Consumir alimentos crus ou cozidos: qual a diferença nutricional?

Elocc | Caminhada · 29 jul, 2015

Na hora de preparar uma refeição, seja para o almoço ou para o jantar, você prefere cozinhar os alimentos ou dispensar o fogão? Muitas pessoas ficam na dúvida se o cozimento dos legumes, como a cenoura e a vagem, acaba eliminando alguns nutrientes. Outra questão é se a escolha no modo de preparo depende apenas do gosto pessoal.

O ideal é consumir cinco porções de frutas, verduras e legumes por dia. Foto: dream79/Fotolia O ideal é consumir cinco porções de frutas, verduras e legumes por dia. Foto: dream79/Fotolia

“Os alimentos crus e cozidos podem ter diferenças no teor de nutrientes, pois todo processo de cozimento transforma de alguma forma os compostos vegetais, mas isso não quer dizer que seja algo ruim”, afirma a nutróloga Camila Perlin Ramos.

De acordo com a especialista, fatores como a temperatura, a duração e a forma de cozimento podem eliminar as vitaminas dos alimentos. Por isso, as comidas acabam ficando menos nutritivas.

Porém, não é sempre que esse modo de preparo resulta na perda de nutrientes. “Os vegetais crus são fontes principalmente de vitaminas do complexo B, por exemplo, que podem perder seu teor com o cozimento. Por outro lado, alguns compostos aumentam seu teor, como o licopeno, proveniente do tomate”, explica.

Diferente do tomate, que mesmo cozido conserva quase toda a quantidade de vitamina C, as hortaliças de folhas verde-escuras, como a couve, o quiabo e o espinafre, conseguem preservar apenas 60% desse nutriente. Neste caso, uma saída é reduzir o tempo de cozimento.

Cozinhar os alimentos nem sempre resulta em perdas nutritivas. Foto: Igor Mojzes/Fotolia Cozinhar os alimentos nem sempre resulta em perdas nutritivas. Foto: Igor Mojzes/Fotolia

Além disso, uma boa opção é colocar os alimentos dentro de uma panela tampada e com furos no fundo. O segredo da técnica é que há outra panela embaixo e é nela que fica a água fervente. “O cozimento a vapor é um dos métodos que permite menor perda de nutrientes” aconselha Camila Perlin Ramos. “Se o vegetal for imerso em água, tem muito mais chance de perder propriedades pelo contato direto com a água do cozimento”, completa.

Não é de hoje que ouvimos falar que a ingestão de frutas, verduras e legumes é necessária para uma alimentação saudável e equilibrada. Essa informação é totalmente verdadeira, tanto que a Organização Mundial da Saúde indica um consumo mínimo de cinco porções, o que corresponde a 400 gramas por dia. Isso ajuda a prevenir doenças como o câncer e o diabetes.

Já em relação aos nutrientes, o ideal é comer três porções de vegetais crus e duas de vegetais cozidos. Seguindo essas dicas fica fácil se alimentar corretamente.

Na hora de preparar uma refeição, seja para o almoço ou para o jantar, você prefere cozinhar os alimentos ou dispensar o fogão? Muitas pessoas ficam na dúvida se o cozimento dos legumes, como a cenoura e a vagem, acaba eliminando alguns nutrientes. Outra questão é se a escolha no modo de preparo depende apenas do gosto pessoal.

O ideal é consumir cinco porções de frutas, verduras e legumes por dia. Foto: dream79/Fotolia O ideal é consumir cinco porções de frutas, verduras e legumes por dia. Foto: dream79/Fotolia

“Os alimentos crus e cozidos podem ter diferenças no teor de nutrientes, pois todo processo de cozimento transforma de alguma forma os compostos vegetais, mas isso não quer dizer que seja algo ruim”, afirma a nutróloga Camila Perlin Ramos.

De acordo com a especialista, fatores como a temperatura, a duração e a forma de cozimento podem eliminar as vitaminas dos alimentos. Por isso, as comidas acabam ficando menos nutritivas.

Porém, não é sempre que esse modo de preparo resulta na perda de nutrientes. “Os vegetais crus são fontes principalmente de vitaminas do complexo B, por exemplo, que podem perder seu teor com o cozimento. Por outro lado, alguns compostos aumentam seu teor, como o licopeno, proveniente do tomate”, explica.

Diferente do tomate, que mesmo cozido conserva quase toda a quantidade de vitamina C, as hortaliças de folhas verde-escuras, como a couve, o quiabo e o espinafre, conseguem preservar apenas 60% desse nutriente. Neste caso, uma saída é reduzir o tempo de cozimento.

Cozinhar os alimentos nem sempre resulta em perdas nutritivas. Foto: Igor Mojzes/Fotolia Cozinhar os alimentos nem sempre resulta em perdas nutritivas. Foto: Igor Mojzes/Fotolia

Além disso, uma boa opção é colocar os alimentos dentro de uma panela tampada e com furos no fundo. O segredo da técnica é que há outra panela embaixo e é nela que fica a água fervente. “O cozimento a vapor é um dos métodos que permite menor perda de nutrientes” aconselha Camila Perlin Ramos. “Se o vegetal for imerso em água, tem muito mais chance de perder propriedades pelo contato direto com a água do cozimento”, completa.

Não é de hoje que ouvimos falar que a ingestão de frutas, verduras e legumes é necessária para uma alimentação saudável e equilibrada. Essa informação é totalmente verdadeira, tanto que a Organização Mundial da Saúde indica um consumo mínimo de cinco porções, o que corresponde a 400 gramas por dia. Isso ajuda a prevenir doenças como o câncer e o diabetes.

Já em relação aos nutrientes, o ideal é comer três porções de vegetais crus e duas de vegetais cozidos. Seguindo essas dicas fica fácil se alimentar corretamente.

 

Outras deste autor