mozart

Ultra: brasileiro não consegue terminar a Badwater

Ultra Maratona · 01 ago, 2006

O ultramaratonista brasileiro Mozart dos Santos Júnior não completou a competição americana Badwater. Esta aconteceu no deserto do Mojave, na Califórnia, e contava com um percurso de 217km a baixo do nível do mar.

Mozart era um dos três brasileiros da competição, porém ele não concluiu o desafio. Segundo o atleta, a prova foi acima da sua preparação psicológica. “Não faltou preparo físico, faltou preparo mental. Aprendemos muito como equipe, e individualmente. Sempre estive preparado para o não sucesso, pois sei que ele ocorre. Quando desisti, faltava pouco menos de 90km e a temperatura estava baixinha, 49ºC”, brinca.

O brasileiro contou que estava bem fisicamente e espiritualmente, mas algumas coisas fizeram-no refletir melhor. “Acontece que avaliei o que faltava e julguei-me sem condições de terminar, pois iria subir a mais de 2500 metros e na madrugada, já tinha tido problemas de pressão baixa e falta de ar a 1400 metros. Achei melhor não arriscar e abortei a tentativa”, revela.

Agora Mozart volta para o Brasil. Ele irá se recuperar da prova e pretende encarar o desafio de novo. A Badwater era a terceira prova de um projeto pessoal, o “Poeira Quente”. Ele planejou correr e concluir as três provas consideradas mais difíceis do planeta. Duas delas já foram conquistadas, a Maratona Des Sables e a Desert Cup, ambas no deserto do Saara. A única que faltava era a prova americana.


Ultra: brasileiro não consegue terminar a Badwater

Ultra Maratona · 01 ago, 2006

O ultramaratonista brasileiro Mozart dos Santos Júnior não completou a competição americana Badwater. Esta aconteceu no deserto do Mojave, na Califórnia, e contava com um percurso de 217km a baixo do nível do mar.

Mozart era um dos três brasileiros da competição, porém ele não concluiu o desafio. Segundo o atleta, a prova foi acima da sua preparação psicológica. “Não faltou preparo físico, faltou preparo mental. Aprendemos muito como equipe, e individualmente. Sempre estive preparado para o não sucesso, pois sei que ele ocorre. Quando desisti, faltava pouco menos de 90km e a temperatura estava baixinha, 49ºC”, brinca.

O brasileiro contou que estava bem fisicamente e espiritualmente, mas algumas coisas fizeram-no refletir melhor. “Acontece que avaliei o que faltava e julguei-me sem condições de terminar, pois iria subir a mais de 2500 metros e na madrugada, já tinha tido problemas de pressão baixa e falta de ar a 1400 metros. Achei melhor não arriscar e abortei a tentativa”, revela.

Agora Mozart volta para o Brasil. Ele irá se recuperar da prova e pretende encarar o desafio de novo. A Badwater era a terceira prova de um projeto pessoal, o “Poeira Quente”. Ele planejou correr e concluir as três provas consideradas mais difíceis do planeta. Duas delas já foram conquistadas, a Maratona Des Sables e a Desert Cup, ambas no deserto do Saara. A única que faltava era a prova americana.