Ezequiel Morales

Ezequiel Morales busca título inédito do Ironman Brasil

Triathlon · 18 maio, 2012

Ezequiel Morales, argentino radicado no Estado do Rio de Janeiro, disputa neste ano seu sexto Ironman Brasil. O triatleta já chegou perto da vitória mais de uma vez, mas acredita que este pode ser o ano de subir ao lugar mais alto do pódio.

“Foquei bem essa prova como a principal do primeiro semestre, tanto que só competi duas vezes no ano, só pensando nessa prova no Brasil”, revela Ezequiel. “Já fui segundo, terceiro e quarto (em Florianópolis), acho que tenho bagagem o suficiente para tentar a primeira colocação”, afirma.

Apesar de reconhecer a dificuldade e o alto nível dos outros participantes, o argentino está confiante. Suas provas na temporada até aqui foram um meio Iron no Panamá e outra competição longa, na Argentina.

“No Panamá fiquei em décimo e um pouco decepcionado, porque tinha treinado muito bem. No entanto, o nível da prova era bem alto”, reconhece. Na ocasião, a disputa foi vencida pelo neozelandês Bevan Docherty, que já conquistou duas medalhas olímpicas, e o segundo lugar ficou com o renomado ciclista Lance Armstrong.

Lesão nas costas- Ezequiel recupera-se de um incômodo na região lombar por overtraining. “Sinto as costas na hora da corrida”, explica, “mas nas últimas semanas tem melhorado, acho que estarei bem”.

O resultado em Florianópolis norteará o resto da temporada do argentino. “Se ficar motivado posso pensar em ir para o Havaí (Ironman Mundial, em Kona), mas o segundo Iron que quero fazer é em Cozumel, no México”, define.


Ezequiel Morales busca título inédito do Ironman Brasil

Triathlon · 18 maio, 2012

Ezequiel Morales, argentino radicado no Estado do Rio de Janeiro, disputa neste ano seu sexto Ironman Brasil. O triatleta já chegou perto da vitória mais de uma vez, mas acredita que este pode ser o ano de subir ao lugar mais alto do pódio.

“Foquei bem essa prova como a principal do primeiro semestre, tanto que só competi duas vezes no ano, só pensando nessa prova no Brasil”, revela Ezequiel. “Já fui segundo, terceiro e quarto (em Florianópolis), acho que tenho bagagem o suficiente para tentar a primeira colocação”, afirma.

Apesar de reconhecer a dificuldade e o alto nível dos outros participantes, o argentino está confiante. Suas provas na temporada até aqui foram um meio Iron no Panamá e outra competição longa, na Argentina.

“No Panamá fiquei em décimo e um pouco decepcionado, porque tinha treinado muito bem. No entanto, o nível da prova era bem alto”, reconhece. Na ocasião, a disputa foi vencida pelo neozelandês Bevan Docherty, que já conquistou duas medalhas olímpicas, e o segundo lugar ficou com o renomado ciclista Lance Armstrong.

Lesão nas costas- Ezequiel recupera-se de um incômodo na região lombar por overtraining. “Sinto as costas na hora da corrida”, explica, “mas nas últimas semanas tem melhorado, acho que estarei bem”.

O resultado em Florianópolis norteará o resto da temporada do argentino. “Se ficar motivado posso pensar em ir para o Havaí (Ironman Mundial, em Kona), mas o segundo Iron que quero fazer é em Cozumel, no México”, define.

Ezequiel Morales, 2° lugar no Ironman BR 2010, treina para ser campeão

Triathlon · 06 abr, 2011

Natural da Província de Lobos, localizada a cerca de 100 quilômetros de Buenos Aires, o triatleta Ezequiel Morales, radicado na cidade de Niterói, no Rio de Janeiro, buscará o primeiro lugar no Ironman Brasil 2011. Na edição passada, o argentino foi vice-campeão (8h11min10), chegou logo após o australiano Luke McKenzie, que não só ganhou a disputa como também bateu recorde do percurso (8h07min38).

Os treinos para enfrentar a prova no dia 29 de maio não se diferenciam do ano anterior, segundo o triatleta, pois foi em 2010 que ele teve o melhor desempenho. “A preparação do ano passado foi ótima, tive um resultado além do que esperava”, conta Ezequiel, que após a competição de 2009 (prova onde obteve a quarta colocação), decidiu parar de treinar com a ajuda de um técnico.

“Queria minha própria experiência. Sou formado [Educação Física], tenho pós-graduação, especializado em Iniciação ao Alto Rendimento e achei que era hora de seguir meu caminho”, relata o vice-campeão. O treinamento de um Ironman, ainda de acordo com o triatleta, não é apenas somar quilômetros, mas sim ter atenção com o corpo a cada dia, já que o desgaste é muito grande. “Se você treina demais, chega cansado não só fisicamente, como psicologicamente, aí não é possível dar 100%”, explica o argentino.

Ele também descreve que inicialmente ficava muito magro e cansado, mas após se tornar mais atento com o peso e a recuperação necessária para chegar com força na prova, o desempenho aumentou. “O principal é ter paciência, pois ano passado fiquei em segundo lugar, mas não foi apenas um ano de treinos, foram muitos anos. Fiz diversas provas, que dão bagagem, conhecimento e experiência”, acrescenta.

Trajeto e habilidades - “Comparando com o Havaí, acho o percurso daqui fácil. No Brasil praticamente não tem subida e o clima aqui é bom, nem quente, nem frio. Além do mar ser bastante tranquilo”, descreve Ezequiel, triatleta com melhor performance na corrida. “Comecei a nadar depois dos 20 anos, então ficou um pouco mais difícil. Eu me esforço, mas não atinjo todos os limites”.

Ezequiel Morales tem 37 anos e começou a correr aos 14. Alguns anos mais tarde, quando se mudou para Mar de Plata para estudar, queria ser salva-vidas e passou a fazer aulas de natação. Em seguida conheceu Maria Soledad Omar, atual esposa, que na época já era triatleta e acabou motivando o ingresso de Morales no triatlhon.


Ezequiel Morales, 2° lugar no Ironman BR 2010, treina para ser campeão

Triathlon · 06 abr, 2011

Natural da Província de Lobos, localizada a cerca de 100 quilômetros de Buenos Aires, o triatleta Ezequiel Morales, radicado na cidade de Niterói, no Rio de Janeiro, buscará o primeiro lugar no Ironman Brasil 2011. Na edição passada, o argentino foi vice-campeão (8h11min10), chegou logo após o australiano Luke McKenzie, que não só ganhou a disputa como também bateu recorde do percurso (8h07min38).

Os treinos para enfrentar a prova no dia 29 de maio não se diferenciam do ano anterior, segundo o triatleta, pois foi em 2010 que ele teve o melhor desempenho. “A preparação do ano passado foi ótima, tive um resultado além do que esperava”, conta Ezequiel, que após a competição de 2009 (prova onde obteve a quarta colocação), decidiu parar de treinar com a ajuda de um técnico.

“Queria minha própria experiência. Sou formado [Educação Física], tenho pós-graduação, especializado em Iniciação ao Alto Rendimento e achei que era hora de seguir meu caminho”, relata o vice-campeão. O treinamento de um Ironman, ainda de acordo com o triatleta, não é apenas somar quilômetros, mas sim ter atenção com o corpo a cada dia, já que o desgaste é muito grande. “Se você treina demais, chega cansado não só fisicamente, como psicologicamente, aí não é possível dar 100%”, explica o argentino.

Ele também descreve que inicialmente ficava muito magro e cansado, mas após se tornar mais atento com o peso e a recuperação necessária para chegar com força na prova, o desempenho aumentou. “O principal é ter paciência, pois ano passado fiquei em segundo lugar, mas não foi apenas um ano de treinos, foram muitos anos. Fiz diversas provas, que dão bagagem, conhecimento e experiência”, acrescenta.

Trajeto e habilidades - “Comparando com o Havaí, acho o percurso daqui fácil. No Brasil praticamente não tem subida e o clima aqui é bom, nem quente, nem frio. Além do mar ser bastante tranquilo”, descreve Ezequiel, triatleta com melhor performance na corrida. “Comecei a nadar depois dos 20 anos, então ficou um pouco mais difícil. Eu me esforço, mas não atinjo todos os limites”.

Ezequiel Morales tem 37 anos e começou a correr aos 14. Alguns anos mais tarde, quando se mudou para Mar de Plata para estudar, queria ser salva-vidas e passou a fazer aulas de natação. Em seguida conheceu Maria Soledad Omar, atual esposa, que na época já era triatleta e acabou motivando o ingresso de Morales no triatlhon.

Casal argentino radicado no RJ disputa Ironman BR e XTerra Amazônia

Triathlon · 27 maio, 2010

O casal de argentinos radicado em Niterói (RJ), Ezequiel Morales e Maria Soledad Omar, já está pronto para encarar mais um desafio na carreira: disputar o Ironman Brasil neste domingo (30/05) em Florianópolis e uma semana depois encarar o XTerra Amazônia, em Manaus. Durante todo o primeiro semestre eles fizeram um trabalho de base pensando na prova catarinense, mas ao tomarem conhecimento da disputa amazônica, resolveram aumentar os treinos para suportar as duas competições.

“Nosso foco principal é o Iron, mas ficamos empolgados em competir no meio da floresta amazônica e resolvemos prestigiar o XTerra”, conta Soledad. Ela conta que preferiu fazer o treino de preparação na Argentina, pois em Niterói teria que correr e pedalar em vias onde o tráfego de veículos é muito intenso.

“Valeu muito a pena, pois participamos de um meio Ironman por lá e fomos campeões. Depois voltamos para o Brasil e vencemos também uma prova em Criciúma, com distância pouco maior do que um triathlon olímpico”, completa a triatleta se referindo à tradicional distância de 1,5 quilômetro de natação, 40 de ciclismo e 10 de corrida.

Soledad disputará sua terceira prova de Ironman na carreira e a expectativa é chegar entre as cinco primeiras colocadas. “Essa é uma prova que ainda preciso de mais experiência. Eu já fui sétima e sexta colocada, então a top Five é a meta”, comenta a argentina que não esconde almejar voos mais altos. “Claro que se for possível, obter uma vaga para o Mundial do Havaí seria ótimo”.

Já seu marido, Ezequiel, chega à quinta disputa da modalidade e tem na bagagem uma participação no Havaí, o que certamente o coloca entre os favoritos ao título. “Ano passado fui quarto colocado, então busco pelo menos um terceiro lugar e uma das vagas para o mundial”, afirma.

XTerra - Depois de encarar os 3,8 quilômetros de natação, 180 de ciclismo e 42 de corrida em Floripa, o casal terá alguns dias de descanso antes de alinhar para os 1,5 quilômetro de natação no Rio Negro, 30 de mountain bike e nove de corrida do XTerra Amazônia. Descanso para um atleta de elite, porém, não significa colocar as pernas para o ar e relaxar completamente.

“Nesta semana vamos fazer alguns treinos leves para recuperar o corpo e já prepará-lo para a próxima competição”, explica Soledad. “Serão rodagens leves de velocidade, para o corpo ficar em alerta”. Segundo ela, o treino de bike e corrida não deve ultrapassar 40 minutos a uma hora por dia.

Apesar do desgaste, o casal afirma que participar de uma prova na maior floresta tropical do mundo vale qualquer esforço. “Será um desafio, adoramos aventura”, conta Soledad animada. “O que mais nos motivou foi poder competir nessa região do Brasil, com belas paisagens e no meio da natureza. É uma prova nota 10 para quem pratica esporte”, salienta Ezequiel, que pretende lutar pelo pódio.


Casal argentino radicado no RJ disputa Ironman BR e XTerra Amazônia

Triathlon · 27 maio, 2010

O casal de argentinos radicado em Niterói (RJ), Ezequiel Morales e Maria Soledad Omar, já está pronto para encarar mais um desafio na carreira: disputar o Ironman Brasil neste domingo (30/05) em Florianópolis e uma semana depois encarar o XTerra Amazônia, em Manaus. Durante todo o primeiro semestre eles fizeram um trabalho de base pensando na prova catarinense, mas ao tomarem conhecimento da disputa amazônica, resolveram aumentar os treinos para suportar as duas competições.

“Nosso foco principal é o Iron, mas ficamos empolgados em competir no meio da floresta amazônica e resolvemos prestigiar o XTerra”, conta Soledad. Ela conta que preferiu fazer o treino de preparação na Argentina, pois em Niterói teria que correr e pedalar em vias onde o tráfego de veículos é muito intenso.

“Valeu muito a pena, pois participamos de um meio Ironman por lá e fomos campeões. Depois voltamos para o Brasil e vencemos também uma prova em Criciúma, com distância pouco maior do que um triathlon olímpico”, completa a triatleta se referindo à tradicional distância de 1,5 quilômetro de natação, 40 de ciclismo e 10 de corrida.

Soledad disputará sua terceira prova de Ironman na carreira e a expectativa é chegar entre as cinco primeiras colocadas. “Essa é uma prova que ainda preciso de mais experiência. Eu já fui sétima e sexta colocada, então a top Five é a meta”, comenta a argentina que não esconde almejar voos mais altos. “Claro que se for possível, obter uma vaga para o Mundial do Havaí seria ótimo”.

Já seu marido, Ezequiel, chega à quinta disputa da modalidade e tem na bagagem uma participação no Havaí, o que certamente o coloca entre os favoritos ao título. “Ano passado fui quarto colocado, então busco pelo menos um terceiro lugar e uma das vagas para o mundial”, afirma.

XTerra - Depois de encarar os 3,8 quilômetros de natação, 180 de ciclismo e 42 de corrida em Floripa, o casal terá alguns dias de descanso antes de alinhar para os 1,5 quilômetro de natação no Rio Negro, 30 de mountain bike e nove de corrida do XTerra Amazônia. Descanso para um atleta de elite, porém, não significa colocar as pernas para o ar e relaxar completamente.

“Nesta semana vamos fazer alguns treinos leves para recuperar o corpo e já prepará-lo para a próxima competição”, explica Soledad. “Serão rodagens leves de velocidade, para o corpo ficar em alerta”. Segundo ela, o treino de bike e corrida não deve ultrapassar 40 minutos a uma hora por dia.

Apesar do desgaste, o casal afirma que participar de uma prova na maior floresta tropical do mundo vale qualquer esforço. “Será um desafio, adoramos aventura”, conta Soledad animada. “O que mais nos motivou foi poder competir nessa região do Brasil, com belas paisagens e no meio da natureza. É uma prova nota 10 para quem pratica esporte”, salienta Ezequiel, que pretende lutar pelo pódio.

Casal campeão no triathlon marca presença no XTerra São Lourenço

Triathlon · 15 mar, 2010

A etapa inédita do XTerra Regional realizada no Circuito das Águas, situado nas estâncias minerais de São Lourenço e Caxambu, em Minas Gerais, no último sábado (13/03), contou com a presença de um casal em especial: os argentinos Maria Soledad Omar e Ezequiel Morales, campeões do Circuito Triathlon Long Distance em 2009, que moram e treinam em Niterói (RJ).

Na disputa que teve largada às 10h da manhã, Soledad ficou com o segundo lugar, com o tempo final de 2h33min51, enquanto Ezequiel conseguiu a quarta colocação, depois de 2h07min36 de prova. Ao passar pelo portal de chegada, a campeã da edição brasileira do Xterra Brasil 2009, foi recebida com um beijo caloroso do marido.

O casal conta como a união no esporte ajuda na performance de alto nível assistida nas disputas. “Alguns perguntam se não achamos chato passar tanto tempo juntos treinando, e eu digo que não, pois com uma união de 16 anos, que é uma vida, nos conhecemos muito e sabemos como apoiar um ao outro”, diz o atleta que se dedica ao Ironman, e avisa ter participado no XTerra para mudar um pouco de ambiente e descontrair um pouco em uma prova que não é sua especialidade, o Mountain Bike.

“Treinamos juntos e nos ajudamos no dia a dia. Quando um não está disposto a sair, o outro dá incentivo e assim seguimos nos apoiando”, declara Soledad, sobre essa união de puro sucesso.


Casal campeão no triathlon marca presença no XTerra São Lourenço

Triathlon · 15 mar, 2010

A etapa inédita do XTerra Regional realizada no Circuito das Águas, situado nas estâncias minerais de São Lourenço e Caxambu, em Minas Gerais, no último sábado (13/03), contou com a presença de um casal em especial: os argentinos Maria Soledad Omar e Ezequiel Morales, campeões do Circuito Triathlon Long Distance em 2009, que moram e treinam em Niterói (RJ).

Na disputa que teve largada às 10h da manhã, Soledad ficou com o segundo lugar, com o tempo final de 2h33min51, enquanto Ezequiel conseguiu a quarta colocação, depois de 2h07min36 de prova. Ao passar pelo portal de chegada, a campeã da edição brasileira do Xterra Brasil 2009, foi recebida com um beijo caloroso do marido.

O casal conta como a união no esporte ajuda na performance de alto nível assistida nas disputas. “Alguns perguntam se não achamos chato passar tanto tempo juntos treinando, e eu digo que não, pois com uma união de 16 anos, que é uma vida, nos conhecemos muito e sabemos como apoiar um ao outro”, diz o atleta que se dedica ao Ironman, e avisa ter participado no XTerra para mudar um pouco de ambiente e descontrair um pouco em uma prova que não é sua especialidade, o Mountain Bike.

“Treinamos juntos e nos ajudamos no dia a dia. Quando um não está disposto a sair, o outro dá incentivo e assim seguimos nos apoiando”, declara Soledad, sobre essa união de puro sucesso.