Consumir sal faz mal?

Redação Webrun | Atletismo · 19 mar, 2012

O sal é o vilão da vez? (foto: Valentina Jori/ Licença Creative Commons)
O sal é o vilão da vez? (foto: Valentina Jori/ Licença Creative Commons)

Na nutrição poucas coisas são realmente tão mal comprovadas como a quantidade adequada de nutrientes a se consumir. Na falta do que seja adequado, passaram a estabelecer quantidades ditas “seguras” deles. O mais incrível é que mesmo essas quantidades seguras carecem de comprovação. O sal é um dos maiores exemplos.

O preconizado hoje está na casa dos seis gramas por dia (2400mg de sódio), mas a população ocidental consome algo perto de dez gramas por dia. Isto faz algum mal?

Por incrível que pareça, não sabemos. Pior! Muito provavelmente consumir 0,6g, 16g ou 26g parece não ter efeitos importantes na nossa saúde. Mas por que a comunidade médica e de nutricionistas pede tanto cuidado com o consumo de sal?

Eles não sabem. Mas fingem saber. Nos anos 40, o médico Wallace Kempner criou uma dieta para cuidar de hipertensos. Aí começou o mito, porque esta dieta continha baixa quantidade de sódio.

Isso perpetuou um equívoco (como inúmeros outros duradouros na Medicina) ignorando que esta dieta também tinha outras particularidades, como ter baixa quantidade de gordura e muito potássio. E assim, gerações de médicos e nutricionistas caíram no incrível erro de replicar algo sem entender suas reais razões.

Culpado ou inocente– Se você perguntar a algum médico a razão de um hipertenso consumir pouco sal no hospital, talvez ele lhe diga que é porque o sal cria uma pequena elevação da pressão arterial. É verdade, mas isso nos sujeitos comuns acontece de forma muito tênue e por muito pouco tempo.

Sendo assim, a lógica de restringir o consumo de sal na população “normal”, aquela que não é sódio-sensível, é a mesma que basear o consumo de açúcar em indivíduos saudáveis baseado em populações de diabéticos. O grande problema é que não sabemos ainda identificar os sódio-sensíveis, sujeitos que devem consumir sal moderadamente, então optamos pela segurança de tentar tirar o sal da dieta de todo mundo.

Muito provavelmente esse grande equívoco médico de atacar o sal dure ainda algumas décadas. Inúmeros estudos e análises epidemiológicas mostram que não há relação válida entre hipertensão e alto consumo de sal, mas o mito já está impregnado.

A maior recomendação de médicos e nutricionistas deveria ser a de a pessoa regularmente acompanhar seus valores de pressão arterial, não o consumo de sal ou sódio. Por enquanto, ele foi injustamente condenado até que se prove o contrário. O sal, nada mais é que uma das provas que na medicina e na nutrição o veredito sai muitas vezes antes das evidências científicas.

Este texto foi escrito por: Danilo Balu

Redação Webrun

Ver todos os posts

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!