SP-Rio

Confira uma galeria de fotos dos três dias de prova da Corrida SP Rio

Ultra Maratona · 25 out, 2011

Entre os dias 20 a 22/10 aconteceu a edição 2011 do Desafio Nike SP Rio, prova com 600 quilômetros que percorreu diversas cidades, entre elas São Paulo, Bertioga, Caraguatatuba, Bertioga e Angra dos Reis, até a chegada à Praia de Ipanema, no Rio. Confira uma galeria de fotos dos três dias de prova. Imagens: Alexandre Koda/ Webrun.


Confira uma galeria de fotos dos três dias de prova da Corrida SP Rio

Ultra Maratona · 25 out, 2011

Entre os dias 20 a 22/10 aconteceu a edição 2011 do Desafio Nike SP Rio, prova com 600 quilômetros que percorreu diversas cidades, entre elas São Paulo, Bertioga, Caraguatatuba, Bertioga e Angra dos Reis, até a chegada à Praia de Ipanema, no Rio. Confira uma galeria de fotos dos três dias de prova. Imagens: Alexandre Koda/ Webrun.

Equipes Fitt and Furious e Bucha vencem o Desafio SP Rio

Ultra Maratona · 22 out, 2011

Após três dias de disputas intensas, finalmente as equipes campeãs cruzaram a linha de chegada na Praia de Ipanema, no Rio de janeiro (RJ). Fitt and Fourious faturou pela categoria sub 25 anos, a Desafio Coisa da Boa, enquanto a Bucha foi a melhor no Ultra Desafio, que reúne os corredores mais experientes.

Direto de Ipanema (RJ) - O início do terceiro dia de competições aconteceu no interior do Meliá Hotel, em Angra dos Reis, às 6h. A animação não era tão grande quanto nos primeiros dias, afinal o cansaço acumulado já era visível na maioria das equipes, mas isso não significa que elas não estavam concentradas e aproveitaram o clima fresco para apertar o ritmo.

O primeiro trecho foi curto, com pouco mais de três quilômetros e um posto de troca montado na Rodovia Rio Santos. Uma troca rápida de atletas e as equipes seguiram viagem com a companhia dos primeiros raios de sol matinais. Nos primeiros postos a equipe Corre Paccas foi melhor do que a Fit and Furious, o que deixou a garotada animada.

A empolgação durou pouco e a Fitt mostrou mais uma vez toda a força e recuperou a ponta da prova, sendo seguida de perto pelo grupo Paccas. São Pedro resolveu colaborar e o sol escaldante previsto não apareceu e o clima permaneceu encoberto com uma brisa agradável para correr.

No meio do caminho houve um contratempo: um acidente entre duas carretas na Rodovia Rio Santos obrigou a organização a cancelar um trecho de corrida e realizar um deslocamento, assim como foi feito na sexta-feira por conta de obras na mesma rodovia. O trecho realizado em vans serviu para que os atletas descansassem um pouco mais e se preparassem psicologicamente para os trechos finais.

Campeãs - Na categoria dos sub 25 a Fit and Furious apenas consolidou a liderança obtida no primeiro dia, até cruzar a linha de chegada às 17h08. “Foi surreal, não consigo nem falar direito. Essa vitória dedico a meus pais, a Deus e a essa equipe maravilhosa”, conta Lucas Fittipaldi. “A entrada na praia de Ipanema é algo sensacional e o clima também foi ótimo, sem chuva e sem calor. Nossa equipe fez tudo como o programado”, completa.

A segunda colocação ficou com a equipe Corre Paccas, que comemorou muito o resultado, já que no primeiro dia eles não pretendiam brigar pelas primeiras posições e só começaram a pensar em pódio a partir da sexta-feira. “Foi animal chegar aqui!”, conta Gabriel Pacca. “A hora que eu vi a galera na chegada caiu lágrima do meu olho. Foi sensacional, não tenho nem o que falar”. Eles cruzaram a linha de chegada às 17h28.


A equipe é composta por corredores de diversos estados, como é o caso da mineira Natália Vasconcelos, que já havia participado da prova ano passado, com a equipe BH. “Não tenho palavras, é uma sensação de muita alegria. A turma foi demais, fiquei super feliz”, relata a competidora que fala ainda sobre a experiência de correr numa equipe sub 25. “O esporte junta pessoas do bem, do alto astral e tudo vira festa. Achei bacana porque nós somos exceção da nossa geração, que gosta de balada e de correr. Esses jovens todos se unirem para vivenciar isso é perfeito”. Em terceiro lugar completou a Laranja Mecânica, às 17h58.


Ultradesafio - Na categoria dos mais experientes o grupo da Bucha desbancou o time favorito, o Nike+, campeão do ano passado. Os nove atletas cruzaram a linha de chegada às 17h15. “No primeiro dia estávamos nos contentando com o segundo lugar, atrás da Nike +, mas a partir do segundo conseguimos melhorar”, conta Fabrizio Giovannini, o corredor mais velho da equipe.


“Engraçado é que os adversários brincavam perguntando quando nossa equipe colocaria o ‘tiozinho’ para correr e eles poderem tirar vantagem. Mas no segundo dia coloquei 1min30 em cima deles”, lembra. O grupo contou com atletas experientes como os corredores de aventura Cristina de Carvalho e Haddi Akkouh.


A Nike + Ultra, que no dia anterior brincou dizendo ter uma carta na manga para vencer os adversários no último dia, chegou a Ipanema em segundo as 17h43. “Essa é uma prova desafiadora e graças à união da equipe chegamos bem ao final”, comemora Marcos Paulo Espirito Santo. “A motivação era grande por ser o último dia e cada um deu o máximo por cada um daqueles que estavam torcendo por nós. Começamos a disputa bem, mas a outra equipe está de parabéns pela vitória”, finaliza.


O terceiro grupo a chegar entre os Ultras foi a Puro Sangue, às 18h03. “Foi demais, emocionante, devo tudo a Deus e à minha menina, que me ajuda muito. Nós merecemos, treinamos muito e chegamos até onde queríamos”, relata Aparecido Leonardo Souza , que fechou o percurso. “Corri um trecho de 14 quilômetros de manhã e depois descansei à tarde para fazer a chegada. Ontem não corri por estar com uma dor no estômago, mas hoje recuperei para ajudar a equipe”, comemora.


As equipes campeãs receberão um ano de patrocínio da Nike, além de entrarem no hall da fama da marca como vencedoras de um desafio de 600 quilômetros interestadual.


Equipes Fitt and Furious e Bucha vencem o Desafio SP Rio

Ultra Maratona · 22 out, 2011

Após três dias de disputas intensas, finalmente as equipes campeãs cruzaram a linha de chegada na Praia de Ipanema, no Rio de janeiro (RJ). Fitt and Fourious faturou pela categoria sub 25 anos, a Desafio Coisa da Boa, enquanto a Bucha foi a melhor no Ultra Desafio, que reúne os corredores mais experientes.

Direto de Ipanema (RJ) - O início do terceiro dia de competições aconteceu no interior do Meliá Hotel, em Angra dos Reis, às 6h. A animação não era tão grande quanto nos primeiros dias, afinal o cansaço acumulado já era visível na maioria das equipes, mas isso não significa que elas não estavam concentradas e aproveitaram o clima fresco para apertar o ritmo.

O primeiro trecho foi curto, com pouco mais de três quilômetros e um posto de troca montado na Rodovia Rio Santos. Uma troca rápida de atletas e as equipes seguiram viagem com a companhia dos primeiros raios de sol matinais. Nos primeiros postos a equipe Corre Paccas foi melhor do que a Fit and Furious, o que deixou a garotada animada.

A empolgação durou pouco e a Fitt mostrou mais uma vez toda a força e recuperou a ponta da prova, sendo seguida de perto pelo grupo Paccas. São Pedro resolveu colaborar e o sol escaldante previsto não apareceu e o clima permaneceu encoberto com uma brisa agradável para correr.

No meio do caminho houve um contratempo: um acidente entre duas carretas na Rodovia Rio Santos obrigou a organização a cancelar um trecho de corrida e realizar um deslocamento, assim como foi feito na sexta-feira por conta de obras na mesma rodovia. O trecho realizado em vans serviu para que os atletas descansassem um pouco mais e se preparassem psicologicamente para os trechos finais.

Campeãs - Na categoria dos sub 25 a Fit and Furious apenas consolidou a liderança obtida no primeiro dia, até cruzar a linha de chegada às 17h08. “Foi surreal, não consigo nem falar direito. Essa vitória dedico a meus pais, a Deus e a essa equipe maravilhosa”, conta Lucas Fittipaldi. “A entrada na praia de Ipanema é algo sensacional e o clima também foi ótimo, sem chuva e sem calor. Nossa equipe fez tudo como o programado”, completa.

A segunda colocação ficou com a equipe Corre Paccas, que comemorou muito o resultado, já que no primeiro dia eles não pretendiam brigar pelas primeiras posições e só começaram a pensar em pódio a partir da sexta-feira. “Foi animal chegar aqui!”, conta Gabriel Pacca. “A hora que eu vi a galera na chegada caiu lágrima do meu olho. Foi sensacional, não tenho nem o que falar”. Eles cruzaram a linha de chegada às 17h28.


A equipe é composta por corredores de diversos estados, como é o caso da mineira Natália Vasconcelos, que já havia participado da prova ano passado, com a equipe BH. “Não tenho palavras, é uma sensação de muita alegria. A turma foi demais, fiquei super feliz”, relata a competidora que fala ainda sobre a experiência de correr numa equipe sub 25. “O esporte junta pessoas do bem, do alto astral e tudo vira festa. Achei bacana porque nós somos exceção da nossa geração, que gosta de balada e de correr. Esses jovens todos se unirem para vivenciar isso é perfeito”. Em terceiro lugar completou a Laranja Mecânica, às 17h58.


Ultradesafio - Na categoria dos mais experientes o grupo da Bucha desbancou o time favorito, o Nike+, campeão do ano passado. Os nove atletas cruzaram a linha de chegada às 17h15. “No primeiro dia estávamos nos contentando com o segundo lugar, atrás da Nike +, mas a partir do segundo conseguimos melhorar”, conta Fabrizio Giovannini, o corredor mais velho da equipe.


“Engraçado é que os adversários brincavam perguntando quando nossa equipe colocaria o ‘tiozinho’ para correr e eles poderem tirar vantagem. Mas no segundo dia coloquei 1min30 em cima deles”, lembra. O grupo contou com atletas experientes como os corredores de aventura Cristina de Carvalho e Haddi Akkouh.


A Nike + Ultra, que no dia anterior brincou dizendo ter uma carta na manga para vencer os adversários no último dia, chegou a Ipanema em segundo as 17h43. “Essa é uma prova desafiadora e graças à união da equipe chegamos bem ao final”, comemora Marcos Paulo Espirito Santo. “A motivação era grande por ser o último dia e cada um deu o máximo por cada um daqueles que estavam torcendo por nós. Começamos a disputa bem, mas a outra equipe está de parabéns pela vitória”, finaliza.


O terceiro grupo a chegar entre os Ultras foi a Puro Sangue, às 18h03. “Foi demais, emocionante, devo tudo a Deus e à minha menina, que me ajuda muito. Nós merecemos, treinamos muito e chegamos até onde queríamos”, relata Aparecido Leonardo Souza , que fechou o percurso. “Corri um trecho de 14 quilômetros de manhã e depois descansei à tarde para fazer a chegada. Ontem não corri por estar com uma dor no estômago, mas hoje recuperei para ajudar a equipe”, comemora.


As equipes campeãs receberão um ano de patrocínio da Nike, além de entrarem no hall da fama da marca como vencedoras de um desafio de 600 quilômetros interestadual.

Fitt and Furious mantém liderança do Coisa da Boa no Desafio SP Rio

Ultra Maratona · 21 out, 2011

Direto de Angra dos Reis (RJ) - Nesta sexta-feira (20/10) o Desafio Nike SP Rio chegou ao segundo dia de competições e o grande atrativo foi a passagem entre os Estados de São Paulo e Rio de Janeiro no meio do percurso. A largada aconteceu às 6h na praça de eventos de Caraguatatuba (SP), enquanto a chegada foi dentro do Hotel Meliá, em Angra dos Reis (RJ), com mais uma vitória da equipe Fitt and Furious, na categoria Desafio Coisa da Boa.

Os corredores tiveram que madrugar mais uma vez para sair de Bertioga (local da chegada do primeiro dia) e encarar um traslado de 1h30 até Caraguatatuba para o início do segundo dia. Mais uma vez o frio e o vento gelado marcaram presença no começo, mas logo o sol apareceu para acompanhar os participantes.

Natália Vasconcelos, da equipe Pacca, não escondia a ansiedade antes do tiro de partida. “Acho que estava mais ansiosa hoje do que na largada do primeiro dia”, conta a mineira que saiu forte para encarar o primeiro trecho. “Ele era curto, pouco mais de três quilômetros, então dei o máximo de mim”, relata.

A prova seguiu seu curso e os competidores deixaram Caraguatatuba para trás e chegaram até Ubatuba, onde estava montado mais um dos postos da “gincana” Lado B. Por lá foi possível fazer um corte de cabelo especial, declarar o amor a São Paulo ou ao Rio de Janeiro com tatoos, entre outras atividades.

Divisa - Com o passar das horas o sol foi ficando cada vez mais forte e passou a ser um adversário a mais, já que o sol refletia no asfalto e deixava o clima ainda mais quente, principalmente no início da Rodovia Rio Santos. No alto da serra uma placa indicava o limite estadual entre São Paulo e Rio de Janeiro.

Na chegada a Paraty (RJ) a organização teve que realizar uma mudança de última hora no percurso e cancelou um trecho onde os atletas passariam correndo e o transformou em deslocamento. Isso porque a Rodovia estava em obras, com muitas máquinas e sem asfalto, apenas terra, o que poderia comprometer a segurança do evento.

Isso não prejudicou a equipe Fitt and Fourious, que a cada posto de troca apenas aumentava a vantagem em relação aos seus adversários até cruzar a linha de chegada às 17h55. “Só tenho a agradecer à minha equipe, pois conseguimos completar em primeiro”, relata Karina Sala, que foi escoltada por Vanderlei Cordeiro no último trecho. “Parece que nem cansei de tanta emoção. Ele veio conversando comigo e me dando força no caminho e nem vi o tempo passar”, completa. Ela diz ainda que num dos trechos eles perderam a liderança, mas por apenas 200m, o que foi logo recuperado.

A segunda equipe a cruzar foi a Corre Paccas, formada por atletas de diversos locais do Brasil, que chegou às 18h29. “Dei sorte de correr o último trecho e não pegar o calor forte ao chegar a Angra dos Reis”, conta Isabella Lobo. “A pontuação em relação aos líderes está alta, mas vamos buscar com o apoio de toda a equipe”, completa.

Em terceiro ficou a Laranja Mecânica, que mesmo correndo com uniforme azul, não decepcionou e cruzou a linha às 18h48. “Eu rodei mais cedo e não peguei sol, como fiz no primeiro dia. Seguramos os coringas ontem, mas usamos mais hoje porque sabemos que as outras equipes já queimaram logo de cara”, conta Guilherme Tadeu de Souza. A equipe pulou de quinta para terceira no segundo dia.

O terceiro e decisivo dia de competições começará neste sábado (21/10), com largada a partir das 6h do Hotel Meliá e chegada na Praia de Ipanema, no Rio de Janeiro, para definir o grande campeão.


Fitt and Furious mantém liderança do Coisa da Boa no Desafio SP Rio

Ultra Maratona · 21 out, 2011

Direto de Angra dos Reis (RJ) - Nesta sexta-feira (20/10) o Desafio Nike SP Rio chegou ao segundo dia de competições e o grande atrativo foi a passagem entre os Estados de São Paulo e Rio de Janeiro no meio do percurso. A largada aconteceu às 6h na praça de eventos de Caraguatatuba (SP), enquanto a chegada foi dentro do Hotel Meliá, em Angra dos Reis (RJ), com mais uma vitória da equipe Fitt and Furious, na categoria Desafio Coisa da Boa.

Os corredores tiveram que madrugar mais uma vez para sair de Bertioga (local da chegada do primeiro dia) e encarar um traslado de 1h30 até Caraguatatuba para o início do segundo dia. Mais uma vez o frio e o vento gelado marcaram presença no começo, mas logo o sol apareceu para acompanhar os participantes.

Natália Vasconcelos, da equipe Pacca, não escondia a ansiedade antes do tiro de partida. “Acho que estava mais ansiosa hoje do que na largada do primeiro dia”, conta a mineira que saiu forte para encarar o primeiro trecho. “Ele era curto, pouco mais de três quilômetros, então dei o máximo de mim”, relata.

A prova seguiu seu curso e os competidores deixaram Caraguatatuba para trás e chegaram até Ubatuba, onde estava montado mais um dos postos da “gincana” Lado B. Por lá foi possível fazer um corte de cabelo especial, declarar o amor a São Paulo ou ao Rio de Janeiro com tatoos, entre outras atividades.

Divisa - Com o passar das horas o sol foi ficando cada vez mais forte e passou a ser um adversário a mais, já que o sol refletia no asfalto e deixava o clima ainda mais quente, principalmente no início da Rodovia Rio Santos. No alto da serra uma placa indicava o limite estadual entre São Paulo e Rio de Janeiro.

Na chegada a Paraty (RJ) a organização teve que realizar uma mudança de última hora no percurso e cancelou um trecho onde os atletas passariam correndo e o transformou em deslocamento. Isso porque a Rodovia estava em obras, com muitas máquinas e sem asfalto, apenas terra, o que poderia comprometer a segurança do evento.

Isso não prejudicou a equipe Fitt and Fourious, que a cada posto de troca apenas aumentava a vantagem em relação aos seus adversários até cruzar a linha de chegada às 17h55. “Só tenho a agradecer à minha equipe, pois conseguimos completar em primeiro”, relata Karina Sala, que foi escoltada por Vanderlei Cordeiro no último trecho. “Parece que nem cansei de tanta emoção. Ele veio conversando comigo e me dando força no caminho e nem vi o tempo passar”, completa. Ela diz ainda que num dos trechos eles perderam a liderança, mas por apenas 200m, o que foi logo recuperado.

A segunda equipe a cruzar foi a Corre Paccas, formada por atletas de diversos locais do Brasil, que chegou às 18h29. “Dei sorte de correr o último trecho e não pegar o calor forte ao chegar a Angra dos Reis”, conta Isabella Lobo. “A pontuação em relação aos líderes está alta, mas vamos buscar com o apoio de toda a equipe”, completa.

Em terceiro ficou a Laranja Mecânica, que mesmo correndo com uniforme azul, não decepcionou e cruzou a linha às 18h48. “Eu rodei mais cedo e não peguei sol, como fiz no primeiro dia. Seguramos os coringas ontem, mas usamos mais hoje porque sabemos que as outras equipes já queimaram logo de cara”, conta Guilherme Tadeu de Souza. A equipe pulou de quinta para terceira no segundo dia.

O terceiro e decisivo dia de competições começará neste sábado (21/10), com largada a partir das 6h do Hotel Meliá e chegada na Praia de Ipanema, no Rio de Janeiro, para definir o grande campeão.

Equipe Bucha assume liderança do Ultradesafio no Desafio SP Rio

Ultra Maratona · 21 out, 2011

Direto de Paraty (RJ) - O dia ainda não havia amanhecido quando os corredores se alinharam na Praça de Eventos de Caraguatatuba para a largada do segundo dia de competições do Desafio Nike SP Rio. Ainda fadigados do dia anterior, os corredores tentavam se animar para encarar o trecho mais longo, que cruzou a linha imaginária entre os Estados de São Paulo e Rio de Janeiro.

A equipe Bucha apertou o ritmo logo de cara para cruzar em primeiro e deixar para trás a campeã do primeiro dia, Nike + Ultra. Eles cruzaram a linha de chegada às 18h09, 11 minutos antes do time da casa. O dia teve clima variado, que começou com frio logo cedo, que deu lugar ao calor ao longo do dia.

Para amenizar o cansaço e o forte calor, somente as belas paisagens que os corredores encontraram pelo caminho. Assim que cruzavam a divisa entre São Paulo e Rio de Janeiro todos puderam passar pelo tapete de “curtir” do facebook, uma novidade implementada esse ano em diversos pontos da prova.

“Queria parabenizar toda a equipe por esse resultado conquistado”, relata Miguel Mine Neto, da Bucha, que foi acompanhado por Franck Caldeira no final. “Fizemos uma estratégia diferente, com entrada das meninas, que fizeram muita diferença. Todos andaram muito”, completa.

O representante da Nike+, João Rodrigues, sentiu o peso de ter ficado para trás e promete revanche. “Essa prova vai começar amanhã. Quem realmente tiver resistência vai vencer e não quem forçou muito no primeiro e segundo dia”. Ele diz ainda que tem uma carta guardada na manga. “Vamos usar essa técnica para fazer a diferença”.

A terceira equipe a chegarr foi a 4any1/ Run&Fun, que cruzou a linha de chegada às 18h48. “O primeiro dia sofremos muito, mas agora demos um gás para tentar chegar entre quarto ou quinto e chegamos em terceiro. Todos deram um pouco a mais em cada trecho”, relata Dunga. “Dentre todos os percursos, o mais difícil foi o da Serra de Maresias ontem”, completa.

Organização - Paulo Carelli, responsável pela organização da prova, afirma que o segundo dia manteve as características de ser rápido e que nenhuma equipe ficou parada no corte de percurso. “O único problema foram as obras na Rodovia, que nos obrigou a tomar uma decisão de última hora e cancelar o trecho. Mas não houve prejuízo para a prova”.

Já na parte médica também não houve relatos de ocorrências graves, apenas enjoos, câimbras e fadigas musculares, decorrentes do cansaço físico acumulado. O terceiro e decisivo dia de competições começará neste sábado (21/10), com largada a partir das 6h do Hotel Meliá e chegada na Praia de Ipanema, no Rio de Janeiro, para definir o grande campeão.


Equipe Bucha assume liderança do Ultradesafio no Desafio SP Rio

Ultra Maratona · 21 out, 2011

Direto de Paraty (RJ) - O dia ainda não havia amanhecido quando os corredores se alinharam na Praça de Eventos de Caraguatatuba para a largada do segundo dia de competições do Desafio Nike SP Rio. Ainda fadigados do dia anterior, os corredores tentavam se animar para encarar o trecho mais longo, que cruzou a linha imaginária entre os Estados de São Paulo e Rio de Janeiro.

A equipe Bucha apertou o ritmo logo de cara para cruzar em primeiro e deixar para trás a campeã do primeiro dia, Nike + Ultra. Eles cruzaram a linha de chegada às 18h09, 11 minutos antes do time da casa. O dia teve clima variado, que começou com frio logo cedo, que deu lugar ao calor ao longo do dia.

Para amenizar o cansaço e o forte calor, somente as belas paisagens que os corredores encontraram pelo caminho. Assim que cruzavam a divisa entre São Paulo e Rio de Janeiro todos puderam passar pelo tapete de “curtir” do facebook, uma novidade implementada esse ano em diversos pontos da prova.

“Queria parabenizar toda a equipe por esse resultado conquistado”, relata Miguel Mine Neto, da Bucha, que foi acompanhado por Franck Caldeira no final. “Fizemos uma estratégia diferente, com entrada das meninas, que fizeram muita diferença. Todos andaram muito”, completa.

O representante da Nike+, João Rodrigues, sentiu o peso de ter ficado para trás e promete revanche. “Essa prova vai começar amanhã. Quem realmente tiver resistência vai vencer e não quem forçou muito no primeiro e segundo dia”. Ele diz ainda que tem uma carta guardada na manga. “Vamos usar essa técnica para fazer a diferença”.

A terceira equipe a chegarr foi a 4any1/ Run&Fun, que cruzou a linha de chegada às 18h48. “O primeiro dia sofremos muito, mas agora demos um gás para tentar chegar entre quarto ou quinto e chegamos em terceiro. Todos deram um pouco a mais em cada trecho”, relata Dunga. “Dentre todos os percursos, o mais difícil foi o da Serra de Maresias ontem”, completa.

Organização - Paulo Carelli, responsável pela organização da prova, afirma que o segundo dia manteve as características de ser rápido e que nenhuma equipe ficou parada no corte de percurso. “O único problema foram as obras na Rodovia, que nos obrigou a tomar uma decisão de última hora e cancelar o trecho. Mas não houve prejuízo para a prova”.

Já na parte médica também não houve relatos de ocorrências graves, apenas enjoos, câimbras e fadigas musculares, decorrentes do cansaço físico acumulado. O terceiro e decisivo dia de competições começará neste sábado (21/10), com largada a partir das 6h do Hotel Meliá e chegada na Praia de Ipanema, no Rio de Janeiro, para definir o grande campeão.

Fitt and Furious domina 1º dia da categoria Sub 25 na Corrida SP Rio

Ultra Maratona · 20 out, 2011

Além da categoria Ultra Desafio, formada por corredores experientes, a Corrida Nike SP Rio conta também com atletas sub 25 anos em algumas equipes, na disputa batizada de Coisa da Boa. No primeiro dia de competições eles dominaram os percursos e cruzaram muito à frente dos adversários.

Direto de Bertioga - A largada aconteceu simultaneamente com os representantes do Ultra Desafio, às 5h no Parque do Ibirapuera, em São Paulo. O clima frio fez com que os atletas redobrassem a atenção com o aquecimento para evitar problemas durante o trajeto.

A saída foi autorizada e junto com os corredores estavam Vanderlei Cordeiro de Lima e Franck Caldeira, que correram lado a lado com os participantes, numa forma de incentivo. Diferente da categoria maior, na Coisa da Boa cada um corre aproximadamente 15 quilômetros por dia e os postos de troca nem sempre coincidem.

Os campeões cruzaram a linha de chegada após 11h38min46, com o último trecho sendo cumprido por Fábio Keiti. “Foi o trecho mais difícil da minha vida e a todo o momento veio na minha cabeça minha família e meus amigos. Não sei de onde tirei essa força, foi uma emoção que não tem igual”, conta o corredor que encarou o morro de Maresias. “A descida foi pior e a areia fofa castigou ainda mais”.

A segunda colocada foi a Corre Paccas, com 12h16min05 e que terá muito trabalho nos próximos dias para tirar a diferença. “Depois de uma corrida dessas você aprende que o esporte ensina muitas coisas, como persistência, dedicação, foco e hoje foi um dia desses para mim”. A diferença de clima, com frio e calor ao longo do dia, não atrapalhou o desempenho deles. “Esse sol no final veio coroar nosso trabalho”.

Em terceiro chegou a Runners Brasil, com o tempo de 12h35min28. Aos gritos de “Papai Chegou”, o treinador do time, Cadu Soares, foi recebido com muita festa pela equipe, que usou a experiência dele para o trecho final, na Serra de Maresias. “Vim dar uma força para a galera, já que tenho um pouco mais de facilidade para correr, mas não foi nada fácil”, explica. Segundo ele, a descida íngreme foi a parte mais complicada. “Mesmo assim conseguimos manter a colocação e está bom”, relata o carioca. A equipe demorou a se aclimatar com o frio paulista, mas ao chegar ao litoral o calor foi um aliado.

Organização - Paulo Carelli, responsável pela parte técnica da competição, faz um balanço positivo do primeiro dia. “Tivemos duas situações novas: as equipes jovens e as que dobraram os trechos. Ficamos apreensivos que muitas não fossem completar os percursos nos tempos de corte, mas elas passaram com bastante folga”. Ainda segundo o dirigente, as equipes vieram mais bem preparadas este ano e os tempos finais estão mais rápidos do que em outras edições.

Já para o responsável médico da competição, Felipe Rardt, as ocorrências registradas não foram graves. “Tivemos uma atleta que passou mal no primeiro trecho por não ter corrido um percurso de acordo com seu perfil, mas fizemos o pronto atendimento e ela está ok”. Um problema que acometeu alguns atletas foi a câimbra, que vitimou tanto os representantes sub 25, quanto os ultramaratinistas. “Tivemos um caso de um corredor que teve que ser substituído no meio do trajeto, mas também nada grave”, explica.

O padrinho da prova, Vanderlei Cordeiro de Lima, aprovou o novo formato, com a descida da serra sendo feita por vans e não mais correndo pela Estrada Velha de Santos. O ex-maratonista também concorda com os organizadores na questão das equipes estarem mais bem treinadas este ano. “O clima também ajudou bastante, principalmente no começo. A corrida foi um pouco mais rápida, inclusive pela presença do pessoal mais jovem e o pessoal chegou muito mais inteiro”.

Os corredores agora descansam para recuperar as energias e começarem novamente o desafio a partir das 6h de sexta-feira (21/10) em Caraguatatuba, após um deslocamento de 53 quilômetros saindo de Maresias.


Fitt and Furious domina 1º dia da categoria Sub 25 na Corrida SP Rio

Ultra Maratona · 20 out, 2011

Além da categoria Ultra Desafio, formada por corredores experientes, a Corrida Nike SP Rio conta também com atletas sub 25 anos em algumas equipes, na disputa batizada de Coisa da Boa. No primeiro dia de competições eles dominaram os percursos e cruzaram muito à frente dos adversários.

Direto de Bertioga - A largada aconteceu simultaneamente com os representantes do Ultra Desafio, às 5h no Parque do Ibirapuera, em São Paulo. O clima frio fez com que os atletas redobrassem a atenção com o aquecimento para evitar problemas durante o trajeto.

A saída foi autorizada e junto com os corredores estavam Vanderlei Cordeiro de Lima e Franck Caldeira, que correram lado a lado com os participantes, numa forma de incentivo. Diferente da categoria maior, na Coisa da Boa cada um corre aproximadamente 15 quilômetros por dia e os postos de troca nem sempre coincidem.

Os campeões cruzaram a linha de chegada após 11h38min46, com o último trecho sendo cumprido por Fábio Keiti. “Foi o trecho mais difícil da minha vida e a todo o momento veio na minha cabeça minha família e meus amigos. Não sei de onde tirei essa força, foi uma emoção que não tem igual”, conta o corredor que encarou o morro de Maresias. “A descida foi pior e a areia fofa castigou ainda mais”.

A segunda colocada foi a Corre Paccas, com 12h16min05 e que terá muito trabalho nos próximos dias para tirar a diferença. “Depois de uma corrida dessas você aprende que o esporte ensina muitas coisas, como persistência, dedicação, foco e hoje foi um dia desses para mim”. A diferença de clima, com frio e calor ao longo do dia, não atrapalhou o desempenho deles. “Esse sol no final veio coroar nosso trabalho”.

Em terceiro chegou a Runners Brasil, com o tempo de 12h35min28. Aos gritos de “Papai Chegou”, o treinador do time, Cadu Soares, foi recebido com muita festa pela equipe, que usou a experiência dele para o trecho final, na Serra de Maresias. “Vim dar uma força para a galera, já que tenho um pouco mais de facilidade para correr, mas não foi nada fácil”, explica. Segundo ele, a descida íngreme foi a parte mais complicada. “Mesmo assim conseguimos manter a colocação e está bom”, relata o carioca. A equipe demorou a se aclimatar com o frio paulista, mas ao chegar ao litoral o calor foi um aliado.

Organização - Paulo Carelli, responsável pela parte técnica da competição, faz um balanço positivo do primeiro dia. “Tivemos duas situações novas: as equipes jovens e as que dobraram os trechos. Ficamos apreensivos que muitas não fossem completar os percursos nos tempos de corte, mas elas passaram com bastante folga”. Ainda segundo o dirigente, as equipes vieram mais bem preparadas este ano e os tempos finais estão mais rápidos do que em outras edições.

Já para o responsável médico da competição, Felipe Rardt, as ocorrências registradas não foram graves. “Tivemos uma atleta que passou mal no primeiro trecho por não ter corrido um percurso de acordo com seu perfil, mas fizemos o pronto atendimento e ela está ok”. Um problema que acometeu alguns atletas foi a câimbra, que vitimou tanto os representantes sub 25, quanto os ultramaratinistas. “Tivemos um caso de um corredor que teve que ser substituído no meio do trajeto, mas também nada grave”, explica.

O padrinho da prova, Vanderlei Cordeiro de Lima, aprovou o novo formato, com a descida da serra sendo feita por vans e não mais correndo pela Estrada Velha de Santos. O ex-maratonista também concorda com os organizadores na questão das equipes estarem mais bem treinadas este ano. “O clima também ajudou bastante, principalmente no começo. A corrida foi um pouco mais rápida, inclusive pela presença do pessoal mais jovem e o pessoal chegou muito mais inteiro”.

Os corredores agora descansam para recuperar as energias e começarem novamente o desafio a partir das 6h de sexta-feira (21/10) em Caraguatatuba, após um deslocamento de 53 quilômetros saindo de Maresias.

Nike+ fecha primeiro dia da Corrida SP Rio após disputa acirrada

Ultra Maratona · 20 out, 2011

A equipe Nike+ fechou o primeiro dia de disputas da Corrida SP Rio categoria Ultra Desafio, em primeiro lugar, mas o time não teve vida fácil, já que o tempo final foi pouco mais de um minuto mais rápido do que a segunda colocada, a Bucha. Os campeões do primeiro dia fecharam em 11h50min10, enquanto os vices marcaram 11h53min20.

Direto de Bertioga (SP) - Ainda era madrugada de quarta para quinta-feira em São Paulo, quando os atletas da Corrida Nike SP Rio se concentravam para a largada no Parque do Ibirapuera, reduto dos corredores paulistanos. Fazia frio, mas a animação tomava conta dos presentes, que tiveram a companhia de dois personagens especiais: Vanderlei Cordeiro de Lima e Franck Caldeira.

O tiro de partida foi dado às 5h e todos se dirigiram rumo à Avenida Sena Madureira, depois Rua Vergueiro onde se localizava o primeiro posto de troca, nas proximidades da Avenida Tancredo Neves. Neste trecho todos deveriam correr juntos, seguindo o comboio de batedores da Polícia Militar, para maior segurança.

Após a primeira troca as disputas começaram para valer e a Nike + já mostrava sua força. O time é formado por atletas selecionados por meio das seletivas virtuais e presenciais baseadas no sistema Nike + da marca esportiva.

O dia começou a amanhecer enquanto os corredores seguiam pela Rodovia Anchieta, Riacho Grande e Interligação nos diversos postos de troca. Especificamente neste último local havia uma série de atrações para os corredores, como corte de cabelo, tatoo, massagem, etc, numa espécie de gincana batizada de Lado B.

A descida da serra aconteceu pela Rodovia dos Imigrantes num traslado de van, ao contrário dos anos anteriores em que os atletas desceram correndo pela Estrada Velha de Santos. Isso economizou energia de todos e evitou lesões graves nas pernas e joelhos.

Mudanças - Ao chegar a Cubatão o frio deu lugar a um leve mormaço, numa diferença brusca de temperatura que começou a facilitar a prova para os corredores cariocas, acostumados ao calor. A chegada às Rodovias Cônego Dômenico Rangoni e Rio Santos aconteceram sob leve garoa, mas a passagem pelo posto 14, em Bertioga, foi sob sol escaldante.

Neste ponto havia mais uma série de atrações do Lado B, uma delas uma tenda de videogame. As equipes seguiam seus caminhos com a Nike + na liderança sendo seguida de perto pela Bucha.

Já no trecho final veio a parte mais complicada do trajeto: a temida serra de Maresias, com altimetria que variou de 20 metros até 300m ladeira acima e, logo depois, uma “pirambeira” para baixo. “Eu já conhecia o trecho, então dosei um pouco a energia. Agradeço ao meu treinador Kim Cordeiro por ter acreditado que eu conseguiria fazer esse trecho”, conta João Rodrigues, que fechou a prova para a equipe campeã.

Miguel Mitne, da equipe Bucha, vicecampeã, fala sobre a disputa do dia. “Essa é uma serra maldita, põe maldita nisso. Para descer foi pior, haja perna”. Ainda segundo ele, para largar bem no segundo dia ele vai se focar numa boa alimentação, hidratação e não dispensará a massagem. “Vombora que amanhã tem mais”, relata empolgado.

A terceira colocação na disputa do dia ficou com o time Puro Sangue Nike, que fechou com o tempo de 12h25min09. “A serra arrebenta, a areia fofa acaba de matar. Você vê o pórtico de chegada a um quilômetro e pensa que tem mais mil metros para a morte”, relata Ricardo de Oliveira. “Nossa equipe é a única sub 20 e a galera está aprendendo muito. Os trechos são muito complicados, ainda mais porque dobramos os percursos”.

Outros grupos - A equipe Mulheres Nike chegou à frente de três equipes masculinas, motivo de comemoração para Camila Lima. “Que orgulho dessas meninas, estamos com um grupo muito bom, já que cada uma tem uma especialidade”. Sobre o trecho do morro ela conta que sofreu bastante. “Nem tive muito tempo para aquecer, até para não me desgastar e já começou a subida. Na descida machucou um pouco, com a perna bem cansada e um começo de dor. A areia fofa foi uma surpresa e eu cheguei quase desfalecendo”.

Paulo Marques da Silva, representou a equipe Nike Corre, formada por funcionários da Nike, protagonizou uma disputa acirrada nos últimos quilômetros com a equipe imprensa. “Passamos praticamente toda a prova atrás e uns 12 minutos de diferença, mas peguei o último trecho com cinco minutos de distância para eles. Eu me superei para correr atrás e conseguimos”, conta.

Os lanternas da prova foram os representantes da equipe Imprensa, formada por jornalistas, que quase fizeram história ao chegar em penúltimo, não fosse a ultrapassagem da Nike Corre no último trecho. “No momento em que ele me passou eu tentei buscar, mas não deu. Aí cheguei na areia, que para mim é pior do que a subida da serra”, conta Harry Thomas Jr. O time já correu as outras duas edições da prova, com diferentes formações, mas não conseguiu sair do último posto.

Os corredores agora descansam para recuperar as energias e começarem novamente o desafio a partir das 6h de sexta-feira (21/10) em Caraguatatuba, após um deslocamento de 53 quilômetros saindo de Maresias.


Nike+ fecha primeiro dia da Corrida SP Rio após disputa acirrada

Ultra Maratona · 20 out, 2011

A equipe Nike+ fechou o primeiro dia de disputas da Corrida SP Rio categoria Ultra Desafio, em primeiro lugar, mas o time não teve vida fácil, já que o tempo final foi pouco mais de um minuto mais rápido do que a segunda colocada, a Bucha. Os campeões do primeiro dia fecharam em 11h50min10, enquanto os vices marcaram 11h53min20.

Direto de Bertioga (SP) - Ainda era madrugada de quarta para quinta-feira em São Paulo, quando os atletas da Corrida Nike SP Rio se concentravam para a largada no Parque do Ibirapuera, reduto dos corredores paulistanos. Fazia frio, mas a animação tomava conta dos presentes, que tiveram a companhia de dois personagens especiais: Vanderlei Cordeiro de Lima e Franck Caldeira.

O tiro de partida foi dado às 5h e todos se dirigiram rumo à Avenida Sena Madureira, depois Rua Vergueiro onde se localizava o primeiro posto de troca, nas proximidades da Avenida Tancredo Neves. Neste trecho todos deveriam correr juntos, seguindo o comboio de batedores da Polícia Militar, para maior segurança.

Após a primeira troca as disputas começaram para valer e a Nike + já mostrava sua força. O time é formado por atletas selecionados por meio das seletivas virtuais e presenciais baseadas no sistema Nike + da marca esportiva.

O dia começou a amanhecer enquanto os corredores seguiam pela Rodovia Anchieta, Riacho Grande e Interligação nos diversos postos de troca. Especificamente neste último local havia uma série de atrações para os corredores, como corte de cabelo, tatoo, massagem, etc, numa espécie de gincana batizada de Lado B.

A descida da serra aconteceu pela Rodovia dos Imigrantes num traslado de van, ao contrário dos anos anteriores em que os atletas desceram correndo pela Estrada Velha de Santos. Isso economizou energia de todos e evitou lesões graves nas pernas e joelhos.

Mudanças - Ao chegar a Cubatão o frio deu lugar a um leve mormaço, numa diferença brusca de temperatura que começou a facilitar a prova para os corredores cariocas, acostumados ao calor. A chegada às Rodovias Cônego Dômenico Rangoni e Rio Santos aconteceram sob leve garoa, mas a passagem pelo posto 14, em Bertioga, foi sob sol escaldante.

Neste ponto havia mais uma série de atrações do Lado B, uma delas uma tenda de videogame. As equipes seguiam seus caminhos com a Nike + na liderança sendo seguida de perto pela Bucha.

Já no trecho final veio a parte mais complicada do trajeto: a temida serra de Maresias, com altimetria que variou de 20 metros até 300m ladeira acima e, logo depois, uma “pirambeira” para baixo. “Eu já conhecia o trecho, então dosei um pouco a energia. Agradeço ao meu treinador Kim Cordeiro por ter acreditado que eu conseguiria fazer esse trecho”, conta João Rodrigues, que fechou a prova para a equipe campeã.

Miguel Mitne, da equipe Bucha, vicecampeã, fala sobre a disputa do dia. “Essa é uma serra maldita, põe maldita nisso. Para descer foi pior, haja perna”. Ainda segundo ele, para largar bem no segundo dia ele vai se focar numa boa alimentação, hidratação e não dispensará a massagem. “Vombora que amanhã tem mais”, relata empolgado.

A terceira colocação na disputa do dia ficou com o time Puro Sangue Nike, que fechou com o tempo de 12h25min09. “A serra arrebenta, a areia fofa acaba de matar. Você vê o pórtico de chegada a um quilômetro e pensa que tem mais mil metros para a morte”, relata Ricardo de Oliveira. “Nossa equipe é a única sub 20 e a galera está aprendendo muito. Os trechos são muito complicados, ainda mais porque dobramos os percursos”.

Outros grupos - A equipe Mulheres Nike chegou à frente de três equipes masculinas, motivo de comemoração para Camila Lima. “Que orgulho dessas meninas, estamos com um grupo muito bom, já que cada uma tem uma especialidade”. Sobre o trecho do morro ela conta que sofreu bastante. “Nem tive muito tempo para aquecer, até para não me desgastar e já começou a subida. Na descida machucou um pouco, com a perna bem cansada e um começo de dor. A areia fofa foi uma surpresa e eu cheguei quase desfalecendo”.

Paulo Marques da Silva, representou a equipe Nike Corre, formada por funcionários da Nike, protagonizou uma disputa acirrada nos últimos quilômetros com a equipe imprensa. “Passamos praticamente toda a prova atrás e uns 12 minutos de diferença, mas peguei o último trecho com cinco minutos de distância para eles. Eu me superei para correr atrás e conseguimos”, conta.

Os lanternas da prova foram os representantes da equipe Imprensa, formada por jornalistas, que quase fizeram história ao chegar em penúltimo, não fosse a ultrapassagem da Nike Corre no último trecho. “No momento em que ele me passou eu tentei buscar, mas não deu. Aí cheguei na areia, que para mim é pior do que a subida da serra”, conta Harry Thomas Jr. O time já correu as outras duas edições da prova, com diferentes formações, mas não conseguiu sair do último posto.

Os corredores agora descansam para recuperar as energias e começarem novamente o desafio a partir das 6h de sexta-feira (21/10) em Caraguatatuba, após um deslocamento de 53 quilômetros saindo de Maresias.

Confira uma galeria de imagens das primeiras horas da Corrida SP Rio

Ultra Maratona · 20 out, 2011

Direto de Bertioga (SP) - Desde às 5h as 20 equipes da Corrida Nike SP Rio largaram para o desafio de correr cerca de 600 quilômetros entre São Paulo e Rio de Janeiro em três dias. O sol ainda não tinha nascido e as equipes largaram para o primeiro trecho acompanhados de Vanderlei Cordeiro de Lima e Franck Caldeira, padrinhos da prova.

Acompanhe a seguir uma sequência de imagens desde a largada até o posto de troca 14, no trevo da cidade de Bertioga, litoral de São Paulo. A competição segue hoje até Maresias e vai largar na madrugada desta sexta-feira em direção a Angra dos Reis, no Rio de Janeiro.

Fotos: Alexandre Koda/ Webrun


Confira uma galeria de imagens das primeiras horas da Corrida SP Rio

Ultra Maratona · 20 out, 2011

Direto de Bertioga (SP) - Desde às 5h as 20 equipes da Corrida Nike SP Rio largaram para o desafio de correr cerca de 600 quilômetros entre São Paulo e Rio de Janeiro em três dias. O sol ainda não tinha nascido e as equipes largaram para o primeiro trecho acompanhados de Vanderlei Cordeiro de Lima e Franck Caldeira, padrinhos da prova.

Acompanhe a seguir uma sequência de imagens desde a largada até o posto de troca 14, no trevo da cidade de Bertioga, litoral de São Paulo. A competição segue hoje até Maresias e vai largar na madrugada desta sexta-feira em direção a Angra dos Reis, no Rio de Janeiro.

Fotos: Alexandre Koda/ Webrun