br

3ª Maratona BR de Revezamento

Maratona · 19 maio, 2002

Os africanos confirmaram o favoritismo na disputa da 3ª Maratona BR de Revezamento, que aconteceu neste domingo, 19 de maio, no Aterro do Flamengo, na cidade do Rio de Janeiro, e cruzaram a linha de chegada em 1º lugar, com o tempo de 2h03min36s.

Apesar do forte calor e da alta umidade, condições não muito favoráveis a bons resultados, o selecionado africano dominou a prova do começo ao fim e estabeleceu o novo recorde do percurso, faturando a premiação extra de US$ 10 mil (cerca de R$ 25 mil) que os organizadores disponibilizaram para a primeira equipe que conseguisse correr os 42,2 quilômetros abaixo das 2h06min54s.

Para o queniano David Cheruiyot, de apenas 21 anos, que chegou a morar alguns meses em São Paulo, vencendo várias corridas do país, a felicidade só não foi maior porque a equipe não conseguiu ficar também com os US$ 50 mil (cerca de R$ 125 mil) que estavam destinados para quem finalizasse o percurso antes das 2 horas de prova.

“Tentamos correr o mais rapidamente possível e bater os dois recordes, mas o das 2 horas ficou difícil. Mesmo assim, estou feliz com a vitória”, disse o atleta, que teve como companheiros de equipe o ugandense Godfrey Nyombi, os marroquinos Haman Larbi e Mohammed Habassa, o queniano Philimon Kipkering, além de Patrick Ndayisenga e Aloys Nizigama, ambos do Burundi.

A equipe do Cruzeiro, formada por Valdenor Pereira dos Santos, Hudson Ferreira Lemos, Rômulo da Silva, Nestor Garcia, Genilson Silva, Paulo Alves dos Santos, Lindomar Ribeiro e Wendel Cruz, ficou com a 2ª colocação, finalizando a prova em 2h04min51s, tempo também inferior ao antigo recorde do percurso. “Deixamos que eles escapassem no começo da prova e daí ficou difícil recuperar. Mas temos que reconhecer que o clima estava quente e o adversário era muito forte”, comentou Valdenor, que teve a missão de fechar o revezamento para os brasileiros.

Os portugueses, que já venceram por duas vezes no Brasil uma prova de revezamento disputada em São Paulo no mesmo formato, desembarcaram no Rio de Janeiro com atletas experientes, na esperança de quebra dos dois recordes. Para o tetracampeão europeu de cross-country Paulo Guerra, o forte calor fez com que a equipe não conseguisse impor o ritmo necessário e terminasse a prova em 3º lugar, com o tempo de 2h06min17s (também abaixo do antigo recorde). Domingos Castro, Eduardo Henrique, Alberto Chaica, Alberto Maravilha, Luís Jesus, Paulo Gomes e Rui Borges completaram a equipe.

Feminino: Entre as mulheres Maria Zeferina Baldaia, Selma dos Reis, Adriana de Souza, Marcia Narloch, Ednalva Laureano da Silva, Lucélia de Oliveira Peres e Marlene Moreira da Silva comandaram a equipe Mizuno Powerbar na vitória da 3ª Maratona BR de Revezamento, disputada domingo, 19 de maio, no Aterro do Flamengo, Rio de Janeiro, completando o revezamento em 2h27min48s.

A exemplo do que aconteceu na competição dos homens, a equipe feminina estabeleceu novo recorde para o percurso, que era de 2h34min28s, e faturou US$ 10 mil (R$ 25 mil) de premiação extra pelo resultado obtido.

Um dos destaques do time Mizuno Powerbar foi a atual campeã da São Silvestre, Maria Zeferina Baldaia, que teve a missão de correr o penúltimo trecho e entregar a munhequeira para companheira de equipe que fecharia o revezamento. “Resolvemos entre nós que a vencedora dos 10 km da Tribuna de Santos (disputados semana passada, 12 de maio) teria o direito de fechar a prova”, lembra Baldaia, referindo-se a Ednalva Laureano da Silva, a Pretinha, que levantou a platéia ao cruzar a linha de chegada em 1º lugar.

“Estou numa fase muito especial”, disse Ednalva, que, além da conquista em Santos, já faturou este ano o Troféu Cidade de São Paulo e os 10 km do Brasil, em São Paulo, e a Corrida do Trabalhador, em Brasília.

Na classificação geral feminina, a equipe de quatro atletas do Pão de Açúcar BM&F, formada por Viviany Anderson de Oliveira, Fabiana Cristine da Silva, Maria Cristina Vaqueiro Rodrigues e Nadir Sabino, fez uma corrida surpreendente, fechando a prova na 2ª colocação no geral feminino, com 2h33min02s, tempo também inferior ao recorde do percurso.

Com o resultado, o quarteto garantiu com sobra o título da competição na categoria quatro atletas. O técnico da equipe, Clodoaldo do Carmo, mostrou-se satisfeito com o resultado. "Abrimos uma grande vantagem com a primeira corredora (Viviany Anderson) e conseguimos manter o ritmo até o final.”

A equipe de oito atletas da Adidas Powerbar (Jocinalda dos Santos, Maria Lúcia Alves Moraes, Célia Regina dos Santos, Luciene Soares de Deus, Maria de Fátima Gomes da Silva, Janete Mayal, Zenaide Aparecida da Silva e Erica da Silva Camargo) foi a terceira a fechar os 42,2 quilômetros do percurso, com o tempo de 2h37min54s, garantindo assim a 2ª colocação na classificação por equipes (oito atletas) e o 3º lugar no geral.


3ª Maratona BR de Revezamento

Maratona · 19 maio, 2002

Os africanos confirmaram o favoritismo na disputa da 3ª Maratona BR de Revezamento, que aconteceu neste domingo, 19 de maio, no Aterro do Flamengo, na cidade do Rio de Janeiro, e cruzaram a linha de chegada em 1º lugar, com o tempo de 2h03min36s.

Apesar do forte calor e da alta umidade, condições não muito favoráveis a bons resultados, o selecionado africano dominou a prova do começo ao fim e estabeleceu o novo recorde do percurso, faturando a premiação extra de US$ 10 mil (cerca de R$ 25 mil) que os organizadores disponibilizaram para a primeira equipe que conseguisse correr os 42,2 quilômetros abaixo das 2h06min54s.

Para o queniano David Cheruiyot, de apenas 21 anos, que chegou a morar alguns meses em São Paulo, vencendo várias corridas do país, a felicidade só não foi maior porque a equipe não conseguiu ficar também com os US$ 50 mil (cerca de R$ 125 mil) que estavam destinados para quem finalizasse o percurso antes das 2 horas de prova.

“Tentamos correr o mais rapidamente possível e bater os dois recordes, mas o das 2 horas ficou difícil. Mesmo assim, estou feliz com a vitória”, disse o atleta, que teve como companheiros de equipe o ugandense Godfrey Nyombi, os marroquinos Haman Larbi e Mohammed Habassa, o queniano Philimon Kipkering, além de Patrick Ndayisenga e Aloys Nizigama, ambos do Burundi.

A equipe do Cruzeiro, formada por Valdenor Pereira dos Santos, Hudson Ferreira Lemos, Rômulo da Silva, Nestor Garcia, Genilson Silva, Paulo Alves dos Santos, Lindomar Ribeiro e Wendel Cruz, ficou com a 2ª colocação, finalizando a prova em 2h04min51s, tempo também inferior ao antigo recorde do percurso. “Deixamos que eles escapassem no começo da prova e daí ficou difícil recuperar. Mas temos que reconhecer que o clima estava quente e o adversário era muito forte”, comentou Valdenor, que teve a missão de fechar o revezamento para os brasileiros.

Os portugueses, que já venceram por duas vezes no Brasil uma prova de revezamento disputada em São Paulo no mesmo formato, desembarcaram no Rio de Janeiro com atletas experientes, na esperança de quebra dos dois recordes. Para o tetracampeão europeu de cross-country Paulo Guerra, o forte calor fez com que a equipe não conseguisse impor o ritmo necessário e terminasse a prova em 3º lugar, com o tempo de 2h06min17s (também abaixo do antigo recorde). Domingos Castro, Eduardo Henrique, Alberto Chaica, Alberto Maravilha, Luís Jesus, Paulo Gomes e Rui Borges completaram a equipe.

Feminino: Entre as mulheres Maria Zeferina Baldaia, Selma dos Reis, Adriana de Souza, Marcia Narloch, Ednalva Laureano da Silva, Lucélia de Oliveira Peres e Marlene Moreira da Silva comandaram a equipe Mizuno Powerbar na vitória da 3ª Maratona BR de Revezamento, disputada domingo, 19 de maio, no Aterro do Flamengo, Rio de Janeiro, completando o revezamento em 2h27min48s.

A exemplo do que aconteceu na competição dos homens, a equipe feminina estabeleceu novo recorde para o percurso, que era de 2h34min28s, e faturou US$ 10 mil (R$ 25 mil) de premiação extra pelo resultado obtido.

Um dos destaques do time Mizuno Powerbar foi a atual campeã da São Silvestre, Maria Zeferina Baldaia, que teve a missão de correr o penúltimo trecho e entregar a munhequeira para companheira de equipe que fecharia o revezamento. “Resolvemos entre nós que a vencedora dos 10 km da Tribuna de Santos (disputados semana passada, 12 de maio) teria o direito de fechar a prova”, lembra Baldaia, referindo-se a Ednalva Laureano da Silva, a Pretinha, que levantou a platéia ao cruzar a linha de chegada em 1º lugar.

“Estou numa fase muito especial”, disse Ednalva, que, além da conquista em Santos, já faturou este ano o Troféu Cidade de São Paulo e os 10 km do Brasil, em São Paulo, e a Corrida do Trabalhador, em Brasília.

Na classificação geral feminina, a equipe de quatro atletas do Pão de Açúcar BM&F, formada por Viviany Anderson de Oliveira, Fabiana Cristine da Silva, Maria Cristina Vaqueiro Rodrigues e Nadir Sabino, fez uma corrida surpreendente, fechando a prova na 2ª colocação no geral feminino, com 2h33min02s, tempo também inferior ao recorde do percurso.

Com o resultado, o quarteto garantiu com sobra o título da competição na categoria quatro atletas. O técnico da equipe, Clodoaldo do Carmo, mostrou-se satisfeito com o resultado. "Abrimos uma grande vantagem com a primeira corredora (Viviany Anderson) e conseguimos manter o ritmo até o final.”

A equipe de oito atletas da Adidas Powerbar (Jocinalda dos Santos, Maria Lúcia Alves Moraes, Célia Regina dos Santos, Luciene Soares de Deus, Maria de Fátima Gomes da Silva, Janete Mayal, Zenaide Aparecida da Silva e Erica da Silva Camargo) foi a terceira a fechar os 42,2 quilômetros do percurso, com o tempo de 2h37min54s, garantindo assim a 2ª colocação na classificação por equipes (oito atletas) e o 3º lugar no geral.

Equipes de elite em busca de recorde

Maratona · 17 maio, 2002

A 3ª Maratona BR de Revezamento, que acontece neste domingo, 19 de maio, no Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro, a partir das 9 horas da manhã, promete uma disputa forte entre os atletas de elite. Afinal, os organizadores do evento estão disponibilizando não só para os vencedores mas também para a quebra de recordes a maior premiação já vista em competições dessa modalidade no país, totalizando R$ 224 mil.

Além dos R$ 49 mil destinados aos melhores colocados na classificação por equipes (2, 4 e 8 participantes, para equipes masculinas e femininas), haverá bônus especial de U$ 10 mil (cerca de R$ 50 mil) para a equipe que conseguir bater o recorde da prova (2h06min54s no masculino e 2h34min28s no feminino) e ainda a quantia de U$ 50 mil (cerca de R$ 125 mil) para o selecionado que conseguir correr os 42,2 km do percurso em menos de 2 horas.

Entre as equipes masculinas que prometem brigar pela premiação extra, estão Cruzeiro, Mizuno, Brasil Telecom, Pão de Açúcar BM&F de SC do Sul e ainda o Pé de Vento, que vai tentar o bicampeonato.

Além das equipes brasileiras, os organizadores do evento confirmaram a presença de dois selecionados estrangeiros, um formado só por africanos e outro só por atletas portugueses, que devem dar trabalho aos brasileiros na briga por um lugar mais alto no pódio.

Na disputa feminina, a equipe de oito atletas da Mizuno, comandada pela atual campeã da São Silvestre, Maria Zeferina Baldaia, apresenta-se com força total e dificilmente deve deixar escapar o título.


Equipes de elite em busca de recorde

Maratona · 17 maio, 2002

A 3ª Maratona BR de Revezamento, que acontece neste domingo, 19 de maio, no Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro, a partir das 9 horas da manhã, promete uma disputa forte entre os atletas de elite. Afinal, os organizadores do evento estão disponibilizando não só para os vencedores mas também para a quebra de recordes a maior premiação já vista em competições dessa modalidade no país, totalizando R$ 224 mil.

Além dos R$ 49 mil destinados aos melhores colocados na classificação por equipes (2, 4 e 8 participantes, para equipes masculinas e femininas), haverá bônus especial de U$ 10 mil (cerca de R$ 50 mil) para a equipe que conseguir bater o recorde da prova (2h06min54s no masculino e 2h34min28s no feminino) e ainda a quantia de U$ 50 mil (cerca de R$ 125 mil) para o selecionado que conseguir correr os 42,2 km do percurso em menos de 2 horas.

Entre as equipes masculinas que prometem brigar pela premiação extra, estão Cruzeiro, Mizuno, Brasil Telecom, Pão de Açúcar BM&F de SC do Sul e ainda o Pé de Vento, que vai tentar o bicampeonato.

Além das equipes brasileiras, os organizadores do evento confirmaram a presença de dois selecionados estrangeiros, um formado só por africanos e outro só por atletas portugueses, que devem dar trabalho aos brasileiros na briga por um lugar mais alto no pódio.

Na disputa feminina, a equipe de oito atletas da Mizuno, comandada pela atual campeã da São Silvestre, Maria Zeferina Baldaia, apresenta-se com força total e dificilmente deve deixar escapar o título.

Revezamento BR é a atração deste fim de semana

Maratona · 13 maio, 2002

Neste domingo, 19 de maio, a partir das 9 horas da manhã, será dada a largada para a 3ª Maratona BR de Revezamento. Cerca de 12 mil corredores vão se reunir no Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro, para participar de mais uma edição dessa prova que reúne corredores de todo o Brasil.

Os atletas deverão cumprir os 42,2 km de percurso, em sistema de revezamento (4 voltas de 10.500 metros), divididos em equipes de dois, quatro e oito participantes, cada um com a missão de percorrer 21.100 metros (para as equipes de 2), 10.550 metros (para as de 4) ou 5.275 metros (para as de 8).

Além da grande participação popular dos corredores anônimos, o evento promete promover uma disputa forte entre as equipes de profissionais, que devem lutar não só pela quebra do recorde da prova, de 2h06min54s no masculino e 2h34min28s no feminino, mas também para tentar correr os 42,2 km do percurso em menos de 2 horas.

A primeira equipe que conseguir bater o recorde da competição leva uma premiação U$ 10 mil (cerca de R$ 50 mil). Para a quebra das 2 horas, os organizadores estão disponibilizando a quantia de U$ 50 mil (cerca de R$ 125 mil). As equipes mais bem colocadas receberão R$ 49 mil. O valor destinado à premiação do evento é recorde em provas do gênero no Brasil, totalizando R$ 224 mil.

As inscrições para a 3ª Maratona BR de Revezamento já estão oficialmente encerradas. Aqueles que ainda não conseguiram garantir sua inscrição para a prova poderão fazê-la no sábado, 18, dia da entrega do kit, das 10 às 17 horas, na Rua General Canabarro, 500, prédio da BR, no Rio de Janeiro, ao valor de R$ 15,00 (quinze reais). por atleta e se ainda houver disponibilidade.


Revezamento BR é a atração deste fim de semana

Maratona · 13 maio, 2002

Neste domingo, 19 de maio, a partir das 9 horas da manhã, será dada a largada para a 3ª Maratona BR de Revezamento. Cerca de 12 mil corredores vão se reunir no Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro, para participar de mais uma edição dessa prova que reúne corredores de todo o Brasil.

Os atletas deverão cumprir os 42,2 km de percurso, em sistema de revezamento (4 voltas de 10.500 metros), divididos em equipes de dois, quatro e oito participantes, cada um com a missão de percorrer 21.100 metros (para as equipes de 2), 10.550 metros (para as de 4) ou 5.275 metros (para as de 8).

Além da grande participação popular dos corredores anônimos, o evento promete promover uma disputa forte entre as equipes de profissionais, que devem lutar não só pela quebra do recorde da prova, de 2h06min54s no masculino e 2h34min28s no feminino, mas também para tentar correr os 42,2 km do percurso em menos de 2 horas.

A primeira equipe que conseguir bater o recorde da competição leva uma premiação U$ 10 mil (cerca de R$ 50 mil). Para a quebra das 2 horas, os organizadores estão disponibilizando a quantia de U$ 50 mil (cerca de R$ 125 mil). As equipes mais bem colocadas receberão R$ 49 mil. O valor destinado à premiação do evento é recorde em provas do gênero no Brasil, totalizando R$ 224 mil.

As inscrições para a 3ª Maratona BR de Revezamento já estão oficialmente encerradas. Aqueles que ainda não conseguiram garantir sua inscrição para a prova poderão fazê-la no sábado, 18, dia da entrega do kit, das 10 às 17 horas, na Rua General Canabarro, 500, prédio da BR, no Rio de Janeiro, ao valor de R$ 15,00 (quinze reais). por atleta e se ainda houver disponibilidade.