 20 a 25 quilômetros de natação; entre 350 a 500 de ciclismo, conforme a época e variei entre 80 a 90 quilômetros de corrida por semana”.

Sobre a modalidade que tem mais afinidade, ela diz que a corrida é um dos seus pontos mais fortes dentro do triathlon, o que pode ser visto nas competições, já que costuma levar vantagem sobre as adversárias neste trecho. “A corrida é onde me dou melhor, mas amo as três”, revela.

No percurso de ciclismo do Ironamn desse ano haverá algumas mudanças, mas Fernanda não acredita que isso faça muita diferença na hora da competição. De acordo com a atleta, foi eliminado apenas um trecho de retorno e de baixa velocidade. “Não analisei muito bem ainda, mas pelo que o Carlos Galvão (organizador do evento) me disse, o trajeto será alongado um pouco mais na região do aeroporto”.

Apesar de alguns competidores afirmarem que no novo trecho de ciclismo eles poderão enfrentar um pouco mais de vento, Keller usa sua exeperiência e parece não se preocupar. “É uma área com muitas curvas, então há uma quebra de ritmo e acredito pode até ser uma parte rápida”.

Performance - No ano passado ela chegou na quarta colocação, mas ganhou a vaga para o Mundial do Havaí, já que a campeã Nina Kraft chegou atrasada na hora de fazer sua inscrição para o mundial. Mas para esse ano, Fernanda prefere não falar sobre colocação. “Ninguém faz uma prova no profissional com expectativa baixa, mas sim de tentar melhorar seu tempo. Prefiro não falar sobre colocação, mas me superar cada vez mais, como sempre fiz na minha carreira”.

Além de não preterir uma colocação e sim fazer o seu melhor, Fernanda afirma que ainda não estudou as adversárias que estarão na prova catarinense. “Eu vou olhar apenas por curiosidade, porque isso não muda a minha tática de prova. Independente do nível vou me esforçar ao máximo”. Segundo ela, sempre que houver uma competidora à sua frente fará de tudo para alcançá-la e, caso esteja na frente, não vai economizar energias.

“Eu nunca menosprezei as outras pessoas e muito menos a mim mesmo e isso sempre me colocou à frente muitas vezes nas competições”, ressalta a triathleta. Com foco na prova brasileira, ela diz que o primeiro semestre para ela se encerra em maio e somente depois fará o planejamento para o resto da temporada. “Vou esperar o Ironman de Floripa para definir meu calendário, mas devo competir o Meio Ironman do Brasil e fazer algumas provas lá fora”.

O Ironman Brasil terá largada a partir das 7h em Florianópolis no dia 25 de maio e o Webrun fará a cobertura completa do evento direto da Ilha da Magia.


Aos 44 anos Fernanda Keller enfrenta mais um Ironman

Triathlon · 15 maio, 2008

Fernanda Keller pode ser considerada o maior nome brasileiro na história do triathlon e de provas de Ironman. Aos 44 anos, ela disputa competições longas desde 1987 e esse ano está preparada para enfrentar mais uma edição do Ironman Brasil, no próximo dia 25 em Florianópolis (SC).

São Paulo - Bicampeã do Ironman Brasil; três vezes medalha de bronze e top 10 várias vezes consecutivas no Mundial do Havaí, além de ser hexacampeã do Troféu Brasil de Triathlon; Fernanda Keller está pronta para mais um Ironman no seu vasto currículo.

Mas diferente de algumas dessas competições, Fernanda disse que este ano não fez nenhum treino diferente em relação ao ano passado, apenas manteve o ritmo normal de treinos e disputou o Meio Ironman de St. Croix, nas Ilhas Virgens. “Treinei cerca de 20 a 25 quilômetros de natação; entre 350 a 500 de ciclismo, conforme a época e variei entre 80 a 90 quilômetros de corrida por semana”.

Sobre a modalidade que tem mais afinidade, ela diz que a corrida é um dos seus pontos mais fortes dentro do triathlon, o que pode ser visto nas competições, já que costuma levar vantagem sobre as adversárias neste trecho. “A corrida é onde me dou melhor, mas amo as três”, revela.

No percurso de ciclismo do Ironamn desse ano haverá algumas mudanças, mas Fernanda não acredita que isso faça muita diferença na hora da competição. De acordo com a atleta, foi eliminado apenas um trecho de retorno e de baixa velocidade. “Não analisei muito bem ainda, mas pelo que o Carlos Galvão (organizador do evento) me disse, o trajeto será alongado um pouco mais na região do aeroporto”.

Apesar de alguns competidores afirmarem que no novo trecho de ciclismo eles poderão enfrentar um pouco mais de vento, Keller usa sua exeperiência e parece não se preocupar. “É uma área com muitas curvas, então há uma quebra de ritmo e acredito pode até ser uma parte rápida”.

Performance - No ano passado ela chegou na quarta colocação, mas ganhou a vaga para o Mundial do Havaí, já que a campeã Nina Kraft chegou atrasada na hora de fazer sua inscrição para o mundial. Mas para esse ano, Fernanda prefere não falar sobre colocação. “Ninguém faz uma prova no profissional com expectativa baixa, mas sim de tentar melhorar seu tempo. Prefiro não falar sobre colocação, mas me superar cada vez mais, como sempre fiz na minha carreira”.

Além de não preterir uma colocação e sim fazer o seu melhor, Fernanda afirma que ainda não estudou as adversárias que estarão na prova catarinense. “Eu vou olhar apenas por curiosidade, porque isso não muda a minha tática de prova. Independente do nível vou me esforçar ao máximo”. Segundo ela, sempre que houver uma competidora à sua frente fará de tudo para alcançá-la e, caso esteja na frente, não vai economizar energias.

“Eu nunca menosprezei as outras pessoas e muito menos a mim mesmo e isso sempre me colocou à frente muitas vezes nas competições”, ressalta a triathleta. Com foco na prova brasileira, ela diz que o primeiro semestre para ela se encerra em maio e somente depois fará o planejamento para o resto da temporada. “Vou esperar o Ironman de Floripa para definir meu calendário, mas devo competir o Meio Ironman do Brasil e fazer algumas provas lá fora”.

O Ironman Brasil terá largada a partir das 7h em Florianópolis no dia 25 de maio e o Webrun fará a cobertura completa do evento direto da Ilha da Magia.

Fernanda Keller participa do Long Distance

Triathlon · 16 abr, 2007

Na primeira etapa do Reebok Premier Long Distance a novidade ficou por conta do retorno do triathleta Leandro Macedo, que após um tempo sem competir, voltou com força total e venceu a prova. Agora, na segunda etapa que acontece nesse domingo (22), em Ubatuba (SP) o destaque será a participação de Fernanda Keller.

Aos 43 anos de idade, Fernanda desponta como um dos principais nomes da modalidade no país, tendo no currículo o título do Ironman Brasil em 2004, o vice no Brasileiro no mesmo ano, entre outras conquistas. No Long Distance ela vem com o intuito de brigar pelo título, mas não terá vida fácil, já que várias competidoras de elite estarão na prova.

Rita Correia, vencedora da primeira etapa, no Rio de Janeiro, Kátia Ruschel, que já disputou o Ironman do Havaí; Aglaé Menezes, que recentemente venceu o Brasileiro de Longas Distâncias, Taísa Gentina e Andréa Carloni, são algumas das adversárias.

“É uma triatleta que dispensa qualquer apresentação. Seus inúmeros feitos no esporte, no Brasil e no exterior, já confirmam a qualidade de atleta que teremos competindo aqui. Estamos muito felizes com sua presença em uma etapa do RBK Premier Long Distance”, destaca Célio Balieiro, organizador da prova.

A largada acontece a partir das 8h e a programação ainda prevê uma disputa de Short Triahtlon, com 750m de natação, 20 quilômetros de bike e cinco de corrida, com largada às 8h30.


Fernanda Keller participa do Long Distance

Triathlon · 16 abr, 2007

Na primeira etapa do Reebok Premier Long Distance a novidade ficou por conta do retorno do triathleta Leandro Macedo, que após um tempo sem competir, voltou com força total e venceu a prova. Agora, na segunda etapa que acontece nesse domingo (22), em Ubatuba (SP) o destaque será a participação de Fernanda Keller.

Aos 43 anos de idade, Fernanda desponta como um dos principais nomes da modalidade no país, tendo no currículo o título do Ironman Brasil em 2004, o vice no Brasileiro no mesmo ano, entre outras conquistas. No Long Distance ela vem com o intuito de brigar pelo título, mas não terá vida fácil, já que várias competidoras de elite estarão na prova.

Rita Correia, vencedora da primeira etapa, no Rio de Janeiro, Kátia Ruschel, que já disputou o Ironman do Havaí; Aglaé Menezes, que recentemente venceu o Brasileiro de Longas Distâncias, Taísa Gentina e Andréa Carloni, são algumas das adversárias.

“É uma triatleta que dispensa qualquer apresentação. Seus inúmeros feitos no esporte, no Brasil e no exterior, já confirmam a qualidade de atleta que teremos competindo aqui. Estamos muito felizes com sua presença em uma etapa do RBK Premier Long Distance”, destaca Célio Balieiro, organizador da prova.

A largada acontece a partir das 8h e a programação ainda prevê uma disputa de Short Triahtlon, com 750m de natação, 20 quilômetros de bike e cinco de corrida, com largada às 8h30.

Franck Caldeira e Fernanda Keller vencem no RJ

Corridas de Rua · 14 ago, 2006

No último domingo (13), cinco mil pessoas competiram a Bowerman 10k no Rio de Janeiro, sob um forte sol. Após percorrer 10 quilômetros de percurso o mineiro Franck Caldeira faturou no masculino e a triatleta Fernanda Keller venceu no feminino.

"Fiquei muito feliz pelo resultado, pois é uma prova de que o meu trabalho está sendo bem feito", comentou Franck após a prova. "Gosto de participar de provas que misturam amadores e profissionais e que atraem muito público. Correr no Rio de Janeiro é sempre bonito e gostoso", completou.

O mineiro chegou com mais de um minuto de diferença para o segundo colocado, seu companheiro de equipe José Frazão Jr. e mostrou que está pronto para representar o Brasil no Pan 2007. “Agora vou finalizar a preparação na Bolívia. Independentemente da distância de uma prova, o que vale é vencer. O cansaço fica estampado no rosto, mas a felicidade é ainda maior", disse Franck.

Feminina - Já Fernanda Keller, que representará o País no Ironman do Havaí pela 20ª vez, disse que entrou na competição para fazer um treino forte. “Participei da Bowerman 10K para fazer um treinamento forte, mas sinceramente não esperava vencer. A corrida é um esporte super democrático. Aqui, ninguém é melhor do que ninguém”, disse a triatleta.

Para comemorar o Dia dos Pais, nada melhor do que dedicar a vitória ao patriarca. “É uma forma de presenteá-lo nesse Dia dos Pais. Ele esteve no hospital na semana passada, mas agora está em casa, felizmente”, comemora.

O também triatleta Marcus Ornellas participou da prova e estava feliz por poder correr em casa. Atualmente morando na cidade de Joinville, Santa Catarina, Marcus comentou: “O lugar é muito bom para treinar, mas não há comparação com essa paisagem do Rio de Janeiro”.

Além dos atletas de elite e da grande massa que participou dessa prova em homenagem à um dos co-fundadores da Nike, Bill Bowerman, algumas personalidades estiveram presentes. Guilherme Berenguer (Bang Bang e Malhação), a cineasta Paula Lavigne, a apresentadora Dani Monteiro e o ex-VJ da MTV Thunderbird correram os 10 k.

Guilherme Berenguer, de 25 anos, um dos atores da novela Sinhá Moça, disse que costuma correr com freqüência. "Corro dia sim, dia não, de 50 minutos a uma hora. Em São Paulo, completei uma prova de dez quilômetros em 1h05min. Aqui, terminei abaixo de 51 minutos”, afirmou o ator. "O esporte é importante, pois dá disciplina para a vida”, completou.

Paula Lavigne, ex-esposa de Caetano Veloso, chegou com um pouco mais de uma hora de prova e disse que correr lhe dá uma oportunidade de fazer algo que dependa apenas dela. “Adoro correr. No cinema, dependo de todo mundo. Por isso, quero fazer uma coisa que dependa só de mim, como disputar e completar corridas”. Produtora de diversos filmes, como O Coronel e o Lobisomem, Lisbela e o Prisioneiro e Orfeu, a cineasta tem sonhos mais longos: “Quero superar os meus limites e correr uma maratona como a de Nova York ou Paris”.

Avô, pai e filho - Ettore Puccioni, de 79 anos, o filho Rômulo, de 50 e o neto Felipe, de 24 comemoram o Dia dos Pais correndo juntos na Bowerman 10k. Puccion é triatleta e completou a competição em primeiro na sua faixa etária. “Foi impressionante o mar de gente vestido de laranja pelas ruas do Rio de Janeiro. Agora vou pra casa rever minha esposa e almoçar com a família reunida”.

Já Rômulo, é engenheiro civil e comenta a dedicação do pai. “Ele é um fenômeno! As pessoas sempre dizem que não têm tempo para fazer nada a não ser trabalhar, mas é preciso encontrar tempo para se exercitar e envelhecer com saúde, como meu pai”. Já o membro mais novo da família na prova, o estudante Felipe, gostou de correr com o pai e o avô. “Família unida é uma família feliz. Foi um ótimo programa e um orgulho ter a companhia deles na corrida”.

Últimas - Chegando nas últimas colocações, mas não menos importantes, Arlete Ferreira do Amaral, de 69 anos e Adelaide Mendonça Dias, de 79 anos, encerraram a competição com 1h47min43. As duas amigas correm há 23 anos e comemoraram muito a façanha de ter chegado ao final.


Franck Caldeira e Fernanda Keller vencem no RJ

Corridas de Rua · 14 ago, 2006

No último domingo (13), cinco mil pessoas competiram a Bowerman 10k no Rio de Janeiro, sob um forte sol. Após percorrer 10 quilômetros de percurso o mineiro Franck Caldeira faturou no masculino e a triatleta Fernanda Keller venceu no feminino.

"Fiquei muito feliz pelo resultado, pois é uma prova de que o meu trabalho está sendo bem feito", comentou Franck após a prova. "Gosto de participar de provas que misturam amadores e profissionais e que atraem muito público. Correr no Rio de Janeiro é sempre bonito e gostoso", completou.

O mineiro chegou com mais de um minuto de diferença para o segundo colocado, seu companheiro de equipe José Frazão Jr. e mostrou que está pronto para representar o Brasil no Pan 2007. “Agora vou finalizar a preparação na Bolívia. Independentemente da distância de uma prova, o que vale é vencer. O cansaço fica estampado no rosto, mas a felicidade é ainda maior", disse Franck.

Feminina - Já Fernanda Keller, que representará o País no Ironman do Havaí pela 20ª vez, disse que entrou na competição para fazer um treino forte. “Participei da Bowerman 10K para fazer um treinamento forte, mas sinceramente não esperava vencer. A corrida é um esporte super democrático. Aqui, ninguém é melhor do que ninguém”, disse a triatleta.

Para comemorar o Dia dos Pais, nada melhor do que dedicar a vitória ao patriarca. “É uma forma de presenteá-lo nesse Dia dos Pais. Ele esteve no hospital na semana passada, mas agora está em casa, felizmente”, comemora.

O também triatleta Marcus Ornellas participou da prova e estava feliz por poder correr em casa. Atualmente morando na cidade de Joinville, Santa Catarina, Marcus comentou: “O lugar é muito bom para treinar, mas não há comparação com essa paisagem do Rio de Janeiro”.

Além dos atletas de elite e da grande massa que participou dessa prova em homenagem à um dos co-fundadores da Nike, Bill Bowerman, algumas personalidades estiveram presentes. Guilherme Berenguer (Bang Bang e Malhação), a cineasta Paula Lavigne, a apresentadora Dani Monteiro e o ex-VJ da MTV Thunderbird correram os 10 k.

Guilherme Berenguer, de 25 anos, um dos atores da novela Sinhá Moça, disse que costuma correr com freqüência. "Corro dia sim, dia não, de 50 minutos a uma hora. Em São Paulo, completei uma prova de dez quilômetros em 1h05min. Aqui, terminei abaixo de 51 minutos”, afirmou o ator. "O esporte é importante, pois dá disciplina para a vida”, completou.

Paula Lavigne, ex-esposa de Caetano Veloso, chegou com um pouco mais de uma hora de prova e disse que correr lhe dá uma oportunidade de fazer algo que dependa apenas dela. “Adoro correr. No cinema, dependo de todo mundo. Por isso, quero fazer uma coisa que dependa só de mim, como disputar e completar corridas”. Produtora de diversos filmes, como O Coronel e o Lobisomem, Lisbela e o Prisioneiro e Orfeu, a cineasta tem sonhos mais longos: “Quero superar os meus limites e correr uma maratona como a de Nova York ou Paris”.

Avô, pai e filho - Ettore Puccioni, de 79 anos, o filho Rômulo, de 50 e o neto Felipe, de 24 comemoram o Dia dos Pais correndo juntos na Bowerman 10k. Puccion é triatleta e completou a competição em primeiro na sua faixa etária. “Foi impressionante o mar de gente vestido de laranja pelas ruas do Rio de Janeiro. Agora vou pra casa rever minha esposa e almoçar com a família reunida”.

Já Rômulo, é engenheiro civil e comenta a dedicação do pai. “Ele é um fenômeno! As pessoas sempre dizem que não têm tempo para fazer nada a não ser trabalhar, mas é preciso encontrar tempo para se exercitar e envelhecer com saúde, como meu pai”. Já o membro mais novo da família na prova, o estudante Felipe, gostou de correr com o pai e o avô. “Família unida é uma família feliz. Foi um ótimo programa e um orgulho ter a companhia deles na corrida”.

Últimas - Chegando nas últimas colocações, mas não menos importantes, Arlete Ferreira do Amaral, de 69 anos e Adelaide Mendonça Dias, de 79 anos, encerraram a competição com 1h47min43. As duas amigas correm há 23 anos e comemoraram muito a façanha de ter chegado ao final.

Fernanda Keller: a eterna ironwoman

Triathlon · 31 jul, 2006

Aos 42 anos, a triathleta Fernanda Keller ainda é capaz de deixar qualquer menina de vinte anos para trás. Carioca e de bem com a vida, ela não pensa em aposentadoria. E se depender da garra da atleta, ainda vamos vê-la em muitas competições de ironman. “Você já viu surfista parar de pegar onda? Comigo é a mesma coisa”, afirma. Confira a reportagem.

São Paulo - Completar uma prova de ironman não é para qualquer um. Afinal são 3,8km de natação, 180km de bicicleta e 42km de corrida. E quando o competidor é uma mulher, essas distâncias parecem ser mais pesadas, exceto para a mulher que se chamar Fernanda Keller.

A triathleta carioca tem 42 anos e ainda é uma das “tops” na modalidade. Especialista em ironman, ela irá participar do Mundial no Havaí, em outubro, pela 20ª vez consecutiva. Ela é a única mulher no mundo que tem essa marca, por isso é conhecida pelos triathletas como “Miss Consistency”.

“Eu adoro fazer o que eu faço. É muito difícil você ser profissional no que mais gosta de fazer. Eu gosto de treinar e tenho excelentes resultados. Isso é uma forma de ficar motivada para conseguir uma marca inédita de 20 edições consecutivas no Havaí”, conta.

Sua forte ligação com o Havaí vem desde 1987. Foi nesse ano que Keller participou do seu primeiro ironman. “O meu objetivo naquele ano era conseguir completar a prova sem precisar andar. Acabou que eu fui melhor do que isso. Terminei o Ironman abaixo de 11 horas. Na época um amigo me disse: a pessoa que consegue fazer abaixo de 11 horas tem que ser muito boa, porque é difícil. Depois eu pensei: nossa então eu devo ser boa mesmo. Isso foi um super incentivo para continuar”, revela.

De lá para cá, Keller não parou mais. Ela ficou seis vezes entre as três primeiras colocadas do Ironman Havaí, além de ser bicampeã do Ironman Brasil. Também já conquistou diversos títulos de triathlon como o hexacampeonato do Troféu Brasil.

Mas para obter importantes títulos é necessário treinar bastante. Segundo Keller, a sua rotina é puxada. Ela treina de cinco a oito horas por dia e descansa uma vez por semana. Em média faz cerca de 20 a 30km de natação, 400 a 500km de bike e 80 a 90km de corrida.

Para as pessoas que pretendem iniciar no esporte, ela aconselha procurar um profissional conceituado. “É muito legal fazer uma prova de Ironman. Os interessados devem procurar um acompanhamento e ter cuidado para não caírem nas mãos de técnicos errados. Tem muita gente que acaba machucando as pessoas por falta de treinamento e insegurança”, conta.

Mas Keller gosta de lembrar que ela é uma profissional. “As pessoas não precisam fazer a mesma intensidade e o mesmo treinamento que eu faço. Eu sou um atleta profissional, faço isso há mais de 20 anos e não foi de um dia para o outro que eu consegui obter essa performance. Cada um tem que procurar adequar o trabalho para chegar numa prova de ironman e ter prazer, curtir. Para depois melhorar gradativamente”, aconselha.

“As pessoas começam a treinar e esquecem do resto da vida, acham que são profissionais. Eu que sou profissional não penso em treino 24 horas por dia. Tem gente que se torna inconveniente porque só fala no esporte”, acrescenta.

Por causa do esporte, Keller tem um corpo de invejar. Com 1,67m de altura é quase impossível localizar alguma “gordurinha” extra no seu corpo. Mas para ter saúde não é necessário ser atleta profissional e quem dá a dica é a própria Fernanda Keller.

O primeiro passo para ter uma boa forma é escolher uma atividade física agradável. “Para ter um corpo saudável, não precisa correr, pedalar e nadar como eu. Faça pelo menos alguma atividade aeróbica que seja prazerosa”, conta. “Comece devagar para ganhar condicionamento físico. Depois disso a mulher consegue fazer o que ela quiser. As coisas não acontecem por mágica. É igual faculdade, a gente não faz um curso em seis meses”, acrescenta.

Segundo Keller, tudo exige um processo e um tempo. Por isso quanto mais se investe, mais frutos a pessoa colhe. “Não existe lipoaspiração, lipoescultura, essas coisas imediatas. O bom resultado é a mudança de hábito. É a pessoa se conscientizar que o que é melhor para ela é o saudável. Depois que ela prova isso não vai querer trocar. O resultado você não vê em uma semana”.

Para a carioca a parte estética é a conseqüência da vida saudável. “Se você faz alguma coisa pensando na saúde, você passa a se sentir melhor. A estética é um brinde que vai grátis. É maravilhoso”, revela.

Além das competições, Fernanda também se preocupa com social. Ela tem dois projetos que atendem crianças e jovens de classes menos favorecidas. Ambos usam o esporte como ferramenta para afastar as crianças da rua.

Keller também lançou esse ano um DVD, “Espírito Campeão”. Este relata a trajetória da triathleta, conta a história do esporte, dá dicas esportivas e mostra como é o dia a dia dela. “É um DVD interessante para qualquer pessoa, independente se ela faz triathlon. Além de matar a curiosidades das pessoas sobre o que eu faço”.

Provas- No dia 13 de agosto, Fernanda Keller participará da corrida carioca Bowerman 10k, no Rio de Janeiro. Em outubro ela parte para seu grande desafio do ano, o Ironman do Havaí. E em novembro ela corre os 10k Nike em São Paulo.

No mês de maio, Keller participou do Ironman Brasil e não conseguiu chegar entre as três primeiras colocadas. Na época muitas pessoas especularam sua aposentadoria. Indagada sobre o assunto, a carioca é clara. “Você já viu surfista parar de pegar onda? Comigo é a mesma coisa. Algum dia se eu não obtiver mais um resultado bom para a categoria profissional, eu troco de categoria”, finaliza.

Para saber mais sobre a triathleta: www.fernandakeller.com.br


Fernanda Keller: a eterna ironwoman

Triathlon · 31 jul, 2006

Aos 42 anos, a triathleta Fernanda Keller ainda é capaz de deixar qualquer menina de vinte anos para trás. Carioca e de bem com a vida, ela não pensa em aposentadoria. E se depender da garra da atleta, ainda vamos vê-la em muitas competições de ironman. “Você já viu surfista parar de pegar onda? Comigo é a mesma coisa”, afirma. Confira a reportagem.

São Paulo - Completar uma prova de ironman não é para qualquer um. Afinal são 3,8km de natação, 180km de bicicleta e 42km de corrida. E quando o competidor é uma mulher, essas distâncias parecem ser mais pesadas, exceto para a mulher que se chamar Fernanda Keller.

A triathleta carioca tem 42 anos e ainda é uma das “tops” na modalidade. Especialista em ironman, ela irá participar do Mundial no Havaí, em outubro, pela 20ª vez consecutiva. Ela é a única mulher no mundo que tem essa marca, por isso é conhecida pelos triathletas como “Miss Consistency”.

“Eu adoro fazer o que eu faço. É muito difícil você ser profissional no que mais gosta de fazer. Eu gosto de treinar e tenho excelentes resultados. Isso é uma forma de ficar motivada para conseguir uma marca inédita de 20 edições consecutivas no Havaí”, conta.

Sua forte ligação com o Havaí vem desde 1987. Foi nesse ano que Keller participou do seu primeiro ironman. “O meu objetivo naquele ano era conseguir completar a prova sem precisar andar. Acabou que eu fui melhor do que isso. Terminei o Ironman abaixo de 11 horas. Na época um amigo me disse: a pessoa que consegue fazer abaixo de 11 horas tem que ser muito boa, porque é difícil. Depois eu pensei: nossa então eu devo ser boa mesmo. Isso foi um super incentivo para continuar”, revela.

De lá para cá, Keller não parou mais. Ela ficou seis vezes entre as três primeiras colocadas do Ironman Havaí, além de ser bicampeã do Ironman Brasil. Também já conquistou diversos títulos de triathlon como o hexacampeonato do Troféu Brasil.

Mas para obter importantes títulos é necessário treinar bastante. Segundo Keller, a sua rotina é puxada. Ela treina de cinco a oito horas por dia e descansa uma vez por semana. Em média faz cerca de 20 a 30km de natação, 400 a 500km de bike e 80 a 90km de corrida.

Para as pessoas que pretendem iniciar no esporte, ela aconselha procurar um profissional conceituado. “É muito legal fazer uma prova de Ironman. Os interessados devem procurar um acompanhamento e ter cuidado para não caírem nas mãos de técnicos errados. Tem muita gente que acaba machucando as pessoas por falta de treinamento e insegurança”, conta.

Mas Keller gosta de lembrar que ela é uma profissional. “As pessoas não precisam fazer a mesma intensidade e o mesmo treinamento que eu faço. Eu sou um atleta profissional, faço isso há mais de 20 anos e não foi de um dia para o outro que eu consegui obter essa performance. Cada um tem que procurar adequar o trabalho para chegar numa prova de ironman e ter prazer, curtir. Para depois melhorar gradativamente”, aconselha.

“As pessoas começam a treinar e esquecem do resto da vida, acham que são profissionais. Eu que sou profissional não penso em treino 24 horas por dia. Tem gente que se torna inconveniente porque só fala no esporte”, acrescenta.

Por causa do esporte, Keller tem um corpo de invejar. Com 1,67m de altura é quase impossível localizar alguma “gordurinha” extra no seu corpo. Mas para ter saúde não é necessário ser atleta profissional e quem dá a dica é a própria Fernanda Keller.

O primeiro passo para ter uma boa forma é escolher uma atividade física agradável. “Para ter um corpo saudável, não precisa correr, pedalar e nadar como eu. Faça pelo menos alguma atividade aeróbica que seja prazerosa”, conta. “Comece devagar para ganhar condicionamento físico. Depois disso a mulher consegue fazer o que ela quiser. As coisas não acontecem por mágica. É igual faculdade, a gente não faz um curso em seis meses”, acrescenta.

Segundo Keller, tudo exige um processo e um tempo. Por isso quanto mais se investe, mais frutos a pessoa colhe. “Não existe lipoaspiração, lipoescultura, essas coisas imediatas. O bom resultado é a mudança de hábito. É a pessoa se conscientizar que o que é melhor para ela é o saudável. Depois que ela prova isso não vai querer trocar. O resultado você não vê em uma semana”.

Para a carioca a parte estética é a conseqüência da vida saudável. “Se você faz alguma coisa pensando na saúde, você passa a se sentir melhor. A estética é um brinde que vai grátis. É maravilhoso”, revela.

Além das competições, Fernanda também se preocupa com social. Ela tem dois projetos que atendem crianças e jovens de classes menos favorecidas. Ambos usam o esporte como ferramenta para afastar as crianças da rua.

Keller também lançou esse ano um DVD, “Espírito Campeão”. Este relata a trajetória da triathleta, conta a história do esporte, dá dicas esportivas e mostra como é o dia a dia dela. “É um DVD interessante para qualquer pessoa, independente se ela faz triathlon. Além de matar a curiosidades das pessoas sobre o que eu faço”.

Provas- No dia 13 de agosto, Fernanda Keller participará da corrida carioca Bowerman 10k, no Rio de Janeiro. Em outubro ela parte para seu grande desafio do ano, o Ironman do Havaí. E em novembro ela corre os 10k Nike em São Paulo.

No mês de maio, Keller participou do Ironman Brasil e não conseguiu chegar entre as três primeiras colocadas. Na época muitas pessoas especularam sua aposentadoria. Indagada sobre o assunto, a carioca é clara. “Você já viu surfista parar de pegar onda? Comigo é a mesma coisa. Algum dia se eu não obtiver mais um resultado bom para a categoria profissional, eu troco de categoria”, finaliza.

Para saber mais sobre a triathleta: www.fernandakeller.com.br

Fernanda Keller troca o triathlon pela folia

Triathlon · 01 fev, 2005

A semana de carnaval para Fernanda Keller será de folia. Na próxima segunda-feira a triathleta brasileira, vencedora do IronMan Brasil Telecom 2004, vai trocar as roupas esportivas e colocar um figurino carnavalesco. Isto porque Keller irá desfilar no Rio de Janeiro para escola de samba Viradouro.

Acostumada a enfrentar 42km de corrida, 180km de bike e também natação, a Sapucaí não deverá ser problema para a triatlheta. A Viradouro será a terceira escola a se apresentar na avenida que tem apenas alguns metros de pura folia.


Fernanda Keller troca o triathlon pela folia

Triathlon · 01 fev, 2005

A semana de carnaval para Fernanda Keller será de folia. Na próxima segunda-feira a triathleta brasileira, vencedora do IronMan Brasil Telecom 2004, vai trocar as roupas esportivas e colocar um figurino carnavalesco. Isto porque Keller irá desfilar no Rio de Janeiro para escola de samba Viradouro.

Acostumada a enfrentar 42km de corrida, 180km de bike e também natação, a Sapucaí não deverá ser problema para a triatlheta. A Viradouro será a terceira escola a se apresentar na avenida que tem apenas alguns metros de pura folia.