carneiro

Running Show tem palestra sobre cuidados ao escolher o tênis

Atletismo · 31 jul, 2010

Direto da Running Show A orientação para quem procura um tênis já é conhecida mesmo para os que estão começando no mundo das corridas. Ir a uma loja especializada, fazer o teste de pisada, descobrir qual é a sua e comprar o tênis feito para a passada, correto? Depende, afirma Rodrigo Carneiro, diretor de treinamento da Velocità, uma das principais lojas especializadas no universo da corrida em São Paulo.

Formado em engenharia, Carneiro passou os últimos 14 anos estudando e testando tênis, desde que fundou a loja, e passou suas experiências para o público presente na feira na noite de ontem (30/07). “Existe um consenso que, para explicar melhor os diversos tipos de pisada, dividiram-nas em três, mas o universo é bem maior que isso”, conta.

De acordo com o palestrante, estudos mostram que uma pequena parcela da população pode ser considerada pronadora ou supinadora, e a maioria, cerca de 90%, possui pisada considerada neutra. “Não dá pra afirmar que a população é dividida em extremos, e sim que há uma grande faixa comum. Entendo que as marcas precisam facilitar a vida de quem compra, mas o teste de pisada não deveria carimbar a pessoa”, afirma, completando que neutros e pronadores representam a maioria, “mas isso não reflete necessariamente as vendas nas lojas”.

Tipos de tênis - E se existem três tipos de pisada, seria correto pensar em existir três tipos de tênis, porém de acordo com Carneiro, no quesito construção, o mercado apresenta apenas dois modelos: com suporte medial, e sem suporte medial.

“O suporte medial é uma camada mais dura na entresola, geralmente cinza e com uma indicação escrita da tecnologia, feita para desacelerar o movimento de pronação”, explica. “Estudos da década de 80 mostram que todos os indivíduos pronam na passada, e isso é correto, uma forma natural de amortecimento. Esse tipo de tênis corrige a passada de quem prona demais e dá mais estabilidade para quem tem pisada neutra ou levemente pronadora”, completa Carneiro.

Já os modelos sem suporte medial possuem a sola mais macia, usada para induzir a pronação maior durante a pisada para os indivíduos com tendência a ser supinadores. “Não é preciso corrigir a supinação, e sim facilitar para que o corredor prone um pouco. É um auxílio no amortecimento, já que essa pessoa não tem o amortecedor natural. Além disso, vários corredores com pisada neutra se dão bem com esse tipo de tênis por ser menos duro e dar uma sensação maior de amortecimento”, contou.

Dicas de compra - Nas lojas, o corredor raramente irá encontrar os termos com ou sem suporte medial. Carneiro passou alguns sinônimos usados pelas marcas. Tênis com suporte medial geralmente são classificados como Estabilidade, Motion Control ou Stability; já os sem suporte medial levam a classificação de Amortecimento, Cushion ou Construção neutra. “Esses termos apresentam algumas pegadinhas, também. Chamar um tênis de Estabilidade não significa que ele não seja bom em amortecimento, e vice-versa. Além disso, o termo construção neutra não significa que seja indicado para todos os indivíduos de pisada neutra”, alerta.

“A escolha do tênis ideal envolve tentativa e erro. Acho o teste de pisada extremamente importante, principalmente para quem está começando. Mas se o corredor já tem um histórico e experiência, isso conta muito mais”, conclui o palestrante, citando o exemplo de uma loja americana que visitou, responsável por uma das maiores vendas do país, e que prefere conversar com os corredores ao invés de fazer o teste da pisada.

A Running Show continua neste sábado com diversas palestras e marcas em exposição, termina no domingo (31) às 18hs.

  • Veja mais: Conheça os tipos de pisada
  • Veja mais: Teste completo de pisada


  • Running Show tem palestra sobre cuidados ao escolher o tênis

    Atletismo · 31 jul, 2010

    Direto da Running Show A orientação para quem procura um tênis já é conhecida mesmo para os que estão começando no mundo das corridas. Ir a uma loja especializada, fazer o teste de pisada, descobrir qual é a sua e comprar o tênis feito para a passada, correto? Depende, afirma Rodrigo Carneiro, diretor de treinamento da Velocità, uma das principais lojas especializadas no universo da corrida em São Paulo.

    Formado em engenharia, Carneiro passou os últimos 14 anos estudando e testando tênis, desde que fundou a loja, e passou suas experiências para o público presente na feira na noite de ontem (30/07). “Existe um consenso que, para explicar melhor os diversos tipos de pisada, dividiram-nas em três, mas o universo é bem maior que isso”, conta.

    De acordo com o palestrante, estudos mostram que uma pequena parcela da população pode ser considerada pronadora ou supinadora, e a maioria, cerca de 90%, possui pisada considerada neutra. “Não dá pra afirmar que a população é dividida em extremos, e sim que há uma grande faixa comum. Entendo que as marcas precisam facilitar a vida de quem compra, mas o teste de pisada não deveria carimbar a pessoa”, afirma, completando que neutros e pronadores representam a maioria, “mas isso não reflete necessariamente as vendas nas lojas”.

    Tipos de tênis - E se existem três tipos de pisada, seria correto pensar em existir três tipos de tênis, porém de acordo com Carneiro, no quesito construção, o mercado apresenta apenas dois modelos: com suporte medial, e sem suporte medial.

    “O suporte medial é uma camada mais dura na entresola, geralmente cinza e com uma indicação escrita da tecnologia, feita para desacelerar o movimento de pronação”, explica. “Estudos da década de 80 mostram que todos os indivíduos pronam na passada, e isso é correto, uma forma natural de amortecimento. Esse tipo de tênis corrige a passada de quem prona demais e dá mais estabilidade para quem tem pisada neutra ou levemente pronadora”, completa Carneiro.

    Já os modelos sem suporte medial possuem a sola mais macia, usada para induzir a pronação maior durante a pisada para os indivíduos com tendência a ser supinadores. “Não é preciso corrigir a supinação, e sim facilitar para que o corredor prone um pouco. É um auxílio no amortecimento, já que essa pessoa não tem o amortecedor natural. Além disso, vários corredores com pisada neutra se dão bem com esse tipo de tênis por ser menos duro e dar uma sensação maior de amortecimento”, contou.

    Dicas de compra - Nas lojas, o corredor raramente irá encontrar os termos com ou sem suporte medial. Carneiro passou alguns sinônimos usados pelas marcas. Tênis com suporte medial geralmente são classificados como Estabilidade, Motion Control ou Stability; já os sem suporte medial levam a classificação de Amortecimento, Cushion ou Construção neutra. “Esses termos apresentam algumas pegadinhas, também. Chamar um tênis de Estabilidade não significa que ele não seja bom em amortecimento, e vice-versa. Além disso, o termo construção neutra não significa que seja indicado para todos os indivíduos de pisada neutra”, alerta.

    “A escolha do tênis ideal envolve tentativa e erro. Acho o teste de pisada extremamente importante, principalmente para quem está começando. Mas se o corredor já tem um histórico e experiência, isso conta muito mais”, conclui o palestrante, citando o exemplo de uma loja americana que visitou, responsável por uma das maiores vendas do país, e que prefere conversar com os corredores ao invés de fazer o teste da pisada.

    A Running Show continua neste sábado com diversas palestras e marcas em exposição, termina no domingo (31) às 18hs.

  • Veja mais: Conheça os tipos de pisada
  • Veja mais: Teste completo de pisada