Estados Unidos

Quenianos ganham prêmio de US$50.000 por quebrar recorde nos EUA

Corridas de Rua · 05 jul, 2019

Na última quinta-feira, os atletas do Quênia, Brigid Kosgei e Rhonex Kipruto foram motivados a quebrar o recorde da 50ª Peachtree Road Race 10K, em Atlanta, nos Estados Unidos, em troca de um prêmio no valor de US$50.000 dólares. + […]


Quenianos ganham prêmio de US$50.000 por quebrar recorde nos EUA

Corridas de Rua · 05 jul, 2019

Na última quinta-feira, os atletas do Quênia, Brigid Kosgei e Rhonex Kipruto foram motivados a quebrar o recorde da 50ª Peachtree Road Race 10K, em Atlanta, nos Estados Unidos, em troca de um prêmio no valor de US$50.000 dólares. + […]

Marílson vai a Chicago para garantir vaga nas Olimpíadas de Londres

Maratona · 07 out, 2011

O brasileiro Marílson Gomes dos Santos vai participar da Maratona de Chicago, nos Estados Unidos, que acontecerá no próximo domingo, nove de outubro. O desafio do atleta é atingir o índice técnico que garante uma vaga para a maratona olímpica de Londres, em 2012.

Além de cumprir o tempo de 2h15 estipulado pela IAAF (Associação Internacional das Federações de Atletismo), Marílson pretende melhorar sua marca pessoal, de 2h06min, feita na Maratona de Londres, em abril. “Marílson está super bem e, em Chicago, poderemos ter duas situações. A primeira meta é conseguir a marca para Londres. Então, se estiver ventando, ele vai correr para 2h09, 2h10. Mas se não estiver ventando, vai partir para melhorar a marca pessoal”, afirma o técnico Adauto Domingues.

Marílson é bicampeão da maratona de Nova York e tricampeão da São Silvestre. Na preparação para a Maratona de Chicago, o atleta venceu, em setembro, o Campeonato Sul-Americano de Meia Maratona, em Buenos Aires.

A largada para a prova de 42 quilômetros terá início às 9h30 (horário de Brasília). Depois da competição, o fundista e o técnico Adauto seguem para o centro de treinamento de La Loma, no México, onde o atleta fará a aclimatação para disputar os 10 mil metros nos Jogos Olímpicos de Guadalajara.


Marílson vai a Chicago para garantir vaga nas Olimpíadas de Londres

Maratona · 07 out, 2011

O brasileiro Marílson Gomes dos Santos vai participar da Maratona de Chicago, nos Estados Unidos, que acontecerá no próximo domingo, nove de outubro. O desafio do atleta é atingir o índice técnico que garante uma vaga para a maratona olímpica de Londres, em 2012.

Além de cumprir o tempo de 2h15 estipulado pela IAAF (Associação Internacional das Federações de Atletismo), Marílson pretende melhorar sua marca pessoal, de 2h06min, feita na Maratona de Londres, em abril. “Marílson está super bem e, em Chicago, poderemos ter duas situações. A primeira meta é conseguir a marca para Londres. Então, se estiver ventando, ele vai correr para 2h09, 2h10. Mas se não estiver ventando, vai partir para melhorar a marca pessoal”, afirma o técnico Adauto Domingues.

Marílson é bicampeão da maratona de Nova York e tricampeão da São Silvestre. Na preparação para a Maratona de Chicago, o atleta venceu, em setembro, o Campeonato Sul-Americano de Meia Maratona, em Buenos Aires.

A largada para a prova de 42 quilômetros terá início às 9h30 (horário de Brasília). Depois da competição, o fundista e o técnico Adauto seguem para o centro de treinamento de La Loma, no México, onde o atleta fará a aclimatação para disputar os 10 mil metros nos Jogos Olímpicos de Guadalajara.

Maratona de Chicago tem mais atletas de elite confirmados para disputa

Maratona · 14 set, 2011

A Maratona de Chicago anunciou nesta quarta-feira (14/09), mais atletas confirmados para disputar com a elite nos Estados Unidos, dia nove de outubro. No masculino, o campeão da competição em 2008, Evans Cheruiyot, está de volta para tentar recuperar seu título e disputar com seu conterrâneo queniano Bernard Kipyego, que foi medalhista de prata no Campeonato Mundial de Meia Maratona da Iaaf em 2009. Eles também se juntarão a atletas com tempo abaixo de 2h06, como Bazu Worku (2h05min25) e Getu Feleke (2h05min44), da Etiópia.

Após conquistar o título da Maratona de Chicago de 2008 com melhor tempo pessoal de 2h06min25, Evans Cheruiyot ficou afastado em 2009 e 2010 por causa de lesões, mas se recuperou ao ser vice na Maratona de Dubai 2011. Bernard Kipyego é especialista em meia maratona com melhor tempo de 59min10. Em sua estreia na Maratona de Rotterdam de 2010, Kipyego marcou 2h07min01, além de ter feito 1h00min09 na Meia Maratona de Lille, na França, dia três de setembro. O atleta queniano Dickson Kiptolo Chumba, campeão da Maratona de Roma 2011, também estará presente.

Bazu Worku vem com o terceiro melhor tempo pessoal, atrás do queniano Moses Mosop (2h03min06) e o norte americano Ryan Hall (2h04min58). Com apenas 18 anos, Worku se tornou o adolescente mais rápido a correr maratonas após marcar 2h06min16 em sua estreia na Maratona de Paris de 2009. Ele melhorou sua marca para 2h05min25 na Maratona de Berlim de 2010. Getu Feleke foi campeão da Maratona de Amsterdã 2010 com recorde de 2h05min44. Os etíopes Bekana Daba, campeçao da Maratona de Houston 2011 e recordista do percurso (2h07min04), e Terefe Maregu também participarão.

Após ter sido marcador de ritmo na Maratona de Chicago de 2010, o irlandês Martin Fagan volta para competir a prova inteira. O recordista irlandês na meia maratona (1h00min57) irá tentar bater o recorde de John Treacy em maratona de 2h09min15. Já o australiano Shawn Forest irá estrear em maratona após correr a meia maratona com melhor tempo pessoal de 1h01min25, o sexto melhor tempo da Austrália.

Já entre as mulheres são esperadas a etíope Atsede Habtamu Besuye, que é campeã da Maratona de Berlim de 2009, e Askale Tafa, campeão da Maratona de Dubai e de Paris em 2007. Besuye tem como melhor marca 2h24min47, que trouxe o título nas Maiores Maratona do Mundo, na Maratona de Berlim de 2009, e em seguida venceu a Maratona de Eindhoven 2010.

Aos 19 anos a atleta marcou 1h08min29 no Mundial de Meia Maratona 2007, o melhor tempo conquistado por uma adolescente. O melhor tempo de Askale Tafa de 2h21min31, é o segundo melhor tempo da elite feminina atrás da russa Liliya Shobukhova, e ela é experiente nas Maiores Maratonas do Mundo, tendo ficado entre as top cinco nas Maratonas de Boston, Londres e Berlim.

A etíope Belainesh Zemedkun Gebre, que venceu a Maratona de Honolulu de 2010 em sua estreia e marcou 1h09min17 na Meia Maratona de Praga, em março, e Cruz Nonata da Silva, uma das melhores maratonistas brasileiras, também correrão na Maratona de Chicago.

“Estes atletas completam a elite que não é apenas dinâmica, mas tem o potencial de marcar recordes. Se o clima estiver bom, poderá haver mudanças não apenas nos recordes na Maratona de Chicago, mas também na lista dos melhores tempos em maratona”, comenta o diretor executivo da corrira, Crey Pinkowski. “Você está olhando para um grupo que não terá medo de aumentar o ritmo, com uma mistura de atletas jovens, destemidos e experientes, que já conquistaram vitórias e sucesso em maratonas”, finaliza.


Maratona de Chicago tem mais atletas de elite confirmados para disputa

Maratona · 14 set, 2011

A Maratona de Chicago anunciou nesta quarta-feira (14/09), mais atletas confirmados para disputar com a elite nos Estados Unidos, dia nove de outubro. No masculino, o campeão da competição em 2008, Evans Cheruiyot, está de volta para tentar recuperar seu título e disputar com seu conterrâneo queniano Bernard Kipyego, que foi medalhista de prata no Campeonato Mundial de Meia Maratona da Iaaf em 2009. Eles também se juntarão a atletas com tempo abaixo de 2h06, como Bazu Worku (2h05min25) e Getu Feleke (2h05min44), da Etiópia.

Após conquistar o título da Maratona de Chicago de 2008 com melhor tempo pessoal de 2h06min25, Evans Cheruiyot ficou afastado em 2009 e 2010 por causa de lesões, mas se recuperou ao ser vice na Maratona de Dubai 2011. Bernard Kipyego é especialista em meia maratona com melhor tempo de 59min10. Em sua estreia na Maratona de Rotterdam de 2010, Kipyego marcou 2h07min01, além de ter feito 1h00min09 na Meia Maratona de Lille, na França, dia três de setembro. O atleta queniano Dickson Kiptolo Chumba, campeão da Maratona de Roma 2011, também estará presente.

Bazu Worku vem com o terceiro melhor tempo pessoal, atrás do queniano Moses Mosop (2h03min06) e o norte americano Ryan Hall (2h04min58). Com apenas 18 anos, Worku se tornou o adolescente mais rápido a correr maratonas após marcar 2h06min16 em sua estreia na Maratona de Paris de 2009. Ele melhorou sua marca para 2h05min25 na Maratona de Berlim de 2010. Getu Feleke foi campeão da Maratona de Amsterdã 2010 com recorde de 2h05min44. Os etíopes Bekana Daba, campeçao da Maratona de Houston 2011 e recordista do percurso (2h07min04), e Terefe Maregu também participarão.

Após ter sido marcador de ritmo na Maratona de Chicago de 2010, o irlandês Martin Fagan volta para competir a prova inteira. O recordista irlandês na meia maratona (1h00min57) irá tentar bater o recorde de John Treacy em maratona de 2h09min15. Já o australiano Shawn Forest irá estrear em maratona após correr a meia maratona com melhor tempo pessoal de 1h01min25, o sexto melhor tempo da Austrália.

Já entre as mulheres são esperadas a etíope Atsede Habtamu Besuye, que é campeã da Maratona de Berlim de 2009, e Askale Tafa, campeão da Maratona de Dubai e de Paris em 2007. Besuye tem como melhor marca 2h24min47, que trouxe o título nas Maiores Maratona do Mundo, na Maratona de Berlim de 2009, e em seguida venceu a Maratona de Eindhoven 2010.

Aos 19 anos a atleta marcou 1h08min29 no Mundial de Meia Maratona 2007, o melhor tempo conquistado por uma adolescente. O melhor tempo de Askale Tafa de 2h21min31, é o segundo melhor tempo da elite feminina atrás da russa Liliya Shobukhova, e ela é experiente nas Maiores Maratonas do Mundo, tendo ficado entre as top cinco nas Maratonas de Boston, Londres e Berlim.

A etíope Belainesh Zemedkun Gebre, que venceu a Maratona de Honolulu de 2010 em sua estreia e marcou 1h09min17 na Meia Maratona de Praga, em março, e Cruz Nonata da Silva, uma das melhores maratonistas brasileiras, também correrão na Maratona de Chicago.

“Estes atletas completam a elite que não é apenas dinâmica, mas tem o potencial de marcar recordes. Se o clima estiver bom, poderá haver mudanças não apenas nos recordes na Maratona de Chicago, mas também na lista dos melhores tempos em maratona”, comenta o diretor executivo da corrira, Crey Pinkowski. “Você está olhando para um grupo que não terá medo de aumentar o ritmo, com uma mistura de atletas jovens, destemidos e experientes, que já conquistaram vitórias e sucesso em maratonas”, finaliza.

Maratona de Chicago desafia atletas internacionais dia nove de outubro

Maratona · 08 set, 2011

A Maratona de Chicago, que acontece no dia nove de outubro, anunciou nesta quinta-feira (8) o grupo de atletas internacionais que irão enfrentar a russa Liliya Shobukhova, o americano Ryan Hall, e o queniano Moses Mosop nas planas e rápidas ruas de Chicago, nos Estados Unidos. Com menos de um ano para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2012, a 34ª edição do evento inclui a oportunidade única de quatro para-atletas americanos (dois homens e duas mulheres) se classificarem automaticamente no time paraolímpico para os jogos de 2012.

“A elite deste ano é uma das mais internacionalmente diversa e talentosa que já tivemos na Maratona de Chicago, com os melhores atletas do mundo, vindo de seis continentes: América do Norte, América do Sul, Europa, Ásia, África e Austrália”, comenta o Diretor Executivo do evento, Carey Pinkowski. “A atmosfera competitiva no dia nove de outubro será igual ao dos Jogos Olímpicos, uma verdadeira celebração da natureza global do esporte e uma emoção para a população local e fãs do esporte”, finaliza Pinkowski.

Feminino- Em busca de seu terceiro título seguido na Maratona de Chicago, Liliya Shobukhova, a recordista russa de maratona, irá enfrentar Kayoko Fukushi, a recordista japonesa dos 3.000 metros (8min44seg40), dos 5.000 metros (14min53seg22) e da meia maratona (1h07min26), que quer adicionar o recorde nacional de maratona em seu impressionante currículo. Fukushi sofreu em sua antecipada primeira maratona em Osaka, em 2008, mas pretende cumprir sua promessa de completar a maratona em sua segunda tentativa.

“Na Maratona de Chicago deste ano, eu quero desafiar a marca de 2h20, e também testar minhas habilidades na maratona e o que a distância envolve”, fala a japonesa. “Correr em Chicago é o começo de minha preparação para a maratona dos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012”, finaliza.

Christelle Daunay, que marcou o recorde francês (2h24min22) com o vice-campeonato na Maratona de Paris de 2010, e Benita Willis, que definiu o recorde australiano (2h22min36) com sua Terceira colocação na Maratona de Chicago de 2006, também são competidoras de influência. As atletas pretendem se afirmar na Maratona de Chicago, ao mesmo tempo que se preparam para a maratona nas Olimpíadas.

Tempos de chegada e não apenas boas colocações são a essência das russas, que além de Shobukhova, inclui Inga Abitova, vice-campeã da Maratona de Londres de 2010, e Maria Konovalova, Terceira colocada da Maratona de Chicago de 2010. A Federação Olímpica Russa irá selecionar seu time para disputar a maratona nas Olimpíadas baseado nos dois melhores tempos feitos pelos atletas entre primeiro de setembro e 31 de dezembro de 2011.

As chinesas Wei Yanan, duas vezes campeã da Maratona de Seoul, e Yue Cao, também irão corer na elite feminina.

Masculino- A disputa masculine sera uma corrida entre duas pessoas: Ryan Hall, recordista norte americano de meia maratona (59min43), e Moses Mosop, segundo queniano mais rápido em maratona (2h03min06). O brasileiro Marílson Gomes dos Santos, duas vezes campeão da Maratona de Nova York (2006 e 2008) e recordista nacional de meia maratona (59min33), retorna à Maratona de Chicago pela primeira vez após terminar em sexto lugar em 2004, de olho no brasileiro Ronaldo da Costa, que é recordista sul-americano com 2h06min05. O japonês Atsushi Sato, detentor do recorde nacional em meia maratona (1h00min25), tentará quebrar o recorde japonês em maratona de 2h06min16, que foi marcado no mesmo percurso por Toshinari Takaoka, na Maratona de Chicago de 2002.

A elite masculina também terá os japoneses Takayuki Matsumiya (2h10min04), Takashi Horiguchi (2h12min05), Kouji Gokaya (2h12min07), Hironori Arai (2h12min17), Masaki Shimoju (2h12min18) e Yuuki Moriwaki (2h13min34). Assim como os japoneses, os colombianos Jason Gutierrez (2h13min24) e Diego Colorado (2h16min45) escolheram a Maratona de Chicago para terem performances que qualifiquem para os Jogos Olímpicos, e quem sabe desafiar a marca nacional colombiana de 2h11min17, alcançada por Carlos Grisales na Maratona de Boston de 1996.

Para-atletas- Na competição da elite dos cadeirantes, a Maratona de Chicago deste ano foi selecionada pelo Comitê Olímpico dos Estados Unidos (Usoc), da divisão Paraolímpica, para servir como classificadora automática para os Jogos Paraolímpicos de 2012. Os dois melhores finalistas americanos (homens e mulheres) irão representar a seleção nacional dos Estados Unidos, em Londres 2012. A competição em Chicago é a única no país selecionada para garantir a colocação dos atletas paraolímpicos norte-americanos.

A disputa dos cadeirantes contará com a atual campeã Amanda McGrory, dos Estados Unidos, e Heinz Frei, da Suíça. McGrory busca sua quarta vitória nos últimos cinco anos, já que sua única derrota foi em 2009, quando foi superada por sua companheira de equipe, Tatyana McFadden, que estará novamente na largada este ano, junto com a canadense Diane Roy e a australiana Christie Dawes, segunda e quinta colocada na Maratona de Chicago de 2009, respectivamente.

Em sua primeira participação na Maratona de Chicago, em 2010, Heinz Frei acelerou para conquistar o recorde do percurso de 1h26min56, quebrando a marca de 2007 do australiano Kurt Fearnly, que não participou da edição de 2010 da prova após vencer consecutivamente de 2007 a 2009. A corrida deste ano terá um confronto muito aguardado entre os dois campeões, com o recorde do percurso sendo ameaçado novamente.


Maratona de Chicago desafia atletas internacionais dia nove de outubro

Maratona · 08 set, 2011

A Maratona de Chicago, que acontece no dia nove de outubro, anunciou nesta quinta-feira (8) o grupo de atletas internacionais que irão enfrentar a russa Liliya Shobukhova, o americano Ryan Hall, e o queniano Moses Mosop nas planas e rápidas ruas de Chicago, nos Estados Unidos. Com menos de um ano para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2012, a 34ª edição do evento inclui a oportunidade única de quatro para-atletas americanos (dois homens e duas mulheres) se classificarem automaticamente no time paraolímpico para os jogos de 2012.

“A elite deste ano é uma das mais internacionalmente diversa e talentosa que já tivemos na Maratona de Chicago, com os melhores atletas do mundo, vindo de seis continentes: América do Norte, América do Sul, Europa, Ásia, África e Austrália”, comenta o Diretor Executivo do evento, Carey Pinkowski. “A atmosfera competitiva no dia nove de outubro será igual ao dos Jogos Olímpicos, uma verdadeira celebração da natureza global do esporte e uma emoção para a população local e fãs do esporte”, finaliza Pinkowski.

Feminino- Em busca de seu terceiro título seguido na Maratona de Chicago, Liliya Shobukhova, a recordista russa de maratona, irá enfrentar Kayoko Fukushi, a recordista japonesa dos 3.000 metros (8min44seg40), dos 5.000 metros (14min53seg22) e da meia maratona (1h07min26), que quer adicionar o recorde nacional de maratona em seu impressionante currículo. Fukushi sofreu em sua antecipada primeira maratona em Osaka, em 2008, mas pretende cumprir sua promessa de completar a maratona em sua segunda tentativa.

“Na Maratona de Chicago deste ano, eu quero desafiar a marca de 2h20, e também testar minhas habilidades na maratona e o que a distância envolve”, fala a japonesa. “Correr em Chicago é o começo de minha preparação para a maratona dos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012”, finaliza.

Christelle Daunay, que marcou o recorde francês (2h24min22) com o vice-campeonato na Maratona de Paris de 2010, e Benita Willis, que definiu o recorde australiano (2h22min36) com sua Terceira colocação na Maratona de Chicago de 2006, também são competidoras de influência. As atletas pretendem se afirmar na Maratona de Chicago, ao mesmo tempo que se preparam para a maratona nas Olimpíadas.

Tempos de chegada e não apenas boas colocações são a essência das russas, que além de Shobukhova, inclui Inga Abitova, vice-campeã da Maratona de Londres de 2010, e Maria Konovalova, Terceira colocada da Maratona de Chicago de 2010. A Federação Olímpica Russa irá selecionar seu time para disputar a maratona nas Olimpíadas baseado nos dois melhores tempos feitos pelos atletas entre primeiro de setembro e 31 de dezembro de 2011.

As chinesas Wei Yanan, duas vezes campeã da Maratona de Seoul, e Yue Cao, também irão corer na elite feminina.

Masculino- A disputa masculine sera uma corrida entre duas pessoas: Ryan Hall, recordista norte americano de meia maratona (59min43), e Moses Mosop, segundo queniano mais rápido em maratona (2h03min06). O brasileiro Marílson Gomes dos Santos, duas vezes campeão da Maratona de Nova York (2006 e 2008) e recordista nacional de meia maratona (59min33), retorna à Maratona de Chicago pela primeira vez após terminar em sexto lugar em 2004, de olho no brasileiro Ronaldo da Costa, que é recordista sul-americano com 2h06min05. O japonês Atsushi Sato, detentor do recorde nacional em meia maratona (1h00min25), tentará quebrar o recorde japonês em maratona de 2h06min16, que foi marcado no mesmo percurso por Toshinari Takaoka, na Maratona de Chicago de 2002.

A elite masculina também terá os japoneses Takayuki Matsumiya (2h10min04), Takashi Horiguchi (2h12min05), Kouji Gokaya (2h12min07), Hironori Arai (2h12min17), Masaki Shimoju (2h12min18) e Yuuki Moriwaki (2h13min34). Assim como os japoneses, os colombianos Jason Gutierrez (2h13min24) e Diego Colorado (2h16min45) escolheram a Maratona de Chicago para terem performances que qualifiquem para os Jogos Olímpicos, e quem sabe desafiar a marca nacional colombiana de 2h11min17, alcançada por Carlos Grisales na Maratona de Boston de 1996.

Para-atletas- Na competição da elite dos cadeirantes, a Maratona de Chicago deste ano foi selecionada pelo Comitê Olímpico dos Estados Unidos (Usoc), da divisão Paraolímpica, para servir como classificadora automática para os Jogos Paraolímpicos de 2012. Os dois melhores finalistas americanos (homens e mulheres) irão representar a seleção nacional dos Estados Unidos, em Londres 2012. A competição em Chicago é a única no país selecionada para garantir a colocação dos atletas paraolímpicos norte-americanos.

A disputa dos cadeirantes contará com a atual campeã Amanda McGrory, dos Estados Unidos, e Heinz Frei, da Suíça. McGrory busca sua quarta vitória nos últimos cinco anos, já que sua única derrota foi em 2009, quando foi superada por sua companheira de equipe, Tatyana McFadden, que estará novamente na largada este ano, junto com a canadense Diane Roy e a australiana Christie Dawes, segunda e quinta colocada na Maratona de Chicago de 2009, respectivamente.

Em sua primeira participação na Maratona de Chicago, em 2010, Heinz Frei acelerou para conquistar o recorde do percurso de 1h26min56, quebrando a marca de 2007 do australiano Kurt Fearnly, que não participou da edição de 2010 da prova após vencer consecutivamente de 2007 a 2009. A corrida deste ano terá um confronto muito aguardado entre os dois campeões, com o recorde do percurso sendo ameaçado novamente.

EUA e Canadá anunciam equipe de atletismo do Pan

Atletismo · 03 jul, 2007

As delegações dos Estados Unidos e do Canadá que irão competir nos Jogos Pan-americanos do Rio de Janeiro foram anunciadas e cada um dos países tem uma visão diferente da competição. Enquanto a equipe do Tio Sam será mesclada entre jovens e experientes, os canadenses acreditam que o Pan será um grande teste para o Mundial de Osaka.

Nos Estados Unidos 13 campeões nacionais vão se juntar à universitários e campeões olímpicos, num total de 48 homens e 46 mulheres. As grandes estrelas do país, como Tyson Gay e Justin Gatlin não estarão presentes. Os destaques do time de velocistas feminino ficam por conta de Miki Barber nos 100m, que já esteve nas olimpíadas de 2000, além de Shareese Woods nos 200m, atleta campeã da NCAA (National Collegiate Athletic Association) em 2006.

Outra modalidade que chama a atenção é a dos 400 metros, que terá Monique Henderson, ouro na Olimpíada de Sidney em 2000 nos 4x400m, além de Mary Wineberg, terceira colocada no Campeonato nacional desse ano. Nos 1.500m Mary Jane Harrelson, prata no Pan de 2003 terá a companhia de Lindsay Gallo, segunda colocada no campeonato americano de 2006.

Já entre os homens os talentos ficam por conta da prova de 800m, com Khadevis Robinson e nos 50 quilômetros de marcha atlética com Joshua McAdams, ambos campeões nacionais esse ano em suas modalidades. Jorge Torres, campeão Americano outdoor ano passado competirá os 10 mil metros com Jason Hartmann, enquanto os cinco mil metros terão a presença de Bolota Asmerom, que competiu em Sidney por seu país de origem, a Eritréa.

A juventude estará presente nas provas rápidas com J-Mee Samuels, campeão do Pan de Juniores de 2005 e Leroy Dixon nos 100m, este último recém graduado pela Universidade da Carolina do Sul. O treinador será Stanley Redwine, enquanto Tonie Campbell será o gerente geral.

Para os canadenses o Pan é uma das competições mais importantes e uma oportunidade de encarar as potências do esporte, como os Estados Unidos e os países do Caribe. “Esse evento servirá de avaliação e preparação de nossos melhores atletas”, comenta Les Gramantik, técnico da equipe. “Com algumas exceções essa será a formação que disputará o Mundial de Osaka, que é o último grande passo para Pequim”, completa.

A delegação conquistou 10 medalhas na última edição dos Jogos Pan-americanos, em Santo Domingo e na edição brasileira dois atletas vão defender suas medalhas, com destaque para Achraf Tadili. O marroquino com nacionalidade canadense tentará mais uma vez o ouro nos 800 metros.

Tyler Christopher, bronze no mundial de 2005 da IAAF virá ao Brasil para mostrar por que é um dos melhores do mundo na modalidade dos 800 metros. Já no revezamento 4x100, o universitário Richard Adu-Bobie, americano naturalizado canadense, tentará surpreender a todos.

Entre as mulheres a briga pela medalha deverá ser bem acirrada. Hilary Stellingwerff detém o tempo de 4min5seg86 como melhor marca nos 800m e chega como favorita. A melhor brasileira, Juliana Gomes dos Santos, tem como melhor tempo 4min11se39. Quem virá forte também é Adrienne Power, que além de ostentar um sobrenome que inglês significa força, ostenta 23seg58 e 52seg90 nos 200 e 400 metros, provas que competirá no Pan.

Diversos outros nomes também virão para a disputa, que promete ser bem acirrada, já que os americanos sempre são favoritos, mesmo com equipes secundárias e os brasileiros terão uma motivação extra por estarem em casa. A primeira competição de atletismo acontece no dia 22 de julho com as provas de maratona e marcha atlética.


EUA e Canadá anunciam equipe de atletismo do Pan

Atletismo · 03 jul, 2007

As delegações dos Estados Unidos e do Canadá que irão competir nos Jogos Pan-americanos do Rio de Janeiro foram anunciadas e cada um dos países tem uma visão diferente da competição. Enquanto a equipe do Tio Sam será mesclada entre jovens e experientes, os canadenses acreditam que o Pan será um grande teste para o Mundial de Osaka.

Nos Estados Unidos 13 campeões nacionais vão se juntar à universitários e campeões olímpicos, num total de 48 homens e 46 mulheres. As grandes estrelas do país, como Tyson Gay e Justin Gatlin não estarão presentes. Os destaques do time de velocistas feminino ficam por conta de Miki Barber nos 100m, que já esteve nas olimpíadas de 2000, além de Shareese Woods nos 200m, atleta campeã da NCAA (National Collegiate Athletic Association) em 2006.

Outra modalidade que chama a atenção é a dos 400 metros, que terá Monique Henderson, ouro na Olimpíada de Sidney em 2000 nos 4x400m, além de Mary Wineberg, terceira colocada no Campeonato nacional desse ano. Nos 1.500m Mary Jane Harrelson, prata no Pan de 2003 terá a companhia de Lindsay Gallo, segunda colocada no campeonato americano de 2006.

Já entre os homens os talentos ficam por conta da prova de 800m, com Khadevis Robinson e nos 50 quilômetros de marcha atlética com Joshua McAdams, ambos campeões nacionais esse ano em suas modalidades. Jorge Torres, campeão Americano outdoor ano passado competirá os 10 mil metros com Jason Hartmann, enquanto os cinco mil metros terão a presença de Bolota Asmerom, que competiu em Sidney por seu país de origem, a Eritréa.

A juventude estará presente nas provas rápidas com J-Mee Samuels, campeão do Pan de Juniores de 2005 e Leroy Dixon nos 100m, este último recém graduado pela Universidade da Carolina do Sul. O treinador será Stanley Redwine, enquanto Tonie Campbell será o gerente geral.

Para os canadenses o Pan é uma das competições mais importantes e uma oportunidade de encarar as potências do esporte, como os Estados Unidos e os países do Caribe. “Esse evento servirá de avaliação e preparação de nossos melhores atletas”, comenta Les Gramantik, técnico da equipe. “Com algumas exceções essa será a formação que disputará o Mundial de Osaka, que é o último grande passo para Pequim”, completa.

A delegação conquistou 10 medalhas na última edição dos Jogos Pan-americanos, em Santo Domingo e na edição brasileira dois atletas vão defender suas medalhas, com destaque para Achraf Tadili. O marroquino com nacionalidade canadense tentará mais uma vez o ouro nos 800 metros.

Tyler Christopher, bronze no mundial de 2005 da IAAF virá ao Brasil para mostrar por que é um dos melhores do mundo na modalidade dos 800 metros. Já no revezamento 4x100, o universitário Richard Adu-Bobie, americano naturalizado canadense, tentará surpreender a todos.

Entre as mulheres a briga pela medalha deverá ser bem acirrada. Hilary Stellingwerff detém o tempo de 4min5seg86 como melhor marca nos 800m e chega como favorita. A melhor brasileira, Juliana Gomes dos Santos, tem como melhor tempo 4min11se39. Quem virá forte também é Adrienne Power, que além de ostentar um sobrenome que inglês significa força, ostenta 23seg58 e 52seg90 nos 200 e 400 metros, provas que competirá no Pan.

Diversos outros nomes também virão para a disputa, que promete ser bem acirrada, já que os americanos sempre são favoritos, mesmo com equipes secundárias e os brasileiros terão uma motivação extra por estarem em casa. A primeira competição de atletismo acontece no dia 22 de julho com as provas de maratona e marcha atlética.