Nextell

Chuva, calor e quenianos marcam Nextel 10km

Corridas de Rua · 04 nov, 2007

O mineiro João Ferreira de Lima, o João da Bota como é conhecido, ganhou a corrida Nextel 10km Cidade Maravilhosa neste domingo e teve como principais adversários o calor, a chuva e os quenianos que fizeram uma dobradinha conquistando o segundo e terceiro lugar. Entre as mulheres, a vitória foi de Chemtai Rionotukei, do Quênia, confira como foi.

Rio de Janeiro - Nos primeiros quilômetros da prova masculina a liderança era dos atletas quenianos, porém no quilometro cinco João assumiu a liderança e com um tempo de 29min53 cruzou a linha de chegada agitando a bandeira do cruzeiro, sua equipe. “O percurso é muito bom e a chuva também, porque se estivesse sol ficaria muito mais quente. Eu só estava com medo que desse bolha, mas deu tudo certo”, ressalta o campeão.

O queniano Mutai Kipkemei ficou em segundo (30min08), seguido do seu compatriota James Rotich (30min13). Mutai foi receber o troféu com uma camiseta com os dizeres em inglês “não é somente quão rápido você corre, mas o quanto você se dedica à corrida”. Depois da premiação ele justificou a frase dizendo “eu me dedico muito a isto, adoro correr”.

Mulheres - Na prova feminina a queniana Chemtai Rionotukei não deu chance para as atletas brasileiras, já que começou a abrir vantagem no quilômetro quatro e cruzou a linha de chegada em 35min. “A prova foi boa, mas difícil. O tempo estava bom e tivemos sorte que choveu” diz Chemtai, que ainda aproveitou para elogiar a Cidade Maravilhosa. “Eu realmente gosto do Rio de Janeiro, as pessoas são amigas”.

Um minuto e dezesseis segundos depois de Chemtai chegou Isabel Cristina Feliciano, que passou mal com o calor. “Eu poderia ter ido melhor, mas não quis forçar e o resultado foi legal”. O terceiro lugar ficou com Simone Alves da Silva, que fez um tempo de 35min30.

A prova também marcou o retorno de Selma Cândida dos Reis aos pódios, que passou o ano de 2006 sem correr por causa de uma lesão e estava extremamente feliz com a quarta colocação. “Eu já tinha participado de algumas provas pequenas este ano, mas de ponta esta foi a primeira e fiquei muito feliz com o resultado”, comemora. “Estava com saudades, minha vida é correr, faço isto desde os 16 anos e depois de 20 anos correndo, quando paramos um ano, a gente fica com saudades dos amigos, das corridas e até dos jornalistas”, brinca.

Publico marca presença - Quase três mil pessoas estavam presentes para participar tanto da corrida de 10 quilômetros, quanto da caminhada de cinco. Desde as 8h da manhã as pessoas já começavam a se reunir para o aquecimento.

Maria da Gloria, de 71 anos, era uma das mais empolgadas “Hoje o tempo está ideal, eu pedi para o meu Pai do céu este tempo fresquinho, porque é melhor do que o sol” diz a entusiasmada atleta que afirma ter mais de 40 medalhas de participação em sua casa.

O pedido de Dona Maria foi atendido e quarenta minutos antes da largada uma chuva típica do verão carioca refrescou o calor e levou todos os corredores a se abrigarem debaixo das barracas montadas pelas equipes. Eles só saíram de lá bem próximo à hora da largada, ocasião em que a chuva diminuiu e se transformou numa garoa leve. Mesmo assim, alguns resolveram fazer a caminhada com seus guarda-chuvas.

No fim da prova os corredores foram recebidos ao som do grupo Afro Reggae, que tocou durante 10 minutos antes da premiação e a festa foi maior ainda quando chegou a informação que haveria o sorteio de uma impressora para os presentes. “Eu gostei muito da prova, está tudo perfeito e o grupo toca muito bem”, conta Letícia Nunes, que após a corrida dançava animada.


Chuva, calor e quenianos marcam Nextel 10km

Corridas de Rua · 04 nov, 2007

O mineiro João Ferreira de Lima, o João da Bota como é conhecido, ganhou a corrida Nextel 10km Cidade Maravilhosa neste domingo e teve como principais adversários o calor, a chuva e os quenianos que fizeram uma dobradinha conquistando o segundo e terceiro lugar. Entre as mulheres, a vitória foi de Chemtai Rionotukei, do Quênia, confira como foi.

Rio de Janeiro - Nos primeiros quilômetros da prova masculina a liderança era dos atletas quenianos, porém no quilometro cinco João assumiu a liderança e com um tempo de 29min53 cruzou a linha de chegada agitando a bandeira do cruzeiro, sua equipe. “O percurso é muito bom e a chuva também, porque se estivesse sol ficaria muito mais quente. Eu só estava com medo que desse bolha, mas deu tudo certo”, ressalta o campeão.

O queniano Mutai Kipkemei ficou em segundo (30min08), seguido do seu compatriota James Rotich (30min13). Mutai foi receber o troféu com uma camiseta com os dizeres em inglês “não é somente quão rápido você corre, mas o quanto você se dedica à corrida”. Depois da premiação ele justificou a frase dizendo “eu me dedico muito a isto, adoro correr”.

Mulheres - Na prova feminina a queniana Chemtai Rionotukei não deu chance para as atletas brasileiras, já que começou a abrir vantagem no quilômetro quatro e cruzou a linha de chegada em 35min. “A prova foi boa, mas difícil. O tempo estava bom e tivemos sorte que choveu” diz Chemtai, que ainda aproveitou para elogiar a Cidade Maravilhosa. “Eu realmente gosto do Rio de Janeiro, as pessoas são amigas”.

Um minuto e dezesseis segundos depois de Chemtai chegou Isabel Cristina Feliciano, que passou mal com o calor. “Eu poderia ter ido melhor, mas não quis forçar e o resultado foi legal”. O terceiro lugar ficou com Simone Alves da Silva, que fez um tempo de 35min30.

A prova também marcou o retorno de Selma Cândida dos Reis aos pódios, que passou o ano de 2006 sem correr por causa de uma lesão e estava extremamente feliz com a quarta colocação. “Eu já tinha participado de algumas provas pequenas este ano, mas de ponta esta foi a primeira e fiquei muito feliz com o resultado”, comemora. “Estava com saudades, minha vida é correr, faço isto desde os 16 anos e depois de 20 anos correndo, quando paramos um ano, a gente fica com saudades dos amigos, das corridas e até dos jornalistas”, brinca.

Publico marca presença - Quase três mil pessoas estavam presentes para participar tanto da corrida de 10 quilômetros, quanto da caminhada de cinco. Desde as 8h da manhã as pessoas já começavam a se reunir para o aquecimento.

Maria da Gloria, de 71 anos, era uma das mais empolgadas “Hoje o tempo está ideal, eu pedi para o meu Pai do céu este tempo fresquinho, porque é melhor do que o sol” diz a entusiasmada atleta que afirma ter mais de 40 medalhas de participação em sua casa.

O pedido de Dona Maria foi atendido e quarenta minutos antes da largada uma chuva típica do verão carioca refrescou o calor e levou todos os corredores a se abrigarem debaixo das barracas montadas pelas equipes. Eles só saíram de lá bem próximo à hora da largada, ocasião em que a chuva diminuiu e se transformou numa garoa leve. Mesmo assim, alguns resolveram fazer a caminhada com seus guarda-chuvas.

No fim da prova os corredores foram recebidos ao som do grupo Afro Reggae, que tocou durante 10 minutos antes da premiação e a festa foi maior ainda quando chegou a informação que haveria o sorteio de uma impressora para os presentes. “Eu gostei muito da prova, está tudo perfeito e o grupo toca muito bem”, conta Letícia Nunes, que após a corrida dançava animada.