Parati

Desafio 600k : alternância de liderança marca metade do segundo dia

Ultra Maratona · 22 out, 2010

Direto de Parati - A primeira metade do segundo dia de prova do Desafio Nike 600k tem sido marcada pela alternância de liderança entres diversas equipes. Ao contrário do que aconteceu na quinta-feira (21/10), nessa sexta a Belo Horizonte não dominou a disputa e teve que encarar a Nike+, Butenas, Filhos do vento e outras.

A largada aconteceu às 5h na cidade de Maresias e o objetivo é cumprir o trecho até a cidade de Angra dos Reis, já no Rio de Janeiro. Junto com os atletas do Desafio 600k, saíram também os representantes que disputam a prova paralela entre as duas cidades.

O clima tem colaborado, já que São Pedro segurou a chuva até a metade da prova e, ao mesmo tempo, o sol escaldante também não deu as caras. A alta umidade é o único desafio climático, fato que os corredores tiram de letra.

“Hoje está mais disputado do que ontem, pois todo mundo está com dor muscular e travado. Amanhã será ainda pior”, conta Bruno Paulino do Santos, da Butenas, ao passar pelo posto 37, na entrada da Praia da Almada. “Saímos atrás no outro posto e consegui passar três”, completa.

Na troca número 39 a Butenas continuava na frente, com diferença de cerca de quatro minutos para os mineiros, fato que deixou Claire Mansur um tanto quanto nervosa antes de sair para correr. “Estamos em primeiro e agora vai depender de mim para entregar em primeiro. A gente fica nervosa, pois sabe que outras pessoas fizeram um grande esforço e agora é a minha vez”.

Cláudia Dumont, da BH, está confiante por um novo resultado positivo. “Hoje está mais difícil pelo acúmulo do primeiro dia. Nossos atletas mais fortes ficam para o fim, então vamos tentar buscar de novo a vitória”, completa.

Natália Vasconcelos, também de Minas, avalia que cada equipe tem estratégias diferentes para cada um dos dias e o detalhe vai fazer a diferença. “Algumas começam dando tudo o que tem, outras se resguardam no começo, já que cada um treina num local diferente antes da prova”. Ao ser perguntada se eles tinham uma carta na manga, ela foi enfática. “Uai! Não tem como prever nada, seria muita pretensão”.

A caravana já passou a divisa de São Paulo com o Rio de Janeiro e agora segue para o Hotel do Frade, em Angra dos Reis. Siga o @Webrun no Twitter e fique por dentro de informações atualizadas sobre os trechos da prova.


Desafio 600k : alternância de liderança marca metade do segundo dia

Ultra Maratona · 22 out, 2010

Direto de Parati - A primeira metade do segundo dia de prova do Desafio Nike 600k tem sido marcada pela alternância de liderança entres diversas equipes. Ao contrário do que aconteceu na quinta-feira (21/10), nessa sexta a Belo Horizonte não dominou a disputa e teve que encarar a Nike+, Butenas, Filhos do vento e outras.

A largada aconteceu às 5h na cidade de Maresias e o objetivo é cumprir o trecho até a cidade de Angra dos Reis, já no Rio de Janeiro. Junto com os atletas do Desafio 600k, saíram também os representantes que disputam a prova paralela entre as duas cidades.

O clima tem colaborado, já que São Pedro segurou a chuva até a metade da prova e, ao mesmo tempo, o sol escaldante também não deu as caras. A alta umidade é o único desafio climático, fato que os corredores tiram de letra.

“Hoje está mais disputado do que ontem, pois todo mundo está com dor muscular e travado. Amanhã será ainda pior”, conta Bruno Paulino do Santos, da Butenas, ao passar pelo posto 37, na entrada da Praia da Almada. “Saímos atrás no outro posto e consegui passar três”, completa.

Na troca número 39 a Butenas continuava na frente, com diferença de cerca de quatro minutos para os mineiros, fato que deixou Claire Mansur um tanto quanto nervosa antes de sair para correr. “Estamos em primeiro e agora vai depender de mim para entregar em primeiro. A gente fica nervosa, pois sabe que outras pessoas fizeram um grande esforço e agora é a minha vez”.

Cláudia Dumont, da BH, está confiante por um novo resultado positivo. “Hoje está mais difícil pelo acúmulo do primeiro dia. Nossos atletas mais fortes ficam para o fim, então vamos tentar buscar de novo a vitória”, completa.

Natália Vasconcelos, também de Minas, avalia que cada equipe tem estratégias diferentes para cada um dos dias e o detalhe vai fazer a diferença. “Algumas começam dando tudo o que tem, outras se resguardam no começo, já que cada um treina num local diferente antes da prova”. Ao ser perguntada se eles tinham uma carta na manga, ela foi enfática. “Uai! Não tem como prever nada, seria muita pretensão”.

A caravana já passou a divisa de São Paulo com o Rio de Janeiro e agora segue para o Hotel do Frade, em Angra dos Reis. Siga o @Webrun no Twitter e fique por dentro de informações atualizadas sobre os trechos da prova.