título

Ascenço prioriza Troféu BR em busca do título

Triathlon · 18 out, 2007

O atual líder do ranking no Troféu Brasil de Triathlon, Santiago Ascenço, compete a penúltima etapa no próximo domingo totalmente focado na competição. Com uma regularidade de dois segundos lugares, dois terceiros e um quinto, a ponta do ranking pode levá-lo ao tricampeonato, o que fez ele desistir de dividir as atenções com o mundial de Ironman 70.3, em novembro, em Clearwater, nos Estados Unidos.

“Deixei Clearwater de lado, para me focar no Troféu. Tomei essa decisão, porque sei que tenho boas chances de chegar ao tri e sei da importância dessa conquista”, ressalta o goiano. O objetivo é se consolidar nas competições com distâncias menores, para entrar de forma competitiva no circuito de Ironman a partir do ano que vem. “Esse ano as provas 70.3 foram preparação para o Ironman Brasil ano que vem”.

Santiago aparece com 595,5 pontos, seguido pelo argentino Ezequiel Morales, com 551,5; Fábio Carvalho com 513; Marcus Fernandes com 502 e Fred Monteiro com 498, todos com chances de faturar o campeonato, já que faltam ainda duas provas. “A cada etapa que passa o circuito fica mais emocionante e cada atleta chega querendo dar tudo de si. Acho que esta sexta etapa vai definir quem é quem chega na última prova com chances concretas de ganhar o circuito e estou ansioso para que a competição chegue logo”, ressalta o vice-líder Ezequiel.

Já Marquinhos, o mais novo entre os concorrentes, é mais realista e aposta as fichas em seu companheiro de treino e maior incentivador. “Minha expectativa é ficar entre os cinco primeiros. Eu torço para o Fabinho ganhar esse campeonato. No ano passado ele chegou tão perto e esse é o ano dele”, fala em relação à diferença de 1,5 pontos para Santiago no fim da temporada passada.


Ascenço prioriza Troféu BR em busca do título

Triathlon · 18 out, 2007

O atual líder do ranking no Troféu Brasil de Triathlon, Santiago Ascenço, compete a penúltima etapa no próximo domingo totalmente focado na competição. Com uma regularidade de dois segundos lugares, dois terceiros e um quinto, a ponta do ranking pode levá-lo ao tricampeonato, o que fez ele desistir de dividir as atenções com o mundial de Ironman 70.3, em novembro, em Clearwater, nos Estados Unidos.

“Deixei Clearwater de lado, para me focar no Troféu. Tomei essa decisão, porque sei que tenho boas chances de chegar ao tri e sei da importância dessa conquista”, ressalta o goiano. O objetivo é se consolidar nas competições com distâncias menores, para entrar de forma competitiva no circuito de Ironman a partir do ano que vem. “Esse ano as provas 70.3 foram preparação para o Ironman Brasil ano que vem”.

Santiago aparece com 595,5 pontos, seguido pelo argentino Ezequiel Morales, com 551,5; Fábio Carvalho com 513; Marcus Fernandes com 502 e Fred Monteiro com 498, todos com chances de faturar o campeonato, já que faltam ainda duas provas. “A cada etapa que passa o circuito fica mais emocionante e cada atleta chega querendo dar tudo de si. Acho que esta sexta etapa vai definir quem é quem chega na última prova com chances concretas de ganhar o circuito e estou ansioso para que a competição chegue logo”, ressalta o vice-líder Ezequiel.

Já Marquinhos, o mais novo entre os concorrentes, é mais realista e aposta as fichas em seu companheiro de treino e maior incentivador. “Minha expectativa é ficar entre os cinco primeiros. Eu torço para o Fabinho ganhar esse campeonato. No ano passado ele chegou tão perto e esse é o ano dele”, fala em relação à diferença de 1,5 pontos para Santiago no fim da temporada passada.

Gebrselassie defende o título de Berlim domingo

Maratona · 27 set, 2007

Durante uma coletiva de imprensa recentemente, o maratonista Haile Gebrselassie declarou que pretende quebrar o recorde mundial de maratonas, que atualmente pertence ao queniano Paul Tergat (2h04min55), no próximo domingo (30) em Berlim. “Escolhi Berlim porque tem um dos melhores percursos e conta com uma torcida ótima”, ressalta o campeão da prova alemã do ano passado.

O etíope é bicampeão olímpico e tetracampeão mundial dos 10 mil metros e até hoje já estabeleceu 23 recordes mundiais. Ano passado ele correu a prova em 2h05min56, a marca mais rápida do ano, mas ficou a 61 segundos da marca de Tergat.

“Tive problemas nos últimos três quilômetros ano passado, porque eu me desgastei demais na tentativa de manter o ritmo entre os quilômetros 30 e 35, o que percebi depois ter sido um erro”, comenta. Dois meses após a competição ele venceu a Maratona de Fukuoka, no Japão (2h06min52) e quebrou mais um paradigma, já que se tornou o primeiro a correr duas maratonas sub 2h07 em um curto espaço de tempo.

Preparação - Este ano, durante a preparação para a defender o título na prova do próximo domingo, ele teve uma má experiência com a Maratona de Londres, onde desistiu devido a uma reação alérgica a pólen. “Eu não conseguia respirar direito, foi péssimo, eu não consegui dormir aquela noite”.

Ele se recuperou da má atuação e voltou com tudo para Londres, onde marcou 26min52seg81 nos 10 mil de Hengelo e estabeleceu o recorde em sua categoria (já que ninguém aos 34 anos até hoje conseguiu correr essa distância sub 27 minutos). Alguns meses depois, em Ostrava (República Tcheca) ele melhorou o recorde da corrida de uma hora (21,285 metros) e também quebrou a marca dos 20 mil metros (56min25seg98).

Na reta final de preparação, em agosto passado, ele faturou a meia de Nova York com mais um recorde na categoria, ao marcar 59min24. “Levando-se em conta a dificuldade do percurso, o tempo foi ótimo”, comenta o maratonista. “Os primeiros 11 quilômetros são de subida no Central Park e certamente eu teria feito em 58 minutos se fosse plano”, completa. O recorde da meia é de 58min33.

“Sinto que eu posso conquistar algo grande em Berlim. Para ter mais velocidade na parte final da maratona, aumentei minha velocidade na parte final dos treinos”. Apesar de não se mostrar muito favorável a fazer previsões sobre seu tempo, ele não deixa os curiosos na mão e diz que correr 2h04 seria bom, mas como é necessário mirar alto, então 2h03 seria perfeito.


Gebrselassie defende o título de Berlim domingo

Maratona · 27 set, 2007

Durante uma coletiva de imprensa recentemente, o maratonista Haile Gebrselassie declarou que pretende quebrar o recorde mundial de maratonas, que atualmente pertence ao queniano Paul Tergat (2h04min55), no próximo domingo (30) em Berlim. “Escolhi Berlim porque tem um dos melhores percursos e conta com uma torcida ótima”, ressalta o campeão da prova alemã do ano passado.

O etíope é bicampeão olímpico e tetracampeão mundial dos 10 mil metros e até hoje já estabeleceu 23 recordes mundiais. Ano passado ele correu a prova em 2h05min56, a marca mais rápida do ano, mas ficou a 61 segundos da marca de Tergat.

“Tive problemas nos últimos três quilômetros ano passado, porque eu me desgastei demais na tentativa de manter o ritmo entre os quilômetros 30 e 35, o que percebi depois ter sido um erro”, comenta. Dois meses após a competição ele venceu a Maratona de Fukuoka, no Japão (2h06min52) e quebrou mais um paradigma, já que se tornou o primeiro a correr duas maratonas sub 2h07 em um curto espaço de tempo.

Preparação - Este ano, durante a preparação para a defender o título na prova do próximo domingo, ele teve uma má experiência com a Maratona de Londres, onde desistiu devido a uma reação alérgica a pólen. “Eu não conseguia respirar direito, foi péssimo, eu não consegui dormir aquela noite”.

Ele se recuperou da má atuação e voltou com tudo para Londres, onde marcou 26min52seg81 nos 10 mil de Hengelo e estabeleceu o recorde em sua categoria (já que ninguém aos 34 anos até hoje conseguiu correr essa distância sub 27 minutos). Alguns meses depois, em Ostrava (República Tcheca) ele melhorou o recorde da corrida de uma hora (21,285 metros) e também quebrou a marca dos 20 mil metros (56min25seg98).

Na reta final de preparação, em agosto passado, ele faturou a meia de Nova York com mais um recorde na categoria, ao marcar 59min24. “Levando-se em conta a dificuldade do percurso, o tempo foi ótimo”, comenta o maratonista. “Os primeiros 11 quilômetros são de subida no Central Park e certamente eu teria feito em 58 minutos se fosse plano”, completa. O recorde da meia é de 58min33.

“Sinto que eu posso conquistar algo grande em Berlim. Para ter mais velocidade na parte final da maratona, aumentei minha velocidade na parte final dos treinos”. Apesar de não se mostrar muito favorável a fazer previsões sobre seu tempo, ele não deixa os curiosos na mão e diz que correr 2h04 seria bom, mas como é necessário mirar alto, então 2h03 seria perfeito.