Emma Garrard

Felipe Moletta presenteia o pai com vitória no XTerra Costa Verde

Triathlon · 13 ago, 2011

Felipe Moletta faturou na manhã desse sábado (13/08) a edição 2011 do XTerra Costa Verde, disputado na cidade de Mangaratiba, próxima a Angra dos Reis (RJ), após uma intensa disputa com o sul-africano Lieuwe Boonstra e homenageou seu pai, Sr. João. No feminino a americana Emma Garrard venceu com sobra.

Direto de Mangaratiba (RJ) - O dia amanheceu com sol, mas com uma brisa gelada, que logo foi substituída por um forte calor na região do Hotel Porto Bello Resort, onde está montada a arena do evento. Antes do tiro de partida os termômetros marcavam 23°C.

Cerca de 200 competidores se inscreveram para 1,5 quilômetro de natação, 29 de mountain bike e nove de corrida e disposição era o que não faltava na área de transição. Depois de checarem todos os equipamentos, todos se dirigiram para a largada montada na areia da praia.

Bernardo Fonseca autorizou a saída pontualmente às 9h e, após alguns segundos, o mar ficou tomado por triatletas. O nadador profissional Luis Avelino, da categoria revezamento, foi o primeiro a sair da água, seguido pelo americano Brian Smith, Felipe Moletta e Lieuwe Boonstra.

Durante o percurso eles tiveram que vencer alguns obstáculos, como a travessia de rios no trecho de bike, lama e trilhas fechadas na corrida, além do calor e umidade típicos da mata atlântica. Smith liderava com folga, mas na metade do ciclismo teve um problema com o pneu da bike e foi obrigado a abandonar. “O pneu traseiro furou, tentei consertar, mas não foi possível. Até me deram uma cápsula de CO2, mas já tinha perdido muito tempo”, relata.

A partir daí o caminho ficou livre para Felipe e Lieuwe, que passaram a duelar passo a passo pela liderança, tanto no ciclismo quanto na corrida. Durante todo o trajeto o pai do brasileiro, Sr. João, acompanhou de bike os dois triatletas e sempre oferecia água e isotônico para ajudar na hidratação deles.

Vitória - Apesar de virem correndo juntos durante praticamente todo o percurso, Felipe conseguiu abrir no final para cruzar em primeiro com o tempo de 2h13min17. “Quero agradecer primeiro a Deus e dedicar essa vitória ao meu pai, já que amanhã é dia dos pais”, relata o curitibano que em 2009 chegou atrás de Lieuwe por dois minutos. “Foi uma revanche mesmo”, completa. Antes da prova algumas pessoas o apontavam como favorito. “Não gosto de falar de favoritismo, até porque eu não vivo disso e venho aqui para me divertir”, completa.

Sr. João abraçou filho assim que ele cruzou a linha de chegada e não escondeu a emoção. “Foi um presentão maravilhoso. Vi que eles estavam numa disputa dura, mas no final o Felipe fez a diferença”.

Para o sul-africano, o calor foi um adversário a mais. “A corrida foi muito boa, apesar de ser dura e muito bem organizada. Felipe é jovem e um grande talento para o futuro”, conta. “A parte da corrida foi muito complicada e na descida final ele me passou”, completa o triatleta que chegou quase dois minutos depois. “Na travessia da lama eu resolvi tirar o tênis e perdi muito tempo para colocá-lo de volta”.

A terceira posição ficou com Rodrigo Altafini, ao marcar 2h21. “Adoro correr provas como essa, com raízes e trilhas fechadas, mas não gosto muito da lama”, conta. “Depois do sumidouro tive que diminuir o ritmo por conta das bolhas, mas estou feliz com o terceiro lugar. Consegui marcar alguns pontos para o ranking final”, relata.

Mulheres - No feminino a americana Emma Garrard sobrou de ponta a ponta e deixou para as brasileiras a disputa do segundo e terceiro lugares, já que liderou desde a natação e apenas administrou o ritmo para vencer com o tempo de 2h33min46. “Não achei que estava tão quente. Tentei ficar relaxada e focada na minha prova e o que me ajudou foram os homens à minha frente, para saber o ritmo”, lembra. “Pensava em finalizar cada quilômetro antes de imaginar a linha de chegada”, relata a americana que gostou de cruzar o “sumidouro”. “Havia me esquecido desse trecho, mas foi legal para refrescar um pouco”, relata sobre o trecho em que os corredores tiveram que cruzar um rio de lama.

A segunda colocada foi Manoela Vilaseca, que se emocionou muito por ser a primeira brasileira. “Eu nem acredito. Batalhei muito nos treinos e na prova e é uma honra chegar à frente da Carlinha [Carla Prada] e da Luzia Bello”, comenta ainda ofegante. “Fiz uma ótima corrida e vou para casa muito mais feliz. Eu encaixei uma prova excelente e pensava durante o percurso o quanto eu treinei”, relata Manu, que chegou quase 15 minutos depois da campeã. O resultado teve um gostinho ainda melhor, já que ela mora no Rio de Janeiro.

A terceira foi a santista Luzia Bello, figura carimbada nas etapas do XTerra durante o ano. “Num dos trechos do mountain bike eu caí, tentei me recuperar e mesmo com uma corrida forte não consegui pegar a Manu”, lembra a triatleta que marcou 2h51min30. “Mas valeu a pena e fiquei contente com a colocação”, finaliza.

Revezamento - Na categoria revezamento Luis Lima saiu da água e a partir daí sua equipe não foi mais alcançada até vencer com o tempo de 2h09min22. “Cada um deu o máximo de si para conseguirmos esse resultado”, relata Luis. “Peguei a bike de um campeão na natação aí ficou fácil”, brinca Alessandro Pereira. “A corrida foi bem difícil, principalmente por conta do sol”, relata Alexandre Moura. “Nossa estratégia foi colocar os melhores de cada modalidade”, completa o corredor.

A próxima disputa do Circuito XTerra 2011 será em Pedra Azul, no Espírito Santo, no próximo dia 28. As inscrições já estão abertas no site www.xterrabrasil.com.br para o duathlon, mountain bike, kids running e swim challenge.


Felipe Moletta presenteia o pai com vitória no XTerra Costa Verde

Triathlon · 13 ago, 2011

Felipe Moletta faturou na manhã desse sábado (13/08) a edição 2011 do XTerra Costa Verde, disputado na cidade de Mangaratiba, próxima a Angra dos Reis (RJ), após uma intensa disputa com o sul-africano Lieuwe Boonstra e homenageou seu pai, Sr. João. No feminino a americana Emma Garrard venceu com sobra.

Direto de Mangaratiba (RJ) - O dia amanheceu com sol, mas com uma brisa gelada, que logo foi substituída por um forte calor na região do Hotel Porto Bello Resort, onde está montada a arena do evento. Antes do tiro de partida os termômetros marcavam 23°C.

Cerca de 200 competidores se inscreveram para 1,5 quilômetro de natação, 29 de mountain bike e nove de corrida e disposição era o que não faltava na área de transição. Depois de checarem todos os equipamentos, todos se dirigiram para a largada montada na areia da praia.

Bernardo Fonseca autorizou a saída pontualmente às 9h e, após alguns segundos, o mar ficou tomado por triatletas. O nadador profissional Luis Avelino, da categoria revezamento, foi o primeiro a sair da água, seguido pelo americano Brian Smith, Felipe Moletta e Lieuwe Boonstra.

Durante o percurso eles tiveram que vencer alguns obstáculos, como a travessia de rios no trecho de bike, lama e trilhas fechadas na corrida, além do calor e umidade típicos da mata atlântica. Smith liderava com folga, mas na metade do ciclismo teve um problema com o pneu da bike e foi obrigado a abandonar. “O pneu traseiro furou, tentei consertar, mas não foi possível. Até me deram uma cápsula de CO2, mas já tinha perdido muito tempo”, relata.

A partir daí o caminho ficou livre para Felipe e Lieuwe, que passaram a duelar passo a passo pela liderança, tanto no ciclismo quanto na corrida. Durante todo o trajeto o pai do brasileiro, Sr. João, acompanhou de bike os dois triatletas e sempre oferecia água e isotônico para ajudar na hidratação deles.

Vitória - Apesar de virem correndo juntos durante praticamente todo o percurso, Felipe conseguiu abrir no final para cruzar em primeiro com o tempo de 2h13min17. “Quero agradecer primeiro a Deus e dedicar essa vitória ao meu pai, já que amanhã é dia dos pais”, relata o curitibano que em 2009 chegou atrás de Lieuwe por dois minutos. “Foi uma revanche mesmo”, completa. Antes da prova algumas pessoas o apontavam como favorito. “Não gosto de falar de favoritismo, até porque eu não vivo disso e venho aqui para me divertir”, completa.

Sr. João abraçou filho assim que ele cruzou a linha de chegada e não escondeu a emoção. “Foi um presentão maravilhoso. Vi que eles estavam numa disputa dura, mas no final o Felipe fez a diferença”.

Para o sul-africano, o calor foi um adversário a mais. “A corrida foi muito boa, apesar de ser dura e muito bem organizada. Felipe é jovem e um grande talento para o futuro”, conta. “A parte da corrida foi muito complicada e na descida final ele me passou”, completa o triatleta que chegou quase dois minutos depois. “Na travessia da lama eu resolvi tirar o tênis e perdi muito tempo para colocá-lo de volta”.

A terceira posição ficou com Rodrigo Altafini, ao marcar 2h21. “Adoro correr provas como essa, com raízes e trilhas fechadas, mas não gosto muito da lama”, conta. “Depois do sumidouro tive que diminuir o ritmo por conta das bolhas, mas estou feliz com o terceiro lugar. Consegui marcar alguns pontos para o ranking final”, relata.

Mulheres - No feminino a americana Emma Garrard sobrou de ponta a ponta e deixou para as brasileiras a disputa do segundo e terceiro lugares, já que liderou desde a natação e apenas administrou o ritmo para vencer com o tempo de 2h33min46. “Não achei que estava tão quente. Tentei ficar relaxada e focada na minha prova e o que me ajudou foram os homens à minha frente, para saber o ritmo”, lembra. “Pensava em finalizar cada quilômetro antes de imaginar a linha de chegada”, relata a americana que gostou de cruzar o “sumidouro”. “Havia me esquecido desse trecho, mas foi legal para refrescar um pouco”, relata sobre o trecho em que os corredores tiveram que cruzar um rio de lama.

A segunda colocada foi Manoela Vilaseca, que se emocionou muito por ser a primeira brasileira. “Eu nem acredito. Batalhei muito nos treinos e na prova e é uma honra chegar à frente da Carlinha [Carla Prada] e da Luzia Bello”, comenta ainda ofegante. “Fiz uma ótima corrida e vou para casa muito mais feliz. Eu encaixei uma prova excelente e pensava durante o percurso o quanto eu treinei”, relata Manu, que chegou quase 15 minutos depois da campeã. O resultado teve um gostinho ainda melhor, já que ela mora no Rio de Janeiro.

A terceira foi a santista Luzia Bello, figura carimbada nas etapas do XTerra durante o ano. “Num dos trechos do mountain bike eu caí, tentei me recuperar e mesmo com uma corrida forte não consegui pegar a Manu”, lembra a triatleta que marcou 2h51min30. “Mas valeu a pena e fiquei contente com a colocação”, finaliza.

Revezamento - Na categoria revezamento Luis Lima saiu da água e a partir daí sua equipe não foi mais alcançada até vencer com o tempo de 2h09min22. “Cada um deu o máximo de si para conseguirmos esse resultado”, relata Luis. “Peguei a bike de um campeão na natação aí ficou fácil”, brinca Alessandro Pereira. “A corrida foi bem difícil, principalmente por conta do sol”, relata Alexandre Moura. “Nossa estratégia foi colocar os melhores de cada modalidade”, completa o corredor.

A próxima disputa do Circuito XTerra 2011 será em Pedra Azul, no Espírito Santo, no próximo dia 28. As inscrições já estão abertas no site www.xterrabrasil.com.br para o duathlon, mountain bike, kids running e swim challenge.