aulus

Dicas para não quebrar na São Silvestre

Corridas de Rua · 16 dez, 2009

As condições da tradicional Corrida de São Silvestre, que acontece no próximo dia 31 em São Paulo, são peculiares. Ao todo 20 mil pessoas participam da prova, além disso, a largada é por volta das 16h, o evento acontece no último dia do ano e dezembro é um dos meses mais quentes no Brasil. Por isso a prova paulista requer um pouco mais de estratégia se comprada com outras provas de 15 quilômetros.

O treinador Aulus Sellmer, da assessoria esportiva 4any1, já correu a São Silvestre na época em que a largada era noturna, e para ele toda cautela antes e durante a competição é válida. Por isso o participante deve fazer uma boa alimentação e hidratação antes e durante a prova.

Outro fato que acontece na São Silvestre é a longa espera pela largada. Muitos atletas chegam cedo à prova para garantirem um lugar bom na largada. Mas para isso, eles ficam muito tempo embaixo de sol e calor, algumas vezes sem necessidade.

“O pelotão vai se formando na largada em função do ritmo. Quanto mais rápido você for fazer a prova, mais cedo você deve chegar lá. Mas para um iniciante e para alguém que não se preocupa muito com tempo, o ideal é chegar mais próximo da hora e deixar a muvuca passar. Até porque o chip dele só vai ser marcado quando ele passar pelo pórtico de largada”, conta.

Depois de iniciada a prova, geralmente começa a euforia da corrida. Esse é outro ponto, que segundo o treinador, deve ser contido. “A largada é num período de muito calor e umidade, por isso tem que ter cuidado com o ritmo que vai fazer a prova”, explica. “Eu dividiria a São Silvestre em três partes. Os cinco primeiros quilômetros faria de forma conservadora. A metade da prova correria um pouco mais rápido e os últimos cinco quilômetros faria mais lento, porque tem a subida da Av. Brigadeiro”, acrescenta.

O miolo da prova também não é fácil. De acordo com Sellmer, lá o corredor encontra muitas subidas e descidas. Já a subida da Brigadeiro, o bicho papão da São Silvestre, deve ser feita também com cautela. “A Brigadeiro acaba sendo difícil para quem não faz uma estratégia correta. Por isso eu sempre falo que o último trecho da São Silvestre deve ser feito mais leve”, alerta.

Como conseguir bom tempo na São Silvestre? Para os atletas mais experientes, que buscam melhorar o tempo na corrida paulista, é importante estar ciente que lá não é possível manter o mesmo ritmo durante toda a prova. E esse é o segredo para se dar bem.

“Não dá para você correr 5min/km, por exemplo, do começo ao fim, porque tem muitos aclives e declives e na subida o corredor não vai conseguir manter o ritmo”, revela o treinador. O interessante, para ele, é além de dividir a prova em três partes, o corredor deve fazer os trechos de subida de forma mais lenta e compensar esse tempo nos trechos planos.

Indagado se a São Silvestre funciona como uma espécie de batismo para o corredor iniciante, Sellmer acredita que sim. “Todo corredor deve participar da São Silvestre pelo menos uma vez na vida. É muito difícil, o calor é forte, tem gente que só quer fazer festa e acaba te atrapalhando. Mas ou mesmo tempo tem a torcida, gente incentivando, o desafio da Brigadeiro. Além de ser uma é uma prova tradicional”, finaliza.


Dicas para não quebrar na São Silvestre

Corridas de Rua · 16 dez, 2009

As condições da tradicional Corrida de São Silvestre, que acontece no próximo dia 31 em São Paulo, são peculiares. Ao todo 20 mil pessoas participam da prova, além disso, a largada é por volta das 16h, o evento acontece no último dia do ano e dezembro é um dos meses mais quentes no Brasil. Por isso a prova paulista requer um pouco mais de estratégia se comprada com outras provas de 15 quilômetros.

O treinador Aulus Sellmer, da assessoria esportiva 4any1, já correu a São Silvestre na época em que a largada era noturna, e para ele toda cautela antes e durante a competição é válida. Por isso o participante deve fazer uma boa alimentação e hidratação antes e durante a prova.

Outro fato que acontece na São Silvestre é a longa espera pela largada. Muitos atletas chegam cedo à prova para garantirem um lugar bom na largada. Mas para isso, eles ficam muito tempo embaixo de sol e calor, algumas vezes sem necessidade.

“O pelotão vai se formando na largada em função do ritmo. Quanto mais rápido você for fazer a prova, mais cedo você deve chegar lá. Mas para um iniciante e para alguém que não se preocupa muito com tempo, o ideal é chegar mais próximo da hora e deixar a muvuca passar. Até porque o chip dele só vai ser marcado quando ele passar pelo pórtico de largada”, conta.

Depois de iniciada a prova, geralmente começa a euforia da corrida. Esse é outro ponto, que segundo o treinador, deve ser contido. “A largada é num período de muito calor e umidade, por isso tem que ter cuidado com o ritmo que vai fazer a prova”, explica. “Eu dividiria a São Silvestre em três partes. Os cinco primeiros quilômetros faria de forma conservadora. A metade da prova correria um pouco mais rápido e os últimos cinco quilômetros faria mais lento, porque tem a subida da Av. Brigadeiro”, acrescenta.

O miolo da prova também não é fácil. De acordo com Sellmer, lá o corredor encontra muitas subidas e descidas. Já a subida da Brigadeiro, o bicho papão da São Silvestre, deve ser feita também com cautela. “A Brigadeiro acaba sendo difícil para quem não faz uma estratégia correta. Por isso eu sempre falo que o último trecho da São Silvestre deve ser feito mais leve”, alerta.

Como conseguir bom tempo na São Silvestre? Para os atletas mais experientes, que buscam melhorar o tempo na corrida paulista, é importante estar ciente que lá não é possível manter o mesmo ritmo durante toda a prova. E esse é o segredo para se dar bem.

“Não dá para você correr 5min/km, por exemplo, do começo ao fim, porque tem muitos aclives e declives e na subida o corredor não vai conseguir manter o ritmo”, revela o treinador. O interessante, para ele, é além de dividir a prova em três partes, o corredor deve fazer os trechos de subida de forma mais lenta e compensar esse tempo nos trechos planos.

Indagado se a São Silvestre funciona como uma espécie de batismo para o corredor iniciante, Sellmer acredita que sim. “Todo corredor deve participar da São Silvestre pelo menos uma vez na vida. É muito difícil, o calor é forte, tem gente que só quer fazer festa e acaba te atrapalhando. Mas ou mesmo tempo tem a torcida, gente incentivando, o desafio da Brigadeiro. Além de ser uma é uma prova tradicional”, finaliza.

Como diminuir as bolhas da corrida?

Corridas de Rua · 05 ago, 2008

Nome: Valério de Almeida
Idade: 36 anos
Dúvida: Olá, como devo cuidar de bolhas nos pés, devido ao tênis novo. Desde já obrigado.

Resposta: Bolhas é um acúmulo de fluido entre as camadas interna e externa da pele, devido ao excesso de fricção. Não mexa na bolha por 24 horas, para permitir que ela cure por si só.

Se o fluido não for reabsorvido, fure a bolha com uma agulha esterilizada. Faça dois buracos em lados opostos da bolha e pressione-a suavemente com gaze para empurrar o fluido. Não remova a pele solta. Cubra a bolha. Se ela reencher, fure novamente. Antes de colocar o tênis, faça um curativo com band aid de silicone exclusivo para bolhas. Eles são importados e podemos achar em farmácias de grandes redes em diversos tamanhos.

Caso ocorram bolhas periodicamente, tenha certeza que seus tênis são do tamanho certo. Uma boa dica e usar meias feitas de tecidos sintéticos e finas. Antes de você sair para correr outra boa dica e aplicar vaselina ou talco para reduzir a fricção.

Resposta concedida pelo treinador Aulus Sellmer. Atualmente é diretor técnico da assessoria esportiva 4any1, coordenador corporativo da academia Companhia Athletica do departamento outdoor e personal training da Sociedade Hípica Paulista. Contato: www.4any1.com.br


Como diminuir as bolhas da corrida?

Corridas de Rua · 05 ago, 2008

Nome: Valério de Almeida
Idade: 36 anos
Dúvida: Olá, como devo cuidar de bolhas nos pés, devido ao tênis novo. Desde já obrigado.

Resposta: Bolhas é um acúmulo de fluido entre as camadas interna e externa da pele, devido ao excesso de fricção. Não mexa na bolha por 24 horas, para permitir que ela cure por si só.

Se o fluido não for reabsorvido, fure a bolha com uma agulha esterilizada. Faça dois buracos em lados opostos da bolha e pressione-a suavemente com gaze para empurrar o fluido. Não remova a pele solta. Cubra a bolha. Se ela reencher, fure novamente. Antes de colocar o tênis, faça um curativo com band aid de silicone exclusivo para bolhas. Eles são importados e podemos achar em farmácias de grandes redes em diversos tamanhos.

Caso ocorram bolhas periodicamente, tenha certeza que seus tênis são do tamanho certo. Uma boa dica e usar meias feitas de tecidos sintéticos e finas. Antes de você sair para correr outra boa dica e aplicar vaselina ou talco para reduzir a fricção.

Resposta concedida pelo treinador Aulus Sellmer. Atualmente é diretor técnico da assessoria esportiva 4any1, coordenador corporativo da academia Companhia Athletica do departamento outdoor e personal training da Sociedade Hípica Paulista. Contato: www.4any1.com.br

Qual é a diferença entre corrida e trote?

Caminhada · 31 jul, 2008

Nome: Júlio César Fidencio
Idade: 51 anos
Dúvida: Gostaria de saber qual a diferença de correr e trotar?

Resposta: A corrida pode ser realizada com vários níveis de intensidade, dependendo do terreno, clima, objetivos de treinamento e nível de aptidão do executante. Trotar e correr são termos que se relacionam à velocidade com que o movimento é realizado. Essa diferença é determinada, em grande parte, pelas necessidades energéticas aeróbias relativas indispensáveis para elevar e abaixar o centro de gravidade do corpo e acelerar e desacelerar os membros durante a corrida.

Assim, a diferença do que é trote e o que é corrida vai depender do nível de aptidão do participante; o que é um trote para uma pessoa pode ser uma corrida para outra. Do ponto de vista energético, é mais econômico interromper a caminhada e começar a trotar ou correr a velocidades superiores aproximadamente 8km.

Resposta concedida pelo treinador Aulus Sellmer. Atualmente é diretor técnico da assessoria esportiva 4any1, coordenador corporativo da academia Companhia Athletica do departamento outdoor e personal training da Sociedade Hípica Paulista. Contato: www.4any1.com.br


Qual é a diferença entre corrida e trote?

Caminhada · 31 jul, 2008

Nome: Júlio César Fidencio
Idade: 51 anos
Dúvida: Gostaria de saber qual a diferença de correr e trotar?

Resposta: A corrida pode ser realizada com vários níveis de intensidade, dependendo do terreno, clima, objetivos de treinamento e nível de aptidão do executante. Trotar e correr são termos que se relacionam à velocidade com que o movimento é realizado. Essa diferença é determinada, em grande parte, pelas necessidades energéticas aeróbias relativas indispensáveis para elevar e abaixar o centro de gravidade do corpo e acelerar e desacelerar os membros durante a corrida.

Assim, a diferença do que é trote e o que é corrida vai depender do nível de aptidão do participante; o que é um trote para uma pessoa pode ser uma corrida para outra. Do ponto de vista energético, é mais econômico interromper a caminhada e começar a trotar ou correr a velocidades superiores aproximadamente 8km.

Resposta concedida pelo treinador Aulus Sellmer. Atualmente é diretor técnico da assessoria esportiva 4any1, coordenador corporativo da academia Companhia Athletica do departamento outdoor e personal training da Sociedade Hípica Paulista. Contato: www.4any1.com.br

Como deve ser o ritmo de corrida nos 10km?

Corridas de Rua · 10 jul, 2008

Nome: Francicleiton da Silva Costa
Idade: 25 anos
Dúvida: Nos 10 km posso começar forçando nos primeiros quilômetros e depois baixar nos últimos? Ou é melhor começar devagar e depois acelerar nos últimos?

Resposta: Não é aconselhável forçar no início de qualquer prova de 10k, pois provavelmente você vai acabar passando do seu limiar prejudicando o seu rendimento no final da prova, ou até mesmo não conseguindo terminar a prova. Se você conhecer o seu limiar anaeróbio tudo fica bem mais fácil.

Você sabe o que significa limiar aeróbio e limiar anaeróbio? Para falar sobre este assunto, antes precisamos falar sobre acido lático, que é um resíduo de nosso metabolismo que causa fadiga muscular e diminui a capacidade do corpo de absorver o oxigênio do ar atmosférico. O limiar anaeróbio é o ponto em que a produção de ácido lático passa a ser maior do que a capacidade que corpo possui em removê-lo. É uma intensidade que geralmente temos fadiga muscular.

Já o limiar aeróbio é quando o corpo passa a usar o oxigênio do ambiente como combustível predominante, ao mesmo tempo em que remove o ácido lático que se armazena em alguns grupos musculares durante o exercício. Podemos dizer que é a fase auto limpante, sendo um ritmo confortável e pode ser mantido durante um longo período. Para melhorar sua performance, uma boa dica é determinar suas faixas de treinamento e assim determinar seus ritmos em função dos seus limiares aeróbio e anaeróbio. Bons treinos.

Resposta concedida pelo treinador Aulus Sellmer. Atualmente é diretor técnico da assessoria esportiva 4any1, coordenador corporativo da academia Companhia Athletica do departamento outdoor e personal training da Sociedade Hípica Paulista. Contato: www.4any1.com.br


Como deve ser o ritmo de corrida nos 10km?

Corridas de Rua · 10 jul, 2008

Nome: Francicleiton da Silva Costa
Idade: 25 anos
Dúvida: Nos 10 km posso começar forçando nos primeiros quilômetros e depois baixar nos últimos? Ou é melhor começar devagar e depois acelerar nos últimos?

Resposta: Não é aconselhável forçar no início de qualquer prova de 10k, pois provavelmente você vai acabar passando do seu limiar prejudicando o seu rendimento no final da prova, ou até mesmo não conseguindo terminar a prova. Se você conhecer o seu limiar anaeróbio tudo fica bem mais fácil.

Você sabe o que significa limiar aeróbio e limiar anaeróbio? Para falar sobre este assunto, antes precisamos falar sobre acido lático, que é um resíduo de nosso metabolismo que causa fadiga muscular e diminui a capacidade do corpo de absorver o oxigênio do ar atmosférico. O limiar anaeróbio é o ponto em que a produção de ácido lático passa a ser maior do que a capacidade que corpo possui em removê-lo. É uma intensidade que geralmente temos fadiga muscular.

Já o limiar aeróbio é quando o corpo passa a usar o oxigênio do ambiente como combustível predominante, ao mesmo tempo em que remove o ácido lático que se armazena em alguns grupos musculares durante o exercício. Podemos dizer que é a fase auto limpante, sendo um ritmo confortável e pode ser mantido durante um longo período. Para melhorar sua performance, uma boa dica é determinar suas faixas de treinamento e assim determinar seus ritmos em função dos seus limiares aeróbio e anaeróbio. Bons treinos.

Resposta concedida pelo treinador Aulus Sellmer. Atualmente é diretor técnico da assessoria esportiva 4any1, coordenador corporativo da academia Companhia Athletica do departamento outdoor e personal training da Sociedade Hípica Paulista. Contato: www.4any1.com.br

Correr no frio faz mal para a saúde?

Corridas de Rua · 27 jun, 2008

Nome: Marcos Antonio Lopes
Idade: 22 anos
Dúvida: Eu gostaria de saber se é aconselhável treinar em temperaturas abaixas de 15°C, por exemplo, e qual a temperatura mínima ideal para se fazer um treinamento forte?

Resposta: Muitas pessoas evitam totalmente o frio exercitando-se em ambientes fechados durante o inverno, porém, aquelas que decidem continuar com o exercício ao ar livre, desde que bem agasalhadas, não costumam correr um grande risco, pois o exercício faz com que o corpo gere grandes quantidades de calor.

A sensação subjetiva de fadiga diminui durante a prática de atividades esportivas em temperaturas baixas, predispondo as pessoas à ocorrência de lesões, pois acabam ultrapassando seus limites de resistência. O aquecimento deve ser feito no mesmo ambiente em que praticará a atividade física, para ajustar progressivamente a temperatura corporal do organismo. Este aquecimento deve ser feito com várias camadas de roupa, para que o organismo não fique exposto subitamente a mudanças de temperatura. Quando interromper a atividade, você deve se vestir imediatamente.

O inverno chegou e para que você continue treinando aquecido vale a pena ter em seu guarda roupa um agasalho conhecido como “fleece”. Ele tem a função de manter seu corpo aquecido não bloqueando a sua transpiração, permitindo que seu corpo respire e principalmente proporcione conforto térmico. Leve e pouco volumoso, confeccionado de uma forma que cria uma camada de isolamento térmico perfeita para atividades em ambiente outdoor.

Na hora que resolver comprar um para treinar no frio alguns fatores importantes você não pode esquecer. A gramatura do tecido, que influi diretamente no volume, peso e capacidade de isolamento. O fluxo de ar e transpirabilidade também são fatores importantes, que significam o quanto fechado ou aberto é a trama do tecido.

Sempre opte por um modelo leve e bem ventilado que não esquenta quando está treinando, deixando o suor secar e servindo de abrigo quando termina seu exercício. Para atividades menos intensas como a caminhada opte por um modelo com trama mais fechada. Vale a pena investir neste agasalho que será muito útil para não desistir de treinar quando estiver muito frio. Pense nisso e bons treinos.

Mais uma dica: Você sabia que no frio a nossa sensação de fome é maior? O nosso organismo gasta mais energia para produzir calor e manter a temperatura corporal em torno de 37ºC devido à perda do calor interno para o ambiente externo. Como conseqüência nosso organismo sinaliza que precisa de mais alimento aumentando a nossa sensação de fome. No inverno a fonte mais rápida de energia utilizada pelo nosso corpo vem dos carboidratos e da gordura que neste caso tem a função de ser preservada em função de atuar como isolante térmico.

O principal problema esta no quanto é preciso comer a mais, sem desequilibrar a nossa balança. Outro problema nesta conta toda é que no frio ficamos mais preguiçosos e acabamos treinando menos prejudicando ainda mais a queima de calorias. Antes de se animar com o fato de poder comer um pouco mais, é necessário adotar uma postura de cautela ao lidar com a sua sensação de fome e principalmente não descuidar da prática de atividade física para não engordar. Nunca esqueça qualidade de vida é uma questão de mudança.

Resposta concedida pelo treinador Aulus Sellmer. Atualmente é diretor técnico da assessoria esportiva 4any1, coordenador corporativo da academia Companhia Athletica do departamento outdoor e personal training da Sociedade Hípica Paulista. Contato: www.4any1.com.br


Correr no frio faz mal para a saúde?

Corridas de Rua · 27 jun, 2008

Nome: Marcos Antonio Lopes
Idade: 22 anos
Dúvida: Eu gostaria de saber se é aconselhável treinar em temperaturas abaixas de 15°C, por exemplo, e qual a temperatura mínima ideal para se fazer um treinamento forte?

Resposta: Muitas pessoas evitam totalmente o frio exercitando-se em ambientes fechados durante o inverno, porém, aquelas que decidem continuar com o exercício ao ar livre, desde que bem agasalhadas, não costumam correr um grande risco, pois o exercício faz com que o corpo gere grandes quantidades de calor.

A sensação subjetiva de fadiga diminui durante a prática de atividades esportivas em temperaturas baixas, predispondo as pessoas à ocorrência de lesões, pois acabam ultrapassando seus limites de resistência. O aquecimento deve ser feito no mesmo ambiente em que praticará a atividade física, para ajustar progressivamente a temperatura corporal do organismo. Este aquecimento deve ser feito com várias camadas de roupa, para que o organismo não fique exposto subitamente a mudanças de temperatura. Quando interromper a atividade, você deve se vestir imediatamente.

O inverno chegou e para que você continue treinando aquecido vale a pena ter em seu guarda roupa um agasalho conhecido como “fleece”. Ele tem a função de manter seu corpo aquecido não bloqueando a sua transpiração, permitindo que seu corpo respire e principalmente proporcione conforto térmico. Leve e pouco volumoso, confeccionado de uma forma que cria uma camada de isolamento térmico perfeita para atividades em ambiente outdoor.

Na hora que resolver comprar um para treinar no frio alguns fatores importantes você não pode esquecer. A gramatura do tecido, que influi diretamente no volume, peso e capacidade de isolamento. O fluxo de ar e transpirabilidade também são fatores importantes, que significam o quanto fechado ou aberto é a trama do tecido.

Sempre opte por um modelo leve e bem ventilado que não esquenta quando está treinando, deixando o suor secar e servindo de abrigo quando termina seu exercício. Para atividades menos intensas como a caminhada opte por um modelo com trama mais fechada. Vale a pena investir neste agasalho que será muito útil para não desistir de treinar quando estiver muito frio. Pense nisso e bons treinos.

Mais uma dica: Você sabia que no frio a nossa sensação de fome é maior? O nosso organismo gasta mais energia para produzir calor e manter a temperatura corporal em torno de 37ºC devido à perda do calor interno para o ambiente externo. Como conseqüência nosso organismo sinaliza que precisa de mais alimento aumentando a nossa sensação de fome. No inverno a fonte mais rápida de energia utilizada pelo nosso corpo vem dos carboidratos e da gordura que neste caso tem a função de ser preservada em função de atuar como isolante térmico.

O principal problema esta no quanto é preciso comer a mais, sem desequilibrar a nossa balança. Outro problema nesta conta toda é que no frio ficamos mais preguiçosos e acabamos treinando menos prejudicando ainda mais a queima de calorias. Antes de se animar com o fato de poder comer um pouco mais, é necessário adotar uma postura de cautela ao lidar com a sua sensação de fome e principalmente não descuidar da prática de atividade física para não engordar. Nunca esqueça qualidade de vida é uma questão de mudança.

Resposta concedida pelo treinador Aulus Sellmer. Atualmente é diretor técnico da assessoria esportiva 4any1, coordenador corporativo da academia Companhia Athletica do departamento outdoor e personal training da Sociedade Hípica Paulista. Contato: www.4any1.com.br

Como melhorar o desempenho nos 10km?

Corridas de Rua · 28 maio, 2008

Nome: José Edno de Souza
Dúvida: Gostaria de saber como melhorar meu tempo? Fiz em 50min30 a corrida da Reebok dia 26/04/2008 preciso chegar pelo menos 48 minutos os 10km.

Resposta - Correr ou caminhar sempre no mesmo ritmo com certeza irá melhorar sua condição física, mas um treinamento mais elaborado otimiza e aproveita melhor seu tempo disponível para treinar. Criar ritmos subjetivos de treino auxiliará bastante no desenvolvimento e evolução de seu condicionamento físico, como ritmos leve, moderado e forte.

Nunca esquecer que quanto mais intenso o ritmo de treino menor é a duração do mesmo. Esta noção subjetiva de esforço é muito importante e um relógio com cronômetro ajuda bastante a realizar os ritmos de treino nas respectivas intensidades. Para você otimizar seus treinos desta forma a primeira providência seria em exame clínico completo e uma orientação de um profissional de educação física. Desta forma acredito que sua performance irá melhorar bastante.

Resposta concedida pelo treinador Aulus Sellmer. Atualmente é diretor técnico da assessoria esportiva 4any1, coordenador corporativo da academia Companhia Athletica do departamento outdoor e personal training da Sociedade Hípica Paulista. Contato: www.4any1.com.br


Como melhorar o desempenho nos 10km?

Corridas de Rua · 28 maio, 2008

Nome: José Edno de Souza
Dúvida: Gostaria de saber como melhorar meu tempo? Fiz em 50min30 a corrida da Reebok dia 26/04/2008 preciso chegar pelo menos 48 minutos os 10km.

Resposta - Correr ou caminhar sempre no mesmo ritmo com certeza irá melhorar sua condição física, mas um treinamento mais elaborado otimiza e aproveita melhor seu tempo disponível para treinar. Criar ritmos subjetivos de treino auxiliará bastante no desenvolvimento e evolução de seu condicionamento físico, como ritmos leve, moderado e forte.

Nunca esquecer que quanto mais intenso o ritmo de treino menor é a duração do mesmo. Esta noção subjetiva de esforço é muito importante e um relógio com cronômetro ajuda bastante a realizar os ritmos de treino nas respectivas intensidades. Para você otimizar seus treinos desta forma a primeira providência seria em exame clínico completo e uma orientação de um profissional de educação física. Desta forma acredito que sua performance irá melhorar bastante.

Resposta concedida pelo treinador Aulus Sellmer. Atualmente é diretor técnico da assessoria esportiva 4any1, coordenador corporativo da academia Companhia Athletica do departamento outdoor e personal training da Sociedade Hípica Paulista. Contato: www.4any1.com.br

Como diminuir a dor do joanete?

Atletismo · 31 mar, 2008

Nome: Rita Padilha
Idade: 41 anos
Dúvida: Que bom poder contar com essa seção agora. Tenho joanete (pé esquerdo) e sofro muito, pois após os treinos sinto ter machucado (fica muito sensível) o osso que fica abaixo do dedo, devido à deformidade que vem ocorrendo com o tempo. O único tênis que me adaptei foi o Mizuno Creation 8 (que por sinal saiu de linha).

Já fui a ortopedistas que me dizem não ter muito que fazer, pois é uma evolução contínua. Mesmo operando o joanete "volta". Pergunta: existe algum tênis apropriado ou alguma adaptação para ser colocada dentro do tênis para proteger o osso durante os treinos e provas, uma vez que sou maratonista e, sempre no final das provas sinto muito desconforto. Talvez algum exercício específico para minimizar a evolução?

Resposta: Joanete é a inflamação da articulação do dedão com o pé em função de uma alteração do alinhamento ósseo devido ao trauma excessivo direto e a pressão repetitiva do uso de sapatos com bicos mais finos ou apertados. Esta pressão acaba originando uma bolsa de líquido na região, podendo causar o pinçamento do nervo do dedão, resultando em dor e adormecimento.

O tratamento conservador através da aplicação de gelo, ultra-som e mobilização articular deve ser a primeira alternativa antes de uma cirurgia, tendo como objetivo principal diminuir a dor e a inflamação, além do alinhamento das articulações do seu pé. Não podemos esquecer também de um fortalecimento muscular desta região e muito alongamento.

Uma dica fundamental é comprar um tênis ou um sapato adequado ao seu pé, oferecendo espaço suficiente para os dedos e que obedeça as características biomecânicas do seu pé. Não conheço tênis específicos para o seu problema, mas você poderia tentar usar “band aids” de silicones importados que poderiam, quem sabe amenizar seu problema.

Resposta concedida pelo treinador Aulus Sellmer. Atualmente é diretor técnico da assessoria esportiva 4any1, coordenador corporativo da academia Companhia Athletica do departamento outdoor e personal training da Sociedade Hípica Paulista. Contato: www.4any1.com.br


Como diminuir a dor do joanete?

Atletismo · 31 mar, 2008

Nome: Rita Padilha
Idade: 41 anos
Dúvida: Que bom poder contar com essa seção agora. Tenho joanete (pé esquerdo) e sofro muito, pois após os treinos sinto ter machucado (fica muito sensível) o osso que fica abaixo do dedo, devido à deformidade que vem ocorrendo com o tempo. O único tênis que me adaptei foi o Mizuno Creation 8 (que por sinal saiu de linha).

Já fui a ortopedistas que me dizem não ter muito que fazer, pois é uma evolução contínua. Mesmo operando o joanete "volta". Pergunta: existe algum tênis apropriado ou alguma adaptação para ser colocada dentro do tênis para proteger o osso durante os treinos e provas, uma vez que sou maratonista e, sempre no final das provas sinto muito desconforto. Talvez algum exercício específico para minimizar a evolução?

Resposta: Joanete é a inflamação da articulação do dedão com o pé em função de uma alteração do alinhamento ósseo devido ao trauma excessivo direto e a pressão repetitiva do uso de sapatos com bicos mais finos ou apertados. Esta pressão acaba originando uma bolsa de líquido na região, podendo causar o pinçamento do nervo do dedão, resultando em dor e adormecimento.

O tratamento conservador através da aplicação de gelo, ultra-som e mobilização articular deve ser a primeira alternativa antes de uma cirurgia, tendo como objetivo principal diminuir a dor e a inflamação, além do alinhamento das articulações do seu pé. Não podemos esquecer também de um fortalecimento muscular desta região e muito alongamento.

Uma dica fundamental é comprar um tênis ou um sapato adequado ao seu pé, oferecendo espaço suficiente para os dedos e que obedeça as características biomecânicas do seu pé. Não conheço tênis específicos para o seu problema, mas você poderia tentar usar “band aids” de silicones importados que poderiam, quem sabe amenizar seu problema.

Resposta concedida pelo treinador Aulus Sellmer. Atualmente é diretor técnico da assessoria esportiva 4any1, coordenador corporativo da academia Companhia Athletica do departamento outdoor e personal training da Sociedade Hípica Paulista. Contato: www.4any1.com.br

Esapecialistas: treinar em pista com brita é aconselhável?

Atletismo · 22 mar, 2008

Nome: Elias Amorim
Idade: 50 anos
Dúvida: Gostaria de tirar uma dúvida referente a pista de corrida. No clube onde freqüento tem uma pista com brita e evito usa-la porque sinto dor nas pernas quando a uso. Por que isso acontece?

Resposta: Evitar a pista de brita, desde que ela esteja sem buracos é um grande erro. Suas dores provavelmente não são por causa do piso, pois este piso não é o melhor, mas é um excelente piso para treinar.

Você sabe qual o melhor piso para caminhar ou correr? Não. Então preste atenção. Dê preferência para a grama ou trilhas de terra batida. Evite calçadas, guias ou estradas de cimento e asfalto, pois o risco de lesão pode ser maior. No início da sua programação de treinamento, evite percursos com muitas subidas e descidas, procure percursos planos para um melhor aproveitamento de seus treinos.

Corra ou caminhe fora da calçada. Elas vão fazer mal para seus músculos e articulações. Além dos choques que provocam nas pernas, as calçadas estão sempre cheias de gente, com a superfície irregular ou esburacadas. A grama é a superfície mais macia que existe para treinar, mas ela também pode ser irregular.

Então, preste atenção em saliências, buracos ou pedras nos quais você possa tropeçar. Portanto quando estiver em parques da cidade procure as trilhas e percursos que os corredores habituais usam para não ter problemas no futuro para realizar suas caminhadas ou corridas.

Resposta concedida pelo treinador Aulus Sellmer. Atualmente é diretor técnico da assessoria esportiva 4any1, coordenador corporativo da academia Companhia Athletica do departamento outdoor e personal training da Sociedade Hípica Paulista. Contato: www.4any1.com.br


Esapecialistas: treinar em pista com brita é aconselhável?

Atletismo · 22 mar, 2008

Nome: Elias Amorim
Idade: 50 anos
Dúvida: Gostaria de tirar uma dúvida referente a pista de corrida. No clube onde freqüento tem uma pista com brita e evito usa-la porque sinto dor nas pernas quando a uso. Por que isso acontece?

Resposta: Evitar a pista de brita, desde que ela esteja sem buracos é um grande erro. Suas dores provavelmente não são por causa do piso, pois este piso não é o melhor, mas é um excelente piso para treinar.

Você sabe qual o melhor piso para caminhar ou correr? Não. Então preste atenção. Dê preferência para a grama ou trilhas de terra batida. Evite calçadas, guias ou estradas de cimento e asfalto, pois o risco de lesão pode ser maior. No início da sua programação de treinamento, evite percursos com muitas subidas e descidas, procure percursos planos para um melhor aproveitamento de seus treinos.

Corra ou caminhe fora da calçada. Elas vão fazer mal para seus músculos e articulações. Além dos choques que provocam nas pernas, as calçadas estão sempre cheias de gente, com a superfície irregular ou esburacadas. A grama é a superfície mais macia que existe para treinar, mas ela também pode ser irregular.

Então, preste atenção em saliências, buracos ou pedras nos quais você possa tropeçar. Portanto quando estiver em parques da cidade procure as trilhas e percursos que os corredores habituais usam para não ter problemas no futuro para realizar suas caminhadas ou corridas.

Resposta concedida pelo treinador Aulus Sellmer. Atualmente é diretor técnico da assessoria esportiva 4any1, coordenador corporativo da academia Companhia Athletica do departamento outdoor e personal training da Sociedade Hípica Paulista. Contato: www.4any1.com.br

Confira dicas para a semana da São Silvestre

Corridas de Rua · 22 dez, 2006

O treinador Aulus Selmer, da assessoria esportiva 4any1 passa algumas recomendações para a semana da São Silvestre, na parte de alimentação; vestuário e calçado. Confira.

Alimentação recomendada - Quarta-feira: 60% carboidrato; 20% gordura; 20% proteína. Quinta-feira: 60% carboidrato; 20% gordura e 20% proteína. Sexta-feira: 65% carboidrato; 10% gordura e 25% proteína. Sábado: 75% carboidrato; 5% gordura e 20% proteína. Domingo: 75% carboidrato; 5% gordura e 20% proteína.

Refeições com carboidrato são o principal substrato e energia para a prova, portanto, dê preferência para massas, saladas, batata, frutas e nunca esqueça de uma super hidratação nos dias que antecedem a prova.

  • Não ingerir absolutamente nada de álcool nesta semana da prova;

  • No dia da prova tomar um café reforçado com muito pão, geléia e queijo branco;

  • Almoçar no máximo até 1h30 antes da largada, dando prioridade para carboidratos, como massas, batata e pães. Cuidado com os molhos ou acompanhamentos, pois esses não podem ser gordurosos;

  • Caso almoce cedo, é recomendado ingerir algum carboidrato de baixo índice glicêmico (pães integrais, frutas, etc) 1h30 antes da prova;

  • Ingerir um carboidrato em gel, 15 a 20 minutos antes da largada;

  • Beber uma grande quantidade de água durante todos os dias que antecedem a prova e também no dia;

  • Evitar alimentos estranhos que não esteja acostumado a comer;

  • Aumentar a ingestão de vitaminas e antioxidantes;

  • Durante a prova, a cada 5k tomar gel e depois água. Se possível, ingerir isotônico pelo menos duas vezes durante a prova;

  • Antes de sair de casa e antes da prova ir ao banheiro;

  • Usar o tênis que já está acostumado. Não use tênis novo;

  • Atenção para as meias, para não ter problemas com bolhas;

  • No dia da prova não esquecer da vaselina para evitar assaduras;

  • Usar roupas leves e frescas.

    Boa sorte e acredite em você, pois capacidade e treino existem de sobra.


  • Confira dicas para a semana da São Silvestre

    Corridas de Rua · 22 dez, 2006

    O treinador Aulus Selmer, da assessoria esportiva 4any1 passa algumas recomendações para a semana da São Silvestre, na parte de alimentação; vestuário e calçado. Confira.

    Alimentação recomendada - Quarta-feira: 60% carboidrato; 20% gordura; 20% proteína. Quinta-feira: 60% carboidrato; 20% gordura e 20% proteína. Sexta-feira: 65% carboidrato; 10% gordura e 25% proteína. Sábado: 75% carboidrato; 5% gordura e 20% proteína. Domingo: 75% carboidrato; 5% gordura e 20% proteína.

    Refeições com carboidrato são o principal substrato e energia para a prova, portanto, dê preferência para massas, saladas, batata, frutas e nunca esqueça de uma super hidratação nos dias que antecedem a prova.

  • Não ingerir absolutamente nada de álcool nesta semana da prova;

  • No dia da prova tomar um café reforçado com muito pão, geléia e queijo branco;

  • Almoçar no máximo até 1h30 antes da largada, dando prioridade para carboidratos, como massas, batata e pães. Cuidado com os molhos ou acompanhamentos, pois esses não podem ser gordurosos;

  • Caso almoce cedo, é recomendado ingerir algum carboidrato de baixo índice glicêmico (pães integrais, frutas, etc) 1h30 antes da prova;

  • Ingerir um carboidrato em gel, 15 a 20 minutos antes da largada;

  • Beber uma grande quantidade de água durante todos os dias que antecedem a prova e também no dia;

  • Evitar alimentos estranhos que não esteja acostumado a comer;

  • Aumentar a ingestão de vitaminas e antioxidantes;

  • Durante a prova, a cada 5k tomar gel e depois água. Se possível, ingerir isotônico pelo menos duas vezes durante a prova;

  • Antes de sair de casa e antes da prova ir ao banheiro;

  • Usar o tênis que já está acostumado. Não use tênis novo;

  • Atenção para as meias, para não ter problemas com bolhas;

  • No dia da prova não esquecer da vaselina para evitar assaduras;

  • Usar roupas leves e frescas.

    Boa sorte e acredite em você, pois capacidade e treino existem de sobra.