Antônio Pizzonia

Antonio Pizzonia estreia no Triathlon no Internacional de Santos

Triathlon · 04 mar, 2010

O piloto amazonense Antonio Pizzonia, encarou um novo desafio no último domingo, 28/02. Ele participou pela primeira vez de uma prova de triathlon e não escolheu uma competição qualquer para sua estreia, mas sim o Triathlon Internacional de Santos, prova tradicional no calendário brasileiro, com distâncias de 1,5 quilômetro de natação, 40 de ciclismo e 10 de corrida.

Para Pizzonia, o mais difícil foi a prova de natação. “A parte que eu tive mais dificuldade foi a natação, não pelo fato de nadar, mas pela quantidade de gente envolta e por ter de ficar prestando atenção nas bóias”, diz

Tudo foi novidade para o piloto na competição deste domingo, afinal ele já havia participado de provas de corrida, mas no triathlon foi sua primeira vez. “Meu desafio era justamente aprender o limite do meu corpo. Acho que foi uma experiência legal e agora eu tenho um parâmetro de tempo e uma certa experiência para tentar melhorar em cima disso”, diz ele, que pretende participar de um Ironman até o fim do ano.

Foi exatamente assistindo a uma prova de Ironman em Florianópolis (SC), ano passado, que Pizzonia decidiu mergulhar de cabeça no mundo do triathlon. Mas conciliar a agenda de piloto com a de triathleta não é nada fácil. “Agora que começa a temporada é mais complicado, não pelo tempo, mas pelas viagens e esse ano eu vou fazer duas categorias diferentes, uma no Brasil e uma fora”, diz o O “jungle boy”, como ficou conhecido no mundo do automobilismo, que esse ano corre pela Stock Car e pela Fórmula Superliga.

O amazonense teve apenas um mês para treinar para a Maratona de Miami, em Janeiro, e pouco mais de duas semanas para se preparar antes do Internacional de Santos. Resta saber se vai conseguir aguentar uma prova de Ironman até o fim do ano.


Antonio Pizzonia estreia no Triathlon no Internacional de Santos

Triathlon · 04 mar, 2010

O piloto amazonense Antonio Pizzonia, encarou um novo desafio no último domingo, 28/02. Ele participou pela primeira vez de uma prova de triathlon e não escolheu uma competição qualquer para sua estreia, mas sim o Triathlon Internacional de Santos, prova tradicional no calendário brasileiro, com distâncias de 1,5 quilômetro de natação, 40 de ciclismo e 10 de corrida.

Para Pizzonia, o mais difícil foi a prova de natação. “A parte que eu tive mais dificuldade foi a natação, não pelo fato de nadar, mas pela quantidade de gente envolta e por ter de ficar prestando atenção nas bóias”, diz

Tudo foi novidade para o piloto na competição deste domingo, afinal ele já havia participado de provas de corrida, mas no triathlon foi sua primeira vez. “Meu desafio era justamente aprender o limite do meu corpo. Acho que foi uma experiência legal e agora eu tenho um parâmetro de tempo e uma certa experiência para tentar melhorar em cima disso”, diz ele, que pretende participar de um Ironman até o fim do ano.

Foi exatamente assistindo a uma prova de Ironman em Florianópolis (SC), ano passado, que Pizzonia decidiu mergulhar de cabeça no mundo do triathlon. Mas conciliar a agenda de piloto com a de triathleta não é nada fácil. “Agora que começa a temporada é mais complicado, não pelo tempo, mas pelas viagens e esse ano eu vou fazer duas categorias diferentes, uma no Brasil e uma fora”, diz o O “jungle boy”, como ficou conhecido no mundo do automobilismo, que esse ano corre pela Stock Car e pela Fórmula Superliga.

O amazonense teve apenas um mês para treinar para a Maratona de Miami, em Janeiro, e pouco mais de duas semanas para se preparar antes do Internacional de Santos. Resta saber se vai conseguir aguentar uma prova de Ironman até o fim do ano.