Débora Simas

Conheça a ultramaratonista Débora Simas, a única mulher a correr 1000k em dez dias

Ultramaratona · 29 ago, 2019

Quanto tempo é necessário treinar para fazer uma maratona? Depende de cada pessoa e do condicionamento físico, além do contato com a corrida. Que o diga a ultramaratonista Débora Simas, recordista Sul-Americana em esteira, percorrendo 800,61 km em sete dias, […]


Conheça a ultramaratonista Débora Simas, a única mulher a correr 1000k em dez dias

Ultramaratona · 29 ago, 2019

Quanto tempo é necessário treinar para fazer uma maratona? Depende de cada pessoa e do condicionamento físico, além do contato com a corrida. Que o diga a ultramaratonista Débora Simas, recordista Sul-Americana em esteira, percorrendo 800,61 km em sete dias, […]

Débora Simas repete participação solo na Volta à Ilha por filantropia

Ultra Maratona · 06 abr, 2012

Débora Simas, atleta acostumada às ultramaratonas em trilha, pelo segundo ano consecutivo disputará o Revezamento Volta à Ilha sozinha, com o intuito de arrecadar fundos para uma instituição de caridade, a Casa Lar Vovó Sebastiana. A catarinense percorrerá os 140 quilômetros da prova no próximo dia 14 em Florianópolis para divulgar o projeto social.

“A Volta à Ilha é uma prova grandiosa que eu adoro fazer e espero conseguir colaborar mais uma vez com a Casa Lar, que ajuda crianças abandonadas ou que sofreram abuso sexual”, comenta Débora. “As pessoas podem fazer doações em dinheiro ou comprar uma camiseta . Todo o valor arrecadado será destinado à instituição, não ficarei com nada, apenas com o prazer de ter corrido mais uma vez”, ressalta.

Em 2011 ela encarou a Volta à Ilha num trajeto de 150 quilômetros e finalizou dentro do prazo máximo estipulado pela organização. “Fechei com três minutos de antecedência. Dessa vez, com dez quilômetros a menos, acho que será uma prova mais lenta, já que os percursos se tornaram mais difíceis”, comenta.

Para chegar bem na disputa, ela encara treinos com morros, asfalto e trilhas e, inclusive, participou da Meia Maratona Internacional de Florianópolis, realizada no dia 25 de março. “Depois da meia ainda fiz uma rodagem de 20 quilômetros em morro, então a preparação está forte”.

A prova não oferece categoria solo, então Débora mais uma vez conseguiu uma autorização especial da Eco Floripa, empresa responsável pela Volta à Ilha, para usar parte da estrutura montada para o evento. “Não sou atleta regularmente inscrita, mas vejo como uma competição pessoal, para terminar e ajudar a Casa Lar”, ressalta.

Quem quiser colaborar com o projeto pode comprar a camiseta a R$ 35 ou fazer doações de R$ 5 na Caixa Econômica Federal, conta 7090-9, agência 1011, operação 013. A campanha está sendo divulgada na página de Débora no Facebook (Débora Simas) ou na página do Projeto Correr e Fazer o Bem (www.facebook.com/pages/Correr-e-fazer-o-bem/362518337111274).


Débora Simas repete participação solo na Volta à Ilha por filantropia

Ultra Maratona · 06 abr, 2012

Débora Simas, atleta acostumada às ultramaratonas em trilha, pelo segundo ano consecutivo disputará o Revezamento Volta à Ilha sozinha, com o intuito de arrecadar fundos para uma instituição de caridade, a Casa Lar Vovó Sebastiana. A catarinense percorrerá os 140 quilômetros da prova no próximo dia 14 em Florianópolis para divulgar o projeto social.

“A Volta à Ilha é uma prova grandiosa que eu adoro fazer e espero conseguir colaborar mais uma vez com a Casa Lar, que ajuda crianças abandonadas ou que sofreram abuso sexual”, comenta Débora. “As pessoas podem fazer doações em dinheiro ou comprar uma camiseta . Todo o valor arrecadado será destinado à instituição, não ficarei com nada, apenas com o prazer de ter corrido mais uma vez”, ressalta.

Em 2011 ela encarou a Volta à Ilha num trajeto de 150 quilômetros e finalizou dentro do prazo máximo estipulado pela organização. “Fechei com três minutos de antecedência. Dessa vez, com dez quilômetros a menos, acho que será uma prova mais lenta, já que os percursos se tornaram mais difíceis”, comenta.

Para chegar bem na disputa, ela encara treinos com morros, asfalto e trilhas e, inclusive, participou da Meia Maratona Internacional de Florianópolis, realizada no dia 25 de março. “Depois da meia ainda fiz uma rodagem de 20 quilômetros em morro, então a preparação está forte”.

A prova não oferece categoria solo, então Débora mais uma vez conseguiu uma autorização especial da Eco Floripa, empresa responsável pela Volta à Ilha, para usar parte da estrutura montada para o evento. “Não sou atleta regularmente inscrita, mas vejo como uma competição pessoal, para terminar e ajudar a Casa Lar”, ressalta.

Quem quiser colaborar com o projeto pode comprar a camiseta a R$ 35 ou fazer doações de R$ 5 na Caixa Econômica Federal, conta 7090-9, agência 1011, operação 013. A campanha está sendo divulgada na página de Débora no Facebook (Débora Simas) ou na página do Projeto Correr e Fazer o Bem (www.facebook.com/pages/Correr-e-fazer-o-bem/362518337111274).

Débora Simas usa Mountain Do Costão como treino para o Volta à Ilha

Ultra Maratona · 28 abr, 2011

Débora Simas, integrante da equipe Sprint Assessoria Esportiva 3, foi campeã da categoria octeto feminino, no Mountain Do Costão, em Florianópolis (SC), no último sábado, dia 23 de abril. A equipe campeã da categoria octeto masculina foi a Sprint Assessoria Esportiva/Costão do Santinho.

A triatleta utilizou a prova do Costão para treinar para o Volta à Ilha, evento que correrá sozinha, com percurso que dá a volta na Ilha de Florianópolis (SC) e tem 150 quilômetros. Ela não está regularmente inscrita na competição, que acontece dia 30 de abril, a partir das quatro horas, e vai correr para apoiar a instituição Casa Lar Vovó Sebastiana, que fica em Biguaçu (SC). “Esse seria meu último treino longo para a competição em Florianópolis (SC) semana que vem, portanto vim para competir, vim para ganhar, mas com todo cuidado e cautela para não me machucar”, disse Débora.

Ela havia dito em entrevista anterior, que largaria mais cedo, pois seu objetivo é completar a competição sem utilizar sua estrutura e não atrapalhar os outros atletas que estarão participando da prova neste sábado. “Tive que ter atenção redobrada, ainda mais com o tempo chuvoso de hoje e o terreno escorregadio. Não podia me machucar para não comprometer a prova de semana que vem”, revela a atleta que correrá 150 quilômetros sozinha no Volta à Ilha.

Débora diz que está satisfeita com o resultado e que fez seu trecho em um tempo excelente, além de parabenizar o resto da equipe. Ela conseguiu um novo apoio e doação da central elétrica EletroSul, que tem sua sede em Florianópolis (SC). “Estou com apoio da EletroSul, que me ajudou muito nesta caminhada que será o Volta à Ilha, para ajudar as crianças da instituição”, finaliza a triatleta.


Débora Simas usa Mountain Do Costão como treino para o Volta à Ilha

Ultra Maratona · 28 abr, 2011

Débora Simas, integrante da equipe Sprint Assessoria Esportiva 3, foi campeã da categoria octeto feminino, no Mountain Do Costão, em Florianópolis (SC), no último sábado, dia 23 de abril. A equipe campeã da categoria octeto masculina foi a Sprint Assessoria Esportiva/Costão do Santinho.

A triatleta utilizou a prova do Costão para treinar para o Volta à Ilha, evento que correrá sozinha, com percurso que dá a volta na Ilha de Florianópolis (SC) e tem 150 quilômetros. Ela não está regularmente inscrita na competição, que acontece dia 30 de abril, a partir das quatro horas, e vai correr para apoiar a instituição Casa Lar Vovó Sebastiana, que fica em Biguaçu (SC). “Esse seria meu último treino longo para a competição em Florianópolis (SC) semana que vem, portanto vim para competir, vim para ganhar, mas com todo cuidado e cautela para não me machucar”, disse Débora.

Ela havia dito em entrevista anterior, que largaria mais cedo, pois seu objetivo é completar a competição sem utilizar sua estrutura e não atrapalhar os outros atletas que estarão participando da prova neste sábado. “Tive que ter atenção redobrada, ainda mais com o tempo chuvoso de hoje e o terreno escorregadio. Não podia me machucar para não comprometer a prova de semana que vem”, revela a atleta que correrá 150 quilômetros sozinha no Volta à Ilha.

Débora diz que está satisfeita com o resultado e que fez seu trecho em um tempo excelente, além de parabenizar o resto da equipe. Ela conseguiu um novo apoio e doação da central elétrica EletroSul, que tem sua sede em Florianópolis (SC). “Estou com apoio da EletroSul, que me ajudou muito nesta caminhada que será o Volta à Ilha, para ajudar as crianças da instituição”, finaliza a triatleta.

Débora Simas enfrenta Revezamento Volta à Ilha sozinha

Ultra Maratona · 28 mar, 2011

Débora Simas vai percorrer sozinha a corrida pedestre em equipe Revezamento Volta à Ilha, cujo percurso contorna a ilha de Florianópolis e tem 150 quilômetros de extensão. A atleta que não está inscrita na prova vai realizar seu trajeto para apoiar a instituição Casa Lar Vovó Sebatiana, que fica em Biguaçu (SC).

Especialista em competições de trilha e longa distância Débora percorreu em 2008 192,8 quilômetros de distância na Ultramaratona 24h de Curitiba. Também é tricampeã do Desafrio em Urubici, uma prova que exige muito fisicamente e psicologicamente de seus participantes por ter 24 quilômetros seguidos de subidas e 26 de descida.

A atleta tem como objetivo completar a prova e apoiar a causa da Casa Lar Vovó Sebastiana, arrecadando fundos provenientes de doações, mas não vai competir com outros atletas por não estar inscrita. Mesmo assim Débora se mostra animada para a corrida: "Estou ansiosa para correr essa prova. Como já queria correr o Volta à Ilha solo é um bom motivo para fazer isto. Então vou correr por esta Instituição".

Por não estar inscrita a corredora não terá acesso aos pontos de parada do evento. "Vou correr pelo meu motivo. Não vou usar estrutura, no caso, o apoio da prova. Pretendo largar no mínimo uma ou duas horas antes, para não atrapalhar a competição. Vou ter um carro de apoio, umas duas ou três pessoas que correrão comigo. De jeito nenhum quero atrapalhar a prova deles", afirma Débora.

Como preparação para a prova, além dos treinos, a atleta conta com a ajuda de uma nutricionista e durante a corrida seu carro de apoio é responsável por levar sua alimentação, hidratação e suplementação, além de ter roupas e um tênis reserva, para o caso de chover ou fazer muito calor. "É legal eu fazer isto porque é uma prova que tem uma grande visibilidade, então muita gente vai ficar sabendo que eu vou enfrentar este desafio sozinha", comenta Débora orgulhosa de sua iniciativa.

A instituição Casa Lar Vovó Sebastiana conta hoje com sete funcionários e uma média de 12 crianças que foram abandonadas ou sofreram abuso sexual. A Casa Lar ajuda essas crianças que estão regularmente matriculadas em escolas municipais e algumas frequentam atividades extracurriculares como esportes e cursos profissionalizantes.

As equipes da prova são compostas por dois, oito ou doze componentes e, para seu organizador, Carlos Duarte, o trabalho em equipe e a coletividade para chegar à linha de chegada são as principais características desta corrida. O organizador afirma que não há como proibir atletas de seguirem o exemplo de Débora: "A gente não tem como proibir, a rua é livre. Quem quer correr na rua pode fazer isto quando quiser a hora que quiser".

De acordo com Duarte, a criação de uma categoria solo para a Volta à Ilha é inviável. "A prova de ultamaratona tem todo um comportamento diferente e atendimento aos atletas e achamos que não conseguiríamos fazer as duas coisas ao mesmo tempo. A gente tem que montar toda uma logística complicada e fazer duas provas em uma só".

Para o organizador, competições como o Desafio Praias e Trilhas, que tem distância de 84 quilômetros, e o Desafrio de Ubiraci, com distância de 50 quilômetros, foram criadas justamente para corredores que desejam percorrer longas distâncias na categoria solo.

A competição vai acontecer no dia 30 de abril em Florianópolis. O evento, que é organizado pela Eco Floripa, terá cinco equipes a mais do que em 2010 e está em sua 16ª edição.


Débora Simas enfrenta Revezamento Volta à Ilha sozinha

Ultra Maratona · 28 mar, 2011

Débora Simas vai percorrer sozinha a corrida pedestre em equipe Revezamento Volta à Ilha, cujo percurso contorna a ilha de Florianópolis e tem 150 quilômetros de extensão. A atleta que não está inscrita na prova vai realizar seu trajeto para apoiar a instituição Casa Lar Vovó Sebatiana, que fica em Biguaçu (SC).

Especialista em competições de trilha e longa distância Débora percorreu em 2008 192,8 quilômetros de distância na Ultramaratona 24h de Curitiba. Também é tricampeã do Desafrio em Urubici, uma prova que exige muito fisicamente e psicologicamente de seus participantes por ter 24 quilômetros seguidos de subidas e 26 de descida.

A atleta tem como objetivo completar a prova e apoiar a causa da Casa Lar Vovó Sebastiana, arrecadando fundos provenientes de doações, mas não vai competir com outros atletas por não estar inscrita. Mesmo assim Débora se mostra animada para a corrida: "Estou ansiosa para correr essa prova. Como já queria correr o Volta à Ilha solo é um bom motivo para fazer isto. Então vou correr por esta Instituição".

Por não estar inscrita a corredora não terá acesso aos pontos de parada do evento. "Vou correr pelo meu motivo. Não vou usar estrutura, no caso, o apoio da prova. Pretendo largar no mínimo uma ou duas horas antes, para não atrapalhar a competição. Vou ter um carro de apoio, umas duas ou três pessoas que correrão comigo. De jeito nenhum quero atrapalhar a prova deles", afirma Débora.

Como preparação para a prova, além dos treinos, a atleta conta com a ajuda de uma nutricionista e durante a corrida seu carro de apoio é responsável por levar sua alimentação, hidratação e suplementação, além de ter roupas e um tênis reserva, para o caso de chover ou fazer muito calor. "É legal eu fazer isto porque é uma prova que tem uma grande visibilidade, então muita gente vai ficar sabendo que eu vou enfrentar este desafio sozinha", comenta Débora orgulhosa de sua iniciativa.

A instituição Casa Lar Vovó Sebastiana conta hoje com sete funcionários e uma média de 12 crianças que foram abandonadas ou sofreram abuso sexual. A Casa Lar ajuda essas crianças que estão regularmente matriculadas em escolas municipais e algumas frequentam atividades extracurriculares como esportes e cursos profissionalizantes.

As equipes da prova são compostas por dois, oito ou doze componentes e, para seu organizador, Carlos Duarte, o trabalho em equipe e a coletividade para chegar à linha de chegada são as principais características desta corrida. O organizador afirma que não há como proibir atletas de seguirem o exemplo de Débora: "A gente não tem como proibir, a rua é livre. Quem quer correr na rua pode fazer isto quando quiser a hora que quiser".

De acordo com Duarte, a criação de uma categoria solo para a Volta à Ilha é inviável. "A prova de ultamaratona tem todo um comportamento diferente e atendimento aos atletas e achamos que não conseguiríamos fazer as duas coisas ao mesmo tempo. A gente tem que montar toda uma logística complicada e fazer duas provas em uma só".

Para o organizador, competições como o Desafio Praias e Trilhas, que tem distância de 84 quilômetros, e o Desafrio de Ubiraci, com distância de 50 quilômetros, foram criadas justamente para corredores que desejam percorrer longas distâncias na categoria solo.

A competição vai acontecer no dia 30 de abril em Florianópolis. O evento, que é organizado pela Eco Floripa, terá cinco equipes a mais do que em 2010 e está em sua 16ª edição.