10 dicas para fazer bonito no mountain bike do Banco Master Rocky Mountain Games

Redação Webrun | Mountain Bike · 19 ago, 2022

Eventos como o Banco Master Rocky Mountain Games reúnem atletas amadores de todos os níveis. Com nível de organização referência para o setor, segurança, trilhas bem-marcadas e sinalizadas, é uma oportunidade que os iniciantes não costumam deixar passar, especialmente os mountain bikers. E eles são esperados em peso na segunda etapa do circuito 2022, entre 17 e 18 de setembro, em Campos do Jordão, ávidos por pedalar na Serra da Mantiqueira, a mais de 1,6 mil metros acima do nível do mar.

O Mountain Bike Banco Master Rocky Mountain Games Campos do Jordão será disputado em percursos de 25 km e 50 km. As inscrições estão abertas e podem ser feitas pelo site oficial do Ticket Sports

10 dicas para fazer bonito no mountain bike do Banco Master Rocky Mountain Games

Foto: Divulgação

Para auxiliar os bikers menos experientes e incentivar ainda mais sua participação, o Banco Master Rocky Mountain Games traz 10 dicas que podem fazer a diferença nas trilhas, tanto em desempenho quanto em segurança. Confira:

OLHE POR ONDE ANDA
Pode parecer tão óbvio quanto básico, mas é fundamental. Significa dizer que olhar, estar atento ao terreno, pode ser a diferença entre chegar mais rápido e inteiro ao final da trilha. E você só vai saber para onde direcionar a bike se mantiver o foco, usando a visão periférica para avançar da melhor forma a cada obstáculo.

+ Siga o Webrun no Instagram!
+ Baixe agora o APP Ticket Sports e tenha um calendário de eventos esportivos na palma da sua mão!

DEIXA ROLAR
Você e sua bicicleta formam um conjunto. Nunca se esqueça disso quando estiver na trilha. Isso significa que é preciso saber extrair o melhor do equipamento. E, ao contrário do que possa parecer, isso não quer dizer forçar demais. Deixe a bike desempenhar seu papel e fazer o trabalho para o qual ela foi criada. Ou seja, mantenha o corpo solto para que a bicicleta se movimente livre. Aprenda a acompanhar e respeite o fluxo do equipamento.

RITMO
Ritmo é tudo no ciclismo. Isso significa não perder o embalo na subida, nem desembestar feito doido na descida. Para sobreviver às pirambeiras, gire com marchas mais leves e mantenha a cadência. Outra dica é: não se levante. Fique sentado no selim. Isso evita maior fadiga das pernas em relação a quando se pedala ereto por muito tempo. No downhill, cuide dos freios (leia mais a seguir).

+Garanta sua participação na Rocky Mountain Games. Inscreva-se aqui!

DANCE SOBRE DUAS RODAS
Praticar mountain bike é pedalar em aclives e declives, muitas vezes insanamente íngremes, e em velocidade. Para facilitar – ou deixar a coisa um pouco menos árdua – na subida, projete o corpo para frente, levando o peito em direção ao guidão. Ao colocar parte do peso sobre a roda dianteira você garante equilíbrio e não perde a aderência, porque mantém o centro de gravidade sobre a roda traseira, mantendo a tração. Já na descida, faça o oposto. Desloque o corpo para trás, sobre a roda traseira.

NÃO ENTRE EM FURADA
A correta pressão dos pneus importa e pode fazer toda a diferença em uma trilha. Quem dita a estratégia em relação a calibragem é o terreno. Se estiverem cheios demais, atrapalham a tração. Caso estejam murchos, podem provocar a queda no rendimento do biker nas subidas, além de amplificar o risco de batidas nos aros das rodas e furos por pancada.

COMBUSTÍVEL
Além de ferramentas básicas para consertar uma corrente ou trocar um pneu, é preciso cuidar também de outra máquina. O seu corpo. Calibre o estoque de alimento e água de acordo com a distância a ser percorrida.

CALMA NESSA HORA
No downhill, esqueça aquela bravata do “a gente capota, mas não breca”. Isso porque, se não frear, vai capotar mesmo. E feio. Porém, é preciso saber usar. Equilibre a utilização dos freios dos pneus dianteiro e traseiro. Nem sempre é preciso usar os dois ao mesmo tempo. E não se esqueça: se perceber que entrar em uma curva rápido demais, não acione o freio dianteiro (na manopla esquerda) para evitar uma derrapagem que vai acabar com você no chão. Controle no traseiro (manopla direita).

FIQUE LIGADO
As mountain bikes estão equipadas com 18, 21, 24, 27 ou 30 marchas. É marcha que não acaba mais. Então, use. Mas use corretamente. O ideal, é antecipar a alteração de terreno e efetuar as trocas a fim de manter o ritmo e não perder velocidade. Treine até ficar algo natural saber o que cada botão dos passadores de marchas vão fazer com o pedal.

PUMP
Além do “cardápio” de marchas, outro equipamento que faz a diferença no mountain bike é a suspensão. Aplicada tanto no garfo dianteiro quanto no quadro (traseira) é uma ferramenta desenvolvida para que você performe melhor e com mais segurança. Mas é preciso saber usar. Então, fica a dica: para não perder velocidade, você deve travá-las nas subidas e nas retas. Nas descidas, aí, sim, você deve soltá-las.

SE VIRA
O meio da trilha, para mountain bikers iniciantes, é onde o filho chora e a mãe não vê. Para evitar ficar na mão em caso de alguma avaria na bicicleta, saber fazer os reparos básicos equivale aos primeiros socorros em caso de acidente. Não se esqueça, tecnologias como a dos pneus sem câmara, por exemplo, ajuda a minimizar – mas não elimina – os furos. Isso vale para tudo nas bikes mais modernas.

O Banco Master Rocky Mountain Games é uma realização da Rocky Mountain Sports Content. O evento tem naming rights do Banco Master, com patrocínio da Legrand Pharma e apoios da Mynd, confecção de artigos esportivos, Cerveja Patagonia e da Prefeitura de Campos do Jordão.

Inscrições: Ticket Sports

Redação Webrun

Ver todos os posts

Releases, matérias elaboradas em equipe e inspirações coletivas na produção de conteúdo!