Iraque

COI bane Iraque da olimpíada de Pequim

Maratona · 24 jul, 2008

O Comitê Olímpico Internacional (COI) baniu definitivamente o Iraque da Olimpíada de Pequim, que acontece em agosto, e agora terá que redistribuir as vagas dos atletas iraquianos para outros países. O COI suspendeu temporariamente o país no último mês de junho, depois que o Governo desmanchou o Comitê Olímpico Nacional e instalou um novo comitê, regido pelo Ministro do Esporte.

O COI não reconhece esse tipo de administração, pois o código olímpico proíbe qualquer interferência política no Movimento Olímpico, de acordo com a regra número 28. Segundo comunicado oficial, as entidades governamentais iraquianas foram convidadas a discutir o assunto, mas não responderam ao chamado.

“O Comitê Olímpico Internacional gostaria de ver os atletas do Iraque em Pequim e está desapontado que eles tenham sido tão mal servidos pelas ações do governo”, informa o comunicado. Ainda segundo a declaração, nos últimos cinco anos o COI e a família olímpica providenciaram fundos de treinos e oportunidades de suporte para o Comitê Olímpico Nacional e os mais de 50 atletas e treinadores, trabalho que foi destruído pelas ações governamentais.


COI bane Iraque da olimpíada de Pequim

Maratona · 24 jul, 2008

O Comitê Olímpico Internacional (COI) baniu definitivamente o Iraque da Olimpíada de Pequim, que acontece em agosto, e agora terá que redistribuir as vagas dos atletas iraquianos para outros países. O COI suspendeu temporariamente o país no último mês de junho, depois que o Governo desmanchou o Comitê Olímpico Nacional e instalou um novo comitê, regido pelo Ministro do Esporte.

O COI não reconhece esse tipo de administração, pois o código olímpico proíbe qualquer interferência política no Movimento Olímpico, de acordo com a regra número 28. Segundo comunicado oficial, as entidades governamentais iraquianas foram convidadas a discutir o assunto, mas não responderam ao chamado.

“O Comitê Olímpico Internacional gostaria de ver os atletas do Iraque em Pequim e está desapontado que eles tenham sido tão mal servidos pelas ações do governo”, informa o comunicado. Ainda segundo a declaração, nos últimos cinco anos o COI e a família olímpica providenciaram fundos de treinos e oportunidades de suporte para o Comitê Olímpico Nacional e os mais de 50 atletas e treinadores, trabalho que foi destruído pelas ações governamentais.