Susana Festner

Susana Festner supreende favoritas e vence o Ironman Brasil 70.3

Triathlon · 27 ago, 2011

Enquanto na prova masculina a decisão do primeiro lugar aconteceu no trecho de ciclismo, a vitória feminina do Ironman Brasil 70.3 se deu na corrida, com Susana Festner surpreendendo as favoritas. A disputa aconteceu nesse sábado (27/08) na cidade de Penha (SC), tendo o parque Beto Carrero Word como arena.

Direto de Penha (SC) - A elite feminina veio em peso para a disputa, com Vanessa Gianinni tentando o tricampeonato, Ariane Monticelli buscando repetir o sucesso do Ironman Brasil, além de outras meninas fortes como Maria Soledad Omar e Mariana Borges. A americana Jacqui Gordon e a sul-africana Claire Horner apareciam como favoritas também, já que possuem bons resultados no exterior.

A competição teve início às 9h30 com a prova de natação, hora em que o tempo estava nublado, o mar calmo e a temperatura da água na marca dos 16˚C. Vanessa Gianinni saiu da água em primeiro com uma larga vantagem para Soledad Omar, condição que se manteve no início do ciclismo.

Vanessa ganhava cada vez mais vantagem na bike, tendo Mariana Andrade e Soledad Omar como perseguidoras, mas com uma larga vantagem. Ariane Monticelli vinha num bom ritmo, mas foi penalizada em cinco minutos e foi obrigada a parar no Penalty Box, situação que Vanessa também foi obrigada a vivenciar.

Dessa forma Soledad teve caminho livre na liderança, mas a sul-africana Claire Horner e Susana não davam descanso para a argentina radicada em Niterói. Ao final, Soledad e Susana travaram um duelo passo a passo pela ponta, melhor para a brasileira, que venceu com o tempo de 4h18min35, seguida de perto pela estrangeira que foi vice com 4h19.

“Consegui encaixar uma corrida boa fazendo força o tempo inteiro”, conta emocionada a campeã. “Minha modalidade de origem é a corrida, mas no triathlon é muito mais difícil e eu vinha de várias quebras. Mas hoje deu tudo certo e o clima foi perfeito para competir, nublado e sem chuva”, completa Susana, que dedica a vitória a todos que a ajudam na carreira, em especial seus pais.

Claire competiu pela primeira vez no Brasil e gostou muito da receptividade das pessoas, mesmo ela não falando uma palavra em português. “As pessoas foram muito atenciosas comigo e agradeço ao povo brasileiro”, relata. “Achei que fosse encontrar um clima mais quente por aqui, não estou acostumada a competir no frio. Na bike foi complicado, pois tinham muitas pessoas num espaço curto e na corrida consegui me sair bem”, completa. “A Susana fez uma corrida fantástica. Ela me passou no quilômetro 20 e eu não consegui ultrapassá-la de volta”.

A terceira colocada foi Maria Soledad Omar, com o tempo de 4h20min07. “Minha natação foi super boa, mas a prova foi muito disputada. Como estou fazendo treinos de grande volume para correr um Ironman semana que vem, acho que faltou um pouco de consistência na corrida”, conta. Ela diz ainda que a prova foi muito disputada nessa última modalidade. “Para o público foi emocionante, pois a ponta mudava a toda hora”.

Vanessa Gianinni não conseguiu o tricampeonato e chegou na quarta colocação com 4h22min21. “Fui penalizada no fim do ciclismo e isso dá um baque muito forte. A diferença para a primeira colocada foi pequena, mas ela está de parabéns. Corremos a primeira perna juntas e ela fez um ritmo ótimo”. Além do penalty, a campineira também estava um pouco cansada da prova disputada no último final de semana em São Paulo. Mariana Borges fechou o pódio com a quinta colocação, ao marcar 4h33min35.

A edição 2011 do Ironman Brasil 70.3 foi mais uma vez um sucesso na opinião de Carlos Galvão, diretor da Latin Sports, empresa organizadora da prova. “É um sentimento muito bom poder entregar um evento como esse com tudo certo. A equipe toda está de parabéns e mais uma vez nosso contrato com o homem lá em cima [São Pedro] se mostrou 100%”.


Susana Festner supreende favoritas e vence o Ironman Brasil 70.3

Triathlon · 27 ago, 2011

Enquanto na prova masculina a decisão do primeiro lugar aconteceu no trecho de ciclismo, a vitória feminina do Ironman Brasil 70.3 se deu na corrida, com Susana Festner surpreendendo as favoritas. A disputa aconteceu nesse sábado (27/08) na cidade de Penha (SC), tendo o parque Beto Carrero Word como arena.

Direto de Penha (SC) - A elite feminina veio em peso para a disputa, com Vanessa Gianinni tentando o tricampeonato, Ariane Monticelli buscando repetir o sucesso do Ironman Brasil, além de outras meninas fortes como Maria Soledad Omar e Mariana Borges. A americana Jacqui Gordon e a sul-africana Claire Horner apareciam como favoritas também, já que possuem bons resultados no exterior.

A competição teve início às 9h30 com a prova de natação, hora em que o tempo estava nublado, o mar calmo e a temperatura da água na marca dos 16˚C. Vanessa Gianinni saiu da água em primeiro com uma larga vantagem para Soledad Omar, condição que se manteve no início do ciclismo.

Vanessa ganhava cada vez mais vantagem na bike, tendo Mariana Andrade e Soledad Omar como perseguidoras, mas com uma larga vantagem. Ariane Monticelli vinha num bom ritmo, mas foi penalizada em cinco minutos e foi obrigada a parar no Penalty Box, situação que Vanessa também foi obrigada a vivenciar.

Dessa forma Soledad teve caminho livre na liderança, mas a sul-africana Claire Horner e Susana não davam descanso para a argentina radicada em Niterói. Ao final, Soledad e Susana travaram um duelo passo a passo pela ponta, melhor para a brasileira, que venceu com o tempo de 4h18min35, seguida de perto pela estrangeira que foi vice com 4h19.

“Consegui encaixar uma corrida boa fazendo força o tempo inteiro”, conta emocionada a campeã. “Minha modalidade de origem é a corrida, mas no triathlon é muito mais difícil e eu vinha de várias quebras. Mas hoje deu tudo certo e o clima foi perfeito para competir, nublado e sem chuva”, completa Susana, que dedica a vitória a todos que a ajudam na carreira, em especial seus pais.

Claire competiu pela primeira vez no Brasil e gostou muito da receptividade das pessoas, mesmo ela não falando uma palavra em português. “As pessoas foram muito atenciosas comigo e agradeço ao povo brasileiro”, relata. “Achei que fosse encontrar um clima mais quente por aqui, não estou acostumada a competir no frio. Na bike foi complicado, pois tinham muitas pessoas num espaço curto e na corrida consegui me sair bem”, completa. “A Susana fez uma corrida fantástica. Ela me passou no quilômetro 20 e eu não consegui ultrapassá-la de volta”.

A terceira colocada foi Maria Soledad Omar, com o tempo de 4h20min07. “Minha natação foi super boa, mas a prova foi muito disputada. Como estou fazendo treinos de grande volume para correr um Ironman semana que vem, acho que faltou um pouco de consistência na corrida”, conta. Ela diz ainda que a prova foi muito disputada nessa última modalidade. “Para o público foi emocionante, pois a ponta mudava a toda hora”.

Vanessa Gianinni não conseguiu o tricampeonato e chegou na quarta colocação com 4h22min21. “Fui penalizada no fim do ciclismo e isso dá um baque muito forte. A diferença para a primeira colocada foi pequena, mas ela está de parabéns. Corremos a primeira perna juntas e ela fez um ritmo ótimo”. Além do penalty, a campineira também estava um pouco cansada da prova disputada no último final de semana em São Paulo. Mariana Borges fechou o pódio com a quinta colocação, ao marcar 4h33min35.

A edição 2011 do Ironman Brasil 70.3 foi mais uma vez um sucesso na opinião de Carlos Galvão, diretor da Latin Sports, empresa organizadora da prova. “É um sentimento muito bom poder entregar um evento como esse com tudo certo. A equipe toda está de parabéns e mais uma vez nosso contrato com o homem lá em cima [São Pedro] se mostrou 100%”.