Fabiano Peçanha

Fabiano Peçanha é bronze na Universíades

Corridas de Rua · 14 ago, 2007

O brasileiro Fabiano Peçanha conquistou a medalha de bronze na disputa dos 1.500 metros da Universíades, competição entre universitários do mundo todo que acontece em Bangkok (Tailândia). Na última segunda-feira o gaúcho marcou o tempo de 3min40seg98 e ficou com a medalha de bronze, atrás do atleta da Algéria Samir Khadar (3min39seg62) e do espanhol Álvaro Rodriguez (3min39seg78).

Peçanha, que tem o apoio da Universidade de Santa Cruz do Sul (RS), havia se classificado para as finais com o melhor tempo (3min42seg80), mas não conseguiu repetir o feito na decisão.

A Universiade foi criada em 1923 pelo francês Jean Petitjean, um ano antes da criação da Confederação Internacional dos Estudantes (ICS) e só perde para os Jogos Olímpicos em nível de importância para os estudantes. A Segunda Guerra Mundial interrompeu o evento, que retornou na França após o processo de paz com poucas delegações.

Em 1949 nasceu a Federação Internacional de Esportes Universitários (FISU) e em 1957 a Federação Francesa organizou uma competição universitária que trouxe de voltas atletas dos blocos Ocidentais e Orientais. A partir de 1959, com a primeira edição oficial dos Jogos, em Turim (Itália), a competição é realizada a cada dois anos. Também existe uma versão de inverno do evento.


Fabiano Peçanha é bronze na Universíades

Corridas de Rua · 14 ago, 2007

O brasileiro Fabiano Peçanha conquistou a medalha de bronze na disputa dos 1.500 metros da Universíades, competição entre universitários do mundo todo que acontece em Bangkok (Tailândia). Na última segunda-feira o gaúcho marcou o tempo de 3min40seg98 e ficou com a medalha de bronze, atrás do atleta da Algéria Samir Khadar (3min39seg62) e do espanhol Álvaro Rodriguez (3min39seg78).

Peçanha, que tem o apoio da Universidade de Santa Cruz do Sul (RS), havia se classificado para as finais com o melhor tempo (3min42seg80), mas não conseguiu repetir o feito na decisão.

A Universiade foi criada em 1923 pelo francês Jean Petitjean, um ano antes da criação da Confederação Internacional dos Estudantes (ICS) e só perde para os Jogos Olímpicos em nível de importância para os estudantes. A Segunda Guerra Mundial interrompeu o evento, que retornou na França após o processo de paz com poucas delegações.

Em 1949 nasceu a Federação Internacional de Esportes Universitários (FISU) e em 1957 a Federação Francesa organizou uma competição universitária que trouxe de voltas atletas dos blocos Ocidentais e Orientais. A partir de 1959, com a primeira edição oficial dos Jogos, em Turim (Itália), a competição é realizada a cada dois anos. Também existe uma versão de inverno do evento.

Fabiano Peçanha quer ouro nos 800m do Pan

Atletismo · 01 fev, 2007

O brasileiro Fabiano Peçanha, especialista nos 800m e atual segundo colocado no ranking da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), se prepara para os Jogos Pan-Americanos. Segundo o atleta, para obter bosn resultados, como a medalha de ouro que almeja, os treinos precisam ser intensos e bem focados.

“Vou retomar os treinos de pista para passar pelas etapas para classificatórias do Pan e no dia 24 de junho, no Troféu Brasil, pretendo carimbar de vez o passaporte”, comenta.

Após conquistar o bronze nos jogos de 2003, em Santo Domingo, ele pretende usar a experiência para chegar ao lugar mais alto do pódio. “Em 2003 eu era o mais novo da equipe e fiquei feliz com o bronze. Esse ano não tem como fugir do desejo pelo ouro e tenho certeza que posso correr de igual para igual e até melhor do que os adversários, mesmo sabendo que a dificuldade é muito grande”, ressalta.

Adversários - Na prova estarão reunidos atletas de alto nível dos mais diversos países do continente americano e na opinião de Peçanha, além dos brasileiros, os americanos, os canadenses e os mexicanos podem representar uma ameaça. “Com os americanos é sempre bom abrir o olho, dois tem um tempo melhor que o meu, assim como um canadense e tem que sempre cuidar dos países da América Central, como o México”, avalia.

Já na América do Sul, ele acredita que os “hermanos” argentinos não são vistos como uma concorrência direta, pois os brasileiros são os melhores. “Na América do Sul os brasileiros são os melhores e tem bons atletas competindo na seletiva para o Pan, que já é bem difícil”.

Cidade acolhedora - Fabiano treina na cidade gaúcha de Santa Cruz do Sul, que fica cerca de 160 quilômetros de Porto Alegre, onde ele sempre encontra apoio da torcida. Atualmente ele é patrocinado pela Universidade de Santa Cruz do Sul e, apesar de já ter recebido algumas propostas para mudar de município, ele se diz contente com a atual situação.

“Eu tenho um apoio bom em Santa Cruz. Vivemos no país do futebol e sou grato, pois não há poucas equipes que investem no atletismo e a Unisc é uma delas. Outro diferencial é a torcida, o pessoal torce e vibra junto comigo e isso é muito bom”, comenta. “Eu seria apenas mais um num grande centro”, completa.

Fora das pistas o atleta também é atuante e vai lançar em fevereiro a Associação Medalha de Ouro, um centro de treinamento para crianças. “É um sonho antigo que eu tinha e agora vou conseguir realizar. Como tenho que treinar, vou cuidar mais da parte de contatos e parceria e vai ser bem legal, revolucionário no atletismo”.

Além do centro, Peçanha tem um outro projeto pessoal em andamento, um DVD. Por ser formado em Educação Física, ele resolveu elaborar um documentário sobre sua carreira, além de algumas dicas de treino. “Serão algumas dicas de metodologia de treinamento e de exercícios”, finaliza.


Fabiano Peçanha quer ouro nos 800m do Pan

Atletismo · 01 fev, 2007

O brasileiro Fabiano Peçanha, especialista nos 800m e atual segundo colocado no ranking da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), se prepara para os Jogos Pan-Americanos. Segundo o atleta, para obter bosn resultados, como a medalha de ouro que almeja, os treinos precisam ser intensos e bem focados.

“Vou retomar os treinos de pista para passar pelas etapas para classificatórias do Pan e no dia 24 de junho, no Troféu Brasil, pretendo carimbar de vez o passaporte”, comenta.

Após conquistar o bronze nos jogos de 2003, em Santo Domingo, ele pretende usar a experiência para chegar ao lugar mais alto do pódio. “Em 2003 eu era o mais novo da equipe e fiquei feliz com o bronze. Esse ano não tem como fugir do desejo pelo ouro e tenho certeza que posso correr de igual para igual e até melhor do que os adversários, mesmo sabendo que a dificuldade é muito grande”, ressalta.

Adversários - Na prova estarão reunidos atletas de alto nível dos mais diversos países do continente americano e na opinião de Peçanha, além dos brasileiros, os americanos, os canadenses e os mexicanos podem representar uma ameaça. “Com os americanos é sempre bom abrir o olho, dois tem um tempo melhor que o meu, assim como um canadense e tem que sempre cuidar dos países da América Central, como o México”, avalia.

Já na América do Sul, ele acredita que os “hermanos” argentinos não são vistos como uma concorrência direta, pois os brasileiros são os melhores. “Na América do Sul os brasileiros são os melhores e tem bons atletas competindo na seletiva para o Pan, que já é bem difícil”.

Cidade acolhedora - Fabiano treina na cidade gaúcha de Santa Cruz do Sul, que fica cerca de 160 quilômetros de Porto Alegre, onde ele sempre encontra apoio da torcida. Atualmente ele é patrocinado pela Universidade de Santa Cruz do Sul e, apesar de já ter recebido algumas propostas para mudar de município, ele se diz contente com a atual situação.

“Eu tenho um apoio bom em Santa Cruz. Vivemos no país do futebol e sou grato, pois não há poucas equipes que investem no atletismo e a Unisc é uma delas. Outro diferencial é a torcida, o pessoal torce e vibra junto comigo e isso é muito bom”, comenta. “Eu seria apenas mais um num grande centro”, completa.

Fora das pistas o atleta também é atuante e vai lançar em fevereiro a Associação Medalha de Ouro, um centro de treinamento para crianças. “É um sonho antigo que eu tinha e agora vou conseguir realizar. Como tenho que treinar, vou cuidar mais da parte de contatos e parceria e vai ser bem legal, revolucionário no atletismo”.

Além do centro, Peçanha tem um outro projeto pessoal em andamento, um DVD. Por ser formado em Educação Física, ele resolveu elaborar um documentário sobre sua carreira, além de algumas dicas de treino. “Serão algumas dicas de metodologia de treinamento e de exercícios”, finaliza.