favorito

Marílson dos Santos é o brasileiro favorito no Pan de Guadalajara

Atletismo · 20 jun, 2011

Os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, no México, que será disputado do dia 23 ao dia 30 de outubro, já tem um representante brasileiro de destaque na prova: Marílson Gomes dos Santos. O fundista é um dos seis integrantes do Clube de Atletismo da Bm&FBovespa e é o primeiro do ranking Cbat, nos 10.000m.

Marílson conquistou quatro medalhas em Pan-Americanos, sendo duas de prata nos 10.000 m e duas de bronze nos 5.000m, em Santo Domingo e no Rio de Janeiro, nos anos de 2003 e 2007, respectivamente. O fundista também obteve índice no Desafio Internacional Olímpico, em maio, quando correu os 10.000m em 28min09s24, melhor marca de sua carreira na cidade.

"Os 10.000 m serão uma prova dura, tanto pela altitude de Guadalajara como pela presença dos mexicanos, que são muito bons. Mas o Marílson está numa boa temporada, brigará pelo ouro", acredita o técnico do atleta, Adauto Domingues. Em 2011, Marílson superou sua própria marca (2h08min37) na Maratona de Londres, em abril, com 2h06min34.

Em maio, ele também bateu o recorde dos 10 km Tribuna FM-Unilus, vencendo a prova com 27min59, abaixo dos 28min01, registrado por Vanderlei Cordeiro de Lima em 1997. Além dessas conquistas, o brasiliense completou a Meia Maratona de Nova York em 1h01min23 e agora quer correr uma maratona rápida no segundo semestre, para conseguir uma vaga nos Jogos Olímpicos de Londres (2012).

Outros atletas que estão na pré-lista da seleção são Jean Carlos da Silva (maratona), Joílson Bernardo da Silva (5.000m), Hudson Santos de Souza (3.000m com obstáculos), Fabiana Cristine (1.500m e 5.000m) , Cruz Nonata e Simone Alves da Silva (nos 5.000m e 10.000m). De acordo com Ricardo D’Angelo, técnico-chefe da equipe azul e branca, todos os fundistas do País têm chances reais de trazer medalhas.

“Vamos competir contra bons fundistas do México, país com uma nova geração de corredores em pista, além dos norte-americanos e um excelente equatoriano, nos 10 mil metros [Byron Piedra]. Mas eu considero que todos os nossos fundistas estão na zona de medalhas”, acredita Ricardo.


Marílson dos Santos é o brasileiro favorito no Pan de Guadalajara

Atletismo · 20 jun, 2011

Os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, no México, que será disputado do dia 23 ao dia 30 de outubro, já tem um representante brasileiro de destaque na prova: Marílson Gomes dos Santos. O fundista é um dos seis integrantes do Clube de Atletismo da Bm&FBovespa e é o primeiro do ranking Cbat, nos 10.000m.

Marílson conquistou quatro medalhas em Pan-Americanos, sendo duas de prata nos 10.000 m e duas de bronze nos 5.000m, em Santo Domingo e no Rio de Janeiro, nos anos de 2003 e 2007, respectivamente. O fundista também obteve índice no Desafio Internacional Olímpico, em maio, quando correu os 10.000m em 28min09s24, melhor marca de sua carreira na cidade.

"Os 10.000 m serão uma prova dura, tanto pela altitude de Guadalajara como pela presença dos mexicanos, que são muito bons. Mas o Marílson está numa boa temporada, brigará pelo ouro", acredita o técnico do atleta, Adauto Domingues. Em 2011, Marílson superou sua própria marca (2h08min37) na Maratona de Londres, em abril, com 2h06min34.

Em maio, ele também bateu o recorde dos 10 km Tribuna FM-Unilus, vencendo a prova com 27min59, abaixo dos 28min01, registrado por Vanderlei Cordeiro de Lima em 1997. Além dessas conquistas, o brasiliense completou a Meia Maratona de Nova York em 1h01min23 e agora quer correr uma maratona rápida no segundo semestre, para conseguir uma vaga nos Jogos Olímpicos de Londres (2012).

Outros atletas que estão na pré-lista da seleção são Jean Carlos da Silva (maratona), Joílson Bernardo da Silva (5.000m), Hudson Santos de Souza (3.000m com obstáculos), Fabiana Cristine (1.500m e 5.000m) , Cruz Nonata e Simone Alves da Silva (nos 5.000m e 10.000m). De acordo com Ricardo D’Angelo, técnico-chefe da equipe azul e branca, todos os fundistas do País têm chances reais de trazer medalhas.

“Vamos competir contra bons fundistas do México, país com uma nova geração de corredores em pista, além dos norte-americanos e um excelente equatoriano, nos 10 mil metros [Byron Piedra]. Mas eu considero que todos os nossos fundistas estão na zona de medalhas”, acredita Ricardo.