Cobertura_Volta_Ilha_2007

Leonel Souza: 71 anos e sete Voltas à Ilha

Maratona · 15 abr, 2007

No último sábado (14) aconteceu em Florianópolis (SC) a 12ª edição da Volta à Ilha, prova de revezamento de 150 quilômetros que contou com mais de três mil participantes. Leonel Souza, 71 anos de idade, já participou de sete edições da prova e já correu 36 maratonas, tanto no Brasil como internacionais.

“São sete Voltas à Ilha, conta de mentiroso”, brinca o maratonista. “Entre as maratonas, corri duas vezes Nova York, uma vez Washington, uma Londres e uma Paris. A última que fiz foi a Maratona de Curitiba ano passado, num percurso muito difícil”, lembra.

Natural de Pernambuco, ele diz que Florianópolis foi a cidade em que correu sua primeira maratona e onde conseguiu reunir amigos para montar uma equipe de corrida. “Todo ano estarei aqui para competir esta prova. Ontem a chuva foi gratificante, tudo o que vem da natureza é maravilhoso, temos que agradecer”.

Muitos atletas tiveram dificuldades no trecho de Morro das Pedras, que os competidores de São Paulo apelidaram de “Morro Maldito”, mas Leonel comenta ter passado por lá sem problemas. “Que coisa maravilhosa, subir, deslizar e derrapar. Depois foi só descer, olhar a paisagem e agradecer a Deus, tudo isso foi um incentivo”.

A Volta à Ilha desse ano teve vitória da equipe Paquetá Sports, de Porto Alegre (RS) e o Webrun acompanhou todos os detalhes desde as primeiras horas do sábado, direto da Ilha da Magia.


Leonel Souza: 71 anos e sete Voltas à Ilha

Maratona · 15 abr, 2007

No último sábado (14) aconteceu em Florianópolis (SC) a 12ª edição da Volta à Ilha, prova de revezamento de 150 quilômetros que contou com mais de três mil participantes. Leonel Souza, 71 anos de idade, já participou de sete edições da prova e já correu 36 maratonas, tanto no Brasil como internacionais.

“São sete Voltas à Ilha, conta de mentiroso”, brinca o maratonista. “Entre as maratonas, corri duas vezes Nova York, uma vez Washington, uma Londres e uma Paris. A última que fiz foi a Maratona de Curitiba ano passado, num percurso muito difícil”, lembra.

Natural de Pernambuco, ele diz que Florianópolis foi a cidade em que correu sua primeira maratona e onde conseguiu reunir amigos para montar uma equipe de corrida. “Todo ano estarei aqui para competir esta prova. Ontem a chuva foi gratificante, tudo o que vem da natureza é maravilhoso, temos que agradecer”.

Muitos atletas tiveram dificuldades no trecho de Morro das Pedras, que os competidores de São Paulo apelidaram de “Morro Maldito”, mas Leonel comenta ter passado por lá sem problemas. “Que coisa maravilhosa, subir, deslizar e derrapar. Depois foi só descer, olhar a paisagem e agradecer a Deus, tudo isso foi um incentivo”.

A Volta à Ilha desse ano teve vitória da equipe Paquetá Sports, de Porto Alegre (RS) e o Webrun acompanhou todos os detalhes desde as primeiras horas do sábado, direto da Ilha da Magia.

Organizador da Volta à Ilha faz balanço da prova

Maratona · 15 abr, 2007

Carlos Duarte, organizador da Volta à Ilha, fez um balanço positivo da 12ª edição que aconteceu no último sábado (14) em Florianópolis (SC). De acordo com ele, houve algumas falhas, mas a direção de prova se esforçou ao máximo para minimizar os erros.

“O principal foi que a prova funcionou bem, mesmo com a chuva, que caiu durante a prova pela primeira vez em 12 anos. Em qualquer situação de competição sempre acontecem imprevistos, seja com os carros de apoio, seja com os atletas em si, mas tudo isso faz parte do espírito desse desafio”, comenta. Ainda segundo o diretor, a organização sempre consulta os competidores em busca de melhorias e correção de falhas.

“O espírito de equipe e de camaradagem prevalece nessa competição, mesmo com alguns desentendimentos pontuais que eventualmente acontecem. O mais importante é as pessoas se sentirem felizes por estarem aqui, independente das dificuldades”, ressalta.

As palavras de Carlos puderam ser comprovadas durante a chegada dos corredores, na noite de ontem (14) em frente ao Trapiche da Avenida Beira Mar Norte. Todas os membros das equipes, independente do cansaço, do tempo de prova ou da forte chuva que caía no momento, se abraçavam e vibravam por terem completado os 150 quilômetros.

Durante a festa de premiação, todas as equipes que subiram ao pódio foram muito aplaudidas e o grande público presente também fez questão de cumprimentar Carlos e sua esposa Maria de Fátima pela organização do evento.


Organizador da Volta à Ilha faz balanço da prova

Maratona · 15 abr, 2007

Carlos Duarte, organizador da Volta à Ilha, fez um balanço positivo da 12ª edição que aconteceu no último sábado (14) em Florianópolis (SC). De acordo com ele, houve algumas falhas, mas a direção de prova se esforçou ao máximo para minimizar os erros.

“O principal foi que a prova funcionou bem, mesmo com a chuva, que caiu durante a prova pela primeira vez em 12 anos. Em qualquer situação de competição sempre acontecem imprevistos, seja com os carros de apoio, seja com os atletas em si, mas tudo isso faz parte do espírito desse desafio”, comenta. Ainda segundo o diretor, a organização sempre consulta os competidores em busca de melhorias e correção de falhas.

“O espírito de equipe e de camaradagem prevalece nessa competição, mesmo com alguns desentendimentos pontuais que eventualmente acontecem. O mais importante é as pessoas se sentirem felizes por estarem aqui, independente das dificuldades”, ressalta.

As palavras de Carlos puderam ser comprovadas durante a chegada dos corredores, na noite de ontem (14) em frente ao Trapiche da Avenida Beira Mar Norte. Todas os membros das equipes, independente do cansaço, do tempo de prova ou da forte chuva que caía no momento, se abraçavam e vibravam por terem completado os 150 quilômetros.

Durante a festa de premiação, todas as equipes que subiram ao pódio foram muito aplaudidas e o grande público presente também fez questão de cumprimentar Carlos e sua esposa Maria de Fátima pela organização do evento.

Leandro Macedo compete Volta à Ilha por lazer

Maratona · 15 abr, 2007

O triathleta Leandro Macedo já deu muitos títulos para o Brasil, como o Pan de 1995 os títulos mundiais. Após tantas conquistas ele se retirou das competições profissionalmente para se dedicar à sua assessoria esportiva, mas participa de algumas por lazer e para incentivar seus alunos. Ele faturou a vitória da categoria duplas na Volta à Ilha, prova de revezamento que aconteceu em Florianópolis (SC) no último sábado (14) e se diz surpreso com o resultado.

“Fiquei surpreso, pois vim para cá com meu sócio Bruno Gagliardi, apenas com o intuito de completar. No decorrer fomos nos envolvendo com o espírito da competição e começamos a alternar a liderança com as outras equipes. Foi bem disputado”, comenta. Mesmo acostumado às longas distâncias, o esforço o deixou com dores musculares.

Competindo sem a pressão por resultados, ele participou ano passado de quatro provas de revezamento, uma de ciclismo, uma de triathlon, uma de corrida e uma de canoagem com corrida. “Vou correr o Ironman esse mês para incentivar meus alunos. Apesar de não ter o enfoque competitivo, sempre faço o meu melhor”, ressalta.

E “fazer o melhor” por enquanto tem significado mais vitórias para o competidor, que venceu a primeira etapa do RBK Long Distance, que aconteceu em 18 de março no Rio de Janeiro “Eu também não esperava a vitória naquela prova, foi um presente no dia do meu aniversário”, comenta Leandro que ainda vai participar de três triathlons esse ano e algumas outras competições de revezamento.

A 12ª edição da Volta à Ilha teve vitória da equipe Paquetá Sports, de Porto Alegre (RS) e contou com a participação de mais de três mil corredores de diversos Estados brasileiros e de outros países.


Leandro Macedo compete Volta à Ilha por lazer

Maratona · 15 abr, 2007

O triathleta Leandro Macedo já deu muitos títulos para o Brasil, como o Pan de 1995 os títulos mundiais. Após tantas conquistas ele se retirou das competições profissionalmente para se dedicar à sua assessoria esportiva, mas participa de algumas por lazer e para incentivar seus alunos. Ele faturou a vitória da categoria duplas na Volta à Ilha, prova de revezamento que aconteceu em Florianópolis (SC) no último sábado (14) e se diz surpreso com o resultado.

“Fiquei surpreso, pois vim para cá com meu sócio Bruno Gagliardi, apenas com o intuito de completar. No decorrer fomos nos envolvendo com o espírito da competição e começamos a alternar a liderança com as outras equipes. Foi bem disputado”, comenta. Mesmo acostumado às longas distâncias, o esforço o deixou com dores musculares.

Competindo sem a pressão por resultados, ele participou ano passado de quatro provas de revezamento, uma de ciclismo, uma de triathlon, uma de corrida e uma de canoagem com corrida. “Vou correr o Ironman esse mês para incentivar meus alunos. Apesar de não ter o enfoque competitivo, sempre faço o meu melhor”, ressalta.

E “fazer o melhor” por enquanto tem significado mais vitórias para o competidor, que venceu a primeira etapa do RBK Long Distance, que aconteceu em 18 de março no Rio de Janeiro “Eu também não esperava a vitória naquela prova, foi um presente no dia do meu aniversário”, comenta Leandro que ainda vai participar de três triathlons esse ano e algumas outras competições de revezamento.

A 12ª edição da Volta à Ilha teve vitória da equipe Paquetá Sports, de Porto Alegre (RS) e contou com a participação de mais de três mil corredores de diversos Estados brasileiros e de outros países.

Paquetá Sports fatura Volta à Ilha 2007

Maratona · 15 abr, 2007

Foram 150 quilômetros de competição, 24 Postos de Controle, lama, areia fofa, chuva, asfalto, grama e muita superação para os 3.100 atletas que participaram da 12ª edição da Volta à Ilha, em Florianópolis (SC) no último sábado. (14). Após 8h23min47, a equipe Paquetá Esportes Asics, de Porto Alegre (RS) faturou o primeiro lugar geral, e se tornou bicampeã da competição.

De acordo com José Eduardo Zdanowicz, coordenador geral da equipe, cada trajeto teve um estudo minucioso de terreno e distância, para que os atletas pudessem completar sem problemas. “Não adianta termos bons corredores, se não temos planejamento. Montamos um grupo forte e que a cada ano melhora”, comenta José, que diz também que a ajuda da equipe de apoio foi fundamental. “Quero agradecer o Edson Bereta, coordenador tático e o Ricardo Zdanowicz, que deu apoio logístico”.

Dessa forma, a Idaten / CNT / Bellos Car se tornou a campeã da categoria Aberta com 9h13min51. O segundo lugar ficou com a equipe Cindacta 2 e o terceiro com a equipe Petrobras/Paraná , com 9h43min13 e 9h49min20 respectivamente. Já na categoria Aberta Mista, a vitória ficou com a equipe Camposrunning, com o tempo de 10h21min06, seguida pela Butenas Asessoria Beta, com 10h47min45 e a By Digo - Fit Batel, com 10h54min49.

Mais vencedores - Entre as mulheres, a TPM levou para a capital paulista o caneco de campeã da Volta à Ilha. A equipe, que é formada por profissionais de educação física, quase não tem tempo para treinar junta e esse ano conseguiu fechar a prova com 25 minutos a menos do que em 2006 e bater o recorde da prova. “A temperatura ajudou, pois estava bem fresquinho. Ano passado tivemos problemas de logística, dobramos perna, mas esse ano deu tudo certo”, conta Adriana Camargo. Elas fecharam com 11h23min32 (contra 11min47seg58 do recorde anterior), seguidas pela Paulistana, com 11h37min14.

A prova contou com três categorias de veterano, a “Veteranos um”, “Veteranos Dois” e “Veterana Mista”. A Dois é composta por atletas com 50 anos ou mais e esse ano a vitória ficou com a Vento Sul V2, de Florianópolis (SC). “A participação da equipe foi boa, pois tínhamos elementos que não estavam em boas condições e dois atletas tiveram que dobrar trechos”, comenta Alcides Rodrigues Filho, coordenador da equipe. Eles completaram em 12h23in11.

Na Veterana Um, a Cuca - Curitiba levou a melhor com 9h58min09, seguida pela AJUT / SouzaCar, com 9h59min48 e pela Correios RS 1, com 10h52min50. Na Mista, a Fundação Brigada Militar de Porto Alegre fechou em primeiro com 11h51min54, seguida pela Veterana Bela Vista C Club, com 12h51min54 e pela Trainer / Run for Fun, com 13h20min01.

Duplas - Nas duplas, a vitória ficou o triathleta Leandro Macedo e seu sócio Bruno Gagliardi, da equipe T.O.P. Sports Unidr Reebok II , que completaram em 12h15min03. Leandro, que parou de competir profissionalmente, participa de algumas provas por prazer e para incentivar os alunos de sua assessoria esportiva. “Foi a primeira vez que eu participei dessa prova e foi duro. Já corri Ironmans, mas vim para cá sem saber como seria e tive que trocar de estratégia durante o percurso. Apesar da dificuldade, foi super legal”, comenta.

Em segundo nas duplas apareceu a equipe Acrimet / Top Spin / Runtech, com 12h16min23, seguida pela Trainer Tchê, que fechou com 12h27min20. A 12ª edição da Volta à Ilha teve um fato curioso: Pela primeira vez em toda a história choveu no trajeto e durante a chegada dos atletas. O Webrun esteve na Ilha da Magia e acompanhou de perto os desafios da maior prova de revezamento da América Latina.


Paquetá Sports fatura Volta à Ilha 2007

Maratona · 15 abr, 2007

Foram 150 quilômetros de competição, 24 Postos de Controle, lama, areia fofa, chuva, asfalto, grama e muita superação para os 3.100 atletas que participaram da 12ª edição da Volta à Ilha, em Florianópolis (SC) no último sábado. (14). Após 8h23min47, a equipe Paquetá Esportes Asics, de Porto Alegre (RS) faturou o primeiro lugar geral, e se tornou bicampeã da competição.

De acordo com José Eduardo Zdanowicz, coordenador geral da equipe, cada trajeto teve um estudo minucioso de terreno e distância, para que os atletas pudessem completar sem problemas. “Não adianta termos bons corredores, se não temos planejamento. Montamos um grupo forte e que a cada ano melhora”, comenta José, que diz também que a ajuda da equipe de apoio foi fundamental. “Quero agradecer o Edson Bereta, coordenador tático e o Ricardo Zdanowicz, que deu apoio logístico”.

Dessa forma, a Idaten / CNT / Bellos Car se tornou a campeã da categoria Aberta com 9h13min51. O segundo lugar ficou com a equipe Cindacta 2 e o terceiro com a equipe Petrobras/Paraná , com 9h43min13 e 9h49min20 respectivamente. Já na categoria Aberta Mista, a vitória ficou com a equipe Camposrunning, com o tempo de 10h21min06, seguida pela Butenas Asessoria Beta, com 10h47min45 e a By Digo - Fit Batel, com 10h54min49.

Mais vencedores - Entre as mulheres, a TPM levou para a capital paulista o caneco de campeã da Volta à Ilha. A equipe, que é formada por profissionais de educação física, quase não tem tempo para treinar junta e esse ano conseguiu fechar a prova com 25 minutos a menos do que em 2006 e bater o recorde da prova. “A temperatura ajudou, pois estava bem fresquinho. Ano passado tivemos problemas de logística, dobramos perna, mas esse ano deu tudo certo”, conta Adriana Camargo. Elas fecharam com 11h23min32 (contra 11min47seg58 do recorde anterior), seguidas pela Paulistana, com 11h37min14.

A prova contou com três categorias de veterano, a “Veteranos um”, “Veteranos Dois” e “Veterana Mista”. A Dois é composta por atletas com 50 anos ou mais e esse ano a vitória ficou com a Vento Sul V2, de Florianópolis (SC). “A participação da equipe foi boa, pois tínhamos elementos que não estavam em boas condições e dois atletas tiveram que dobrar trechos”, comenta Alcides Rodrigues Filho, coordenador da equipe. Eles completaram em 12h23in11.

Na Veterana Um, a Cuca - Curitiba levou a melhor com 9h58min09, seguida pela AJUT / SouzaCar, com 9h59min48 e pela Correios RS 1, com 10h52min50. Na Mista, a Fundação Brigada Militar de Porto Alegre fechou em primeiro com 11h51min54, seguida pela Veterana Bela Vista C Club, com 12h51min54 e pela Trainer / Run for Fun, com 13h20min01.

Duplas - Nas duplas, a vitória ficou o triathleta Leandro Macedo e seu sócio Bruno Gagliardi, da equipe T.O.P. Sports Unidr Reebok II , que completaram em 12h15min03. Leandro, que parou de competir profissionalmente, participa de algumas provas por prazer e para incentivar os alunos de sua assessoria esportiva. “Foi a primeira vez que eu participei dessa prova e foi duro. Já corri Ironmans, mas vim para cá sem saber como seria e tive que trocar de estratégia durante o percurso. Apesar da dificuldade, foi super legal”, comenta.

Em segundo nas duplas apareceu a equipe Acrimet / Top Spin / Runtech, com 12h16min23, seguida pela Trainer Tchê, que fechou com 12h27min20. A 12ª edição da Volta à Ilha teve um fato curioso: Pela primeira vez em toda a história choveu no trajeto e durante a chegada dos atletas. O Webrun esteve na Ilha da Magia e acompanhou de perto os desafios da maior prova de revezamento da América Latina.

Acompanhe como foi a chegada da Volta à Ilha

Maratona · 14 abr, 2007

Florianópolis - A 12ª edição da Volta à Ilha começou às 4h desse sábado, em Florianópolis (SC) e mais de 300 equipes correram 150 quilômetros em forma de revezamento em diversas categorias. Muitos atletas largaram quando o dia ainda nem tinha amanhecido e chegaram muito depois do sol se pôr.

Mesmo depois de enfrentar muitas adversidades pelo caminho, como areia fofa, subidas e descidas íngremes, sol, chuva, vento, entre outras dificuldades, todos os que completavam ainda tinham muitas forças para comemorar e celebrar com os amigos. Cada equipe festejou de uma forma diferente: gritos de guerra, brindes com champagne, cerveja, bebida isotônica e beijos entre os casais, entre eram os mais vistos.

Durante a festa da chegada São Pedro resolveu brindar os competidores com muita água, já que a chuva que caiu e parou durante o dia todo, veio com toda força à noite. Isso não foi um empecilho para que o público presente, formado na grande maioria por atletas de várias equipes, formasse um corredor durante a chegada dos companheiros para incentivá-los e aplaudí-los nos metros finais.

Personalidade - Em meio a um mar de euforia e endorfina, Ronaldo da Costa, campeão da São Silvestre em 1994, figurava entre atletas de diversas gerações. Para alguns ele passou desapercebido, mas os que o reconheciam abriam um largo sorriso e o cumprimentavam. “A prova foi legal, é uma aventura diferente, estou satisfeito”, declara o também recordista de maratonas em 1998, em Berlim. Depois de um período de depressão e longe das corridas, ele está voltando a competir aos poucos. “Vou para os 10 km Tribuna FM no dia 20, mas sem compromisso, apenas para treinar”, completa.

Entre os que comemoravam por terem completado, Armando Júnior, coordenador da equipe estreante Bekauser malhas, foi só elogios ao grupo. “Conseguimos cumprir a meta do tempo, foi fantástico e estão todos de parabéns”. Já Caroline Teixeira, da equipe Planet Runners, não conteve a emoção ao falar da prova. “Foi muito gostosa, a chuvinha ajudou no rendimento final, apesar de eu ter chegado morrendo de frio. Essa prova é muito legal pelo espírito de equipe e a superação de cada um”.

Ocorrências médicas - De acordo com o médico responsável pela prova, Dr. Jorn Spiller, não houve registros de incidentes graves durante as mais de 15 horas de duração da Volta à Ilha. “Como choveu, não tivemos problemas de atletas passando mal com o calor e nem desmaiando. Tivemos alguns indivíduos que sofreram escoriações leves ocasionadas por queda, além de cãibras, mas nada grave”.

Ainda de acordo com o médico, houve uma ocorrência típica em provas de campo aberto: mordidas de cachorro. “Essa ocorrência sempre aparece e hoje não foi diferente. Alguns corredores foram perseguidos por cães de rua e alguns até mordidos, mas já foram medicados e estão bem”.

Após a apuração dos resultados, os vencedores serão conhecidos nesse domingo (15) a partir das 9h30, na cerimônia de premiação que acontecerá no Majestic Palace Hotel. O Webrun vai conferir de perto.


Acompanhe como foi a chegada da Volta à Ilha

Maratona · 14 abr, 2007

Florianópolis - A 12ª edição da Volta à Ilha começou às 4h desse sábado, em Florianópolis (SC) e mais de 300 equipes correram 150 quilômetros em forma de revezamento em diversas categorias. Muitos atletas largaram quando o dia ainda nem tinha amanhecido e chegaram muito depois do sol se pôr.

Mesmo depois de enfrentar muitas adversidades pelo caminho, como areia fofa, subidas e descidas íngremes, sol, chuva, vento, entre outras dificuldades, todos os que completavam ainda tinham muitas forças para comemorar e celebrar com os amigos. Cada equipe festejou de uma forma diferente: gritos de guerra, brindes com champagne, cerveja, bebida isotônica e beijos entre os casais, entre eram os mais vistos.

Durante a festa da chegada São Pedro resolveu brindar os competidores com muita água, já que a chuva que caiu e parou durante o dia todo, veio com toda força à noite. Isso não foi um empecilho para que o público presente, formado na grande maioria por atletas de várias equipes, formasse um corredor durante a chegada dos companheiros para incentivá-los e aplaudí-los nos metros finais.

Personalidade - Em meio a um mar de euforia e endorfina, Ronaldo da Costa, campeão da São Silvestre em 1994, figurava entre atletas de diversas gerações. Para alguns ele passou desapercebido, mas os que o reconheciam abriam um largo sorriso e o cumprimentavam. “A prova foi legal, é uma aventura diferente, estou satisfeito”, declara o também recordista de maratonas em 1998, em Berlim. Depois de um período de depressão e longe das corridas, ele está voltando a competir aos poucos. “Vou para os 10 km Tribuna FM no dia 20, mas sem compromisso, apenas para treinar”, completa.

Entre os que comemoravam por terem completado, Armando Júnior, coordenador da equipe estreante Bekauser malhas, foi só elogios ao grupo. “Conseguimos cumprir a meta do tempo, foi fantástico e estão todos de parabéns”. Já Caroline Teixeira, da equipe Planet Runners, não conteve a emoção ao falar da prova. “Foi muito gostosa, a chuvinha ajudou no rendimento final, apesar de eu ter chegado morrendo de frio. Essa prova é muito legal pelo espírito de equipe e a superação de cada um”.

Ocorrências médicas - De acordo com o médico responsável pela prova, Dr. Jorn Spiller, não houve registros de incidentes graves durante as mais de 15 horas de duração da Volta à Ilha. “Como choveu, não tivemos problemas de atletas passando mal com o calor e nem desmaiando. Tivemos alguns indivíduos que sofreram escoriações leves ocasionadas por queda, além de cãibras, mas nada grave”.

Ainda de acordo com o médico, houve uma ocorrência típica em provas de campo aberto: mordidas de cachorro. “Essa ocorrência sempre aparece e hoje não foi diferente. Alguns corredores foram perseguidos por cães de rua e alguns até mordidos, mas já foram medicados e estão bem”.

Após a apuração dos resultados, os vencedores serão conhecidos nesse domingo (15) a partir das 9h30, na cerimônia de premiação que acontecerá no Majestic Palace Hotel. O Webrun vai conferir de perto.

Volta à Ilha: Confira como foi a parte final

Maratona · 14 abr, 2007

Florianópolis - Desde as 4h desse sábado (14) acontece em Florianópolis (SC) a 12ª edição da Volta à Ilha, prova de revezamento com distância total de 150 quilômetros. Depois de enfrentar dunas, ladeiras, água do mar, areia fofa, entre outros desafios, os atletas partiram para os últimos trechos do percurso, em Pântano do Sul, na Base Aérea da cidade, Aeroporto e Avenida Beira Mar Norte.

Logo na entrada do Posto de Controle localizado em Pântano do Sul, os corredores se depararam com um problema típico do cotidiano das grandes cidades: o trânsito. Esse fato foi causado pelo grande número de veículos de apoio que se concentrava no local, que a todo momento tentavam cruzar a estreita pista, por onde passavam os atletas.

Jair Aparecido, após passar o bastão para seu companheiro na Base Áerea de Florianópolis, comenta sobre os problemas do tráfego. “O trânsito atrapalhou, a maioria das pessoas não pára o carro para o corredor passar e se eu não circulasse pelo acostamento poderia ter sido atropelado”. Ofegante pelo esforço exercido durante a prova, ele deu o máximo de si por se tratar do último trajeto que faria.

Sofrimentos - Henrique dos Santos, que nunca tinha corrido na areia, sentiu na pele o alto nível da competição. “Corri o trecho 13 (Santinho/ Moçambique) onde tinha muita areia fofa e depois o trecho 19 (Pântano do Sul/ Estrada do Sertão) , com muita lama. Nunca corri percursos tão difíceis”, comenta o atleta, que se contundiu e teve a participação no próximo trecho prejudicada.

Quem também teve problemas foi o carro da equipe Bona Fun 2, que assim como outros veículos de apoio quase ficou atolado, pois a lama deixou o trajeto para a Estrada do Sertão bem escorregadio. Problemas à parte, o “hermano” Diego Peña, integrante da equipe, participa da prova pelo segundo ano e comenta que adora a competição. “É difícil, principalmente pelas dunas em Santinho, mas eu gosto muito”. Apesar de ser natural da Argentina, ele mora no Brasil há cinco anos.

Porém, nem só de sofrimento é feita a Volta Ilha, que tem alguns percursos leves. É o caso da parte escolhida por Marco Flávio, a de número 21 (Ribeirão da Ilha/ Base Aérea), um trajeto leve, com calçamento e asfalto. “Sou corredor de aventura e não estava nos meus melhores treinos, então pedi para correr o trecho mais fácil. O clima ajudou bastante, com a chuva que ajudou a esfriar”

A competição terminou no mesmo local da largada, a Avenida Beira Mar, sendo que a primeira equipe chegou por volta das 16h e a última após as 21h.


Volta à Ilha: Confira como foi a parte final

Maratona · 14 abr, 2007

Florianópolis - Desde as 4h desse sábado (14) acontece em Florianópolis (SC) a 12ª edição da Volta à Ilha, prova de revezamento com distância total de 150 quilômetros. Depois de enfrentar dunas, ladeiras, água do mar, areia fofa, entre outros desafios, os atletas partiram para os últimos trechos do percurso, em Pântano do Sul, na Base Aérea da cidade, Aeroporto e Avenida Beira Mar Norte.

Logo na entrada do Posto de Controle localizado em Pântano do Sul, os corredores se depararam com um problema típico do cotidiano das grandes cidades: o trânsito. Esse fato foi causado pelo grande número de veículos de apoio que se concentrava no local, que a todo momento tentavam cruzar a estreita pista, por onde passavam os atletas.

Jair Aparecido, após passar o bastão para seu companheiro na Base Áerea de Florianópolis, comenta sobre os problemas do tráfego. “O trânsito atrapalhou, a maioria das pessoas não pára o carro para o corredor passar e se eu não circulasse pelo acostamento poderia ter sido atropelado”. Ofegante pelo esforço exercido durante a prova, ele deu o máximo de si por se tratar do último trajeto que faria.

Sofrimentos - Henrique dos Santos, que nunca tinha corrido na areia, sentiu na pele o alto nível da competição. “Corri o trecho 13 (Santinho/ Moçambique) onde tinha muita areia fofa e depois o trecho 19 (Pântano do Sul/ Estrada do Sertão) , com muita lama. Nunca corri percursos tão difíceis”, comenta o atleta, que se contundiu e teve a participação no próximo trecho prejudicada.

Quem também teve problemas foi o carro da equipe Bona Fun 2, que assim como outros veículos de apoio quase ficou atolado, pois a lama deixou o trajeto para a Estrada do Sertão bem escorregadio. Problemas à parte, o “hermano” Diego Peña, integrante da equipe, participa da prova pelo segundo ano e comenta que adora a competição. “É difícil, principalmente pelas dunas em Santinho, mas eu gosto muito”. Apesar de ser natural da Argentina, ele mora no Brasil há cinco anos.

Porém, nem só de sofrimento é feita a Volta Ilha, que tem alguns percursos leves. É o caso da parte escolhida por Marco Flávio, a de número 21 (Ribeirão da Ilha/ Base Aérea), um trajeto leve, com calçamento e asfalto. “Sou corredor de aventura e não estava nos meus melhores treinos, então pedi para correr o trecho mais fácil. O clima ajudou bastante, com a chuva que ajudou a esfriar”

A competição terminou no mesmo local da largada, a Avenida Beira Mar, sendo que a primeira equipe chegou por volta das 16h e a última após as 21h.

Clima ameno favorece atletas da Volta à Ilha

Maratona · 14 abr, 2007

A 12ª edição da Volta à Ilha, prova de revezamento de 150 quilômetros, acontece durante esse sábado (14) em Florianópolis (SC) e o Webrun vem acompanhando todos os detalhes desde a largada, às 4h. Durante a passagem pelo PC (Posto de Controle) 13, na Praia do Santinho, região norte da ilha, os atletas tiveram algumas dificuldades com a areia, mas o clima ameno favoreceu a disputa.

Fernando Nienkotter conta que teve alguns problemas no início do trajeto com a areia dura, mas o tempo nublado o ajudou a não chegar tão fadigado. Fernando é triathleta é resolveu participar da competição como forma de treino para as competições da modalidade.

Em entrevista ao Webrun ele fala sobre a importância do espírito de equipe que essa prova proporciona e cometa sobre as expectativas da equipe em relação à resultado, já que é a primeira vez que eles competem juntos.

A primeira equipe deve chegar por volta das 16h, no mesmo local da largada, ou seja, em frente ao trapiche da Avenida Beira Mar Norte. Os últimos colocados devem apontar por lá entre 19h e 20h.


Clima ameno favorece atletas da Volta à Ilha

Maratona · 14 abr, 2007

A 12ª edição da Volta à Ilha, prova de revezamento de 150 quilômetros, acontece durante esse sábado (14) em Florianópolis (SC) e o Webrun vem acompanhando todos os detalhes desde a largada, às 4h. Durante a passagem pelo PC (Posto de Controle) 13, na Praia do Santinho, região norte da ilha, os atletas tiveram algumas dificuldades com a areia, mas o clima ameno favoreceu a disputa.

Fernando Nienkotter conta que teve alguns problemas no início do trajeto com a areia dura, mas o tempo nublado o ajudou a não chegar tão fadigado. Fernando é triathleta é resolveu participar da competição como forma de treino para as competições da modalidade.

Em entrevista ao Webrun ele fala sobre a importância do espírito de equipe que essa prova proporciona e cometa sobre as expectativas da equipe em relação à resultado, já que é a primeira vez que eles competem juntos.

A primeira equipe deve chegar por volta das 16h, no mesmo local da largada, ou seja, em frente ao trapiche da Avenida Beira Mar Norte. Os últimos colocados devem apontar por lá entre 19h e 20h.

Volta à Ilha: Jurerê tem paisagens e dificuldades

Maratona · 14 abr, 2007

Florianópolis - Desde as 4h desse sábado acontece em Florianópolis (SC) a 12ª edição da Volta à Ilha, prova que apesar de não contar com premiação em dinheiro, atrai muitas pessoas para a Ilha da Magia. Os competidores que passaram pelo posto seis, na praia de Jurerê Internacional, se depararam com belas paisagens da costa e do Forte São José, mas ao mesmo tempo tiveram algumas dificuldades, como ladeiras íngremes, areia fofa da praia e até água do mar pela cintura. Alguns corredores tentavam desviar da areia e correram nas proximidades do mar, mas a subida da maré os obrigou a retornar ao caminho mais difícil.

Antônio Carlos Anchieta, enquanto aguardava a chegada de seu companheiro da equipe de Veteranos do Banco do Brasil, comenta que espera um percurso rápido e fácil de 3,1 quilômetros no trecho sete. “Essa subidinha inicial será o trecho mais complicado, depois na areia fofa tem que segurar bem”. Ele acredita que a equipe conseguirá completar o percurso no tempo planejado, entre 12 e 13 horas.

Seu companheiro de equipe, João Augusto Alves, relembra com um largo sorriso no que foi o primeiro atleta a liderar a Volta à Ilha, há 12 anos atrás. “Na época fizeram a largada dos veteranos primeiro e eu saí na frente. Tinha moto da polícia e ambulância de batedores”, lembra João. Segundo ele, até os dias atuais, a prova teve uma evolução muito grande, principalmente em nível de organização e de participação de equipes.

Já Eduardo Felício Miller não ficou muito satisfeito com a sinalização de um dos fiscais, que indicou o caminho errado. “Eles indicaram que tinha que passar junto à costa, não havia indicação amarela nesse trecho e fui parar no mar, corri uns 200 metros com água pela cintura”. Apesar da dificuldade, ele resume o trecho como moderado. Ele pertence à Tribo do Esporte, que tem como objetivo chegar entre os 30 primeiros.

Depois de enfrentar garoa, sol e vento em diferentes trechos, às 11h a temperatura era de 23ºC, com clima abafado e céu encoberto. A Volta A Ilha tem previsão de chegada dos atletas a partir das 16h desse sábado e o Webrun continuará a fazer a cobertura direto de Florianópolis.


Volta à Ilha: Jurerê tem paisagens e dificuldades

Maratona · 14 abr, 2007

Florianópolis - Desde as 4h desse sábado acontece em Florianópolis (SC) a 12ª edição da Volta à Ilha, prova que apesar de não contar com premiação em dinheiro, atrai muitas pessoas para a Ilha da Magia. Os competidores que passaram pelo posto seis, na praia de Jurerê Internacional, se depararam com belas paisagens da costa e do Forte São José, mas ao mesmo tempo tiveram algumas dificuldades, como ladeiras íngremes, areia fofa da praia e até água do mar pela cintura. Alguns corredores tentavam desviar da areia e correram nas proximidades do mar, mas a subida da maré os obrigou a retornar ao caminho mais difícil.

Antônio Carlos Anchieta, enquanto aguardava a chegada de seu companheiro da equipe de Veteranos do Banco do Brasil, comenta que espera um percurso rápido e fácil de 3,1 quilômetros no trecho sete. “Essa subidinha inicial será o trecho mais complicado, depois na areia fofa tem que segurar bem”. Ele acredita que a equipe conseguirá completar o percurso no tempo planejado, entre 12 e 13 horas.

Seu companheiro de equipe, João Augusto Alves, relembra com um largo sorriso no que foi o primeiro atleta a liderar a Volta à Ilha, há 12 anos atrás. “Na época fizeram a largada dos veteranos primeiro e eu saí na frente. Tinha moto da polícia e ambulância de batedores”, lembra João. Segundo ele, até os dias atuais, a prova teve uma evolução muito grande, principalmente em nível de organização e de participação de equipes.

Já Eduardo Felício Miller não ficou muito satisfeito com a sinalização de um dos fiscais, que indicou o caminho errado. “Eles indicaram que tinha que passar junto à costa, não havia indicação amarela nesse trecho e fui parar no mar, corri uns 200 metros com água pela cintura”. Apesar da dificuldade, ele resume o trecho como moderado. Ele pertence à Tribo do Esporte, que tem como objetivo chegar entre os 30 primeiros.

Depois de enfrentar garoa, sol e vento em diferentes trechos, às 11h a temperatura era de 23ºC, com clima abafado e céu encoberto. A Volta A Ilha tem previsão de chegada dos atletas a partir das 16h desse sábado e o Webrun continuará a fazer a cobertura direto de Florianópolis.

Equipes passam pelos PCs na Volta à Ilha

Maratona · 14 abr, 2007

Florianópolis - A 12ª edição da Volta à Ilha, que acontece nesse sábado (14) em Florianópolis (SC) reservou para os atletas um clima ameno, na marca dos 20ºC e com variações de garoa e sol em alguns trechos. As primeiras equipes que largaram já estão passando pelos PCs (Postos de Controle) ao norte da Ilha, onde passam o bastão para os colegas de equipe.

Saulo Neves de Oliveira, da equipe Polícia Civil – RS/ Percorrer, ao passar pelo segundo ponto de transição, comenta que na largada os concorrentes saíram bem fortes. “Foi difícil, eu fiquei para trás, tentei recuperar e entregar o bastão com o menor tempo”. Ainda ofegante, o atleta da categoria aberta está confiante que os companheiros farão o melhor possível para dar um bom resultado à equipe.

Já Nei Domingues, da Paquetá esportes, durante a concentração para correr o trecho entre o sexto e sétimo percurso, comenta que a equipe veio com o a intenção de brigar pelo título na categoria Aberta Mista. “Estamos bem focados e até a última passagem estávamos na frente. Vou fazer um trecho mais fácil, de três quilômetros no asfalto e depois um quilômetro da trilha, que será um pouco mais complicado”, comenta.

Ao todo são 25 trechos e 150 quilômetros de trajeto total na maior prova de revezamento da América Latina. O Webrun continua a acompanhar a prova, direto da Ilha da Magia.


Equipes passam pelos PCs na Volta à Ilha

Maratona · 14 abr, 2007

Florianópolis - A 12ª edição da Volta à Ilha, que acontece nesse sábado (14) em Florianópolis (SC) reservou para os atletas um clima ameno, na marca dos 20ºC e com variações de garoa e sol em alguns trechos. As primeiras equipes que largaram já estão passando pelos PCs (Postos de Controle) ao norte da Ilha, onde passam o bastão para os colegas de equipe.

Saulo Neves de Oliveira, da equipe Polícia Civil – RS/ Percorrer, ao passar pelo segundo ponto de transição, comenta que na largada os concorrentes saíram bem fortes. “Foi difícil, eu fiquei para trás, tentei recuperar e entregar o bastão com o menor tempo”. Ainda ofegante, o atleta da categoria aberta está confiante que os companheiros farão o melhor possível para dar um bom resultado à equipe.

Já Nei Domingues, da Paquetá esportes, durante a concentração para correr o trecho entre o sexto e sétimo percurso, comenta que a equipe veio com o a intenção de brigar pelo título na categoria Aberta Mista. “Estamos bem focados e até a última passagem estávamos na frente. Vou fazer um trecho mais fácil, de três quilômetros no asfalto e depois um quilômetro da trilha, que será um pouco mais complicado”, comenta.

Ao todo são 25 trechos e 150 quilômetros de trajeto total na maior prova de revezamento da América Latina. O Webrun continua a acompanhar a prova, direto da Ilha da Magia.

Integrante da promoção Paris corre Volta à Ilha

Maratona · 14 abr, 2007

Florianópolis - Lucila Pacheco, uma das mulheres que participou da promoção Maratona de Paris, está em Florianópolis para participar da Volta à Ilha, competição que teve largada na madrugada desse sábado em Florianópolis (SC). Antes de sair para o revezamento de 150 quilômetros, ela conversou com o Webrun.

“Estou hoje na Trilopes Confraria, que me convidou para correr com eles na Volta à Ilha”, conta a atleta que participa da prova pela segunda vez. “Eu fiz essa corrida há dois anos atrás e ela tem uma magia especial, pela linda paisagem. Não é fácil, mas eu considero um dos melhores revezamentos para se participar”, completa. Ela vai enfrentar um dos trechos mais complicados, de dunas na praia.

Um assunto que ela não pode deixar de comentar foi sobre o resultado final da seletiva para a Maratona de Paris, que escolheu Luiz Fernando de Oliveira e Flávio Rogério Pires, para ganhar passagens áreas, hospedagem e inscrição para a competição francesa. “Eu não sei qual o critério que escolheram. Disseram que foi o comprometimento e participação nos treinos, mas todos tiveram a mesma empolgação”, ressalta. “Para as mulheres foi um pouco complicado, pois havia poucas representantes, mas foi uma experiência muito boa. Fizemos boas amizades e foi excelente”, finaliza.

A Volta à Ilha prossegue durante esse sábado e os atletas vão enfrentar diversos terrenos acidentados, dunas, areia, subidas e descidas íngremes, entre outros desafios. O Webrun vai acompanhar de perto, direto da Ilha da Magia.


Integrante da promoção Paris corre Volta à Ilha

Maratona · 14 abr, 2007

Florianópolis - Lucila Pacheco, uma das mulheres que participou da promoção Maratona de Paris, está em Florianópolis para participar da Volta à Ilha, competição que teve largada na madrugada desse sábado em Florianópolis (SC). Antes de sair para o revezamento de 150 quilômetros, ela conversou com o Webrun.

“Estou hoje na Trilopes Confraria, que me convidou para correr com eles na Volta à Ilha”, conta a atleta que participa da prova pela segunda vez. “Eu fiz essa corrida há dois anos atrás e ela tem uma magia especial, pela linda paisagem. Não é fácil, mas eu considero um dos melhores revezamentos para se participar”, completa. Ela vai enfrentar um dos trechos mais complicados, de dunas na praia.

Um assunto que ela não pode deixar de comentar foi sobre o resultado final da seletiva para a Maratona de Paris, que escolheu Luiz Fernando de Oliveira e Flávio Rogério Pires, para ganhar passagens áreas, hospedagem e inscrição para a competição francesa. “Eu não sei qual o critério que escolheram. Disseram que foi o comprometimento e participação nos treinos, mas todos tiveram a mesma empolgação”, ressalta. “Para as mulheres foi um pouco complicado, pois havia poucas representantes, mas foi uma experiência muito boa. Fizemos boas amizades e foi excelente”, finaliza.

A Volta à Ilha prossegue durante esse sábado e os atletas vão enfrentar diversos terrenos acidentados, dunas, areia, subidas e descidas íngremes, entre outros desafios. O Webrun vai acompanhar de perto, direto da Ilha da Magia.