desafio oiapoque ao chuí

Desafio: Carlos Dias já está em Santa Catarina

Ultra Maratona · 13 ago, 2007

O ultramaratonista Carlos Dias segue o desafio de correr o Brasil da cidade do Oiapoque ao Chuí. Nesse fim de semana ele chegou na cidade de Joinville (SC). De acordo com o atleta, ele está melhor da gripe, mas o percurso ainda é puxado por causa de muitas subidas e descidas.

A sua corrida do último domingo (12) foi feita em homenagem ao seu pai, já falecido. “Ele não está mais entre nós, mas dentro do meu peito sinto sua força a todo instante. Também dedico essa corrida a todos os pais que destinam sua vida a educação dos seus filhos”, conta.

Sua jornada segue rumo ao Chuí. Até agora foram mais de 70 dias de corrida e o Webrun acompanha tudo de perto.


Desafio: Carlos Dias já está em Santa Catarina

Ultra Maratona · 13 ago, 2007

O ultramaratonista Carlos Dias segue o desafio de correr o Brasil da cidade do Oiapoque ao Chuí. Nesse fim de semana ele chegou na cidade de Joinville (SC). De acordo com o atleta, ele está melhor da gripe, mas o percurso ainda é puxado por causa de muitas subidas e descidas.

A sua corrida do último domingo (12) foi feita em homenagem ao seu pai, já falecido. “Ele não está mais entre nós, mas dentro do meu peito sinto sua força a todo instante. Também dedico essa corrida a todos os pais que destinam sua vida a educação dos seus filhos”, conta.

Sua jornada segue rumo ao Chuí. Até agora foram mais de 70 dias de corrida e o Webrun acompanha tudo de perto.

Carlos Dias chega na metade do Desafio de correr o Brasil

Ultra Maratona · 30 jul, 2007

Correr uma maratona não é tarefa fácil. Quem já passou por alguma experiência como essa sabe que é necessário treinar muito para obter êxito na prova. Imagine então correr uma ultramaratona, ou melhor, o Brasil de ponta a ponta? Esse é o desafio que Carlos Dias enfrenta.

O ultramaratonista corre o Brasil da cidade do Oiapoque (AP), norte do país, ao Chuí (RS), extremo sul. Sua jornada começou no dia 27 de maio e até agora foram mais de 60 dias ininterruptos de corrida num total de 5.300 quilômetros. Mas restam ainda mais 60 dias de corrida e cerca de quatro mil quilômetros.

Hoje (30) ele está na cidade de São Bernardo do Campo, local onde mora, uma parada importante para continuar seu trajeto. “Vou recarregar minhas energias quando encontrar minha família”, revela. Mas antes de chegar na metade do seu desafio, Carlos enfrentou muitas adversidades.

O Webrun encontrou o atleta dois dias antes dele chegar em São Paulo. Muito ansioso Carlos não continha a vontade de ver as pessoas que mais ama: sua mãe, filho e noiva. Ao ser indagado sobre ficar longe da família ele fala: “está duro, mas estou cumprindo parte de um sonho. Hoje consigo olhar para trás e ver que fiz coisas que poucas pessoas fariam”.

De acordo com o brasileiro, durante esses dias de corrida na estrada, parando em cidadezinhas que nunca haviam visto um atleta antes, ele pôde aprender muita coisa. “Estou convivendo com diferentes situações. Acredito que estou administrando isso com muito sucesso. Chegar até aqui já valeu a pena por todas as amizades que fiz”, revela.

Uma dessas amizades foi com um garoto de nove anos, Joaquim, que tem o mesmo nome do seu pai, já falecido. “Encontrei o Joaquim na cidade de Campos Belos (GO). Ele nunca tinha ficado perto de um atleta e quando comecei a escrever uma dedicatória para ele, percebi que ele estava chorando de emoção”, conta.

Em muitas cidades que pára, Carlos dá palestras em escolas municipais, e isso faz com que as crianças e jovens tenham muita empatia por ele. No Rio de Janeiro, por exemplo, o ultramaratonista visitou os Jogos Pan-americanos e lá conheceu a equipe mirim de ginástica rítmica. Segundo ele, uma das meninas também chorou ao assinar a bandeira do Brasil que ele carrega.

Carlos confessa que seu desafio é diário. Todos os dias ele traça uma meta e segue firme para cumpri-la. Ele corre em média 80 quilômetros por dia. Para ele os primeiros dias foram os piores, já que teve dores nas costas e nas pernas. Mas depois isso passou.

Na rodovia Dutra, que liga Rio de Janeiro e São Paulo, ele parou em diversas cidades, numa delas, São José dos Campos, ele recebeu a companhia do fisioterapeuta David Homsi, da Clínica Dr. Osmar de Oliveira. O fisioterapeuta foi ver como Carlos Dias está fisicamente, além de apoiá-lo psicologicamente.

Para isso, Homsi, correu cerca de 20 quilômetros ao lado do atleta. “O Carlos está bem fisicamente e muito consciente do que ele quer fazer. Também está bem focado e mesmo pelas dificuldades que ele está enfrentando, ele está tirando coisas boas disso. Certamente o Carlos está com mais força para conseguir completar a jornada”, diz o fisioterapeuta.

Agora Carlos segue para a segunda etapa do desafio e para isso irá correr pelas estradas do sul do país. “Até aqui enfrentei muito calor. Teve dias que eu corri de madrugada com 30ºC. Agora será o oposto. Tenho que me preparar para o frio”, explica o atleta. Por isso, seu ritmo de corrida será uma pouco mais leve.

Recepção em São Bernardo - Ontem (29) Carlos chegou na cidade onde mora, São Bernardo do Campo, e foi recepcionado por seus familiares e moradores de seu bairro, o Taboão. Ao ser recebido com fogos, gritos, e salva de palmas, o ultramaratonista desabou em lágrimas e não conteve a emoção.

Depois de ficar dois meses longe da família ele pôde reencontrar sua noiva, seu filho de seis meses e sua mãe. Muito emocionado ele discursou para a comunidade e homenageou sua mãe e sua noiva.

Após pequeno descanso, Carlos segue seu desafio na terça-feira (31) onde receberá homenagem na cidade de São Vicente (SP). “Deixar a minha família vai ser difícil. Mas tenho que seguir em frente. Eles foram um ânimo extra para eu conquistar mais esse objetivo”, revela.

Ainda com um único patrocínio, a marca de calçados Crocs, ele diz que toda a ajuda financeira é de grande valia. “Eu poderia ter começado esse desafio com mais patrocinador. Mas esse era o meu tempo. Muitos acham que é loucura o que estou fazendo. Mas esqueço disso quando encontro pessoas tão diferentes no Brasil e passo alguma mensagem para elas”. O Webrun segue acompanhando todo o Desafio de Carlos Dias.


Carlos Dias chega na metade do Desafio de correr o Brasil

Ultra Maratona · 30 jul, 2007

Correr uma maratona não é tarefa fácil. Quem já passou por alguma experiência como essa sabe que é necessário treinar muito para obter êxito na prova. Imagine então correr uma ultramaratona, ou melhor, o Brasil de ponta a ponta? Esse é o desafio que Carlos Dias enfrenta.

O ultramaratonista corre o Brasil da cidade do Oiapoque (AP), norte do país, ao Chuí (RS), extremo sul. Sua jornada começou no dia 27 de maio e até agora foram mais de 60 dias ininterruptos de corrida num total de 5.300 quilômetros. Mas restam ainda mais 60 dias de corrida e cerca de quatro mil quilômetros.

Hoje (30) ele está na cidade de São Bernardo do Campo, local onde mora, uma parada importante para continuar seu trajeto. “Vou recarregar minhas energias quando encontrar minha família”, revela. Mas antes de chegar na metade do seu desafio, Carlos enfrentou muitas adversidades.

O Webrun encontrou o atleta dois dias antes dele chegar em São Paulo. Muito ansioso Carlos não continha a vontade de ver as pessoas que mais ama: sua mãe, filho e noiva. Ao ser indagado sobre ficar longe da família ele fala: “está duro, mas estou cumprindo parte de um sonho. Hoje consigo olhar para trás e ver que fiz coisas que poucas pessoas fariam”.

De acordo com o brasileiro, durante esses dias de corrida na estrada, parando em cidadezinhas que nunca haviam visto um atleta antes, ele pôde aprender muita coisa. “Estou convivendo com diferentes situações. Acredito que estou administrando isso com muito sucesso. Chegar até aqui já valeu a pena por todas as amizades que fiz”, revela.

Uma dessas amizades foi com um garoto de nove anos, Joaquim, que tem o mesmo nome do seu pai, já falecido. “Encontrei o Joaquim na cidade de Campos Belos (GO). Ele nunca tinha ficado perto de um atleta e quando comecei a escrever uma dedicatória para ele, percebi que ele estava chorando de emoção”, conta.

Em muitas cidades que pára, Carlos dá palestras em escolas municipais, e isso faz com que as crianças e jovens tenham muita empatia por ele. No Rio de Janeiro, por exemplo, o ultramaratonista visitou os Jogos Pan-americanos e lá conheceu a equipe mirim de ginástica rítmica. Segundo ele, uma das meninas também chorou ao assinar a bandeira do Brasil que ele carrega.

Carlos confessa que seu desafio é diário. Todos os dias ele traça uma meta e segue firme para cumpri-la. Ele corre em média 80 quilômetros por dia. Para ele os primeiros dias foram os piores, já que teve dores nas costas e nas pernas. Mas depois isso passou.

Na rodovia Dutra, que liga Rio de Janeiro e São Paulo, ele parou em diversas cidades, numa delas, São José dos Campos, ele recebeu a companhia do fisioterapeuta David Homsi, da Clínica Dr. Osmar de Oliveira. O fisioterapeuta foi ver como Carlos Dias está fisicamente, além de apoiá-lo psicologicamente.

Para isso, Homsi, correu cerca de 20 quilômetros ao lado do atleta. “O Carlos está bem fisicamente e muito consciente do que ele quer fazer. Também está bem focado e mesmo pelas dificuldades que ele está enfrentando, ele está tirando coisas boas disso. Certamente o Carlos está com mais força para conseguir completar a jornada”, diz o fisioterapeuta.

Agora Carlos segue para a segunda etapa do desafio e para isso irá correr pelas estradas do sul do país. “Até aqui enfrentei muito calor. Teve dias que eu corri de madrugada com 30ºC. Agora será o oposto. Tenho que me preparar para o frio”, explica o atleta. Por isso, seu ritmo de corrida será uma pouco mais leve.

Recepção em São Bernardo - Ontem (29) Carlos chegou na cidade onde mora, São Bernardo do Campo, e foi recepcionado por seus familiares e moradores de seu bairro, o Taboão. Ao ser recebido com fogos, gritos, e salva de palmas, o ultramaratonista desabou em lágrimas e não conteve a emoção.

Depois de ficar dois meses longe da família ele pôde reencontrar sua noiva, seu filho de seis meses e sua mãe. Muito emocionado ele discursou para a comunidade e homenageou sua mãe e sua noiva.

Após pequeno descanso, Carlos segue seu desafio na terça-feira (31) onde receberá homenagem na cidade de São Vicente (SP). “Deixar a minha família vai ser difícil. Mas tenho que seguir em frente. Eles foram um ânimo extra para eu conquistar mais esse objetivo”, revela.

Ainda com um único patrocínio, a marca de calçados Crocs, ele diz que toda a ajuda financeira é de grande valia. “Eu poderia ter começado esse desafio com mais patrocinador. Mas esse era o meu tempo. Muitos acham que é loucura o que estou fazendo. Mas esqueço disso quando encontro pessoas tão diferentes no Brasil e passo alguma mensagem para elas”. O Webrun segue acompanhando todo o Desafio de Carlos Dias.

Carlos Dias usa carro para atravessar a ponte Rio-Niterói

Ultra Maratona · 24 jul, 2007

Depois de correr por mais de um mês, o ultramaratonista Carlos Dias teve que pegar um carro para percorrer determinado trecho da sua aventura de cruzar o Brasil de ponta a ponta. De acordo com o atleta, que já está no estado do Rio de Janeiro, ele cruzou a ponte Rio Niterói dentro do carro da polícia rodoviária.

“Segundo a administração da ponte, mesmo com autorização, eu não poderei seguir correndo sobre a ponte por motivos de segurança, então vejo meu desejo de cruzar a ponte correndo frustrado”, conta.

No Rio de Janeiro, o atleta sentiu algumas dificuldades. “A poluição em São Gonçalo, até chegar em Niterói, é alta. O cheiro de óleo e de animais mortos na pista deixa a gente com vontade de vomitar toda hora. Os rios estão cheios de garrafas e animais mortos. É uma cena triste”, revela.

Após a passagem no Rio de Janeiro, Carlos segue sentido a Barra Mansa e no dia 29 de julho chega na capital paulista. O Webrun acompanha todo o trajeto de Carlos Dias até sua chegada na cidade de Chuí (RS) no fim de setembro.


Carlos Dias usa carro para atravessar a ponte Rio-Niterói

Ultra Maratona · 24 jul, 2007

Depois de correr por mais de um mês, o ultramaratonista Carlos Dias teve que pegar um carro para percorrer determinado trecho da sua aventura de cruzar o Brasil de ponta a ponta. De acordo com o atleta, que já está no estado do Rio de Janeiro, ele cruzou a ponte Rio Niterói dentro do carro da polícia rodoviária.

“Segundo a administração da ponte, mesmo com autorização, eu não poderei seguir correndo sobre a ponte por motivos de segurança, então vejo meu desejo de cruzar a ponte correndo frustrado”, conta.

No Rio de Janeiro, o atleta sentiu algumas dificuldades. “A poluição em São Gonçalo, até chegar em Niterói, é alta. O cheiro de óleo e de animais mortos na pista deixa a gente com vontade de vomitar toda hora. Os rios estão cheios de garrafas e animais mortos. É uma cena triste”, revela.

Após a passagem no Rio de Janeiro, Carlos segue sentido a Barra Mansa e no dia 29 de julho chega na capital paulista. O Webrun acompanha todo o trajeto de Carlos Dias até sua chegada na cidade de Chuí (RS) no fim de setembro.

Carlos Dias sente falta da família durante Desafio

Ultra Maratona · 21 jul, 2007

O ultramaratonista Carlos Dias abdicou de tudo e de todos para enfrentar um desafio: correr o Brasil de ponta a ponta. Ele começou a correr no dia 27 de maio e segue até o mês de setembro sozinho pelas estradas brasileiras.

Com saudade da família e de seu filho, Carlos escreveu uma carta para sua esposa, Monique. Confira:

Monique,

Deus está sendo muito bom comigo, me testando a cada minuto e me protegendo das coisas ruins. Na estrada vejo a cada hora um acidente feio, talvez as pessoas não possam imaginar o que um projeto como o que estou realizando possa acrescentar para o país, tenho a convicção que vou fazer história e vou vender muitos livros.

Uma coisa que me deixa muito determinado é o fato de agradecer a minha mãe toda luta para que eu chegasse até aqui. Mesmo sem ter o meu pai, ela acreditou no sonho e esse desafio é uma declaração de amor a ela, ao meu filho e a você que também está ao seu modo torcendo por mim.

O dinheiro pode ser pequeno, mas o valor desse projeto irá atravessar gerações. Antes de sair da Bahia tive um dia muito triste por passar próximo da cidade de um amigo atleta que faleceu no ano passado, o Josias de Porto Seguro. Em 2003 ele deixou sua família para me acompanhar até São Paulo se mostrando uma pessoa única e especial.

Agora estou sem equipe de apoio, mas com a ajuda da polícia venho quebrando vários paradigmas pessoais, os medos de escuro, a insegurança nas estradas, a minha capacidade de renovação diária, o sorriso que tento manter todos os dias, mesmo nos dias de muitas adversidades.

Tenho também que fazer uma homenagem ao meu pai, que quando eu era pequeno, não deixava de levar para casa o pão doce do Carlinhos. Por conta de um assalto na empresa ele acabou sendo morto. Meu sobrenome é para ele e o meu filho, que fez eu olhar o mundo com mais
entusiasmo, é que me anima quando eu estou com as forças nas últimas.

Para aqueles que acham que isso é uma carta para aparecer, eu respondo que não. Isso é uma declaração de amor a minha mãe, a dona Neli Lima Dias, ao meu filho Vinícius e a você Monique. Vocês é que fazem a minha vida ter o verdadeiro sentido.

Um beijo no coração e que Deus nos abençoe,
Carlos Dias


Carlos Dias sente falta da família durante Desafio

Ultra Maratona · 21 jul, 2007

O ultramaratonista Carlos Dias abdicou de tudo e de todos para enfrentar um desafio: correr o Brasil de ponta a ponta. Ele começou a correr no dia 27 de maio e segue até o mês de setembro sozinho pelas estradas brasileiras.

Com saudade da família e de seu filho, Carlos escreveu uma carta para sua esposa, Monique. Confira:

Monique,

Deus está sendo muito bom comigo, me testando a cada minuto e me protegendo das coisas ruins. Na estrada vejo a cada hora um acidente feio, talvez as pessoas não possam imaginar o que um projeto como o que estou realizando possa acrescentar para o país, tenho a convicção que vou fazer história e vou vender muitos livros.

Uma coisa que me deixa muito determinado é o fato de agradecer a minha mãe toda luta para que eu chegasse até aqui. Mesmo sem ter o meu pai, ela acreditou no sonho e esse desafio é uma declaração de amor a ela, ao meu filho e a você que também está ao seu modo torcendo por mim.

O dinheiro pode ser pequeno, mas o valor desse projeto irá atravessar gerações. Antes de sair da Bahia tive um dia muito triste por passar próximo da cidade de um amigo atleta que faleceu no ano passado, o Josias de Porto Seguro. Em 2003 ele deixou sua família para me acompanhar até São Paulo se mostrando uma pessoa única e especial.

Agora estou sem equipe de apoio, mas com a ajuda da polícia venho quebrando vários paradigmas pessoais, os medos de escuro, a insegurança nas estradas, a minha capacidade de renovação diária, o sorriso que tento manter todos os dias, mesmo nos dias de muitas adversidades.

Tenho também que fazer uma homenagem ao meu pai, que quando eu era pequeno, não deixava de levar para casa o pão doce do Carlinhos. Por conta de um assalto na empresa ele acabou sendo morto. Meu sobrenome é para ele e o meu filho, que fez eu olhar o mundo com mais
entusiasmo, é que me anima quando eu estou com as forças nas últimas.

Para aqueles que acham que isso é uma carta para aparecer, eu respondo que não. Isso é uma declaração de amor a minha mãe, a dona Neli Lima Dias, ao meu filho Vinícius e a você Monique. Vocês é que fazem a minha vida ter o verdadeiro sentido.

Um beijo no coração e que Deus nos abençoe,
Carlos Dias

Desafio: Carlos Dias passa por Vitória (ES)

Ultra Maratona · 20 jul, 2007

O brasileiro Carlos Dias passou pela cidade de Vitória (ES) na sua jornada de correr o Brasil da cidade de Oiapoque (AM) até o Chuí (RS). A aventura começou no dia 27 de maio e deve seguir até o mês de setembro.

Carlos já percorreu os estados do Amapá, Pará, Tocantins e Bahia. “Corri com apoio da polícia até Vitória, mas o apoio nas cidades do Espírito Santo está horrível. Até aqui esse é o estado que menos apoiou o desafio”, comenta.

De acordo com o atleta, ele deve chegar em São Paulo no dia 29 de julho. “Vou manter a estratégia de correr em média 18 horas para conseguir fazer acima de 90km por dia”, conta. Depois de passar por São Paulo ele pretende correr com mais tranqüilidade. “Aproveito para convidar os atletas que queiram correr comigo no dia 29 de julho em São Paulo. Vou ficar muito feliz”, diz. O Webrun acompanha todo o trajeto de Carlos Dias.


Desafio: Carlos Dias passa por Vitória (ES)

Ultra Maratona · 20 jul, 2007

O brasileiro Carlos Dias passou pela cidade de Vitória (ES) na sua jornada de correr o Brasil da cidade de Oiapoque (AM) até o Chuí (RS). A aventura começou no dia 27 de maio e deve seguir até o mês de setembro.

Carlos já percorreu os estados do Amapá, Pará, Tocantins e Bahia. “Corri com apoio da polícia até Vitória, mas o apoio nas cidades do Espírito Santo está horrível. Até aqui esse é o estado que menos apoiou o desafio”, comenta.

De acordo com o atleta, ele deve chegar em São Paulo no dia 29 de julho. “Vou manter a estratégia de correr em média 18 horas para conseguir fazer acima de 90km por dia”, conta. Depois de passar por São Paulo ele pretende correr com mais tranqüilidade. “Aproveito para convidar os atletas que queiram correr comigo no dia 29 de julho em São Paulo. Vou ficar muito feliz”, diz. O Webrun acompanha todo o trajeto de Carlos Dias.

Desafio: Carlos Dias chega no Espírito Santo

Ultra Maratona · 19 jul, 2007

O ultramaratonista Carlos Dias já está no estado do Espírito Santo. Ele percorre o Brasil da cidade de Oiapoque (AM) com destino ao Chuí, sul do Brasil. A aventura de Carlos começou no final de maio e vai até o mês de setembro.

Segundo o atleta, os últimos dois dias foram intensos. Ele correu de dia e também no período da noite, dormindo apenas duas horas. Carlos está agora na cidade de São Mateus (ES). “Estou com dores no corpo e o cansaço cada vez deixa aparente a irritação diária com o descaso que encontro nas cidades, mas estou muito bem. Triste por saber dos acontecimentos em São Paulo (acidente aéreo)”, conta.

“Hoje dedico meu dia e minha corrida a todas as vítimas e familiares dessa tragédia que mexe muito com todos nós e mando um recado ao governo brasileiro que não investe em estrutura nos portos, estradas, onde passo, e aeroportos. Como o Brasil vai crescer assim?”, acrescenta.

O Webrun acompanha toda a aventura de Carlos Dias. Ao todo serão 120 dias de corrida.


Desafio: Carlos Dias chega no Espírito Santo

Ultra Maratona · 19 jul, 2007

O ultramaratonista Carlos Dias já está no estado do Espírito Santo. Ele percorre o Brasil da cidade de Oiapoque (AM) com destino ao Chuí, sul do Brasil. A aventura de Carlos começou no final de maio e vai até o mês de setembro.

Segundo o atleta, os últimos dois dias foram intensos. Ele correu de dia e também no período da noite, dormindo apenas duas horas. Carlos está agora na cidade de São Mateus (ES). “Estou com dores no corpo e o cansaço cada vez deixa aparente a irritação diária com o descaso que encontro nas cidades, mas estou muito bem. Triste por saber dos acontecimentos em São Paulo (acidente aéreo)”, conta.

“Hoje dedico meu dia e minha corrida a todas as vítimas e familiares dessa tragédia que mexe muito com todos nós e mando um recado ao governo brasileiro que não investe em estrutura nos portos, estradas, onde passo, e aeroportos. Como o Brasil vai crescer assim?”, acrescenta.

O Webrun acompanha toda a aventura de Carlos Dias. Ao todo serão 120 dias de corrida.

Desafio: Carlos Dias tira dia para descansar

Ultra Maratona · 16 jul, 2007

O ultramaratonista Carlos Dias ainda percorre as estradas do estado da Bahia. No seu desafio de correr o Brasil de ponta a ponta (da cidade de Oiapoque ao Chuí), ele completa mais de 50 dias ininterruptos de aventura.

De acordo com o atleta, no último domingo ele esteve na cidade de Itabuna (BA). Para chegar até lá ele contou com escolta da polícia federal, já que a região apresenta estradas perigosas, com muitas curvas e caminhões.

Como ele está adiantado na sua programação, Carlos aproveitou a segunda-feira (16) para descansar. “Corri muito mais que a média e agora vou descansar um dia em Itabuna. Recomeço a corrida na terça de manhã para chegar em Eunápolis”, conta.

“A maior dificuldade agora é conseguir mais apoios, pois o custo na estrada é alto e estou no meu limite, mas não vou desistir”, revela. Mesmo na estrada, Carlos também está na torcida para os brasileiros dos Jogos Pan-americanos.

O Webrun acompanha toda trajetória do brasileiro que deve correr até o mês de setembro.


Desafio: Carlos Dias tira dia para descansar

Ultra Maratona · 16 jul, 2007

O ultramaratonista Carlos Dias ainda percorre as estradas do estado da Bahia. No seu desafio de correr o Brasil de ponta a ponta (da cidade de Oiapoque ao Chuí), ele completa mais de 50 dias ininterruptos de aventura.

De acordo com o atleta, no último domingo ele esteve na cidade de Itabuna (BA). Para chegar até lá ele contou com escolta da polícia federal, já que a região apresenta estradas perigosas, com muitas curvas e caminhões.

Como ele está adiantado na sua programação, Carlos aproveitou a segunda-feira (16) para descansar. “Corri muito mais que a média e agora vou descansar um dia em Itabuna. Recomeço a corrida na terça de manhã para chegar em Eunápolis”, conta.

“A maior dificuldade agora é conseguir mais apoios, pois o custo na estrada é alto e estou no meu limite, mas não vou desistir”, revela. Mesmo na estrada, Carlos também está na torcida para os brasileiros dos Jogos Pan-americanos.

O Webrun acompanha toda trajetória do brasileiro que deve correr até o mês de setembro.

Carlos Dias chega em Feira de Santana na Bahia

Ultra Maratona · 11 jul, 2007

O brasileiro Carlos Dias, que corre da cidade de Oiapoque, norte do país, até o extremo sul do Brasil, está em Feira de Santana, Bahia. Sua aventura começou no dia 27 de maio e vai até o mês de setembro num total de 120 dias de corrida.

“Fui muito bem recebido pela secretária de cultura esportes e lazer da cidade que me concedeu hospedagem e alimentação”, conta. Hoje ele volta a correr, mas durante o caminho irá dar uma palestra para alunos de fisiologia do exercício.

Segundo o atleta, ele não se sentiu bem nos últimos dias e acha que está um pouco fraco. “Acho que a mudança de clima (um pouco mais frio) e de tempero fizeram com que eu sentisse um pouco, isso é um alerta para evitar comer comidas muito temperadas”, revela.

Carlos Dias segue seu desafio pelas estradas baianas. O Webrun acompanha todo o desafio.


Carlos Dias chega em Feira de Santana na Bahia

Ultra Maratona · 11 jul, 2007

O brasileiro Carlos Dias, que corre da cidade de Oiapoque, norte do país, até o extremo sul do Brasil, está em Feira de Santana, Bahia. Sua aventura começou no dia 27 de maio e vai até o mês de setembro num total de 120 dias de corrida.

“Fui muito bem recebido pela secretária de cultura esportes e lazer da cidade que me concedeu hospedagem e alimentação”, conta. Hoje ele volta a correr, mas durante o caminho irá dar uma palestra para alunos de fisiologia do exercício.

Segundo o atleta, ele não se sentiu bem nos últimos dias e acha que está um pouco fraco. “Acho que a mudança de clima (um pouco mais frio) e de tempero fizeram com que eu sentisse um pouco, isso é um alerta para evitar comer comidas muito temperadas”, revela.

Carlos Dias segue seu desafio pelas estradas baianas. O Webrun acompanha todo o desafio.

Carlos Dias está próximo de Feira de Santana

Ultra Maratona · 10 jul, 2007

O ultramaratonista brasileiro Carlos Dias segue seu desafio de correr o país de ponta a ponta. No último fim de semana ele estava na cidade de Itaberaba na Bahia. De acordo com o atleta, hoje (10) ele chega em Feira de Santana.

Durante o percurso baiano, o que mais o surpreendeu o atleta foi a mudança climática. “O tempo mudou bastante realizei toda corrida debaixo de uma garoa e uma temperatura de 21ºC para mim essa temperatura é baixa, pois estava correndo a temperaturas acima de 35ºC”, conta.

Segundo Carlos, agora ele irá pegar a BR101 e o que começa a pesar mais é a parte psicológica. Durante sua passagem pela Bahia, ele deu palestras em algumas escolas e recebeu ajuda da polícia rodoviária.

O Desafio Oiapoque ao Chuí está previsto para termina no final de setembro no Rio Grande do Sul. AO todo serão cerca de 120 dias de corrida e o Webrun acompanha toda a aventura do brasileiro Carlos Dias.


Carlos Dias está próximo de Feira de Santana

Ultra Maratona · 10 jul, 2007

O ultramaratonista brasileiro Carlos Dias segue seu desafio de correr o país de ponta a ponta. No último fim de semana ele estava na cidade de Itaberaba na Bahia. De acordo com o atleta, hoje (10) ele chega em Feira de Santana.

Durante o percurso baiano, o que mais o surpreendeu o atleta foi a mudança climática. “O tempo mudou bastante realizei toda corrida debaixo de uma garoa e uma temperatura de 21ºC para mim essa temperatura é baixa, pois estava correndo a temperaturas acima de 35ºC”, conta.

Segundo Carlos, agora ele irá pegar a BR101 e o que começa a pesar mais é a parte psicológica. Durante sua passagem pela Bahia, ele deu palestras em algumas escolas e recebeu ajuda da polícia rodoviária.

O Desafio Oiapoque ao Chuí está previsto para termina no final de setembro no Rio Grande do Sul. AO todo serão cerca de 120 dias de corrida e o Webrun acompanha toda a aventura do brasileiro Carlos Dias.

Carlos Dias segue desafio na Bahia

Ultra Maratona · 05 jul, 2007

O brasileiro Carlos Dias chegou ontem (4) na cidade de Barreiras, na Bahia. Ele corre o Brasil da cidade de Oiapoque ao Chuí. A aventura começou no final de maio e vai até setembro num total de 120 dias.

De acordo com o atleta, ele recebe bastante apoio da população. “Hoje (5) saí de madrugada para Cristópolis e o Exército me escoltou na madrugada. Novamente consegui desenvolver um ritmo melhor”, conta.

Carlos Dias já passou pelos estados do Amapá e Tocantins. Agora ele está na Bahia e depois segue sua jornada por: Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e por fim Rio Grande do Sul.

A previsão é que ele chegue na cidade de Chuí no dia 23 de setembro. Até lá o Webrun acompanha cada passo do atleta.


Carlos Dias segue desafio na Bahia

Ultra Maratona · 05 jul, 2007

O brasileiro Carlos Dias chegou ontem (4) na cidade de Barreiras, na Bahia. Ele corre o Brasil da cidade de Oiapoque ao Chuí. A aventura começou no final de maio e vai até setembro num total de 120 dias.

De acordo com o atleta, ele recebe bastante apoio da população. “Hoje (5) saí de madrugada para Cristópolis e o Exército me escoltou na madrugada. Novamente consegui desenvolver um ritmo melhor”, conta.

Carlos Dias já passou pelos estados do Amapá e Tocantins. Agora ele está na Bahia e depois segue sua jornada por: Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e por fim Rio Grande do Sul.

A previsão é que ele chegue na cidade de Chuí no dia 23 de setembro. Até lá o Webrun acompanha cada passo do atleta.