Dubai

7 homens correram abaixo de 2h05 e 4 mulheres abaixo de 2h20 em Dubai

Corridas de Rua · 29 jan, 2018

A cada nova edição a Maratona  de Dubai é mais  competitiva e palco de   grandes performances, sobretudo dos etíopes que em 2018 bateram os recordes masculino e feminino do percurso, tiveram sete homens fazendo  tempos abaixo 2h05 e quatro mulheres […]


7 homens correram abaixo de 2h05 e 4 mulheres abaixo de 2h20 em Dubai

Corridas de Rua · 29 jan, 2018

A cada nova edição a Maratona  de Dubai é mais  competitiva e palco de   grandes performances, sobretudo dos etíopes que em 2018 bateram os recordes masculino e feminino do percurso, tiveram sete homens fazendo  tempos abaixo 2h05 e quatro mulheres […]

Sammy Korir disputa Maratona de Dubai

Maratona · 07 jan, 2008

O queniano Sammy Korir, que possui o terceiro melhor tempo em maratonas, vai desafiar o recordista mundial da categoria Haile Gebrselassie na Maratona de Dubai (Emirados Árabes Unidos) no próximo dia 18. Aos 36 anos, Korir entrou para a história por ser o único a correr abaixo das 2h05min.

Ele ostenta 2h04min56, obtidos em 2003, ocasião em que chegou na segunda colocação na Maratona de Berlim (Alemanha). Em uma das maratonas mais disputadas da história, Korir perdeu o título por apenas um segundo para o seu compatriota Paul Tergat.

Desde então o etíope Haile Gebrselassie baixou o recorde para 2h04min26 em Berlim e os dois vão se enfrentar durante a prova de Dubai, que oferece o bônus de um milhão de dólares para quem quebrar o recorde. “A qualidade do field fica cada vez melhor”, ressalta Ahmed Al Kamali, coordenador geral do evento.


Sammy Korir disputa Maratona de Dubai

Maratona · 07 jan, 2008

O queniano Sammy Korir, que possui o terceiro melhor tempo em maratonas, vai desafiar o recordista mundial da categoria Haile Gebrselassie na Maratona de Dubai (Emirados Árabes Unidos) no próximo dia 18. Aos 36 anos, Korir entrou para a história por ser o único a correr abaixo das 2h05min.

Ele ostenta 2h04min56, obtidos em 2003, ocasião em que chegou na segunda colocação na Maratona de Berlim (Alemanha). Em uma das maratonas mais disputadas da história, Korir perdeu o título por apenas um segundo para o seu compatriota Paul Tergat.

Desde então o etíope Haile Gebrselassie baixou o recorde para 2h04min26 em Berlim e os dois vão se enfrentar durante a prova de Dubai, que oferece o bônus de um milhão de dólares para quem quebrar o recorde. “A qualidade do field fica cada vez melhor”, ressalta Ahmed Al Kamali, coordenador geral do evento.

Maratona de Dubai: campeões defendem título

Maratona · 26 dez, 2007

Apenas 12 meses após vencerem a Maratona de Dubai (emirados Árabes), a etíope Askale Tafa Magarsa e o queniano Willy Rotich retornarão ao fronte para defender seus títulos, na edição 2008 da competição, que acontecerá em 18 de janeiro. O dueto africano se destacou no field da prova passada, mas certamente terão um desafio maior pela frente.

Além de enfrentarem um trajeto diferente do ano passado, a premiação de 250 milhões de dólares para o campeão e o bônus de um milhão para o recorde mundial, atrairá o pelotão mais forte de toda a história da competição. “Ano passado Willy e Askale foram os melhores e estamos felizes de tê-los de volta. Mas eles terão que dar o melhor de si para conquistar novamente o título”, ressalta o coordenador geral Ahmed Al Kamali.

Rotich venceu em 2007 com 2h09min53 com uma velocidade média de 19,5 km/h, na segunda vez em oito edições em que um atleta correu sub 2h10 e pode ter sido rápido, mas fez um jogo de paciência. Ele duelou com o então campeão Joseph Ngeny até o quilômetro 38, ocasião em que acelerou para a vitória.

Após receber sua medalha ele declarou que “talvez com as pessoas certas e bons marcadores de ritmo, alguém seja capaz de marcar 2h05min aqui". Talvez haja várias “pessoas certas” no pelotão de elite de 2008, além de Haile Gebrselassie, que baixou em 29 segundos o Recorde Mundial anterior.

Quem também correu bem foi Askale, que aos 22 anos quebrou a invencibilidade de cinco anos de Albina Ivanova com uma diferença de mais de seis minutos. Ela liderou praticamente toda a competição e quebrou sua melhor marca obtida em Milão (em outubro de 2006), em 38 segundos. Com média de 17,2 km/h, ela venceu com 2h27min19.

“Nosso field está cada dia melhor, com um grande grupo de corredores de elite mostrando seu comprometimento com Dubai”, acrescenta Al Kamali. “Porém, não são apenas os grandes nomes que são bem vindos para a maratona, para os 10 km e os 4 km, também convidamos os amadores a participar”, completa. Quem quiser correr a prova, pode se inscrever pelo site www.dubaimarathon.org.


Maratona de Dubai: campeões defendem título

Maratona · 26 dez, 2007

Apenas 12 meses após vencerem a Maratona de Dubai (emirados Árabes), a etíope Askale Tafa Magarsa e o queniano Willy Rotich retornarão ao fronte para defender seus títulos, na edição 2008 da competição, que acontecerá em 18 de janeiro. O dueto africano se destacou no field da prova passada, mas certamente terão um desafio maior pela frente.

Além de enfrentarem um trajeto diferente do ano passado, a premiação de 250 milhões de dólares para o campeão e o bônus de um milhão para o recorde mundial, atrairá o pelotão mais forte de toda a história da competição. “Ano passado Willy e Askale foram os melhores e estamos felizes de tê-los de volta. Mas eles terão que dar o melhor de si para conquistar novamente o título”, ressalta o coordenador geral Ahmed Al Kamali.

Rotich venceu em 2007 com 2h09min53 com uma velocidade média de 19,5 km/h, na segunda vez em oito edições em que um atleta correu sub 2h10 e pode ter sido rápido, mas fez um jogo de paciência. Ele duelou com o então campeão Joseph Ngeny até o quilômetro 38, ocasião em que acelerou para a vitória.

Após receber sua medalha ele declarou que “talvez com as pessoas certas e bons marcadores de ritmo, alguém seja capaz de marcar 2h05min aqui". Talvez haja várias “pessoas certas” no pelotão de elite de 2008, além de Haile Gebrselassie, que baixou em 29 segundos o Recorde Mundial anterior.

Quem também correu bem foi Askale, que aos 22 anos quebrou a invencibilidade de cinco anos de Albina Ivanova com uma diferença de mais de seis minutos. Ela liderou praticamente toda a competição e quebrou sua melhor marca obtida em Milão (em outubro de 2006), em 38 segundos. Com média de 17,2 km/h, ela venceu com 2h27min19.

“Nosso field está cada dia melhor, com um grande grupo de corredores de elite mostrando seu comprometimento com Dubai”, acrescenta Al Kamali. “Porém, não são apenas os grandes nomes que são bem vindos para a maratona, para os 10 km e os 4 km, também convidamos os amadores a participar”, completa. Quem quiser correr a prova, pode se inscrever pelo site www.dubaimarathon.org.

Maratona de Dubai conta com farta premiação

Maratona · 20 dez, 2007

No dia 18 de janeiro acontece em Dubai, Emirados Árabes Unidos, a Maratona que leva o nome da cidade, competição que terá uma das maiores premiações da categoria, num montante total de um milhão de dólares. O campeão levará para casa US$ 250 mil e haverá ainda um bônus de mais um milhão caso alguém quebre o recorde mundial.

O valor oferecido nesta competição supera as cinco grandes provas mundiais, Nova York; Boston; Berlim; Chicago e Londres e a deixa como a mais rica do mundo, graças à colaboração dos órgãos governamentais. “Isso fará com que a Maratona se eleve à outros grandes esportes em Dubai. Esse é um esporte que exige muito do físico e tenho certeza que agora os atletas farão desta uma das prioridades em suas agendas”, enfatiza Larry Barthlow, um dos coordenadores.

Haile Gebrselassie, atual recordista na distância com o tempo de 2h04min26, será o principal destaque do pelotão de elite e diz que pode baixar ainda mais a marca. “Quebrar o recorde em Berlim foi a realização de um sonho, mas eu sei que posso fazer melhor. Minha meta é marcar 2h03 e, com as condições de Dubai em janeiro, posso fazer ainda melhor”, ressalta o etíope.

Já na categoria feminina, o destaque fica por conta da participação de Lornah Kiplagat, recordista da prova de 20 quilômetros e da Meia durante o Mundial de Corridas de Rua em Udine, na Itália este ano. A queniana naturalizada holandesa comenta que há alguns anos no Quênia as pessoas não acreditavam que as mulheres pudessem correr tão bem. “Olha o desenvolvimento hoje, no Mundial de Osaka as mulheres conseguiram tantos destaques quanto os homens”, enfatiza.

“Com Haile e Lornah no field, teremos dois corredores com quase 30 recordes e seis ouros em maratonas nos currículos”, ressalta Peter Connerton, diretor geral da competição. “Agora estamos tentando trazer mais nomes de destaque”, completa.


Maratona de Dubai conta com farta premiação

Maratona · 20 dez, 2007

No dia 18 de janeiro acontece em Dubai, Emirados Árabes Unidos, a Maratona que leva o nome da cidade, competição que terá uma das maiores premiações da categoria, num montante total de um milhão de dólares. O campeão levará para casa US$ 250 mil e haverá ainda um bônus de mais um milhão caso alguém quebre o recorde mundial.

O valor oferecido nesta competição supera as cinco grandes provas mundiais, Nova York; Boston; Berlim; Chicago e Londres e a deixa como a mais rica do mundo, graças à colaboração dos órgãos governamentais. “Isso fará com que a Maratona se eleve à outros grandes esportes em Dubai. Esse é um esporte que exige muito do físico e tenho certeza que agora os atletas farão desta uma das prioridades em suas agendas”, enfatiza Larry Barthlow, um dos coordenadores.

Haile Gebrselassie, atual recordista na distância com o tempo de 2h04min26, será o principal destaque do pelotão de elite e diz que pode baixar ainda mais a marca. “Quebrar o recorde em Berlim foi a realização de um sonho, mas eu sei que posso fazer melhor. Minha meta é marcar 2h03 e, com as condições de Dubai em janeiro, posso fazer ainda melhor”, ressalta o etíope.

Já na categoria feminina, o destaque fica por conta da participação de Lornah Kiplagat, recordista da prova de 20 quilômetros e da Meia durante o Mundial de Corridas de Rua em Udine, na Itália este ano. A queniana naturalizada holandesa comenta que há alguns anos no Quênia as pessoas não acreditavam que as mulheres pudessem correr tão bem. “Olha o desenvolvimento hoje, no Mundial de Osaka as mulheres conseguiram tantos destaques quanto os homens”, enfatiza.

“Com Haile e Lornah no field, teremos dois corredores com quase 30 recordes e seis ouros em maratonas nos currículos”, ressalta Peter Connerton, diretor geral da competição. “Agora estamos tentando trazer mais nomes de destaque”, completa.