Especial_Inverno_2002

Corra e se proteja no inverno

Sem categoria · 21 jun, 2002

No último dia 21 de junho entramos no período de inverno e alguns cuidados devem ser tomados pelos praticantes da corrida na época mais fria do ano, tais como:

Efeito sanfona: no frio o risco de engordar aumenta, devido a ingestão de alimentos de alto teor calórico. Procure manter uma alimentação balanceada, bem parecida com a que você consumiu no verão.

Deixe a preguiça de lado: se você está habituado a se exercitar pela manhã, mas, no frio pensa duas vezes antes de se levantar da cama quentinha, não tenha preguiça. Tente manter a rotina de treinos, porém, previna-se contra o frio.

Resistência em alta: todos sabem que a atividade física regular aumenta a resistência orgânica, prevenindo de gripes, osteoporose e doenças cardíacas. Por isso, consuma neste período alimentos ricos em vitamina C, como: laranja, acerola, mamão papaia, brócolis, morango, kiwi. Vale também reforçar a ingestão de alimentos que contenham vitamina E (potente antioxidante que combate os efeitos dos radicais livres): germe de trigo, amêndoa, gema de ovo.

Proteja o seu corpo: no inverno dê preferência para os tecidos tecnológicos (que mantém a temperatura de seu corpo enquanto você corre e transpira, sem deixar a camiseta encharcar). O uso de moletons, agasalhos, fleeces e calças são bem vindos. A região de seu corpo que merece maior atenção é do peito, por reunir vários órgãos vitais, portanto, mantenha-o sempre protegido. Se descuidar poderá ocasionar até uma pneumonia. As extremidades como mãos e pés também merecem atenção, proteja-os com luvas e meias especiais. Ao término da corrida troque imediatamente a roupa molhada por roupas secas.

Não corra ensacado: não pense em corre com uma capa de chuva em dias frios. Os plásticos junto ao corpo elevam demais a temperatura interna, aumenta a sudorese, e predispõe a desidratação.

Água fresca: mesmo no inverno se faz necessário a ingestão de água antes durante e após aos exercícios. Mantenha o hábito de se hidratar à cada 20 minutos com 200 ml de água durante a sua corrida diária, e, durante o dia três litros de água serão bem vindos.

Indoor: se você é daqueles que prefere correr em um lugar sem vento ou frio, com temperatura aclimatizada, o melhor é optar pela esteira. Saiba que ela surgiu com esta finalidade nos países onde seis meses por ano neva e ou outros seis meses faz frio, como a Finlândia. Lá os atletas olímpicos não tinham como treinar ao longo do ano, daí, criaram a esteira, o frequêncímetro – e "no more excuses" – treinam sem desculpa de que está frio ou chovendo.


Corra e se proteja no inverno

Sem categoria · 21 jun, 2002

No último dia 21 de junho entramos no período de inverno e alguns cuidados devem ser tomados pelos praticantes da corrida na época mais fria do ano, tais como:

Efeito sanfona: no frio o risco de engordar aumenta, devido a ingestão de alimentos de alto teor calórico. Procure manter uma alimentação balanceada, bem parecida com a que você consumiu no verão.

Deixe a preguiça de lado: se você está habituado a se exercitar pela manhã, mas, no frio pensa duas vezes antes de se levantar da cama quentinha, não tenha preguiça. Tente manter a rotina de treinos, porém, previna-se contra o frio.

Resistência em alta: todos sabem que a atividade física regular aumenta a resistência orgânica, prevenindo de gripes, osteoporose e doenças cardíacas. Por isso, consuma neste período alimentos ricos em vitamina C, como: laranja, acerola, mamão papaia, brócolis, morango, kiwi. Vale também reforçar a ingestão de alimentos que contenham vitamina E (potente antioxidante que combate os efeitos dos radicais livres): germe de trigo, amêndoa, gema de ovo.

Proteja o seu corpo: no inverno dê preferência para os tecidos tecnológicos (que mantém a temperatura de seu corpo enquanto você corre e transpira, sem deixar a camiseta encharcar). O uso de moletons, agasalhos, fleeces e calças são bem vindos. A região de seu corpo que merece maior atenção é do peito, por reunir vários órgãos vitais, portanto, mantenha-o sempre protegido. Se descuidar poderá ocasionar até uma pneumonia. As extremidades como mãos e pés também merecem atenção, proteja-os com luvas e meias especiais. Ao término da corrida troque imediatamente a roupa molhada por roupas secas.

Não corra ensacado: não pense em corre com uma capa de chuva em dias frios. Os plásticos junto ao corpo elevam demais a temperatura interna, aumenta a sudorese, e predispõe a desidratação.

Água fresca: mesmo no inverno se faz necessário a ingestão de água antes durante e após aos exercícios. Mantenha o hábito de se hidratar à cada 20 minutos com 200 ml de água durante a sua corrida diária, e, durante o dia três litros de água serão bem vindos.

Indoor: se você é daqueles que prefere correr em um lugar sem vento ou frio, com temperatura aclimatizada, o melhor é optar pela esteira. Saiba que ela surgiu com esta finalidade nos países onde seis meses por ano neva e ou outros seis meses faz frio, como a Finlândia. Lá os atletas olímpicos não tinham como treinar ao longo do ano, daí, criaram a esteira, o frequêncímetro – e "no more excuses" – treinam sem desculpa de que está frio ou chovendo.

A importância de um bom aquecimento

Sem categoria · 21 jun, 2002

Quando uma pessoa inicia um exercício físico, o organismo sofre transformações no funcionamento para adaptar os órgãos a essa mudança. Coração, pulmões, músculos e circulação passam por modificações que, dependendo dos antecedentes e hábitos, resultarão em maior ou menor eficácia na produção de energia. Essa fase inicial é de fundamental importância para qualquer tipo de atividade física.

Para que ocorra uma perfeita adaptação ao exercício, é recomendável que o início da atividade seja lento e suave. Movimentos bruscos e rápidos são contra-indicados nessa fase de ajustes. O aquecimento prepara o atleta fisiológica e até psicologicamente para um evento e pode reduzir as chances de lesão articular e muscular. O processo de aquecimento alonga os músculos e, portanto, permite alcançar um maior comprimento quando uma força é aplicada.

Fazem parte desse aquecimento exercícios de alongamento, trotes leves e suaves e exercícios articulares de amplitude (passadas mais largas em um percurso plano e reto). Nesse aquecimento os músculos específicos devem ser utilizados de forma a simular a corrida e a produzir toda a amplitude dos movimentos articulares.

O aquecimento deve ser gradual e suficiente para aumentar a temperatura muscular e central, sem causar fadiga nem reduzir as reservas de energia. É claro que isso varia de pessoa para pessoa. Um bom aquecimento para um atleta olímpico pode levar à exaustão uma pessoa que se exercita por recreação.


A importância de um bom aquecimento

Sem categoria · 21 jun, 2002

Quando uma pessoa inicia um exercício físico, o organismo sofre transformações no funcionamento para adaptar os órgãos a essa mudança. Coração, pulmões, músculos e circulação passam por modificações que, dependendo dos antecedentes e hábitos, resultarão em maior ou menor eficácia na produção de energia. Essa fase inicial é de fundamental importância para qualquer tipo de atividade física.

Para que ocorra uma perfeita adaptação ao exercício, é recomendável que o início da atividade seja lento e suave. Movimentos bruscos e rápidos são contra-indicados nessa fase de ajustes. O aquecimento prepara o atleta fisiológica e até psicologicamente para um evento e pode reduzir as chances de lesão articular e muscular. O processo de aquecimento alonga os músculos e, portanto, permite alcançar um maior comprimento quando uma força é aplicada.

Fazem parte desse aquecimento exercícios de alongamento, trotes leves e suaves e exercícios articulares de amplitude (passadas mais largas em um percurso plano e reto). Nesse aquecimento os músculos específicos devem ser utilizados de forma a simular a corrida e a produzir toda a amplitude dos movimentos articulares.

O aquecimento deve ser gradual e suficiente para aumentar a temperatura muscular e central, sem causar fadiga nem reduzir as reservas de energia. É claro que isso varia de pessoa para pessoa. Um bom aquecimento para um atleta olímpico pode levar à exaustão uma pessoa que se exercita por recreação.